Apresentação Edson Neves Quaresma

255 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
255
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação Edson Neves Quaresma

  1. 1. Assembleia Legislativa de São Paulo Comissão da Verdade do Estado de São Paulo “Rubens Paiva” Presidente: Adriano Diogo (PT) Relator: André Soares (DEM) Membros Titulares: Ed Thomas (PSB), Marco Zerbini (PSDB) e Ulysses Tassinari (PV) Suplentes: Estevam Galvão (DEM), João Paulo Rillo (PT), Mauro Bragato (PSDB), Orlando Bolçone (PSB) e Regina Gonçalves (PV) Assessoria Técnica da Comissão da Verdade: Ivan Seixas (Coordenador), Amelinha Teles, Tatiana Merlino, Thais Barreto, Vivian Mendes, Renan Quinalha e Ricardo Kobayaski
  2. 2. 2 Edson Neves Quaresma (Morto em 5 de dezembro de 1970) Dados Pessoais Nome: Edson Neves Quaresma Data de nascimento: 11 de dezembro de 1939 Local de nascimento: Itaú – Município de Apodi (RN) Organização Política: Vanguarda Popular Revolucionária (VPR)
  3. 3. 3 Biografia Nasceu em 11 de dezembro de 1939, em Itaú, no município de Apodi (RN). Filho de Raimundo Agostinho Quaresma e Josefa Miranda Neves. Morto em 5 de dezembro de 1970. Militante da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR). Estudou até a 5ª série do curso primário em Natal (RN). Em 1958, ingressou na Escola de Aprendizes de Marinheiros, saindo como grumete em 1959. Logo em seguida, foi prestar serviços no cruzador Tamandaré. Com a criação da Associação de Marinheiros e Fuzileiros Navais do Brasil, Edson passou a integrar seus quadros, atuando como tesoureiro da entidade.
  4. 4. 4 O golpe militar reprimiu duramente o movimento dos praças da Marinha, resultando na prisão e confinamento de Edson na Ilha das Cobras (RJ), por um período de um ano e dois meses. Em 31 de dezembro de 1964, foi expulso da Armada e, após ser libertado, iniciou sua vida na clandestinidade. Viajou para Cuba, onde fez treinamento militar. Regressou ao Brasil em julho de 1970, militando na VPR. José Anselmo dos Santos, o agente policial infiltrado na VPR, conhecido como Cabo Anselmo2, estava vivendo em Cuba desde 1967 e retornara ao Brasil em 15 de setembro de 1970. Segundo seu depoimento prestado no DOPS/SP, sem data, à página 9, podemos ler: “Em junho ou julho de 1970, vieram José Maria [Ferreira de Araújo] e Quaresma, deviam preparar as condições para receber-nos. Em setembro deveríamos vir, eu e Evaldo. Mas Evaldo ficou retido por ato indisciplinar, que desconheço qual seja. Fui enviado sozinho”. DOSSIÊ DITADURA: Mortos e Desaparecidos Políticos no Brasil 1964-1985. IEVE- Instituto de Estudos Sobre Violência do Estado e Imprensa Oficial, São Paulo, 2009.

×