ssasas
            CCHS - Consejo Superior de
   Investigaciones Científicas (Espanha)                                    ...
CONTEXTO


Século XXI               “Século do Conhecimento” (Taichi Sakaya, 1991; Peter Drucker, 1994,..)


Num contexto ...
QUESTAO PRINCIPAL

Reflectir sobre os processos de transformação das paisagens urbanas (físicas e
  culturais), no context...
1. Em torno do conceito de paisagem


Carácter complexo da paisagem                                • cenário
             ...
2. Paisagem enquanto elemento dinâmico



… nem todas as alterações na paisagem conduzem à criação de novas paisagens   (A...
3.    Transformação das paisagens                  na
                                                       Sociedade do ...
(cont.)




Tipos de transformação urbana                       • Espontâneas
                                            ...
(cont.)



       Novas (e renovadas) paisagens urbanas onde se procura efeito de densidade
       e diversidade


       ...
4. Mudanças das paisagens em quatro
                            cidades portuguesas
N


             Guimarães

        Po...
... LISBOA


Centro Urbano
Déc. 80 (séc. XX): abandono de actividades e perda de vida social
Final do séc. XX: reabilitaçã...
… PORTO
Centro Urbano
Outrora centro administrativo, de serviços, residencial e comercial
Déc. 80 séc. XX: perde função re...
... GUIMARÃES
Centro Urbano
Degradação contínua do património e perda de actividade industrial (curtumes)

               ...
... ÓBIDOS
Identidade urbana

Importante património histórico e cultural (vila histórica) …. desenvolvimento turístico


E...
REFLEXÕES FINAIS


Paisagem urbana como elemento fundamental na Sociedade do Conhecimento
(importância do vivido e do seu ...
OBRIGADA.




Patrícia ROMEIRO



(patricia.romeiro@cchs.csic.es)
Doutoranda: CCSH – CSIC (Madrid, Espanha) e FLUP (Porto,...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Reconfiguração Paisagens Urbanas Sociedade do Conhecimento RomeiroP

2.579 visualizações

Publicada em

Publicada em: Arte e fotografia, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.579
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reconfiguração Paisagens Urbanas Sociedade do Conhecimento RomeiroP

  1. 1. ssasas CCHS - Consejo Superior de Investigaciones Científicas (Espanha) ssasas Faculdade Letras – Universidade do Porto (Portugal) Reconfigurações da paisagem urbana na sociedade do conhecimento: uma visão a partir do território português. Patrícia Romeiro 2º Workshop APDR - 13 de Março de 2009 - Évora Bolsa Doutoramento da Fundação para a Ciência e Tecnologia/Ministério da Ciência e Ensino Superior
  2. 2. CONTEXTO Século XXI “Século do Conhecimento” (Taichi Sakaya, 1991; Peter Drucker, 1994,..) Num contexto territorial … Desenvolvimento urbano baseado no conhecimento (Van Winden & Van den Berg,2004; Ergazakis et al., 2004; etc.) “… knowledge based development, by encouraging the continuous creation, sharing, evaluation, renewal and update of knowledge” (…) “this can be achieved though the continuous interaction between its citizens” (Ergazakis et al., 2004:7) Requer intensionalidade e planeamento ….. “The city’s appropriate design, ICT networks and physical spaces that support these interactions.” (Ergazakis et al., 2004)
  3. 3. QUESTAO PRINCIPAL Reflectir sobre os processos de transformação das paisagens urbanas (físicas e culturais), no contexto da Sociedade do Conhecimento (centro urbano) ESTUDO: i) teórico ii) exemplos cidades portuguesas ESTRUTURA 1. Em torno do conceito de paisagem 2. Paisagem enquanto elemento dinâmico 3. Transformação das paisagens na Sociedade do Conhecimento 4. Mudanças das paisagens em quatro cidades portuguesas 5. Reflexões finais
  4. 4. 1. Em torno do conceito de paisagem Carácter complexo da paisagem • cenário • instituição • recurso Conceito: “... an area, as perceived by people, whose character is the result of the action and interaction of natural and/or human factors” (Convenção Europeia da Paisagem, adoptada pelo Conselho da Europa, 2000:2) Carácter específico e dinâmico
  5. 5. 2. Paisagem enquanto elemento dinâmico … nem todas as alterações na paisagem conduzem à criação de novas paisagens (Antrop, 2005) Desde uma perspectiva histórica • Paisagens tradicionais • Paisagens industriais • Paisagens pós-modernas Se a transformação das paisagens é um fenómeno historicamente normal, porquê tanta preocupação?
  6. 6. 3. Transformação das paisagens na Sociedade do Conhecimento Bilbao (Espanha) Abu Dhabi (Emiratos Árabes) Los Ángeles (Estados Unidos ) “Homogeneização” das paisagens Aumento da velocidade e escala das transformações • Globalização (económica e social) Forças Motrizes da • Aumento da mobilidade (pessoas e capitais) Transformação • Desenvolvimento das TIC das Paisagens Actuais • Intensificação dos processos de urbanização
  7. 7. (cont.) Tipos de transformação urbana • Espontâneas • Planificadas Implementação de um novo tipo de projectos Cultura Conhecimento Criatividade TIC Design
  8. 8. (cont.) Novas (e renovadas) paisagens urbanas onde se procura efeito de densidade e diversidade Principais diferenças i) Escala de intervenção (pequena, i) Grandes projectos urbanos grande) ii) Quarteirões culturais e/ou criativos ii) Actividade dominante (empresarial, residencial, cultural, …) iii) Infra-estruturas culturais emblemáticas iii) Promotor (publico, privado, formas iv) (…) mistas) i) Alterações na organização espacial e na estrutura urbana ii) Regeneração e re-desenho das paisagens físicas iii) Alteração do componente relacional entre paisagens físicas e “utilizadores”
  9. 9. 4. Mudanças das paisagens em quatro cidades portuguesas N Guimarães Porto Óbidos Lisboa
  10. 10. ... LISBOA Centro Urbano Déc. 80 (séc. XX): abandono de actividades e perda de vida social Final do séc. XX: reabilitação de algumas zonas da cidade antiga para residências de luxo Transformações recentes PROMOÇÃO DE EVENTOS/INICIATIVAS • Regeneração da paisagem urbana e criação •Presidência da União Europeia (1992 e 2000) de novas centralidades (ex. plataforma •Capital Europeia da Cultura (1994) ribeirinha da zona oriental de Lisboa) •Expo 98 • Novos equipamentos, alguns esteticamente inovadores (Gare do Oriente, Ponte Vasco da Gama, de arte pública no Metro, Centro Cultural de Belém, etc.) … mas também PROCESSOS ESPONTÂNEOS Reinvenção da paisagem (novas actividades – •Funções mistas (Bairro Alto) culturais e criativas - e construção de novas •Sectoriais (Santos Design District) sociabilidades – mais diversas)
  11. 11. … PORTO Centro Urbano Outrora centro administrativo, de serviços, residencial e comercial Déc. 80 séc. XX: perde função residencial e centralidade comercial (Domingues, 2001) Paisagem perde vitalidade: abandono, degradação física e social, imagem associada à insegurança Transformações recentes PROMOÇÃO DE EVENTOS/INICIATIVAS Renovação e construção de infra-estruturas •Património Humanidade (UNESCO) culturais (Coliseu, Cadeia da Relação, Casa da •Capital Europeia da Cultura (2001) Música, Biblioteca Almeida Garret, etc.) Melhoria da mobilidade (zonas pedonais, metro, etc.) Valorização dos espaços públicos (Parque da Um marco importante Cidade, modernização mobiliário urbano, etc.) •Valorização da paisagem urbana Instalação de novas actividades: artes e •Fenómenos espontâneos (sectoriais) cultura – clusterização incipiente (Fundação Serralves & Norte 2015, 2008) TERRITÓRIO FUNDAMENTAL NAS ESTRATÉGIAS DESENVOLVIMENTO REGIÃO NORTE (cluster criativo)
  12. 12. ... GUIMARÃES Centro Urbano Degradação contínua do património e perda de actividade industrial (curtumes) Déc.80 (séc. XX): programa de requalificação (preservação do património histórico e do tecido social) ...... culminou com a classificação de Património Humanidade (UNESCO) Transformações recentes Complexo Multifuncional (projectos educativos, sociais, •Infra-estruturas culturais (CC Vila Flor) culturais, etc.) • Recuperação da Zona de Couros CampUrbis (educação superior, investigação e • (...) desenvolvimento e actividades empresariais, etc.) Recuperação da Ribeira de Couros, (paisagem histórica e linha estruturante do projecto) pretende ser ... • catalizador de investimentos em actividades culturais, artísticas e tecnológicas • cidade atractiva para residentes e turistas Território fundamental nas estratégias desenvolvimento região norte (cluster criativo) Capital Europeia da Cultura (2012)
  13. 13. ... ÓBIDOS Identidade urbana Importante património histórico e cultural (vila histórica) …. desenvolvimento turístico Estratégia de desenvolvimento urbano recente Promoção de eventos nacionais (cultura e gastronomia): Festival do Chocolate, Maio Barroco Óbidos Vila Natal, etc. Parque Tecnológico (economia criativa) como “CIDADE CRIATIVA” catalizador de uma nova imagem (ecológica e saudável) Aposta na qualidade de vida (investimento em educação, amenidades naturais e culturais, equipamentos sociais, etc.) Construção de residências/ estudios (casas criativas) Redes de cidades criativas (nacional e europeia) e potenciar sinergias com as Caldas da Rainha pretende ... Atrair residentes (áreas da criatividade e tecnologia) Alteração da paisagem física, mas sobretudo da cultural (vivências)
  14. 14. REFLEXÕES FINAIS Paisagem urbana como elemento fundamental na Sociedade do Conhecimento (importância do vivido e do seu carácter simbólico) Novas oportunidades para a revitalização dos centros urbanos Importância da planificação territorial estratégica: mediação entre imperativos globais e preocupações locais Importante evitar a “reprodução” e instrumentalização de paisagens Re-projecção das paisagens actuais de algumas cidades portuguesas (de diferentes dimensões), baseadas no conhecimento, cultura e criatividade É cedo para avaliar com precisão alterações da paisagem …. mas é necessário estar atento Importante que as iniciativas se integrem num projecto global de cidade (menos visível em Lisboa) Importante a implicação activa de um conjunto diversificado de actores: execução e benefícios (menos evidente no caso de Óbidos)
  15. 15. OBRIGADA. Patrícia ROMEIRO (patricia.romeiro@cchs.csic.es) Doutoranda: CCSH – CSIC (Madrid, Espanha) e FLUP (Porto, Portugal)

×