Finanças pessoais com Daniel                            Castro:bankFacil entrevista                        “Entrevistamos ...
Enfim, acredito que o governo deveria retomar a questão da reformatributária no lugar de tomar ações paliativas contra a c...
Comprar na baixa e vender na alta. Acertar o momento certo     para se realizar investimentos faz toda a diferença e para ...
"Manifesto por um Brasil mais rico, não um Brasil mais caro""HorusStrategy no Tesouro Direto - Fechamento de Julho de2012"
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Finanças pessoais com Daniel Castro: bankFacil entrevista

1.115 visualizações

Publicada em

Tivemos a oportunidade de conversar com Daniel Brandão de Castro, fundador do Clube de Investimentos Horus Strategy e atual diretor de tesouraria para a América Latina do Grupo Publicis.

Formado em Engenharia Civil pela Escola Politécnica da USP, especializou-se em Finanças na Fundação Getúlio Vargas e fez mestrado acadêmico pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP em Administração de Empresas com ênfase em Finanças e Métodos Quantitativos.

Confira a seguir a opinião de Daniel Castro acerca da economia brasileira além de dicas preciosas sobre finanças pessoais.

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.115
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
364
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Finanças pessoais com Daniel Castro: bankFacil entrevista

  1. 1. Finanças pessoais com Daniel Castro:bankFacil entrevista “Entrevistamos o fundador do Clube de Investimentos HorusStrategy, Daniel Castro”Tivemos a oportunidade de conversar com Daniel Brandão de Castro,fundador do Clube de Investimentos HorusStrategy e atual diretor detesouraria para a América Latina do Grupo Publicis.Formado em Engenharia Civil pela Escola Politécnica da USP,especializou-se em Finanças na Fundação Getúlio Vargas e fezmestrado acadêmico pela Faculdade de Economia, Administração eContabilidade da USP em Administração de Empresas com ênfase emFinanças e Métodos Quantitativos.Confira a seguir a opinião de Daniel Castro acerca da economiabrasileira além de dicas preciosas sobre finanças pessoais.bankFacil: Sobre o cenário econômico atual no Brasil. O quevocê acha das medidas do governo em baixar os juros efomentar o consumo?D.C.: Acho importante a redução das taxas de juros e o fomento doconsumo no atual cenário econômico brasileiro, mas tenho algumasressalvas quanto a maneira que o governo está conduzindo esteprocesso de afrouxamento com o intuito de estimular a economia,pois tal medida tem ação direta nas consequências da criseeconômica e não nas suas causas.O estoque de crédito dos bancos já não cresce tanto em função dostomadores terem comprometido suas rendas em altos níveis e arecente alta da inadimplência tem feito os bancos serem maisrestritivos em seus empréstimos, o que torna a redução da taxa dejuros pouco eficaz no aumento do consumo.Por outro lado o receio da crise econômica e o medo de perder oemprego fazem com que os consumidores sejam mais criteriosos aogastar, o que acaba por aprofundar a crise independentemente dosestímulos promovidos pelo governo.Deste modo entendo que é preciso tomar ações que visam o aumentosustentável do consumo que é possível de ser obtido através doaumento da renda familiar e para tal uma das medidas cabíveis é adesoneração dos impostos cobrados na fonte aliado a redução dosgastos públicos para contrabalancear a redução na arrecadação.
  2. 2. Enfim, acredito que o governo deveria retomar a questão da reformatributária no lugar de tomar ações paliativas contra a crise.bankFacil: Como você vê a relação dos bancos com os clientesaqui no Brasil? Qual sua avaliação geral dos bancosbrasileiros?D.C.: A relação dos bancos com os clientes vem mudandoconsideravelmente de uns tempos para cá, seja através dasegregação de atendimento para clientes de maior renda ou pelaspolíticas de uso consciente do crédito entre outras ações que buscamaproximar o cliente do banco através de um atendimento maispersonalizado.Mesmo assim ainda estamos distantes da figura do gerente de bancocomo sendo consultor financeiro do cliente, pois os bancos aindatrabalham com metas de curto prazo e com foco exclusivo para oresultado financeiro do banco.De modo que hoje em dia muitos clientes que investem optam porgerenciar suas vidas financeiras sem a participação do banco, atravésdo aprendizado constante em finanças e do conteúdo de qualidadedisponível na internet sem custo ou então através de gestoresindependentes.Quanto a avaliação geral dos bancos brasileiros vejo que são muitoeficazes na agilidade e processamento dos pagamentos e nasfuncionalidades disponíveis pelo internet banking se comparados abancos de outros países. No entanto são gananciosos demais comcobranças de tarifas excessivas e aplicação de taxas de jurosexorbitantes.bankFacil: Quais são suas 3 dicas de ouro para as pessoas quebuscam a saúde financeira?D.C.: A saúde financeira é conquistada através de medidas simplesque na prática nem sempre são fáceis de serem atingidas: Gastar menos do que ganha. Para atingir esta regra de ouro é preciso conhecer claramente as suas despesas e suas receitas e fazer de modo que as receitas sejam superiores as despesas. Como dica vale anotar todas as despesas realizadas e as previstas, e verificar se o seu salário está sendo gasto conforme o desejado, sempre considerando uma reserva para os dias onde a receita poderá não vir. Não se endividar. É importante evitar ao máximo ter dívidas e caso seja inevitável não comprometer a renda em mais de 30%.
  3. 3. Comprar na baixa e vender na alta. Acertar o momento certo para se realizar investimentos faz toda a diferença e para tal faz-se necessário o constante aprendizado em precificação de ativos e aprofundamento nos estudos de finanças e investimentos.bankFacil: Qualquer pessoa pode investir com segurança? Emsua opinião, quais as melhores opções para os menosexperientes?D.C.: Acredito que sim, pois o nível de segurança de um investimentoestá associado ao nível de conhecimento que possui sobre o mesmo esobre os riscos inerentes ao tipo de investimento.Para os menos experientes indicaria investimento na poupança.bankFacil: Você, que possui uma boa experiência sobrefinanças e produtos bancários, poderia deixar algumas dicaspara os consumidores na hora de escolher um cartão decrédito?D.C.: Gosto de ver o cartão de crédito como uma ferramenta que tepermite pagar a prazo, realizar compras no exterior sem precisarfechar câmbio e acumular pontos que podem ser trocados pormercadoria e passagens.Dentro deste contexto acho importante o cartão de crédito não serutilizado como instrumento de empréstimo, pois as taxas de juros sãoproibitivas e indecentes em comparação a outras soluções.Como dica, acho importante o cartão de crédito não ter tarifa, serinternacional e ter um bom plano de pontuação.bankFacil: Falemos do HorusStrategy e de você mesmo, qual éo seu objetivo e como está posicionando o site com osconsumidores?D.C.: O HorusStrategy é um blog que venho mantendo há váriosanos que busca divulgar informações sobre investimentos e finançasde maneira geral e gratuitamente.É a minha maneira de contribuir com a educação financeira, decompartilhar idéias com outros internautas, investidores e aproveitarpara me aprofundar em finanças.Nosso entrevistado ainda recomendou a leitura de dois artigos, sendoo segundo de sua autoria:
  4. 4. "Manifesto por um Brasil mais rico, não um Brasil mais caro""HorusStrategy no Tesouro Direto - Fechamento de Julho de2012"

×