SlideShare uma empresa Scribd logo
Primavera Sem Flores
Impossível. A natureza aí está com suas cores
variegadas dizendo-nos que as flores aparecem
na Terra.
Algumas são quase imperceptíveis. Apenas os colibris conseguem admirá-las e com seu
néctar saciar a fome pelo belo.
E nos convida a parar e admirar a
criação singular que traz à alma a
paz, a alegria de viver, que se
renova na esperança dos frutos que
as flores anunciam.
Há flores e flores. Mas todas com a mesma mensagem: Deus cuida e administra o
Universo com a singeleza do belo.
As flores desafiam-nos a não ter
pressa. A parar. Contemplar.
Refletir e concluir que após cada
flor sempre haverá frutos. Os
apressados não admiram as
flores.
Apenas as vêem. Mas sem a
alegria de analisar a tonalidade
de cada pétala, na mesma flor. A
textura. Os desenhos simétricos
que dão forma ao inimaginável
que só os românticos
vislumbram.
Jesus parava em seu caminhar, não apressado, a contemplar lírios. Enxergava neles a
mão do Pai. Seu cuidado em administrar as riquezas do amor que nada deixa faltar a
seus filhos. “Olhai os lírios”, convidava o Mestre aos seus nervosos seguidores. São
efêmeros como efêmera é a vida.
Mas o Pai os veste com especial carinho. Eles dizem que vocês podem receber igual
cuidado também. Ninguém jamais suplantou a beleza da flor, continuava o Mestre. Mas,
cego pela ansiedade.
Dominados e escravizados pelos estresses
abomináveis deste século, não
conseguimos ver. Não ouvimos. O barulho
do amanhã gerou surdez absoluta nos
olhos da alma.
Não conseguimos ouvir a mensagem das
flores. Perdemos o olfato, dominado pelos
odores de uma vida vazia de significados.
Tristes, não aspiramos mais a fragrância
das flores.
No belo e florido Universo criado por Deus, construímos um mundo triste. Sem
primavera. Sem flores. Sem reflexão. Sem razão de existir. Os jovens “românticos” não
oferecem flores. Geram filhos extemporâneos, que serão abandonados. Os cônjuges não
trazem e não recebem flores.
As pétalas lançadas sobre a noiva
foram pisoteadas pela indiferença que
assassina o amor. As flores do altar
foram substituídas pelas togas pretas
dos magistrados, que declaram
separados o que Deus não ajuntou.
Os jardins deram lugar ao cimento frio. A natureza geme por ausência de flores. Nos
altares. Nos corações. Nas matas inexistentes. Nas vidas agressivas, que respondem
com violência a qualquer aproximação.
Flores não florescem onde há
mágoas. Não germinam na selva do
ódio. Perdem seus matizes quando
envoltas na ingratidão. Murcham
quando o esquecimento do belo
suplanta a força do amor.
Frágeis, não suportam a violência.
Por isso temos primavera sem
flores. Sem esperança. Sem a
possibilidade de frutos que mantém
a vida.
A sociedade está mergulhada em tristeza. Pessoas infelizes
por desconhecerem a beleza das flores. Incapazes de se
emocionar com um simples lírio do campo. Precisamos de
Jesus.
Com Ele caminhar. Parar a Seu lado e com Ele aprender a contemplar as flores. E ver
nelas o convite para viver uma primavera florida, onde o amor de Deus seja real.
Escrito pelo Pastor Julio Oliveira Sanches
Apresentação por Renato Cardoso
www.vivendobauru.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Primavera em flor
Primavera em florPrimavera em flor
Primavera em flor
Mensagens Virtuais
 
A Rosa Juliana Ramires
A Rosa   Juliana RamiresA Rosa   Juliana Ramires
A Rosa Juliana Ramires
Juliana Ramires
 
Perfil do otimismo
Perfil do otimismoPerfil do otimismo
Perfil do otimismo
Luzia Gabriele
 
Beija flor
Beija florBeija flor
Beija flor
Mensagens Virtuais
 
Não Pise Nas Flores
Não  Pise  Nas  FloresNão  Pise  Nas  Flores
Não Pise Nas Flores
Rosa Silva
 
Rosa (amigos além mar)
Rosa (amigos além mar)Rosa (amigos além mar)
Rosa (amigos além mar)
Anderson Santos
 
Em Torno Da Felicidade 2. Jr Cordeiro.
Em Torno Da Felicidade 2. Jr Cordeiro.Em Torno Da Felicidade 2. Jr Cordeiro.
Em Torno Da Felicidade 2. Jr Cordeiro.
José Roberto Cordeiro
 
9ª sinfonia de beethoven
9ª sinfonia de beethoven9ª sinfonia de beethoven
9ª sinfonia de beethoven
LucasCLima
 
Rosas
RosasRosas
O Tao Das Flores E Do Sol
O Tao Das Flores E Do SolO Tao Das Flores E Do Sol
O Tao Das Flores E Do Sol
cristalslides
 

Mais procurados (10)

Primavera em flor
Primavera em florPrimavera em flor
Primavera em flor
 
A Rosa Juliana Ramires
A Rosa   Juliana RamiresA Rosa   Juliana Ramires
A Rosa Juliana Ramires
 
Perfil do otimismo
Perfil do otimismoPerfil do otimismo
Perfil do otimismo
 
Beija flor
Beija florBeija flor
Beija flor
 
Não Pise Nas Flores
Não  Pise  Nas  FloresNão  Pise  Nas  Flores
Não Pise Nas Flores
 
Rosa (amigos além mar)
Rosa (amigos além mar)Rosa (amigos além mar)
Rosa (amigos além mar)
 
Em Torno Da Felicidade 2. Jr Cordeiro.
Em Torno Da Felicidade 2. Jr Cordeiro.Em Torno Da Felicidade 2. Jr Cordeiro.
Em Torno Da Felicidade 2. Jr Cordeiro.
 
9ª sinfonia de beethoven
9ª sinfonia de beethoven9ª sinfonia de beethoven
9ª sinfonia de beethoven
 
Rosas
RosasRosas
Rosas
 
O Tao Das Flores E Do Sol
O Tao Das Flores E Do SolO Tao Das Flores E Do Sol
O Tao Das Flores E Do Sol
 

Semelhante a Primavera sem flor

Primavera Sem Flor
Primavera Sem FlorPrimavera Sem Flor
Primavera Sem Flor
Renato Cardoso
 
Primavera sem Flor 1
Primavera sem Flor  1Primavera sem Flor  1
Primavera sem Flor 1
Renato Cardoso
 
Primavera Sem Flor 1
Primavera Sem Flor  1Primavera Sem Flor  1
Primavera Sem Flor 1
guestc79f8f
 
Admire As Flores Apenas Admire 1203467086961981 3
Admire As Flores Apenas Admire 1203467086961981 3Admire As Flores Apenas Admire 1203467086961981 3
Admire As Flores Apenas Admire 1203467086961981 3
Ana Cristina sousa
 
Admire As Flores, Apenas Admire
Admire As Flores, Apenas AdmireAdmire As Flores, Apenas Admire
Admire As Flores, Apenas Admire
guestc79f8f
 
Homenagem ao poeta Miguel Carqueija
Homenagem ao poeta Miguel Carqueija Homenagem ao poeta Miguel Carqueija
Homenagem ao poeta Miguel Carqueija
Suelyly77
 
As flores encantam
As flores encantamAs flores encantam
As flores encantam
Ana Maria Louzada
 
Feras da Poetica
Feras da PoeticaFeras da Poetica
Feras da Poetica
Luna Di Primo
 
Folhas em versos
Folhas em versosFolhas em versos
Folhas em versos
Luciano Cordier
 
Alguns Poemas Escritos no Recanto das Letras
Alguns Poemas Escritos no Recanto das LetrasAlguns Poemas Escritos no Recanto das Letras
Alguns Poemas Escritos no Recanto das Letras
terreza lima
 
Espalhando Amor
Espalhando AmorEspalhando Amor
Espalhando Amor
dyon
 
Espalhando Amor
Espalhando AmorEspalhando Amor
Espalhando Amor
Helo Spitali
 
Dia da árvore 04
Dia da árvore 04Dia da árvore 04
Dia da árvore 04
Giselda morais rodrigues do
 
L U G A R G U A R D A D O
L U G A R  G U A R D A D OL U G A R  G U A R D A D O
L U G A R G U A R D A D O
guest2c857d
 
Meu eu em voce
Meu eu em voceMeu eu em voce
Meu eu em voce
Mensagens Virtuais
 
Chega a primavera
Chega a primaveraChega a primavera
Chega a primavera
Grupo Espírita Mensageiros
 

Semelhante a Primavera sem flor (16)

Primavera Sem Flor
Primavera Sem FlorPrimavera Sem Flor
Primavera Sem Flor
 
Primavera sem Flor 1
Primavera sem Flor  1Primavera sem Flor  1
Primavera sem Flor 1
 
Primavera Sem Flor 1
Primavera Sem Flor  1Primavera Sem Flor  1
Primavera Sem Flor 1
 
Admire As Flores Apenas Admire 1203467086961981 3
Admire As Flores Apenas Admire 1203467086961981 3Admire As Flores Apenas Admire 1203467086961981 3
Admire As Flores Apenas Admire 1203467086961981 3
 
Admire As Flores, Apenas Admire
Admire As Flores, Apenas AdmireAdmire As Flores, Apenas Admire
Admire As Flores, Apenas Admire
 
Homenagem ao poeta Miguel Carqueija
Homenagem ao poeta Miguel Carqueija Homenagem ao poeta Miguel Carqueija
Homenagem ao poeta Miguel Carqueija
 
As flores encantam
As flores encantamAs flores encantam
As flores encantam
 
Feras da Poetica
Feras da PoeticaFeras da Poetica
Feras da Poetica
 
Folhas em versos
Folhas em versosFolhas em versos
Folhas em versos
 
Alguns Poemas Escritos no Recanto das Letras
Alguns Poemas Escritos no Recanto das LetrasAlguns Poemas Escritos no Recanto das Letras
Alguns Poemas Escritos no Recanto das Letras
 
Espalhando Amor
Espalhando AmorEspalhando Amor
Espalhando Amor
 
Espalhando Amor
Espalhando AmorEspalhando Amor
Espalhando Amor
 
Dia da árvore 04
Dia da árvore 04Dia da árvore 04
Dia da árvore 04
 
L U G A R G U A R D A D O
L U G A R  G U A R D A D OL U G A R  G U A R D A D O
L U G A R G U A R D A D O
 
Meu eu em voce
Meu eu em voceMeu eu em voce
Meu eu em voce
 
Chega a primavera
Chega a primaveraChega a primavera
Chega a primavera
 

Mais de Renato Cardoso

Bauruenses queridos
Bauruenses queridosBauruenses queridos
Bauruenses queridos
Renato Cardoso
 
As aquarelas sensuais de Steve Hanks
As aquarelas sensuais de Steve HanksAs aquarelas sensuais de Steve Hanks
As aquarelas sensuais de Steve Hanks
Renato Cardoso
 
O cé de bauru é mais bonito
O cé de bauru é mais bonito O cé de bauru é mais bonito
O cé de bauru é mais bonito
Renato Cardoso
 
No ano que vem
No ano que vemNo ano que vem
No ano que vem
Renato Cardoso
 
Primavera sem flor
Primavera sem florPrimavera sem flor
Primavera sem flor
Renato Cardoso
 
Sinto muito
Sinto muitoSinto muito
Sinto muito
Renato Cardoso
 
Sinto muito
Sinto muito Sinto muito
Sinto muito
Renato Cardoso
 
Sinto muito -
Sinto muito - Sinto muito -
Sinto muito -
Renato Cardoso
 
Sinto muito.pps
Sinto muito.ppsSinto muito.pps
Sinto muito.pps
Renato Cardoso
 
Sinto muito
Sinto muitoSinto muito
Sinto muito
Renato Cardoso
 
Sinto muito
Sinto muito Sinto muito
Sinto muito
Renato Cardoso
 
Sinto muito
Sinto muitoSinto muito
Sinto muito
Renato Cardoso
 
Aprendi
AprendiAprendi
Sinto muito
Sinto muitoSinto muito
Sinto muito
Renato Cardoso
 
Untitled Presentation
Untitled PresentationUntitled Presentation
Untitled Presentation
Renato Cardoso
 
Sinto muito
Sinto muitoSinto muito
Sinto muito
Renato Cardoso
 
Orao do-amigo-1206903801670519-3 (3)
Orao do-amigo-1206903801670519-3 (3)Orao do-amigo-1206903801670519-3 (3)
Orao do-amigo-1206903801670519-3 (3)
Renato Cardoso
 
Orao do-amigo-1206903801670519-3 (3)
Orao do-amigo-1206903801670519-3 (3)Orao do-amigo-1206903801670519-3 (3)
Orao do-amigo-1206903801670519-3 (3)
Renato Cardoso
 
Vem acorda-tempoderecomeçar
Vem acorda-tempoderecomeçarVem acorda-tempoderecomeçar
Vem acorda-tempoderecomeçar
Renato Cardoso
 
Pessoas que-brilham.pps
Pessoas que-brilham.ppsPessoas que-brilham.pps
Pessoas que-brilham.pps
Renato Cardoso
 

Mais de Renato Cardoso (20)

Bauruenses queridos
Bauruenses queridosBauruenses queridos
Bauruenses queridos
 
As aquarelas sensuais de Steve Hanks
As aquarelas sensuais de Steve HanksAs aquarelas sensuais de Steve Hanks
As aquarelas sensuais de Steve Hanks
 
O cé de bauru é mais bonito
O cé de bauru é mais bonito O cé de bauru é mais bonito
O cé de bauru é mais bonito
 
No ano que vem
No ano que vemNo ano que vem
No ano que vem
 
Primavera sem flor
Primavera sem florPrimavera sem flor
Primavera sem flor
 
Sinto muito
Sinto muitoSinto muito
Sinto muito
 
Sinto muito
Sinto muito Sinto muito
Sinto muito
 
Sinto muito -
Sinto muito - Sinto muito -
Sinto muito -
 
Sinto muito.pps
Sinto muito.ppsSinto muito.pps
Sinto muito.pps
 
Sinto muito
Sinto muitoSinto muito
Sinto muito
 
Sinto muito
Sinto muito Sinto muito
Sinto muito
 
Sinto muito
Sinto muitoSinto muito
Sinto muito
 
Aprendi
AprendiAprendi
Aprendi
 
Sinto muito
Sinto muitoSinto muito
Sinto muito
 
Untitled Presentation
Untitled PresentationUntitled Presentation
Untitled Presentation
 
Sinto muito
Sinto muitoSinto muito
Sinto muito
 
Orao do-amigo-1206903801670519-3 (3)
Orao do-amigo-1206903801670519-3 (3)Orao do-amigo-1206903801670519-3 (3)
Orao do-amigo-1206903801670519-3 (3)
 
Orao do-amigo-1206903801670519-3 (3)
Orao do-amigo-1206903801670519-3 (3)Orao do-amigo-1206903801670519-3 (3)
Orao do-amigo-1206903801670519-3 (3)
 
Vem acorda-tempoderecomeçar
Vem acorda-tempoderecomeçarVem acorda-tempoderecomeçar
Vem acorda-tempoderecomeçar
 
Pessoas que-brilham.pps
Pessoas que-brilham.ppsPessoas que-brilham.pps
Pessoas que-brilham.pps
 

Último

Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Militao Ricardo
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Pastor Robson Colaço
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
EdimaresSilvestre
 

Último (20)

Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
Podcast: como preparar e produzir um programa radiofônico e distribuir na int...
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdfNorma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
Norma de Gênero - Mulheres Heterossexuais, Homossexuais e Bissexuais.pdf
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.pptLITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
LITERATURA INDÍGENA BRASILEIRA: elementos constitutivos.ppt
 

Primavera sem flor

  • 2.
  • 3. Impossível. A natureza aí está com suas cores variegadas dizendo-nos que as flores aparecem na Terra.
  • 4. Algumas são quase imperceptíveis. Apenas os colibris conseguem admirá-las e com seu néctar saciar a fome pelo belo.
  • 5. E nos convida a parar e admirar a criação singular que traz à alma a paz, a alegria de viver, que se renova na esperança dos frutos que as flores anunciam.
  • 6. Há flores e flores. Mas todas com a mesma mensagem: Deus cuida e administra o Universo com a singeleza do belo.
  • 7. As flores desafiam-nos a não ter pressa. A parar. Contemplar. Refletir e concluir que após cada flor sempre haverá frutos. Os apressados não admiram as flores.
  • 8. Apenas as vêem. Mas sem a alegria de analisar a tonalidade de cada pétala, na mesma flor. A textura. Os desenhos simétricos que dão forma ao inimaginável que só os românticos vislumbram.
  • 9. Jesus parava em seu caminhar, não apressado, a contemplar lírios. Enxergava neles a mão do Pai. Seu cuidado em administrar as riquezas do amor que nada deixa faltar a seus filhos. “Olhai os lírios”, convidava o Mestre aos seus nervosos seguidores. São efêmeros como efêmera é a vida.
  • 10. Mas o Pai os veste com especial carinho. Eles dizem que vocês podem receber igual cuidado também. Ninguém jamais suplantou a beleza da flor, continuava o Mestre. Mas, cego pela ansiedade.
  • 11. Dominados e escravizados pelos estresses abomináveis deste século, não conseguimos ver. Não ouvimos. O barulho do amanhã gerou surdez absoluta nos olhos da alma.
  • 12. Não conseguimos ouvir a mensagem das flores. Perdemos o olfato, dominado pelos odores de uma vida vazia de significados. Tristes, não aspiramos mais a fragrância das flores.
  • 13. No belo e florido Universo criado por Deus, construímos um mundo triste. Sem primavera. Sem flores. Sem reflexão. Sem razão de existir. Os jovens “românticos” não oferecem flores. Geram filhos extemporâneos, que serão abandonados. Os cônjuges não trazem e não recebem flores.
  • 14. As pétalas lançadas sobre a noiva foram pisoteadas pela indiferença que assassina o amor. As flores do altar foram substituídas pelas togas pretas dos magistrados, que declaram separados o que Deus não ajuntou.
  • 15. Os jardins deram lugar ao cimento frio. A natureza geme por ausência de flores. Nos altares. Nos corações. Nas matas inexistentes. Nas vidas agressivas, que respondem com violência a qualquer aproximação.
  • 16. Flores não florescem onde há mágoas. Não germinam na selva do ódio. Perdem seus matizes quando envoltas na ingratidão. Murcham quando o esquecimento do belo suplanta a força do amor.
  • 17. Frágeis, não suportam a violência. Por isso temos primavera sem flores. Sem esperança. Sem a possibilidade de frutos que mantém a vida.
  • 18. A sociedade está mergulhada em tristeza. Pessoas infelizes por desconhecerem a beleza das flores. Incapazes de se emocionar com um simples lírio do campo. Precisamos de Jesus.
  • 19. Com Ele caminhar. Parar a Seu lado e com Ele aprender a contemplar as flores. E ver nelas o convite para viver uma primavera florida, onde o amor de Deus seja real.
  • 20.
  • 21. Escrito pelo Pastor Julio Oliveira Sanches
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 31.
  • 32.
  • 34.