SlideShare uma empresa Scribd logo
Black blocs e sua atuação
A ORIGEM
O informativo multilíngue anarquista A-Infos
(10/06/2001) publicou um artigo de Daniel Dylan
Young no qual o autor explica que o Black Bloc tem
um berço não anarquista: ele nasceu de um
movimento da contracultura que se irradiou da
Itália para Alemanha, Dinamarca, Holanda e outras
partes da Europa.
As manifestações iniciadas na Itália nos anos
de 1970 apresentaram uma novidade: não
tinham nenhuma relação com o Partido
Comunista, a esquerda partidária ou o
movimento sindical, que sempre procuraram
sabotar aquele novo coletivo de estudantes
independentes, donas de casa e
trabalhadores de fábrica não sindicalizados.
Era um movimento radical de transformação
social de gente não organizada e foi tratado
com indiferença e malícia pela esquerda
tradicional.
A ascensão da extrema-direita radical na
Alemanha impôs um recuo inesperado ao
movimento anarquista e a prática da tática
Black Bloc na Europa. Nos Estados
Unidos, desde os protestos de 1999 em
Seattle, o os homens de preto tem tido
presença constante nas manifestações
populares no país.
DEFININDO
Black bloc é o nome dado a uma estratégia de
manifestação e protesto anarquista, na qual grupos
de afinidade mascarados e vestidos de negro se
reúnem com objetivo de protestar em
manifestações anti-globalização e/ou anticapitalistas, conferências de representacionistas
entre outras ocasiões, utilizando a propaganda
pela ação para questionar o sistema vigente.
ANTI-CAPITALISTAS
Black blocs se diferenciam de outros grupos anticapitalistas por rotineiramente se utilizarem da
destruição da propriedade para trazer atenção para
sua oposição contra corporações multinacionais e
aos apoios e às vantagens recebidas dos governos
ocidentais por essas companhias. Um exemplo
desta atividade é a destruição das fachadas de
lojas e escritórios como
McDonald's, Starbucks, Fidelity Investments
As roupas e máscaras negras que dão nome
à estratégia são usadas para dificultar ou
mesmo impedir qualquer tipo de identificação
pelas autoridades, também com a finalidade
de parecer uma única massa
imensa, promovendo solidariedade entre
seus participantes.
O PAPEL DAS REDES SOCIAIS
As redes sociais e novas realidades em outros
continentes ofereceriam novos “fronts” para esta
forma de luta urbana solidária anos depois das
primeiras críticas dos anarquistas ao Black Bloc
feitas antes do desenvolvimento da web. O tempo
de mobilização da população popular diminuiu
muito e a organização virtual leva o planejamento
da ação à sua execução em muito menos tempo.
EM AÇÃO NO BRASIL
A tática usada pelo grupo nos últimos atos
obedece ao padrão de ação dos precursores
europeus e americanos. Em turmas de cerca
de 100 pessoas, os black blocs assumem a
linha de frente dos protestos, a pretexto de
compor uma barreira entre os manifestantes
e os policiais.
De braços cruzados, movem-se como uma
massa uniforme em direção às barreiras de
segurança. Quando a polícia se
aproxima, emitem em coro e de forma
ritmada grunhidos semelhantes a um grito
tribal. Nesse momento, alguns membros
lançam morteiros, coquetéis molotov e
pedras com estilingues.

Mais conteúdo relacionado

Destaque (9)

Black Bloc
Black BlocBlack Bloc
Black Bloc
 
As máscaras e o Black Bloc
As máscaras e o Black BlocAs máscaras e o Black Bloc
As máscaras e o Black Bloc
 
Black Bloc
Black BlocBlack Bloc
Black Bloc
 
Diagnostica 01. Enem
Diagnostica 01. EnemDiagnostica 01. Enem
Diagnostica 01. Enem
 
Nordeste.
Nordeste.Nordeste.
Nordeste.
 
Programa mais médicos
Programa mais médicosPrograma mais médicos
Programa mais médicos
 
A queda do imperio romano do ocidente
A queda do imperio romano do ocidenteA queda do imperio romano do ocidente
A queda do imperio romano do ocidente
 
1 a queda do império romano em 476d
1   a queda do império romano em 476d1   a queda do império romano em 476d
1 a queda do império romano em 476d
 
Guia de estudos atualidades
Guia de estudos atualidadesGuia de estudos atualidades
Guia de estudos atualidades
 

Semelhante a Black blocs

A Tática dos "Black Blocs"
A Tática dos "Black Blocs"A Tática dos "Black Blocs"
A Tática dos "Black Blocs"
BlackBlocRJ
 
Manisfestações 2013/2014 e Black Blocs
Manisfestações  2013/2014 e Black BlocsManisfestações  2013/2014 e Black Blocs
Manisfestações 2013/2014 e Black Blocs
Alfredo Moreira
 
6669051 urgencia-das-ruas-coletivo-baderna
6669051 urgencia-das-ruas-coletivo-baderna6669051 urgencia-das-ruas-coletivo-baderna
6669051 urgencia-das-ruas-coletivo-baderna
Luca Di Vito
 
Urgência das Ruas - Ned Ludd
Urgência das Ruas - Ned LuddUrgência das Ruas - Ned Ludd
Urgência das Ruas - Ned Ludd
BlackBlocRJ
 
Sociologia Capítulo 15-os movimentos sociais
Sociologia Capítulo 15-os movimentos sociaisSociologia Capítulo 15-os movimentos sociais
Sociologia Capítulo 15-os movimentos sociais
Miro Santos
 
As revoltas de junho no brasil e o anarquismo
As revoltas de junho no brasil e o anarquismoAs revoltas de junho no brasil e o anarquismo
As revoltas de junho no brasil e o anarquismo
Alexandre Lemos
 
Anarquismo11 101126215713-phpapp01
Anarquismo11 101126215713-phpapp01Anarquismo11 101126215713-phpapp01
Anarquismo11 101126215713-phpapp01
95498775
 

Semelhante a Black blocs (20)

A Tática dos "Black Blocs"
A Tática dos "Black Blocs"A Tática dos "Black Blocs"
A Tática dos "Black Blocs"
 
Apontamentos sobre a espanha rebelde toni negri
Apontamentos sobre a espanha rebelde   toni negriApontamentos sobre a espanha rebelde   toni negri
Apontamentos sobre a espanha rebelde toni negri
 
Movimento antiglobalização
Movimento antiglobalizaçãoMovimento antiglobalização
Movimento antiglobalização
 
Manisfestações 2013/2014 e Black Blocs
Manisfestações  2013/2014 e Black BlocsManisfestações  2013/2014 e Black Blocs
Manisfestações 2013/2014 e Black Blocs
 
Anarquismo
AnarquismoAnarquismo
Anarquismo
 
6669051 urgencia-das-ruas-coletivo-baderna
6669051 urgencia-das-ruas-coletivo-baderna6669051 urgencia-das-ruas-coletivo-baderna
6669051 urgencia-das-ruas-coletivo-baderna
 
Urgência das Ruas - Nedd Lud (org) - Editora Conrad
Urgência das Ruas - Nedd Lud (org) - Editora ConradUrgência das Ruas - Nedd Lud (org) - Editora Conrad
Urgência das Ruas - Nedd Lud (org) - Editora Conrad
 
Urgência das Ruas - Ned Ludd
Urgência das Ruas - Ned LuddUrgência das Ruas - Ned Ludd
Urgência das Ruas - Ned Ludd
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
707 (1)
707 (1)707 (1)
707 (1)
 
Grafite e vestuário mídia radical
Grafite e vestuário   mídia radicalGrafite e vestuário   mídia radical
Grafite e vestuário mídia radical
 
Movimentos sociais
Movimentos sociais Movimentos sociais
Movimentos sociais
 
Sociologia Capítulo 15-os movimentos sociais
Sociologia Capítulo 15-os movimentos sociaisSociologia Capítulo 15-os movimentos sociais
Sociologia Capítulo 15-os movimentos sociais
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 15 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 15 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 15 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 15 do Tomazi
 
Sociologia - Os Movimentos Sociais
Sociologia  - Os Movimentos SociaisSociologia  - Os Movimentos Sociais
Sociologia - Os Movimentos Sociais
 
As revoltas de junho no brasil e o anarquismo
As revoltas de junho no brasil e o anarquismoAs revoltas de junho no brasil e o anarquismo
As revoltas de junho no brasil e o anarquismo
 
As revoltas de junho no brasil e o anarquismo
As revoltas de junho no brasil e o anarquismoAs revoltas de junho no brasil e o anarquismo
As revoltas de junho no brasil e o anarquismo
 
Mobilização de Pessoas pelas Mídias Sociais - Paula Diniz e Kalyl Rachid -
Mobilização de Pessoas pelas Mídias Sociais - Paula Diniz e Kalyl Rachid -Mobilização de Pessoas pelas Mídias Sociais - Paula Diniz e Kalyl Rachid -
Mobilização de Pessoas pelas Mídias Sociais - Paula Diniz e Kalyl Rachid -
 
Anarquismo11 101126215713-phpapp01
Anarquismo11 101126215713-phpapp01Anarquismo11 101126215713-phpapp01
Anarquismo11 101126215713-phpapp01
 
Como combater e derrotar o totalitarismo moderno
Como combater e derrotar o totalitarismo modernoComo combater e derrotar o totalitarismo moderno
Como combater e derrotar o totalitarismo moderno
 

Mais de Iara Oliveira (12)

Escala Geográfica.pptx
Escala Geográfica.pptxEscala Geográfica.pptx
Escala Geográfica.pptx
 
Leilão do campo de libra
Leilão do campo de libraLeilão do campo de libra
Leilão do campo de libra
 
Guerra Civil Síria - Armas químicas
Guerra Civil Síria - Armas químicasGuerra Civil Síria - Armas químicas
Guerra Civil Síria - Armas químicas
 
Caso snowden
Caso snowdenCaso snowden
Caso snowden
 
Retrospectiva das manifestações brasileiras
Retrospectiva das manifestações brasileirasRetrospectiva das manifestações brasileiras
Retrospectiva das manifestações brasileiras
 
Retrospectiva das manifestações brasileiras
Retrospectiva das manifestações brasileirasRetrospectiva das manifestações brasileiras
Retrospectiva das manifestações brasileiras
 
Atualidades revisão
Atualidades   revisãoAtualidades   revisão
Atualidades revisão
 
Jornal adv
Jornal advJornal adv
Jornal adv
 
Populismo na américa latina
Populismo na américa latinaPopulismo na américa latina
Populismo na américa latina
 
Geopolítica do petróleo
Geopolítica do petróleoGeopolítica do petróleo
Geopolítica do petróleo
 
Coreia do norte
Coreia do norteCoreia do norte
Coreia do norte
 
9ºano ásia_economia e religião
9ºano ásia_economia e religião9ºano ásia_economia e religião
9ºano ásia_economia e religião
 

Black blocs

  • 1. Black blocs e sua atuação
  • 2. A ORIGEM O informativo multilíngue anarquista A-Infos (10/06/2001) publicou um artigo de Daniel Dylan Young no qual o autor explica que o Black Bloc tem um berço não anarquista: ele nasceu de um movimento da contracultura que se irradiou da Itália para Alemanha, Dinamarca, Holanda e outras partes da Europa.
  • 3. As manifestações iniciadas na Itália nos anos de 1970 apresentaram uma novidade: não tinham nenhuma relação com o Partido Comunista, a esquerda partidária ou o movimento sindical, que sempre procuraram sabotar aquele novo coletivo de estudantes independentes, donas de casa e trabalhadores de fábrica não sindicalizados. Era um movimento radical de transformação social de gente não organizada e foi tratado com indiferença e malícia pela esquerda tradicional.
  • 4. A ascensão da extrema-direita radical na Alemanha impôs um recuo inesperado ao movimento anarquista e a prática da tática Black Bloc na Europa. Nos Estados Unidos, desde os protestos de 1999 em Seattle, o os homens de preto tem tido presença constante nas manifestações populares no país.
  • 5. DEFININDO Black bloc é o nome dado a uma estratégia de manifestação e protesto anarquista, na qual grupos de afinidade mascarados e vestidos de negro se reúnem com objetivo de protestar em manifestações anti-globalização e/ou anticapitalistas, conferências de representacionistas entre outras ocasiões, utilizando a propaganda pela ação para questionar o sistema vigente.
  • 6. ANTI-CAPITALISTAS Black blocs se diferenciam de outros grupos anticapitalistas por rotineiramente se utilizarem da destruição da propriedade para trazer atenção para sua oposição contra corporações multinacionais e aos apoios e às vantagens recebidas dos governos ocidentais por essas companhias. Um exemplo desta atividade é a destruição das fachadas de lojas e escritórios como McDonald's, Starbucks, Fidelity Investments
  • 7. As roupas e máscaras negras que dão nome à estratégia são usadas para dificultar ou mesmo impedir qualquer tipo de identificação pelas autoridades, também com a finalidade de parecer uma única massa imensa, promovendo solidariedade entre seus participantes.
  • 8. O PAPEL DAS REDES SOCIAIS As redes sociais e novas realidades em outros continentes ofereceriam novos “fronts” para esta forma de luta urbana solidária anos depois das primeiras críticas dos anarquistas ao Black Bloc feitas antes do desenvolvimento da web. O tempo de mobilização da população popular diminuiu muito e a organização virtual leva o planejamento da ação à sua execução em muito menos tempo.
  • 9. EM AÇÃO NO BRASIL A tática usada pelo grupo nos últimos atos obedece ao padrão de ação dos precursores europeus e americanos. Em turmas de cerca de 100 pessoas, os black blocs assumem a linha de frente dos protestos, a pretexto de compor uma barreira entre os manifestantes e os policiais.
  • 10. De braços cruzados, movem-se como uma massa uniforme em direção às barreiras de segurança. Quando a polícia se aproxima, emitem em coro e de forma ritmada grunhidos semelhantes a um grito tribal. Nesse momento, alguns membros lançam morteiros, coquetéis molotov e pedras com estilingues.