Apostila de pontos_cantados

60.617 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Apostila de pontos_cantados

  1. 1. AELA Pontos Cantados “Não desejamos recompensas que não são duráveis. O verdadeiro servir, alegremente prestado de coração, cria valoresde salvação no mundo astral ...” (Provérbio Japonês) RITUAL DE ABERTURA
  2. 2. AELA Pontos Cantados Hino da Umbanda Ponto de Defumação da Assistência Refletiu a luz divina com todo o seu esplendor Povo de Umbanda É no reino de Oxalá Vem ver os irmãos seus Onde há paz e amor Defuma seus filhos Luz que refletiu na terra Nas horas de Deus Luz que refletiu no mar Luz que veio de Aruanda Para tudo iluminar. Umbanda é paz e amor É um mundo cheio de luz É a força que nos dá vida Ponto da saudação às sete linhas E a grandeza que nos conduz Avante filhos de fé Xangô de Jacutá Como a nossa Lei não há Salve Oxossi, Salve Ogum Levando ao mundo inteiro Salve os três reis de Umbanda A bandeira de Oxalá Em Aruanda ... Salve Oxalá Salve Olorum Xangô Kaô ... Xangô auê ... Salve Yemanjá, Salve Ibejê Ponto de defumação do Altar Salve o povo de Umbanda Em Aruanda Nossa Senhora , Salve Obaluauê. Incensou seu amado filho Para dele seus males tirar Eu incenso o altar de nossa Tenda Pro mal sair e o bem entrar Prece de Abertura Ponto de defumação da corrente Nesse momento é realizada, pelo Dirigente dos trabalhos ou por qualquer outro irmão da corrente, Corre a gira meu São Jorge uma prece pedindo licença para a Filhos quer se defumar abertura dos trabalhos, saudando os Umbanda tem fundamento setes Orixás de Umbanda, bem como É preciso preparar Cheira incenso e alecrim o Nhô Benedito, Patrono do Templo da AELA, Seu Pena Branca e todos Cheira arruda e a guiné Umbanda tem fundamento os Guias e Mentores espirituais que Defuma filhos de fé por ventura venham a nos auxiliar nos trabalhos.
  3. 3. AELA Pontos Cantados Saudação ao Anjo da Guarda Saudação ao Caboclo Pena Branca Anjo da Guarda No céu de Oxalá uma estrela Que vem de Aruanda Estrela de raro esplendor Vem, Vem descarregar A lua enterneceu-se ao vê-la Todos os filhos de Umbanda E a terra em prato tornou A cascata na verde floresta Saudação à Xangô Seu véu água prata deixou Por entre a pujança da mata Bate a Cabeça Foi seu Pena Branca quem chegou Filhos de Umbanda E neste Terreiro Ele é o nosso chefe Xangô Saravando Ele veio nos trazer a paz A esperança, a fé e a sua força audaz Com ele aprendemos a ser lutadores Cerimônia de Casamento Com ele podemos sair vencedores Com licença de Pai Oxalá Resplandece a aurora Pela luz que vibra no congá Nesta Tenda de Luz Nós seus filhos cobertosCom amor da Virgem da Conceição De um céu com uma cruzO povo de Aruanda vem firmar essa união Salve seu Pena Branca, Salve... Salve seu Pena Branca, Salve... Os filhos que Oxalá unir O rio murmurando cantigas O mundo não vai separar Com elas um barco formou E as nossas saudades antigas Encruza esses filhos na Umbanda Nas suas doces águas levou Pelo poder de Zambi Pela força da Lei O povo da mata cantando Seu canto de amor e de paz O seu Pena Branca saudando a fé E a coragem que ele que ele nos traz Ponto de Defumação Cada orvalho, uma gota, uma cor Na singela beleza da flor Defuma com as ervas da Jurema O verde da folha é esperança Defuma com arruda e guiné A prece um hino de amor Benjoim, alecrim e alfazema Vamos defumar filhos de fé Há benção de luz sobre as matas Que o luar envolveu e abraçou Oxossi permitiu o caminho Por onde seu Pena Branca chegou ...
  4. 4. AELA Pontos Cantados Saudação ao Dirigente Espiritual Um grito na mata ecoou Foi Seu Pena Branca que chegou Nesse momento, o Ogã faz a saudação ao Chefe Espiritual dos Com sua flecha, com seu cocar trabalhos. Seu Pena Branca vem pra ajudar Logo após entoa-se o Ponto deSaudação do Caboclo Pena Branca. Ponto de Saudação aos Caboclos Também poderão ser entoados outros pontos de chamada do Caboclo Pena Branca, de acordo Diz orerê, orerê, orará com a orientação. Diz orerê, orerê, orará Filhos de Umbanda quando vem prá trabalharPonto de Chama do Caboclo Pena Vem trazendo a sua gente Branca Para todo o mal levar Estava na mata Agora vamos saravar, filhos de Estava trabalhando Umbanda Seu Pena Branca, passou me Agora vamos saravar, filhos de chamando Umbanda Eu vou, eu vou, Onde é que mora Saravá Ele como Chefe do Terreiro Ele mora nas matas Saravá Ele com todos os seus De Nossa Senhora companheiros. Ele vem, Ele vem trabalhar Ele é o Pena Branca Da tribo Guará Ponto de saudação às sete linhas Vem ó caboclo Vem Pena Branca Vem trabalhar Vou saudar as setes linhas de Vem dar esperança Umbanda Oxalá, Xangô e Yemanjá És caboclo da fé e esperança Oxossi, Pretos Velhos e Ogum Da luz brilhante Oriente é quem vem iluminar Da força branca
  5. 5. AELA Pontos CantadosApós a incorporação do Guia Quando os caboclos catam as folhasChefe, o Samba passa a entoar o da Juremaponto a seguir, que tem por E os Pretos-Velhos trazem arruda efinalidade saudar o Guia Chefe e os guinédemais Caboclos que irão trabalhar Eles vêm trabalhar na Lei deno terreiro. Umbanda Têm licença de Aruanda Prá salvar a quem tem fé Pontos de Chamada de falange de O sabiá canta alegre na palmeira Caboclos E Xangô lá na pedreira Os seus filhos vão chegar Meu pai Ogum empunhando a sua Sete Caboclos, espada Sete Flecheiros, Dando o toque de alvorada Sete Lanceiros. Toda linha vai chegar Firma seu ponto na cachoeira Salve os caboclos, salve os pretos, Que os caboclos vão chegar salve Oxalá... Salve Ogum, Salve Xangô Firma seu ponto E nossa mãe Yemanjá Saravá meu Pai Xangô Quem manda lá nas matas É Oxossi caçador Salve os caboclos que vem de Aruanda Salve os caboclos que vem trabalharNa sua aldeia têm os seus caboclosNas suas matas têm as cachoeiras Salve os caboclos que vem deNo seu saiote tem penas douradas Aruanda Seu capacete brilha na alvorada. Trazendo as forças de Oxalá Este caboclo que vem lá de Aruanda Caboclo deixou as campinas Vem girar neste Congá E o Oxossi da mata mandou lhe chamar Com sua flecha, Com sua lança, Quero ver os caboclos descer Oi, ele gira no meu Congá Quero ver os guerreiros apear Oi ele gira, Oi ele gira, Oi ele gira, no meu Congá
  6. 6. AELA Pontos Cantados Ponto de Saudação às Sete Linhas Caboclo que vem da mata de Umbanda Da mata traz seu poder Venho das tribos de Guarará Arreia caboclo, arreia Arreia que eu quero ver Onde as cachoeiras cantam Ao amanhecer Onde a lua e as estrelas brilham Ao anoitecer Ponto para firmeza de pontos Saravá Ogum... Saravá Mãe Yemanjá riscados Saravá Oxossi... Saravá Xangô Firma ponto no terreiro Filhos de Umbanda Firma ponto meu irmão Escutem o que eu vou contar Quem é da linha de Umbanda Pisem na Umbanda, Tem sempre a pemba na mão mas com vagar. Xangô, meu paiQuem é da linha de Umbanda não cai Oxossi, meu paiQuem é da linha de Umbanda não cai Ponto para cruzamento de novos membros da corrente Ogum, meu paiQuem é da linha de Umbanda não cai Encruza, encruza Encruza meu pai encruza Ponto para defumação Ele vai cruzar, Ele vai cruzarEstá cheirando Umbanda... Cheirou! Ele vai cruzar na Lei de Umbanda Está cheirando mirra... Cheirou! Ele vai cruzar. Está cheirando incenso... Cheirou! Está cheirando lírio... Cheirou! Ele está cruzando, Está cheirando rosa... Cheirou! Ele está cruzando Ele está cruzando na Lei de Umbanda Ponto para Batizado Ele está cruzando Batiza, Batiza Ele já cruzou, Filho de Oxalá Ele já cruzou, Ele já cruzou na Lei de Umbanda Na Lei de Umbanda Ele já cruzou Na proteção de Yemanjá
  7. 7. AELA Pontos Cantados São João Batista Cruza, cruza Batizou Jesus Símbolo de Oxalá Batiza esse filho Na Lei de Umbanda Na sua santa cruz Na proteção de Yemnjá Pontos para abertura da Gira Olhai por nós meu Pai Oxalá Olhai por nós minha mãe Yemanjá Abre a porta ó gente Abre os nossos caminhos na Que aí vem Jesus Umbanda Ele vem cansado, Com muita fé queremos trilhar com o peso da cruz Vem de porta em porta Vem de rua em rua Prá salvar as almas Sem culpa nenhuma Ponto de saudação à visitas especiais Abrindo, nossos trabalhos Aonde estão Pedimos a proteção Os companheiros de Umbanda Ao nosso Pai Oxalá Aonde estão Para cumprir - mos nossa missão Aqui estão Os companheiros de Umbanda Aqui estão Eu abro a minha gira Pedindo a Oxalá São João Batista Vibrai, vibrai, vibrai Vem, vem ,vem Vibrai por todos nós Sua gente vem chegando de Aruanda Salve a fé e a caridade Salve os filhos de Umbanda São João Batista Oh minha Zambi Vem, vem ,vem Oh minha Zambi Sua gente vem chegando de Aruanda Me feche a porta Salve o povo cor de rosa Me abre o terreiro Salve os filhos de Umbanda
  8. 8. AELA Pontos Cantados LINHA DE OXALÁ DENTRO DO SINCRETISMOCATÓLICO SIMBOLIZADO POR JESUS CRISTO PONTOS QUE VIBRAM NA LINHA DE Dia da Semana: DOMINGO Cor: VIOLETA OU ROXO Comemoração: 25 de dezembro OXALÁ
  9. 9. AELA Pontos Cantados Pontos que vibram na linha de Oxalá – chamada de falanges Ó Deus iluminai os nossos guias Pela glória deste dia Eu vim aqui, pedir a Oxalá Oxalá meu pai E a estrela guia Que aumente as nossas forças Tem pena de nós tem dó Que possamos alcançar A volta do mundo é grande As luzes que iluminam este Congá Mas seu poder é maior Jesus andou sobre as ondas Jesus e Maria A nós mostrou sua fé São João e São José Salve filhos de Umbanda São Pedro abre os céus Meu Jesus de Nazaré Pra aqueles que tem fé São Miguel Arcanjo Por Deus que sois que és Rogai ao nosso PaiOxalá, seus filhos lhe pedem auxílio Para aumentar E vinde a eles ajudar A nossa fé Derramai vossos olhos piedosos Aos vossos filhos de fé Bendito e louvado seja O nome de OxaláE manda pro fundo do mar, Yemanjá Os pedidos dos filhos de fé Meu pai Oxalá
  10. 10. AELA Pontos Cantados LINHA DE YEMANJÁ DENTRO DO SINCRETISMOCATÓLICO SIMBOLIZADO POR NOSSA SENHORA Dia da Semana: SEGUNDA-FEIRA PONTOS QUE VIBRAM NA LINHA DE Cor: AZUL Comemoração: 08 de dezembro, Nossa Senhora da Conceição YEMANJÁ
  11. 11. AELA Pontos Cantados Pontos que vibram na linha de Yemanjá – chamada de falanges Maria, Mãe extremosa Nossa Senhora me dê suas mãos Baixai, baixai com as rosas Vinde ajudar os filhos que é seus Vem ver o povo de Umbanda Vinde ajudar nossos trabalhos Trabalhando no Congá Em nome do menino Deus Em nossa Lei de Umbanda A sua flecha é de luz Baixai, Baixai com a rosa Aqui vindes trabalhar Maria, mãe extremosa Curando seus filhos de fé Baixai, baixai com a rosa Aqui neste Congá Ruê, ruê, ruê, ruê... Ruê, ruê, ruê, ruâ Ruê, ruê,ruâ...Maria Ó virgem Maria Ó virgem de luz Alívio dos aflitos Virgem Maria, Cheia de Graça Bálsamo na dor Mãe complassiva dos pecadores Volvei teus olhos à humana raça Que a ti clama O alívio na dor O manto de Nossa Senhora É grande para cobrir Os filhos que na terra pedem Canoeiro, Canoeiro Ó Santa Mãe vinde a mim O que traz nessa canoa Trago pemba e trago guia E o rosário vem á proa Trago pemba e trago guia E o rosário de Maria Vestida de branco, lá vai Luzia Levando flores à Virgem Maria Meu Pai salve os seus filhos Luzia, Luzia Na fé da mãe Yemanjá Rogai por nós Junto à Virgem Maria Saravá, saravá Nos abençoai Saravá as ondas do mar Saravá, saravá Saravá a mãe Yemanjá
  12. 12. AELA Pontos Cantados Salve Nossa Senhora Ó Virgem Maria Nossa Mãe Yemanjá Como és tão linda flor Rainha do céu e da terra e do mar Celeste harmonia, dulcíssimo amor Vinde nos ajudar Manda em nossos lares As bênçãos de Deus Rainha dos mares, da terra e dos céus Viva Deus e viva a glória Em risos encobres Maria os teus E viva o rosário de Nossa Senhora bons Tesouro dos pobres, riqueza dos Nossa Senhora me dê suas mãos bons Nossa Senhora me dê seu perdão Tesouro dos pobres, riqueza dos bons Nossa Senhora nos ilumine Para seguirmos a nossa missão Ave Maria Como a aurora Mãe abençoada Surgistes formosa Virgem imaculada Doce luz, espargindo na terra És Santa semente,Dentre os astros que a noite descerra Do amor Nenhum há mais brilhante que vós Maria, mãe de Deus Sois mais alva que a lua És, cheia de graça Mais que o sol, sois brilhante Santo é o fruto Mesmo o céu fulgurante Do teu ventre Perde o brilho perante vós Jesus! Ave Maria ... Ave Maria ....., Maria Que concebeu amor Em Cristo nosso Senhor Madre, generosa Yemanjá é a rainha do mar Rogai por nós Ajuda seus filhos, Yemanjá Os pecadores Na terra, no fogo e no mar Mãe querida, amém.
  13. 13. AELA Pontos Cantados Hoje é dia de Nossa Senhora Quem quer viver sobre a terra De nossa mãe Yemanjá Quem quer viver sobre o mar Calunga ê ê ê ê ê Salve no mar a sereia Calunga a a a a a Salve na Terra Oxalá Brilham as estrelas no céu Ruê, ruê, ruê, ruê ... Brincam os peixinhos no mar Ruê, ruê, ruê, ruâ ... Calunga ê ê ê ê ê Ruê, ruê, ruê, Yemanjá ... Calunga a a a a a Estrela D’Alva és nossa Guia Nas ondas do mar ê ê Que ilumina com sua luz Nas ondas do mar ê a Se aqui cumprimos pena Nas ondas do mar ê ê Nosso mestre é Jesus Olha as ondas do mar ê a Salve o sol e salve a lua Saravá a rainha do mar Salve todos os Orixás Saravá a mamãe Yemanjá O mar quando flutua Mamãe Yemanjá Vem saudando Yemanjá Eu vou a água grande Eu vou jogar, eu vou jogar Eu vou pro mar Eu vou jogar flores no mar Levar botões de rosas à Yemanjá Uma promessa eu fiz Eu vou à praia À nossa mãe Yemanjá Vou riscar ponto na areia Eu pedi e recebi Vou pedir à mãe sereia E agora vou pagar Todas as forças do mar Que me proteja, com seu manto todo branco E com todos os encantos Que tem as forças do mar Foi na areia Foi na areia Fiz um pedido à mãe SereiaÀ Yemanjá, para nunca mais penar Foi na areiaNuma noite, na branca areia do mar E a lua lá no céu Iluminou o meu pedido no marMãe d’água, rainha do mar, Sereia
  14. 14. AELA Pontos Cantados Estava na beira do mar Salve conchinhas de prata Quando ouvi a sereia cantar Salve o povo do mar A como é tão lindo Salve a mãe sereia O canto de Yemanjá Que todo o mal vai levar Oh! Como é tão belo O canto de Yemanjá Salve conchinhas de prata Salve quem aqui está Com licença do senhor Salve a mãe Sereia Com licença de Oxalá Rainha mãe Yemanjá Com licença do senhor Salve conchinhas de prata Eu vou saudar minha Yemanjá Salve estrela do mar Salve a mãe Sereia Saia do mar, linda sereia Que todo o mal vai levar Saia do mar e vem brincar na areia Eu vi uma estrela surgindo No meio do oceano Nas ondas verdes do mar E era o piar da Sereia Nas praias beirando a areia Ogum Lei Em seu Barquinho remando Ouço um canto tão bonito É o canto da sereia E Yemanjá, e Yemanjá E Yemanjá ela é a rainha do mar Cruzou conchinhas com areia Saudando a sereia do mar Orixá de Umbanda ela é Yemanjá, já mariou E Yemanjá, Yemanjá, já mariou Com as bênçãos de Pai Oxalá Yemanjá, já mariou nesse congá. E Yemanjá Vem saudar os seus filhos de fé E Yemanjá Salve a rainha do mar Olhai por nós Salve a rainha do mar. Meu Pai Oxalá Olhai por nós Minha mãe Yemanjá Abre os nossos caminhos na Umbanda Com muita é queremos trilhar
  15. 15. AELA Pontos Cantados A onda do mar rolou... O mar tem segredos A onda do mar rolou... Que eu não posso revelar A onda do mar rolou... A onda do mar rolou... Tem perfumes, tem areia E tem a Mãe sereia Saravá a rainha do mar Que é a Rainha do Mar, do Mar... Saravá a mamãe Yemanjá Saravá conchinhas de prata Yemanjá é a rainha do mar Saravá meu Pai Oxalá E o povo d’água Saravá minha mãe sereia É linha de força maior Saravá os caboclos do mar O firma ponto, minha mãe O firma ponto, minha mãe Que o fundo do mar É ouro só é ouro só Arina clareou Arina clareou Seu canto ressoou Sobre as ondas do mar Cantava noite e dia Saravá sereia linda Saudando Yemanjá Saravá, mãe Yemanjá Vem quebrar as setes ondas Com as forças de Yemanjá Mãe Yemanjá, mãe Yemanjá Eu fiz um pedido Ela é a estrela guia A mamãe Sereia Yemanjá Que brilha em todo o mar Para nunca mais penar Foi na areia Numa noite linda na areia branca do mar A lua lá no céu Candeeiro meu Iluminou o céu divino Aonde nasceu Jesus Sereia é a rainha do mar Guiai ó minha Virgem Santa Sereia... Mãe da divina luz
  16. 16. AELA Pontos Cantados Pontos que vibram na linha de Mãe d”água rainha bonita Sereia – chamada de falanges Sereia do mar E Yemanjá E Yemanjá Quando as ondas vêm Vem o povo do mar Seu canto é bonito quando tem luar É bonito o canto de Yemanjá Vem, vem, ó sereia Ele faz o pescador chorar Leva as mirongas pro fundo do mar Quem escuta a mãe d”água cantar (Vai, vai vai, ó sereia ...) Vai com ela pro fundo do mar (Foi, foi, foi, ó sereia ....) Ela vem das ondas do mar E vem, e vem, e vem Ela traz o amor de Oxalá E vem beirando o mar E vem, e vem, e vem E vem a mãe sereia Trazendo harmonia pro nosso congá Para todo o mal levar Leva tudo pro fundo do mar (E vai, e vai, e vai ... ) Leva as mágoas do meu coração (E foi, e foi, e foi ... ) Deixa eu serena e tranqüila Pra sempre trilhar os caminhos do bem Ela vem das ondas do mar Ela traz o amor de Oxalá E vem, e vem, e vem Trazendo harmonia pro nosso congáPonto para descarregar fluídos pesados Descarrega, descarrega Todo o mal que aqui está Leva, leva, leva Tudo pro fundo do mar
  17. 17. AELA Pontos Cantados Maria Santíssima Mãe de Oxalá Vinde na Terra Nos ajudar Estrela D’Alva Nos iluminai Na cruz estava O nosso Pai Rainha do céu Rainha do mar Neste terreiro Nos daí a paz Maria Santíssima Mãe de Jesus Neste terreiro Nos daí a paz Maria Santíssima Mãe de Jesus Neste terreiro Nos daí a luz
  18. 18. AELA Pontos Cantados Oh Virgem Santa rogai Viva a mãe de Deus e nossa Por nos pecadores Sem pecado concebida Junto ao Deus Pai Viva a Virgem Imaculada Livrai-nos das dores A Senhora Aparecida Que todo o homem caminhe Aqui estão vossos devotos Tocado pela fé Cheios de fé incendida Crendo na graça divina De conforto e de esperança Esteja como estiver Oh Senhora Aparecida Abençoai nossas casas, Viva a mãe de Deus e nossa As águas, as matas Sem pecado concebida E o pão nosso Viva a Virgem Imaculada A luz de toda manhã A Senhora Aparecida O amor sobre o ódio Virgem Santa, virgem bela Iluminai a cabeça dos homens Mãe amável, mãe querida Te pedimos agora Amparai-nos, socorrei-nos E que o bem aconteça Oh Senhora Aparecida Nossa Senhora Viva a mãe de Deus e nossa Sem pecado concebida Viva a Virgem Imaculada A Senhora Aparecida Oh velai por nossos lares Pela infância desvalida Pelo povo brasileiro Oh Senhora Aparecida Viva a mãe de Deus e nossa Sem pecado concebida Viva a Virgem Imaculada A Senhora Aparecida
  19. 19. AELA Pontos Cantados LINHA DE OXOSSI DENTRO DO SINCRETISMOCATÓLICO SIMBOLIZADO POR PONTOS QUE VIBRAM NA LINHA DE SÃO SEBASTIÃO CABOCLOS OXALÁ Dia da Semana: SEXTA-FEIRA OXOSSI Cor: VERDE XANGÔ Comemoração: 20 de janeiro OGUM
  20. 20. AELA Pontos Cantados Pontos que vibram na linha de Eu corri terra, eu corri mar OXOSSI – chamada de falanges Até que eu cheguei na minha país Mas ora viva Oxossi na mata Oxossi da Guia é o Rei da Macaia Que as folhas da mangueira Ele não desce sem firmar sua guia ainda não caiu Apanha a pemba risca o ponto da Jurema Por ordem suprema do Pai Oxalá Atirar eu atirei O bambá eu vai atirar Oxossi na mata é caçador Veado na mata é corredor Quem manda na mata é OxossiOxossi é caçador, Oxossi é caçador Eu vi meu pai assobiar Ele mandou chamar, Na tronqueira de uma árvore eu vi Ele mandou chamar Amarrado as suas mãos eu vi Era Oxossi da demanda É de Aruanda é Meu glorioso Sebastião É de Aruanda, é Seu Pena Verde É de Aruanda, é de Aruanda é Juruí tem duas flechas Juruí vai buscar Ai viva Oxossi na sua mata Oxossi na mata Na sua macaia, é caçador Juruí vai chegar Com sua flecha, com seu bodoque Ai viva Deus Nosso Senhor Oxossi mora na raiz da gameleira Ogum lá na Aruanda Oxossi chorou, Oxossi chorou Xangô lá na pedreira Quando viu seus filhos Sofrendo na tarimba de dor Saravá Ogum, Saravá Oxalá Saravá nossa mãe Yemanjá
  21. 21. AELA Pontos Cantados Cobra coral, coral que piou Ele é Capitão Oxossi saravou Ele é Capitão Seu capacete de pena Nas matas da Jurema Ele é Capitão Ele atirou, atirou, atirou Atirou a sua flecha Quem chegou neste Congá Lá nas matas da Jurema Saravando os seus irmãos (Mas, ele é Capitão ........) Caboclo Arranca Toco É minha luz é minha guia Ele é Oxossi, filho da Virgem Maria Caboclo Roxo É da cor morena Ele é a luz que ilumina o escuro Filho de Oxossi,Tudo é divino, e o terreiro está seguro Caçador lá da Jurema Ele é a luz que ilumina o Congá Ele jurou e torna a jurar Ele chegou e o terreiro clareou Ele seguiu os conselhos Que a Jurema veio dar Ele é caboclo, ele é flecheiro Oxossi gira, ele gira na macaia Bumba na calunga Gira, gira no meu terreiro É caçador de feiticeiro Gira, gira na minha Umbanda. Bumba na calunga Quando firma seu ponto Bumba na calunga E corresponde lá na mata Bumba na calunga Aqui nesta aldeia Tem um caboclo que ele é leal Ele não mora longe Mora aqui mesmo neste canzuá Na mata virgem o sabiá cantou Estrela no céu brilhou Ele é Oxossi, Selva Branca, Panaiá Oi saravá seu Sete Flechas, Vestido de Penas, oi paramba Que mora na Jurema Ele é o rei dos caçador Ele é o rei É o rei do Panaiá Ele é o rei, do Juremá Saravá seu Sete Flechas Ele é o dono do Congá
  22. 22. AELA Pontos Cantados E, e, e... á Caboclo vem Caboclo Sete Flechas no Congá Ele vem de Aruanda E, e, e... á A benção meu pai Caboclo Sete Flechas no Congá Proteção da sua banda Saravá Seu Sete Flechas Ele é Tupi, ele é Tupinambá Ele é o rei das matas Ele é Tupi, ele é Tupinambá A sua bodoca -- atira paramba A sua flecha mata A benção meu pai Proteção da sua banda Oxossi assobiou lá no Humaitá Ogum que está de ronda Cavaleiro de Oxalá Seu Pena Branca puxa a corimba Sua banda mandou chamar Ajuda seu Pena Branca Prá todo o mal de seus filhos levar Batuque no terreiro É Tupinambá Se é pele vermelha Folhas verdes da palmeira É Tupinambá Como brilham no luar Oi flecha, flecha, fecha Para todo mal levar Folha verde é caçador Caçador da Juremá Tupinambá, Tupinambá Chefe guerreiro Uma estrela brilhou no céu Tupinambá, Tupinambá Meu Deus diga quem é Está no terreiro Tupinambá, Tupinambá Saravá, terreiro de Umbanda Filho de Umbanda Saravá, caboclo Araguaia Tupinambá, Tupinambá Venceu demanda
  23. 23. AELA Pontos Cantados Pontos que vibram na linha de Piquiri caçador da Jurema Oxossi – chamada de falanges Vem ajudar seus irmãos Vem com sua roupa de penas Eu sou índio guerreiro Traz seu bodoque na mão Das tribos dos guaranis Quando eu baixo nesta tenda Paz e amor há de existir A falange dos guaranis Pena Dourada chegou... É a falange da paz No terreiro de Xangô Quando eu baixo nesta Tenda Amor e caridade sempre, Venham todos filharadas Sempre há Ao guerreiro saravá Como o sol brilha nas matas Também brilham suas penas O vento está rondando as matas Pra saudar filhos de OgumJogando as folhas da Jurema no chão De Oxossi e da Jurema O vento está rondando As folhas estão caindo Caboclo está juntando elas no chão Foi numa cachoeira Lá nas matas da Jurema Que eu ouvi um caboclo bradar Bradou, quiou, quiou, quiou, quiera E o caboclo desceu Sua mata está em festa Lá do alto da serra Saravá seu Rompe Mato E trazia no peito Ele é o rei da floresta Sua cobra coral No seu terreiro Hoje é dia de festa Oi saravá Seu Sete Flechas Os rios da Oxum são muito largos Lagoas da Yara matam a sede Saravá este terreiro de Umbanda Hei Oxossi caçador Saravá meu bom caboclo Folha Eu quero te ver caçar Verde De dia caça nas matas De noite pesca no mar
  24. 24. AELA Pontos Cantados Seu Pena Verde Ó Juremê, ó Juremá Chegou no terreiro Sua folha caiu serena Jurema Seu Pena Verde Dentro deste Congá Chegou pra trabalhar Salve o sol e salve a lua Salve São Sebastião Saravá, Pena Verde no terreiro Salve São Jorge Guerreiro Saravá, Pena Verde no congá Que nos deu a proteção Ó Jurema De quem é o capacete de pena É da cabocla Jurema Ele vem chegando... É Tabajara... É ela que vem trabalhar, aqui neste Congá Ele traz as conchas, de Yemanjá Ê, ê, ê, ê ... áEle traz as águas, de mamãe Oxum Ele traz os raios, de Oxalá Que bombardeio que se deu lá na aldeia Para iluminar Foi a palhoça que eu preciso Quem dele precisar abandonar E os caboclos da aldeia da Jurema Vêm no terreiro prá seus filhos saravar Caboclo Aimoré Estava chovendo e relampeando Da falange dos Tupinambás Mas mesmo assim o céu estava azul Vem vencer demanda De todos os filhos que tem fé Firma seu ponto nas folhas da Jurema Caboclo Aimoré Que Oxossi é dono do maracajá Traz as forças de Yemanjá Traz as forças de Oxossi E do seu pai Tupinambá
  25. 25. AELA Pontos Cantados Pontos que vibram na linha de Arreiam os capangueiros Jurema – chamada de falanges Os capangueiros da Jurema Arreiam os capangueiros Eu vim das matas virgens Os capangueiros Juremá Dá licença que eu quero trabalhar Sou a Cabocla Jurema E os seus caboclos Na mata virgem, na fé de Oxalá Na fonte da água cristalina Uma bela cabocla se mira Jurema! São teus filhos quem te chama Dos seus cabelos, Jurema! Correm pérolas douradas Salve o povo de Aruanda Ta na gira a cabocla Jacira Jurema! São teus filhos quem te chama Jurema! Salve o povo de Umbanda No centro da mata virgem Uma linda cabocla eu vi Com seu saiote, cheio de penas É a Jurema filha de Tupi Sou cabocla Jaguarema Filha de Oxalá Linda Jurema, Jurema, Jurema Sou cabocla Jaguarema Linda cabocla, filha de Tupi Filha de Oxalá Vim saudar minha Jurema E ela vem lá da Juremá E meu pai Tupinambá Vem firmar seu ponto neste CongáAi se não fosse as folhas da Jurema Lá nas matas Jurema vem trazendo as rosas O que seria do Caboclo Juruá Jandira é quem traz o jasmim É a Jurema, a Jurema, a Jurema As duas na Umbanda são irmãs É a Jurema do Caboclo Juruá Minhas caboclas tenham pena de mim
  26. 26. AELA Pontos Cantados Cabocla a sua mata é verde Ai como é lindo, É verde é da cor do mar O pisar dos caboclos Que pisam na areia, Saravá, cabocla Jurema no rastro dos outros Saravá, cabocla Jurema Saravá, cabocla Jurema Salve as sereias, salve Yemanjá Saravá, cabocla Jurema E salve os caboclos da beira do mar A mata estava escura Sou caboclo gira girando Um anjo a iluminou Vamos saravar No meio da mata virgem no terreiro de Umbanda Foi seu Oxossi quem chegou Hei manda, gira calungaMas ele é o rei, ele é o rei, ele é o rei Na linha de Umbanda Mas ele é o rei na Aruanda Tem barra funda Ele é o reiTem pedras nas cachoeiras de Oxum As cachoeiras vibram Tem conchas na águas de Yemanjá Na beleza das florestas Tem folhas nas matas da Jurema Tem fogo nos raios de Iansã Araribó é Oxossi Araribó é Oxossi Iara joga água dos seus rios Limpando e vibrando no congá Sua flecha dourada Recoberta de penas Ele confirma da mata A falange da Jurema Sou da falange Tupi Guarani E neste terreiro eu vou trabalhar Cobra Coral é caboclo Tupi, tupi é Guaraci Cobra Coral é caboclo Que aqui vem trabalhar Ele mora na Aruanda Junto com o Arranca Toco
  27. 27. AELA Pontos Cantados O vento assoprou na praia Com os primeiros raios de solJogando as folhas da figueira no chão Na mata a brilhar Um guerreiro de Oxossi chegaCaboclo da Figueira está lá embaixo Para nos saudarJuntou as folhas e trouxe pro congá Trazendo palavras de fé, amor Esperança e perdão Saudando Ogum e Yemanjá A cura dos males da almaCaboclo de Figueira traz as folhas pro E do coração congá Tipi, tupi é o caboclo Guaracy Caboclo pisou na terra Tupi, tupi ele é o Orixá Caboclo levantou poeira Oi vem saudar sua falange Caboclo pisou na terra No seu reino Saravá Erererererê... Caboclinha atirou Oxossi é capitão da marambaia Ela atirou a sua flecha Oxossi é capitão da marambaia Ou ele é Oxossi da Aruanda Se ela atira eu também sei atirar Ou ele é Oxossi da macaia Sua flecha é de aço Seu bodoque é de taiá A estrela de Oxossi brilha Meu Pai eu quero ver Quero ver caboclos bambas Saravá conchinhas de prata Meu Pai eu quero ver Saravá meu Pai Oxalá Saravá minha mãe sereia Saravá os caboclos do mar Seu Aruê, seu Aruê, seu Aruê Mora no aracajá Oxossi mora no aracajá E o caboclinho mora no aracajá
  28. 28. AELA Pontos Cantados PONTOS DE CABOCLOS DE Ubirajara (Oxalá – ligação comVIBRAÇÃO CRUZADA - CHAMA DE Ogum) FALANGES Mironga corta mironga Que caboclo lindo Corta língua de falador Que veio da Bahia Trouxe na mão Quando eu chego não há embaraço Três Ave Maria Chegou Ubirajara Uma era a lua Do peito de aço Outra era o sol Na mão direita o Caboclo Girassol Caboclo, caboclo Que tem coração Eu vi a pedreira rolar Pega fluído da terra Eu vi Xangô saravá E leva pro fundo do mar Eu vi a Jurema na mata Eu vi o sabiá cantar Eu vi a juriti na palmeira Olhando a sereia do mar Eu vi parar o dia Eu vi estrela brilhar Eu vi seu Rompe Mato Ogum das matas A água com a areia, Que mora à beira mar Não pode demandar A água vai e volta E a areia fica no lugar Zum, zum, zum chegou seu Aimoré Seu Rompe Mata, coroou... Caboclo flecheiro Seu Sete Flechas na floresta Prá salvar filhos de fé Neste dia toda a mata Era uma cidade em festa E os caboclos se enfeitaram Com arruda e guiné E os caboclos carimbaram São todos índios, Pra saudar quem manda São todos guerreiros É Oxossi Salve os guerreiros de Oxalá e Oi quem manda é Oxossi Yemanjá Oi quem manda é Oxossi E a lua brilhou lá nas matas Oi quem manda é Oxossi Foi Mata Virgem que me chamou Oi quem manda é Oxossi... E a montanha desmoronou Foi Mata Virgem que me salvou
  29. 29. AELA Pontos Cantados PONTOS DE CABOCLOS DE Cruz espada com lançaVIBRAÇÃO CRUZADA - CHAMADA Lá na mata da Jurema DE FALANGES Se ele é Rompe Mato, Ogum Não corte a mata que é de Oxossi Se ele é Rompe Mato, OgumNão quebre a pedra que é de Xangô Se ele é Rompe Mato, também tem Não demanda com filhos de sue diadema UmbandaPorque nesta mata, Ogum é vencedor Caboclo Araguari PONTOS DE SAUDAÇÃO A Banbaruquê na cangira de Xangô CABOCLOS Ogum Megê, mandou seu filho girar Caboclo da Mangueira Banbaruquê na cangira de Xangô Ogum Megê, mandou seu filho girar Caboclo da Mangueira Vem com a cobra coral Filho de Umbanda, Pedir forças prá Zambi, gira, gira no terreiro Prá todos ajudar Araguari atirou sua flecha no Congá Caboclo da Mangueira Vem com a cobra coral Aruê, aruê, aruê, aruá Pedir forças prá Zambi Brilhou o sol Prá todos curar Rompeu a lua Bambaruê, bambaurá Saravá o Sol A estrela de Ogum Saravá a Lua, e Brilhou no congá Saravá as estrelas Caboclo Araguari Sua fé vem firmar
  30. 30. AELA Pontos Cantados Caboclo Piquiri da Mata Virgem Caboclo Itaracê A lua brilhou lá no céu Eu sou índio, índio, índio Toda mata clareou Índio guarani É o caboclo Piquiri Trago a minha flange Que neste Terreiro chegou De paz e amor, e amor Para os filhos de Umbanda Ele é filho de Oxossi Levar aos pés de Oxalá Ele chefe guerreiro Eu sou índio, índio, índio Quando chega no terreiro Índio guarani É pros filhos ajudar. Saravá Ogum Saravá Oxossi E saravá meu pai Oxalá Caboclo Timbó Trazendo as forças das matas Caboclo Morimbatá Trazendo as forças do mar Na mata virgem, ele é caboclo Caboclo Timbó É Morimbatá, ele é caçador E toda a sua falange Neste terreiro vem trabalhar Não há mata que ele não entre Não há galho que ele não quebre Não há nenhum filho na terra Que sua flecha não alcance Caboclo Folha Verde Caboclo Morimbatá Caboclo Morimbatá Folhas verdes da palmeira Como brilham ao luar Folhas verdes da palmeira Como brilham ao luar Folha Verde é caçador Morimbatá, Morimbatá Caçador do Juremá Morimbatá vem da mata pra ajudar Tem folhas, tem flores Tem sol, tem luar E tem as forças de Oxalá
  31. 31. AELA Pontos Cantados Itamira vem Vai estrela tão brilhante Vem de Aruanda Que ilumina este congá Pra ajudar filhos de Umbanda Vai estrela vai buscar E ele tem, ele tem Com a permissão de Oxalá Ele tem escudo E traz a espada de Ogum Vai buscar seu Sete Luas Vai estrela vai buscar... Vai estrela tão brilhante Que ilumina este congá Vai estrela vai buscar Com a permissão de Oxalá Caboclo Sete Luas Vai buscar seu Pena Verde Ele é caboclo praieiro Vai estrela vai buscar... Ele vem trabalhar Ele vem no terreiro Ele traz Yemanjá Obs.. Continua chamando todas as outras entidades Salve a força dos ventos Salve a força do mar E salve a mãe Sereia Que vem no terreiro Prá todos ajudar
  32. 32. AELA Pontos Cantados LINHA DE XANGÔ DENTRO DO SINCRETISMOCATÓLICO SIMBOLIZADO POR SÃO JERÔNIMO PONTOS QUE VIBRAM NA LINHA DE Dia da Semana: QUINTA-FEIRA Cor: AMARELO Comemoração: 30 de setembro XANGÔ
  33. 33. AELA Pontos Cantados Pontos que vibram na linha de Sentado na pedreira de Xangô Xangô - Chamada de falanges Eu fiz meu juramento até o fim Se um dia se quebrar a fé em meuXangô é corisco, nasceu na trovoada SenhorXangô é corisco, nasceu na trovoada Que role esta pedreira sobre mim Ele mora na pedreira, levanta de Meu pai Xangô entrou no reino madrugada Meu pai Xangô é Orixá Ele mora na pedreira, levanta de Olha seus filhos lhe pedem meu pai madrugada Fé e proteção neste Congá Longe, bem longe, aonde o sol nasceu Longe, bem longe, aonde o sol nasceu Saravá Umbanda e Saravá Xangô Pedra rolou Pai Xangô, Saravá Umbanda e Saravá Xangô La na pedreira Firma seu ponto meu pai, na cachoeira Tenho meu corpo fechado Xangô é meu protetor Xangô mostrai as forças que vós Firma seu ponto meu filho tendes Pai de cabeça chegou Xangô é o rei da justiça E não engana ninguém Xangô Kaô, Xangô Agodô Xangô Kaô, Xangô Agodô Gino vem ver sua banda Gino vem neste Congá O sol e a lua brilhavam Aonde Xangô morava O Gino olha a sua banda Salve filho da cobra coral O Gino olha o seu congá Salve filho da cobra coral O Gino olha a sua banda Salve filho da cobra coral, Kaô... O Gino, o Gino, o Gino, o Gino Olha o seu congá Aonde o rouxinol cantava É aonde Xangô morava Aonde o rouxinol cantava É na pedreira que Xangô morava Cachoeira da mata virgem Ele é Gino da Cobra Coral Aonde mora meu Pai Xangô Ele é Gino da Cobra Coral Pedra rolou Nanã Buruquê Ele é Gino da Cobra Coral, Kaô Pedra rolou saravá Pai Xangô
  34. 34. AELA Pontos Cantados Lá em cima daquela pedreira Quando a lua aparece Tem um livro que é de Xangô O leão da mata roncou A passarada estremece Xangô Kaô Foi a Coral que piou Xangô cabecinha Piou, piou Foi a Coral que piou salve povo de congares Ai vem nosso rei de Umbanda Saravá nosso Pai Xangô Lá no alto da pedreira A faísca vem rolando Agüenta mão cabra de força Que a faísca vem queimando Lá detrás daquela serra Tem uma linda cachoeira Onde mora Xangô Kaô O dono das sete pedreiras Quem rola a pedra Na pedreira é Xangô Pedra rolou Na cachoeira é Xangô Pontos de vibração cruzada – Vivou a coroa de Zambi chamada de falanges Vivou é Xangô de Aruanda Vivou é quem vence a demanda É Xangô I ANSÃ Iansã, Orixá de Umbanda Rainha do Nosso Congá Pontos que vibram na linha de Saravá Iansã lá na Aruanda Xangô - Chamada de falanges Epahei, pahei... Iansã venceu demanda Eu vi Santa Bárbara e XangôEstavam sentados em cima da pedra Iansã, saravou com XangôEstavam rezando prá todos os seus No céu trovão soou filhos E lá na mata o leão roncou Xangô é homem que vai a guerra Saravá Iansã Xangô é homem que vai a guerra Saravá Xangô
  35. 35. AELA Pontos Cantados Xangô, de araorô... Eram duas ventoralas Ogum te corou... Duas ventarolas Filhos de pemba Ventando no mar A Umbanda chora Uma era de Iansã, ê, ê, ê, ê Xangô filho de Angola A outra era de YemanjáSe a Umbanda gira, gira, gira a gireiSe a Umbanda gira, gira, gira a girou Deixa a gira, girar... Saravando Iansã Pai Xangô, Yemanjá oi... Iansã tem um leque que venta Deixa a gira, girar... Prá abanar dia de calor Iansã mora na pedreira Eu quero ver, meu pai Xangô Minha machadinha é de ouro É de ouro em pó Iansã chegou no reino Machadinha que corta mironga Chegou com chuva e com vento É machadinha de Xangô Ela é dona do Jacutá Veio saravá Seus filhos no congá Bambaruê a terra é da Jurema O leão veio das matas O seu grito é muito forte Seu machado tem bom corte Iansã é uma moça bonita O meu rei é Xangô Rainha do nosso congá O meu rei é Xangô Pahei, pahei, pahei Oh mamãe de Aruanda Segura o terreiro Que eu quero ver Na pedreira de Xangô Tem as forças de Oxalá Rola a pedra meu pai Rola bem devagar Quando a lua aparece Salve todos os seus filhos O leão na mata roncou Que pisar neste congá A passarada estremece Foi a coral quem piou, piou, piou Saravá povo de congares Ai vem nosso Rei de Umbanda Saravá nosso Pai Xangô
  36. 36. AELA Pontos CantadosQuem rola pedra na pedreira é Xangô Mandei a coral pro matoQuem rola pedra na pedreira é Xangô Pra caçar meus inimigos A coral foi e voltou Brilhou a coroa de Zambi Ninguém tem nada com isso Brilhou a coroa de Zambi Brilhou a coroa de Zambi é Kaô... Brilhou a coroa de Zambi Brilhou a coroa maior Atraca, atraca Meu pai é Xangô Agodô é Kaô... Que ai vem na onda é Nanã É mamãe Oxum É quem vem trabalhar, e a... Ponto de descarrego de Xangô Atraca, atraca Que ai vem na onda é Nanã Lá na pedreira, É mamãe Oxum Rola da cachoeira É quem vem trabalhar, e a... Uma água forte Pra me banhar Atraca, atraca Água de banhar Que ai vem na onda é Nanã Água de beber Água de benzer Água de rezar Oxum estava na beira do rio Colhendo lírios pro seu congá Iluminou lá na pedreira Os lírios brancos da cachoeira Pontos de vibração cruzada – chamada de falanges OXUM Seu Sete Flechas coroou Eu vi mamãe Oxum na cachoeira Na mata virgem o sabiá cantou Sentada na beira do rio Na tronqueira ele firmou Colhendo lírio, lírio, ê ... Araribó foi quem chegou Colhendo lírio, lírio, á ... Na mata virgem o sabiá cantou Araribó foi quem chegou Colhendo lírio prá enfeitar nosso No centro da mata virgem Congá Seu Sete Flechas vibrou
  37. 37. AELA Pontos Cantados Ouvi um brado de mamãe Oxum São flores, Nanã No alto lá da pedreira São flores São flores Nanã Buruquê E era ela São flores,Nanã são flores Nossa Senhora Pro seu filho Obaluauê Esperando Ogum Nas horas de agonia Para jurar bandeira Quem sempre vem nos valer É seu filho, Nanã É meu Pai Ele é Obaluauê A lua vem surgindo Clareando as cachoeiras Ai, iê, iê, mamãe Oxum Ai, iê, iê, Oxum Maré Oxum. Oxum, Oxum É minha mãe É a rainha do meu congá É a rainha do meu congá Olha eu, Mamãe Oxum, olha eu ... Olha eu, Mamãe Oxum, olha eu ... Mamãe Oxum são teus filhos que te chamam Com amor, com amor no coração Vamos saudar Aieê... Mamãe Oxum A nossa Mãe Oxum êêêêêê Mamãe Oxum Com amor e compaixão Aieê... Mamãe Oxum Oxum MaréMamãe olha aqui sua gira como está A senhora é a dona Que manda na terra Que manda no mar, ô aieê... Aieê... Mamãe Oxum Mamãe Oxum Aieê... Mamãe Oxum Oxum Maré
  38. 38. AELA Pontos Cantados LINHA DE OGUM DENTRO DO SINCRETISMOCATÓLICO SIMBOLIZADO POR SÃO JORGE PONTOS QUE VIBRAM NA LINHA DE Dia da Semana: TERÇA-FEIRA Cor: VERMELHO Comemoração: 23 de abril OGUM
  39. 39. AELA Pontos Cantados Pontos que vibram na linha de Ogum é rei no terreiro de Umbanda Ogum – chamada de falanges Ele carrega sua espada no ar Ele ganhou a sua espada de ouro Se meu pai é Ogum Prá vencer demanda nos campos de Vencedor de demanda Humaitá Ele vem de Aruanda Prá salvar filhos de Umbanda Ogum, Ogum, Ogum Iara Salve os campos de batalha Ogum Megê, Salve as sereias do mar General de Umbanda Em seu cavalo seu Ogum foi guerrear Ogum, Ogum Iara ... Com sua espada, com sua lança Venceu demanda nos campos de Humaitá Ogum Megê ... Ogum em seu cavalo corre E a sua espada reluz Ogum Megê São Jorge Cavaleiro de Umbanda Sua bandeira, Ao som dos clarins cobre os filhos de Jesus Ogum lei Guerreiros, todos guerreiros São Jorge venceu demandaSaravá, saravá, saravá Ogum Megê Que vem a seus filhos atender Ogum Megê, Ogum Megê, Ogum Iara Trazendo forças de Aruanda Ogum Megê, Ogum Iara Para os filhos de Umbanda Ogum Megê, Ogum Megê Saravá cavalheiros de Umbanda Vossas forças queremos receber Saravá cavalheiros de Umbanda Daí-nos forças de sua falange Pras demandas podermos vencer A noite é linda, é de luar Ogum Megê, Ogum Megê É quem vai rondar
  40. 40. AELA Pontos Cantados Pontos que vibram na linha de Pisa na linha de Umbanda Ogum – chamada de falanges Que eu quero ver Ogum Sete Ondas Meu santo que reina na lua Meu santo que reina no ar Pisa na linha de Umbanda Meu santo que reina da terra Que eu quero ver Meu santo que reina no mar Ogum Beira Mar Meu santo que trás uma lança Pisa na linha de Umbanda Que trás uma lança Que eu quero ver Que mata o dragão Seu Sete Espadas Ogum Megê Meu santo que mata as saudades Olha a banda, aruê .. Que mata as saudades Do meu coração Pisa na linha de Umbanda Que eu quero ver Seu Matinada Ogum Megê Olha a banda, aruê... Eu tenho sete espadas Prá me defender Pisa na linha de UmbandaEu tenho Ogum em minha companhia Que eu quero ver E Ogum é meu pai Seu Ogum Iara E Ogum é meu guia Ogum Megê E ele vai baixar Olha a banda, aruê... Na proteção da Virgem Maria Que cavalheiro é aquele Ponto para firmeza da giraQue vem cavalgando por um céu azul É Ogum Matinada Hoje, Ogum está de ronda Ele é o defensor do cruzeiro do sul Quem está chamando é São Miguel Com sua espada na cinta Seu escudo no braço Guel, Guel, Guel, Ele vem cavalgando na linha de Umbanda É Ogum Matinada Quem está chamando é São Miguel Ele é o defensor do cruzeiro do sul
  41. 41. AELA Pontos Cantados Pontos que vibram na linha de Pontos de vibração cruzada Ogum – chamada de falanges chamada de falanges Com sete velas eu firmei seu ponto Ogum não devia beber Na cachoeira do pai Xangô Ogum não devia fumar Mas a fumaça é nuvem que passa Firma seu ponto E a cerveja a espuma do mar Ogum das selvas, Ogum das matas Seu Marabô No obatalá ele trouxe uma estrela Sua justiça ele trouxe de Xangô Ó meu São Jorge Veio de lança na mão Firma seu ponto Montado em seu cavalo Ogum das selvas, Ogum das Matas Para matar o dragão Seu Marabô Ele é o chefe da demanda Defensor dos filhos de Umbanda Salve, salve Ó meu São Jorge guerreiro Forte e audaz cavaleiro Seu cavalo corre Sua espada reluz Sua bandeira cobre Todos os filhos de Jesus Seu cavalo corre Oh Iara é cabocla dos rios Sua espada reluz Ela é Ogum... Auê seu Ogum Iara É Orixá... Aos pés da santa cruz Ogum Iara, Ogum Iara... Vem seus filhos ajudar... Ouvi um toque do clarim da lua Mas era o toque do maior do dia Bota fogo na mata Ogum foi praça de cavalaria Chama, chama que ele vem Era ordenança da Virgem Maria Ele é o rei de Umbanda Chama, chama que ele vem...
  42. 42. AELA Pontos Cantados Pontos que vibram na linha de A espada de Ogum Beira Mar,brilhou Ogum Beira Mar Nas ondas que a maré levou Chamada de falanges Ubiratan, Ubiratan é quem chegou Com toda a sua fé, coragem e amor Seu Ogum Beira Mar O que trouxe do mar Quando ele vem beirando a areia Na mão direita Ele trás a guia da mamãe sereia Se a sua espada Brilha no raiar do dia Seu Beira Mar é filho da Virgem Maria Seu Beira Mar, beirando a areia Seu Beira Mar é filho da mamãe E quem vem de lá sereia Viva o capacete de São Jorge Seu cavalo já rodou , e ô.. . Beira Mar, ê, ê, Beira Mar Beira Mar, ê, ê, Beira Mar Tem Beira Rio, Beira Rio, Beira Mar O que se ganha de Ogum Ogum já jurou bandeira Só Ogum pode tirar Nos campos de Humaitá Ogum já venceu demanda Seu Ogum de Ronda Vamos todos saravar É quem vem tirar Vem trazendo folhas Beira Mar, ê, ê, Beira Mar Pra descarregar Beira Mar, ê, ê, Beira Mar Meu pai que guerreiro é esse Que vence na terra Ogum Beira Mar Que vence no mar Em seu cavalo branco Chegou com sua falange Ele tem lanceiro Para nos ajudar Ele tem flecheiro A noite é bela é de luar Ele tem marinheiro O céu recapado de estrelas Ele tem Yemanjá Vinde companheiros Com muita fé trabalhar Salve o guerreiro, Ogum Beira Mar
  43. 43. AELA Pontos Cantados Ogum nadou as sete ondas Ogum é chefe guerreiro Sua bandeira vem lá de Humaitá Vem ajudar a filharada Ele leva todo o mal Ogum, Ogum Iara Pra Aruanda vencer demanda A sua banda é de Ogum Beira Mar Olha, São Jorge com a batula Ogum naruê chegou De Umbanda Ogum naruê baixou Olha Ogum está de ronda Eu sou filho de Umbanda Olha a Umbanda, auê... E Ogum não me saravou Ogum é... Ogum naruê chegou De Umbanda, auê... Ogum naruê baixou Eu sou filho de Umbanda E Ogum já me saravou Sarave Ogum Megê Sarave Yemanjá Sarave a nossa tenda Lá vem São Jorge E o nosso Pai Oxalá Em seu cavalo branco Com a sua espada Ele já vem guerrear Guerreiro Ogum Oi guerreiro Ogum Guerreiro Ogum Eu abro a minha gira Lá nos campos de Humaitá Oh miconga Sem minha gira eu não posso trabalhar Assim, assim Na fé de Ogum meu Pai Sem gira eu não posso trabalhar Ogum Megê Ogum Iara Salve Ogum que Rompe Mata, auê
  44. 44. AELA Pontos Cantados Desci, desci... A Umbanda me chamou Na minha banda eu sou maior E Oxalá ainda é maior Eu desci na minha Umbanda Foi a Umbanda Quem mndou me chamar Agunta o ponto Cabra de força Deixa o Pai de cabeça, chegar
  45. 45. AELA Pontos Cantados LINHA DE YORIMÁ DENTRO DO SINCRETISMOCATÓLICO SIMBOLIZADO POR PONTOS QUE VIBRAM NA LINHA DE SÃO CIPRIANO PRETOS-VELHOS OXALÁ Dia da Semana: SÁBADO YORIMÁ Cor: PRATEADA YEMANJÁ Comemoração: 13 de maio XANGÔ
  46. 46. AELA Pontos CantadosPonto de saudação ao Preto-Velho Pai Benedito me dá uma rosa Me dá uma rosa do sue congá Nhô Benedito Pai Benedito me dá uma rosa Saravá, saravá, Me dá uma rosa prá eu trabalhar Saravá, Pai Xangô Nego veio vai chegar Pai Benedito vem das águas grandes Nesta gira vai girar Vem saravando a mãe Yemanjá Saravá, saravá E vem trazendo com a sua falange Nego veio do senhor Todo o sue povo pra trabalhar Nego veio Benedito Vem trazendo muito amor Saravá, saravá, Saravá, Pai Xangô Nego veio já chegou Saravá, nossa mãe Yemanjá Para nos abençoar Saravá, nossa mãe Yemanjá Corrente pesada na areia arrastava E a negra escrava se põe a chorar Saravá, nossa mãe Yemanjá Nego véio, nego véio Saravá, nossa mãe Yemanjá Vem chegando de Aruanda Prá salvar filho de Umbanda Navio negreiro nas ondas do mar Prá ajudar vencer demanda E a negra escrava se põe a rezar Sinhô branco, sinhô branco Nego véio, já perdoou Saravá, nossa mãe Yemanjá Nego veio Benedito Saravá, nossa mãe Yemanjá Chegou, saravou, Xangô Navio virou com a camba pro ar E quem nos salvou foi a mãe Yemanjá Saravá, nossa mãe Yemanjá Está iluminada a nossa banda Saravá, nossa mãe Yemanjá Está cheio de flor este congá Pai Benedito, E o negro chorou lá na beira do mar Ele é tudo o que eu faço E quem consolou foi a mãe YemanjáPai Benedito ilumina os caminhos por onde eu passo Saravá, nossa mãe Yemanjá Saravá, nossa mãe Yemanjá
  47. 47. AELA Pontos Cantados Nhô Benedito no terreiro Zi preto véio Vem trabalhar Que zi veio de Aruanda Pedindo forças prá Zambi No terreiro de Umbanda Prá seus filhos ajudar Ele vem prá trabalharNhô Benedito que é preto no Congo E olha o passo da gira que o nego dá Seus filhos vêm curar E este nego já foi dono de congá Com seu pito e seu colar Com a proteção de Oxalá Quinguelê, quinguelê Xangô Ele é filho da cobra coral Olha preto está trabalhando Quem bate na cambucá Olha branco não está olhando Repenica no congá E vamos chamar meu povo E vamos trabalhar Xangô rata Ruara ruarê Eu vi um preto velho No meio do canjerê Ainda bem não era dia Papai mandou chamar Firma a cabeça meu filho Que tem preto prá chegar Vovó tem sete saias Na última saia tem mironga Vovó veio de Angola Prá salvar filhos de Umbanda Salve todos os pretos-velhos O seu patuá Salve o povo de Yorimá E a figa de guiné Vem trazendo os companheiros Para os filhos de Umbanda ajudar Vovó veio de Angola Vem e traz a luz de Zambi Prá salvar filhos de fé Traz o amor de Oxalá Firma a cabeça meus filhos Saravando todo o povo de Yorimá
  48. 48. AELA Pontos Cantados Saravá vovó Joaquina Arriou na linha de congo Saravá o seu congá É congo, é congo aruê Ela vem lá de Aruanda Ela vem prá trabalhar Arriou na linha de congo Agora que eu quero ver, Com suas mirongas Ê, ê... E seu patuá Saravá vovó Joaquina Na fé de Oxalá Vovó Ana, vem da praia No barquinho de Yemanjá Ela vem firmar seu ponto Pai Joaquim, ê, ê Pela fé de Oxalá, oi... Pai Joaquim, ê, a Pai Joaquim, ê, ê Tem areia, tem areia Pai Joaquim, ê, a Na barra da sua saia, tem areia... Pai Joaquim veio de AngolaPai Joaquim veio de Angola, angola É teu congá que está te chamando Pai João . É teu congá que está te chamando É preto, é preto Pai João É no meu congá Vem de longe, vem de Aruanda É preto, é preto Vem de longe, vem trabalhar Ora vamos saravá Congo rei Congo Cadê preto velho Vamos saravá Preto velho No terreiro de Umbanda Quando vem de Aruanda Olha o congo, rei Congo... Vem trazendo a lei de Umbanda, Sinhá Vem, vem, vem preto velho Oi preto velho vem saravá
  49. 49. AELA Pontos Cantados Vim neste terreiro Lá vem vovó Vim numa sacola Descendo a serra com sua sacola Dei a meia volta Com seu rosário e seu patuá O congo carangola Ela vem de Angola Congo, rei Congo Eu quero ver, vovó É congo carangola Eu quero ver, vovó Congo rei Congo Eu quero ver É filho de Angola Se filhos de pemba tem querer Congo rei Congo Mãe Maria Maravilha é o congo Cadê Pai Tomé Congo aruê, saravá Foi na mata apanhar guiné Olha o congo está dizendo Diga a ele prá quando vier Congo, aruê saravá Vir salvar seus filhos de fé Bahia é terra boa A sua bengala Terra de São Salvador Ta no Sumaré Bahia é terra boa A sua cachimba Terra de Nosso Senhor Ta no Sumaré, Pai Tomé Saravá todo o nosso povo Filho de Umbanda Senhor do Bonfim quem mandou De pouca fé Oi pisa no caminho Se quiser ficar de pé Preto velho Pai João Aqui vem prá trabalhar Salve a fé e a caridade Nas matas tem folhas Salve as forças de Oxalá E tem rosário de Nossa Senhora Preto velho é pregador Prega o amor e o perdão Tem aroeira de São Benedito Prá todos os filhos de fé São Benedito Na Lei de Nosso Senhor Que nos valha nesta hora
  50. 50. AELA Pontos Cantados Ponto de saudação a Mãe Preta Maria Conga É quem vence a demanda Na sua terreira ela diz Quem é aquela preta Que tem mironga Que vem lá de Aruanda É a Mãe Preta, é a Mãe Preta Que vem trabalhar Traz mironga, traz feitiço Prá salvar filhos de Umbanda É a Mãe Preta, é a Mãe Preta Maria Conga, ela vem da Bahia Que vem trabalhar Trazendo em seu patuá Sete galhos de arruda Sete rosas pro nosso congá Maria Conga, ela vem da Bahia A saia da vovó Luiza Trazendo em seu samburá É feita de mirinó Sua pemba e sua guia Sacode a saia E o rosário da Virgem Maria Prá cair o pó Força africana Oi Preta Velha Força de linha Você não me engana Força baiana Amarra a saia com palha de cana Força do mar Descarrega esses filhos E o cigarro que ela fuma Leva pro fundo do mar É de palha de Aruanda Preta velha, que vem lá da Bahia Vem, vem Ora por nós preta velha Tem rosário de Maria Ora por nós no congá Tem, tem E as almas santas benditas, auê... Tem rosário azul e branco Me abrem as portas do céu, auê.. Tem, tem E as almas santas benditas, auê Prá salvar os vossos filhos É só quem pode me valer Vem, vem
  51. 51. AELA Pontos Cantados É lá da Bahia Ponto de saudação ao Nhô Batista É lá da Bahia Que a Nega Bastiana Pai Batista na Umbanda é curador Traz sua magia Pai Batista na Umbanda é curador É preto velho sim senhor Ela traz mironga É preto velho sim senhor Vem neste congá Se a doença for de Deus Ajudando os filhos Pai Batista vai curar Na fé de Oxalá Se a doença for feitiço Curará neste congá Com saia rodada Figas no pescoço Senhor do Bonfim É seu protetor Ai meu Senhor do Bonfim Valei-me meu salvador Vinde ajudar vossos filhos Povo da Bahia chegouPonto de saudação a Mãe Joaquina Preta velha Mãe Joaquina Vem chegando de Aruanda De longe ele vem vindo Com seu rosário e suas mirongas Da Bahia ele vai chegar Vem ajudar filhos de Umbanda Ai meu Senhor do Bonfim Qual é o baiano Preta velha, preta velha Que não tem seu patuá Com as forças de Yorimá Traz perfume de roseira Põe aos pés de Oxalá Preta velha, preta velha Que santo é aquele Com as forças de Yorimá Que vem acolá... Traz perfume de roseira É São Benedito Põe aos pés de Yemanjá Que vem ajudar Tem mironga no congueiro Congo Rei Gongo Tem mironga no congá Ai vem pretos velhos Quem não pode com a mandinga Vamos saravá Não carrega patuá No terreiro de Umbanda
  52. 52. AELA Pontos Cantados Ela penou pra chegar Vindo de Angola Mas chegou... Sou rei da magia Ela penou pra entender Minha terra é muito longe Mas entendeu... Meu congá é na Bahia Pai Oxalá Guiou por caminhos de luz Tem areia oi... Hoje ela só faz o bem Tem areia a... Sem olhar a quem Tem areia no fundo do mar Vovó Tem areia o... Vovó Maria Baiana Vovó Maria Baiana Vovó Maria Baiana Vovó Maria Baiana Oi quem vem lá Que povo será É o povo baiano Que vem trabalhar Lá na Bahia Quem manda é o baiano Quebra coco Arrebenta a sapucaia Vamos todos trabalhar Xangô joga pedra de lá E o baiano joga coco de cá Filhos de Umbanda Quem vem lá Não bambeia É vovó Luzia E nem pode bambear Corta a mironga Arrebenta a simpatia Filho de Umbanda Não bambeia Esse filho vai curar Congo Rei Congo Maravilha é o congo Rei Congo Aruê... Preto velho vem de longe Saravá... Pra salvar filhos de fé Olha congo está dizendo Defumar a nossa banda Olha o congo Com incenso e guiné Aruê... Saravá...
  53. 53. AELA Pontos Cantados Pai Jerônimo vem trabalhar Balança que pesa ouro Neste terreiro e neste congá Não pode pesar metal Filho de Umbanda não bambeia Saravá Xangô E nem pode bambear Yemanjá E todos seus filhos Que vem trabalhar Deixei meu cachimbo no toco Mandei o moleque ir buscar Na hora da derrubada Congo Rei Congo Meu cachimbo ficou lá Congo chegou Rei Congo é maravilha No terreiro saravou Santo Antonio é filho de Zambi Santo Benedito é do meu Congá Manda e desmanda A sua bengala Manda e desmanda Ta no Sumaré Santo Antonio arrebenta mironga A sua cachimba Ta no Sumaré, Pai Tomé Filhos de Umbanda De pouca fé Santo Antonio corre gira Oi pisa no caminho No terreiro de Umbanda Se quiser ficar de pé Santo Antonio desamarra O que está me amarrando Auê aua Pai Benedito é preto sadona Auê meu Santo Antonio Ele mora no roseiral Que vem chegando Ele é preto e tem coroa sadona Neste congá Ele é chefe de congá Pra todos os filhos de Umbanda ajudar
  54. 54. AELA Pontos Cantados Santo Antonio de Pemba São Benedito que manda nos pretos Caminhou sete anos velhos A procura de um anjo São Benedito manda Rei Congo Ai até que encontrou baixar Caminhou, caminhou Auê meu Pai Ai como caminhou... Auê meu Pai Ai como caminhou Peço licença Santo Antonio de Pemba Deixa os velhos trabalhar Ai como caminhou Auê, auê Quem demanda na Terra é auê Numa noite linda Noite de luar Preto velho orou a Zambi Meu santo Antonio pequenino Pra cativeiro acabar Mora na beira do caminho Trabalha Zé trabalhou... Me valei meu santo Antonio Trabalha Zé que o cativeiro acabou... Não me deixa andar Sozinho Preto velho, baixa, baixa No terreiro de Umbanda Santo Antonio pequenino Preto velho, baixa, baixa Não me deixe andar sozinho Pra levar toda a demanda Olha lá meu Santo Antonio Casa de preto velho Cuidador dos meus caminhos É o povo de Aruanda O inimigo está acordado Casa de preto velho O inimigo está dormindo É o terreiro de Umbanda Olha lá meu Santo Antonio Cuidador dos meus caminhos Saravá o congo São Benedito na linha de Zambi Saravá o congo Também sabe ler... Saravá o congo no congá Seu mucamo é bom Pai africano vem da banda lá do mar Também sabe ler Pra ajudar filhos de Umbanda Seu mucamo é bom Trabalhar... Também sabe ler Saravá, saravá
  55. 55. AELA Pontos CantadosPontos de subida de Pretos velhos E vai preto velho Subindo pro céu E Nossa Senhora Cobrindo com véu E vai preta velha Subindo pro céu E Nossa Senhora Cobrindo com véu Preto vai com Deus E a Virgem Maria Saravá o povo de Aruanda Saravá o povo de Umbanda
  56. 56. AELA Pontos Cantados LINHA DE YORI DENTRO DO SINCRETISMOCATÓLICO SIMBOLIZADO POR SÃO JOÃO BATISTA PONTOS QUE VIBRAM NA LINHA DE Dia da Semana: QUARTA-FEIRA Cor: ROSA Comemoração: 27 de setembro YORI

×