SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 77
Curitiba, 01/09
SISTEMA HIDRÁULICO
Curitiba 09/13
Preparado por: MANUEL FILIPE
Curitiba, 01/09
SEÇÃO DE OFICINA COMO GUIA DE TRABALHO
-LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES.
-PROVA DE PRESSÃO DE ALGUNS SISTEMAS.
-TESTES HIDRÁULICOS
Curitiba, 01/09
Testar a pressão regulada do circuito de baixa pressão
A pressão é de 25 bar?
A pressão medida é equivalente a 0 bar?
É provável que o sensor de pressão esteja defeituoso.
Substituir e testar seu funcionamento
Possível anomalia no acionamento entre a bomba CCLS e a
bomba d baixa pressão.
Desmontar a bomba de baixa pressão e analisá-la.
Verificar se a conexão de movimento está boa
Possível vazamento dentro do bloco de baixa pressão. Realizar
cada um dos teste no circuito.
Limpar ou substituir as eletro válvulas . Testar.
A pressão corresponde às especificações?
Desmontar e testar a Válvula limitadora de pressão do bloco de
baixa.
A válvula pode estar bloqueada aberta.. Limpar ou substituir.
Testar novamente . A pressão está dentro das características?
Desmontar a bomba de baixa pressão e abalizá-la.
Verificar se a conexão de movimento está boa
É possível que a bomba esteja com defeito. Realize u teste de caudal. Reparar ou substituir a bomba e volte a testar.
NÃO
NÃO
NÃO
SIM
SIM SIM
NÃO
BAIXA PRESSÃO
Curitiba, 01/09
OPTI-CLEAN™ CLEANING CR 9060 ELEVATION
SISTEMA HIDRÁULICO
Curitiba, 01/09
Controle de
Fluxo e Pressão
Soleoid control valve
Pressure relief valve Motor
Válvula Anti-Retrorno
Gear pump 2960 rpm
Porta de Diagnóstico
SISTEMA HIDRÁULICO
Curitiba, 01/09
Fan drive pump
Fan control valve
SISTEMA HIDRÁULICO
Curitiba, 01/09
Motor 44cm³/rev
Apoio de Rolamento
SISTEMA HIDRÁULICO
Curitiba, 01/09
SISTEMA HIDRÁULICO
Curitiba, 01/09
SISTEMA HIDRÁULICO
Curitiba, 01/09
CR9060 ELEVATION
Rotary Screen
Diagrama
SISTEMA HIDRÁULICO
Curitiba, 01/09
BOMBAS INSTALADAS NO PTO
Bomba CCLS
Bomba de Baixa
Pressão
Bomba do ROTARY
SCREEN
Bomba
Hidrostática
Bomba do
OPTI-CLEAN™
Curitiba, 01/09
BOMBA DO ROTARY SCREEN
Bomba 3,8 cm³/rev.
2558 rpm.
Curitiba, 01/09
Motor de 4,3cc com
rolamentos de apoio
VáLVULA
Limitadora de
Pressão150 Bar
MOTOR ROTARY SCREEN
Curitiba, 01/09
SISTEMA HIDRÁULICO
Curitiba, 01/09
15
PARTE
1PTO
PARTE 3
Direção
PART E 2
Principal
PARTE 4
(Elevador)
Curitiba, 01/09
DIAGRAMA HIDRÁULICO
Parte1
Retorno
Pressão
Linhas
de Sinal
DIAGRAMA HIDRÁULICO PARTE 1.
-Explicar o fluxo de óleo desde o tanque/ Cooler para a Bomba CCLS e os restantes
componentes.
-1 : Motor, máx. 2100rpm
-2 : Caixa de engrenagens a partir do motor com acoplamento direto da Bomba CCLS (ver PTO).
-3 : Bomba Hidrostática para a Tração.
-4 : Bomba CCLS , Máx. deslocamento volumétrico 114 L/min a 2558rpm.
-5 : Bomba de engrenagens de baixa pressão, 17cc.
-6 : Haste de carga de sinal. 19 / 28 bar.
Curitiba, 01/09
DIAGRAMA HIDRÁULICO
Parte1
Retorno
Pressão
Linhas
de Sinal
-7 : Válvula de alivio de Pressão. 197 / 207 bar.
-8 : Filtro de Alta Pressão (malha 100 micros).
-50: Filtro de Retorno com By-pass.
-51: Sensor de Filtro Bloqueado.
-52: Válvula Termostática.
-53: Conjunto do Cooler.
-54: Filtro de 100 micros da sucção.
-55: Bocal de Enchimento.
-56: Sensor indicador de Nível
-57: Capacidade do Reservatório 37 Litros.
-58 :Dreno.
Curitiba, 01/09
DIAGRAMA HIDRÁULICO UNIDAD BASE
Parte 2
DIAGRAMA HIDRÁULICO PARTE 2 – UNIDADE BASE.
-Sistema Monobloco.
-9 : Válvula de prioridade da Direção.
--10 : Válvula de Segurança da linha de Sinal 185 bar.
-11: Válvula abre e fecha LS.
-14: Bloco da Válvula Principal.
-15 : Válvula de Absorção de choque da plataforma 210bar
-16: Válvula de Bloqueio do Acumulador.
-17 : Acumulador da Plataforma 0.5L - 70bar.
-18: Válvula sensora de Pressão da Plataforma.
-19 : Válvula de controle de Altura da Plataforma.
-20: Válvula sobe a Plataforma
-21 : Válvula de descida da Plataforma.
-22: Válvula de compensação da plataforma .
-23 : Cilindros da Plataforma.
-24: Controladora Eletrônica da Plataforma.
-25B: Válvula de aumento de rotação dos Cilindros
-25A: Válvula de diminuir a rotação dos Cilindros.
-25C: Válvula Limitadora de Pressão dos Cilindro 150 bar.
-26 : Cilindro do variador do cilindros de trilha.
-27: Válvula de Comando do Tubo de Descarga.
-28 : Válvulas pilotadas da linha do tubo de descarga
-29: Cilindro de deslocamento do Tubo de Descarga.
-31 : Engates rápidos da Plataforma.
-62: Acumulador do Variador dos Cilindro.
Curitiba, 01/09
VALVULA DE CONTROLE DA PLATAFORMA
P-Linha
de
Pressão
R1-Conexão
da Linha de
Retorno
A1- Conexão à
Válvula
do Acumulador
Y-Conexão da
Linha de Sinal
A- Conexão
aos cilindros
de Elevação
H-Válvula de Elevação
da Plataforma
S-Válvula de Descida
da Plataforma
Curitiba, 01/09
VALVULA DE CONTROLE DA PLATAFORMA
P-Linha de
Pressão
R1-Conexão da
Linha de
Retorno
A1-Conexão à
Válvula
do Acumulador
Y-Conexão da
Linha de Sinal
A- Conexão
aos cilindros
de Elevação
H-Válvula de Elevação
da Plataforma
S-Válvula de Descida
da Plataforma
Curitiba, 01/09
P-Linha de
Pressão
R1-Conexão da
Linha de
Retorno
A1-Conexão à
Válvula
do Acumulador
Y-Conexão da
Linha de Sinal
A- Conexão
aos cilindros
de Elevação
H-Válvula de Elevação
da Plataforma
S-Válvula de Descida
da Plataforma
Curitiba, 01/09
25C
20
9
10
15
21
24
14
18
LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
Curitiba, 01/09
Solenóide de subida
da plataforma
Solenóide de descida
da plataforma
Solenoide.
Acumulador
solenóide. Aumentar
rotação do variador
Solenóide. Baixar
rotação do variador
Solenoide. Tubo de
descarga
Solenoide de sinal LS
Jammer valve
P
R
Sensor de pressão da
Plataforma
Válvula de prioridade
5.2 limitador de
pressão 150 +- 5bar
Válvula de alivio de
pressão da direção
185+/- 5bar
V.1 Conexão do
variador
Linha de detecção de
carga LS2
Linha do acumulador
Válvula choque da
plataforma
Linha de detecção de
carga
Sensora de carga da
Direção
Linha da válvula de
direção ST.
LADO FRONTAL
VÁLVULA PRINCIPAL
Curitiba, 01/09
VÁLVULA PRINCIPAL
Solenóide do
acumulador.
Solenóide de sinal LS
Jammer valve
Solenóide de aumento
de RPM variador
Solenóide de abertura
do tubo de descarga
Solenóide de
fechamento do
tubo de descarga
Porta de pressão
“P”
Pressão da porta
“R”
Porta de teste de
pressão
Sensor de pressão
da plataforma
Porta do cilindro da
Plataforma
Conexão do
acumulador
Curitiba, 01/09
VÁLVULA PRINCIPAL – LADO FRONTAL
Válvula de prioridade
Válvula de alivio de
pressão da direção
185+/- 5bar
Valvula Antishock da
plataforma
230 +5 bar
VÁLVULA PRINCIPAL
Curitiba, 01/09
VÁLVULA PRINCIPAL – OUTRA VISTA.
Curitiba, 01/09
VÁLVULA HIDRÁULICA -VISTA LATERAL.
Curitiba, 01/09
VÁLVULA PRINCIPAL LADO TRASEIRO
Face traseira da válvula principal
-1.01 : Bloqueio da válvula sensora
de carga para a saída da válvula de
controle da plataforma.
-4.1 : Válvula anti retorno na linha
de retorno da válvula de controle do
tubo de descarga.
Curitiba, 01/09
DIAGRAMA DO ELEVADOR
Parte 4
Curitiba, 01/09
VÁLVULA DO ELEVADOR COM ACOPLAMENTOS RÁPIDOS
Linha de
detecção de
carga
Linha de retorno
Linha de
Pressão
Curitiba, 01/09
VÁLVULA DO ELEVADOR COM REVERSOR DE MOLINETE
Reversor do Molinete
Reversor do elevador
Molinete frente / atrás
Velocidade do
Molinete
Flutuação lateral da
plataforma
Ajuste vertical do
Molinete.
Fecha tampa de
Pedras
Curitiba, 01/09
VISTA FRONTAL DA VÁLVULA DO ELEVADOR
SD1 : Pórtico p/ expulsador de
pedras aberto
SD2 : Pórtico p/ expulsador de
pedras travado
RV1 : Reverso do elevador
RV2 : Elevador para a frente
RF : Conexão de Avanço do
Molinete
RA : Conexão para Trás do
Molinete
13.4 : Válvula anti retorno de
subida do molinete
13.3 : válvula de descida do
molinete
Curitiba, 01/09
VÁLVULA DO ALIMENTADOR
Y : Linha sensora de carga à válvula
principal
R : Linha de retorno.
P : Pressão da válvula principal (CCLS)
Curitiba, 01/09
VÁLVULA DO ELEVADOR - DESCRIÇÕES
RU : Pórtio vertical do
molinete
Solenóide. Abertura da
tampa de pedras
Válvula do reversor do
elevador
Válvula molinete à
frente e atrás
Válvula posição vertical
Molinete
Válv. Flutuação lateral
Velocidade do
Molinete
Reversor Molinete
Curitiba, 01/09
LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
Curitiba, 01/09
LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
Curitiba, 01/09
37
DIAGRAMA DO AUTOGUIDANCE
Detecção de carga
da válvula do
elevador W2 : Óleo da bomba
desde a válvula
principal
Linha de detecção
de carga até à válvula
principal..
Linha de
Retorno.
DIAGRAMA DA DIREÇÃO - Com Piloto
Curitiba, 01/09
DIAGRAMA DA DIREÇÃO - Parte 3
VÁLVULA DE DIREÇÃO – PARTE 3.
-LS : Linha de Sinal da válvula de prioridade.
-P : Pressão da Bomba.
-R : Linha de Retorno.
-12 : Válvula de Direção.
-12A : Válvula de Choque, 225 bar.
-12B : Válvula de Choque, 225 bar.
-12C : Haste de Controle de Fluxo, min. 160cc máximo 320cc
-12D : Válvulas do Rotor de Direção, interna e externa
-12E : Linha de medição da bomba à válvula, controle de
fluxo e pressão.
-13 : Cilindros de Direção.
-Não Indicado: Válvula Anti cavitação entre os pórticos P e R
Curitiba, 01/09
Curitiba, 01/09
Curitiba, 01/09
LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
Curitiba, 01/09
LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
Curitiba, 01/09
LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
Curitiba, 01/09
-9 : Válvula de prioridade.
-10 : Válvula de alivio de pressão de carga da válvula de direção.
-14 : Válvula Principal.
-15 : Válvula anti choque da plataforma
-18 : Solenóide do acumulador.
-20 : Solenóide de subida da Plataforma.
-21 : Solenóide de descida da Plataforma
-24 : Modulo de controle da plataforma.
-25C : Limitador de pressão do variador do rotor.
LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
Curitiba, 01/09
26
LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
-26 : Cilindro do Variador dos Rotores
Curitiba, 01/09
LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
Curitiba, 01/09 47
CR LOCALIZACIÓN DE COMPONENTES.
49 – Reversor
Molinete
33 – reversor do
elevador
41 – molinete
Frente/ Atrás
47 – Velocidade
Molinete
35 – flutuação
lateral da plataforma
43 - Molinete
vertical
66 – tampa
p/pedras
31
Curitiba, 01/09
LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
Curitiba, 01/09
LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
Curitiba, 01/09
LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
Curitiba, 01/09
LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
Curitiba, 01/09
LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
Curitiba, 01/09
LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
Curitiba, 01/09
SLIDES 41 – 62 : Detalhes De Componentes Individuais
Curitiba, 01/09
ELETROVÁLVULAS DE UM SÓ SOLENOIDE.
Posição Automática de operação:
Apertado.
Posição Manual de operação:
Desapertado.
Curitiba, 01/09
56
1
2
4
6
3
5
7
7
2
LS
P
T
L
R A
B
C
E
VALVULA DE DIREÇÃO – OSPQ-LS 160 / 320.
Numero de componente : 12
Curitiba, 01/09
VALVULA DE DIREÇÃO
Curitiba, 01/09
VALVULA PRINCIPAL
VALVULAS CONTROLE DE UM SÓ SOLENOIDE.
Número de componente : 25 - 25A – 46 - 43
Curitiba, 01/09
60
VALVULA PRINCIPAL
VALVULA DO ACUMULADOR DA PLATAFORMA
Cilindro da
Plataforma
Acumulador
Número de componente : 16
Veja no manual o tempo de ativação
Curitiba, 01/09
VÁLVULA DE SINAL DE SENSOR DE CARGA
Válvula Jammer
1: Bomba de pressão de óleo
2: Sensor de carga de óleo
3: Retorno de óleo
Número de Componente : Válvula
Jammer
Curitiba, 01/09
VALVULA DE REDUÇÃO DE PRESSÃO DO VARIADOR DO ROTOR.
Número de componente 25C
Curitiba, 01/09
VÁLVULA PRINCIPAL
VÁLVULA DE ALIVIO DE PRESSÃO
Número de componente : 10 - 15
Curitiba, 01/09
VALVULA PRINCIPAL
VÁLVULA DE PRIORIDADE
St :Óleo a pressão
à válvula de
direção
Bomba de óleo
Da Bomba de óleo
à válvula principal
e do alimentador.
Sensor de carga à
Válvula de direção
Orificio
Orifício
Número de componente 9
Curitiba, 01/09
Diafrágma
Nitrogeno
Óleo sobre pressão
Flutuação lateral do alimentador :
-lado da haste do pistão 80 bar
-Lado do embolo 100 bar
-Volume: 0.5 Litros
Acumulador da plataforma :
-Volume 0.5 litros
-Pressão: 70bar
Acumulador do variador do tambor :
-Volume: 0,5 litros
-Pressão: 180 bar
ACUMULADORES NO ALIMENTADOR E UNIDADE BASE.
Número
de
componentes
:
17
–
38
–
39
-
62
Curitiba, 01/09
BOMBA CCLS – BOMBA DE DETECÇÃO DE CARGA
CENTRO FECHADO.
Curitiba, 01/09
BOMBA CCLS – BOMBA DE DETECÇÃO DE CARGA
CENTRO FECHADO.
Curitiba, 01/09
BOMBA CCLS – BOMBA DE DETECÇÃO DE CARGA
CENTRO FECHADO.
Curitiba, 01/09
BOMBA CCLS – BOMBA DE DETECÇÃO DE CARGA
CENTRO FECHADO.
Curitiba, 01/09
VÁLVULA TERMOSÁTICA DE ÓLEO HIDROSTÁTICO
49 ± 3°C  63 °C
ΔP 3.1 ± 0.3 Bar
Número de componente : 52
Curitiba, 01/09
Radiador de óleo do
sistema de baixa a
pressão
Radiador de óleo
Hidrostático / hidráulico
RADIADOR DE ÓLEO HIDROSTÁTICO/HIDRÁULICO
Curitiba, 01/09
79
FILTRO DE RADIADOR DO HIDRÁULICO/HIDROSTÁTICO
Curitiba, 01/09
CILINDRO DO VARIADOR DO ROTOR
Número de componente : 26
Curitiba, 01/09
Slides 66 – 71: Manutenção do Sistema Hidráulico
Curitiba, 01/09
LUBRICAÇÃO E MANUTENÇÃO
SISTEMA HIDRÁULICO E HIDROSTÁTICO
ÓLEO: 100 H 600 H OU ANUALMENTE
RESERVATÓRIO : 37.L SISTEMA : 70.L
ÓLEO DE FÁBRICA : AMBRA HYDROSYSTEM 46 HV (NH646H)
Curitiba, 01/09
LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO
SISTEMA HIDRÁULICO E HIDROSTÁTICO
Curitiba, 01/09
CAIXA DE ENGRENAGENS – SISTEMA DE BAIXA PRESSÃO
CAPACIDADE DE ÓLEO: 11L.
ÓLEO: 100 H 600 H OU ANUALMENTE
ACEITE DE FÁBRICA : AMBRA HYDROSYSTEM 46 HV
(NH646H)
LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO
Curitiba, 01/09
FILTRO : 100 H 600 H OU ANUALMENTE
QUEROSENE
LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO
CAIXA DE ENGRENAGENS – SISTEMA DE BAIXA PRESSÃO

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a CR 9060 - Hidráulico-br-02.pptx

Manual de serviço cr80 r sistarre
Manual de serviço cr80 r sistarreManual de serviço cr80 r sistarre
Manual de serviço cr80 r sistarreThiago Huari
 
Manual de serviço ch125 spacy (1993) mskv8931 p alimenta
Manual de serviço ch125 spacy (1993)   mskv8931 p alimentaManual de serviço ch125 spacy (1993)   mskv8931 p alimenta
Manual de serviço ch125 spacy (1993) mskv8931 p alimentaThiago Huari
 
Manual de serviço spacy alimenta
Manual de serviço spacy alimentaManual de serviço spacy alimenta
Manual de serviço spacy alimentaThiago Huari
 
Manual serviço 125 ml83 alimenta
Manual serviço 125 ml83 alimentaManual serviço 125 ml83 alimenta
Manual serviço 125 ml83 alimentaThiago Huari
 
Manual de serviço cg125 cg125 ml (1983) alimenta
Manual de serviço cg125 cg125 ml (1983) alimentaManual de serviço cg125 cg125 ml (1983) alimenta
Manual de serviço cg125 cg125 ml (1983) alimentaThiago Huari
 
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) cabecote
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) cabecoteManaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) cabecote
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) cabecoteThiago Huari
 
Solução de controle de válvulas proporcionais usando sinal pwm caso do regula...
Solução de controle de válvulas proporcionais usando sinal pwm caso do regula...Solução de controle de válvulas proporcionais usando sinal pwm caso do regula...
Solução de controle de válvulas proporcionais usando sinal pwm caso do regula...Edinaldo Guimaraes
 
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) arrefeci
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) arrefeciManaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) arrefeci
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) arrefeciThiago Huari
 
Comandos eletro hidráulicos eletro pneumáticos (1)
Comandos eletro hidráulicos eletro pneumáticos (1)Comandos eletro hidráulicos eletro pneumáticos (1)
Comandos eletro hidráulicos eletro pneumáticos (1)fabinholook
 
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) cabecote
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) cabecoteManaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) cabecote
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) cabecoteThiago Huari
 
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) cabecote
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) cabecoteManaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) cabecote
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) cabecoteThiago Huari
 
Manual de serviço cr250 00 escape
Manual de serviço cr250 00 escapeManual de serviço cr250 00 escape
Manual de serviço cr250 00 escapeThiago Huari
 
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 manutenc
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 manutencManual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 manutenc
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 manutencThiago Huari
 
Hidráulica - Apres Hidrau 27-04.pdf
Hidráulica - Apres Hidrau 27-04.pdfHidráulica - Apres Hidrau 27-04.pdf
Hidráulica - Apres Hidrau 27-04.pdfMarcio409373
 

Semelhante a CR 9060 - Hidráulico-br-02.pptx (20)

Manual de serviço cr80 r sistarre
Manual de serviço cr80 r sistarreManual de serviço cr80 r sistarre
Manual de serviço cr80 r sistarre
 
P0776 cruze
P0776 cruzeP0776 cruze
P0776 cruze
 
Manual de serviço ch125 spacy (1993) mskv8931 p alimenta
Manual de serviço ch125 spacy (1993)   mskv8931 p alimentaManual de serviço ch125 spacy (1993)   mskv8931 p alimenta
Manual de serviço ch125 spacy (1993) mskv8931 p alimenta
 
Manual de serviço spacy alimenta
Manual de serviço spacy alimentaManual de serviço spacy alimenta
Manual de serviço spacy alimenta
 
Manual serviço 125 ml83 alimenta
Manual serviço 125 ml83 alimentaManual serviço 125 ml83 alimenta
Manual serviço 125 ml83 alimenta
 
Manual de serviço cg125 cg125 ml (1983) alimenta
Manual de serviço cg125 cg125 ml (1983) alimentaManual de serviço cg125 cg125 ml (1983) alimenta
Manual de serviço cg125 cg125 ml (1983) alimenta
 
MANUAL DO ABTF - SCANIA
MANUAL DO ABTF - SCANIAMANUAL DO ABTF - SCANIA
MANUAL DO ABTF - SCANIA
 
Válvulas - Seminário.pptx
Válvulas - Seminário.pptxVálvulas - Seminário.pptx
Válvulas - Seminário.pptx
 
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) cabecote
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) cabecoteManaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) cabecote
Manaul de serviço cbr1100 xx (2)_(1999~) cabecote
 
Solução de controle de válvulas proporcionais usando sinal pwm caso do regula...
Solução de controle de válvulas proporcionais usando sinal pwm caso do regula...Solução de controle de válvulas proporcionais usando sinal pwm caso do regula...
Solução de controle de válvulas proporcionais usando sinal pwm caso do regula...
 
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) arrefeci
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) arrefeciManaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) arrefeci
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) arrefeci
 
Comandos eletro hidráulicos eletro pneumáticos (1)
Comandos eletro hidráulicos eletro pneumáticos (1)Comandos eletro hidráulicos eletro pneumáticos (1)
Comandos eletro hidráulicos eletro pneumáticos (1)
 
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) cabecote
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) cabecoteManaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) cabecote
Manaul de serviço cbr600 f(3) (2001~) cabecote
 
Licao 30
Licao 30Licao 30
Licao 30
 
4 seleção de bombas e defeitos 2021
4   seleção de bombas e defeitos 20214   seleção de bombas e defeitos 2021
4 seleção de bombas e defeitos 2021
 
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) cabecote
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) cabecoteManaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) cabecote
Manaul de serviço cbr1100 xx (1)_(~1998) cabecote
 
Manual de serviço cr250 00 escape
Manual de serviço cr250 00 escapeManual de serviço cr250 00 escape
Manual de serviço cr250 00 escape
 
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 manutenc
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 manutencManual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 manutenc
Manual serviço c 100 biz - 00 x6b-gce-761 manutenc
 
Apres Hidrau 27-04.pdf
Apres Hidrau 27-04.pdfApres Hidrau 27-04.pdf
Apres Hidrau 27-04.pdf
 
Hidráulica - Apres Hidrau 27-04.pdf
Hidráulica - Apres Hidrau 27-04.pdfHidráulica - Apres Hidrau 27-04.pdf
Hidráulica - Apres Hidrau 27-04.pdf
 

Mais de VilsonBernardoStollm

Manuseio-de-Produtos-Quimicos_94d7ebdc92b14a72ad18614532e446ab.ppt
Manuseio-de-Produtos-Quimicos_94d7ebdc92b14a72ad18614532e446ab.pptManuseio-de-Produtos-Quimicos_94d7ebdc92b14a72ad18614532e446ab.ppt
Manuseio-de-Produtos-Quimicos_94d7ebdc92b14a72ad18614532e446ab.pptVilsonBernardoStollm
 
A utilizao dos EPIS No espao de Trabalho.pptx
A utilizao dos EPIS No espao de Trabalho.pptxA utilizao dos EPIS No espao de Trabalho.pptx
A utilizao dos EPIS No espao de Trabalho.pptxVilsonBernardoStollm
 
PROTECAO CONTRA INCENDIO E EXPLOSOES.pdf
PROTECAO CONTRA INCENDIO E EXPLOSOES.pdfPROTECAO CONTRA INCENDIO E EXPLOSOES.pdf
PROTECAO CONTRA INCENDIO E EXPLOSOES.pdfVilsonBernardoStollm
 
Nova_NR_18_a06b2957a1d9458fa2d44d693c76ed1f.pptx
Nova_NR_18_a06b2957a1d9458fa2d44d693c76ed1f.pptxNova_NR_18_a06b2957a1d9458fa2d44d693c76ed1f.pptx
Nova_NR_18_a06b2957a1d9458fa2d44d693c76ed1f.pptxVilsonBernardoStollm
 
ADMINISTRACAO_DE_RECURSOS_MATERIAIS (1).pdf
ADMINISTRACAO_DE_RECURSOS_MATERIAIS (1).pdfADMINISTRACAO_DE_RECURSOS_MATERIAIS (1).pdf
ADMINISTRACAO_DE_RECURSOS_MATERIAIS (1).pdfVilsonBernardoStollm
 
A_LOGISTICA_EMPRESARIAL_VISTA_COMO_ESTRA (1).pdf
A_LOGISTICA_EMPRESARIAL_VISTA_COMO_ESTRA (1).pdfA_LOGISTICA_EMPRESARIAL_VISTA_COMO_ESTRA (1).pdf
A_LOGISTICA_EMPRESARIAL_VISTA_COMO_ESTRA (1).pdfVilsonBernardoStollm
 
BLOQUEIO-DE-FONTES-DE-ENERGIAS-NR10_cd95cb6a9513495482271f2e989811ef.ppt
BLOQUEIO-DE-FONTES-DE-ENERGIAS-NR10_cd95cb6a9513495482271f2e989811ef.pptBLOQUEIO-DE-FONTES-DE-ENERGIAS-NR10_cd95cb6a9513495482271f2e989811ef.ppt
BLOQUEIO-DE-FONTES-DE-ENERGIAS-NR10_cd95cb6a9513495482271f2e989811ef.pptVilsonBernardoStollm
 
5 Razes Para Voc Proteger Suas MOS.ppt
5  Razes  Para  Voc  Proteger  Suas  MOS.ppt5  Razes  Para  Voc  Proteger  Suas  MOS.ppt
5 Razes Para Voc Proteger Suas MOS.pptVilsonBernardoStollm
 
a seguranca do trabalho em minas de carvao.pdf
a seguranca do trabalho em minas de carvao.pdfa seguranca do trabalho em minas de carvao.pdf
a seguranca do trabalho em minas de carvao.pdfVilsonBernardoStollm
 
a seguranca do trabalho em minas de carvao.pdf
a seguranca do trabalho em minas de carvao.pdfa seguranca do trabalho em minas de carvao.pdf
a seguranca do trabalho em minas de carvao.pdfVilsonBernardoStollm
 
as ferramentas usadas na prevenção.pdf
as ferramentas usadas na prevenção.pdfas ferramentas usadas na prevenção.pdf
as ferramentas usadas na prevenção.pdfVilsonBernardoStollm
 
a importancia da inspecao de extintores.pdf
a importancia da inspecao de extintores.pdfa importancia da inspecao de extintores.pdf
a importancia da inspecao de extintores.pdfVilsonBernardoStollm
 

Mais de VilsonBernardoStollm (20)

Manuseio-de-Produtos-Quimicos_94d7ebdc92b14a72ad18614532e446ab.ppt
Manuseio-de-Produtos-Quimicos_94d7ebdc92b14a72ad18614532e446ab.pptManuseio-de-Produtos-Quimicos_94d7ebdc92b14a72ad18614532e446ab.ppt
Manuseio-de-Produtos-Quimicos_94d7ebdc92b14a72ad18614532e446ab.ppt
 
A utilizao dos EPIS No espao de Trabalho.pptx
A utilizao dos EPIS No espao de Trabalho.pptxA utilizao dos EPIS No espao de Trabalho.pptx
A utilizao dos EPIS No espao de Trabalho.pptx
 
PROTECAO CONTRA INCENDIO E EXPLOSOES.pdf
PROTECAO CONTRA INCENDIO E EXPLOSOES.pdfPROTECAO CONTRA INCENDIO E EXPLOSOES.pdf
PROTECAO CONTRA INCENDIO E EXPLOSOES.pdf
 
Apresentao_JLucioGeraldi_prep.pdf
Apresentao_JLucioGeraldi_prep.pdfApresentao_JLucioGeraldi_prep.pdf
Apresentao_JLucioGeraldi_prep.pdf
 
APR MANUTENO MECNICA.doc
APR MANUTENO MECNICA.docAPR MANUTENO MECNICA.doc
APR MANUTENO MECNICA.doc
 
MAPA RISCO POSTO.doc
MAPA RISCO POSTO.docMAPA RISCO POSTO.doc
MAPA RISCO POSTO.doc
 
Nova_NR_18_a06b2957a1d9458fa2d44d693c76ed1f.pptx
Nova_NR_18_a06b2957a1d9458fa2d44d693c76ed1f.pptxNova_NR_18_a06b2957a1d9458fa2d44d693c76ed1f.pptx
Nova_NR_18_a06b2957a1d9458fa2d44d693c76ed1f.pptx
 
ADMINISTRACAO_DE_RECURSOS_MATERIAIS (1).pdf
ADMINISTRACAO_DE_RECURSOS_MATERIAIS (1).pdfADMINISTRACAO_DE_RECURSOS_MATERIAIS (1).pdf
ADMINISTRACAO_DE_RECURSOS_MATERIAIS (1).pdf
 
A_LOGISTICA_EMPRESARIAL_VISTA_COMO_ESTRA (1).pdf
A_LOGISTICA_EMPRESARIAL_VISTA_COMO_ESTRA (1).pdfA_LOGISTICA_EMPRESARIAL_VISTA_COMO_ESTRA (1).pdf
A_LOGISTICA_EMPRESARIAL_VISTA_COMO_ESTRA (1).pdf
 
02 PCP.pdf
02 PCP.pdf02 PCP.pdf
02 PCP.pdf
 
BLOQUEIO-DE-FONTES-DE-ENERGIAS-NR10_cd95cb6a9513495482271f2e989811ef.ppt
BLOQUEIO-DE-FONTES-DE-ENERGIAS-NR10_cd95cb6a9513495482271f2e989811ef.pptBLOQUEIO-DE-FONTES-DE-ENERGIAS-NR10_cd95cb6a9513495482271f2e989811ef.ppt
BLOQUEIO-DE-FONTES-DE-ENERGIAS-NR10_cd95cb6a9513495482271f2e989811ef.ppt
 
5 Razes Para Voc Proteger Suas MOS.ppt
5  Razes  Para  Voc  Proteger  Suas  MOS.ppt5  Razes  Para  Voc  Proteger  Suas  MOS.ppt
5 Razes Para Voc Proteger Suas MOS.ppt
 
E-book-Oficial.pdf
E-book-Oficial.pdfE-book-Oficial.pdf
E-book-Oficial.pdf
 
a seguranca do trabalho em minas de carvao.pdf
a seguranca do trabalho em minas de carvao.pdfa seguranca do trabalho em minas de carvao.pdf
a seguranca do trabalho em minas de carvao.pdf
 
a seguranca do trabalho em minas de carvao.pdf
a seguranca do trabalho em minas de carvao.pdfa seguranca do trabalho em minas de carvao.pdf
a seguranca do trabalho em minas de carvao.pdf
 
as ferramentas usadas na prevenção.pdf
as ferramentas usadas na prevenção.pdfas ferramentas usadas na prevenção.pdf
as ferramentas usadas na prevenção.pdf
 
acidentetrabalho.pdf
acidentetrabalho.pdfacidentetrabalho.pdf
acidentetrabalho.pdf
 
a importancia da inspecao de extintores.pdf
a importancia da inspecao de extintores.pdfa importancia da inspecao de extintores.pdf
a importancia da inspecao de extintores.pdf
 
4 ARTIGO CLASSE INCENDIOS.pdf
4 ARTIGO CLASSE INCENDIOS.pdf4 ARTIGO CLASSE INCENDIOS.pdf
4 ARTIGO CLASSE INCENDIOS.pdf
 
GRO_Comentado_16jun20.pdf
GRO_Comentado_16jun20.pdfGRO_Comentado_16jun20.pdf
GRO_Comentado_16jun20.pdf
 

Último

SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxavaseg
 
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptxProposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptxWiliamArmandoHarisso
 
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdfPlanejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdfssusercc9a5f
 
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADECONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADEssusercc9a5f
 
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxmarketing18485
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdftatebib346
 
treinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticatreinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticaleilannygaldino
 
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdfNormas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdfAlexsandroRocha22
 

Último (8)

SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
 
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptxProposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
Proposta de dimensionamento. PROJETO DO CURSO 2023.pptx
 
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdfPlanejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
 
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADECONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
 
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 
treinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plásticatreinamento de moldagem por injeção plástica
treinamento de moldagem por injeção plástica
 
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdfNormas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
 

CR 9060 - Hidráulico-br-02.pptx

  • 1. Curitiba, 01/09 SISTEMA HIDRÁULICO Curitiba 09/13 Preparado por: MANUEL FILIPE
  • 2. Curitiba, 01/09 SEÇÃO DE OFICINA COMO GUIA DE TRABALHO -LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES. -PROVA DE PRESSÃO DE ALGUNS SISTEMAS. -TESTES HIDRÁULICOS
  • 3. Curitiba, 01/09 Testar a pressão regulada do circuito de baixa pressão A pressão é de 25 bar? A pressão medida é equivalente a 0 bar? É provável que o sensor de pressão esteja defeituoso. Substituir e testar seu funcionamento Possível anomalia no acionamento entre a bomba CCLS e a bomba d baixa pressão. Desmontar a bomba de baixa pressão e analisá-la. Verificar se a conexão de movimento está boa Possível vazamento dentro do bloco de baixa pressão. Realizar cada um dos teste no circuito. Limpar ou substituir as eletro válvulas . Testar. A pressão corresponde às especificações? Desmontar e testar a Válvula limitadora de pressão do bloco de baixa. A válvula pode estar bloqueada aberta.. Limpar ou substituir. Testar novamente . A pressão está dentro das características? Desmontar a bomba de baixa pressão e abalizá-la. Verificar se a conexão de movimento está boa É possível que a bomba esteja com defeito. Realize u teste de caudal. Reparar ou substituir a bomba e volte a testar. NÃO NÃO NÃO SIM SIM SIM NÃO BAIXA PRESSÃO
  • 4. Curitiba, 01/09 OPTI-CLEAN™ CLEANING CR 9060 ELEVATION SISTEMA HIDRÁULICO
  • 5. Curitiba, 01/09 Controle de Fluxo e Pressão Soleoid control valve Pressure relief valve Motor Válvula Anti-Retrorno Gear pump 2960 rpm Porta de Diagnóstico SISTEMA HIDRÁULICO
  • 6. Curitiba, 01/09 Fan drive pump Fan control valve SISTEMA HIDRÁULICO
  • 7. Curitiba, 01/09 Motor 44cm³/rev Apoio de Rolamento SISTEMA HIDRÁULICO
  • 10. Curitiba, 01/09 CR9060 ELEVATION Rotary Screen Diagrama SISTEMA HIDRÁULICO
  • 11. Curitiba, 01/09 BOMBAS INSTALADAS NO PTO Bomba CCLS Bomba de Baixa Pressão Bomba do ROTARY SCREEN Bomba Hidrostática Bomba do OPTI-CLEAN™
  • 12. Curitiba, 01/09 BOMBA DO ROTARY SCREEN Bomba 3,8 cm³/rev. 2558 rpm.
  • 13. Curitiba, 01/09 Motor de 4,3cc com rolamentos de apoio VáLVULA Limitadora de Pressão150 Bar MOTOR ROTARY SCREEN
  • 15. Curitiba, 01/09 15 PARTE 1PTO PARTE 3 Direção PART E 2 Principal PARTE 4 (Elevador)
  • 16. Curitiba, 01/09 DIAGRAMA HIDRÁULICO Parte1 Retorno Pressão Linhas de Sinal DIAGRAMA HIDRÁULICO PARTE 1. -Explicar o fluxo de óleo desde o tanque/ Cooler para a Bomba CCLS e os restantes componentes. -1 : Motor, máx. 2100rpm -2 : Caixa de engrenagens a partir do motor com acoplamento direto da Bomba CCLS (ver PTO). -3 : Bomba Hidrostática para a Tração. -4 : Bomba CCLS , Máx. deslocamento volumétrico 114 L/min a 2558rpm. -5 : Bomba de engrenagens de baixa pressão, 17cc. -6 : Haste de carga de sinal. 19 / 28 bar.
  • 17. Curitiba, 01/09 DIAGRAMA HIDRÁULICO Parte1 Retorno Pressão Linhas de Sinal -7 : Válvula de alivio de Pressão. 197 / 207 bar. -8 : Filtro de Alta Pressão (malha 100 micros). -50: Filtro de Retorno com By-pass. -51: Sensor de Filtro Bloqueado. -52: Válvula Termostática. -53: Conjunto do Cooler. -54: Filtro de 100 micros da sucção. -55: Bocal de Enchimento. -56: Sensor indicador de Nível -57: Capacidade do Reservatório 37 Litros. -58 :Dreno.
  • 18. Curitiba, 01/09 DIAGRAMA HIDRÁULICO UNIDAD BASE Parte 2 DIAGRAMA HIDRÁULICO PARTE 2 – UNIDADE BASE. -Sistema Monobloco. -9 : Válvula de prioridade da Direção. --10 : Válvula de Segurança da linha de Sinal 185 bar. -11: Válvula abre e fecha LS. -14: Bloco da Válvula Principal. -15 : Válvula de Absorção de choque da plataforma 210bar -16: Válvula de Bloqueio do Acumulador. -17 : Acumulador da Plataforma 0.5L - 70bar. -18: Válvula sensora de Pressão da Plataforma. -19 : Válvula de controle de Altura da Plataforma. -20: Válvula sobe a Plataforma -21 : Válvula de descida da Plataforma. -22: Válvula de compensação da plataforma . -23 : Cilindros da Plataforma. -24: Controladora Eletrônica da Plataforma. -25B: Válvula de aumento de rotação dos Cilindros -25A: Válvula de diminuir a rotação dos Cilindros. -25C: Válvula Limitadora de Pressão dos Cilindro 150 bar. -26 : Cilindro do variador do cilindros de trilha. -27: Válvula de Comando do Tubo de Descarga. -28 : Válvulas pilotadas da linha do tubo de descarga -29: Cilindro de deslocamento do Tubo de Descarga. -31 : Engates rápidos da Plataforma. -62: Acumulador do Variador dos Cilindro.
  • 19. Curitiba, 01/09 VALVULA DE CONTROLE DA PLATAFORMA P-Linha de Pressão R1-Conexão da Linha de Retorno A1- Conexão à Válvula do Acumulador Y-Conexão da Linha de Sinal A- Conexão aos cilindros de Elevação H-Válvula de Elevação da Plataforma S-Válvula de Descida da Plataforma
  • 20. Curitiba, 01/09 VALVULA DE CONTROLE DA PLATAFORMA P-Linha de Pressão R1-Conexão da Linha de Retorno A1-Conexão à Válvula do Acumulador Y-Conexão da Linha de Sinal A- Conexão aos cilindros de Elevação H-Válvula de Elevação da Plataforma S-Válvula de Descida da Plataforma
  • 21. Curitiba, 01/09 P-Linha de Pressão R1-Conexão da Linha de Retorno A1-Conexão à Válvula do Acumulador Y-Conexão da Linha de Sinal A- Conexão aos cilindros de Elevação H-Válvula de Elevação da Plataforma S-Válvula de Descida da Plataforma
  • 23. Curitiba, 01/09 Solenóide de subida da plataforma Solenóide de descida da plataforma Solenoide. Acumulador solenóide. Aumentar rotação do variador Solenóide. Baixar rotação do variador Solenoide. Tubo de descarga Solenoide de sinal LS Jammer valve P R Sensor de pressão da Plataforma Válvula de prioridade 5.2 limitador de pressão 150 +- 5bar Válvula de alivio de pressão da direção 185+/- 5bar V.1 Conexão do variador Linha de detecção de carga LS2 Linha do acumulador Válvula choque da plataforma Linha de detecção de carga Sensora de carga da Direção Linha da válvula de direção ST. LADO FRONTAL VÁLVULA PRINCIPAL
  • 24. Curitiba, 01/09 VÁLVULA PRINCIPAL Solenóide do acumulador. Solenóide de sinal LS Jammer valve Solenóide de aumento de RPM variador Solenóide de abertura do tubo de descarga Solenóide de fechamento do tubo de descarga Porta de pressão “P” Pressão da porta “R” Porta de teste de pressão Sensor de pressão da plataforma Porta do cilindro da Plataforma Conexão do acumulador
  • 25. Curitiba, 01/09 VÁLVULA PRINCIPAL – LADO FRONTAL Válvula de prioridade Válvula de alivio de pressão da direção 185+/- 5bar Valvula Antishock da plataforma 230 +5 bar VÁLVULA PRINCIPAL
  • 28. Curitiba, 01/09 VÁLVULA PRINCIPAL LADO TRASEIRO Face traseira da válvula principal -1.01 : Bloqueio da válvula sensora de carga para a saída da válvula de controle da plataforma. -4.1 : Válvula anti retorno na linha de retorno da válvula de controle do tubo de descarga.
  • 29. Curitiba, 01/09 DIAGRAMA DO ELEVADOR Parte 4
  • 30. Curitiba, 01/09 VÁLVULA DO ELEVADOR COM ACOPLAMENTOS RÁPIDOS Linha de detecção de carga Linha de retorno Linha de Pressão
  • 31. Curitiba, 01/09 VÁLVULA DO ELEVADOR COM REVERSOR DE MOLINETE Reversor do Molinete Reversor do elevador Molinete frente / atrás Velocidade do Molinete Flutuação lateral da plataforma Ajuste vertical do Molinete. Fecha tampa de Pedras
  • 32. Curitiba, 01/09 VISTA FRONTAL DA VÁLVULA DO ELEVADOR SD1 : Pórtico p/ expulsador de pedras aberto SD2 : Pórtico p/ expulsador de pedras travado RV1 : Reverso do elevador RV2 : Elevador para a frente RF : Conexão de Avanço do Molinete RA : Conexão para Trás do Molinete 13.4 : Válvula anti retorno de subida do molinete 13.3 : válvula de descida do molinete
  • 33. Curitiba, 01/09 VÁLVULA DO ALIMENTADOR Y : Linha sensora de carga à válvula principal R : Linha de retorno. P : Pressão da válvula principal (CCLS)
  • 34. Curitiba, 01/09 VÁLVULA DO ELEVADOR - DESCRIÇÕES RU : Pórtio vertical do molinete Solenóide. Abertura da tampa de pedras Válvula do reversor do elevador Válvula molinete à frente e atrás Válvula posição vertical Molinete Válv. Flutuação lateral Velocidade do Molinete Reversor Molinete
  • 37. Curitiba, 01/09 37 DIAGRAMA DO AUTOGUIDANCE Detecção de carga da válvula do elevador W2 : Óleo da bomba desde a válvula principal Linha de detecção de carga até à válvula principal.. Linha de Retorno. DIAGRAMA DA DIREÇÃO - Com Piloto
  • 38. Curitiba, 01/09 DIAGRAMA DA DIREÇÃO - Parte 3 VÁLVULA DE DIREÇÃO – PARTE 3. -LS : Linha de Sinal da válvula de prioridade. -P : Pressão da Bomba. -R : Linha de Retorno. -12 : Válvula de Direção. -12A : Válvula de Choque, 225 bar. -12B : Válvula de Choque, 225 bar. -12C : Haste de Controle de Fluxo, min. 160cc máximo 320cc -12D : Válvulas do Rotor de Direção, interna e externa -12E : Linha de medição da bomba à válvula, controle de fluxo e pressão. -13 : Cilindros de Direção. -Não Indicado: Válvula Anti cavitação entre os pórticos P e R
  • 44. Curitiba, 01/09 -9 : Válvula de prioridade. -10 : Válvula de alivio de pressão de carga da válvula de direção. -14 : Válvula Principal. -15 : Válvula anti choque da plataforma -18 : Solenóide do acumulador. -20 : Solenóide de subida da Plataforma. -21 : Solenóide de descida da Plataforma -24 : Modulo de controle da plataforma. -25C : Limitador de pressão do variador do rotor. LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
  • 45. Curitiba, 01/09 26 LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES -26 : Cilindro do Variador dos Rotores
  • 47. Curitiba, 01/09 47 CR LOCALIZACIÓN DE COMPONENTES. 49 – Reversor Molinete 33 – reversor do elevador 41 – molinete Frente/ Atrás 47 – Velocidade Molinete 35 – flutuação lateral da plataforma 43 - Molinete vertical 66 – tampa p/pedras 31
  • 54. Curitiba, 01/09 SLIDES 41 – 62 : Detalhes De Componentes Individuais
  • 55. Curitiba, 01/09 ELETROVÁLVULAS DE UM SÓ SOLENOIDE. Posição Automática de operação: Apertado. Posição Manual de operação: Desapertado.
  • 56. Curitiba, 01/09 56 1 2 4 6 3 5 7 7 2 LS P T L R A B C E VALVULA DE DIREÇÃO – OSPQ-LS 160 / 320. Numero de componente : 12
  • 58. Curitiba, 01/09 VALVULA PRINCIPAL VALVULAS CONTROLE DE UM SÓ SOLENOIDE. Número de componente : 25 - 25A – 46 - 43
  • 59. Curitiba, 01/09 60 VALVULA PRINCIPAL VALVULA DO ACUMULADOR DA PLATAFORMA Cilindro da Plataforma Acumulador Número de componente : 16 Veja no manual o tempo de ativação
  • 60. Curitiba, 01/09 VÁLVULA DE SINAL DE SENSOR DE CARGA Válvula Jammer 1: Bomba de pressão de óleo 2: Sensor de carga de óleo 3: Retorno de óleo Número de Componente : Válvula Jammer
  • 61. Curitiba, 01/09 VALVULA DE REDUÇÃO DE PRESSÃO DO VARIADOR DO ROTOR. Número de componente 25C
  • 62. Curitiba, 01/09 VÁLVULA PRINCIPAL VÁLVULA DE ALIVIO DE PRESSÃO Número de componente : 10 - 15
  • 63. Curitiba, 01/09 VALVULA PRINCIPAL VÁLVULA DE PRIORIDADE St :Óleo a pressão à válvula de direção Bomba de óleo Da Bomba de óleo à válvula principal e do alimentador. Sensor de carga à Válvula de direção Orificio Orifício Número de componente 9
  • 64. Curitiba, 01/09 Diafrágma Nitrogeno Óleo sobre pressão Flutuação lateral do alimentador : -lado da haste do pistão 80 bar -Lado do embolo 100 bar -Volume: 0.5 Litros Acumulador da plataforma : -Volume 0.5 litros -Pressão: 70bar Acumulador do variador do tambor : -Volume: 0,5 litros -Pressão: 180 bar ACUMULADORES NO ALIMENTADOR E UNIDADE BASE. Número de componentes : 17 – 38 – 39 - 62
  • 65. Curitiba, 01/09 BOMBA CCLS – BOMBA DE DETECÇÃO DE CARGA CENTRO FECHADO.
  • 66. Curitiba, 01/09 BOMBA CCLS – BOMBA DE DETECÇÃO DE CARGA CENTRO FECHADO.
  • 67. Curitiba, 01/09 BOMBA CCLS – BOMBA DE DETECÇÃO DE CARGA CENTRO FECHADO.
  • 68. Curitiba, 01/09 BOMBA CCLS – BOMBA DE DETECÇÃO DE CARGA CENTRO FECHADO.
  • 69. Curitiba, 01/09 VÁLVULA TERMOSÁTICA DE ÓLEO HIDROSTÁTICO 49 ± 3°C  63 °C ΔP 3.1 ± 0.3 Bar Número de componente : 52
  • 70. Curitiba, 01/09 Radiador de óleo do sistema de baixa a pressão Radiador de óleo Hidrostático / hidráulico RADIADOR DE ÓLEO HIDROSTÁTICO/HIDRÁULICO
  • 71. Curitiba, 01/09 79 FILTRO DE RADIADOR DO HIDRÁULICO/HIDROSTÁTICO
  • 72. Curitiba, 01/09 CILINDRO DO VARIADOR DO ROTOR Número de componente : 26
  • 73. Curitiba, 01/09 Slides 66 – 71: Manutenção do Sistema Hidráulico
  • 74. Curitiba, 01/09 LUBRICAÇÃO E MANUTENÇÃO SISTEMA HIDRÁULICO E HIDROSTÁTICO ÓLEO: 100 H 600 H OU ANUALMENTE RESERVATÓRIO : 37.L SISTEMA : 70.L ÓLEO DE FÁBRICA : AMBRA HYDROSYSTEM 46 HV (NH646H)
  • 75. Curitiba, 01/09 LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO SISTEMA HIDRÁULICO E HIDROSTÁTICO
  • 76. Curitiba, 01/09 CAIXA DE ENGRENAGENS – SISTEMA DE BAIXA PRESSÃO CAPACIDADE DE ÓLEO: 11L. ÓLEO: 100 H 600 H OU ANUALMENTE ACEITE DE FÁBRICA : AMBRA HYDROSYSTEM 46 HV (NH646H) LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO
  • 77. Curitiba, 01/09 FILTRO : 100 H 600 H OU ANUALMENTE QUEROSENE LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO CAIXA DE ENGRENAGENS – SISTEMA DE BAIXA PRESSÃO