Apresentação Zoé Lucas de Brito Filho

234 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
234
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação Zoé Lucas de Brito Filho

  1. 1. Assembleia Legislativa de São Paulo Comissão da Verdade do Estado de São Paulo “Rubens Paiva” Presidente: Adriano Diogo (PT) Relator: André Soares (DEM) Membros Titulares: Ed Thomas (PSB), Marco Zerbini (PSDB) e Ulysses Tassinari (PV) Suplentes: Estevam Galvão (DEM), João Paulo Rillo (PT), Mauro Bragato (PSDB), Orlando Bolçone (PSB) e Regina Gonçalves (PV) Assessoria Técnica da Comissão da Verdade: Ivan Seixas (Coordenador), Amelinha Teles, Tatiana Merlino, Thais Barreto, Vivian Mendes, Renan Quinalha e Ricardo Kobayaski
  2. 2. 2 Zoé Lucas de Brito Filho (Assassinado em 28 de junho de 1973) Dados Pessoais Nome: Zoé Lucas de Brito Filho Data de nascimento: 17 de agosto de 1944 Local de nascimento: São João do Sabugi (RN) Organização Política: Ação Libertadora Nacional (ALN)
  3. 3. 3 Biografia Nasceu em 17 de agosto de 1944, em São João do Sabugi (RN), filho de Zoé Lucas de Brito e Maria Celeste de Brito. Morto em 28 de junho de 1973. Militante da Ação Libertadora Nacional (ALN). Fez o curso primário no Grupo Escolar Senador José Bernardo, em São João do Sabugi, cidade em que morou até 1958. Em 1959, mudou-se para Caicó (RN), onde conclui o curso ginasial no Ginásio Diocesano Seridoense, em 1962. Zoé completou o segundo grau (atual ensino médio) na cidade de Recife (PE), ingressando posteriormente no curso de Geografia na Universidade Federal de Pernambuco. Nessa época, participou do movimento estudantil, na capital pernambucana.
  4. 4. 4 Inicialmente, foi militante do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR) e, a partir de dezembro de 1969, da Ação Libertadora Nacional, condição na qual foi preso em 31 de março de 1970. Permaneceu detido durante sete meses, percorrendo diversas prisões: 2ª Companhia de Guarda, Forte de Cinco Pontas e Casa de Detenção do Recife. Antes de ser preso, Zoé era professor de Geografia, exercendo a profissão em escola particular. Depois de libertado, ficou alguns meses no Recife, mas, diante do cerco e das ameaças policiais, viajou para São Paulo. Nesta cidade passou a trabalhar como corretor de imóveis. Seu corpo foi encontrado dilacerado sobre os trilhos da estação de trem Ipiranga, em São Paulo, em 28 de junho de 1973. As circunstâncias de sua morte continuam obscuras.
  5. 5. 5 A testemunha que comunicou ao seu irmão o falecimento de Zoé não se identificou. Atualmente, seus familiares buscam elementos de prova com o objetivo de obter o reconhecimento da responsabilidade da União pelo assassinato de Zoé Lucas de Brito Filho. Estas informações foram fornecidas pelo Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Alagoas (CDHMP). Seu nome não constava do Dossiê dos Mortos e Desaparecidos Políticos a Partir de 1964 e nenhum requerimento sobre seu caso foi encaminhado para a apreciação da CEMDP. DOSSIÊ DITADURA: Mortos e Desaparecidos Políticos no Brasil 1964-1985. IEVE- Instituto de Estudos Sobre Violência do Estado e Imprensa Oficial, São Paulo, 2009.

×