Carta ao professor

718 visualizações

Publicada em

Carta ao professor da autoria, dizem, de Abraham Lincoln. Segundo alguns dos seus biógrafos, falta a prova de que assim foi. Mas que o texto é intemporal...

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
718
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Carta ao professor

  1. 1. O texto que segue é uma transcrição duma carta atribuída a Abraham Lincoln, embora alguns dos seus biógrafos admitam haver falta de prova de tal autoria. É preciso clicar no motor para avançar . Espero que gostem…
  2. 2. Caro (a) professor (a): A minha filha terá de aprender que: •Nem todos os seres humanos são justos, nem todos são verdadeiros, mas, por favor, diga-lhe que: •para cada vilão ou vilã há um herói ou uma heroína. •por cada egoísta há também um ou uma líder dedicado (a).
  3. 3. •Ensine-lhe, por favor que: Por cada inimigo (a) haverá sempre um amigo (a). Vale mais uma moeda ganha que uma moeda encontrada.
  4. 4. •Ensine-a a perder mas também a saber gozar da vitória. •Afaste-a da inveja e dê-lhe a conhecer a alegria profunda do sorriso silencioso. •Faça-a maravilhar-se com os livros, mas deixe-a perder-se com os pássaros do Céu, as flores dos campos, os montes e os vales.
  5. 5. •Nas brincadeiras com os (as) amigos (as), explique-lhe que a derrota honrosa vale mais que a vitória vergonhosa. •Ensine-a a acreditar em si, mesmo se sozinha contra todos. •Ensine-a a ser gentil com os (as) gentis e dura com os duros (as).
  6. 6. •Ensine-a a nunca entrar no comboio simplesmente porque os outros também entraram. •Ensine-a a ouvir todos, mas na hora da verdade, a decidir sozinha.
  7. 7. •Ensine-a a rir quando estiver triste e explique-lhe que, por vezes, todos os seres humanos (homens e mulheres) choram. •Ensine-a a ignorar as multidões que reclamam sangue e a lutar só contra todos se ela achar que tem razão. •Por favor, trate-a bem, mas não a mime, pois só o teste do fogo faz o verdadeiro aço.
  8. 8. •Deixe-a ter a coragem de ser impaciente e a paciência de ser corajosa. •Transmita-lhe uma fé sublime no criador e fé também em si, pois só assim poderá ter fé nos seres humanos.
  9. 9. Eu sei que estou a pedir muito, mas veja o que pode fazer, caro (a) professor (a).

×