Quando o poder muda de mãos - A cultura na era digital

2.412 visualizações

Publicada em

Apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso "Quando o poder muda de mãos - A cultura na era digital". Aprovado com dez ;-) pela banca formada por Ubiratan Brasil e Roberto Joaquim, no dia 14 de dezembro de 2009. Para todos que nos acompanham nestes últimos meses serve como uma prévia do livro que será postado no blog (http://culturanaeradigital.wordpress.com/). Para saber mais siga-nos no Twitter (@digital_cultura)

Publicada em: Tecnologia, Turismo
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.412
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Quando o poder muda de mãos - A cultura na era digital

  1. 1. QUANDO O PODER MUDA DE MÃOS A CULTURA NA ERA DIGITAL
  2. 2. A CULTURA NA ERA DIGITAL “ Creio que as mudanças atuais na tecnologia da comunicação são tão revolucionárias quanto aquelas iniciadas por Gutenberg. Mas levou um longo tempo para que a palavra impressa penetrasse profundamente na sociedade. A maior parte da população continuou analfabeta e fora do alcance de livros impressos mesmo muito tempo depois de Gutenberg.” Robert Darton
  3. 3. A CULTURA NA ERA DIGITAL <ul><li>Objetivo </li></ul><ul><li>Realizar um livro-reportagem acessível que mostrasse como as indústrias literária, cinematográfica e fonográfica vêm sendo afetadas pela internet e pelas tecnologias digitais </li></ul><ul><li>O projeto aborda a conjuntura atual do fazer, distribuir, divulgar e consumir cultura em todo o mundo, priorizando os exemplos e experiências nacionais </li></ul><ul><li>A reportagem contempla a mudança de poder em relação a escolha, o acesso e a produção cultural da indústria para o público e os artistas </li></ul><ul><li>Após finalizado e avaliado pela banca examinadora, o livro será disponibilizado gratuitamente em culturanaeradigital.wordpress.com </li></ul>
  4. 4. A CULTURA NA ERA DIGITAL <ul><li>Justificativa </li></ul><ul><li>O formato livro foi escolhido pois permite que textos longos sejam desenvolvidos, assim como oferece uma boa plataforma para análise e argumentação, o que é importante para o tema </li></ul><ul><li>O assunto foi escolhido pelo momento histórico que se vive, pela importância das mudanças culturais na sociedade e pela afinidade da dupla com a área </li></ul><ul><li>Para atingir o público interessado e criar possíveis leitores, além de contribuir com a discussão que já existe na sociedade sobre o tema, criou-se o blog culturanaeradigital .wordpress.com e o perfil @ digital_cultura no Twitter </li></ul>
  5. 5. A CULTURA NA ERA DIGITAL <ul><li>Dificuldades </li></ul><ul><li>Conseguir agendar entrevistas com pessoas famosas ou importantes na área em que atuam devido a agenda atribulada de cada uma </li></ul><ul><li>Monitorar todas ou ao menos boa parte das reportagens, das pesquisas e dos livros que já foram publicados sobre o assunto </li></ul><ul><li>O desafio de escrever um livro-reportagem sem experiência nesse tipo de atividade e em pouco tempo </li></ul>
  6. 6. QUANDO O PODER MUDA DE MÃOS “ As pessoas estão demandando o direito de consumir o que querem, onde querem, quando quiserem e da forma que melhor lhes convir. E se a indústria cultural não os atendê-los, o pirata fatalmente irá.” Henry Jenkins
  7. 7. QUANDO O PODER MUDA DE MÃOS <ul><li>Capítulo 1 </li></ul><ul><li>A história da mudança de comportamento do público, de receptor passivo a consumidor ativo </li></ul><ul><li>De 1999 (Napster) em diante, as possibilidades abertas pela internet e as novas tecnologias digitais intensificaram essa mudança de comportamento, que colocou em xeque os antigos modelos de negócio da indústria cultural </li></ul><ul><li>Hoje, o público conectado tem o poder de escolher o que quer consumir, do jeito que lhe for mais conveniente. E, algumas empresas já começam a se adaptar </li></ul>
  8. 8. O ARTISTA NA ERA DIGITAL “ (...)Brecht falava do rádio que ‘agora sim nós vamos poder trocar informações livremente, agora nós vamos poder, cada um vai ser emissor com o rádio’. Só que o rádio não virou isso. A internet não é uma utopia, ele é uma topia, ela já é um fato, porque ela é efetivamente isso. Ela permite a auto-expressão, queiram ou não.” André Lemos
  9. 9. O ARTISTA NA ERA DIGITAL <ul><li>Capítulo 2 </li></ul><ul><li>Como artistas novos e estabelecidos tiram proveito da internet, sejam eles músicos, escritores e cineastas </li></ul><ul><li>Artistas, que teriam dificuldade em encontrar espaço no mercado estabelecido, conseguem mostrar seus trabalhos </li></ul><ul><li>Tanto a indústria convencional quanto a internet são opções viáveis para a carreira artística </li></ul><ul><li>Na medida em que a web evolui de alternativa para opção comum, aparecer se torna cada vez mais difícil </li></ul><ul><li>Periferias do Brasil e da Nigéria desenvolvem novos modelos de negócio na área cultural a partir das ferramentas digitais </li></ul>
  10. 10. PIRATARIA, UM OUTRO OLHAR “ Se você tiver uma maçã e eu outra, e as trocarmos, cada um de nós continuará com uma maçã. Mas se você tiver uma ideia e eu outra, e trocarmos essas ideias, então cada um de nós terá duas ideias.” George Bernard Shaw
  11. 11. PIRATARIA, UM OUTRO OLHAR <ul><li>Capítulo 3 </li></ul><ul><li>Nascimento controverso da indústria fonográfica e cinematográfica, entre outras: olhar para o passado ajuda a entender o momento atual </li></ul><ul><li>O argumento “pirataria” é costumeiramente utilizado por quem se sente ameaçado por novas invenções. Não é um termo novo </li></ul><ul><li>Porque as legislações ao redor do mundo não são modificadas para conter nova compreensão sobre o que é direito autoral nos dias de hoje </li></ul><ul><li>Movimentos políticos surgidos na esteira do compartilhamento de arquivos </li></ul>
  12. 12. CULTURA E TECNOLOGIA AO LONGO DO TEMPO “ Em cada período histórico, a cultura fica sob o domínio da técnica ou da tecnologia de comunicação mais recente. Contudo, esse domínio não é suficiente para asfixiar as formações culturais preexistentes. Afinal, a cultura comporta-se sempre como um organismo vivo e, sobretudo, inteligente, com poderes de adaptação imprevisíveis e surpreendentes.” Lúcia Santaella
  13. 13. CULTURA E TECNOLOGIA AO LONGO DO TEMPO <ul><li>Capítulo 4 </li></ul><ul><li>Aponta-se o longo caminho feito por livros, filmes e músicas desde o seu surgimento como produto até hoje. São abordadas as especificidades da literatura, do cinema e da música popular </li></ul><ul><li>Mostra-se como a relação das pessoas com estes produtos culturais foi sendo moldada pelas tecnologias de cada época em compasso com diferentes momentos históricos </li></ul><ul><li>Revela-se os prováveis caminhos da cultura na era digital nos próximos anos </li></ul>
  14. 14. QUANDO O PODER MUDA DE MÃOS “ O digital ao mesmo tempo em que deu voz a todas as pessoas com acesso a um computador também concentrou poder na mão de algumas poucas empresas, com destaque para a Apple, na música, a Netflix, nos filmes, a Amazon, nos livros, e o Google nas diferentes mídias. (...) Parte da indústria cultural estabelecida durante o século XX está sofrendo para sobreviver aos novos tempos, entretanto, um batalhão de outras empresas estão logo atrás na fila para ocupar rapidamente qualquer brecha aberta. Assim, o poder pode até ter mudado de mãos. Resta saber, no entanto, o que público, artistas e empresas que conseguirem se adaptar vão fazer com ele a partir de agora” Bruno Galo e Livia Wachowiak
  15. 16. Bruno Gonçalves Galo e Livia Barreto Wachowiak Junqueira Orientador: Prof. Dr. Herom Vargas Banca: Prof. Roberto Joaquim e Ubiratan Brasil

×