SlideShare uma empresa Scribd logo
Curso tenta
disseminar novo
tipo de cultivo
para hortaliças
Prefeito inova
e inaugura usina
de asfalto em
Meleiro
Casal fala sobre
paixão de fotografar
casamentos
e festas
CORREIO DO SULANO XXVI EDIÇÃO Nº 5.282 R$ 2,00SEGUNDA-FEIRA, 30 DE OUTUBRO DE 2017
www.grupocorreiodosul.com.br
25º18º
Muitas nuvens com curtas abertu-
ras e pancadas de chuva localiza-
das a qualquer hora do dia.
Previsão para hoje
Extremo Sul Catarinense
casamentos
e festase festas
Segurança – Pág 17 e 19
para hortaliçaspara hortaliçaspara hortaliças
Casal fala sobreCasal fala sobre
Especial – Pág 7
Curso tentaCurso tenta
Geral – Pág 3
e festase festase festase festas
Geral – Pág 9
Extremo Sul Catarinense
UL
Segurança – Pág 17 e 19Segurança – Pág 17 e 19Segurança – Pág 17 e 19Segurança – Pág 17 e 19Segurança – Pág 17 e 19
CULPADOS: JULGAMENTOS
HISTÓRICOS TERMINAM
EM CONDENAÇÃO
DemocracianoBrasilésóumengodo
Mais Bolsonaro
Simpatizantes do deputado federal Jair
Bolsonaro (PSC/RJ) arrecadaram fundos
e colocaram um out-door o referenciando
em Sombrio, e mais outro em Araranguá,
município onde já havia um primeiro. No
Sul do Estado também já foram coloca-
dos out-doors em Criciúma e Tubarão,
e a ideia é a de ampliar a iniciativa para
vários outros municípios. O mesmo está
acontecendo em várias outras regiões de
Santa Catarina. O out-door de Sombrio foi
fixado através dos esforços de um grupo
chamado Direita Sombrio, que, nas redes
sociais, se define com “um grupo que
apoia a família tradicional, o patriotismo
e Deus”. A fanpage do grupo possui cerca
de 900 seguidores, grande parte compos-
ta por jovens sombrienses. Na mesma
fanpage também são publicadas matérias e
vídeos ressaltando as aludidas virtudes de
Bolsonaro, e criticando sistemas políticos
ligados ao socialismo e ao comunismo,
assim como seus líderes.
Sem reversão
Prefeito de Sombrio, Zênio Cardoso
(PMDB), já admite que “será necessário
tomar medidas drásticas” para que execu-
tivo municipal feche suas contas no final do
ano. De acordo com ele, a queda de receita
ao longo do segundo semestre foi muito
maior do que o que se supunha “e não há
nenhuma expectativa de que o quadro possa
ser revertido”. Com a folha de pagamento
no teto de 54% do que é permitido pela Lei
de Responsabilidade Fiscal, Zênio não tem
outra alternativa que não seja a demissão
e a redução de salários de cargos comis-
sionados, assim como o parcelamento de
salários do funcionalismo municipal. A
solução é bastante simples do ponto de
vista técnico, mas nenhum pouco simpática
do ponto de vista social. “Fizemos de tudo
para que não chegássemos a este ponto.
Não temos funcionários excedentes, não
temos desperdício, e nossa gestão é enxuta
e produtiva. O problema é que a receita
tem caído mês a mês, sem perspectiva de
reversão nos próximos meses”, comenta o
prefeito, que ainda nutre a esperança de que
algum milagre possa acontecer.
ADVOCACIA EMPRESARIAL
FONE: (48) 3533-0145
N
enhum outro siste-
ma político é mais
complexo de ser ad-
ministrado do que a
democracia. E sua
complexidade reside, essencialmente,
no fato do ser humano, via de regra,
buscar atender seus interesses pessoais,
e não os da coletividade. Este é um
paradigma e tanto, afinal de contas, o
exercício da política sugere justamente
que o bem comum seja preservado, e
não o mero anseio próprio.
O problema é que o atendimento
do bem comum não é necessariamente
o atendimento dos anseios de uma ou
outra grande parcela da sociedade. É
justamente por conta disto que siste-
mas democráticos são muito difíceis
de darem certo em sua plenitude. E é
também justamente por conta disto que
ossistemasautoritáriossãotãoatrativos,
tanto para os adeptos da direita, quanto
para os da esquerda, que veem nele a
possibilidade de uma realização quase
pessoal de ordenamento social.
Para se ter uma ideia, dos mais de
200 países do mundo, apenas 25 são
considerados verdadeiramente demo-
cráticos. São aqueles países onde a
pluralidade política é considerada quase
total, com o sentimento da média da
população, de fato, sendo respeitado.
Neste ranking, o Brasil aparece na 44ª
colocação,atrásdepaísescomoBotswa-
na, Estônia, Jamaica, Lituânia e até
Timor-Leste. O consolo é que estamos à
frente de países como Cuba e Coreia do
Norte,masaindaassim,longedenosen-
tendermosenquantonaçãodemocrática.
O que mais puxa o Brasil para
baixo neste ranking, que foi elaborado
pela Economist Intelligence Unit, uma
instituição criada nos Estados Unidos
em 1946, é o fato de nossa sociedade
não participar dos atos políticos. Numa
democracia plena, por exemplo, tudo o
que diz respeito a sociedade é acompa-
nhado de perto pela sociedade. Antes
de se colocar o nome numa simples rua,
são feitas várias reuniões, com intensa
participação popular. No Brasil, nem
mesmo a aprovação do Orçamento
Municipal, pela Câmara de Vereadores,
chama a atenção da população. E isto
que estamos falando do ato administra-
tivo mais importante para a gestão de
um município. No que diz respeito às
questões eleitorais, então, nem se fala.
Acompra e venda de votos nas eleições
é algo já institucionalizado.
Não à toa temos uma democracia
fragilíssima, capaz de sucumbir diante
de dois comboios de milicos nas ruas, o
que, aliás, já aconteceu várias vezes ao
longo de nossa história. Isto só ocorreu,
e pode ocorrer novamente, justamente
porque os brasileiros não querem se
apropriar do país em que vivem. Não
querem tomar para si a responsabilidade
de ajudar a gerir o Brasil. Querem mais
é que chegue logo o dia da eleição para
votar e depois ficar falando mal daque-
les que conquistaram o poder, com se a
responsabilidade de organizar a nação
coubesse exclusivamente a eles.
É lógico que isto não tem como dar
certo.Eéjustamente,esomenteporisto,
que a democracia no Brasil é apenas
uma fachada, um engodo para engordar
corruptos, tudo com a conivência dos
brasileiros,queemgrandepartetambém
deveriam estar na Papuda, acusados de
omissão.
Internado
Problemas de saúde devem atrasar o ciclo
de palestras do governador Raimundo Co-
lombo (PSD) pelo Estado. De acordo com
o Secretário Executivo da Agência de De-
senvolvimento Regional, HeribertoAfonso
Schmidt, o governador deveria vir até o
próximo dia 10 de novembro a nossa região,
mais especificamente à Araranguá, proferir
uma palestra sobre o cenário econômico
catarinense. Sábado à noite, no entanto,
Colombo se sentiu mal e precisou ser inter-
nado em Florianópolis, para o tratamento
de uma diverticulite, que, grosso modo, é
a inflamação da parede interna do intestino
grosso. Em princípio, Colombo não deverá
cumprir sua agenda de compromissos desta
semana. Por conta do feriadão de Finados, a
agenda dos próximos dias deverá ficar para
a semana que vem. Já a agenda da semana
que vem deverá ser postergada para a se-
mana seguinte. É provável que sua palestra
em Araranguá se dê somente na segunda
quinzena de novembro, ou em 2018.
Empreendedor
Prefeito de Meleiro, Eder Mattos (PSB),
inaugurou na sexta-feira a tão sonhada usina
de asfalto de seu município. O evento atraiu
cerca de trezentas pessoas, dentre as elas
diversos prefeitos, muitos dos quais já dis-
postos a realizar parcerias com o executivo
meleirense para adquirir asfalto para seus
municípios. De acordo com Eder, a usina
deve entrar em operação ainda na primeira
quinzena de novembro, quando começará
a fornecer material para asfaltar cinco qui-
lômetros de estradas, projeto previsto para
ser concluído até o final do ano. Já a partir
de 2018 deverá ser iniciado um projeto bem
mais audacioso. Eder quer asfaltar ao longo
de três anos metade das estradas municipais
de Meleiro. “Não se trata de um achismo, ou
de uma promessa sem base de sustentação.
Eu tenho estudado o sistema de usinagem e
asfaltamento há muito tempo. Nossa meta
será alcançada, com certeza, até o final de
nosso mandato”, comenta o prefeito, que
viabilizou recursos na ordem de R$ 1,5
milhão para investir no projeto. Eder tam-
bém tem outro projeto, ligado a geração de
energia com utilização de lixo doméstico.
Rolando Christian CoelhoRolando Christian Coelho
JORNAL CORREIO DO SUL
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
rolando_coelho@hotmail.com (48) 99945.6787
POLÍTICA
“Eu nem sabia o que era ser deputado quando fui candidato em
2010. Em 2014 já sabia mais ou menos. Agora que aprendi, já sei
que isso não é pra mim. Em 2018 estou fora. Não vou à reeleição.
Melhor ser palhaço de verdade”.
Francisco Everardo Oliveira, o Tiririca (1965)
Deputado federal pelo PR de São Paulo
3Geral Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
G.C.S LTDA - ME
Comercial:
l48l 3533.0870
comercial@grupocorreiodosul.com.br
Diretor Geral
Jabson Muller
l48l 9955.5313
diretor@grupocorreiodosul.com.br
Redação:
editor@grupocorreiodosul.com.br
Publicações legais:
tomaz@grupocorreiodosul.com.br
Financeiro
financeiro@grupocorreiodosul.com.br
Radio 93FM
radio93fm@grupocorreiodosul.com.br
Diagramação/Arte:
correiodosul@grupocorreiodosul.com.br
Sul Gráfica
sulgrafica@grupocorreiodosul.com.br
Circulação/Assinatura
l48l 3533.0870
assinaturas@grupocorreiodosul.com.br
F
oi inaugurada na
tarde de sexta-
-feira, pelo pre-
feito Eder Matos, a Usina de
Asfalto Concreto Betumi-
nado Usinado a Quente, de
Meleiro. A usina fica loca-
lizada em Sanga Grande e a
promessa do prefeito é de que
até o final de seu mandato, 50
quilômetros de estradas do
município sejam asfaltadas,
compreendendo áreas rurais
e urbanas. De acordo com
o prefeito, Meleiro tem 110
quilômetros de estradas ainda
não calçadas.
Eder pretende, ainda
neste ano, que cinco qui-
lômetros de estrada sejam
asfaltos no município. O
caminhão com equipamento
apropriado para produzir as-
falto foi adquirido através de
Para Novos Caminhos
Escritor fala de alcoolismo e superação
Prefeitura de Meleiro
inaugura Usina de Asfalto
Fruto de pelo menos sete
anos de dedicação, o livro
‘Alcoolismo o Vilão Oculto
na Família’, deve ser lançado
nestasegunda-feiranaCâmara
de Vereadores de Balneário
Gaivota.
O autor, Alceu Padilha
Bueno, de 68 anos, narra na
obra sua própria história e
o resultado de vários cursos
e pesquisas que fez sobre o
assunto. O que o move, diz, é
sua fé na prevenção, que pos-
sa evitar que outras pessoas
caiam no vício que quase o
destruiu. “O alcoolismo é uma
doença progressiva e fatal,
um problema físico, mental
e espiritual”, escreve em um
dos capítulos.
Gaúcho morando na Gai-
vota há dez anos, Alceu viveu
um pesadelo até o ano dois
mil, em uma trajetória que
incluiu depressão e internação
em clínica para dependentes
químicos. Começou a dei-
xar para trás esta espiral de
autodestruição graças a um
milagre, acredita, que teria
acontecidoemMonteAlverne,
no município de Santa Cruz
do Sul. Ele conta: “naquela
noite de dezembro eu andava
pelas ruas sujo e me sentindo
muito mal, quando vi uma
porta aberta. Entrei pensando
que era um bar, mas era uma
igreja. Então perguntei a Deus
porque a minha vida estava
daquele jeito e de repente ouvi
uma música suave, crianças
cantando. Não sabia de onde
vinha, até que vi um coral
ensaiando em uma sacada, no
alto,músicasdenatal.Erauma
resposta as minhas preces”.
A partir desse episódio,
uma série de incidentes fi-
zeram com que Alceu fosse
para Caxias do Sul, onde
tem familiares, passasse por
uma internação e começasse
a sair do fundo do poço. Por
três anos, se isolou em uma
pequena chácara e ali come-
çou a nascer o livro, que será
oficialmenteapresentado hoje,
às 17h45minutos, na Câmara.
Além da literatura, o es-
critor planeja também fazer
palestras em escolas e outros
locais, para alertar para os pe-
rigos do álcool, esse vilão que
quase toda família conhece.
Marivânia Farias
Balneário Gaivota
Gislaine Fontoura
Meleiro
População compareceu e prefeito garantiu novos caminhos asfaltados para Meleiro
Alceu lança livro contando sua história de superação do alcoolismo
financiamento com aAgência
de Fomento de Santa Catari-
na S.A. (Badesc), no valor de
R$ 1,4 milhão.
Nesta segunda-feira, a
Câmara deVereadores irá vo-
tar se aprova ou não, que seja
contratado um administrador
para a usina. “Precisamos
inovar, trabalhar bastante e
fazer com que as margens
de erro sejam as mínimas”,
disse Eder.
Antes do início da ce-
rimônia, que contou com a
presença da população de
Meleiro e de autoridades po-
líticas municipais, regionais
e estaduais, o padre Ludgero
Buz, abençoou ou empreen-
dimento.
4 PublicidadeJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
Na semana passada a Alesc, Assembleia Legislativa,
comemorou o dia do cirurgião-dentista, celebrado na
última segunda-feira, e a passagem do cinquentenário
de fundação do Conselho Regional de Odontologia
(CRO-SC).Ainiciativa foi do deputado Zé Milton Sche-
ffer. Na ocasião, o presidente do CRO-SC pediu ajuda
dos deputados para ampliar o atendimento. "Precisamos
de apoio político para que possamos tratar nossa po-
pulação, as taxas de impostos altíssimas e a burocracia
são impostas de forma autoritária, sem nenhum tipo de
consulta", descreveu Murilo Rosa.
Todossabemqueestaremumambienteclimatizadopropor-
ciona o bem-estar. Isto seja no trabalho, ou ida à um banco em
dias de calor. Sabendo disto, a prefeitura de Balneário Gaivota
vem investindo ao longo dos últimos anos na climatização das
salas de aulas nas creches.
Neste mês, as salas do Centro de Educação Infantil da
Rua Nova, o Abelhinha, recebeu dois novos aparelhos de ar
condicionado para manter as salas de aulas totalmente clima-
tizadas, proporcionando um bem-estar maior para as crianças
que frequentam a entidade. "As crianças até mudam de humor
com a alteração da temperatura, temos certeza que o soninho e
as atividades com eles irão ficar melhores", comenta a coorde-
nadora da creche Cleia Simone Machado.
Asecretária municipal de educação, RosineaAlves Ferreira
anuncia ainda, que nesta próxima semana a creche Pica Pau, na
comunidade deAnita Garibaldi também recebe um ar condicio-
nado, assim como a creche modelo, Eva Cabreira Gomes. "Faz
partedoplanodegovernodoprefeitoRonaldoenósdasecretaria
estamos viabilizando as formas para atingirmos a nossa meta. Já
evoluímos bastante, tenho plena convicção que estamos fazendo
um bom trabalho para valorizar os profissionais, ofertando uma
infraestrutura de qualidade", ressalta Rosinea.
Creches recebem
climatizadores
Odontologia pede
ajuda na AlescA
participação do diretor de Turismo de Morro
Grande, Gislael Floriano, no 1º Encontro
de Guias e Condutores dos Aparados da
Serra - Cânions do Brasil, que foi realizado
na cidade de Jacinto Machado, ajudou a
trazer a 2ª edição do encontro, em 2018, para cidade de Morro
Grande. O encontro visa qualificação e integração dos guias e
condutores de todas as regiões. Os profissionais receberam no
evento noções de primeiros socorros e animais peçonhentos
dentrediversaspalestrassobregeologia,histórialocaleregional,
projeto geoparque e no ultimo dia tiveram a entrada técnica na
Trilha do Tigre Preto.
Em defesa a realização do evento no próximo ano em sua
cidade, Gislael relatou que o município possui um potencial
magnifico, que o turismo está em ascensão e que é muito impor-
tante para o município receber guias, condutores, representantes
de operadoras e agências de turismo da região dos Cânions para
JORNAL CORREIO DO SUL
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
Os pequenos
‘bombeiros’
de Araranguá
valorizam
a bonita
profissão que
encanta tanto
as crianças.
Presidente da Câmara de Araranguá, Daniel
Viriato, sobre projeto Vereador Mirim
"É preciso que as crianças conheçam e
entendam como funciona a estrutura destes
poderes e aproximar a população da sua
importância"
Próximo Encontro de Guias
será em Morro Grande
troca de expe-
riencias e para
q u e f i r m e m
parcerias com
profissionais do
município mor-
rograndense. A
propostafoifeita
visando também
a qualificação
para novos condutores, a formatação de algumas trilhas do
município de maneira adequada e a divulgação dos potenciais
para atrair turistas, trazendo movimento e renda para empre-
endimentos e trabalhos prazerosos a condutores de atrativos
locais. Em breve, uma reunião com todos os membros do
Comtur juntamente com guias e condutores vão decidir a data
da realização do evento.
6 PublicidadeJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
7Especial Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
A
gricultura
sintrópica.
O nome
pode pa-
recer es-
tranho, mas o objetivo desse
novo modo de cultivar comida
épreservaranaturezaegarantir
uma alimentação de qualidade
a quem vive no campo. Para
falar mais sobre essa maneira
revolucionária de plantar, doze
pessoas se reuniram neste sá-
bado em um simpático sítio na
localidade de Linha Floresta,
em Sombrio. A proprieda-
de pertence a Eliane Vefago,
professora e apaixonada pelo
trabalho na roça. “Cresci no
campo e me preocupo com a
alimentação há muitos anos.
Eu queria ter uma horta maior,
e conheci a proposta da agri-
cultura sintrópica, que é meio
queumconsórcioentrefloresta
e hortaliças”, comenta ela. O
conceito é diferente, é verdade,
mas segundo Eliane, é preciso
expandir mais essa preocu-
pação com saúde, para que
mais pessoas conheçam esse
tipo de sistema. “Gostei muito
dessa proposta de alimentos
sem agrotóxico, ainda com a
questãoambiental,emconjunto
com as árvores”, diz. Após um
cursoemFlorianópolis,elagos-
tou do que aprendeu, resolveu
aprofundarosconhecimentose
começouaconheceroutraspes-
soas interessadas no assunto.
Cerca de um ano depois, teve
a ideia de trazer um curso para
sua própria horta. “Convidei o
Gustavo para fazer um curso
aqui, e chamamos outros co-
legas. Na própria propriedade
a gente começa a se preocupar
comomeioambiente,eogrupo
começa a conversar sobre o
que fez e faz em suas terras”,
comenta. Mas não é só isso.
Ela garante que se cercar de
natureza e trabalhar na terra
aproxima diferentes pessoas.
“A gente começa a ver as afi-
nidades, se entende mais, e se
todos estão aqui é por que gos-
tam.Entãoestoumuitofelizem
oferecer o espaço”, declara. O
engenheiroagrônomoGustavo
Tramontim Ronçani é natural
de Jacinto Machado, mas mora
em Florianópolis. Foi ele que
ministrou o curso com teoria e
prática envolvendo a agricul-
tura sintrópica. “É uma forma
de manejo que busca produzir
alimentos sem agrotóxicos,
com qualidade, e melhorar o
solo,emconjuntocomárvores,
tudo para melhorar o ambiente
e criar o próprio adubo”, expli-
ca. Durante o dia, os inscritos
no curso aprenderam sobre
técnicas da agricultura sintró-
pica, além de colocar a mão na
horta e prepararem canteiros
com serragem, folhas e outros
materiais ecológicos para o
plantio. Também teve almoço
e lanche, tudo feito na cozinha
Agricultura Sintrópica
Ação promove limpeza do Rio Araranguá
Aconteceu na manhã de
sábado, com saída da Praça
Central de Araranguá, às 10
horas e término por volta das
15 horas, a primeira edição
do projeto socioambiental
Nosso Rio Nossa Mata Ciliar,
idealizado por Giovani Rosa
e realizado em parceria com
empresas privadas, entidades
sociais e órgãos públicos. O
projeto retirou sete toneladas
de lixo e entulho, tanto de
dentro das águas, quanto das
margens do Rio Araranguá,
fixou dez placas educativas
e reflorestou três quilômetros
após a ponte pênsil, do bairro
Barranca, em direção a comu-
nidade de Volta do Silveira.
Toda uma estrutura foi
montada na praça, com fi-
chas de inscrições, lanches e
camisetas para os voluntários
que realizaram a limpeza,
colocação de placas e plantio
de mudas de ipês. No dia 24
do mês passado aconteceu a
primeira tentativa de realiza-
ção da limpeza, mas a chuva
atrapalhou e apesar de alguns
voluntários se dirigirem até a
Praça Central, a organização
achou melhor transferir o
evento para este sábado, onde
cerca de 60 pessoas partici-
param.
Giovani Rosa prevê a
fomentação do turismo na-
vegável. “Desenvolvemos
quatro ações, limpamos o rio
por dentro, na parte navegá-
vel, por terra, nas margens,
colocamos dez placas educa-
tiva e plantamos Ipês floridos,
para revitalização do Rio
Araranguá. Num futuro bem
próximo iremos desenvolver
uma rota turística navegável,
assim vamos, com esta ação,
embelezar nossa cidade e fo-
mentar o turismo”, ponderou
Giovani, que acrescentou que
ainda há muito que fazer.
Gislaine Fontoura
Araranguá
Aline Bauer
Sombrio
Grupo se reuniu para, na prática, aprender mais sobre agricultura sintrópica
Placas e mudas foram colocadas nas margens do rio
dosítio.SegundoGustavo,esse
novo jeito de produzir comida,
aliando plantio de hortaliças e
frutas a árvores, tem ganhado
muitos adeptos. “Tem muita
gente buscando conhecimento,
começandoafazer.Atendência
é que vá se expandindo. É uma
alternativa para mantermos as
pessoas no campo”, comenta.
Para ele, o manejo não é tão
complicado quando o sistema
jáfoiinstalado.“Naagricultura
sintrópicaaspragastêmmenos
chancesdeatacar.Nãofocamos
no problema, mas nas causas.
O que precisamos fazer para
melhorar? Temos que trazer
elementos que a natureza já
tenha ou produza”, diz. Edí-
lio Generoso da Rosa planta
pitaya orgânica em Sombrio,
e está implantando o sistema
sintrópiconapropriedade.Para
ele,osistemaéofuturodaagri-
cultura. “Eu me apaixonei pelo
conceito.Assim que se começa
o manejo a diferença é notável.
É uma forma revolucionária
de plantar”, comenta. Sobre
o que os agricultores mais te-
mem, as pragas que destroem
as lavouras, Edílio garante
que não é difícil controlar sem
agrotóxicos,vistoqueaprópria
natureza se encarrega de evitar
qualquerinfestação.“Aspragas
nãoatacam,porquenósusamos
insetos do ecossistema a nosso
favor. É o jeito como Deus
deixou a natureza, e funciona
bem assim”, completa.
Curso ensina sobre
hortaliças entre árvores
EntretenimentoEntretenimentoNovelas - Horóscopo - Diversão
Cruzadinha Novelas
E
m Lisboa, José Au-
gusto e Firmino fogem
com Mariana nos bra-
ços. Martim e Josefina pro-
curam pela filha. Em Morros
Verdes, Delfina ameaça
Fernão. Moniz aconselha
Fernão a se casar com Te-
reza e não desafiar Delfina.
No Rio, Maria Vitória comenta com Geraldo que voltará
a Portugal. Lucinda ouve quando Inácio diz a Falcão
que gostaria de rever o rosto de Maria Vitória. Edgar se
recupera de seu acidente. Olímpia confronta Januária e
garante que não desistirá de Edgar.
Tempo de Amar -18h
L
uíza e Eric discutem.
Malagueta comenta
com Maria Pia que Eric
terá problemas com a polí-
cia. Wanderley insiste para
que Sandra Helena liberte
Agnaldo. Douglas avisa a
Gabriel que o matriculou na
escola. Sandra Helena paga
a fiança de Agnaldo. Pedrinho apresenta Arlete como sua
namorada a Luíza e Eric. Lourenço conversa com Maria
Pia sobre Athaíde. Domênico alerta a equipe para um e-
-mail com documentos comprometedores.
C
lara garante a Renato
que não foi agredida
por Gael. Elizabeth
repreende Renan por tê-
-la beijado. Clara revela a
Nicácio que foi agredida.
Nádia faz intriga de Cla-
ra para Lorena. Samuel
convida Suzy para jantar.
Clara visita Josafá e esconde seu estado. Gael busca o
apoio de Estela. Bruno tenta beijar Raquel. Lorena alerta
Vinicius sobre Gael. Renan confessa que se apaixonou
por Elizabeth e Jô insiste que a esposa de Henrique se
encontre com o empresário.
OOutroLadodoParaíso-21h
Pega Pega -19h
Rapidinhas
Áries 21/03 a 20/04
21/04 a 20/05
21/05 a 20/06
21/06 a 20/07
21/07 a 20/08
21/08 a 20/09
21/09 a 20/10
21/10 a 20/11
21/11 a 20/12
21/12 a 20/01
21/01 a 20/02
21/02 a 20/03
Leão
HoróscopoHoróscopo
Sagitário
Gêmeos Libra Aquário
Touro
Deixe as coisas acontecerem naturalmente, a
força do Sol será muito intensa. Use a sua intuição
para os negócios e para as relações interpessoais.
Não deixe que Vênus te carregue para solidão,
aja de forma destemida.
Sentirá um pouco o peso das responsabilidades
que foram adiadas. Irá demonstrar ser muito ha-
bilidoso neste dia. Marte e Plutão podem te levar
a uma situação de desconforto e retirante. Porém
continue confiante nas suas decisões.
Tente evitar ser tão curioso e ficar mexendo nas
coisas dos outros. O elemento ar irá influenciar
de forma positiva. Saturno nesta fase passará in-
fluenciando Júpiter nesta constelação.Ambientes
harmoniosos lhe ajudarão muito.
Encontrará a estabilidade emocional que lhe falta-
va. Marte terá uma boa influência para este signo
no campo emocional. Suas relações tendem a
ficarem mais apuradas, porém sem decisões de
grande intensidade neste dia.
Uma breve passagem de Netuno pode influenciar
um pouco no seu carisma. Você precisará buscar
energias para enfrentar o afastamento de determi-
nadas pessoas. Seu corpo caminhará de acordo
com a sua mente.
Aterra irá ajudar você a ser um pouco mais prático.
Haverá uma influência muito grande deste elemen-
to sobre os outros planetas. Será propício para
explorar com outras pessoas de touro ambientes
abertos e naturais.
Os eventos em Saturno vão desenvolver ativida-
des positivas para você. Deixaram uma energia
positiva para o seu equilíbrio. Ajudará também a
diferenciar determinadas situações que pareciam
muito confusas anteriormente.
Em Plutão haverá algumas intermitências, que
farão com que você tenha uma vontade imensa
de querer vencer. Se sentirá mais instigado a
apostar em coisas novas. Haverá um ciclo a ser
renovado dentro da sua vida.
Uma forte energia será gerada por Júpiter em
referência a esta constelação. Aproveitar este
maravilhoso momento fará com que você sinta
uma forte vontade de agir. Alguns momentos
passarão sem preocupação.
Terá uma mudança significativa em marte para
este signo. Ressaltará um aspecto mais arrojado
e competitivo. A sua praticidade irá ser demasia-
damente transformadora. A sua cardinalidade
também aponta para sorte.
As atividades em mercúrio serão um pouco
turbulentas para este signo. Seu lado extrava-
gante será positivo e negativo em momentos
intermitentes. A atenção deve ser redobrada
para que não aja nenhum transtorno.
Na transição da Lua ocorrerá eventos favoráveis
para Peixes. Deixará você mais determinado para
as questões ligadas ao relacionamento. Mostrará
uma fácil aproximação de Virgem e Câncer. O
carinho estará bem presente.
Virgem Capricórnio
Câncer Escorpião Peixes
Neste fim de semana, Tom Cavalcante se
encontrou com Fausto Silva e Antônio Fagundes
e fez questão de postar fotos nas redes sociais.
Todos estavam acompanhados de suas famílias,
na hora do clique. No Instagram, o comediante
eternizou o momento com um clique e escreveu:
"Entre amigos amados!"
Na noite do último sábado (28), Sabrina Sato
e o namorado Duda Nagle, foram assistir as lutas
principais de UFC que aconteceram no Ginásio
do Ibirapuera, em São Paulo.Além do casal, o
lutador Minotauro, a atleta Hortência, e os atores
João Vicente de Castro e Sérgio Mallandro tam-
bém marcaram presença no evento.
JORNAL CORREIO DO SUL
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
9Geral Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
C
om a populariza-
ção dos celulares
com boas câme-
ras fotográficas, muita gente
imaginou que seria o fim dos
fotógrafos profissionais. Po-
rém, eles se mantêm em alta,
e desbravando novos segmen-
tos. Foi este bom momento do
mercado, aliado a paixão pela
fotografia, que levou o jovem
casal Tauane Schmitt e Rodri-
go Henrique a enveredar pela
profissão. “Hoje todo mundo
pode fotografar, mas as pes-
soas continuam querendo algo
mais profissional, que tem um
olhar diferenciado”, acredita
Rodrigo. E o trabalho vai além
de fazer as imagens, incluindo
também a edição, capaz de dar
perfeição a uma imagem.
Rodrigo e Tauane, que
moram no bairro São Francis-
co, em Sombrio, são contrata-
dos principalmente para regis-
trar aniversários e casamentos,
as celebrações mais comuns.
No entanto, a atuação deles
vai muito além do que fazia
o fotógrafo de antigamente,
que aparecia somente no mo-
mento da festa e batia fotos de
pessoas fazendo pose. “Nós
procuramosconheceroscasais
ouaaniversarianteantes,saber
o que querem exatamente e
registrar momentos de forma
espontânea”,explicam.Acom-
panhando a tendência, eles
passam até dois dias com os
noivos,fotografandoemlocais
comoaSerradoRiodoRastro,
Torres e outros belos cenários.
Com a qualidade do ser-
viço e o tempo, veio o reco-
nhecimento do estúdioTauane
Schmitt, que tem a agenda
lotada. Eles têm compromisso
todos os finais de semana e
já foram contratados até para
fotografar um casório no Mato
Grosso. Por isso, a dupla reco-
menda que as pessoas entrem
em contato para marcar a data
deseuevento,compelomenos
um ano de antecedência.
No site da empresa,Taua-
ne conta como começou sua
paixão por fotografar casa-
mentos, leia um trecho.
“Não comecei na fotogra-
fiajádecididaemqualáreairia
seguir, por isso experimentei
de tudo, fiz vários ensaios e
fui ganhando experiência,
fiquei quase um ano dessa
forma, estudando e aplicando
tudo!! Nesse meio tempo eu
via algumas fotos de casamen-
to e assim comecei a estudar
e fazer cursos específicos
para casamento. Não sabia se
iria gostar, afinal, nunca tinha
fotografado um...
Com o tempo surgiu
uma oportunidade de fazer o
meu primeiro casamento e
isso abriu meus olhos e eu
me APAIXONEI. Eu estava
muito nervosa (óbvio) parecia
que era eu que ia casar hahah,
mas ao mesmo tempo eu tinha
que ficar bem, afinal, eu tinha
que passar tranquilidade pra
noiva e garantir que tudo daria
certo. Mas para ser sincera, foi
esse frio na barriga que me fez
amar o que estava fazendo,
sabe aquela sensação de bor-
boleta no estômago que todo
mundo fala? Pois é, descobri
o que era isso, e essa emoção,
essa adrenalina que eu senti,
eu queria sentir de novo e de
novo...”
Num Click
Senhora publica livro de
receitas após os 80 anos
Os novos olhares na fotografia
Eva Krás Borges é uma
senhora de 86 anos, muito
ativa que participa do Lions
Clube Araranguá Centro, da
Rede Feminina de Combate ao
Câncereadoracozinhar,princi-
palmente doces. Eva escreveu
um livro de receitas, chamado
“O Paraíso dos Sabores Doces
e Salgados”. Ela nasceu em
Torres, no Rio Grande do Sul e
começou a gostar de fazer bolo
aos12anosdeidade,quandoia
com a prima na padaria do tio,
naquele município e aprendeu
com o tio e com a mãe a con-
feccionar os doces.
Em dezembro de 1947,
Eva veio para Araranguá com
os pais, que abriram uma far-
mácianacidade.Ospaisforam
emboraeelajátinhaumnamo-
rado, casou e ficou morando
em Araranguá, onde montou
famíliacomomaridoHamilton
Tournier e da união nasceram
cinco filhos. Já casada, a se-
nhora foi para Porto Alegre
fazer um curso de docinhos e
bolos artísticos, ao longo dos
anos,elafezmaiscursosevirou
profissional, começou a fazer
doces e bolos para vender e
trabalha com esta ocupação até
os dias de hoje. “Já fiz torta de
gente que já é até avô, até hoje
faço torta, faço docinho para
os aniversários dos netos, bis-
netos e por encomenda, ainda
vendo. Trabalho com salgados
também, mas gosto mais é de
fazer doce”, declarou.
Em 2011 o filho, que na
época tinha 40 anos, faleceu,
para se distrair, Eva começou
a escrever um livro de receitas
para deixar para os netos e
foi incentivada pela família a
publicá-lo. A obra, com 150
receitas de doces e salgados,
levou um ano para ficar pronta
e em 2012 foi publicada com
impressão de um mil exempla-
res. Os livros são vendidos ao
custo de R$ 25 em alguns pon-
tosdacidade,comoaFarmácia
de Manipulação Tournier, no
Centro de Araranguá, nos Su-
permercados Sete e Abimar e
na Padaria Santa Clara.
Dona Eva é viúva há dois
anos,temumafuncionária,que
trabalha com ela na casa e lhe
faz companhia, ela diz que é
muito paparicada pelos filhos
e netos, com quem convive
bastante.“Tenhoumavidatran-
quila, graças a Deus, além das
associações, frequento a Igreja
Católica, já cantei muito no
coral da igreja”, revelou.
As receitas de dona Eva
que fazem mais sucesso são a
datortademorangoedechoco-
late com nozes, foi ela mesma
quem fez os bolos das festas de
50e60anosdecasada.Aescri-
tora autorizou a publicação na
reportagem da receita da trota
de morango.
Ingredientes: oito claras
em neve, oito gemas peneira-
das, três xícaras de farinha de
trigo, duas xícaras de açúcar e
uma colherinha de essência de
baunilha.
Preparo: na batedeira em
velocidade máxima, bater as
claras em neve, acrescentar o
açúcaratéficarfirme,acrescen-
tar as gemas peneiradas, bater
mais um pouco até misturar
bem,aospoucosvámisturando
afarinhapeneiradaeporúltimo
a baunilha.
Assar em forno médio por
30 minutos, em forma com 30
cm de diâmetro. Deixe esfriar.
Recheio: uma lata de leite
condensado, um litro de leite
integral, uma colher de man-
teiga sem sal, duas colheres
de amido de milho, três gemas
peneiradas. Misturar tudo e
deixar ferver até engrossar.
Espere esfriar.
Cobertura: Um quilo de
morangos maduros frescos, la-
vadosemsucodelaranja,secar
bememtoalhadepapel,separar
osmenores,esmagá-loseferver
com uma xícara de açúcar até
amolecer e usar para molhar
o bolo. Os morangos maiores
devem ficar para enfeitar a
cobertura. Cobrir com o mes-
mo creme do recheio ou com
chantily ou merengue.
Casamentos
e borboletas
Torta de
Morango
Gislaine Fontoura
Araranguá
Marivânia Farias
Sombrio
Casal fotografa casamentos e festas, e fala sobre profissão que amam
Dona Eva revelou em livro seus segredos culinários
10 PublicidadeJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
11Geral Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
O
Vale do Araran-
guá se mobilizou
na tarde de sexta-
-feira, para mostrar ao Minis-
tério da Educação – MEC, a
importância da implantação
do curso de Medicina na Uni-
versidade Federal de Santa
Catarina – Ufsc, campus Ara-
ranguá.
Em reunião na sede da
Associação Empresarial de
Araranguá e Extremo Sul
Catarinense – Aciva, apro-
ximadamente 120 pessoas
ocuparam todos os espaços
do auditório da entidade, para
acompanhar a visita técnica da
ComissãodeAcompanhamen-
toeMonitoramentodeEscolas
Médicas – Camem.
Representada pelos mé-
dicos Edson Arpini Miguel,
da Universidade Federal de
Viçosa e Rosângela Minardi
Mitre Cotta, da Universidade
Federal de Maringá, o Camem
revelou que a visita é dividida
em duas etapas: docente e
estrutural. “Primeiro nos reu-
nimos com o corpo docente, e
após, analisamos as condições
da universidade, de seus labo-
ratórios e salas. Nosso papel é
apontar em um relatório o que
está bom, e o que vai precisar
ser melhorado, para o curso
ser implementado”, ressaltou
Miguel.
Rosangela foi mais além,
revelando que hoje,Araranguá
tem a infraestrutura necessária
para o curso ser autorizado
pelo MEC. “Temos que enviar
umrelatórioaoMEC,eoMEC
em cima do relatório, autoriza,
ou não, o curso. Mas nossa
avaliação é que tem condições
de funcionar (o curso de Medi-
cinaemAraranguá),comalgu-
mas poucas alterações”, disse.
A visita técnica se es-
tendeu até o dia 28, quando
os representantes do Camem
enviaramaoMECumrelatório
sobre as condições para a im-
plantação do curso. A comis-
são ainda revelou que o MEC
vaianalisarorelatórioedarum
prazoparaauniversidadefazer
os ajustes. “Após isso, volta a
comissão (a cidade) para fazer
ochecklist,paraversetudofoi
contemplado e aí sim, o curso
será definitivamente autoriza-
do”, concluiu Rosangela.
Mais Perto
PlanodeRecursosHídricosestánaretafinal
MECestáotimistasobrecurso
de Medicina em Araranguá
Com objetivo de con-
tribuir para a criação de um
documento que avalie se a
quantidade e qualidade da
água de Santa Catarina é
adequada e suficiente para as
projeções de futuro, membros
do Comitê da Bacia do Rio
Araranguá participaram do úl-
timo debate do Plano Estadual
deRecursosHídricosnosuldo
estado antes da conclusão da
3ª etapa do estudo. A reunião
aconteceu na tarde de quinta-
-feira, na sede da Epagri, em
Araranguá.
Aação é organizada pela
Secretaria de Desenvolvi-
mento Econômico Sustentá-
vel (SDS), Fundação Certi
e Comitê da Bacia do Rio
Araranguá e Afluentes Cata-
rinenses do Mampituba. “Na
primeira fase conhecemos
o cenário atual dos recursos
hídricos do estado, como qual
a quantidade e qualidade da
água que existe, atualmente,
em Santa Catarina. Na segun-
da etapa, determinamos se as
regiões estão preparadas para
receber a demanda de água
dos próximos anos. Por fim,
nesta terceira fase, estamos
definindo um Plano de Ações
a ser executado pelo Poder
Público, na busca de preservar
esse bem tão precioso”, ex-
plica o engenheiro sanitarista
ambiental e gerente do Plano
deRecursosHídricos,Vinicius
Ragghianti.
Nesta quinta-feira, ocor-
reu a última reunião de tra-
balho preparatória antes do
fechamento do Plano, que
deve ser concluído para apre-
sentação à comunidade em 30
dias. “Trouxemos uma prévia
da terceira parte para analisar-
mos, junto com o Comitê, se
havia algum ponto faltando e
a necessidade de incluir algum
outro detalhe. O objetivo é que
o estudo saia também com a
cara do Comitê Araranguá,
retratando a atual realidade
das águas no sul catarinense”,
completa Ragghianti.
O presidente do Comitê,
Sérgio Marini, acredita que
foi uma ótima oportunidade
para a última avaliação do
documento, antes de sua fi-
nalização. “E também uma
grande oportunidade de parti-
ciparmos ativamentedo futuro
das nossas águas, porque se
não fizermos algo para pre-
servar o que resta, com certeza
não teremos em quantidade e
qualidadesuficienteparatodos
nos próximos anos”, finaliza.
Avaliadores alegaram que a estrutura é adequada na Ufsc para receber o curso
Encontro fez a última análise antes da conclusão do Plano
Araranguá
Araranguá
12 PublicidadeJORNAL CORREIO DO SUL
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
5ANOSDE GARANTIA
COMPRESSOR
1ANODE GARANTIA
TOTAL
VENDAS
INSTALAÇÃO
MANUNTENÇÃO
Av. Nereu Ramos, Nº786, Centro - Sombrio
Chame no Whats
Por
R$1.399,00á vista
Ligue e agende uma visita
12000 Btus
Limpeza a partir
de R$ 69,00
9000 Btus
Q/F
A
Verificarregrasdapromoção/imagensmeramenteilustrativas.
(48) 3533-3645 (48) 9.9961-2222
1ANODE GARANTIA
TOTAL
FrioFrioFrio
Preçosomentemedianteanossainstalação,instal.nãoinclusa,limpezaapenasparaarde7000btus.s/deslocamento
Por
R$ 1.799,00
1+4 de R$ 379,80ou
Mais Conforto &
Mais Economia
CONTROLE REMOTO LUMINOSO21°c
FILTRO ANTIPOEIRA
TURBO
Av. Papa João XXIII, 438, Parque das Avenidas, Sombrio - SC
13Publicidade Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
14 PublicidadeJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
E
le é jovem, só
tem 24 anos,
mas já tem mui-
ta história para
contar. Murilo
Gonçalves, o menino dos
balões, cozinha, surfa altas
ondas, se diverte e tem a
graça de poucos de poder
trabalhar com o que ama.
Conhecido na região por
ser o organizador do 1°
festival de balonismo de
Balneário Gaivota, ele é
calmo apesar de ter um
gosto por esportes radicais,
e conta sua história com o
brilho das realizações nos
olhos. Qualquer um que
escuta o rapaz sabe que
ele, assim como com seu
balão, na vida ele também
vai cada vez mais longe.
JORNAL CORREIO DO SUL
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
ALISSANDRA PAGANINI
ali@grupocorreiodosul.com.br facebook.com/alissandrapaganini
EmpresarialEmpresarial
Sushi
Sempre trabalhei com meu pai, e cursei faculdade em
gestão de turismo. Isso abriu um leque de oportunidades,
uma delas na gastronomia. Eu estava de gerente no
restaurante, e comecei fazendo sushi. Parece que deu
certo. Larguei o restaurante e fiquei só nisso.Apartir dali,
conheci muita gente.
Os Caras da Camiseta de Balão
Vi aque-
les caras
com uma
camiseta
que tinha
um balão
na frente, e
comecei a
conversar
com eles.
Me convidaram para comer um churrasco, e aí vi uma
oportunidade de ir atrás do sonho que eu tinha desde pe-
queno, de conhecer os balões. Pensei então em investir,
mas não pensava em ser piloto agora. Comecei a fazer
um curso, e foi aflorando essa vontade de me envolver.
Verão Trabalhoso
Trabalhei um verão inteiro na praia só para comprar o
equipamento do balão. Foi exaustivo, mas valeu a pena.
Comecei a fazer alguns voos, indo em alguns eventos do
esporte e fazendo voos turísticos.
Nas Alturas
Começamos nesse projeto novo que está se desenvolven-
do. Estamos planejando voos na cidade de Praia Grande,
com parcerias lá. Por enquanto, toda semana estamos
fazendo um voo. Tenho um balão grande que pode levar
até oito pessoas, e aí já começa a profissionalizar o ne-
gócio. Devagar, é uma ideia que pode emplacar.
Seriedade
Passa do hobby para o trabalho.Agente voa em um vale
que tem mar de um lado e montanhas do outro. A vista é
linda, mas é bastante responsabilidade.
Sonhador
É gratificante, tanto para turistas quanto para gente. Eu
digo para as crianças, que se emocionam, acham bonito,
que elas também podem fazer aquilo. Eu realizei aquele
sonho.
Através da Cerca
Eu tinha que incomodar a família para me levar no fes-
tival de balonismo. Tem um alambrado que divide os
balões do público, e eu desde pequeno ficava grudado
na cerca, admirando aqueles balões, pensando que um
dia eu poderia estar ali. Eu tinha uns 6, 7 anos. Comecei
a pesquisar sobre o esporte para aprender como voar.
Balonismo
É um esporte mágico. A gente cria a curiosidade para
saber como aquele objeto grande pode voar sem asas,
sem velocidade. Basicamente é sempre igual.As pessoas
acham muito grande, sobem no cesto com certo receio,
e a gente tem que passar confiança. É a aeronave mais
antiga e mais segura do mundo. Sempre voamos com
as condições ideais.
Um Menino das AlturasBrinde
No final do voo a gente faz um brinde, eu levo espuman-
te. A gente celebra poder estar juntos, a confiança deles
em mim, e agradece sempre a Deus por cada voo, que
é diferente, o que é muito legal.
Seguro, sim
Eu não consigo ver um risco no balão. Se você respeitar
as condições, vai ter um voo perfeito.
Herança
Eu tenho dois sobrinhos. O Lourenzo gosta muito de ba-
lão, mas não sei como vai ser quando for maior.AMarina
já andou comigo, decolou, e tá louca para voar de novo.
Quer levar as amigas todas.
16 PublicidadeJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
17Segurança Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
T
rês suspeitos
de terem as-
sassinadoDa-
niel Izidoro
Cardoso, aos
32 anos de idade, em maio de
2015, no município de Arroio
doSilva,responderampelocri-
me, perante o Tribunal do Júri
daComarcadeAraranguá,nes-
taquinta,sexta-feiraeprimeiras
horasdamadrugadadesábado.
MauricioAndradeVieira,de20
anos, Iago de Souza Dutra, de
23 anos e Rodrigo de Lima, de
20 anos, foram condenados e
retornaramaocárcerelogoapós
o julgamento.
A sessão solene, conside-
rada a mais longa já realizada
na Comarca, pelo menos nos
últimos dez anos, foi presidida
pela juíza de Direito Letícia
Pavei Cachoeira e teve como
representante do Ministério
Público,opromotorGabrielRi-
cardo Zanon Meyer. Doutor
Gabriel, em alguns de seus
pronunciamentos, elogiou o
trabalho realizado pela Polícia
Civil de Balneário Arroio do
Silva, na elucidação do caso,
principalmente o delegado Jair
Pereira Duarte, que presidiu o
Inquérito Policial e a agente de
PolíciaCivilVirgíniaCustódio,
De madrugada
Três são condenados em Júri
mais longo dos últimos anos
Gislaine Fontoura
Araranguá
O assassinato aconteceu em 2015, e réus já estavam presos acusados de outros crimes
A mãe e a irmã de Daniel compareceram ao julgamento
a quem o promotor classificou
como policial exemplar. “A
agente Virginia é uma policial
exemplar,quejátemidadepara
se aposentar e merece todos
os elogios pela carreira que
construiu, de forma dedicada e
honesta”, asseverou.
Na quinta-feira foram ou-
vidas todas as testemunhas de
acusação,dedefesaeosréuseo
julgamento durou até por volta
das19h30min,jánasexta-feira,
os trabalhos se estenderam e o
julgamento acabou na madru-
gada de sábado, por volta da
1h20min, com a condenação
de Iago, a 19 anos e dois meses
de reclusão; Maurício, a 15
anos de reclusão e Rodrigo, a
13 anos de reclusão, todos em
regime inicialmente fechado.
Os advogados, Diego Campos
Maciel, que defendeu Rodri-
go, José Luiz de Jesus, que
defendeu Maurício e Vicente
Machado, que defendeu Iago,
informaram que irão recorrer
da sentença.
Durante a sessão, a família
da vítima, que permaneceu
o tempo todo no plenário,
chorou quando o promotor
mostrou fotos de Daniel vivo
e também de sua ossada. “Eu
não sabia que meu filho tinha
sofrido tanto, eu acreditava
que ele tinha morrido quando
levou a primeira pancada, só
aqui eu descobri que meu filho
foi torturado antes de morrer”,
lamentou a mãe Tânia Regina
Izidoro, em conversa com esta
reportagem. Após a leitura da
sentença, a mãe de Daniel e a
irmã Gisele Izidoro Cardoso
comemoraram.“Finalmentefoi
feita a justiça, estamos satisfei-
tas com o resultado”, disseram.
A linha de defesa do ad-
vogado de Rodrigo foi a de
Coação Irresistível, em virtude
de Rodrigo ter sido ameaçado
de morte no dia dos fatos e a
subsidiária foi a de menor par-
ticipação no crime.Após a sen-
tença,DiegoCamposanunciou
que irá recorrer por entender
queosjuradosjulgaramcontra-
riamenteasprovasapresentadas
nos autos, pelo uso de algemas
durante a sessão e pela quebra
da incomunicabilidade dos
réus, já que Iago e Rodrigo fo-
ramcolocadosemummomento
em uma mesma cela.
Já, a linha de defesa do
advogado de Iago foi a de
negativa de autoria e a subsidi-
ária de participação de menor
importância. Vicente Machado
irá recorrer por uso de algemas
em plenário e por entender que
os jurados julgaram contraria-
mente as provas apresentadas
nos autos.
José Luís também traba-
lhou como tese principal a de
negativadeautoriaesubsidiária
adesemiimputabilidade.Ode-
fensor de Maurício vai recorrer
também por uso de algemas
durante a sessão e por entender
queosjuradosjulgaramcontra-
riamenteasprovasapresentadas
nos autos.
Daniel desapareceu em
maio de 2015 e em março de
2016 seus restos mortais foram
encontrados pela Polícia Civil
deArroio do Silva, na localida-
de deAreias Brancas.Avítima
morava,juntocomosacusados
de terem lhe assassinado, pró-
ximo de onde foi enterrada.
Segundo o Inquérito Po-
licial, Daniel estava no quarto
dormindo, no período da tarde,
quando foi surpreendido por
três jovens que o amarraram
e desferiram diversos golpes
com um martelo na região da
cabeça e um golpe de enxada
na região do pescoço. O corpo
de Daniel foi levado em uma
estrebaria, nos fundos do pátio
dacasaondemoravame,quan-
doanoiteceu,ostrêscolocaram
o corpo em cima de um cavalo
e andaram por cerca de 600
metros, até as dunas, onde os
assassinos o enterraram.
Ainvestigaçãoapurouque
motivação do crime foi dívida
de drogas e ciúmes, pois Iago
desconfiava que Daniel tinha
um caso com sua mulher.
Maurício e Rodrigo teriam
participado do assassinato,
a pedido de Iago, mentor do
crime.
ERRATA: Na edição de sexta-feira, 27/10/2017, do
Jornal Correio do Sul, na matéria intitulada: “Três são
levados a júri por homicídio”, a reportagem escreveu
erroneamente o nome de um dos advogados de defesa
do caso. Na verdade, o advogado de Rodrigo de Lima é
Diego Campos Maciel e não Diego Caldas, como saiu no
texto da matéria.
O crime
18 PublicidadeJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
14 PublicidadeJornal Correio do Sul
Sexta-Feira, 25 de Agosto de 2017
Av. Papa João XXIII, 438, Parque das Avenidas, Sombrio - SC
19Segurança Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
M
oradora do
interior do
município de
Sombrio, Elisângela de San-
tana Barbosa Martins, de 38
anos, foi julgada e condenada
a mais de 21 anos de prisão
nesta sexta-feira. O júri po-
pular aconteceu durante todo
o dia no fórum da comarca de
Sombrio e era um dos mais
esperados dos últimos anos.
A ré foi acusada de ho-
micídio triplamente qualifi-
cado contra um bebê recém-
-nascido. O julgamento foi
Justiça
PM prende três por tráfico
Mulher é condenada a mais
de 21 anos de prisão
Na noite de sexta-feira, a
Polícia Militar de Araranguá
recebeu uma denúncia de que
na Rua José Anastácio, no
bairro Jardim Cibele, alguns
homens estariam realizando
tráfico de entorpecentes.
Os policiais militares
foram até o local da denúncia
e efetuaram a abordagem de
três suspeitos e após a abor-
dagem, os militares entraram
na casa, autorizados pela
mãe de um dos suspeitos,
inclusive a mulher contou aos
policiais que o filho realizava
a venda de entorpecentes no
local.
Foram efetuadas buscas
na casa e os militares localiza-
ram 376 gramas de maconha,
embaladas em quantidades
separadas para venda, dinhei-
ro e três celulares. Diante dos
fatos, os três homens foram
detidos e encaminhados para
a Central de Plantão Policial
(CPP) de Araranguá, bem
como a droga, dinheiro e
celulares apreendidos.
Gislaine Fontoura
Araranguá
Sombrio
Apesar dos argumentos da defesa, o júri condenou Elisângela, que recorre em liberdade
A própria mãe do traficante confirmou o crime à Polícia
presidido pelo juiz da 2ª Vara
Criminal Evandro Volmar
Rizzo, tendo como represen-
tantes do Ministério Público
os promotores Guilherme
Luís Dutra e Pedro Luís
Vargas e na defesa a advo-
gadaAline da Silva Machado
Joaquim.
Elisângela aguardava
julgamento em liberdade,
acusada pelo homicídio tri-
plamente qualificado (moti-
vo torpe, meio cruel e sem
chance de defesa à vítima) da
própria filha recém-nascida.
O crime aconteceu em
2014, em Sombrio, quando a
criança logo após nascer foi
jogada dentro de um freezer
pela mãe. Na época, a mulher
que era viúva e tinha dois
filhos, passou a ter um rela-
cionamento amoroso com o
amigo do filho, de 16 anos.A
relação era mantida em sigilo
devido a diferença de idade e
a proibição do filho, que não
aceitava a mãe se envolvendo
com outro homem.
A mulher escondeu a
gravidez e na véspera do
parto, após sentir o rompi-
mento da bolsa, dirigiu-se ao
banheiro, sentou-se no vaso
sanitário e pariu o bebê ali
mesmo.
Segundo o Ministério
Público, “Após ter dado à
luz, de forma cruel e desuma-
na, fazendo uso de uma faca
de cozinha, Elisângela cortou
o cordão umbilical que a liga-
va ao bebê e, utilizando-se de
meio cruel e de artifícios que
tornaram impossível a defesa
da vítima, enrolou a criança
em três sacolas plásticas,
dando nós em todas elas e,
como se fosse um objeto
qualquer, levou a indefesa
criança, ainda viva, ao free-
zer de sua residência”.
Durante a manhã, foi
explanada detalhadamente
toda a linha de acusação, e
a defesa apresentou o crime
como infanticídio, alegando
que a mulher teria agido mo-
tivada pelo estado puerperal.
Mesmo com a ampla defesa,
o júri decidiu pela condena-
ção, e a pena foi de 21 anos
e quatro meses de prisão em
regime fechado. A defesa
vai recorrer e durante esse
tempo a mulher aguardará
em liberdade.
20 PublicidadeJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
21Geral Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
[PeloEstado] - Que balanço faz
desses nove meses à frente da SES?
Vicente Caropreso - A Secreta-
ria de Estado da Saúde lida com
um bem que não tem preço, mas
promover saúde tem custos. Eu
lido com uma situação surreal: a
Constituição de 1988 deu direitos
irrestritos, ou seja, são infinitas
as demandas para um orçamento
definido. Esse é um dos grandes
desafios para qualquer um que
sentar nesta cadeira. Encontrei
aqui uma realidade completamen-
te diferente da que vivemos em
Jaraguá do Sul, que não tem uma
presença tão forte ou essencial do
Estado de Santa Catarina. Quan-
do tem, são doações de órgãos es-
taduais ou federais, raros e fruto
do prestígio de uma pessoa ou de
outra que consegue aportar re-
cursos, principalmente hospitais.
[PE] - Que realidade o senhor en-
controu?
Caropreso - Aqui é totalmente
diferente. Existem municípios e
regiões em que a Saúde é comple-
tamente bancada pelo Estado, em
seus três níveis (municipal, esta-
dual e federal). O pensamento do
empresariado e das pessoas é com-
pletamente diferente daquele que
eu conhecia. Isso vai solidificando
cada vez mais a impressão de que
são três os níveis da saúde pública,
mas só dá certo quando entra um
quarto nível: o envolvimento da
comunidade, do setor empresarial
e do voluntariado. Aí sim as coisas
vão bem. E isso é muito impor-
tante, porque as pessoas precisam
saber quanto custa manter um
hospital público, uma organiza-
ção social (OS). E a repercussão
desses custos para o orçamento de
uma cidade! Existem municípios
que verdadeiramente investem em
saúde e outros que nada fazem,
que viram as costas.
[PE] - Do que está falando?
Caropreso - Vou dar um exemplo
– Florianópolis e São José. São
PeloEstado Entrevista VICENTE CAROPRESO
Natural de Blumenau, Vicente Augusto Caropreso é médico neurologista há quase
40 anos. Serviu como tenente-médico no 23° Batalhão de Infantaria de Blumenau e
logo depois se transferiu para Jaraguá do Sul, onde reside e exerce sua profissão desde
1984. Entre 1997 e 1999, atuou como vereador do município. Foi deputado federal por
Santa Catarina de 1999 a 2003 e em 2014 foi eleito deputado estadual. Na Assembleia
Legislativa, foi presidente das Comissão de Proteção dos Direitos da Criança e do
Adolescente e vice-presidente da Comissão de Saúde. Também foi membro das comissões
de Prevenção e Combate às Drogas e de Proteção Civil. Em 16 de janeiro, licenciou-se
do Legislativo para assumir o cargo de secretário de Estado da Saúde (SES). Nesta
entrevista exclusiva que concedeu à Coluna Pelo Estado, Caropreso fala dos muitos
desafios que enfrenta para dar conta de todas as tarefas de uma das mais complexas
secretarias. Ao final, fala um pouco sobre política e, em um tom quase enigmático, afirma
que tem medo de aventureiros: “Não acredito em milagreiros. Tenho receio das confusões
que poderemos viver com milagreiros que surgem do nada. Não sou radical e não gosto
de radicalismos. A divulgação a esmo de mentiras e o radicalismo têm dominado as
mídias sociais. Receio o que possa vir daí. Se não nos entendermos, os aventureiros vão
se instalar. Estamos vivendo a pior fase do país, com justiceiros surgindo e conquistando
seguidores”. Leia a íntegra da entrevista em centraldediarios.com.br.
municípios que recebem um gran-
de aporte de recursos do Estado,
porque ali estão as maiores estru-
turas hospitalares estaduais. Es-
sas prefeituras gastam o mínimo
na saúde, de uma maneira contro-
versa com Jaraguá, Blumenau e
outros municípios, onde não tem a
participação tão intensiva do Es-
tado. Há casos em que as prefei-
turas precisam aplicar o dobro do
que é previsto em saúde, porque
têm que manter plantão de UTI,
de emergência e urgência. Essa
situação é muito criticada, em Ja-
raguá do Sul, minha cidade, mas
também em muitas outras que já
percorri. Cobram a distribuição
equitativa dos recursos da saúde.
Sem o efetivo envolvimento das
comunidades nas administrações
hospitalares, cobrando e pressio-
nando, esse quadro não mudará.
[PE] - Que outros desafios en-
frenta no dia a dia da Secretaria?
Caropreso - O corporativismo e a
dificuldade de gerenciamento des-
sas grandes unidades hospitalares
são o meu maior desafio como
secretário. Por causa da comple-
xidade. Pequenos hospitais são
mais fáceis de administrar, mas
hospitais que fazem desde con-
serto de uma topada no dedo até
um transplante de medula óssea...
é muita coisa para gerenciar. E
esses hospitais da rede pública es-
tadual, que são 13, não têm pra-
ticamente nenhuma autonomia e
ainda sofrem com a pouquíssima
participação da comunidade. Al-
guns têm conselhos de voluntários
que ajudam nos momentos mais
críticos, entretanto, são exceção e
não regra. Sozinhos, essas 13 uni-
dades absorvem R$ 1,1 bilhão por
ano de um orçamento geral de R$
3,2 bilhões. Por outro lado, junto
com as cinco unidades mantidas
pelo Estado por meio de organi-
zações sociais, totalizando 18 hos-
pitais, cobrem 28% da população.
O restante é atendido por hospi-
tais filantrópicos, terceirizados,
privados, municipais. Isso cria
uma grande chiadeira, porque
todo mundo gostaria de ter alguns
equipamentos de ponta bancados
pelo Estado ou remuneração por
serviços muito melhor. E aí vem
outro grande problema...
[PE] - Qual?
Caropreso - O custo, que é muito
menor nos filantrópicos, me resol-
ve mais do que um custo muito
maior dos hospitais da rede pú-
blica e de OSs, que também são
bancadas pelo público. Por isso
estamos focados em modernizar a
gestão, rever os contratos de ges-
tão e implantar, pela primeira vez
na Secretaria, o gerenciamento
de todos os números produzidos
pelos hospitais do Estado. Hoje,
através do programa We Know
(Nós Sabemos), temos controle
sobre o tempo que uma pessoa
ficou internada no pronto-socor-
ro, quais as vagas de uma UTI,
o tempo para o atendimento de
uma pessoa em um pronto-socor-
ro, quem é o médico e qual a sua
produção, estoque de materiais e
medicamentos, inclusive indican-
do a data de vencimento.
[PE] - No que esse controle ajuda?
Caropreso - Garante uma perspec-
tiva boa de, pela primeira vez, fa-
zermos um orçamento real. Esta-
mos aplicando o sistema We Know
há cinco meses e já economizamos,
mantendo o mesmo nível de aten-
dimento, R$ 50 milhões, em insu-
mos, comprando melhor, contendo
desperdício, controlando horas
-extras. Por incrível que pareça,
isso nunca tinha acontecido na
Secretaria antes. E fizemos outros
cortes. Reduzimos em 50% o nú-
mero de terceirizados em funções
não relacionadas à atividade fim, a
prestação de serviços à população.
O contrato, que era de R$ 4,5 mi-
lhões por mês, caiu para R$ 3 mi-
lhões. Sem perda das condições de
trabalho. O Estado tem que cortar
dentro da sua própria carne.
[PE] - Qual a sua meta como se-
cretário da Saúde?
Caropreso - Deixar a área bem
mais organizada e com uma polí-
tica definida, processos que sejam
mantidos independentemente de
quem esteja secretário. Algumas
coisas eu vou resolver, mas em um
ano, não se pode resolver tudo. Te-
mos situações agudas que exigem
rápida solução, como transformar
mais unidades próprias em OSs.
Já estamos fazendo estudo de via-
bilidade técnica e financeira, para
logo podermos tomar a decisão.
A primeira deve ser a unidade de
Ibirama e a segunda, a de Lages.
Hospitais públicos estaduais, hoje
administrados diretamente pelo
Estado. As vantagens dessa mu-
dança são a redução de custos
com recursos humanos e a celeri-
dade na compra ou manutenção
de equipamentos, infraestrutura.
No mínimo, é possível reduzir em
20% o custo. Mas tudo será feito
de forma muito cautelosa para
não haver prejuízo aos serviços
prestados. A equação é lógica –
atender mais pessoas com a mes-
ma quantidade de recursos.
[PE] - Como o senhor está se sen-
tindo dentro do governo? Fica até
o prazo final para a desincompati-
bilização?
Caropreso - Política é como o céu,
num momento está carregado de
nuvens e noutro, limpo como céu
de brigadeiro. Tudo vai depender
do encaminhamento de várias
situações. Politicamente, tenho
um limite para suportar fatos ne-
gativos que possam afetar minha
imagem, minha trajetória. Vamos
ver como ficarão os repasses para
a Saúde, que vão me dar condi-
ções de honrar os compromis-
sos assumidos, sem sofrer mais
constrangimentos. Nos primeiros
quatro meses aqui, passamos por
situações bastantes críticas. Meu
relacionamento com o governa-
dor Colombo é muito bom. Só o
que eu preciso é que me repassem,
mensalmente, o que a Constitui-
ção determina. Sem isso, vivemos
situações de desgaste. Bilateral.
[PE] - Quais as suas pretensões
para 2018?
Caropreso - Sou um pré-candi-
dato à reeleição como deputado
estadual. Está havendo alguma
pressão para que eu concorra à
Câmara dos Deputados. Vamos
definir de acordo com o andar
da carruagem. O importante é
terminar bem o desafio na Se-
cretaria.
[PE] - O senhor receia respingos
do PSDB nacional na campanha
estadual do ano que vem?
Caropreso - Todos os partidos ti-
veram problemas. O PT, o PSD,
o PP, o PMDB... e o PSDB tam-
bém, pelo suposto envolvimento
do nosso presidente, o senador
Aécio Neves. A grande tarefa do
ano que vem não vai ser pedir
voto, mas convencer o eleitor a
sair de casa para votar. A políti-
ca é um ato contínuo. É preciso
estar muito bem, com a cabeça
muito tranquila, para saber fazer
essa ciência que é a política; tem
que deixar muito claro quais as
suas intenções, comprovar a sua
biografia e trabalhar bastante.
Não acredito em milagreiro. Te-
nho receio das confusões que po-
deremos viver com milagreiros
que surgem do nada. Não sou ra-
dical e não gosto de radicalismos.
A divulgação a esmo de mentiras
e o radicalismo têm dominado as
mídias sociais. Receio o que pos-
sa vir daí. Se não nos entender-
mos, os aventureiros vão se insta-
lar. Estamos vivendo a pior fase
do país, com justiceiros surgindo
e conquistando seguidores.
[PE] - Que partidos o senhor pre-
fere que estejam em aliança com o
PSDB em 2018?
Caropreso - A minha preferência é
que tenhamos a cabeça de chapa.
Ponto (risos).
“Estamos focados em modernizar a gestão”
Por Andréa Leonora
redacao@peloestado.com.br
LuisDebiasi
22 PublicidadeJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
23Publicidade Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
24 Publicações LegaisJornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
EDITAL DE SANTA CATARINA
MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO SUL
DECRETO Nº 092 DE 27 DE OUTUBRO DE 2017
“Abre Crédito Suplementar ao Orçamento Vigente da Prefeitura Municipal e dá outras providências”.
MOACIR FRANCISCO TEIXEIRA, Prefeito Municipal de São João do Sul, Estado de Santa Catarina,
no uso de suas atribuições legais e de acordo com o Art. 6º da Lei nº 1796 de 12 de dezembro 2016
(Lei Orçamentária);
DECRETA:
Art. 1º - Fica determinada a abertura de crédito adicional suplementar no valor de R$ 14.500,00
(quatorze mil e quinhentos reais), para cobertura de dotação do orçamento vigente da Prefeitura
Municipal, conforme segue:
0501 – SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
12.306.0128.2035 – Alimentação Escolar
3.3.90.00.00.00.00.00.0103 – Aplicações Diretas.......................R$ 14.500,00
TOTAL...............................................R$ 14.500,00
Art. 2º - Para cobertura da dotação do artigo primeiro será utilizado o provável excesso de arrecadação
de recurso vinculado do PNAE – Programa Nacional de Alimentação Escolar, verificado no exercício
corrente.
Art. 3º - Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.
Gabinete do Prefeito Municipal de São João do Sul, 27 de outubro de 2017.
MOACIR FRANCISCO TEIXEIRA
Prefeito Municipal
Publicado e registrado nesta Secretaria aos vinte e sete dias do mês de outubro do ano de dois mil
e dezessete.
TAISE DOS SANTOS ALVES
Secretária Municipal de Administração e Finanças
ESTADO DE SANTA CATARINA
MUNICÍPIO DE BALNEÁRIO ARROIO DO SILVA
AVISO DE LICITAÇÃO
PROCESSO LICITATÓRIO Nº 62/2017
PREGÃO PRESENCIAL Nº 37/2017
OBJETO:Aquisição de Veículo 0 km (zero quilômetro), ano/modelo de fabricação 2017/2018, modelo
sedan, para utilização na Gestão Municipal do SUAS/PBF e do Cadastro Único com a finalidade de
busca efetiva, atualização cadastral e demais serviços de gestão, no Município de Balneário Arroio
do Silva.
TIPO DE JULGAMENTO: Menor Preço por Item.
REGIME LEGAL: Mediante as especificações e condições previstas no Edital, sob a regência da Lei
10.520/2002, Lei nº 8.666/1993 e suas alterações, e Lei Complementar nº 123/2006.
ABERTURA DOS ENVELOPES: Iniciará às 14:00 horas, do dia 14 de novembro de 2017, na Sala
de Reuniões, na Sede da Prefeitura Municipal, situada na Avenida Santa Catarina, nº 1122, Centro,
na Cidade de Balneário Arroio do Silva/SC.
INFORMAÇÕES: Pessoalmente ou pelo telefone: (48) 3526-1445. E-mail: licitacao@arroiodosilva.
sc.gov.br
Balneário Arroio do Silva/SC, 27 de outubro de 2017.
JUSCELINO DA SILVA GUIMARÃES
Prefeito Municipal
ESTADO DE SANTA CATARINA
PREFEITURA MUNICIPAL DE SOMBRIO
FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE
AVISO DE LICITAÇÃO
PROCESSO LICITATÓRIO Nº 26/2017
PREGÃO PRESENCIAL Nº 26/2017
REGISTRO DE PREÇOS
Objeto: O presente procedimento licitatório tem por objetivo registrar preços para futura e eventual
contratação de empresa especializada para fornecimento de alimentos (leites) para fins medicinais
específicos e para suplementação de nutrição para distribuição gratuita por via judicial aos pacientes
cadastrados junto a secretaria municipal de saúde de Sombrio/SC, conforme especificações
constantes do Anexo I do Edital.
Tipo de julgamento: Menor Preço por Item.
Base Legal: Lei Federal 8.666, de 21 junho de 1993 e alterações posteriores.
Entrega dos envelopes: Os envelopes deverão ser entregues até as 10h00min do dia 14 de
Novembro de 2017, com inicio do credenciamento e abertura marcada para as 10h30min do dia 14
de Novembro de 2017.
Informações e cópia do edital: Departamento de Compras e Licitações da Prefeitura Municipal de
Sombrio - SC, sito a Av. Nereu Ramos, 186, Centro - Sombrio/SC, no horário das 08h00 às 13h00min
ou pelo Fone (48) 3533-6633.
Sombrio/SC, 26 de Outubro de 2017.
Gislane Dias da Cunha
Secretária Municipal de Saúde
SAMAE
BALNEÁRIO ARROIO DO SILVA
EXTRATO DO CONTRATO Nº 04/2017 – PROCESSO 04/2017 - CONTRATANTE: SERV. AUT.
MUN. AGUA E ESGOTO - SAMAE. CONTRATADO: J. DE SOUZA LOURENÇO - EPP. OBJETO:
Drenagem pluvial na Rua Farroupilha, no trecho compreendido entre a Avenida Santa Catarina e
Rua Guaporé, trecho de Rua este localizado no Loteamento Praia Arroio do Silva Zona Nova, com
extensão de 271,40 metros, nesse município de BalneárioArroio do Silva/SC. VALOR DO CONTRATO:
R$ 113.990,00 (cento e treze mil e novecentos e noventa reais). VIGÊNCIA: 27/04/2018.
25Publicidade Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
Grêmio fica na frente duas vezes,
mas Avaí busca empate e volta ao Z-4Porto Alegre
08-16-28-40-49-50
02-10-11-13-30-33
CONCURSO
1.711
DUPLA SENA
28/10
26-36-43-66-77
CONCURSO
4.518
QUINA
28/10
04-14-20-24-46-50
CONCURSO
1.982
MEGA SENA
28/10
A
um passo
da final da
América,
o Grêmio
descansou
seus titulares para o jogo da
volta contra o Barcelona-
-EQU, pela semifinal da
Libertadores. E mesmo com
time reserva, travou um due-
lo de igual para igual com
o Avaí, neste domingo, na
Ressacada, pela 31ª rodada
do Brasileirão. Fora de casa,
o Tricolor abriu o placar e
ficou em vantagem por duas
vezes na partida, mas cedeu
o empate em 2 a 2 ao rival,
com direito a reclamação em
um gol mal anulado de Bres-
san. Rafael Thyere e Kaio
marcaram para os gremistas,
em jogadas de Everton. Pe-
dro Castro e Leandro Silva
igualaram para o Leão, que
quase chegou à virada com
Maurinho e Joel no fim do
jogo, mas parou no traves-
são e nas defesas do goleiro
Paulo Victor.
Com o resulado, o Avaí
perdeu posições para a Ponte
Preta e para o Coxa. Com os
mesmos 35 pontos dos dois
rivais citados, assim como o
Sport, o Leão da Ilha termina
a rodada na 18ª posição por
conta do critério de desempa-
te - uma vitória a menos que
os adversários. O Grêmio,
com 51, tirou um ponto da
diferença para o Corinthians,
mas perdeu a chance de
encostar mais no líder, que
tropeçou no Brasileirão.
Na próxima rodada, o
Avai volta a campo primeiro.
No sábado, tem duelo direto
e importante diante do Cori-
tiba, na capital paranaense,
às 21h. O Grêmio entra em
campo novamente pelo Bra-
sileirão no domingo, às 17h,
diante do Flamengo, em casa.
Antes, porém, o Tricolor re-
cebe o Barcelona de Guaya-
quil, na quarta-feira, no jogo
de volta pelas semifinais da
Libertadores, às 21h45, na
Arena do Grêmio.
Mesmo com a formação
reserva, o Grêmio foi supe-
rior desde o início da partida,
com o controle da posse de
bola até abrir o placar com
Rafael Thyere, após boa
jogada de Everton e falha na
saída de bola do time da casa,
que sentia a pressão crescer
pelo gol rival e pela tabela
de classificação. O Tricolor
seguiu melhor e chegou a
ampliar a vantagem em gol
mal anulado de Bressan,
mas cedeu o empate para o
contestado Pedro Castro. O
volante aproveitou sobra de
escanteio e fez um golaço,
mas comemorou pouco e em
silêncio, antes de ser levan-
tado pelos companheiros. Os
donos da casa então cresce-
ram em campo, mas Everton
voltou a desequilibrar em
JORNAL CORREIO DO SUL
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
outra bela jogada individual
para servir Kaio, no segundo
gol gremista. A partir daí, o
Leão pressionou, mas em
vão, a meta rival.
Na etapa final, mesmo
sem substituições, o Leão
voltou melhor e partiu para
cima. Logo no primeiro
minuto quase empatou com
Leandro Silva, mas Paulo
Victor salvou. Judson tam-
bém tentou, da entrada da
área, e ficou no quase. O
Tricolor, porém, não estava
morto: em boa jogada de
Jael e Michel, o volante não
ampliou pelo misto de falta
de precisão e de sorte.
Sem alterar o placar,
Claudinei começou a mudar
oAvaí. Joel e Capa entraram
aos 15 minutos do segundo
tempo e, logo aos 17, o Leão
chegou ao empate. Na sobra
do escanteio, Betão chutou,
Leandro Silva deu desviou
e garantiu o placar igual na
Ressacada: 2 a 2. O lateral
direito quase levaria o time
da casa à virada, mas o
goleiro tricolor novamente
trabalhou para evitar o pior.
Precisando vencer para não
terminar a rodada no Z-4
novamente, o Leão insistiu
até o fim. Júnior Dutra bateu
de longe, mas não assustou,
diferente de Maurinho, que
soltou uma bomba de fora
da área e fez a estrutura da
meta gremista tremer ao
acertar o travessão. Paulo
Victor ainda faria mais um
milagre, aos 42, em cabe-
ceio a queima-roupa de Joel
para garantir a igualdade na
Ressacada.
Guto reconhece Inter "abaixo"
e pede paciência por acesso
Araranguá
Porto Alegre
Nesse domingo o Ara-
ranguá venceu o Interna-
cional de São Defende, pelo
placar de 2 x 1 de virada.
O primeiro jogo do mata-
U
ma frus-
tração do
tamanho
do Beira-
-Rio para
os colorados neste sábado.
Os mais de 38 mil presentes
esperavam uma vitória den-
tro de casa para chegar ao nú-
mero considerado suficiente
para o acesso, ainda que
sem a chancela matemática.
Mas o Ceará acabou com os
planos do Inter. A derrota
por 1 a 0 foi vista por Guto
Ferreira como uma partida
"competitiva" dos colorados,
mas abaixo das últimas atu-
ações. O comandante pediu
paciência para os torcedores
pela garantia da presença na
Série A em 2018.
Se vencesse, o Inter che-
garia aos 64 pontos, o que
virtualmente garantiria o
acesso. No entanto, um gol
de Elton impediu tal situação.
São mais seis rodadas para
tal, o que faz o treinador
manter a calma e valorizar
a liderança da Série B, três
pontos à frente justamente
do Ceará.
– Estivemos abaixo do
que vínhamos jogando, mas
ainda assim fizemos um jogo
competitivo. Não consegui-
mos chegar com chances
claras, mas eles também não.
Foi um primeiro tempo muito
parelho. No segundo tempo,
quando estávamos melhor na
partida, acabaram achando
um espaço e fizeram o 1 a
0. A mudança criou vários
oportunidades, mas não criou
o principal, o gol. Infeliz-
Brasileirão
Série A
Brasileirão
Série B
27Esporte
-mata das quartas de finais
do Campeonato Regional da
Larm, aconteceu no Estádio
Olavo de Assis Sartori, em
Criciúma. O Inter jogando
diante de sua torcida, abriu o
placar nos acréscimos do 1º
Jornal Correio do Sul
Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
mente, para a frustração de
todos, nossa, dos jogadores,
do torcedor que veio, não
conseguimos chegar no nú-
mero cabalístico. Paciência.
Tem seis rodadas para se jo-
gar ainda. Temos hoje ainda
a liderança pela campanha
que a gente fez até aqui. É
procurar fazer muito melhor
e buscar o resultado que
faltou – analisou o técnico.
O desempenho conside-
rado ruim pelos colorados,
que vaiaram o time após o
apito final, passa pelas au-
sências de Rodrigo Dourado
e Leandro Damião. Ques-
tionado sobre a necessidade
de minimizar as baixas de
ambos, lembrou as convoca-
ções da dupla para a seleção
brasileira – Dourado para
o ouro olímpico, enquanto
Damião em anos anteriores.
– Estamos falando de
dois jogadores, um recente-
mente no plantel de medalha
de ouro olímpico e outro
que já esteve em patamar de
Seleção. Não é fácil substi-
tuir dois desses jogadores.
E passa pela postura do
adversário. O Roberson acho
que esteve bem no jogo. O
Charles em uma situação de
amarelo, acabou se incomo-
dando e tendo uma conduta
um pouco inferior a partidas
brilhantes que ele fez. Não
vamos chegar aqui e colocar
a situação para esse lado. São
jogadores que são pilares da
equipe. Se mexe no pilar, cai
um pouco em termos de qua-
lidade. Não acho que é falta
de trabalho, é o momento
decisivo, essa reta final. Se
pega e começa a puxar a
tabela, semana passada o Ce-
ará, no último minuto, dentro
de casa, conseguiu o empate
contra o Figueirense. Que
até pouco tempo figurava na
zona de rebaixamento. Todo
mundo se entrega no limite e
os detalhes fazem diferença.
Hoje isso aconteceu contra
nós – explicou Guto.
Mesmo com o revés, o
Inter segue na liderança iso-
lada da Série B, com 61 pon-
tos, mas viu o próprio Ceará
encostar, na vice-liderança,
com 58. As perspectivas
de acesso, porém, seguem
inalteradas: basta mais uma
vitória para atingir os 64
pontos, o número considera-
do suficiente para garantir o
retorno à elite, embora ainda
não matematicamente. O In-
ter voltará a jogar na próxima
sexta-feira, às 19h15, contra
o CRB, dentro do Beira-Rio.
tempo, com Saimon. Na se-
gunda etapa, oAEC veio com
tudo tendo inúmeras chances,
e virou o jogo, com gols dos
meio campistas Marcel Eme-
rim e Maicon Viana. O jogo
da volta acontece dia 11 de
novembro, no Estádio Ma-
noel Gregório, bairro Santa
Catarina, em Araranguá. Os
Araranguaenses precisam
apenas de um empate, para
obter a classificação as semi-
finais da competição.
AEC vence e está a um empate da Semi
SEGUNDA-FEIRA, 30 DE OUTUBRO DE 2017

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Jornal digital 20 06-17
Jornal digital 20 06-17Jornal digital 20 06-17
Jornal digital 20 06-17
 
Jornal digital 13 08-18
Jornal digital 13 08-18Jornal digital 13 08-18
Jornal digital 13 08-18
 
Jornal digital 19-04-18
Jornal digital 19-04-18Jornal digital 19-04-18
Jornal digital 19-04-18
 
Jornal digital 24 11-2018
Jornal digital 24 11-2018Jornal digital 24 11-2018
Jornal digital 24 11-2018
 
Jornal digital 28 02-18
Jornal digital 28 02-18Jornal digital 28 02-18
Jornal digital 28 02-18
 
Jornal digital 18 10-2018
Jornal digital 18 10-2018Jornal digital 18 10-2018
Jornal digital 18 10-2018
 
Jornal digital 13 de janeiro de 2017
Jornal digital   13 de janeiro de 2017Jornal digital   13 de janeiro de 2017
Jornal digital 13 de janeiro de 2017
 
Jornal digital 14 06-17
Jornal digital 14 06-17Jornal digital 14 06-17
Jornal digital 14 06-17
 
Jornal digital 24-03-17
Jornal digital 24-03-17Jornal digital 24-03-17
Jornal digital 24-03-17
 
Jornal digital 04 04-18
Jornal digital 04 04-18Jornal digital 04 04-18
Jornal digital 04 04-18
 
Jornal digital 06 10-17
Jornal digital 06 10-17Jornal digital 06 10-17
Jornal digital 06 10-17
 
Jornal digital 22-03-17
Jornal digital 22-03-17Jornal digital 22-03-17
Jornal digital 22-03-17
 
Jornal digital 21 07-17
Jornal digital 21 07-17Jornal digital 21 07-17
Jornal digital 21 07-17
 
Jornal digital 10 04-18
Jornal digital 10 04-18Jornal digital 10 04-18
Jornal digital 10 04-18
 
Jornal digital 20 02-18
Jornal digital 20 02-18Jornal digital 20 02-18
Jornal digital 20 02-18
 
Jornal digital 09 08-18
Jornal digital 09 08-18Jornal digital 09 08-18
Jornal digital 09 08-18
 
Jornal digital 4918_seg_16052016
Jornal digital 4918_seg_16052016Jornal digital 4918_seg_16052016
Jornal digital 4918_seg_16052016
 
Jornal digital 20 11-2018
Jornal digital 20 11-2018Jornal digital 20 11-2018
Jornal digital 20 11-2018
 
Jornal digital 08 02-18
Jornal digital 08 02-18Jornal digital 08 02-18
Jornal digital 08 02-18
 
Setemi News
Setemi NewsSetemi News
Setemi News
 

Semelhante a Jornal digital 30 10-17

Semelhante a Jornal digital 30 10-17 (20)

Jornal digital 26 de janeiro de 2017
Jornal digital 26 de janeiro de 2017Jornal digital 26 de janeiro de 2017
Jornal digital 26 de janeiro de 2017
 
Jornal digital 15 12-17
Jornal digital 15 12-17Jornal digital 15 12-17
Jornal digital 15 12-17
 
Jornal digital 16 08-17
Jornal digital 16 08-17Jornal digital 16 08-17
Jornal digital 16 08-17
 
Jornal digital 15-03-17
Jornal digital 15-03-17Jornal digital 15-03-17
Jornal digital 15-03-17
 
Jornal digital 13 06-18
Jornal digital 13 06-18Jornal digital 13 06-18
Jornal digital 13 06-18
 
Jornal digital 26 04-18
Jornal digital 26 04-18Jornal digital 26 04-18
Jornal digital 26 04-18
 
Jornal digital 5058 ter_06122016
Jornal digital 5058 ter_06122016Jornal digital 5058 ter_06122016
Jornal digital 5058 ter_06122016
 
Jornal digital 05 06-17
Jornal digital 05 06-17Jornal digital 05 06-17
Jornal digital 05 06-17
 
Jornal digital 01 09-17
Jornal digital 01 09-17Jornal digital 01 09-17
Jornal digital 01 09-17
 
Jornal digital 09 02-18
Jornal digital 09 02-18Jornal digital 09 02-18
Jornal digital 09 02-18
 
Jornal digital 4926_sex_27052016
Jornal digital 4926_sex_27052016Jornal digital 4926_sex_27052016
Jornal digital 4926_sex_27052016
 
Jornal digital 17 05-18
Jornal digital 17 05-18Jornal digital 17 05-18
Jornal digital 17 05-18
 
Jornal digital 21 02-18
Jornal digital 21 02-18Jornal digital 21 02-18
Jornal digital 21 02-18
 
Jornal digital 22 11-17
Jornal digital 22 11-17Jornal digital 22 11-17
Jornal digital 22 11-17
 
Jornal digital 10 de janeiro de 2017
Jornal digital   10 de janeiro de 2017Jornal digital   10 de janeiro de 2017
Jornal digital 10 de janeiro de 2017
 
Jornal digital 22 06-17
Jornal digital 22 06-17Jornal digital 22 06-17
Jornal digital 22 06-17
 
Jornal digital 29 12-16
Jornal digital 29 12-16Jornal digital 29 12-16
Jornal digital 29 12-16
 
Jornal digital 09 04-18
Jornal digital 09 04-18Jornal digital 09 04-18
Jornal digital 09 04-18
 
Jornal digital 29 06-17
Jornal digital 29 06-17Jornal digital 29 06-17
Jornal digital 29 06-17
 
Jornal digital 06 12-2018
Jornal digital 06 12-2018Jornal digital 06 12-2018
Jornal digital 06 12-2018
 

Mais de Jornal Correio do Sul (20)

Jornal digital 20 12-2018
Jornal digital 20 12-2018Jornal digital 20 12-2018
Jornal digital 20 12-2018
 
Jornal digital 19 12-2018
Jornal digital 19 12-2018Jornal digital 19 12-2018
Jornal digital 19 12-2018
 
Jornal digital 18 12-2018
Jornal digital 18 12-2018Jornal digital 18 12-2018
Jornal digital 18 12-2018
 
Jornal digital 17 12-2018
Jornal digital 17 12-2018Jornal digital 17 12-2018
Jornal digital 17 12-2018
 
Jornal digital 14 12-2018
Jornal digital 14 12-2018Jornal digital 14 12-2018
Jornal digital 14 12-2018
 
Jornal digital 13 12-2018
Jornal digital 13 12-2018Jornal digital 13 12-2018
Jornal digital 13 12-2018
 
Jornal digital 12 12-2018
Jornal digital 12 12-2018Jornal digital 12 12-2018
Jornal digital 12 12-2018
 
Jornal digital 11 12-2018
Jornal digital 11 12-2018Jornal digital 11 12-2018
Jornal digital 11 12-2018
 
Jornal digital 10 12-2018
Jornal digital 10 12-2018Jornal digital 10 12-2018
Jornal digital 10 12-2018
 
Jornal digital 05 12-2018
Jornal digital 05 12-2018Jornal digital 05 12-2018
Jornal digital 05 12-2018
 
Jornal digital 04 12-2018
Jornal digital 04 12-2018Jornal digital 04 12-2018
Jornal digital 04 12-2018
 
Jornal digital 03 12-2018
Jornal digital 03 12-2018Jornal digital 03 12-2018
Jornal digital 03 12-2018
 
Jornal digital 30 11-2018
Jornal digital 30 11-2018Jornal digital 30 11-2018
Jornal digital 30 11-2018
 
Jornal digital 29 11-2018
Jornal digital 29 11-2018Jornal digital 29 11-2018
Jornal digital 29 11-2018
 
Jornal digital 28 11-2018
Jornal digital 28 11-2018Jornal digital 28 11-2018
Jornal digital 28 11-2018
 
Jornal digital 27 11-2018
Jornal digital 27 11-2018Jornal digital 27 11-2018
Jornal digital 27 11-2018
 
Jornal digital 22 11-2018
Jornal digital 22 11-2018Jornal digital 22 11-2018
Jornal digital 22 11-2018
 
Jornal digital 21 11-2018
Jornal digital 21 11-2018Jornal digital 21 11-2018
Jornal digital 21 11-2018
 
Jornal digital 19 11-2018
Jornal digital 19 11-2018Jornal digital 19 11-2018
Jornal digital 19 11-2018
 
Jornal digital 14 11-2018
Jornal digital 14 11-2018Jornal digital 14 11-2018
Jornal digital 14 11-2018
 

Jornal digital 30 10-17

  • 1. Curso tenta disseminar novo tipo de cultivo para hortaliças Prefeito inova e inaugura usina de asfalto em Meleiro Casal fala sobre paixão de fotografar casamentos e festas CORREIO DO SULANO XXVI EDIÇÃO Nº 5.282 R$ 2,00SEGUNDA-FEIRA, 30 DE OUTUBRO DE 2017 www.grupocorreiodosul.com.br 25º18º Muitas nuvens com curtas abertu- ras e pancadas de chuva localiza- das a qualquer hora do dia. Previsão para hoje Extremo Sul Catarinense casamentos e festase festas Segurança – Pág 17 e 19 para hortaliçaspara hortaliçaspara hortaliças Casal fala sobreCasal fala sobre Especial – Pág 7 Curso tentaCurso tenta Geral – Pág 3 e festase festase festase festas Geral – Pág 9 Extremo Sul Catarinense UL Segurança – Pág 17 e 19Segurança – Pág 17 e 19Segurança – Pág 17 e 19Segurança – Pág 17 e 19Segurança – Pág 17 e 19 CULPADOS: JULGAMENTOS HISTÓRICOS TERMINAM EM CONDENAÇÃO
  • 2. DemocracianoBrasilésóumengodo Mais Bolsonaro Simpatizantes do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC/RJ) arrecadaram fundos e colocaram um out-door o referenciando em Sombrio, e mais outro em Araranguá, município onde já havia um primeiro. No Sul do Estado também já foram coloca- dos out-doors em Criciúma e Tubarão, e a ideia é a de ampliar a iniciativa para vários outros municípios. O mesmo está acontecendo em várias outras regiões de Santa Catarina. O out-door de Sombrio foi fixado através dos esforços de um grupo chamado Direita Sombrio, que, nas redes sociais, se define com “um grupo que apoia a família tradicional, o patriotismo e Deus”. A fanpage do grupo possui cerca de 900 seguidores, grande parte compos- ta por jovens sombrienses. Na mesma fanpage também são publicadas matérias e vídeos ressaltando as aludidas virtudes de Bolsonaro, e criticando sistemas políticos ligados ao socialismo e ao comunismo, assim como seus líderes. Sem reversão Prefeito de Sombrio, Zênio Cardoso (PMDB), já admite que “será necessário tomar medidas drásticas” para que execu- tivo municipal feche suas contas no final do ano. De acordo com ele, a queda de receita ao longo do segundo semestre foi muito maior do que o que se supunha “e não há nenhuma expectativa de que o quadro possa ser revertido”. Com a folha de pagamento no teto de 54% do que é permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal, Zênio não tem outra alternativa que não seja a demissão e a redução de salários de cargos comis- sionados, assim como o parcelamento de salários do funcionalismo municipal. A solução é bastante simples do ponto de vista técnico, mas nenhum pouco simpática do ponto de vista social. “Fizemos de tudo para que não chegássemos a este ponto. Não temos funcionários excedentes, não temos desperdício, e nossa gestão é enxuta e produtiva. O problema é que a receita tem caído mês a mês, sem perspectiva de reversão nos próximos meses”, comenta o prefeito, que ainda nutre a esperança de que algum milagre possa acontecer. ADVOCACIA EMPRESARIAL FONE: (48) 3533-0145 N enhum outro siste- ma político é mais complexo de ser ad- ministrado do que a democracia. E sua complexidade reside, essencialmente, no fato do ser humano, via de regra, buscar atender seus interesses pessoais, e não os da coletividade. Este é um paradigma e tanto, afinal de contas, o exercício da política sugere justamente que o bem comum seja preservado, e não o mero anseio próprio. O problema é que o atendimento do bem comum não é necessariamente o atendimento dos anseios de uma ou outra grande parcela da sociedade. É justamente por conta disto que siste- mas democráticos são muito difíceis de darem certo em sua plenitude. E é também justamente por conta disto que ossistemasautoritáriossãotãoatrativos, tanto para os adeptos da direita, quanto para os da esquerda, que veem nele a possibilidade de uma realização quase pessoal de ordenamento social. Para se ter uma ideia, dos mais de 200 países do mundo, apenas 25 são considerados verdadeiramente demo- cráticos. São aqueles países onde a pluralidade política é considerada quase total, com o sentimento da média da população, de fato, sendo respeitado. Neste ranking, o Brasil aparece na 44ª colocação,atrásdepaísescomoBotswa- na, Estônia, Jamaica, Lituânia e até Timor-Leste. O consolo é que estamos à frente de países como Cuba e Coreia do Norte,masaindaassim,longedenosen- tendermosenquantonaçãodemocrática. O que mais puxa o Brasil para baixo neste ranking, que foi elaborado pela Economist Intelligence Unit, uma instituição criada nos Estados Unidos em 1946, é o fato de nossa sociedade não participar dos atos políticos. Numa democracia plena, por exemplo, tudo o que diz respeito a sociedade é acompa- nhado de perto pela sociedade. Antes de se colocar o nome numa simples rua, são feitas várias reuniões, com intensa participação popular. No Brasil, nem mesmo a aprovação do Orçamento Municipal, pela Câmara de Vereadores, chama a atenção da população. E isto que estamos falando do ato administra- tivo mais importante para a gestão de um município. No que diz respeito às questões eleitorais, então, nem se fala. Acompra e venda de votos nas eleições é algo já institucionalizado. Não à toa temos uma democracia fragilíssima, capaz de sucumbir diante de dois comboios de milicos nas ruas, o que, aliás, já aconteceu várias vezes ao longo de nossa história. Isto só ocorreu, e pode ocorrer novamente, justamente porque os brasileiros não querem se apropriar do país em que vivem. Não querem tomar para si a responsabilidade de ajudar a gerir o Brasil. Querem mais é que chegue logo o dia da eleição para votar e depois ficar falando mal daque- les que conquistaram o poder, com se a responsabilidade de organizar a nação coubesse exclusivamente a eles. É lógico que isto não tem como dar certo.Eéjustamente,esomenteporisto, que a democracia no Brasil é apenas uma fachada, um engodo para engordar corruptos, tudo com a conivência dos brasileiros,queemgrandepartetambém deveriam estar na Papuda, acusados de omissão. Internado Problemas de saúde devem atrasar o ciclo de palestras do governador Raimundo Co- lombo (PSD) pelo Estado. De acordo com o Secretário Executivo da Agência de De- senvolvimento Regional, HeribertoAfonso Schmidt, o governador deveria vir até o próximo dia 10 de novembro a nossa região, mais especificamente à Araranguá, proferir uma palestra sobre o cenário econômico catarinense. Sábado à noite, no entanto, Colombo se sentiu mal e precisou ser inter- nado em Florianópolis, para o tratamento de uma diverticulite, que, grosso modo, é a inflamação da parede interna do intestino grosso. Em princípio, Colombo não deverá cumprir sua agenda de compromissos desta semana. Por conta do feriadão de Finados, a agenda dos próximos dias deverá ficar para a semana que vem. Já a agenda da semana que vem deverá ser postergada para a se- mana seguinte. É provável que sua palestra em Araranguá se dê somente na segunda quinzena de novembro, ou em 2018. Empreendedor Prefeito de Meleiro, Eder Mattos (PSB), inaugurou na sexta-feira a tão sonhada usina de asfalto de seu município. O evento atraiu cerca de trezentas pessoas, dentre as elas diversos prefeitos, muitos dos quais já dis- postos a realizar parcerias com o executivo meleirense para adquirir asfalto para seus municípios. De acordo com Eder, a usina deve entrar em operação ainda na primeira quinzena de novembro, quando começará a fornecer material para asfaltar cinco qui- lômetros de estradas, projeto previsto para ser concluído até o final do ano. Já a partir de 2018 deverá ser iniciado um projeto bem mais audacioso. Eder quer asfaltar ao longo de três anos metade das estradas municipais de Meleiro. “Não se trata de um achismo, ou de uma promessa sem base de sustentação. Eu tenho estudado o sistema de usinagem e asfaltamento há muito tempo. Nossa meta será alcançada, com certeza, até o final de nosso mandato”, comenta o prefeito, que viabilizou recursos na ordem de R$ 1,5 milhão para investir no projeto. Eder tam- bém tem outro projeto, ligado a geração de energia com utilização de lixo doméstico. Rolando Christian CoelhoRolando Christian Coelho JORNAL CORREIO DO SUL Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017 rolando_coelho@hotmail.com (48) 99945.6787 POLÍTICA “Eu nem sabia o que era ser deputado quando fui candidato em 2010. Em 2014 já sabia mais ou menos. Agora que aprendi, já sei que isso não é pra mim. Em 2018 estou fora. Não vou à reeleição. Melhor ser palhaço de verdade”. Francisco Everardo Oliveira, o Tiririca (1965) Deputado federal pelo PR de São Paulo
  • 3. 3Geral Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017 G.C.S LTDA - ME Comercial: l48l 3533.0870 comercial@grupocorreiodosul.com.br Diretor Geral Jabson Muller l48l 9955.5313 diretor@grupocorreiodosul.com.br Redação: editor@grupocorreiodosul.com.br Publicações legais: tomaz@grupocorreiodosul.com.br Financeiro financeiro@grupocorreiodosul.com.br Radio 93FM radio93fm@grupocorreiodosul.com.br Diagramação/Arte: correiodosul@grupocorreiodosul.com.br Sul Gráfica sulgrafica@grupocorreiodosul.com.br Circulação/Assinatura l48l 3533.0870 assinaturas@grupocorreiodosul.com.br F oi inaugurada na tarde de sexta- -feira, pelo pre- feito Eder Matos, a Usina de Asfalto Concreto Betumi- nado Usinado a Quente, de Meleiro. A usina fica loca- lizada em Sanga Grande e a promessa do prefeito é de que até o final de seu mandato, 50 quilômetros de estradas do município sejam asfaltadas, compreendendo áreas rurais e urbanas. De acordo com o prefeito, Meleiro tem 110 quilômetros de estradas ainda não calçadas. Eder pretende, ainda neste ano, que cinco qui- lômetros de estrada sejam asfaltos no município. O caminhão com equipamento apropriado para produzir as- falto foi adquirido através de Para Novos Caminhos Escritor fala de alcoolismo e superação Prefeitura de Meleiro inaugura Usina de Asfalto Fruto de pelo menos sete anos de dedicação, o livro ‘Alcoolismo o Vilão Oculto na Família’, deve ser lançado nestasegunda-feiranaCâmara de Vereadores de Balneário Gaivota. O autor, Alceu Padilha Bueno, de 68 anos, narra na obra sua própria história e o resultado de vários cursos e pesquisas que fez sobre o assunto. O que o move, diz, é sua fé na prevenção, que pos- sa evitar que outras pessoas caiam no vício que quase o destruiu. “O alcoolismo é uma doença progressiva e fatal, um problema físico, mental e espiritual”, escreve em um dos capítulos. Gaúcho morando na Gai- vota há dez anos, Alceu viveu um pesadelo até o ano dois mil, em uma trajetória que incluiu depressão e internação em clínica para dependentes químicos. Começou a dei- xar para trás esta espiral de autodestruição graças a um milagre, acredita, que teria acontecidoemMonteAlverne, no município de Santa Cruz do Sul. Ele conta: “naquela noite de dezembro eu andava pelas ruas sujo e me sentindo muito mal, quando vi uma porta aberta. Entrei pensando que era um bar, mas era uma igreja. Então perguntei a Deus porque a minha vida estava daquele jeito e de repente ouvi uma música suave, crianças cantando. Não sabia de onde vinha, até que vi um coral ensaiando em uma sacada, no alto,músicasdenatal.Erauma resposta as minhas preces”. A partir desse episódio, uma série de incidentes fi- zeram com que Alceu fosse para Caxias do Sul, onde tem familiares, passasse por uma internação e começasse a sair do fundo do poço. Por três anos, se isolou em uma pequena chácara e ali come- çou a nascer o livro, que será oficialmenteapresentado hoje, às 17h45minutos, na Câmara. Além da literatura, o es- critor planeja também fazer palestras em escolas e outros locais, para alertar para os pe- rigos do álcool, esse vilão que quase toda família conhece. Marivânia Farias Balneário Gaivota Gislaine Fontoura Meleiro População compareceu e prefeito garantiu novos caminhos asfaltados para Meleiro Alceu lança livro contando sua história de superação do alcoolismo financiamento com aAgência de Fomento de Santa Catari- na S.A. (Badesc), no valor de R$ 1,4 milhão. Nesta segunda-feira, a Câmara deVereadores irá vo- tar se aprova ou não, que seja contratado um administrador para a usina. “Precisamos inovar, trabalhar bastante e fazer com que as margens de erro sejam as mínimas”, disse Eder. Antes do início da ce- rimônia, que contou com a presença da população de Meleiro e de autoridades po- líticas municipais, regionais e estaduais, o padre Ludgero Buz, abençoou ou empreen- dimento.
  • 4. 4 PublicidadeJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
  • 5. Na semana passada a Alesc, Assembleia Legislativa, comemorou o dia do cirurgião-dentista, celebrado na última segunda-feira, e a passagem do cinquentenário de fundação do Conselho Regional de Odontologia (CRO-SC).Ainiciativa foi do deputado Zé Milton Sche- ffer. Na ocasião, o presidente do CRO-SC pediu ajuda dos deputados para ampliar o atendimento. "Precisamos de apoio político para que possamos tratar nossa po- pulação, as taxas de impostos altíssimas e a burocracia são impostas de forma autoritária, sem nenhum tipo de consulta", descreveu Murilo Rosa. Todossabemqueestaremumambienteclimatizadopropor- ciona o bem-estar. Isto seja no trabalho, ou ida à um banco em dias de calor. Sabendo disto, a prefeitura de Balneário Gaivota vem investindo ao longo dos últimos anos na climatização das salas de aulas nas creches. Neste mês, as salas do Centro de Educação Infantil da Rua Nova, o Abelhinha, recebeu dois novos aparelhos de ar condicionado para manter as salas de aulas totalmente clima- tizadas, proporcionando um bem-estar maior para as crianças que frequentam a entidade. "As crianças até mudam de humor com a alteração da temperatura, temos certeza que o soninho e as atividades com eles irão ficar melhores", comenta a coorde- nadora da creche Cleia Simone Machado. Asecretária municipal de educação, RosineaAlves Ferreira anuncia ainda, que nesta próxima semana a creche Pica Pau, na comunidade deAnita Garibaldi também recebe um ar condicio- nado, assim como a creche modelo, Eva Cabreira Gomes. "Faz partedoplanodegovernodoprefeitoRonaldoenósdasecretaria estamos viabilizando as formas para atingirmos a nossa meta. Já evoluímos bastante, tenho plena convicção que estamos fazendo um bom trabalho para valorizar os profissionais, ofertando uma infraestrutura de qualidade", ressalta Rosinea. Creches recebem climatizadores Odontologia pede ajuda na AlescA participação do diretor de Turismo de Morro Grande, Gislael Floriano, no 1º Encontro de Guias e Condutores dos Aparados da Serra - Cânions do Brasil, que foi realizado na cidade de Jacinto Machado, ajudou a trazer a 2ª edição do encontro, em 2018, para cidade de Morro Grande. O encontro visa qualificação e integração dos guias e condutores de todas as regiões. Os profissionais receberam no evento noções de primeiros socorros e animais peçonhentos dentrediversaspalestrassobregeologia,histórialocaleregional, projeto geoparque e no ultimo dia tiveram a entrada técnica na Trilha do Tigre Preto. Em defesa a realização do evento no próximo ano em sua cidade, Gislael relatou que o município possui um potencial magnifico, que o turismo está em ascensão e que é muito impor- tante para o município receber guias, condutores, representantes de operadoras e agências de turismo da região dos Cânions para JORNAL CORREIO DO SUL Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017 Os pequenos ‘bombeiros’ de Araranguá valorizam a bonita profissão que encanta tanto as crianças. Presidente da Câmara de Araranguá, Daniel Viriato, sobre projeto Vereador Mirim "É preciso que as crianças conheçam e entendam como funciona a estrutura destes poderes e aproximar a população da sua importância" Próximo Encontro de Guias será em Morro Grande troca de expe- riencias e para q u e f i r m e m parcerias com profissionais do município mor- rograndense. A propostafoifeita visando também a qualificação para novos condutores, a formatação de algumas trilhas do município de maneira adequada e a divulgação dos potenciais para atrair turistas, trazendo movimento e renda para empre- endimentos e trabalhos prazerosos a condutores de atrativos locais. Em breve, uma reunião com todos os membros do Comtur juntamente com guias e condutores vão decidir a data da realização do evento.
  • 6. 6 PublicidadeJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
  • 7. 7Especial Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017 A gricultura sintrópica. O nome pode pa- recer es- tranho, mas o objetivo desse novo modo de cultivar comida épreservaranaturezaegarantir uma alimentação de qualidade a quem vive no campo. Para falar mais sobre essa maneira revolucionária de plantar, doze pessoas se reuniram neste sá- bado em um simpático sítio na localidade de Linha Floresta, em Sombrio. A proprieda- de pertence a Eliane Vefago, professora e apaixonada pelo trabalho na roça. “Cresci no campo e me preocupo com a alimentação há muitos anos. Eu queria ter uma horta maior, e conheci a proposta da agri- cultura sintrópica, que é meio queumconsórcioentrefloresta e hortaliças”, comenta ela. O conceito é diferente, é verdade, mas segundo Eliane, é preciso expandir mais essa preocu- pação com saúde, para que mais pessoas conheçam esse tipo de sistema. “Gostei muito dessa proposta de alimentos sem agrotóxico, ainda com a questãoambiental,emconjunto com as árvores”, diz. Após um cursoemFlorianópolis,elagos- tou do que aprendeu, resolveu aprofundarosconhecimentose começouaconheceroutraspes- soas interessadas no assunto. Cerca de um ano depois, teve a ideia de trazer um curso para sua própria horta. “Convidei o Gustavo para fazer um curso aqui, e chamamos outros co- legas. Na própria propriedade a gente começa a se preocupar comomeioambiente,eogrupo começa a conversar sobre o que fez e faz em suas terras”, comenta. Mas não é só isso. Ela garante que se cercar de natureza e trabalhar na terra aproxima diferentes pessoas. “A gente começa a ver as afi- nidades, se entende mais, e se todos estão aqui é por que gos- tam.Entãoestoumuitofelizem oferecer o espaço”, declara. O engenheiroagrônomoGustavo Tramontim Ronçani é natural de Jacinto Machado, mas mora em Florianópolis. Foi ele que ministrou o curso com teoria e prática envolvendo a agricul- tura sintrópica. “É uma forma de manejo que busca produzir alimentos sem agrotóxicos, com qualidade, e melhorar o solo,emconjuntocomárvores, tudo para melhorar o ambiente e criar o próprio adubo”, expli- ca. Durante o dia, os inscritos no curso aprenderam sobre técnicas da agricultura sintró- pica, além de colocar a mão na horta e prepararem canteiros com serragem, folhas e outros materiais ecológicos para o plantio. Também teve almoço e lanche, tudo feito na cozinha Agricultura Sintrópica Ação promove limpeza do Rio Araranguá Aconteceu na manhã de sábado, com saída da Praça Central de Araranguá, às 10 horas e término por volta das 15 horas, a primeira edição do projeto socioambiental Nosso Rio Nossa Mata Ciliar, idealizado por Giovani Rosa e realizado em parceria com empresas privadas, entidades sociais e órgãos públicos. O projeto retirou sete toneladas de lixo e entulho, tanto de dentro das águas, quanto das margens do Rio Araranguá, fixou dez placas educativas e reflorestou três quilômetros após a ponte pênsil, do bairro Barranca, em direção a comu- nidade de Volta do Silveira. Toda uma estrutura foi montada na praça, com fi- chas de inscrições, lanches e camisetas para os voluntários que realizaram a limpeza, colocação de placas e plantio de mudas de ipês. No dia 24 do mês passado aconteceu a primeira tentativa de realiza- ção da limpeza, mas a chuva atrapalhou e apesar de alguns voluntários se dirigirem até a Praça Central, a organização achou melhor transferir o evento para este sábado, onde cerca de 60 pessoas partici- param. Giovani Rosa prevê a fomentação do turismo na- vegável. “Desenvolvemos quatro ações, limpamos o rio por dentro, na parte navegá- vel, por terra, nas margens, colocamos dez placas educa- tiva e plantamos Ipês floridos, para revitalização do Rio Araranguá. Num futuro bem próximo iremos desenvolver uma rota turística navegável, assim vamos, com esta ação, embelezar nossa cidade e fo- mentar o turismo”, ponderou Giovani, que acrescentou que ainda há muito que fazer. Gislaine Fontoura Araranguá Aline Bauer Sombrio Grupo se reuniu para, na prática, aprender mais sobre agricultura sintrópica Placas e mudas foram colocadas nas margens do rio dosítio.SegundoGustavo,esse novo jeito de produzir comida, aliando plantio de hortaliças e frutas a árvores, tem ganhado muitos adeptos. “Tem muita gente buscando conhecimento, começandoafazer.Atendência é que vá se expandindo. É uma alternativa para mantermos as pessoas no campo”, comenta. Para ele, o manejo não é tão complicado quando o sistema jáfoiinstalado.“Naagricultura sintrópicaaspragastêmmenos chancesdeatacar.Nãofocamos no problema, mas nas causas. O que precisamos fazer para melhorar? Temos que trazer elementos que a natureza já tenha ou produza”, diz. Edí- lio Generoso da Rosa planta pitaya orgânica em Sombrio, e está implantando o sistema sintrópiconapropriedade.Para ele,osistemaéofuturodaagri- cultura. “Eu me apaixonei pelo conceito.Assim que se começa o manejo a diferença é notável. É uma forma revolucionária de plantar”, comenta. Sobre o que os agricultores mais te- mem, as pragas que destroem as lavouras, Edílio garante que não é difícil controlar sem agrotóxicos,vistoqueaprópria natureza se encarrega de evitar qualquerinfestação.“Aspragas nãoatacam,porquenósusamos insetos do ecossistema a nosso favor. É o jeito como Deus deixou a natureza, e funciona bem assim”, completa. Curso ensina sobre hortaliças entre árvores
  • 8. EntretenimentoEntretenimentoNovelas - Horóscopo - Diversão Cruzadinha Novelas E m Lisboa, José Au- gusto e Firmino fogem com Mariana nos bra- ços. Martim e Josefina pro- curam pela filha. Em Morros Verdes, Delfina ameaça Fernão. Moniz aconselha Fernão a se casar com Te- reza e não desafiar Delfina. No Rio, Maria Vitória comenta com Geraldo que voltará a Portugal. Lucinda ouve quando Inácio diz a Falcão que gostaria de rever o rosto de Maria Vitória. Edgar se recupera de seu acidente. Olímpia confronta Januária e garante que não desistirá de Edgar. Tempo de Amar -18h L uíza e Eric discutem. Malagueta comenta com Maria Pia que Eric terá problemas com a polí- cia. Wanderley insiste para que Sandra Helena liberte Agnaldo. Douglas avisa a Gabriel que o matriculou na escola. Sandra Helena paga a fiança de Agnaldo. Pedrinho apresenta Arlete como sua namorada a Luíza e Eric. Lourenço conversa com Maria Pia sobre Athaíde. Domênico alerta a equipe para um e- -mail com documentos comprometedores. C lara garante a Renato que não foi agredida por Gael. Elizabeth repreende Renan por tê- -la beijado. Clara revela a Nicácio que foi agredida. Nádia faz intriga de Cla- ra para Lorena. Samuel convida Suzy para jantar. Clara visita Josafá e esconde seu estado. Gael busca o apoio de Estela. Bruno tenta beijar Raquel. Lorena alerta Vinicius sobre Gael. Renan confessa que se apaixonou por Elizabeth e Jô insiste que a esposa de Henrique se encontre com o empresário. OOutroLadodoParaíso-21h Pega Pega -19h Rapidinhas Áries 21/03 a 20/04 21/04 a 20/05 21/05 a 20/06 21/06 a 20/07 21/07 a 20/08 21/08 a 20/09 21/09 a 20/10 21/10 a 20/11 21/11 a 20/12 21/12 a 20/01 21/01 a 20/02 21/02 a 20/03 Leão HoróscopoHoróscopo Sagitário Gêmeos Libra Aquário Touro Deixe as coisas acontecerem naturalmente, a força do Sol será muito intensa. Use a sua intuição para os negócios e para as relações interpessoais. Não deixe que Vênus te carregue para solidão, aja de forma destemida. Sentirá um pouco o peso das responsabilidades que foram adiadas. Irá demonstrar ser muito ha- bilidoso neste dia. Marte e Plutão podem te levar a uma situação de desconforto e retirante. Porém continue confiante nas suas decisões. Tente evitar ser tão curioso e ficar mexendo nas coisas dos outros. O elemento ar irá influenciar de forma positiva. Saturno nesta fase passará in- fluenciando Júpiter nesta constelação.Ambientes harmoniosos lhe ajudarão muito. Encontrará a estabilidade emocional que lhe falta- va. Marte terá uma boa influência para este signo no campo emocional. Suas relações tendem a ficarem mais apuradas, porém sem decisões de grande intensidade neste dia. Uma breve passagem de Netuno pode influenciar um pouco no seu carisma. Você precisará buscar energias para enfrentar o afastamento de determi- nadas pessoas. Seu corpo caminhará de acordo com a sua mente. Aterra irá ajudar você a ser um pouco mais prático. Haverá uma influência muito grande deste elemen- to sobre os outros planetas. Será propício para explorar com outras pessoas de touro ambientes abertos e naturais. Os eventos em Saturno vão desenvolver ativida- des positivas para você. Deixaram uma energia positiva para o seu equilíbrio. Ajudará também a diferenciar determinadas situações que pareciam muito confusas anteriormente. Em Plutão haverá algumas intermitências, que farão com que você tenha uma vontade imensa de querer vencer. Se sentirá mais instigado a apostar em coisas novas. Haverá um ciclo a ser renovado dentro da sua vida. Uma forte energia será gerada por Júpiter em referência a esta constelação. Aproveitar este maravilhoso momento fará com que você sinta uma forte vontade de agir. Alguns momentos passarão sem preocupação. Terá uma mudança significativa em marte para este signo. Ressaltará um aspecto mais arrojado e competitivo. A sua praticidade irá ser demasia- damente transformadora. A sua cardinalidade também aponta para sorte. As atividades em mercúrio serão um pouco turbulentas para este signo. Seu lado extrava- gante será positivo e negativo em momentos intermitentes. A atenção deve ser redobrada para que não aja nenhum transtorno. Na transição da Lua ocorrerá eventos favoráveis para Peixes. Deixará você mais determinado para as questões ligadas ao relacionamento. Mostrará uma fácil aproximação de Virgem e Câncer. O carinho estará bem presente. Virgem Capricórnio Câncer Escorpião Peixes Neste fim de semana, Tom Cavalcante se encontrou com Fausto Silva e Antônio Fagundes e fez questão de postar fotos nas redes sociais. Todos estavam acompanhados de suas famílias, na hora do clique. No Instagram, o comediante eternizou o momento com um clique e escreveu: "Entre amigos amados!" Na noite do último sábado (28), Sabrina Sato e o namorado Duda Nagle, foram assistir as lutas principais de UFC que aconteceram no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.Além do casal, o lutador Minotauro, a atleta Hortência, e os atores João Vicente de Castro e Sérgio Mallandro tam- bém marcaram presença no evento. JORNAL CORREIO DO SUL Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
  • 9. 9Geral Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017 C om a populariza- ção dos celulares com boas câme- ras fotográficas, muita gente imaginou que seria o fim dos fotógrafos profissionais. Po- rém, eles se mantêm em alta, e desbravando novos segmen- tos. Foi este bom momento do mercado, aliado a paixão pela fotografia, que levou o jovem casal Tauane Schmitt e Rodri- go Henrique a enveredar pela profissão. “Hoje todo mundo pode fotografar, mas as pes- soas continuam querendo algo mais profissional, que tem um olhar diferenciado”, acredita Rodrigo. E o trabalho vai além de fazer as imagens, incluindo também a edição, capaz de dar perfeição a uma imagem. Rodrigo e Tauane, que moram no bairro São Francis- co, em Sombrio, são contrata- dos principalmente para regis- trar aniversários e casamentos, as celebrações mais comuns. No entanto, a atuação deles vai muito além do que fazia o fotógrafo de antigamente, que aparecia somente no mo- mento da festa e batia fotos de pessoas fazendo pose. “Nós procuramosconheceroscasais ouaaniversarianteantes,saber o que querem exatamente e registrar momentos de forma espontânea”,explicam.Acom- panhando a tendência, eles passam até dois dias com os noivos,fotografandoemlocais comoaSerradoRiodoRastro, Torres e outros belos cenários. Com a qualidade do ser- viço e o tempo, veio o reco- nhecimento do estúdioTauane Schmitt, que tem a agenda lotada. Eles têm compromisso todos os finais de semana e já foram contratados até para fotografar um casório no Mato Grosso. Por isso, a dupla reco- menda que as pessoas entrem em contato para marcar a data deseuevento,compelomenos um ano de antecedência. No site da empresa,Taua- ne conta como começou sua paixão por fotografar casa- mentos, leia um trecho. “Não comecei na fotogra- fiajádecididaemqualáreairia seguir, por isso experimentei de tudo, fiz vários ensaios e fui ganhando experiência, fiquei quase um ano dessa forma, estudando e aplicando tudo!! Nesse meio tempo eu via algumas fotos de casamen- to e assim comecei a estudar e fazer cursos específicos para casamento. Não sabia se iria gostar, afinal, nunca tinha fotografado um... Com o tempo surgiu uma oportunidade de fazer o meu primeiro casamento e isso abriu meus olhos e eu me APAIXONEI. Eu estava muito nervosa (óbvio) parecia que era eu que ia casar hahah, mas ao mesmo tempo eu tinha que ficar bem, afinal, eu tinha que passar tranquilidade pra noiva e garantir que tudo daria certo. Mas para ser sincera, foi esse frio na barriga que me fez amar o que estava fazendo, sabe aquela sensação de bor- boleta no estômago que todo mundo fala? Pois é, descobri o que era isso, e essa emoção, essa adrenalina que eu senti, eu queria sentir de novo e de novo...” Num Click Senhora publica livro de receitas após os 80 anos Os novos olhares na fotografia Eva Krás Borges é uma senhora de 86 anos, muito ativa que participa do Lions Clube Araranguá Centro, da Rede Feminina de Combate ao Câncereadoracozinhar,princi- palmente doces. Eva escreveu um livro de receitas, chamado “O Paraíso dos Sabores Doces e Salgados”. Ela nasceu em Torres, no Rio Grande do Sul e começou a gostar de fazer bolo aos12anosdeidade,quandoia com a prima na padaria do tio, naquele município e aprendeu com o tio e com a mãe a con- feccionar os doces. Em dezembro de 1947, Eva veio para Araranguá com os pais, que abriram uma far- mácianacidade.Ospaisforam emboraeelajátinhaumnamo- rado, casou e ficou morando em Araranguá, onde montou famíliacomomaridoHamilton Tournier e da união nasceram cinco filhos. Já casada, a se- nhora foi para Porto Alegre fazer um curso de docinhos e bolos artísticos, ao longo dos anos,elafezmaiscursosevirou profissional, começou a fazer doces e bolos para vender e trabalha com esta ocupação até os dias de hoje. “Já fiz torta de gente que já é até avô, até hoje faço torta, faço docinho para os aniversários dos netos, bis- netos e por encomenda, ainda vendo. Trabalho com salgados também, mas gosto mais é de fazer doce”, declarou. Em 2011 o filho, que na época tinha 40 anos, faleceu, para se distrair, Eva começou a escrever um livro de receitas para deixar para os netos e foi incentivada pela família a publicá-lo. A obra, com 150 receitas de doces e salgados, levou um ano para ficar pronta e em 2012 foi publicada com impressão de um mil exempla- res. Os livros são vendidos ao custo de R$ 25 em alguns pon- tosdacidade,comoaFarmácia de Manipulação Tournier, no Centro de Araranguá, nos Su- permercados Sete e Abimar e na Padaria Santa Clara. Dona Eva é viúva há dois anos,temumafuncionária,que trabalha com ela na casa e lhe faz companhia, ela diz que é muito paparicada pelos filhos e netos, com quem convive bastante.“Tenhoumavidatran- quila, graças a Deus, além das associações, frequento a Igreja Católica, já cantei muito no coral da igreja”, revelou. As receitas de dona Eva que fazem mais sucesso são a datortademorangoedechoco- late com nozes, foi ela mesma quem fez os bolos das festas de 50e60anosdecasada.Aescri- tora autorizou a publicação na reportagem da receita da trota de morango. Ingredientes: oito claras em neve, oito gemas peneira- das, três xícaras de farinha de trigo, duas xícaras de açúcar e uma colherinha de essência de baunilha. Preparo: na batedeira em velocidade máxima, bater as claras em neve, acrescentar o açúcaratéficarfirme,acrescen- tar as gemas peneiradas, bater mais um pouco até misturar bem,aospoucosvámisturando afarinhapeneiradaeporúltimo a baunilha. Assar em forno médio por 30 minutos, em forma com 30 cm de diâmetro. Deixe esfriar. Recheio: uma lata de leite condensado, um litro de leite integral, uma colher de man- teiga sem sal, duas colheres de amido de milho, três gemas peneiradas. Misturar tudo e deixar ferver até engrossar. Espere esfriar. Cobertura: Um quilo de morangos maduros frescos, la- vadosemsucodelaranja,secar bememtoalhadepapel,separar osmenores,esmagá-loseferver com uma xícara de açúcar até amolecer e usar para molhar o bolo. Os morangos maiores devem ficar para enfeitar a cobertura. Cobrir com o mes- mo creme do recheio ou com chantily ou merengue. Casamentos e borboletas Torta de Morango Gislaine Fontoura Araranguá Marivânia Farias Sombrio Casal fotografa casamentos e festas, e fala sobre profissão que amam Dona Eva revelou em livro seus segredos culinários
  • 10. 10 PublicidadeJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
  • 11. 11Geral Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017 O Vale do Araran- guá se mobilizou na tarde de sexta- -feira, para mostrar ao Minis- tério da Educação – MEC, a importância da implantação do curso de Medicina na Uni- versidade Federal de Santa Catarina – Ufsc, campus Ara- ranguá. Em reunião na sede da Associação Empresarial de Araranguá e Extremo Sul Catarinense – Aciva, apro- ximadamente 120 pessoas ocuparam todos os espaços do auditório da entidade, para acompanhar a visita técnica da ComissãodeAcompanhamen- toeMonitoramentodeEscolas Médicas – Camem. Representada pelos mé- dicos Edson Arpini Miguel, da Universidade Federal de Viçosa e Rosângela Minardi Mitre Cotta, da Universidade Federal de Maringá, o Camem revelou que a visita é dividida em duas etapas: docente e estrutural. “Primeiro nos reu- nimos com o corpo docente, e após, analisamos as condições da universidade, de seus labo- ratórios e salas. Nosso papel é apontar em um relatório o que está bom, e o que vai precisar ser melhorado, para o curso ser implementado”, ressaltou Miguel. Rosangela foi mais além, revelando que hoje,Araranguá tem a infraestrutura necessária para o curso ser autorizado pelo MEC. “Temos que enviar umrelatórioaoMEC,eoMEC em cima do relatório, autoriza, ou não, o curso. Mas nossa avaliação é que tem condições de funcionar (o curso de Medi- cinaemAraranguá),comalgu- mas poucas alterações”, disse. A visita técnica se es- tendeu até o dia 28, quando os representantes do Camem enviaramaoMECumrelatório sobre as condições para a im- plantação do curso. A comis- são ainda revelou que o MEC vaianalisarorelatórioedarum prazoparaauniversidadefazer os ajustes. “Após isso, volta a comissão (a cidade) para fazer ochecklist,paraversetudofoi contemplado e aí sim, o curso será definitivamente autoriza- do”, concluiu Rosangela. Mais Perto PlanodeRecursosHídricosestánaretafinal MECestáotimistasobrecurso de Medicina em Araranguá Com objetivo de con- tribuir para a criação de um documento que avalie se a quantidade e qualidade da água de Santa Catarina é adequada e suficiente para as projeções de futuro, membros do Comitê da Bacia do Rio Araranguá participaram do úl- timo debate do Plano Estadual deRecursosHídricosnosuldo estado antes da conclusão da 3ª etapa do estudo. A reunião aconteceu na tarde de quinta- -feira, na sede da Epagri, em Araranguá. Aação é organizada pela Secretaria de Desenvolvi- mento Econômico Sustentá- vel (SDS), Fundação Certi e Comitê da Bacia do Rio Araranguá e Afluentes Cata- rinenses do Mampituba. “Na primeira fase conhecemos o cenário atual dos recursos hídricos do estado, como qual a quantidade e qualidade da água que existe, atualmente, em Santa Catarina. Na segun- da etapa, determinamos se as regiões estão preparadas para receber a demanda de água dos próximos anos. Por fim, nesta terceira fase, estamos definindo um Plano de Ações a ser executado pelo Poder Público, na busca de preservar esse bem tão precioso”, ex- plica o engenheiro sanitarista ambiental e gerente do Plano deRecursosHídricos,Vinicius Ragghianti. Nesta quinta-feira, ocor- reu a última reunião de tra- balho preparatória antes do fechamento do Plano, que deve ser concluído para apre- sentação à comunidade em 30 dias. “Trouxemos uma prévia da terceira parte para analisar- mos, junto com o Comitê, se havia algum ponto faltando e a necessidade de incluir algum outro detalhe. O objetivo é que o estudo saia também com a cara do Comitê Araranguá, retratando a atual realidade das águas no sul catarinense”, completa Ragghianti. O presidente do Comitê, Sérgio Marini, acredita que foi uma ótima oportunidade para a última avaliação do documento, antes de sua fi- nalização. “E também uma grande oportunidade de parti- ciparmos ativamentedo futuro das nossas águas, porque se não fizermos algo para pre- servar o que resta, com certeza não teremos em quantidade e qualidadesuficienteparatodos nos próximos anos”, finaliza. Avaliadores alegaram que a estrutura é adequada na Ufsc para receber o curso Encontro fez a última análise antes da conclusão do Plano Araranguá Araranguá
  • 12. 12 PublicidadeJORNAL CORREIO DO SUL Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017 5ANOSDE GARANTIA COMPRESSOR 1ANODE GARANTIA TOTAL VENDAS INSTALAÇÃO MANUNTENÇÃO Av. Nereu Ramos, Nº786, Centro - Sombrio Chame no Whats Por R$1.399,00á vista Ligue e agende uma visita 12000 Btus Limpeza a partir de R$ 69,00 9000 Btus Q/F A Verificarregrasdapromoção/imagensmeramenteilustrativas. (48) 3533-3645 (48) 9.9961-2222 1ANODE GARANTIA TOTAL FrioFrioFrio Preçosomentemedianteanossainstalação,instal.nãoinclusa,limpezaapenasparaarde7000btus.s/deslocamento Por R$ 1.799,00 1+4 de R$ 379,80ou Mais Conforto & Mais Economia CONTROLE REMOTO LUMINOSO21°c FILTRO ANTIPOEIRA TURBO Av. Papa João XXIII, 438, Parque das Avenidas, Sombrio - SC
  • 13. 13Publicidade Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
  • 14. 14 PublicidadeJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
  • 15. E le é jovem, só tem 24 anos, mas já tem mui- ta história para contar. Murilo Gonçalves, o menino dos balões, cozinha, surfa altas ondas, se diverte e tem a graça de poucos de poder trabalhar com o que ama. Conhecido na região por ser o organizador do 1° festival de balonismo de Balneário Gaivota, ele é calmo apesar de ter um gosto por esportes radicais, e conta sua história com o brilho das realizações nos olhos. Qualquer um que escuta o rapaz sabe que ele, assim como com seu balão, na vida ele também vai cada vez mais longe. JORNAL CORREIO DO SUL Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017 ALISSANDRA PAGANINI ali@grupocorreiodosul.com.br facebook.com/alissandrapaganini EmpresarialEmpresarial Sushi Sempre trabalhei com meu pai, e cursei faculdade em gestão de turismo. Isso abriu um leque de oportunidades, uma delas na gastronomia. Eu estava de gerente no restaurante, e comecei fazendo sushi. Parece que deu certo. Larguei o restaurante e fiquei só nisso.Apartir dali, conheci muita gente. Os Caras da Camiseta de Balão Vi aque- les caras com uma camiseta que tinha um balão na frente, e comecei a conversar com eles. Me convidaram para comer um churrasco, e aí vi uma oportunidade de ir atrás do sonho que eu tinha desde pe- queno, de conhecer os balões. Pensei então em investir, mas não pensava em ser piloto agora. Comecei a fazer um curso, e foi aflorando essa vontade de me envolver. Verão Trabalhoso Trabalhei um verão inteiro na praia só para comprar o equipamento do balão. Foi exaustivo, mas valeu a pena. Comecei a fazer alguns voos, indo em alguns eventos do esporte e fazendo voos turísticos. Nas Alturas Começamos nesse projeto novo que está se desenvolven- do. Estamos planejando voos na cidade de Praia Grande, com parcerias lá. Por enquanto, toda semana estamos fazendo um voo. Tenho um balão grande que pode levar até oito pessoas, e aí já começa a profissionalizar o ne- gócio. Devagar, é uma ideia que pode emplacar. Seriedade Passa do hobby para o trabalho.Agente voa em um vale que tem mar de um lado e montanhas do outro. A vista é linda, mas é bastante responsabilidade. Sonhador É gratificante, tanto para turistas quanto para gente. Eu digo para as crianças, que se emocionam, acham bonito, que elas também podem fazer aquilo. Eu realizei aquele sonho. Através da Cerca Eu tinha que incomodar a família para me levar no fes- tival de balonismo. Tem um alambrado que divide os balões do público, e eu desde pequeno ficava grudado na cerca, admirando aqueles balões, pensando que um dia eu poderia estar ali. Eu tinha uns 6, 7 anos. Comecei a pesquisar sobre o esporte para aprender como voar. Balonismo É um esporte mágico. A gente cria a curiosidade para saber como aquele objeto grande pode voar sem asas, sem velocidade. Basicamente é sempre igual.As pessoas acham muito grande, sobem no cesto com certo receio, e a gente tem que passar confiança. É a aeronave mais antiga e mais segura do mundo. Sempre voamos com as condições ideais. Um Menino das AlturasBrinde No final do voo a gente faz um brinde, eu levo espuman- te. A gente celebra poder estar juntos, a confiança deles em mim, e agradece sempre a Deus por cada voo, que é diferente, o que é muito legal. Seguro, sim Eu não consigo ver um risco no balão. Se você respeitar as condições, vai ter um voo perfeito. Herança Eu tenho dois sobrinhos. O Lourenzo gosta muito de ba- lão, mas não sei como vai ser quando for maior.AMarina já andou comigo, decolou, e tá louca para voar de novo. Quer levar as amigas todas.
  • 16. 16 PublicidadeJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
  • 17. 17Segurança Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017 T rês suspeitos de terem as- sassinadoDa- niel Izidoro Cardoso, aos 32 anos de idade, em maio de 2015, no município de Arroio doSilva,responderampelocri- me, perante o Tribunal do Júri daComarcadeAraranguá,nes- taquinta,sexta-feiraeprimeiras horasdamadrugadadesábado. MauricioAndradeVieira,de20 anos, Iago de Souza Dutra, de 23 anos e Rodrigo de Lima, de 20 anos, foram condenados e retornaramaocárcerelogoapós o julgamento. A sessão solene, conside- rada a mais longa já realizada na Comarca, pelo menos nos últimos dez anos, foi presidida pela juíza de Direito Letícia Pavei Cachoeira e teve como representante do Ministério Público,opromotorGabrielRi- cardo Zanon Meyer. Doutor Gabriel, em alguns de seus pronunciamentos, elogiou o trabalho realizado pela Polícia Civil de Balneário Arroio do Silva, na elucidação do caso, principalmente o delegado Jair Pereira Duarte, que presidiu o Inquérito Policial e a agente de PolíciaCivilVirgíniaCustódio, De madrugada Três são condenados em Júri mais longo dos últimos anos Gislaine Fontoura Araranguá O assassinato aconteceu em 2015, e réus já estavam presos acusados de outros crimes A mãe e a irmã de Daniel compareceram ao julgamento a quem o promotor classificou como policial exemplar. “A agente Virginia é uma policial exemplar,quejátemidadepara se aposentar e merece todos os elogios pela carreira que construiu, de forma dedicada e honesta”, asseverou. Na quinta-feira foram ou- vidas todas as testemunhas de acusação,dedefesaeosréuseo julgamento durou até por volta das19h30min,jánasexta-feira, os trabalhos se estenderam e o julgamento acabou na madru- gada de sábado, por volta da 1h20min, com a condenação de Iago, a 19 anos e dois meses de reclusão; Maurício, a 15 anos de reclusão e Rodrigo, a 13 anos de reclusão, todos em regime inicialmente fechado. Os advogados, Diego Campos Maciel, que defendeu Rodri- go, José Luiz de Jesus, que defendeu Maurício e Vicente Machado, que defendeu Iago, informaram que irão recorrer da sentença. Durante a sessão, a família da vítima, que permaneceu o tempo todo no plenário, chorou quando o promotor mostrou fotos de Daniel vivo e também de sua ossada. “Eu não sabia que meu filho tinha sofrido tanto, eu acreditava que ele tinha morrido quando levou a primeira pancada, só aqui eu descobri que meu filho foi torturado antes de morrer”, lamentou a mãe Tânia Regina Izidoro, em conversa com esta reportagem. Após a leitura da sentença, a mãe de Daniel e a irmã Gisele Izidoro Cardoso comemoraram.“Finalmentefoi feita a justiça, estamos satisfei- tas com o resultado”, disseram. A linha de defesa do ad- vogado de Rodrigo foi a de Coação Irresistível, em virtude de Rodrigo ter sido ameaçado de morte no dia dos fatos e a subsidiária foi a de menor par- ticipação no crime.Após a sen- tença,DiegoCamposanunciou que irá recorrer por entender queosjuradosjulgaramcontra- riamenteasprovasapresentadas nos autos, pelo uso de algemas durante a sessão e pela quebra da incomunicabilidade dos réus, já que Iago e Rodrigo fo- ramcolocadosemummomento em uma mesma cela. Já, a linha de defesa do advogado de Iago foi a de negativa de autoria e a subsidi- ária de participação de menor importância. Vicente Machado irá recorrer por uso de algemas em plenário e por entender que os jurados julgaram contraria- mente as provas apresentadas nos autos. José Luís também traba- lhou como tese principal a de negativadeautoriaesubsidiária adesemiimputabilidade.Ode- fensor de Maurício vai recorrer também por uso de algemas durante a sessão e por entender queosjuradosjulgaramcontra- riamenteasprovasapresentadas nos autos. Daniel desapareceu em maio de 2015 e em março de 2016 seus restos mortais foram encontrados pela Polícia Civil deArroio do Silva, na localida- de deAreias Brancas.Avítima morava,juntocomosacusados de terem lhe assassinado, pró- ximo de onde foi enterrada. Segundo o Inquérito Po- licial, Daniel estava no quarto dormindo, no período da tarde, quando foi surpreendido por três jovens que o amarraram e desferiram diversos golpes com um martelo na região da cabeça e um golpe de enxada na região do pescoço. O corpo de Daniel foi levado em uma estrebaria, nos fundos do pátio dacasaondemoravame,quan- doanoiteceu,ostrêscolocaram o corpo em cima de um cavalo e andaram por cerca de 600 metros, até as dunas, onde os assassinos o enterraram. Ainvestigaçãoapurouque motivação do crime foi dívida de drogas e ciúmes, pois Iago desconfiava que Daniel tinha um caso com sua mulher. Maurício e Rodrigo teriam participado do assassinato, a pedido de Iago, mentor do crime. ERRATA: Na edição de sexta-feira, 27/10/2017, do Jornal Correio do Sul, na matéria intitulada: “Três são levados a júri por homicídio”, a reportagem escreveu erroneamente o nome de um dos advogados de defesa do caso. Na verdade, o advogado de Rodrigo de Lima é Diego Campos Maciel e não Diego Caldas, como saiu no texto da matéria. O crime
  • 18. 18 PublicidadeJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017 14 PublicidadeJornal Correio do Sul Sexta-Feira, 25 de Agosto de 2017 Av. Papa João XXIII, 438, Parque das Avenidas, Sombrio - SC
  • 19. 19Segurança Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017 M oradora do interior do município de Sombrio, Elisângela de San- tana Barbosa Martins, de 38 anos, foi julgada e condenada a mais de 21 anos de prisão nesta sexta-feira. O júri po- pular aconteceu durante todo o dia no fórum da comarca de Sombrio e era um dos mais esperados dos últimos anos. A ré foi acusada de ho- micídio triplamente qualifi- cado contra um bebê recém- -nascido. O julgamento foi Justiça PM prende três por tráfico Mulher é condenada a mais de 21 anos de prisão Na noite de sexta-feira, a Polícia Militar de Araranguá recebeu uma denúncia de que na Rua José Anastácio, no bairro Jardim Cibele, alguns homens estariam realizando tráfico de entorpecentes. Os policiais militares foram até o local da denúncia e efetuaram a abordagem de três suspeitos e após a abor- dagem, os militares entraram na casa, autorizados pela mãe de um dos suspeitos, inclusive a mulher contou aos policiais que o filho realizava a venda de entorpecentes no local. Foram efetuadas buscas na casa e os militares localiza- ram 376 gramas de maconha, embaladas em quantidades separadas para venda, dinhei- ro e três celulares. Diante dos fatos, os três homens foram detidos e encaminhados para a Central de Plantão Policial (CPP) de Araranguá, bem como a droga, dinheiro e celulares apreendidos. Gislaine Fontoura Araranguá Sombrio Apesar dos argumentos da defesa, o júri condenou Elisângela, que recorre em liberdade A própria mãe do traficante confirmou o crime à Polícia presidido pelo juiz da 2ª Vara Criminal Evandro Volmar Rizzo, tendo como represen- tantes do Ministério Público os promotores Guilherme Luís Dutra e Pedro Luís Vargas e na defesa a advo- gadaAline da Silva Machado Joaquim. Elisângela aguardava julgamento em liberdade, acusada pelo homicídio tri- plamente qualificado (moti- vo torpe, meio cruel e sem chance de defesa à vítima) da própria filha recém-nascida. O crime aconteceu em 2014, em Sombrio, quando a criança logo após nascer foi jogada dentro de um freezer pela mãe. Na época, a mulher que era viúva e tinha dois filhos, passou a ter um rela- cionamento amoroso com o amigo do filho, de 16 anos.A relação era mantida em sigilo devido a diferença de idade e a proibição do filho, que não aceitava a mãe se envolvendo com outro homem. A mulher escondeu a gravidez e na véspera do parto, após sentir o rompi- mento da bolsa, dirigiu-se ao banheiro, sentou-se no vaso sanitário e pariu o bebê ali mesmo. Segundo o Ministério Público, “Após ter dado à luz, de forma cruel e desuma- na, fazendo uso de uma faca de cozinha, Elisângela cortou o cordão umbilical que a liga- va ao bebê e, utilizando-se de meio cruel e de artifícios que tornaram impossível a defesa da vítima, enrolou a criança em três sacolas plásticas, dando nós em todas elas e, como se fosse um objeto qualquer, levou a indefesa criança, ainda viva, ao free- zer de sua residência”. Durante a manhã, foi explanada detalhadamente toda a linha de acusação, e a defesa apresentou o crime como infanticídio, alegando que a mulher teria agido mo- tivada pelo estado puerperal. Mesmo com a ampla defesa, o júri decidiu pela condena- ção, e a pena foi de 21 anos e quatro meses de prisão em regime fechado. A defesa vai recorrer e durante esse tempo a mulher aguardará em liberdade.
  • 20. 20 PublicidadeJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
  • 21. 21Geral Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017 [PeloEstado] - Que balanço faz desses nove meses à frente da SES? Vicente Caropreso - A Secreta- ria de Estado da Saúde lida com um bem que não tem preço, mas promover saúde tem custos. Eu lido com uma situação surreal: a Constituição de 1988 deu direitos irrestritos, ou seja, são infinitas as demandas para um orçamento definido. Esse é um dos grandes desafios para qualquer um que sentar nesta cadeira. Encontrei aqui uma realidade completamen- te diferente da que vivemos em Jaraguá do Sul, que não tem uma presença tão forte ou essencial do Estado de Santa Catarina. Quan- do tem, são doações de órgãos es- taduais ou federais, raros e fruto do prestígio de uma pessoa ou de outra que consegue aportar re- cursos, principalmente hospitais. [PE] - Que realidade o senhor en- controu? Caropreso - Aqui é totalmente diferente. Existem municípios e regiões em que a Saúde é comple- tamente bancada pelo Estado, em seus três níveis (municipal, esta- dual e federal). O pensamento do empresariado e das pessoas é com- pletamente diferente daquele que eu conhecia. Isso vai solidificando cada vez mais a impressão de que são três os níveis da saúde pública, mas só dá certo quando entra um quarto nível: o envolvimento da comunidade, do setor empresarial e do voluntariado. Aí sim as coisas vão bem. E isso é muito impor- tante, porque as pessoas precisam saber quanto custa manter um hospital público, uma organiza- ção social (OS). E a repercussão desses custos para o orçamento de uma cidade! Existem municípios que verdadeiramente investem em saúde e outros que nada fazem, que viram as costas. [PE] - Do que está falando? Caropreso - Vou dar um exemplo – Florianópolis e São José. São PeloEstado Entrevista VICENTE CAROPRESO Natural de Blumenau, Vicente Augusto Caropreso é médico neurologista há quase 40 anos. Serviu como tenente-médico no 23° Batalhão de Infantaria de Blumenau e logo depois se transferiu para Jaraguá do Sul, onde reside e exerce sua profissão desde 1984. Entre 1997 e 1999, atuou como vereador do município. Foi deputado federal por Santa Catarina de 1999 a 2003 e em 2014 foi eleito deputado estadual. Na Assembleia Legislativa, foi presidente das Comissão de Proteção dos Direitos da Criança e do Adolescente e vice-presidente da Comissão de Saúde. Também foi membro das comissões de Prevenção e Combate às Drogas e de Proteção Civil. Em 16 de janeiro, licenciou-se do Legislativo para assumir o cargo de secretário de Estado da Saúde (SES). Nesta entrevista exclusiva que concedeu à Coluna Pelo Estado, Caropreso fala dos muitos desafios que enfrenta para dar conta de todas as tarefas de uma das mais complexas secretarias. Ao final, fala um pouco sobre política e, em um tom quase enigmático, afirma que tem medo de aventureiros: “Não acredito em milagreiros. Tenho receio das confusões que poderemos viver com milagreiros que surgem do nada. Não sou radical e não gosto de radicalismos. A divulgação a esmo de mentiras e o radicalismo têm dominado as mídias sociais. Receio o que possa vir daí. Se não nos entendermos, os aventureiros vão se instalar. Estamos vivendo a pior fase do país, com justiceiros surgindo e conquistando seguidores”. Leia a íntegra da entrevista em centraldediarios.com.br. municípios que recebem um gran- de aporte de recursos do Estado, porque ali estão as maiores estru- turas hospitalares estaduais. Es- sas prefeituras gastam o mínimo na saúde, de uma maneira contro- versa com Jaraguá, Blumenau e outros municípios, onde não tem a participação tão intensiva do Es- tado. Há casos em que as prefei- turas precisam aplicar o dobro do que é previsto em saúde, porque têm que manter plantão de UTI, de emergência e urgência. Essa situação é muito criticada, em Ja- raguá do Sul, minha cidade, mas também em muitas outras que já percorri. Cobram a distribuição equitativa dos recursos da saúde. Sem o efetivo envolvimento das comunidades nas administrações hospitalares, cobrando e pressio- nando, esse quadro não mudará. [PE] - Que outros desafios en- frenta no dia a dia da Secretaria? Caropreso - O corporativismo e a dificuldade de gerenciamento des- sas grandes unidades hospitalares são o meu maior desafio como secretário. Por causa da comple- xidade. Pequenos hospitais são mais fáceis de administrar, mas hospitais que fazem desde con- serto de uma topada no dedo até um transplante de medula óssea... é muita coisa para gerenciar. E esses hospitais da rede pública es- tadual, que são 13, não têm pra- ticamente nenhuma autonomia e ainda sofrem com a pouquíssima participação da comunidade. Al- guns têm conselhos de voluntários que ajudam nos momentos mais críticos, entretanto, são exceção e não regra. Sozinhos, essas 13 uni- dades absorvem R$ 1,1 bilhão por ano de um orçamento geral de R$ 3,2 bilhões. Por outro lado, junto com as cinco unidades mantidas pelo Estado por meio de organi- zações sociais, totalizando 18 hos- pitais, cobrem 28% da população. O restante é atendido por hospi- tais filantrópicos, terceirizados, privados, municipais. Isso cria uma grande chiadeira, porque todo mundo gostaria de ter alguns equipamentos de ponta bancados pelo Estado ou remuneração por serviços muito melhor. E aí vem outro grande problema... [PE] - Qual? Caropreso - O custo, que é muito menor nos filantrópicos, me resol- ve mais do que um custo muito maior dos hospitais da rede pú- blica e de OSs, que também são bancadas pelo público. Por isso estamos focados em modernizar a gestão, rever os contratos de ges- tão e implantar, pela primeira vez na Secretaria, o gerenciamento de todos os números produzidos pelos hospitais do Estado. Hoje, através do programa We Know (Nós Sabemos), temos controle sobre o tempo que uma pessoa ficou internada no pronto-socor- ro, quais as vagas de uma UTI, o tempo para o atendimento de uma pessoa em um pronto-socor- ro, quem é o médico e qual a sua produção, estoque de materiais e medicamentos, inclusive indican- do a data de vencimento. [PE] - No que esse controle ajuda? Caropreso - Garante uma perspec- tiva boa de, pela primeira vez, fa- zermos um orçamento real. Esta- mos aplicando o sistema We Know há cinco meses e já economizamos, mantendo o mesmo nível de aten- dimento, R$ 50 milhões, em insu- mos, comprando melhor, contendo desperdício, controlando horas -extras. Por incrível que pareça, isso nunca tinha acontecido na Secretaria antes. E fizemos outros cortes. Reduzimos em 50% o nú- mero de terceirizados em funções não relacionadas à atividade fim, a prestação de serviços à população. O contrato, que era de R$ 4,5 mi- lhões por mês, caiu para R$ 3 mi- lhões. Sem perda das condições de trabalho. O Estado tem que cortar dentro da sua própria carne. [PE] - Qual a sua meta como se- cretário da Saúde? Caropreso - Deixar a área bem mais organizada e com uma polí- tica definida, processos que sejam mantidos independentemente de quem esteja secretário. Algumas coisas eu vou resolver, mas em um ano, não se pode resolver tudo. Te- mos situações agudas que exigem rápida solução, como transformar mais unidades próprias em OSs. Já estamos fazendo estudo de via- bilidade técnica e financeira, para logo podermos tomar a decisão. A primeira deve ser a unidade de Ibirama e a segunda, a de Lages. Hospitais públicos estaduais, hoje administrados diretamente pelo Estado. As vantagens dessa mu- dança são a redução de custos com recursos humanos e a celeri- dade na compra ou manutenção de equipamentos, infraestrutura. No mínimo, é possível reduzir em 20% o custo. Mas tudo será feito de forma muito cautelosa para não haver prejuízo aos serviços prestados. A equação é lógica – atender mais pessoas com a mes- ma quantidade de recursos. [PE] - Como o senhor está se sen- tindo dentro do governo? Fica até o prazo final para a desincompati- bilização? Caropreso - Política é como o céu, num momento está carregado de nuvens e noutro, limpo como céu de brigadeiro. Tudo vai depender do encaminhamento de várias situações. Politicamente, tenho um limite para suportar fatos ne- gativos que possam afetar minha imagem, minha trajetória. Vamos ver como ficarão os repasses para a Saúde, que vão me dar condi- ções de honrar os compromis- sos assumidos, sem sofrer mais constrangimentos. Nos primeiros quatro meses aqui, passamos por situações bastantes críticas. Meu relacionamento com o governa- dor Colombo é muito bom. Só o que eu preciso é que me repassem, mensalmente, o que a Constitui- ção determina. Sem isso, vivemos situações de desgaste. Bilateral. [PE] - Quais as suas pretensões para 2018? Caropreso - Sou um pré-candi- dato à reeleição como deputado estadual. Está havendo alguma pressão para que eu concorra à Câmara dos Deputados. Vamos definir de acordo com o andar da carruagem. O importante é terminar bem o desafio na Se- cretaria. [PE] - O senhor receia respingos do PSDB nacional na campanha estadual do ano que vem? Caropreso - Todos os partidos ti- veram problemas. O PT, o PSD, o PP, o PMDB... e o PSDB tam- bém, pelo suposto envolvimento do nosso presidente, o senador Aécio Neves. A grande tarefa do ano que vem não vai ser pedir voto, mas convencer o eleitor a sair de casa para votar. A políti- ca é um ato contínuo. É preciso estar muito bem, com a cabeça muito tranquila, para saber fazer essa ciência que é a política; tem que deixar muito claro quais as suas intenções, comprovar a sua biografia e trabalhar bastante. Não acredito em milagreiro. Te- nho receio das confusões que po- deremos viver com milagreiros que surgem do nada. Não sou ra- dical e não gosto de radicalismos. A divulgação a esmo de mentiras e o radicalismo têm dominado as mídias sociais. Receio o que pos- sa vir daí. Se não nos entender- mos, os aventureiros vão se insta- lar. Estamos vivendo a pior fase do país, com justiceiros surgindo e conquistando seguidores. [PE] - Que partidos o senhor pre- fere que estejam em aliança com o PSDB em 2018? Caropreso - A minha preferência é que tenhamos a cabeça de chapa. Ponto (risos). “Estamos focados em modernizar a gestão” Por Andréa Leonora redacao@peloestado.com.br LuisDebiasi
  • 22. 22 PublicidadeJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
  • 23. 23Publicidade Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
  • 24. 24 Publicações LegaisJornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017 EDITAL DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO DO SUL DECRETO Nº 092 DE 27 DE OUTUBRO DE 2017 “Abre Crédito Suplementar ao Orçamento Vigente da Prefeitura Municipal e dá outras providências”. MOACIR FRANCISCO TEIXEIRA, Prefeito Municipal de São João do Sul, Estado de Santa Catarina, no uso de suas atribuições legais e de acordo com o Art. 6º da Lei nº 1796 de 12 de dezembro 2016 (Lei Orçamentária); DECRETA: Art. 1º - Fica determinada a abertura de crédito adicional suplementar no valor de R$ 14.500,00 (quatorze mil e quinhentos reais), para cobertura de dotação do orçamento vigente da Prefeitura Municipal, conforme segue: 0501 – SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO 12.306.0128.2035 – Alimentação Escolar 3.3.90.00.00.00.00.00.0103 – Aplicações Diretas.......................R$ 14.500,00 TOTAL...............................................R$ 14.500,00 Art. 2º - Para cobertura da dotação do artigo primeiro será utilizado o provável excesso de arrecadação de recurso vinculado do PNAE – Programa Nacional de Alimentação Escolar, verificado no exercício corrente. Art. 3º - Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. Gabinete do Prefeito Municipal de São João do Sul, 27 de outubro de 2017. MOACIR FRANCISCO TEIXEIRA Prefeito Municipal Publicado e registrado nesta Secretaria aos vinte e sete dias do mês de outubro do ano de dois mil e dezessete. TAISE DOS SANTOS ALVES Secretária Municipal de Administração e Finanças ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO DE BALNEÁRIO ARROIO DO SILVA AVISO DE LICITAÇÃO PROCESSO LICITATÓRIO Nº 62/2017 PREGÃO PRESENCIAL Nº 37/2017 OBJETO:Aquisição de Veículo 0 km (zero quilômetro), ano/modelo de fabricação 2017/2018, modelo sedan, para utilização na Gestão Municipal do SUAS/PBF e do Cadastro Único com a finalidade de busca efetiva, atualização cadastral e demais serviços de gestão, no Município de Balneário Arroio do Silva. TIPO DE JULGAMENTO: Menor Preço por Item. REGIME LEGAL: Mediante as especificações e condições previstas no Edital, sob a regência da Lei 10.520/2002, Lei nº 8.666/1993 e suas alterações, e Lei Complementar nº 123/2006. ABERTURA DOS ENVELOPES: Iniciará às 14:00 horas, do dia 14 de novembro de 2017, na Sala de Reuniões, na Sede da Prefeitura Municipal, situada na Avenida Santa Catarina, nº 1122, Centro, na Cidade de Balneário Arroio do Silva/SC. INFORMAÇÕES: Pessoalmente ou pelo telefone: (48) 3526-1445. E-mail: licitacao@arroiodosilva. sc.gov.br Balneário Arroio do Silva/SC, 27 de outubro de 2017. JUSCELINO DA SILVA GUIMARÃES Prefeito Municipal ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE SOMBRIO FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE AVISO DE LICITAÇÃO PROCESSO LICITATÓRIO Nº 26/2017 PREGÃO PRESENCIAL Nº 26/2017 REGISTRO DE PREÇOS Objeto: O presente procedimento licitatório tem por objetivo registrar preços para futura e eventual contratação de empresa especializada para fornecimento de alimentos (leites) para fins medicinais específicos e para suplementação de nutrição para distribuição gratuita por via judicial aos pacientes cadastrados junto a secretaria municipal de saúde de Sombrio/SC, conforme especificações constantes do Anexo I do Edital. Tipo de julgamento: Menor Preço por Item. Base Legal: Lei Federal 8.666, de 21 junho de 1993 e alterações posteriores. Entrega dos envelopes: Os envelopes deverão ser entregues até as 10h00min do dia 14 de Novembro de 2017, com inicio do credenciamento e abertura marcada para as 10h30min do dia 14 de Novembro de 2017. Informações e cópia do edital: Departamento de Compras e Licitações da Prefeitura Municipal de Sombrio - SC, sito a Av. Nereu Ramos, 186, Centro - Sombrio/SC, no horário das 08h00 às 13h00min ou pelo Fone (48) 3533-6633. Sombrio/SC, 26 de Outubro de 2017. Gislane Dias da Cunha Secretária Municipal de Saúde SAMAE BALNEÁRIO ARROIO DO SILVA EXTRATO DO CONTRATO Nº 04/2017 – PROCESSO 04/2017 - CONTRATANTE: SERV. AUT. MUN. AGUA E ESGOTO - SAMAE. CONTRATADO: J. DE SOUZA LOURENÇO - EPP. OBJETO: Drenagem pluvial na Rua Farroupilha, no trecho compreendido entre a Avenida Santa Catarina e Rua Guaporé, trecho de Rua este localizado no Loteamento Praia Arroio do Silva Zona Nova, com extensão de 271,40 metros, nesse município de BalneárioArroio do Silva/SC. VALOR DO CONTRATO: R$ 113.990,00 (cento e treze mil e novecentos e noventa reais). VIGÊNCIA: 27/04/2018.
  • 25. 25Publicidade Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017
  • 26. Grêmio fica na frente duas vezes, mas Avaí busca empate e volta ao Z-4Porto Alegre 08-16-28-40-49-50 02-10-11-13-30-33 CONCURSO 1.711 DUPLA SENA 28/10 26-36-43-66-77 CONCURSO 4.518 QUINA 28/10 04-14-20-24-46-50 CONCURSO 1.982 MEGA SENA 28/10 A um passo da final da América, o Grêmio descansou seus titulares para o jogo da volta contra o Barcelona- -EQU, pela semifinal da Libertadores. E mesmo com time reserva, travou um due- lo de igual para igual com o Avaí, neste domingo, na Ressacada, pela 31ª rodada do Brasileirão. Fora de casa, o Tricolor abriu o placar e ficou em vantagem por duas vezes na partida, mas cedeu o empate em 2 a 2 ao rival, com direito a reclamação em um gol mal anulado de Bres- san. Rafael Thyere e Kaio marcaram para os gremistas, em jogadas de Everton. Pe- dro Castro e Leandro Silva igualaram para o Leão, que quase chegou à virada com Maurinho e Joel no fim do jogo, mas parou no traves- são e nas defesas do goleiro Paulo Victor. Com o resulado, o Avaí perdeu posições para a Ponte Preta e para o Coxa. Com os mesmos 35 pontos dos dois rivais citados, assim como o Sport, o Leão da Ilha termina a rodada na 18ª posição por conta do critério de desempa- te - uma vitória a menos que os adversários. O Grêmio, com 51, tirou um ponto da diferença para o Corinthians, mas perdeu a chance de encostar mais no líder, que tropeçou no Brasileirão. Na próxima rodada, o Avai volta a campo primeiro. No sábado, tem duelo direto e importante diante do Cori- tiba, na capital paranaense, às 21h. O Grêmio entra em campo novamente pelo Bra- sileirão no domingo, às 17h, diante do Flamengo, em casa. Antes, porém, o Tricolor re- cebe o Barcelona de Guaya- quil, na quarta-feira, no jogo de volta pelas semifinais da Libertadores, às 21h45, na Arena do Grêmio. Mesmo com a formação reserva, o Grêmio foi supe- rior desde o início da partida, com o controle da posse de bola até abrir o placar com Rafael Thyere, após boa jogada de Everton e falha na saída de bola do time da casa, que sentia a pressão crescer pelo gol rival e pela tabela de classificação. O Tricolor seguiu melhor e chegou a ampliar a vantagem em gol mal anulado de Bressan, mas cedeu o empate para o contestado Pedro Castro. O volante aproveitou sobra de escanteio e fez um golaço, mas comemorou pouco e em silêncio, antes de ser levan- tado pelos companheiros. Os donos da casa então cresce- ram em campo, mas Everton voltou a desequilibrar em JORNAL CORREIO DO SUL Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017 outra bela jogada individual para servir Kaio, no segundo gol gremista. A partir daí, o Leão pressionou, mas em vão, a meta rival. Na etapa final, mesmo sem substituições, o Leão voltou melhor e partiu para cima. Logo no primeiro minuto quase empatou com Leandro Silva, mas Paulo Victor salvou. Judson tam- bém tentou, da entrada da área, e ficou no quase. O Tricolor, porém, não estava morto: em boa jogada de Jael e Michel, o volante não ampliou pelo misto de falta de precisão e de sorte. Sem alterar o placar, Claudinei começou a mudar oAvaí. Joel e Capa entraram aos 15 minutos do segundo tempo e, logo aos 17, o Leão chegou ao empate. Na sobra do escanteio, Betão chutou, Leandro Silva deu desviou e garantiu o placar igual na Ressacada: 2 a 2. O lateral direito quase levaria o time da casa à virada, mas o goleiro tricolor novamente trabalhou para evitar o pior. Precisando vencer para não terminar a rodada no Z-4 novamente, o Leão insistiu até o fim. Júnior Dutra bateu de longe, mas não assustou, diferente de Maurinho, que soltou uma bomba de fora da área e fez a estrutura da meta gremista tremer ao acertar o travessão. Paulo Victor ainda faria mais um milagre, aos 42, em cabe- ceio a queima-roupa de Joel para garantir a igualdade na Ressacada.
  • 27. Guto reconhece Inter "abaixo" e pede paciência por acesso Araranguá Porto Alegre Nesse domingo o Ara- ranguá venceu o Interna- cional de São Defende, pelo placar de 2 x 1 de virada. O primeiro jogo do mata- U ma frus- tração do tamanho do Beira- -Rio para os colorados neste sábado. Os mais de 38 mil presentes esperavam uma vitória den- tro de casa para chegar ao nú- mero considerado suficiente para o acesso, ainda que sem a chancela matemática. Mas o Ceará acabou com os planos do Inter. A derrota por 1 a 0 foi vista por Guto Ferreira como uma partida "competitiva" dos colorados, mas abaixo das últimas atu- ações. O comandante pediu paciência para os torcedores pela garantia da presença na Série A em 2018. Se vencesse, o Inter che- garia aos 64 pontos, o que virtualmente garantiria o acesso. No entanto, um gol de Elton impediu tal situação. São mais seis rodadas para tal, o que faz o treinador manter a calma e valorizar a liderança da Série B, três pontos à frente justamente do Ceará. – Estivemos abaixo do que vínhamos jogando, mas ainda assim fizemos um jogo competitivo. Não consegui- mos chegar com chances claras, mas eles também não. Foi um primeiro tempo muito parelho. No segundo tempo, quando estávamos melhor na partida, acabaram achando um espaço e fizeram o 1 a 0. A mudança criou vários oportunidades, mas não criou o principal, o gol. Infeliz- Brasileirão Série A Brasileirão Série B 27Esporte -mata das quartas de finais do Campeonato Regional da Larm, aconteceu no Estádio Olavo de Assis Sartori, em Criciúma. O Inter jogando diante de sua torcida, abriu o placar nos acréscimos do 1º Jornal Correio do Sul Segunda-Feira, 30 de Outubro de 2017 mente, para a frustração de todos, nossa, dos jogadores, do torcedor que veio, não conseguimos chegar no nú- mero cabalístico. Paciência. Tem seis rodadas para se jo- gar ainda. Temos hoje ainda a liderança pela campanha que a gente fez até aqui. É procurar fazer muito melhor e buscar o resultado que faltou – analisou o técnico. O desempenho conside- rado ruim pelos colorados, que vaiaram o time após o apito final, passa pelas au- sências de Rodrigo Dourado e Leandro Damião. Ques- tionado sobre a necessidade de minimizar as baixas de ambos, lembrou as convoca- ções da dupla para a seleção brasileira – Dourado para o ouro olímpico, enquanto Damião em anos anteriores. – Estamos falando de dois jogadores, um recente- mente no plantel de medalha de ouro olímpico e outro que já esteve em patamar de Seleção. Não é fácil substi- tuir dois desses jogadores. E passa pela postura do adversário. O Roberson acho que esteve bem no jogo. O Charles em uma situação de amarelo, acabou se incomo- dando e tendo uma conduta um pouco inferior a partidas brilhantes que ele fez. Não vamos chegar aqui e colocar a situação para esse lado. São jogadores que são pilares da equipe. Se mexe no pilar, cai um pouco em termos de qua- lidade. Não acho que é falta de trabalho, é o momento decisivo, essa reta final. Se pega e começa a puxar a tabela, semana passada o Ce- ará, no último minuto, dentro de casa, conseguiu o empate contra o Figueirense. Que até pouco tempo figurava na zona de rebaixamento. Todo mundo se entrega no limite e os detalhes fazem diferença. Hoje isso aconteceu contra nós – explicou Guto. Mesmo com o revés, o Inter segue na liderança iso- lada da Série B, com 61 pon- tos, mas viu o próprio Ceará encostar, na vice-liderança, com 58. As perspectivas de acesso, porém, seguem inalteradas: basta mais uma vitória para atingir os 64 pontos, o número considera- do suficiente para garantir o retorno à elite, embora ainda não matematicamente. O In- ter voltará a jogar na próxima sexta-feira, às 19h15, contra o CRB, dentro do Beira-Rio. tempo, com Saimon. Na se- gunda etapa, oAEC veio com tudo tendo inúmeras chances, e virou o jogo, com gols dos meio campistas Marcel Eme- rim e Maicon Viana. O jogo da volta acontece dia 11 de novembro, no Estádio Ma- noel Gregório, bairro Santa Catarina, em Araranguá. Os Araranguaenses precisam apenas de um empate, para obter a classificação as semi- finais da competição. AEC vence e está a um empate da Semi
  • 28. SEGUNDA-FEIRA, 30 DE OUTUBRO DE 2017