SlideShare uma empresa Scribd logo
CrônicaPor: JESUS RIOS
A ilusãoe adesgraça é Arte, tudo é arte, até
mesmo a sua gravata
O mais rico dos ricos pode ser lunático ao ponto de construir uma grande casa, mansões
ou o morar lá encima, no 19º andar onde sente o vento veloz das turbinas áreas
sussurrarem em seus ouvidos e rosto adentro.
Coitado, mal sabe que esta sendo bobo ao viver feito máquina robótica em um mundo
lunático. O mais belo dessa ilusão são as colunas dóricas, jônicas e coríntias que
seguram a laje pesada de toda uma arquitetura desenvolvida. As cores externas e
internas de referências Pantone, fazem deslumbrar durante o dia e ainda mais a noite.
Os quadros despendurados sobre as paredes são de obras primas, criação reflexiva de
um ser humano ou de um ser irracional capitalistanato correndo contra o tempo em
busca de fama e reconhecimento na mídia, vivo e depois de morto.
A arte é o que resta para o pobre engravatado. Investe o que tem e não tem em um
habitat 10 vezes maior que a massa de seu corpo. Para quê tanto desperdícios? Ou será a
busca do super-conforto enganoso, já que goza apenas 30% de todo o luxo arquitetônico
investido? Mais triste ainda é quando o costume visual pelo que tem chega, ou seja, o
olhar estrangeiro foi perdido e este imóvel que é belo, passa a ser algo natural ou
enjoativo, sem graça, mesmo sem perder a beleza.
Para completar o pacote coitado, esqueceu-se do mais importante: a casa principal de
todo o infinito de sua existência física e simbólica ao ar. Na sua principal casa ele não
investe. A casa que ficará para eternidade, até os fins da décima ou quinquagésima
geração. Esta casa quando bem feita é uma luxúria dentro de um condomínio onde
apenas meio metros as separam uma das outras.
Esta casa “ante-preocupada” serve como espelho para muitos, no dia 12 de Outubro de
cada ano brasileiro. São obras de arte baixas, forrada de mármores claros, escuros e
espelhados. Potes de bronze, a imagem do Criador e seus intercessores Santos. Muitos
valem metade daquela mansão... Outras são irmãs gêmeas do Morumbi ou do Maracanã.
E o mais pobre, dos Pobres, mas que não deixa de ser arte tem-se característica ao
semiárido brasileiro.
Além de investir na casa gigante, é preciso cair à ficha e ser mais responsável o bastante
de se lembrar da outra casa menor. O bastante e necessária para o seu corpo antes de
apodrecer e ser comido pelos bichos, os quais dão a prova real ao que ainda estão vivos,
que são todos iguais, que a gravata não serve para nada sob a terra ou o cal.
-Coitado! Coitado! Infelizmente Senhor, a sua gravata não tem serventia alguma neste
lugar abafado, sem oxigênio e escuro, mas que não deixa de ser arte, a desgraça ou o
sentido enganoso que a vida lhe passara é arte. Pode não ser para você, mas para quem
te odeia mesmo inexistente, em óbito... É ARTE.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Crônica

A Cidade e as Serras.ppt
A Cidade e as Serras.pptA Cidade e as Serras.ppt
A Cidade e as Serras.pptssuser0817c4
 
Jeca tatu Monteiro Lobato Urupes
Jeca tatu Monteiro Lobato UrupesJeca tatu Monteiro Lobato Urupes
Jeca tatu Monteiro Lobato Urupescelio correa
 
Conceito de arte_Funções da Literatura
Conceito de arte_Funções da LiteraturaConceito de arte_Funções da Literatura
Conceito de arte_Funções da LiteraturaJosé Ricardo Lima
 
"O Cortiço" - Aluísio de Azevedo
"O Cortiço" - Aluísio de Azevedo"O Cortiço" - Aluísio de Azevedo
"O Cortiço" - Aluísio de AzevedoFabio Lemes
 
Fragmentos pre modernistas
Fragmentos pre modernistasFragmentos pre modernistas
Fragmentos pre modernistasKarin Cristine
 
(Atualizado 01) trabalho de hugo powerpoint
(Atualizado 01) trabalho de hugo powerpoint(Atualizado 01) trabalho de hugo powerpoint
(Atualizado 01) trabalho de hugo powerpointAntonio Silva
 
Guiao de-leitura-arroz-do-ceu
Guiao de-leitura-arroz-do-ceuGuiao de-leitura-arroz-do-ceu
Guiao de-leitura-arroz-do-ceuGraça Viais
 
acidadeeasserras.docx
acidadeeasserras.docxacidadeeasserras.docx
acidadeeasserras.docxIsabel273720
 
Arroz do cã©u texto e guiã£o de leitura (blog7 10-11)
Arroz do cã©u   texto e guiã£o de leitura (blog7 10-11)Arroz do cã©u   texto e guiã£o de leitura (blog7 10-11)
Arroz do cã©u texto e guiã£o de leitura (blog7 10-11)Tita Carvalho'
 

Semelhante a Crônica (14)

A Cidade e as Serras.ppt
A Cidade e as Serras.pptA Cidade e as Serras.ppt
A Cidade e as Serras.ppt
 
Jeca tatu Monteiro Lobato Urupes
Jeca tatu Monteiro Lobato UrupesJeca tatu Monteiro Lobato Urupes
Jeca tatu Monteiro Lobato Urupes
 
Conceito de arte_Funções da Literatura
Conceito de arte_Funções da LiteraturaConceito de arte_Funções da Literatura
Conceito de arte_Funções da Literatura
 
"O Cortiço" - Aluísio de Azevedo
"O Cortiço" - Aluísio de Azevedo"O Cortiço" - Aluísio de Azevedo
"O Cortiço" - Aluísio de Azevedo
 
A Cidade e as Serras
A Cidade e as Serras A Cidade e as Serras
A Cidade e as Serras
 
Fragmentos pre modernistas
Fragmentos pre modernistasFragmentos pre modernistas
Fragmentos pre modernistas
 
(Atualizado 01) trabalho de hugo powerpoint
(Atualizado 01) trabalho de hugo powerpoint(Atualizado 01) trabalho de hugo powerpoint
(Atualizado 01) trabalho de hugo powerpoint
 
estudavest
estudavestestudavest
estudavest
 
Guiao de-leitura-arroz-do-ceu
Guiao de-leitura-arroz-do-ceuGuiao de-leitura-arroz-do-ceu
Guiao de-leitura-arroz-do-ceu
 
aquarelas.pdf
aquarelas.pdfaquarelas.pdf
aquarelas.pdf
 
acidadeeasserras.docx
acidadeeasserras.docxacidadeeasserras.docx
acidadeeasserras.docx
 
Sobre a cidade e as serras
Sobre a cidade e as serrasSobre a cidade e as serras
Sobre a cidade e as serras
 
Arroz do cã©u texto e guiã£o de leitura (blog7 10-11)
Arroz do cã©u   texto e guiã£o de leitura (blog7 10-11)Arroz do cã©u   texto e guiã£o de leitura (blog7 10-11)
Arroz do cã©u texto e guiã£o de leitura (blog7 10-11)
 
92
9292
92
 

Mais de Jesus Rios

Pec das domésticas (s.s)
Pec das domésticas (s.s)Pec das domésticas (s.s)
Pec das domésticas (s.s)Jesus Rios
 
Ouro para o papa
Ouro para o papaOuro para o papa
Ouro para o papaJesus Rios
 
Jornalismo e merc
Jornalismo e mercJornalismo e merc
Jornalismo e mercJesus Rios
 
Jornalismo e merc
Jornalismo e mercJornalismo e merc
Jornalismo e mercJesus Rios
 
Marketing (modelos de vals 2)
Marketing (modelos de vals 2)Marketing (modelos de vals 2)
Marketing (modelos de vals 2)Jesus Rios
 
Fotógrafo ansel adans
Fotógrafo ansel adansFotógrafo ansel adans
Fotógrafo ansel adansJesus Rios
 
1º edição da revista o prazer esportivo (2012)
1º edição da revista o prazer esportivo (2012)1º edição da revista o prazer esportivo (2012)
1º edição da revista o prazer esportivo (2012)Jesus Rios
 
Edição especial de o crítico (grandes filósofos)
Edição especial de o crítico (grandes filósofos)Edição especial de o crítico (grandes filósofos)
Edição especial de o crítico (grandes filósofos)Jesus Rios
 
Humor e reality show
Humor e reality showHumor e reality show
Humor e reality showJesus Rios
 
Cores especiais
Cores especiaisCores especiais
Cores especiaisJesus Rios
 
Trabalho jose augusto ok
Trabalho jose augusto okTrabalho jose augusto ok
Trabalho jose augusto okJesus Rios
 
Quem disse que não existe pena de morte no brasil matéria realizada com sucesso
Quem disse que não existe pena de morte no brasil matéria realizada com sucessoQuem disse que não existe pena de morte no brasil matéria realizada com sucesso
Quem disse que não existe pena de morte no brasil matéria realizada com sucessoJesus Rios
 

Mais de Jesus Rios (20)

Tomates s
Tomates sTomates s
Tomates s
 
Fênix
FênixFênix
Fênix
 
Pec das domésticas (s.s)
Pec das domésticas (s.s)Pec das domésticas (s.s)
Pec das domésticas (s.s)
 
Ouro para o papa
Ouro para o papaOuro para o papa
Ouro para o papa
 
Jornalismo e merc
Jornalismo e mercJornalismo e merc
Jornalismo e merc
 
Jornalismo e merc
Jornalismo e mercJornalismo e merc
Jornalismo e merc
 
Feliciano
FelicianoFeliciano
Feliciano
 
Congelar
CongelarCongelar
Congelar
 
Atleta
AtletaAtleta
Atleta
 
Potinari 3
Potinari 3Potinari 3
Potinari 3
 
Vanguart sss
Vanguart sssVanguart sss
Vanguart sss
 
Marketing (modelos de vals 2)
Marketing (modelos de vals 2)Marketing (modelos de vals 2)
Marketing (modelos de vals 2)
 
Fotógrafo ansel adans
Fotógrafo ansel adansFotógrafo ansel adans
Fotógrafo ansel adans
 
1º edição da revista o prazer esportivo (2012)
1º edição da revista o prazer esportivo (2012)1º edição da revista o prazer esportivo (2012)
1º edição da revista o prazer esportivo (2012)
 
Edição especial de o crítico (grandes filósofos)
Edição especial de o crítico (grandes filósofos)Edição especial de o crítico (grandes filósofos)
Edição especial de o crítico (grandes filósofos)
 
Humor e reality show
Humor e reality showHumor e reality show
Humor e reality show
 
Cores especiais
Cores especiaisCores especiais
Cores especiais
 
Original abag
Original abagOriginal abag
Original abag
 
Trabalho jose augusto ok
Trabalho jose augusto okTrabalho jose augusto ok
Trabalho jose augusto ok
 
Quem disse que não existe pena de morte no brasil matéria realizada com sucesso
Quem disse que não existe pena de morte no brasil matéria realizada com sucessoQuem disse que não existe pena de morte no brasil matéria realizada com sucesso
Quem disse que não existe pena de morte no brasil matéria realizada com sucesso
 

Crônica

  • 1. CrônicaPor: JESUS RIOS A ilusãoe adesgraça é Arte, tudo é arte, até mesmo a sua gravata O mais rico dos ricos pode ser lunático ao ponto de construir uma grande casa, mansões ou o morar lá encima, no 19º andar onde sente o vento veloz das turbinas áreas sussurrarem em seus ouvidos e rosto adentro. Coitado, mal sabe que esta sendo bobo ao viver feito máquina robótica em um mundo lunático. O mais belo dessa ilusão são as colunas dóricas, jônicas e coríntias que seguram a laje pesada de toda uma arquitetura desenvolvida. As cores externas e internas de referências Pantone, fazem deslumbrar durante o dia e ainda mais a noite. Os quadros despendurados sobre as paredes são de obras primas, criação reflexiva de um ser humano ou de um ser irracional capitalistanato correndo contra o tempo em busca de fama e reconhecimento na mídia, vivo e depois de morto. A arte é o que resta para o pobre engravatado. Investe o que tem e não tem em um habitat 10 vezes maior que a massa de seu corpo. Para quê tanto desperdícios? Ou será a busca do super-conforto enganoso, já que goza apenas 30% de todo o luxo arquitetônico investido? Mais triste ainda é quando o costume visual pelo que tem chega, ou seja, o olhar estrangeiro foi perdido e este imóvel que é belo, passa a ser algo natural ou enjoativo, sem graça, mesmo sem perder a beleza. Para completar o pacote coitado, esqueceu-se do mais importante: a casa principal de todo o infinito de sua existência física e simbólica ao ar. Na sua principal casa ele não investe. A casa que ficará para eternidade, até os fins da décima ou quinquagésima geração. Esta casa quando bem feita é uma luxúria dentro de um condomínio onde apenas meio metros as separam uma das outras. Esta casa “ante-preocupada” serve como espelho para muitos, no dia 12 de Outubro de cada ano brasileiro. São obras de arte baixas, forrada de mármores claros, escuros e espelhados. Potes de bronze, a imagem do Criador e seus intercessores Santos. Muitos
  • 2. valem metade daquela mansão... Outras são irmãs gêmeas do Morumbi ou do Maracanã. E o mais pobre, dos Pobres, mas que não deixa de ser arte tem-se característica ao semiárido brasileiro. Além de investir na casa gigante, é preciso cair à ficha e ser mais responsável o bastante de se lembrar da outra casa menor. O bastante e necessária para o seu corpo antes de apodrecer e ser comido pelos bichos, os quais dão a prova real ao que ainda estão vivos, que são todos iguais, que a gravata não serve para nada sob a terra ou o cal. -Coitado! Coitado! Infelizmente Senhor, a sua gravata não tem serventia alguma neste lugar abafado, sem oxigênio e escuro, mas que não deixa de ser arte, a desgraça ou o sentido enganoso que a vida lhe passara é arte. Pode não ser para você, mas para quem te odeia mesmo inexistente, em óbito... É ARTE.