Successfully reported this slideshow.
ADMINISTRAÇÃO DE BASES DE DADOS
Introdução
Carlos Pampulim Caldeira
www.di.uevora.pt/~ccaldeira
www.ecologiadosdados.com/
...
Endereços do Porão
Entrega de trabalhos: via Moodle
Endereço para dúvidas: Fórum apoio à uc
no Moodle
Referências
1. Caldeira, C. (2015). A Arte das Bases de
Dados. 1ª Edicão – 2ª Impressão. Edições
Sílabo, Lisboa.
2. Mullin...
Mercado
DB-Engines Ranking of Relational
DBMS, Fev. 2015
Mercado
Mercado
Plataformas
• Mainframes
• Unix, (Linux,…)
• Windows
Segmento de mercado
• Teradata
Ofertas de Emprego – 05/02/2015
Mitos das Bases de Dados
• IDs como chave primária
• Denominações
• Regras de integridade
• E-R
Mitos das Bases de Dados
1970 – Cood “A Relational Model of Data for Large Shared Data Banks”
1976 – Chen “The Entity-Rela...
1ªs versões de SGBDR
1971 – ADABAS
1979 – ORACLE (version 2)
Funções dos SGBDR
Numa perspectiva macro todos os SGBDR fazem a mesma
coisa:
• Armazenar e pesquisar dados
• Gerir o espaç...
Funções do DBA
Numa perspectiva macro todos os DBAs fazem a mesma
coisa.
Como um automóvel também todos os SGBDR têm
denom...
Administração de bases de dados   introdução
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Administração de bases de dados introdução

336 visualizações

Publicada em

Database Administration, Administração de Bases de Dados, Universidade de Évora

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Administração de bases de dados introdução

  1. 1. ADMINISTRAÇÃO DE BASES DE DADOS Introdução Carlos Pampulim Caldeira www.di.uevora.pt/~ccaldeira www.ecologiadosdados.com/ www.linkedin.com/in/carlospampulimcaldeira
  2. 2. Endereços do Porão Entrega de trabalhos: via Moodle Endereço para dúvidas: Fórum apoio à uc no Moodle
  3. 3. Referências 1. Caldeira, C. (2015). A Arte das Bases de Dados. 1ª Edicão – 2ª Impressão. Edições Sílabo, Lisboa. 2. Mullins, C. (2012). Database Administration: The Complete Guide to Practices and Procedures. 2nd Edition. Addison-Wesley Professional.
  4. 4. Mercado
  5. 5. DB-Engines Ranking of Relational DBMS, Fev. 2015
  6. 6. Mercado
  7. 7. Mercado
  8. 8. Plataformas • Mainframes • Unix, (Linux,…) • Windows Segmento de mercado • Teradata
  9. 9. Ofertas de Emprego – 05/02/2015
  10. 10. Mitos das Bases de Dados • IDs como chave primária • Denominações • Regras de integridade • E-R
  11. 11. Mitos das Bases de Dados 1970 – Cood “A Relational Model of Data for Large Shared Data Banks” 1976 – Chen “The Entity-Relationship Model: Toward a Unified View of Data”
  12. 12. 1ªs versões de SGBDR 1971 – ADABAS 1979 – ORACLE (version 2)
  13. 13. Funções dos SGBDR Numa perspectiva macro todos os SGBDR fazem a mesma coisa: • Armazenar e pesquisar dados • Gerir o espaço de armazenamento • Mecanismos de salvaguarda e recuperação • Utilizam a RAM como vector de performance • Aplicam o locking como medida integridade • Incluem o SQL • Outros……
  14. 14. Funções do DBA Numa perspectiva macro todos os DBAs fazem a mesma coisa. Como um automóvel também todos os SGBDR têm denominadores comuns. Os SGBDR são semelhantes entre si. Podem é ter que ser conduzidos de modos diferentes.

×