SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Protocolo de Atendimento a Emergência - Incêndio em vegetação
PRO-012161, Rev.: 12 - 20/06/2022 - Classificação: Uso Interno
OBJETIVO
Este protocolo tem como objetivo descrever os procedimentos a serem adotados de
forma segura em situações de emergências durante os atendimentos a emergências
com fogo.
APLICAÇÃO
Este PRO aplica-se a Brigada de Emergência da Vale.
DEFINIÇÕES
CCE – Central de Controle de Emergência
CC – Centro de Controle
EPI – Equipamento de Proteção Individual
ERA – Equipamento de Respiração Autônoma
IT – Instrução de Trabalho
PAE – Plano de Ação e Emergência
DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES
Operador do CCE
– Comunicação
 O operador do CCE após receber a informação sobre a emergência deve:
 Acionar de imediato a equipe dos Bombeiros Civis, informando o que está
acontecendo e o local exato da ocorrência;
 Garante que toda a equipe dos Bombeiros Civis recebeu a comunicação de
emergência;
 Fazer contato com a área ou CC para coletar mais informações sobre a
ocorrência;
Protocolo de Atendimento a Emergência - Incêndio em vegetação
 Se houver risco de ambiente energizado solicitar a presença de um eletricista no
local;
 Comunica a emergência via mensagem para os celulares das pessoas que estão
relacionadas no fluxo de comunicação.
– Bombeiro Líder
 Garantir a triagem de risco do ambiente;
 Coordenar todas as atividades da emergência;
 Durante os atendimentos manter contato permanente com os demais membros
do grupo;
 Seguir orientações das IT´s e dos PAE´s;
 Garantir uma busca no local para verificar a existência de pessoas presas ou
impossibilitadas de fuga e providenciar o resgate;
 Garantir atendimento médico pré-hospitalar às vítimas;
 Providenciar o transporte da(s) vítimas para o ambulatório / hospitais;
 Solicitar o isolamento da área e manter vigilância para evitar a presença de
estranhos no local;
 Caso necessário, definir pela ordem de evacuação de área;
 Identificar o tipo de combustível que está queimando;
 Definir os tipos de equipamentos, materiais e agentes extintores a serem
utilizados no combate;
 Conhecer as características de construção do prédio / instalação;
 Solicitar o trabalho de salvamento / isolamento de outros prédios e materiais
combustíveis ainda não atingidos pelo fogo;
 Solicitar apoio dos Brigadistas / bombeiro urbano, quando necessário;
 Solicitar material de apoio (água, equipamentos, fitas de isolamento, cavaletes,
cones, transporte etc.);
 Garantir o revezamento dos bombeiros da linha de frente de combate;
 Garantir o rescaldo após o combate de forma a eliminar a possibilidade de haver
reignição;
 Garantir o isolamento da área da emergência e permanência de vigilância no
local para preservar a cena do incidente;
 Informar o CCE o término da emergência para que seja retornado com a
comunicação normal;
– Bombeiros
 Realizar a triagem de risco do ambiente;
 Realizar resgate de pessoas presas ou impossibilitadas de fuga;
 Realizar o atendimento médico pré-hospitalar as vítimas;
 Armar estabelecimento para o combate de acordo com as orientações do líder;
 Utilizar os equipamentos e materiais de acordo com as orientações do líder;
 Utilizar os EPI´s básicos e específicos de acordo com os riscos;
 Manter contato permanente com o líder;
 Realizar o combate ao fogo;
 Após o combate realizar o rescaldo de forma a eliminar a possibilidade de haver
reignição.
Protocolo de Atendimento a Emergência - Incêndio em vegetação
– Medidas após o combate
 Realizar o rescaldo, de forma a garantir que não haverá reignição;
 Caso necessário, utilizar extintores de CO² para resfriar superfícies
aquecidas, caso não seja possível utilizar água no rescaldo;
 Abrir as portas de acesso para ventilação do ambiente, após garantir que
não exista mais a possibilidade de reignição;
 O acesso ao local sem proteção respiratória só deve ser permitido após o ar
do ambiente atingir níveis aceitáveis.
 Repor de imediato os agentes extintores, extintores de incêndio,EPI´s,
equipamentos e materiais utilizados no combate e reabastecer as viaturas
com combustível.
ESPECIFICAÇÕES
Riscos e Medidas de Controle
PREPARAÇÃO PARA O COMBATE
Riscos – Colisão com as viaturas contra estrutura e atropelamento de pessoas.
Medida
 As manobras com as viaturas de combate só devem ser realizadas com auxílio
do balizador ou se o condutor descer para verificar as condições de risco.
Riscos – Ergonômico
Medida
 Durante agachamento para vestir os EPI´s, o bombeiro deve flexionar as
pernas, mantendo a coluna ereta.
Protocolo de Atendimento a Emergência - Incêndio em vegetação
Riscos – Queda de mesmo nível
Medida
 Ao calçar as botas e vestir a calça de bombeiro, o bombeiro deve procurar um
ponto de apoio.
 Atentar para as diferenças de níveis no piso e obstáculos.
Riscos – Fatalidade – Batida do cilindro do ERA na parte detrás da cabeça.
Medida
 As correias do ombro dos equipamentos autônomos de respiração só devem
ser ajustadas após fixação da correia da cintura.
COMBATE AO FOGO
Riscos – Contato com superfícies energizadas
Medida
 Cumprir a IT 021 (Atendimento a Emergências em ambientes Energizados);
 Para verificação de superfícies energizadas utilizar o detector de tensão
equipado com os seguintes EPI´s: Roupa de aproximação, luva de eletricista,
balaclava, bota e capacete de bombeiro;
 Atentar para fiações expostas no piso, estruturas e equipamentos, as mesmas
só pode ser removido mediante o uso de luva de eletricista, bota de bombeiro e
vara de manobra;
 Solicitar para um eletricista desenergizar os circuitos elétricos, caso não seja
possível, atentar para não ocorrer o contato dos equipamentos de combate a
incêndio com as partes energizadas;
 Utilizar extintores de incêndio CO² ou PÓ no combate ao fogo com risco elétrico;
 O uso da água só deve ser utilizado em instalações elétricas, após ser garantido
o estado de “energia zero” pelos eletricistas, devendo ser confirmado pelos
Bombeiros com o detector de tensão.
Riscos – Explosão
Medida
Protocolo de Atendimento a Emergência - Incêndio em vegetação
 Nos locais com potencial de geração de atmosfera explosiva, deve ser eliminada
toda a possível fonte de ignição (Lanternas, rádio de comunicação, celulares,
megafones e outros), utilizar somente equipamentos a prova de explosão.
Riscos – Batida contra
Medida
 Nos locais com pouca visibilidade fazer uso de lanternas ou luminárias
portáteis, andar sempre com um pé e uma mão à frente do corpo.
Riscos – Queda de mesmo nível
Medida
 Durante deslocamento pelas áreas com pouca visibilidade o bombeiro
deve andar fazendo o método de arrasto sempre mantendo um pé à frente
e o outro atrás.
 Atentar para as diferenças de níveis no piso e obstáculos.
Riscos – Queda de nível diferente
Medida
 Fazer uso de corrimão ao subir e descer escadas.
COMBATE AO FOGO EM VEGETAÇÃO
 Equipamentos a serem utilizados no combate de fogo no mato - Bomba costal,
abafadores de chama, chicotes, extintores de incêndio de água, mangueiras de
incêndio a partir de um caminhão de bombeiro / pipa ou hidrante e material de
sapa.
 A construção de aceiros preventivos não permite que o fogo passe de um lado
para o outro contribuindo para a sua extinção por falta de combustível. Os
aceiros podem ser construídos preventivamente antes de acontecer o fogo ou
durante o combate como medida de controle e extinção.
Riscos – Ser atingido por queda de árvores
Medida
Protocolo de Atendimento a Emergência - Incêndio em vegetação
 Não fiquem muito próximas de árvores que estejam em chamas nas suas
copas, devido ao risco de queda de algum galho incandescente.
Riscos – Queda de mesmo nível
Medida
 Ao se deslocar no mato use o método de andar realizando o arrasto dos pés no
chão sempre mantendo um na frente do outro, procure andar devagar.
Riscos – Ser atacado por animais
Medida
 Animais acuados pelo fogo podem ter reações diversas uma delas é atacar quem
estiver próximo ou sua fuga ser na sua direção de quem estiver realizando o
combate.
 Use os EPI´s específicos e o jato de água para se proteger.
OUTROS RISCOS E MEDIDAS DE CONTROLE
Riscos – Viaturas serem atingidas pelo fogo
Medida
 Sempre peça ajuda antes de entrar em uma área onde você não conheça ou que
não tenha uma boa visibilidade ou ainda que tenha dúvida no acesso.
 Verifique a posição do vento, lembre-se a viatura posicionada a favor do vento
existe uma grande possibilidade do fogo vir para cima da viatura e sufocar o
bombeiro devido a fumaça, gases e o calor, é recomendado que seja
posicionada sempre contra o vento.
 Devemos atentar para o posicionamento das viaturas devido à necessidade de
manobras para reabastecimento ou evacuação da área devido à identificação de
algum risco.
 Risco – Ser contatado por materiais aquecidos ou em chamas e vegetação que
provoque queimaduras
 Medida:
Protocolo de Atendimento a Emergência - Incêndio em vegetação
 O calor pode causar queimaduras, desidratação, mal estar, cansaço, por isso
procure atacar o fogo sempre a favor do vento, você estará bem mais protegido
e não esqueça de usar todos os EPI´s específicos.
 Utilizar sempre mesmo que em deslocamento ou avaliação de cenário todos os
bombeiros devem estar de uso de seus uniformes completos.
Riscos – Intoxicação / Asfixia
Medida
 A Fumaça gerada por um incêndio pode causar asfixia pela falta de oxigênio ou
intoxicação devido à combustão de diversos tipos de combustíveis presentes no
ambiente, por isso procure atacar o fogo sempre a favor do vento, você estará
bem mais protegido e não esqueça de usar a proteção respiratória
Riscos – Ser contatado pelo fogo
Medida
 Fazer uso dos EPI´s específicos de bombeiro.
Riscos – Ser atingido por queda de materiais
Medida
 Durante o combate atentar para as estruturas localizadas nas partes altas e
laterais com risco de queda / desabamento.
RESPONSABILIDADES E ATRIBUIÇÕES
Supervisor de Brigada
Protocolo de Atendimento a Emergência - Incêndio em vegetação
 Garantir a divulgação desta instrução para todos os Líderes, Bombeiros e
Operadores do CCE;
 Disponibilizar os recursos necessários para o cumprimento deste PRO;
 Assegurar o cumprimento deste PRO;
 Implementar as ações corretivas e oportunidades de melhoria identificadas.
Bombeiro Líder
 Garantir o preparo físico da equipe de bombeiros;
 Garantir o preenchimento dos registros que estão sob a responsabilidade dos
operadores do CCE;
 Preencher o Relatório de Diário de Líder.
Bombeiros
 Cumprir este PRO;
 Realizar o combate atentando para os riscos identificados neste PRO e adotar
as medidas de controle como prevenção de acidentes.
 Comunicar o líder qualquer alteração ou situação diferente das conhecidas neste
PRO;
 Informar os quase acidentes e acidentes para serem investigados.
Operador do CCE
 Preenchimento dos seguintes formulários: Relatório de Atendimento de
Emergências e Levantamento de Atendimentos Realizados pela Brigada de
todas as Base da EFC.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Anexo 29_Protocolo de Resposta a Emergência_Incêndio em vegetação_Rev.12_ 20.06.2022.docx

Sistemas de combate a incêndio introduçao a engenharia
Sistemas de combate a incêndio  introduçao a engenhariaSistemas de combate a incêndio  introduçao a engenharia
Sistemas de combate a incêndio introduçao a engenhariaJúnior Pereira
 
APOSTILA BRIGADA - TREINAMENTO BÁSICO 4 HORAS
APOSTILA BRIGADA - TREINAMENTO BÁSICO 4 HORASAPOSTILA BRIGADA - TREINAMENTO BÁSICO 4 HORAS
APOSTILA BRIGADA - TREINAMENTO BÁSICO 4 HORASTalitaVerdadeiro1
 
NR23 exemplo de material para cursos .pptx
NR23 exemplo de material para cursos .pptxNR23 exemplo de material para cursos .pptx
NR23 exemplo de material para cursos .pptxwill3ar
 
Treinamento PAE- plano de atendimento à emergência
Treinamento PAE- plano de atendimento à emergênciaTreinamento PAE- plano de atendimento à emergência
Treinamento PAE- plano de atendimento à emergênciaMarcosJuniodaSilvaAg
 
Segurança em obra 6 primeiros_socorros
Segurança em obra 6 primeiros_socorrosSegurança em obra 6 primeiros_socorros
Segurança em obra 6 primeiros_socorrosSusana B.
 
TREINAMENTO BRIGADA 1 - ROPE.ppt
TREINAMENTO BRIGADA 1 - ROPE.pptTREINAMENTO BRIGADA 1 - ROPE.ppt
TREINAMENTO BRIGADA 1 - ROPE.pptJosimarMatos4
 
Importnciadosextintores 110213083258-phpapp01
Importnciadosextintores 110213083258-phpapp01Importnciadosextintores 110213083258-phpapp01
Importnciadosextintores 110213083258-phpapp01josemagalhaes
 
Importância dos extintores
Importância dos extintoresImportância dos extintores
Importância dos extintorespiefprofessoras
 
BRIGADA DE INCÊNDIO - TREINAMENTO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS.pdf
BRIGADA DE INCÊNDIO - TREINAMENTO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS.pdfBRIGADA DE INCÊNDIO - TREINAMENTO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS.pdf
BRIGADA DE INCÊNDIO - TREINAMENTO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS.pdfrodrigoamorim203871
 
7- Procedimentos para Emergências.pdf
7- Procedimentos para Emergências.pdf7- Procedimentos para Emergências.pdf
7- Procedimentos para Emergências.pdfThiago Thome
 
Trabalho de proteção contra incêndio
Trabalho de proteção contra incêndioTrabalho de proteção contra incêndio
Trabalho de proteção contra incêndioLuciano José Rezende
 
M11 Seg contra incendio.pptx
M11 Seg contra incendio.pptxM11 Seg contra incendio.pptx
M11 Seg contra incendio.pptxsoniaalmeida38
 
M11 Seg contra incendio.pptx
M11 Seg contra incendio.pptxM11 Seg contra incendio.pptx
M11 Seg contra incendio.pptxsoniaalmeida38
 
M11 Seg contra incendio.pptx
M11 Seg contra incendio.pptxM11 Seg contra incendio.pptx
M11 Seg contra incendio.pptxsoniaalmeida38
 
Plano de_emergencia[1]
 Plano de_emergencia[1] Plano de_emergencia[1]
Plano de_emergencia[1]Pedro Torres
 
Plano de emergência new max industrial 12-2014
Plano de emergência new max industrial   12-2014Plano de emergência new max industrial   12-2014
Plano de emergência new max industrial 12-2014Josimar Matos
 
Prevenção e combate a incêndio.ppt
Prevenção e combate a incêndio.pptPrevenção e combate a incêndio.ppt
Prevenção e combate a incêndio.pptEMILSONCASMET
 
Prevenção, proteção e combate ao incêndio de classe A
Prevenção, proteção e combate ao incêndio de classe APrevenção, proteção e combate ao incêndio de classe A
Prevenção, proteção e combate ao incêndio de classe ALucas Vinícius
 

Semelhante a Anexo 29_Protocolo de Resposta a Emergência_Incêndio em vegetação_Rev.12_ 20.06.2022.docx (20)

Extintores
ExtintoresExtintores
Extintores
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Sistemas de combate a incêndio introduçao a engenharia
Sistemas de combate a incêndio  introduçao a engenhariaSistemas de combate a incêndio  introduçao a engenharia
Sistemas de combate a incêndio introduçao a engenharia
 
APOSTILA BRIGADA - TREINAMENTO BÁSICO 4 HORAS
APOSTILA BRIGADA - TREINAMENTO BÁSICO 4 HORASAPOSTILA BRIGADA - TREINAMENTO BÁSICO 4 HORAS
APOSTILA BRIGADA - TREINAMENTO BÁSICO 4 HORAS
 
NR23 exemplo de material para cursos .pptx
NR23 exemplo de material para cursos .pptxNR23 exemplo de material para cursos .pptx
NR23 exemplo de material para cursos .pptx
 
Treinamento PAE- plano de atendimento à emergência
Treinamento PAE- plano de atendimento à emergênciaTreinamento PAE- plano de atendimento à emergência
Treinamento PAE- plano de atendimento à emergência
 
Segurança em obra 6 primeiros_socorros
Segurança em obra 6 primeiros_socorrosSegurança em obra 6 primeiros_socorros
Segurança em obra 6 primeiros_socorros
 
TREINAMENTO BRIGADA 1 - ROPE.ppt
TREINAMENTO BRIGADA 1 - ROPE.pptTREINAMENTO BRIGADA 1 - ROPE.ppt
TREINAMENTO BRIGADA 1 - ROPE.ppt
 
Importnciadosextintores 110213083258-phpapp01
Importnciadosextintores 110213083258-phpapp01Importnciadosextintores 110213083258-phpapp01
Importnciadosextintores 110213083258-phpapp01
 
Importância dos extintores
Importância dos extintoresImportância dos extintores
Importância dos extintores
 
BRIGADA DE INCÊNDIO - TREINAMENTO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS.pdf
BRIGADA DE INCÊNDIO - TREINAMENTO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS.pdfBRIGADA DE INCÊNDIO - TREINAMENTO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS.pdf
BRIGADA DE INCÊNDIO - TREINAMENTO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS.pdf
 
7- Procedimentos para Emergências.pdf
7- Procedimentos para Emergências.pdf7- Procedimentos para Emergências.pdf
7- Procedimentos para Emergências.pdf
 
Trabalho de proteção contra incêndio
Trabalho de proteção contra incêndioTrabalho de proteção contra incêndio
Trabalho de proteção contra incêndio
 
M11 Seg contra incendio.pptx
M11 Seg contra incendio.pptxM11 Seg contra incendio.pptx
M11 Seg contra incendio.pptx
 
M11 Seg contra incendio.pptx
M11 Seg contra incendio.pptxM11 Seg contra incendio.pptx
M11 Seg contra incendio.pptx
 
M11 Seg contra incendio.pptx
M11 Seg contra incendio.pptxM11 Seg contra incendio.pptx
M11 Seg contra incendio.pptx
 
Plano de_emergencia[1]
 Plano de_emergencia[1] Plano de_emergencia[1]
Plano de_emergencia[1]
 
Plano de emergência new max industrial 12-2014
Plano de emergência new max industrial   12-2014Plano de emergência new max industrial   12-2014
Plano de emergência new max industrial 12-2014
 
Prevenção e combate a incêndio.ppt
Prevenção e combate a incêndio.pptPrevenção e combate a incêndio.ppt
Prevenção e combate a incêndio.ppt
 
Prevenção, proteção e combate ao incêndio de classe A
Prevenção, proteção e combate ao incêndio de classe APrevenção, proteção e combate ao incêndio de classe A
Prevenção, proteção e combate ao incêndio de classe A
 

Anexo 29_Protocolo de Resposta a Emergência_Incêndio em vegetação_Rev.12_ 20.06.2022.docx

  • 1. Protocolo de Atendimento a Emergência - Incêndio em vegetação PRO-012161, Rev.: 12 - 20/06/2022 - Classificação: Uso Interno OBJETIVO Este protocolo tem como objetivo descrever os procedimentos a serem adotados de forma segura em situações de emergências durante os atendimentos a emergências com fogo. APLICAÇÃO Este PRO aplica-se a Brigada de Emergência da Vale. DEFINIÇÕES CCE – Central de Controle de Emergência CC – Centro de Controle EPI – Equipamento de Proteção Individual ERA – Equipamento de Respiração Autônoma IT – Instrução de Trabalho PAE – Plano de Ação e Emergência DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES Operador do CCE – Comunicação  O operador do CCE após receber a informação sobre a emergência deve:  Acionar de imediato a equipe dos Bombeiros Civis, informando o que está acontecendo e o local exato da ocorrência;  Garante que toda a equipe dos Bombeiros Civis recebeu a comunicação de emergência;  Fazer contato com a área ou CC para coletar mais informações sobre a ocorrência;
  • 2. Protocolo de Atendimento a Emergência - Incêndio em vegetação  Se houver risco de ambiente energizado solicitar a presença de um eletricista no local;  Comunica a emergência via mensagem para os celulares das pessoas que estão relacionadas no fluxo de comunicação. – Bombeiro Líder  Garantir a triagem de risco do ambiente;  Coordenar todas as atividades da emergência;  Durante os atendimentos manter contato permanente com os demais membros do grupo;  Seguir orientações das IT´s e dos PAE´s;  Garantir uma busca no local para verificar a existência de pessoas presas ou impossibilitadas de fuga e providenciar o resgate;  Garantir atendimento médico pré-hospitalar às vítimas;  Providenciar o transporte da(s) vítimas para o ambulatório / hospitais;  Solicitar o isolamento da área e manter vigilância para evitar a presença de estranhos no local;  Caso necessário, definir pela ordem de evacuação de área;  Identificar o tipo de combustível que está queimando;  Definir os tipos de equipamentos, materiais e agentes extintores a serem utilizados no combate;  Conhecer as características de construção do prédio / instalação;  Solicitar o trabalho de salvamento / isolamento de outros prédios e materiais combustíveis ainda não atingidos pelo fogo;  Solicitar apoio dos Brigadistas / bombeiro urbano, quando necessário;  Solicitar material de apoio (água, equipamentos, fitas de isolamento, cavaletes, cones, transporte etc.);  Garantir o revezamento dos bombeiros da linha de frente de combate;  Garantir o rescaldo após o combate de forma a eliminar a possibilidade de haver reignição;  Garantir o isolamento da área da emergência e permanência de vigilância no local para preservar a cena do incidente;  Informar o CCE o término da emergência para que seja retornado com a comunicação normal; – Bombeiros  Realizar a triagem de risco do ambiente;  Realizar resgate de pessoas presas ou impossibilitadas de fuga;  Realizar o atendimento médico pré-hospitalar as vítimas;  Armar estabelecimento para o combate de acordo com as orientações do líder;  Utilizar os equipamentos e materiais de acordo com as orientações do líder;  Utilizar os EPI´s básicos e específicos de acordo com os riscos;  Manter contato permanente com o líder;  Realizar o combate ao fogo;  Após o combate realizar o rescaldo de forma a eliminar a possibilidade de haver reignição.
  • 3. Protocolo de Atendimento a Emergência - Incêndio em vegetação – Medidas após o combate  Realizar o rescaldo, de forma a garantir que não haverá reignição;  Caso necessário, utilizar extintores de CO² para resfriar superfícies aquecidas, caso não seja possível utilizar água no rescaldo;  Abrir as portas de acesso para ventilação do ambiente, após garantir que não exista mais a possibilidade de reignição;  O acesso ao local sem proteção respiratória só deve ser permitido após o ar do ambiente atingir níveis aceitáveis.  Repor de imediato os agentes extintores, extintores de incêndio,EPI´s, equipamentos e materiais utilizados no combate e reabastecer as viaturas com combustível. ESPECIFICAÇÕES Riscos e Medidas de Controle PREPARAÇÃO PARA O COMBATE Riscos – Colisão com as viaturas contra estrutura e atropelamento de pessoas. Medida  As manobras com as viaturas de combate só devem ser realizadas com auxílio do balizador ou se o condutor descer para verificar as condições de risco. Riscos – Ergonômico Medida  Durante agachamento para vestir os EPI´s, o bombeiro deve flexionar as pernas, mantendo a coluna ereta.
  • 4. Protocolo de Atendimento a Emergência - Incêndio em vegetação Riscos – Queda de mesmo nível Medida  Ao calçar as botas e vestir a calça de bombeiro, o bombeiro deve procurar um ponto de apoio.  Atentar para as diferenças de níveis no piso e obstáculos. Riscos – Fatalidade – Batida do cilindro do ERA na parte detrás da cabeça. Medida  As correias do ombro dos equipamentos autônomos de respiração só devem ser ajustadas após fixação da correia da cintura. COMBATE AO FOGO Riscos – Contato com superfícies energizadas Medida  Cumprir a IT 021 (Atendimento a Emergências em ambientes Energizados);  Para verificação de superfícies energizadas utilizar o detector de tensão equipado com os seguintes EPI´s: Roupa de aproximação, luva de eletricista, balaclava, bota e capacete de bombeiro;  Atentar para fiações expostas no piso, estruturas e equipamentos, as mesmas só pode ser removido mediante o uso de luva de eletricista, bota de bombeiro e vara de manobra;  Solicitar para um eletricista desenergizar os circuitos elétricos, caso não seja possível, atentar para não ocorrer o contato dos equipamentos de combate a incêndio com as partes energizadas;  Utilizar extintores de incêndio CO² ou PÓ no combate ao fogo com risco elétrico;  O uso da água só deve ser utilizado em instalações elétricas, após ser garantido o estado de “energia zero” pelos eletricistas, devendo ser confirmado pelos Bombeiros com o detector de tensão. Riscos – Explosão Medida
  • 5. Protocolo de Atendimento a Emergência - Incêndio em vegetação  Nos locais com potencial de geração de atmosfera explosiva, deve ser eliminada toda a possível fonte de ignição (Lanternas, rádio de comunicação, celulares, megafones e outros), utilizar somente equipamentos a prova de explosão. Riscos – Batida contra Medida  Nos locais com pouca visibilidade fazer uso de lanternas ou luminárias portáteis, andar sempre com um pé e uma mão à frente do corpo. Riscos – Queda de mesmo nível Medida  Durante deslocamento pelas áreas com pouca visibilidade o bombeiro deve andar fazendo o método de arrasto sempre mantendo um pé à frente e o outro atrás.  Atentar para as diferenças de níveis no piso e obstáculos. Riscos – Queda de nível diferente Medida  Fazer uso de corrimão ao subir e descer escadas. COMBATE AO FOGO EM VEGETAÇÃO  Equipamentos a serem utilizados no combate de fogo no mato - Bomba costal, abafadores de chama, chicotes, extintores de incêndio de água, mangueiras de incêndio a partir de um caminhão de bombeiro / pipa ou hidrante e material de sapa.  A construção de aceiros preventivos não permite que o fogo passe de um lado para o outro contribuindo para a sua extinção por falta de combustível. Os aceiros podem ser construídos preventivamente antes de acontecer o fogo ou durante o combate como medida de controle e extinção. Riscos – Ser atingido por queda de árvores Medida
  • 6. Protocolo de Atendimento a Emergência - Incêndio em vegetação  Não fiquem muito próximas de árvores que estejam em chamas nas suas copas, devido ao risco de queda de algum galho incandescente. Riscos – Queda de mesmo nível Medida  Ao se deslocar no mato use o método de andar realizando o arrasto dos pés no chão sempre mantendo um na frente do outro, procure andar devagar. Riscos – Ser atacado por animais Medida  Animais acuados pelo fogo podem ter reações diversas uma delas é atacar quem estiver próximo ou sua fuga ser na sua direção de quem estiver realizando o combate.  Use os EPI´s específicos e o jato de água para se proteger. OUTROS RISCOS E MEDIDAS DE CONTROLE Riscos – Viaturas serem atingidas pelo fogo Medida  Sempre peça ajuda antes de entrar em uma área onde você não conheça ou que não tenha uma boa visibilidade ou ainda que tenha dúvida no acesso.  Verifique a posição do vento, lembre-se a viatura posicionada a favor do vento existe uma grande possibilidade do fogo vir para cima da viatura e sufocar o bombeiro devido a fumaça, gases e o calor, é recomendado que seja posicionada sempre contra o vento.  Devemos atentar para o posicionamento das viaturas devido à necessidade de manobras para reabastecimento ou evacuação da área devido à identificação de algum risco.  Risco – Ser contatado por materiais aquecidos ou em chamas e vegetação que provoque queimaduras  Medida:
  • 7. Protocolo de Atendimento a Emergência - Incêndio em vegetação  O calor pode causar queimaduras, desidratação, mal estar, cansaço, por isso procure atacar o fogo sempre a favor do vento, você estará bem mais protegido e não esqueça de usar todos os EPI´s específicos.  Utilizar sempre mesmo que em deslocamento ou avaliação de cenário todos os bombeiros devem estar de uso de seus uniformes completos. Riscos – Intoxicação / Asfixia Medida  A Fumaça gerada por um incêndio pode causar asfixia pela falta de oxigênio ou intoxicação devido à combustão de diversos tipos de combustíveis presentes no ambiente, por isso procure atacar o fogo sempre a favor do vento, você estará bem mais protegido e não esqueça de usar a proteção respiratória Riscos – Ser contatado pelo fogo Medida  Fazer uso dos EPI´s específicos de bombeiro. Riscos – Ser atingido por queda de materiais Medida  Durante o combate atentar para as estruturas localizadas nas partes altas e laterais com risco de queda / desabamento. RESPONSABILIDADES E ATRIBUIÇÕES Supervisor de Brigada
  • 8. Protocolo de Atendimento a Emergência - Incêndio em vegetação  Garantir a divulgação desta instrução para todos os Líderes, Bombeiros e Operadores do CCE;  Disponibilizar os recursos necessários para o cumprimento deste PRO;  Assegurar o cumprimento deste PRO;  Implementar as ações corretivas e oportunidades de melhoria identificadas. Bombeiro Líder  Garantir o preparo físico da equipe de bombeiros;  Garantir o preenchimento dos registros que estão sob a responsabilidade dos operadores do CCE;  Preencher o Relatório de Diário de Líder. Bombeiros  Cumprir este PRO;  Realizar o combate atentando para os riscos identificados neste PRO e adotar as medidas de controle como prevenção de acidentes.  Comunicar o líder qualquer alteração ou situação diferente das conhecidas neste PRO;  Informar os quase acidentes e acidentes para serem investigados. Operador do CCE  Preenchimento dos seguintes formulários: Relatório de Atendimento de Emergências e Levantamento de Atendimentos Realizados pela Brigada de todas as Base da EFC.