Dinâmica da terra

4.027 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.027
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
31
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dinâmica da terra

  1. 1. Dinâmica da Terra<br />Apresentação sobre dinâmica interna e externa do Planeta<br />6o. ANO EF <br />Material elaborado pela Professora Raquel P. R. de Avila<br />
  2. 2. Estrutura interna<br />Grau Geotérmico<br />Placas Tectônicas<br />Mudanças na superfície terrestre<br />Tectonismo<br />Vulcões<br />Abalos Sísmicos<br />Rochas e Minerais<br />A DINÂMICA INTERNA<br />
  3. 3.
  4. 4. Composição: material sólidoconstituídoporrochas + argilas + areias<br />SIAL – sobre oscontinentes<br />SIMA – sobre ospisosoceânicos<br />Extenção: 5 a 70 km<br />CROSTA OU LITOSFERA<br />
  5. 5. Zona de contato com a camada interna<br />Espessura: + ou – 30 km<br />Composição: materiaismaisfluídosquesurgem na superfície (apóserupção) - lava<br />ASTENOSFERA<br />
  6. 6. Camadaintermediária entre litosfera e núcleo<br />Profundidademáxima: 2.900 km<br />Composição: Si, Fe e Mg<br />Com o aumento da profundidade, P e T aumentamproporcionalmente<br />T : superioires a 2.000 C<br />Materiais: encontram-se emestadopastoso<br />MANTO OU MESOSFERA<br />
  7. 7. Ocupa a porçãomais central da Terra<br />Composição: Ni, Fe<br />T: 6.000 C<br />P: 3,5 milhões de atm<br />NÚCLEO<br />
  8. 8. Externo<br />Fluído<br />Contato com o manto<br />Profundidade de 2.900 km<br />Extenção: 5.000 km<br />Interno<br />Sólido<br />Profundidade: superior à 2.900 km<br />Elevedapressão<br />Elevadatemperatura<br />NÚCLEO<br />
  9. 9. A cada 33 metros de profundidade (média), a temperatura se elevaem 1grau C emrelação à temperatura da superfície.<br />Comprovação:altastemepraturas no interior das minas de exploração de minérios; fontes de águastermais.<br />GRAU GEOTÉRMICO<br />
  10. 10. PLACAS TECTÔNICAS<br />
  11. 11. Vídeo 1- PThttp://www.youtube.com/watch?v=Tuoi52zPhyM<br />
  12. 12. A superfície terrestre passa por constantes mudanças: surgimento de montanhas, escavamento de vales, continentes flutuantes. <br /> O relevo terrestre está sujeito a ações externas e internas. Ações estas, como ventos, correntes oceânicas e precipitações, estas modelando a superfície (ações externas). Calor e pressão gerados no centro da Terra concorrem para a construção da superfície (ações internas). Esses efeitos causam mudanças lentas como movimentação dos continentes, elevações de montanhas, e outras rápidas como a erupção de um vulcão. <br />Mudanças na superfície terrestre<br />
  13. 13. As chamadas placas tectônicas são os grandes fragmentos que compõem a litosfera. Há teorias, bastante popularizadas e divulgadas, que diz ser as placas tectônicas as verdadeiras causas dos terremotos. Com o deslizamento das placas e os conseqüentes choques entre elas seriam gerados os tremores de terra. estas teorias, que permaneceram por muito tempo, hoje em dia são questionadas. De qualquer maneira, o deslizamento das placas tectônicas gera alterações na aparência da superfície da Terra, causando dobramentos (deformação, sem quebra entre camadas) e falhas (rupturas e desnivelamento entre camadas).<br />TECTONISMO<br />
  14. 14. VULCÕESVídeo 2 - http://www.youtube.com/watch?v=TMvikzyuB2E<br />
  15. 15. Abalos sísmicos correspondem a terremotos ou tremores de terra, é um fenômeno natural que faz com que a superfície terrestre trema. Para sua ocorrência são necessários vários fatores determinantes. Os agentes que provocam terremotos se desenvolvem no interior da Terra, podem ser a partir de movimentos de placas tectônicas ou tectonismo e por atividade vulcânica ou vulcanismo, ambos acumulam uma grande quantidade de energia que para ser liberada é expelida pelas fendas das rochas e aberturas de vulcões, essa liberação é o terremoto propriamente dito. <br />ABALOS SÍSMICOS<br />
  16. 16. Os terremotos podem ser medidos, para realizar a medida da intensidade dos tremores foi criada uma escala, seu mentor foi o sismólogo Charles Francis Richter, de origem norte-americana. Ele elaborou uma escala que varia de 0 a 9 graus que corresponde ao volume de energia liberada no tremor, desse modo, foi padronizada internacionalmente a medida para avaliar os terremotos através da escala Richter, em homenagem ao criador. Acontece, a cada ano no mundo, pelo menos 300 mil terremotos ou abalos sísmicos que variam entre 2 e 2,9 graus na escala Richter. Os abalos com intensidade superior a 5,0 graus na escala Richter ocorrem em períodos intercalados, entre cinco e dez anos. Apesar da existência da escala Richter, que tem seu uso bastante difundido, há também outro método para medir que é denominado de escala de Mercalli-Sieberg, nesse processo o que é avaliado não é a quantidade de energia liberada no fenômeno e sim os níveis de estragos e prejuízos, nessa escala existem doze categorias. <br />O terremoto de maior intensidade já registrado ocorreu em 1960, no Chile, e o segundo aconteceu na Indonésia em 2004, atingiram respectivamente 9,5 e 9,3 graus na escala Richter. <br />
  17. 17. Rochas e MineraisVídeo 3 - http://www.youtube.com/watch?v=BW6T0KDiF18&feature=fvwrel<br />
  18. 18. COMPLEMENTAÇÃO<br />Ver a apresentaçãonovamente e anotar as dúvidasquevenhamsurgirapós o estudo<br />NA PRÓXIMA AULA:<br />Atividade no laboratório de informática<br />Porhoje é sópessoal…<br />ESSE MATERIAL JÁ FOI POSTADO NO BLOG, NA PÁGINA 6o. ANO<br />Acesse:<br />www.geodaraquel.blogspot.com<br />

×