O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Coletânea SEFAPAMAA - Pontos Cantados (Edição 2)

8.689 visualizações

Publicada em

Para garantir o seu baixe agora mesmo.

Totalmente seguro, gratuito e com muita novidade. Baixe em seu celular, tablet, em seu computador ou mesmo imprima e vamos estudar os lindos pontos e cantigas de Umbanda.

Axé irmãos espero que gostem foi feito com muito carinho.

Publicada em: Espiritual
  • Seja o primeiro a comentar

Coletânea SEFAPAMAA - Pontos Cantados (Edição 2)

  1. 1. PONTOS CANTADOS – SELEÇÃO OGÃ www.sefapamaa.blogspot.com.br
  2. 2. Agradecimentos Aqui deixo registrado neste humilde livro, o meu agradecimento a Olorum, nosso Pai Supremo, por todo seu amor e proteção durante todo o tempo de nossas vidas. Agradeço a todos os guias que já passaram por este terreiro, todos que estão presentes hoje e todos que virão. Agradeço ao nosso bondoso Pai Matheus de Aruanda, que com sua imensa luz e conhecimento têm nos guiado e acompanhado nessa jornada dentro de sua casa, hoje chefiada por nossa Mãe de Santo: Marli Campos. A quem devemos respeito e também agradecimento, por manter aberta essa Seara tão maravilhosa e cheia de amor, que começou lá traz, em 1989 por Vera Fernandes Campos, minha saudosa avó. Agradeço a este lindo preto velho pelas intuições para desenvolver o novo distintivo do terreiro. Agradeço por poder vivenciar essa experiência e servir a vós e à vossa casa. Agradeço a todos os irmãos de santo que já fizeram parte e que fazem parte hoje deste terreiro de Umbanda, a todos que de alguma forma contribuíram com a formação e estabilidade da Seara. Dedicando amor e caridade ao próximo. Estes que estão sempre dispostos a socorrer um irmão aflito, uma irmã que precise de intercessão da luz divina. Sem olhar quando e nem a quem. Exercendo o verdadeiro papel da fraternidade. Quando reunidos, somos um. Com um propósito maior, praticar a caridade. Sentimos a vibração que vem do som dos atabaques na chamada de cada linha. O som que envolve e vai de encontro aos nossos corações. O som da nossa amada e respeitada Lei de Umbanda, fundada pelo Caboclo das 7 Encruzilhadas, manifestado em Pai Zélio Fernandino de Moraes em 1908. Agradeço a colaboração de todos que me ajudaram a reunir os pontos das giras do terreiro em especial minha mãe Cirlene, ogã de nosso terreiro junto a mim. Muitos pontos eu trouxe nessa nova geração, para agregar a cada vez mais lindas cantigas de Umbanda em nossa casa. Agradeço também a minha prima de coração Camina Gonçalves Melo dos Santos por idealizar este projeto comigo, hoje estando em sua 2ª Edição. Deixo o meu sarava fraterno, desejando muita luz e axé divino a todos e que este material sirva de auxilio a todos que dele necessitarem. Bruno Campos de Medeiros SEFAPAMAA
  3. 3. Orações
  4. 4. Oração de Pai Matheus de Aruanda Meu querido e estimado preto velho Pai Matheus de Aruanda. Suplico a vós, que abra os meus caminhos para que eu possa encontrar a paz que necessito neste momento de aflição (medite no problema). Vós que tem um coração bondoso, que jamais deixe de vir em socorro de um filho aflito. Cuja as mãos e seus sábios concelhos não param nunca de servir seus amados filhos. Pois são movidos pelo amor divino de Zambi, e pela presença radiosa dos Orixás. Pai Matheus cubra-me com vossa luz celestial. Afaste as negatividades que por ventura estejam querendo me atingir e me levara a erros. Desmanche toda a feitiçaria posta em prol de me prejudicar. Concedei que eu receba o que for merecido, pois sei que nada no mundo se passa sem que haja uma causa, e a cada ação corresponde uma reação. Assim peço a vós meu preto velho Pai Matheus de Aruanda, faça com que eu tenha consciência de meus erros e melhore meus atos, para alcançar a paz e a elevação espiritual. Suplico a vós Pai Matheus de Aruanda, que me envolva em tua paz, alegria e sorte. Envolva-me em tua luz, hora a hora, instante a instante, após cada trabalho, que a tua presença seja minha companheira em todo os momentos. Ninguém melhor do que vós, para com toda a vossa imensa falange de preto velho ajudar-me a conseguir (o que deseja). Salve Zambi. Salve o rosário de Nossa Senhora. Saravá meu preto velho Pai Matheus. E toda as falanges de pretos velhos e pretas velhas. Adorei as almas. É para as almas. Zelador... Amém!
  5. 5. Oração ao Exu Tranca Ruas Salve Exu Tranca Ruas! Compadre Exu Tranca Ruas! Salve sua oração, salve todo povo da rua… Salve todos os exus! Peço que com seu poder e sua força abra meus caminhos e me fortaleça perante meus inimigos! Que tranque e afaste todas as trevas que me rodeiam. Tranque todo o ódio e os sentimentos impuros que minha alma emana. Peço que toda falsidade que exala de meus poros seja trancada. Que a miséria, o rancor e a soberba que habitam em meu coração sejam trancados. Que tranque minha língua e toda maldade que eu possa fazer ao pronunciar palavras de inveja. Que toda maldade e egoísmo que possuo em minha mente, sejam trancados. Que as palavras impuras que saiam de minha boca contra o próximo, sejam trancadas. Que eu não consiga com meus olhos magoar, amaldiçoar ou destratar qualquer irmão. Compadre abra e destranque todas as portas do meu caminho. Destranque todas as passagens da minha jornada. Destranque toda prosperidade material e espiritual. Destranque o meu coração das amarguras. Destranque o meu sustento de cada dia. Destranque meu corpo material da agonia, do desespero e da aflição que me perturba ao cair da noite. Destranque meus negócios e meus empregos, para que eu possa estar bem no meio material e espiritual. Destranque toda minha família. Abra meus olhos para que eu possa ver as maravilhas do mundo espiritual. Destranque a minha liberdade! O meu ir e vir… Que meus inimigos não tenham forças para me derrotar… E que todo mal que me desejam, seja convertido em coisas boas! Me proteja compadre de todas energias negativas, toda inveja e mal olhado… Peço ainda que todo mal que me é ofertado, seja convertido em bondade e amor! Senhor Tranca Ruas, abra sua capa e proteja a mim e todos que me cercam… Salve compadre Exu Tranca Ruas!!! Laroyê! Que assim seja!
  6. 6. Umbanda
  7. 7.     UMBANDA LUZ DIVINA FORÇA QUE NOS DÁ VIDA E A GRANDEZA NOS CONDUZ “Em foto Pai Zélio Fernandino de Moraes, médium do Caboclo das 7 Encruzilhadas, chamado carinhosamente de ‘Chefe’, o codificador de nossa sagrada Umbanda, dando inicio em 15 de novembro de 1908. Junto ao Chefe vieram: Pai Antônio e posteriormente o Orixá de Malé.”
  8. 8. Pontos Históricos – TENSP Tenda Espírita Nossa Senhora da Piedade Pai Zélio Fernandino de Moraes – Umbanda 107 Anos. __________________________________ Chegou, chegou, chegou, com Deus chegou. Chegou o Caboclo das 7 Encruzilhadas. __________________________________ Eles são 3 caboclos, caboclos do Jacutá. Eles correm noite dia, pra seus filhos ajudar. 7 Montanhas, 7 Lagoas com Seu 7 Encruzilhadas, saudemos os três 7’s, cada 7 um a um. 7 Montanhas gira quando a noite vai chegar, seu irmão 7 Lagoas quando o dia clarear e gira, e gira, até alta madrugada, gira o caboclo das 7 Encruzilhadas. __________________________________ Ovelhas abnegadas do rebanho de Maria. (2X) Salve o 7 Encruzilhadas, salve a estrela da guia. (2X) Salvai, salvai doce nome de Maria. (2X) A Virgem da Piedade a de ser a nossa guia. (2X) __________________________________
  9. 9. Hino da Umbanda Refletiu a Luz Divina Com todo seu esplendor Vem do reino de Oxalá Onde há paz e amor Luz que refletiu na terra Luz que refletiu no mar Luz que veio de Aruanda Para tudo iluminar A Umbanda é paz e amor É um mundo cheio de luz É força que nos dá vida E à grandeza nos conduz Avante filhos de fé Com a nossa lei não há Levando ao mundo inteiro A bandeira de Oxalá
  10. 10. Hino Dos Orixás Penso no dia que logo vai nascer E o meu peito se enche de emoção A esperança invade o meu ser Eu sou feliz e gosto de viver. Pela beleza dos raios da manhã Eu te saúdo Mamãe Iansã Pela grandeza das ondas do mar Me abençoe Mamãe Iemanjá. A mata virgem tem seu semeador Ele é Oxóssi. Okê okê arô! Na cachoeira eu vou me refazer Nas águas claras de Oxum ai ei ei oh. Se a injustiça faz guerra de poder Valha-me a espada de Ogum, Ogunhê Não há doença que venha me vencer Sou protegido(a) de Obaluaê. Eu sou de Paz Mas sou um lutador, A minha lei quem dita é Xangô, A alegria já tem inspiração Na inocência de Cosme e Damião. Não tenho medo Vou ter medo de que? Tenho ao meu lado Nanã Buruquê E essa luz que vem de Oxalá Tenho certeza vai me iluminar... Penso no dia que logo vai nascer E o meu peito se enche de emoção A esperança invade o meu ser Eu sou feliz e gosto de viver Pela beleza dos raios da manhã Eu te saúdo Mamãe Iansã... E essa luz que vem de Oxalá Tenho certeza vai me iluminar!
  11. 11. Abertura dos Trabalhos Eu vou pedir licença a Deus, pros meus trabalhos começar. Salve o sol e salve a lua, salve meu Pai Oxalá. (2X) Abrimos a nossa gira, pedimos de coração. Ao nosso Pai Oxalá, para cumprir a nossa missão. No céu a estrela brilha, brilhou, brilhou tão linda. Sarava, sarava, mãe Iansã, sarava Xangô e Oxalá. Salve o congar de Oxóssi, salve o congar da Jurema, sarava o rei das matas onde canta a seriema. Sarava Oxumarê, Pai Ogum no Humaitá, Ibejis lá no jardim, Mamãe Oxum e Iemanjá, Nanã. Oh Nanã, sarava, sarava, rainha sereia das ondas do mar. (2X) Pedimos licença a Zambi, a Oxum e Iemanjá, Para abrir nossos trabalhos com a bandeira de Oxalá. (2X) Sarava Ogum, Sarava Congar. (2X) Sarava seu 7 ondas ele é rei é orixá. Sarava as almas, sarava gongar. (2X) Pisa na linha de Umbanda que eu quero ver, Ogum 7 ondas, pisa na linha de Umbanda que eu quero ver Ogum Beira-Mar, Pisa na linha de Umbanda que eu quero ver, Ogum Iara, Ogum Megê. Seu cangira de Umbanda auê. (2X) Ora pisa no reino o cangira, ora pisa no reino o cangira, ora pisa no reino o cangira, Tatá de Umbanda o cangira. (2X) Vou abrir minha Aruanda, vou abrir meu Juremá. (2X) Com a licença de Oxalá e de todos os orixás. (2X) Abre-te banca de areia, areia só dá no mar. (2X) A minha lei é a lei de Umbanda meu Senhor, Deus em primeiro lugar. (2X) Clareou, o meu caminho foi essa luz quem clareou! Clareou! (2X) Clareou na mata virgem. Clareou lá na pedreira. Clareou no bambuzal. Clareou na cachoeira (2X) Clareou! Clareou, o meu caminho foi essa luz quem clareou! (2X) Clareou lá no jardim. Clareou a beira-mar Clareou lá na encruza. Clareou nesse conga. Clareou a minha vida. Clareou a minha mente. Luz divina, minha luz. É a estrela do oriente. Clareou! Clareou, o meu caminho foi essa luz quem clareou! (2X) Mas quando abrir minha Aruanda, eu quero curimá. Curimá para meu “Pai Ogum”, eu quero curimá. Fechando Gira Eu fecho a nossa gira, com Deus e Nossa Senhora, eu fecho a nossa gira samborê pemba de Angola. Graças a Deus meu Deus. (2x) Pelo dia de hoje, louvado seja Deus. (2X) Meu Pai Oxalá muito obrigado, Pai Oxalá muito obrigado. Pelo dia de hoje, louvado seja Deus. (2X) Adeus filhos de fé, quando precisar me chame. (2X) Zambi te trouxe, Zambi vai te levar. (2X) Agradeço a toalha de renda, de brim, que enfeita o congar. (2X)
  12. 12. Seu Ogum da Estrada, Seu Ogum Beira Mar. (2X) Com licença ê, com licença á, na fé de Zambi, seus filhos vão caminhar. (2X) Defumação Cigana Cheirou, cheirou incenso, mirra e beijoim. Cheirou, cheirou rosa, guiné e alecrim. Dom Belchior, Dom Gaspar, Dom Baltazar. Incensai a minha casa, pros ciganos trabalhar. Autoria Dani (Umbandarte) Defumação Oi corre a gira Pai Ogum, filhos querem defumar. Umbanda tem fundamento, é preciso preparar. Cheira incenso e alecrim, cheira arruda e guiné. Umbanda tem fundamento, defumai filhos de fé. Defuma com as ervas da Jurema, Defuma com arruda e guiné. (2x) Benjoim, alecrim e alfazema. Vamos defumar filhos de fé, defuma. Defumou, defumou, defumou tornou defumar. (2X) Defumou o terreiro de Umbanda meu Pai, vamos sarava. (2X) Tô defumando estou incensando. (2X) A casa de meu bom Jesus da Lapa. (2X) Nossa Senhora incensou seus bentos filhos, mas incensou para cheirar. Mas eu defumo essa casa santa, para o mal sair, e a felicidade entrar. Incensa, incensador, a casa do meu Senhor. (2X) Defumada de caboclo, cheira a guiné, Olha vamos defumar nossos filhos de fé. (2X) Defuma eu Nanã, defuma eu Nanã. (2X) Na minha aldeia, tem 3 caboclos, e todos 3, tem seu valor. Tem um que toca, outro que dança, o outro faz defumador. (2X) Como cheira Umbanda, cheirou a guiné, vamos defumar nossos filhos de fé. Como cheira Umbanda, cheirou alfazema, vamos defumar o povo da Jurema. Incensa, incensador, a casa do meu Senhor. (2X) Como cheira Umbanda, cheirou. Mas como cheira Umbanda, a Umbanda cheirou. Oh, meu Pai Oxalá, vem ver os filhos seus, defuma estes filhos na hora de Deus. Meu Pai Oxalá, vem ver os filhos seus, defuma estes filhos na hora de Deus. Mas ele é rezador, ele vai defumar, ele reza seus filhos e o mal vai levar. (2X) A Umbanda já ascendeu seu candeeiro, a Umbanda já firmou o seu congar. (2X) A Umbanda preparou o seu terreiro, está na hora vamos defumar. (2X) Meu Pai Oxóssi, dai-me licença pra defumar. (2X) Eu defumo, eu defumo, está aldeia real. (2X) Oh mais como cheira, mas como cheira defumador de Umbanda. (2X) Cheira alecrim, a Umbanda. Cheira beijoim, a Umbanda. Cheira alfazema, a Umbanda. Pai Xangô rei de Umbanda, venha nos defumar, minha Mãe Sereia leve o mal para o fundo do mar. (2X)
  13. 13. Umbanda Todo mundo quer Umbanda quer, quer, mas ninguém sabe o que é Umbanda. (2X) Ela tem fundamento quer, quer, mas ninguém sabe o que é Umbanda. (2X) Todo mundo quer Umbanda, quer, quer quer Umbanda. Mas ninguém sabe o que é Umbanda, quer, quer, quer Umbanda. Umbanda tem fundamento, quer, quer, quer Umbanda. Pai Antônio A Umbanda é força meu Pai, a Umbanda é luz, filhos de Umbanda não caem, se apoia na cruz. (2X) A Umbanda é fé, amor é caridade. A Umbanda é força, a Umbanda é verdade. 7 Linhas de Umbanda A Umbanda tem 7 forças divinas, que irradiam suas luzes no congar. Tem Pai Ogum, tem Pai Xangô rei das pedreiras. Mãe Iemanjá, Mãe Oxum nas cachoeiras. Tem Pai Oxóssi que é caçador nas matas. Obaluaiê lá no cruzeiro das almas. Pai Oxalá que comando esse exército de guerreiros, que na Umbanda vem nos ajudar. (2X) Oi salve a Umbanda, vamos saudar. As sete linhas dos Orixás. Na natureza sete são as vibrações que pai Olorum criou e aqui estão neste conga. Na linha da sagrada Geração Pai Omulu e também Iemanjá. Lá na floresta, a força do Conhecimento, sarava meu pai Oxóssi, sarava pra mãe Obá. Quem movimenta é Iansã, pelos caminhos do pai Ogum, Linha da Lei é linha forte nas demandas, sarava pra Lei da Umbanda, Sarava pra Lei Maior. Na força de Xangô e Egunitá, tem a Justiça que vem tudo equilibrar. Na Evolução, quem rege é Obaluaê, que traz todo o seu saber junto com a mãe Nanã. A cachoeira é de Oxum e o arco-íris de Oxumarê, que são as linhas do Amor do pai Olorum, que ilumina cada um e engrandece a nossa fé. Salve a Umbanda, salve as Sete Vibrações São sete cores na coroa de Babá. Mãe Logunam é a mãe do Tempo e mãe da Fé e o regente da Umbanda é o nosso Pai Oxalá! Autoria: Casa de Pai Benedito 7 Vibrações Olorum | Deus Meu Pai Olorum, Senhor dono do céu, Senhor dono da terra. Olhai os filhos seus. Olhai a natureza, olhai a minha vida, peço perdão pelos meus atos. Abençoai minha família. Hoje cheio de amor quero louvar Pai Olorum, abençoai a nossa Umbanda, Senhor Supremo do Orum. Autoria: Dani (Umbandarte) Saudação ao Tempo Quando o tempo mudar. (3X) Meu Deus do céu, o que será? (2X) Tempo macula de lei, tempo macula de lei, Eu venho de manhã só, tempo macula de lei. (2X) Mãe Oiá já girou o tempo, gira no templo vem cristalizar, a Mãe Oiá é a dona do Tempo, eu toco o barra vento só pra ver Oiá girar. Gira minha Mãe, quero ver girar, salve a força do Tempo, salve nossa Mãe Oiá. Símbolo sagrado de Mãe Logunam – Oiá Tempo - Tempo
  14. 14. Saudação a Pemba Oi salve a Pemba, também salve a toalha. (2x) Salve a coroa é de nossa Mãe Iemanjá. (2X) Oi vamos sarava Ogum, oi vamos sarava Oxum, Iansã, Oxóssi e Iemanjá. Vamos sarava Xangô, Oi vamos sarava Nanã, Ogum de Lei, Seu Beira-Mar. Foi por amor a Pemba, foi por amor a Pemba, limpa terreiro de meu Pai Ogum, oh, por amor a Pemba, por amor a Pemba, limpa terreiro de meu Pai Ogum. Bater a Cabeça Mas quem manda no mundo, bate a cabeça, vai trabalhar, É meu Pai Oxalá ê, é meu Pai Oxalá. Minha mãe Iemanjá, me leva, me leva para as ondas do mar, Eu sou filho de fé, eu sou filho de fé, eu quero trabalhar. (2X) Cachoeira da mata virgem, onde mora meu pai Xangô. (2X) Sarava ô Nanã Buquê, sarava o meu pai Xangô. (2X) Auê ê ê, auê ê a, eu sou filho de Umbanda, bato a cabeça vou trabalhar. (2X) Vai, vai, vai, aos pés de nosso Senhor, vai bater cabeça, Oxalá mandou. Descarrego Oi descarrega, descarrega, meu Santo Antônio. Oi descarrega, oi descarrego em nome de Ogum. Oh descarrega meu Pai, oh tenha dó, somos filhos de Zambi meu Pai, oh tenha dó. (2X) Ogã Foi numa noite divina, que Oxalá me guiou, pra um terreiro de Aruanda, cheirando incenso de fulôr. Lá me sentei em um cantinho e observei com muita atenção, aquele mundo repleto de caridade e muita devoção. Mas chegaria o momento, que explicará toda a canção, pois eu senti os tambores rufarem no meu coração. Assim me pus a sentir, aquela linda e pulsante vibração e com a minh’alma serena, recebi essa santa missão. De ser ogã por amor, de ser ogã de paixão, de ser ogã consagrado na Lei que não se da em vão. Sou guerreio fiel de Ogum, mensageiro da paz de Oxalá, nos braços trago o axé das 7 linhas e desato qualquer nó pelo cantar. Obrigado meu Pai Oxalá, agora sei pelo que eu vou lutar, com o atabaque canto e saldo a nossa Umbanda, aqui sempre que foi meu lugar. Demanda Meu Santo Antônio da Ribeira, Olha esse mundo como está, Quem me abraçava antigamente, Meu Santo Antônio hoje quer me derrubar. (2X) Sarava seu cordão preto, meu Santo Antônio, Sou filho seu. Abençoai meus inimigos, meu Santo Antônio Pelo amor de Deus.
  15. 15. Chamada dos Orixás Tambor, tambor, vai chamar quem mora longe, é tambor. (2X) É Oxóssi nas matas, Xangô nas pedreiras, Ogum no Humaitá, Mamãe Oxum nas cachoeiras. (2X) Aí quem me dera Ogum, aí quem me dera uma vez. Vós governar meu país e fazer cumprir nossas leis. Vem cá, vem cá Iansã, vem cá, vem cá direcionar. Abençoa esse povo que sofre, faz paz na terra reinar. Arroboboi Oxumarê, atotô meu Pai Ancião, renovai as mentes do poder, Obaluaiê dê ascensão. Autoria: Ogã Stefany Campos Clamor aos Orixás
  16. 16. Oxalá Sincretismo com Jesus Cristo
  17. 17. Pai Oxalá Papai Oxalá mandou, meus filhos orai, orai. (2X) Quem ora pra Pai Oxalá, demanda ele vai derrubar. (2X) Oxalá meu Pai tem pena de nós, tem dó. (2X) A volta do mundo é grande e o teu poder é maior. Maior que Zambi, maior que Oxalá Procure nesse mundo, não encontrará. (2X) Zambi é pai, Oxalá é filho, Encontrei na Umbanda a força do divino. (2X) No sofrimento, na minha dor, Foi Zambi e Oxalá quem me ajudou. (2X) Oxalá meu pai, somos filhos da virgem Maria. Uma estrela nos ilumina. Estrela é a nossa guia. Que os nossos anjos da guarda sejam a nossa companhia. Oxalá ê, Oxalá â. (2X) Pelo amor de Deus Oxalá. (2X) Ajoelha povo, lá em vem Jesus. (2X) Ele vem cansado, com o peso da cruz. (2X) Vem de rua em rua, vem de porta em porta, Oh Jesus me ajuda, a carregar a cruz. A nós descei Divina Luz. (2X) Em nossas almas acendei, o amor, o amor de Jesus. E no mais triste, desatino. No mais profundo abismo, sem fim, sem fim. Pombinho branco, mensageiro de Oxalá. (2X) Leva essa mensagem, de todo coração até Jesus. E diga que somos soldados de Aruanda, trabalhamos na Umbanda carregando a nossa cruz. (2X) Maior que Zambi, maior que Oxalá, procure nesse mundo não encontrará. (2X) Zambi é Pai, Oxalá é Filho, encontrei na Umbanda a força do Divino. (2X) No sofrimento, na minha dor, foi Zambi e Oxalá quem me ajudou. (2X) Muito obrigado meu Pai Oxalá, pelas bênçãos que o Senhor me deu. (2X) Eu sou instrumento da Umbanda, por onde eu for levarei o nome seu. (2X)
  18. 18. Pai Oxalá, tu és a minha fé, louvemos a tia agora, oh meu Senhor. (2X) Nesse momento esqueço de tudo, firmo a minha cabeça em nosso Pai Oxalá, deixo tudo, do lado de fora, abro o coração pra louvar a ti agora. (2X) Divino é viver no céu, Divino é viver no mar, Divino é viver cantando, no mundo lindo de Oxalá. (2X) Oxalá meu Pai, venha nos ajudar, venha nos dar as forças meu Pai e abençoe este conga. (2X)
  19. 19. Iemanjá Sincretismo com Nossa Senhora Dos Navegantes
  20. 20. Mãe Iemanjá Mãe d'água, rainha das ondas sereia do mar. Mãe d'água, seu canto é bonito quando tem luar. Como é lindo o canto de Iemanjá Faz até o pescador chorar Quem escuta a Mãe d'água cantar, Vai com ela pro fundo do mar. Iêê, Iemanjá, rainha das ondas sereia do mar. Rainha das ondas sereia do mar. (2X) Zum, zum, zum, lá no meio do mar. (2X) É o mar que nos atrai, para nos abençoar, É o mar que nos atrai, para todo mal levar. Zum, zum, zum, lá no meio do mar. (2X) Valei-me rainha do mar, valei-me rainha do mar, Que manda na terra, que manda no mar, Valei-me rainha do mar. (2X) Iemanjá e a rainha do mar! (4X) Salve povo de Aruanda Salve meu pai Oxalá! Salve Oxóssi, salve o guia, Salve Ogum Beira Mar! Iemanjá! Iemanjá e a rainha do mar! (4X) Hoje tem festa na estrada, Salve meu pai Oxalá! Joga flores, traz perfumes, Pra nossa mãe Iemanjá! Iemanjá! Iemanjá e a rainha do mar! (4X) Sarava estrela do mar, clareia, clareia os nossos caminhos. Sarava estrela do mar, ê ê estrela do mar. Ando na areia, olho pro mar, ouço a sereia cantando alegre pra Mãe Iemanjá. (2X) Nas profundezas do mar azul, arraias bailando, cardumes, corais. Tem mistério e magia, é encanto divino, Os golfinhos brincando, oh que reino tão lindo. (2X) E lá na praia pescador chorou ôôô... Sua rede vazia ao ver lamentou. De joelhos faz uma oração. Oh rainha das águas solução pra minha vida. Eu sou seu filho, venha me socorrer! Minha família me espera, a pesca é o sustento pra sobreviver. (2X) Iemanjá... com seu manto sagrado abençoou, pescador tão feliz pro seu lar voltou, sua pesca foi farta ele comemorou. Final feliz de uma história, de amor e devoção, de um homem que carrega a fé em seu coração. (2X) Retira a jangada do mar, Mãe D’Água mandou avisar, que hoje não pode pescar, pois hoje tem festa no mar. (2X) Ê Ê Ê Ê Ê Ê Iemanjá, ela é, ela é a rainha do mar. (2X) Traz pente traz espelho Ô Ô Ô Ô Pra ela se enfeitar Ô Ô Ô Ô Traz flores traz perfume, enfeita todo mar.
  21. 21. Elá é a dona das ondas, ela é a rainha do mar. Odoyá, Iemanjá. (2X) O terreiro se ilumina pra Iemanjá chegar, Trazendo sua magia, sua benção vem nos dá. O seu lindo manto azul, é a força que me guia, aos caminhos da bondade, pra crescer a cada dia. Odoyá, Iemanjá. (2X) Fim de ano levo flores pra lhe presentear, E encontro a minha mãe, de joelhos a beira mar. Navegando vai seu barquinho, carregando minha oração. Caminhando na areia, fui cantando com emoção. Odoyá, Iemanjá. (2X) Estou ouvindo o lindo toque do tambor É louvação a iemanjá com muito amor O yaô, Iemanjá Que todo amor vem de Oxalá O yaô Iemanjá Que toda dor leva pro mar. Seu colar é de concha, seu vestido se arrasta na areia. Ela tem cheiro de mar ela sabe cantar, ponto de sereia. (2X) Ó Janaína quando estou feliz eu choro, Ó Janaína deixa eu dormir no seu colo (2X) E é no seu colo que afogo a minha sede Quis te pescar, mas caí na sua rede, feita com fios de cabelo maranhado, moro no mar e hoje sou seu namorado. Eu moro no mar e hoje sou seu namorado. Eu escrevi um pedido na areia, Pedindo a Zambi pra me socorrer. Eu escrevi um pedido na areia, Mas foi Mãe D'água quem veio me valer. E foi nas ondas do mar, Que entreguei os meus problemas e aprendi a confiar Que todo o mal não dura para sempre, Que a paz é uma semente que precisa semear. E no horizonte do mar tão infinito, Iemanjá me acolheu e me deu um mundo tão mais bonito. Eu abri meu coração, Ela me estendeu a mão, e entreguei meu caminhar à Iemanjá. Olhei pro mar, vi uma estrela a brilhar, é Mamãe Sereia, é a deusa do mar. Estrela é, estrela ah. Estrela brilha ê ê ah. Quem sai das águas vem beirando areia é mamãe sereia a rainha do mar. (2X) Mulher bonita dos cabelos negros traz em seu olhar, o encanto do luar. E lá na areia seus filhos a esperam, soando os atabaques para os trabalhos começar. (2X) Doce Iemanjá, rainha do mar. (2X) Eu sou filho de Yabá, Yabá é minha mãe. (2X) Oh rainha do tesouro, e odociaba no fundo do mar, Odociaba no fundo do mar. (4X) Saia do mar linda sereia, saia do mar venha brincar na areia (2X) Saia do mar sereia bela, saia do mar venha brincar com ela. (2X)
  22. 22. Mas hoje é dia de Nossa Senhora, de nossa mãe Iemanjá, lá no mar eh eh eh eh. Lá no mar ah ah ah ah ah. Brilham estrelas no céu, brincam peixinhos no mar, lá no mar eh eh eh eh. Lá no mar ah ah ah ah ah. Calunga eh eh eh eh, calunga ah ah ah ah... Lá no mar, têm uma canoinha, carregadinha de flores, dentro dela têm Mamãe Sereia, para nos livrar das dores. As ondas do mar bateu na areia, a Sereia veio nos salvar. (2X) Mas quem manda no mar? É Iemanjá. (3X) Ao entardecer, em sua areia irei pisar, Vou agradecer a céu, vou agradecer ao mar. (2X) Na areia, na areia do mar, na areia do mar, na areia minha mãe Iemanjá, na areia. (2X) Em seu barquinho oferendas, para te ofertar, coberto de rosas brancas junto com o pedido, oh rainha do mar. Hum hum oh oh oh oh oh, minha mãe Iemanjá, iê iê. Hum hum oh oh oh oh oh, no fundo do mar, iê iê. Hoje, hoje eu vou cantar, hoje eu vou cantar, vou louvar na areia, em lua cheia, minha mãe Iemanjá iê iê êh. (2X) Rosa do mar, minha estrela do céu azul, não é história de um pescador, e meu amor eu vou lhe entregar, iê iê êh. (2X) Deixa, deixa as ondas do mar passar, ouça o canto da bela Odoyá, Oxalá quem mandou, um grande amor do fundo do mar, iê iê êh. (2X) Estava na beira da praia, ouvindo o balanço do mar, quando eu vi uma linda sereia, e eu comecei a cantar... Oh Janaína vem ver, o Janaína vem cá, receber essas flores que eu vou lhe ofertar.
  23. 23. Oxum Sincretismo com Nossa Senhora Da Conceição E Nossa Senhora Aparecida
  24. 24. Mamãe Oxum Mamãe Oxum, seus filhos choram, Seus filhos choram mamãe Oxum, Mamãe Oxum. (2X) Hum, hum, hum ie ie oh chorodô. (2X) É o mar, é o mar, fé fé, chorodô. Oxum era menina, não mão direita tinha, o seu espelho onde vivia a se mirar. Olha eu, olha eu mamãe Oxum. (2X) Olha eu mamãe Oxum, olha eu Oxum Maré. (2X) Oxum oh que Maré, oh que Maré Oxum (2X) Oxum oh que Maré, Maré, Maré Oxum. (2X) Eu vi mamãe Oxum na cachoeira sentada na beira do rio. (2X) Colhendo lírio, lírio, lírio. Colhendo lírio, lírio, lá. Colhendo lírio pra enfeitar nosso Congá (2x) Oxum lava meus olhos, oxum minha emoção. (2X) Oxum flor das águas lava meu coração. (2X) Nuvem de poeira d’água que sai da cascata da deusa Oxum. (2X) Beleza pura, linda e cristalina, essa deusa menina, com perfume da flor, Encanto doce da natureza inspira riqueza, vaidade e amor. Nuvem de poeira d’água que sai da cascata da deusa Oxum. (2X) Quando se banha na beira do rio, o solo irradia energia e calor, Dona do ouro, deusa poderosa, pedra preciosa cheia de esplendor. Oh oh! Oh oh! Oh oh oh... Oxum Ai eu eu oh (4X) Ai eu eu oh Oxum, Oxum ai eu eu oh... Brilhou a estrela matutina Rolaram pedras de Xangô Quem será essa menina Que a lua iluminou. Canta no clarão da lua. Dança no calor do sol. Todo ouro se ilumina pra saudar Oxum Menina, pois Oxum é Mãe Maior. Sarava, Oxum Menina! Pois Oxum é Mãe Maior. Oro mim má, oro mim maió, oro mi maió, abadô ai ie ie oh...
  25. 25. Se a noite é das estrelas, o dia faz a gente pensar. (2X) Que a lua é da Sereia e o dia pra quem cedo acordar. (2X) Ora ie ie oh, Odociá, Ora ie ie oh mamãe Oxum e Iemanjá. Ora ie ie oh, Odociá. Salve a Sereia, mãe Oxum no cantuá. Ai ieieoh, Ai ieieoh (2X) É no bailar, bailar Oxum (2X) Ai ieieoh. A minha mãe Oxum, ora ieieoh, rainha da cachoeira. A deusa da beleza é minha mãe Oxum, Orixá da natureza. (2X) Ai vem mãe Oxum passeando, passeando no clarão da lua. (2X) Ai como é linda, ai como é linda, mamãe Oxum passeando no clarão da lua. (2X) No céu uma estrela vem brilhando, nas águas o amor refletindo. Ai ieieoh Oxum, de alegria estou sorrindo. (2X) Também na cachoeira tem a força da Oxum, Oxum é minha mãe e o meu pai é Ogum. (2X) Mamãe oxum estava sentada na pedreira, com a coroa sustentada por Xangô. Mamãe Oxum é rainha das cachoeiras, me dê suas bênçãos e irradie sua luz. Ora ieieoh, Ora ieieoh, Ora ieieoh mamãe Oxum. Ora ieieoh menina d’água encantada. Ora ieieoh, Ora ieieoh, Ora ieieoh mamãe Oxum é rainha do amor na luz dourada. (2X) Lá na pedreira uma luz brilhou, reluziu na cascata, dona do ouro é a deusa do amor. Mamãe Oxum rainha iluminada. As suas águas me banham, limpam meu corpo, levam todo mal de mim, sua pureza toma conta da minha vida, me cubra com seu manto, me traga paz e alegria. É lindo ver, sua imagem sagrada, na cachoeira minha vitória foi traçada. (2X) Estava na cachoeira quando ouvi Oxum cantar. Ela é dona das águas, mãe Oxum eu vou louvar. (2X) Mamãe Oxum, olhai por mim, guiai meus passos ai ieieoh cuida de mim. (2X) Seu cantar traz calmaria, segurança e alegria. Seu amor vem me valer nas tristezas dessa vida. (2X) Autoria: Michelly Reis
  26. 26. Nanã Buruquê Sincretismo com Nossa Senhora Santana
  27. 27. Mãe Nanã Buruquê Atraca, atraca que ai vem Nanã ê ê. Atraca, atraca que ai vem Nanã ê a. É Nanã, é Oxum, é quem vem sarava, ê ê. É Nanã, é Oxum, é a rainha do mar, ê a. Oh Nanã eu não sei ler, Nanã. Venha me valer, Nanã. Oh Nanã vem me socorrer, Nanã. Eu não sei ler Nanã. São flores Nanã, são flores. São flores Nanã Buruquê. São flores Nanã, são flores, de seu filho Obaluaiê. Nas horas de agonia, é ele é quem nos valer. É seu filho Nanã é meu pai, ele é Obaluaiê. Salubá eu, salubá eu Nanã. Salubá eu Nanã, oh Nanã Buruquê. Oi nas ondas do mar eu vi Nanã! Oi Nanã Buruquê... Oi nas ondas do mar eu vi Nanã! Na lagoa de Nanã, salubá Nanã Buruquê. (2X) Decanta os seus filhos, salubá Nanã Buruquê. Com seu manto iluminado, salubá Nanã Buruquê. Água e terra é seu poder, salubá Nanã Buruquê. Oh Nanã Buruquê, seus filhos lhe pedem Seus filhos lhe imploram. Venha ver o terreiro e levar todo mal na sua marola. (2X) Sarava Nanã auê, sarava Nanã auá Sarava Nanã na beira do rio e nas ondas do mar. (2X) Oxumarê me deu dois brajás, na festa de Nanã Buruquê... A velha deusa das águas, quer mugunzá. Seu ibiri enfeitado com fitas e búzios. Um ponto pra assentar, mandou cantar. Êh, Salubá! Ela vem no som da chuva, dançando devagar seu ijexá. Senhora da Candelária, Yabá. Pra toda a sua nação Ioruba. Me lava Nanã, me lava, com suas águas Nanã, sagradas. Oh me lava. (2X) Lave meus olhos para que eu possa ver, A luz divina dos meus guias a me proteger, Lave meus ouvidos para que eu possa ouvir os ensinamentos de bons caminhos a seguir. Lave minha boca para que eu possa dizer, Mensagens de amor a quem precisa receber. Lave Nanã o meu coração encha ele de alegria e retire a aflição. Ô Nanã Buruquê... As suas águas me dão forças pra vencer, Ô Nanã Buruquê... Quero em suas águas uma bênção receber.
  28. 28. Manhãs, sublimes manhãs dos meus dias. Lindo todo o meu despertar. Nanã, oh Minha mãe como é bela a minha vida, Nanã, como é bom acordar e te ver. Sua bênção Nanã, minha mãe Nanã Buruquê. Quando em seu colo me deito, me sinto perfeito em todo meu ser. Oh minha mãe Nanã que em todas as manhãs eu possa lhe ver. Nanã, oh Nanã Buruquê. Sou ainda uma criança em manhãs de esperança com vontade de crescer. Negra da costa. O que traz em seu balaio pra vender? Ela traz acarajé, com azeite de dendê. (2X) É nana aue. E nana aua.... É nana aue. E nana aua.... É nana aue. É Nanã de Buruquê... Nanã, Nanã, é Nanã Buruquê. (2X) A sua saia é roxa e a sua sinta é de sapê. (2X) É Nanã ê, É Nanã ê, É Nanã ê. É Nanã ê, É Nanã ê, É Nanã. Senhora das águas turvas, Nanã é Yabá. Em Orum, vive Nanã Buruquê. Salubá linda Senhora, viva seu poder. Eu vi Nanã, eu vi Nanã, eu vi Nanã, eu vi Nanã, auê. É Nanã Buruquê, é Nanã Buruquê, é Nanã Buruquê. Na coroa de Zambi eu vi Nanã, auê eu vi nanã. Senhora Santana quando andou pelos montes. (2X) Por onde passava deixava uma fonte. (2X) Os anjos que vinham beber água dela, que água tão linda, Senhora tão bela. (2X) Oh Nanã cadê Iemanjá? Iemanjá tá nas ondas do mar! (2X) Ela é dona de conga, salve a Sereia do mar. (2X) Cacurucaia, é Nanã Buruquê, na barra da sua saia seus filhos vem proteger. (2X) Oh Nanã auê, salubá eu, Senhora de Sant’Ana, salve Nanã Buruquê. (2X) Se a minha mãe é Salubá, mas ela é orixá mais antigo do céu. (2X) Nanã, oh Nanã Buruquê, quem é seu filho agora que eu quero ver. (2X) Lá em vem vovó com a sua canoa remando pro mar. Oi lá vem vovó com a sua canoa remando pro mar. (2X) Oh Nanã, oh Nanã Buruquê, eu quero ver onde é sua morada. (2X) Oi Nanã mora, mora nas cachoeiras, mora nos rios e mora nas ondas do mar. (2X) Eu vi Nanã, eu vi, sentada na beira do poço. Senhora Santana, com seu manto roxo. Divina Nanã, oi Divina Nanã, venha nos ajudar. Eu vi Nanã eu vi, senhora Santana Buruquê, salubá. Eu vi Nanã...
  29. 29. Iansã Sincretismo com Santa Bárbara
  30. 30. Mãe Iansã Iansã tem um leque de penas, Para abanar em dia de calor. Iansã mora na pedreira, Eu quero ver o meu pai Xangô. Santa Bárbara Virgem, têm cabelos loiros. (2X) E a morada dela, é na terra do ouro. (2X) Eram duas ventarolas, eram duas ventarolas, lá no meio do mar. (2X) Uma era Iansã, oh Eparrêy. A outra era Iemanjá, Odoyá. Iansã cadê Ogum? Foi pro mar, Mas Iansã cadê Ogum? Foi pro mar. Na terra dos Orixás, o amor se dividia, Entre um deus que era de paz e o outro que combatia. Ogum sonhava com a filha de Nanã. E pensava que as estrelas fossem os olhos de Iansã. Mas Iansã cadê Ogum? Foi pro mar. Oh sinhá avanjú, Oh sinhá avanjuê Auê bunburecema, Orocy avanju ê. (2X) A pele negra brilhante da guerreira que desperta, o fogo que nos clareia, a espada que liberta. Eparrêy Oyá guerreira, Eparrêy Oyá menina, Minha Santa padroeira, É mãe de Santa Catarina. Oh Iansã, é a rainha de Umbanda, mas ela é dona do seu Jacutá. (2X) Oh eparrêy, eparrêy, eparrêy, o mamãe de Aruanda segura o terreiro que eu quero ver. Iansã orixá na Umbanda, rainha desse nosso conga. Sarava Iansã lá na Aruanda, eparrêy, eparrêy, Iansã venceu demanda... Oh Iansã, sarava Pai Xangô, choveu, relampeou. E lá na mata o leão bradou, sarava Iansã, sarava Xangô. (2X) Oyá, onde anda Oyá, é matamba de Zambi, é matamba de Zambi, onde anda Oyá. Oyá, Oyá... Me protegi no bambuzal de Iansã, Das demandas, que jogaram em mim. (2X) Ela é do vento e traz toda bondade, E com seu raio destrói toda a maldade. Eparrêy bela Oyá, virou o tempo, foi pra ela guerrear, Eparrêy bela Oyá, na nossa Umbanda ela é grande Orixá. (2X)
  31. 31. Eparrêy, eparrêy, eparrêy bela Oyá, Iansã olha a matamba. (2X) A minha santa guerreira, venha me valer, Pois me sinto em um abismo, não sei o que fazer. Em meio a escuridão, veio um raio clarear, Me mostrando o caminho que eu possa traçar. Eparrêy, eparrêy, eparrêy bela Oyá, Iansã olha a matamba. (2X) Peço que nesse caminho, bons ventos possam soprar. Afastando as nuvens negras, que querem me derrubar. Se nele encontrar espinhos, em flores eu vou pisar. Pois sou filho de Iansã, poderosa Yabá. Soprou um vento longe, de longe vêm com a brisa do mar. É nossa mãe, rainha de Aruanda, eparrêy, eparrêy, oh que bela Oyá. (2X) Erga seus braços pro céu, e peça a ela, que venha nos ajudar, vêm proteger os filhos de Umbanda, e abençoar todos os filhos de Oxalá. Relampejou, trovejou, choveu, veio a bonança quando ela apareceu. (2X) Olha que o céu clareou, quando o dia raiou, fez o filho pensar. A mãe do tempo mandou, a nova era chegou, agora vamos cantar. No Humaitá Ogum bradou Senhor Oxóssi atirou, Iansã vai chegar. O ogã já firmou, a atabaque afinou agora vamos cantar. A eparrêy, ela é Oyá, ela é Oyá. A eparrêy, é Iansã, é Iansã, a eparrêy, Quando Iansã vai pra batalha todos os cavalheiros param só pra ver ela passar. (2X) Vem oh vento vem, soprar bem forte traz pra esse Jacutá, a força Divina de Iansã e a benção de Oxalá. (2X) Vem oh vento e traz também, a paz e a esperança para quem não tem. (2X) Endeburê, endeburê mavanjú Endeburê mavanjú, endeburê bela Oyá. Rainha dos raios, rainha dos raios, rainha dos raios, tempo bom, tempo ruim. Senhora da lei, guerreira de Aruanda, eparrêy Iansã guerreira de Oxalá. Venta lá no céu, relampeia lá no mar, eparrêy Iansã guerreira de Oxalá. Rainha do vento movimenta o meu pensar, eparrêy Iansã, guerreira de Oxalá.
  32. 32. Xangô Sincretismo com São João Batista |São Pedro | São Jerônimo
  33. 33. Pai Xangô São Pedro é quem abre a porta, é quem fecha a porta pra quem merece. (2X) Ah meu São Zacarias, proteja a mesa, dai força aos guias. (2X) Do Reino de Oyó, com suas Yabás. Xangô veio da África, para nos abraçar. Kaô cabecilê. Meu povo venha ver. (2X) O Rei acabou de chegar. (2X) Trazendo Riqueza e justiça, pro povo da Aldeia. As nações de Ketu, Jêjê, Ijexá, estão em festa, Louvando os Orixás. Vamos sarava. Kaô Kabecilê. O Rei esta em terra, gente! Vamos Sarava! Pedra rolou pai Xangô, lá nas pedreiras, Afirma ponto meu filho na cachoeira. (2X) Tenho meu corpo fechado, Xangô é meu protetor, afirma ponto meu filho, pai de cabeça chegou. (2X) Meu São João Batista é Xangô. É Xangô até o fim. (2X) Mas se me faltar à fé, o senhor desaba essa pedreira sobre mim. (2X) Por detrás daquela serra, tem uma linda cachoeira. (2X) É do meu pai Xangô, que arrebentou 7 pedreiras. (2X) Iluminou, iluminou, iluminou. Iluminou a Aruanda iluminou. Toda florida com flores coloridas, todos cantam a chegada de Xangô. Iluminou. Lá vem Xangô, vem descendo a serra. Ele vem beirando o mar. (2X) Ele deixou sua pedreira lá no alto, kaô cabecilê. (2X) No alto da pedreira eu vi pedra rolar, No centro da mata, ouvi trovão roncar. (2X) Kaô, kaô, ele é meu Pai Xangô. (4X) Ele bradou na aldeia, bradou na cachoeira em noite de luar, em noite de luar. No alto da pedreira foi fazer justiça pra nos ajudar. (2X) Ele bradou na aldeia, kaô, kaô, E aqui vai bradar, kaô, kaô, Ele é Xangô da pedreira, ele nasceu na cachoeira, lá no Juremá. (2X) Um raio de fogo surgiu, e tudo iluminou, Então ao meu pai pedi, vitória nos caminhos que vou. Xangô senhor da verdade, que faz justiça em nossa terra, Com seu machado destrói o mal, Trazendo a paz, findando a guerra.
  34. 34. Xangô colocou pedra em meus caminhos, Mas não era para eu pisar. (2X) Com as pedras que Xangô me dava, um lindo sonho se realizava, com as pedras que Xangô me deu, fiz uma gruta pra Aieieiô. Pedra sobre pedra, consegui fazer, a gruta pra Oxumarê. (2X) Kaô Cabecilê! Odoyá! Oh, oh, oh, oh, vou sarava meu Pai Xangô e lá no céu o sol vai brilhar, salve a Sereia, salve Iemanjá. As pedras rolaram pro mar, corais se formaram para enfeitar. Um canto sereno vem anunciar, é Janaína que vem ajudar. (Refrão) Xangô nos deu a justiça, com a fé em Obatalá. Poder Divino de um orixá, Xangô Alafim, Bálomim, Airá. (Refrão) Trovões no céu surgiram, agitando as ondas do mar. Iemanjá é mãe sagrada, Xangô é rei, é rei de Ioruba. (Refrão) Xangô, Xangô, luar lá na pedreira de Xangô. (2X) Eu vi no clarão do luar, eu vi, eu vi lá na pedreira pedra rolar. (2X) Eu vi na lua cheia, no alto lá da pedreira Xangô falando conselhos pra nos ajudar. (2X) Não deixe o mal entrar na sua vida, não deixa essa semente germinar. (2X) Não plante essa semente, modifique o seu presente. Só assim colherá os bons frutos que a vida trará. Autor: Sandro Luiz Dizem que Xangô mora nas pedreiras, mas não é lá sua morada verdadeira. (2X) Xangô mora na cidade de luz, onde mora Nossa Senhora, Oxumarê e Jesus. (2X) Voou, voou, o meu passarinho azulão. (2X) Quem rola as pedras é Xangô, que risca o ponto no chão, eu vi a Cabocla Jurema com seu bodoque na mão. (2X) Quem quiser falar comigo, lá no alto da pedreira, meia dúzia de cerveja, Pai Xangô nas cachoeiras. Auê, auê, Xangô, Xangô lá nas pedreiras Xangô. (2X) Seu arerê, seu arerê, seu arerê é o Senhor, é nosso Pai. (2X) Nas pedras que Xangô morava, aonde o rouxinol cantava. (2X) Xangô oh, oh, oh, oh, meu Pai Xangô! Xangô mora nas pedreiras, eu vi foi relampejar, kaô cabecilê meu Pai, sarava Xangô, sarava Xangô. Sua atabaque ecoa, filho de Umbanda chora. (2X) Adeus, adeus, terreiro, o “o seu trovão” já vai embora. Adeus, adeus, terreiro, Pai Xangô já vai embora. Xangô é Pai, é orixá, rei da justiça, equilibra esse conga. (2X) Rei das pedreiras, senhor do trovão, Pai Xangô vem na Umbanda com seu machado na mão.
  35. 35. Se eu errei, aqui estou pedindo maleime meu Pai Xangô. (2X) Mandai uma faísca de um raio pra me iluminar. Segura pedra na pedreira não deixa rolar. Xangô, kaô meu Pai, os seus filhos bambeiam, mas não caem. Quando os atabaques tocam, minha aldeia se levanta, pra ver quem é, quem é, quem é? Ele é o rei da sabedoria, ele é Pai da justiça, meu Pai Xangô, meu Pai Xangô! Xangô oh, oh, oh. Abençoa os seus filhos aqui, ali, seja onde for. Xangô oh, oh, oh, nos da sua proteção, seu carinho e seu amor. Quem rola a pedra na pedreira é Xangô, é Xangô, é Xangô. (2X) Ora viva a coroa de Zambi, ora viva oi quem vence demanda, ora viva que o rei da pedreira é Xangô oh, oh. (2X) Meu Pai, meu senhor de joelhos eu peço a ti Pai Xangô. Que me mande a faísca de um raio divino defendei meu terreiro de um mal protetor. (2X) Eu vi chover, chover, vento que balanceou, balanceou. Vento bateu na pedreira foi de encontro a cachoeira água rolou. (2X) Sentado na pedreira de Xangô, eu fiz um juramento até o fim. (2X) Mas se me faltar a fé, o senhor desaba essa pedreira sobre mim. (2X) Xangô kaô, odelei, odelá, kaô cabecilê, odele, odelá, é de mosusula como é que é.
  36. 36. Obaluaiê | Omulu Sincretismo com São Roque |São Lázaro
  37. 37. Pai Obaluaiê / Omulu Obaluaiê toma conta do terreiro. (2X) Não deixe os contrários entrar. (2X) Obaluaiê atotô, Obaluaiê atotô. Obaluaiê olha meu casuê, atotô. Olha meu casuê, atotô. Andei, andei papai, não sei por quê? A minha sina é só padecer, oi abre a porta venha receber. É Obaluaiê papai que eu quero ver. (2X) Aonde reina a paz, aonde reina a luz, É na cabana do nosso mestre Omulu. (2X) Mestre, mestre, mestre, mestre Omulu. (2X) Nos livre das doenças, nos livre do mal. Olhai o nosso corpo, no espirito da luz. Os filhos da cabana do nosso Mestre Omulu, estão pedindo a sua força e a sua luz. (2X) Na nossa banda, na nossa gira, na hora de dor e na hora de agonia. (2X) Omulu é meu orixá (4X) Salve a cabana do mestre Omulu, Omulu é meu orixá. Salve as curas do mestre Omulu, Omulu é meu orixá. Salve a banda do mestre Omulu, Omulu é meu orixá. Meu Pai Oxalá é o rei venha me valer (2X) O velho Omulu, atotô Obaluaiê. (2X) Atotô Obaluaiê, atotô babá. Atotô Obaluaiê, atotô é orixá. (2X) Ele é um grande orixá, ele é o chefe da calunga, Ele é seu Atotô, o Obaluaiê. (4X) Cadê a chave do Baú? Está com mestre Omulu. (4X) Seu Omulu ê, seu Omulu ê, seu Omulu ê, Omulu é Orixá. (2X) Sarava seu Omulu, Omulu ê ê. (2X) Se ele canta e pede, da pra ele pão e vinho. Depois que ele acalmar ensina-lhe o caminho. Perdão Obaluaiê, perdão. Perdão a Orixalá, perdão. Perdão o meu Deus do céu, perdão. Obaluaiê, perdão. Óh rei do mundo, oh rei do mundo. Perdão Obaluaiê, ele veio do mar. Obaluaiê, Ele é forte, ele veio, Obaluaiê, Salvar...
  38. 38. Silêncio! Atotô! Atotô! Atotô! Oh... Suas flores sagradas são deborô, Que limpam meu corpo e tiram a minha dor, sua palha divina é seu ajê, orixá poderoso Obaluaiê. Oh... Silêncio! Atotô! Atotô! Atotô! Oh... Senhor da terra, Senhor da vida, Senhor da chaga, Senhor das partidas. Seu nome santo, me faz refletir da vida o que levo e o que deixo aqui. Oh... Silêncio! Atotô! Atotô! Atotô! Oh... O velho Omulu vem caminhando no terreiro, O velho Omulu vem sarar nesta conga. O velho Omulu sustenta o campo santo, O velho Omulu vem aqui nos ajudar. Oh atotô, atotô pai Omulu. Oh atotô, atotô é orixá. Vim em seu cruzeiro para lhe ofertar, nesse portal de luz venha me curar. (2X) Oh atotô (3X) Meu Pai Obaluaiê. (2X) É Obaluaiê, É Obaluaiê, É atotô. É Obaluaiê, É Obaluaiê. Se você está sofrendo, no leito ou com frio e com dor. Com pipoca e com dendê, muita gente ele curou, se seu corpo está ferido e não pode mais suportar, peça proteção a ele, que ele vai lhe ajudar! Obaluaiê! (Refrão) Tem segredo da vida, do começo e do fim, oh meu senhor das palhas, tenha muita dó de mim. Na procissão das almas, que partem pro infinito, ele vai mostrando a elas outro mundo mais bonito! Obaluaiê! (Refrão) Força sagrada que eu quero ver, força sagrada de Obaluaiê. A sua casa é de pedra toda coberta de sapê a onde mora a andorinha, é a casa de Obaluaiê. Tem magia, tem mistério, tem mironga, tem poder. Nas paredes tem pipocas e nos cantos tem dendê. Essa casa é de Obaluaiê (4X) Ele é um velho. É muito velho. Ele carrega as palhas na mão. (2x) Ele veio do céu. Pra dentro da terra. É força sagrada, que nos governa. Orixá das palhas. Orixá da dor. Orixá da cura. Orixá do amor. Ele é um velho. É muito velho. Ele carrega as palhas na mão. (2x) Vou fazer um tapete de deborô, para oferecer a Seu Omulu. E na casa santa vou entregar, vou pedir a proteção deste grande Orixá. Ele é um velho. É muito velho. Ele carrega as palhas na mão. (2x)
  39. 39. Ogum Sincretismo com São Jorge
  40. 40. Pai Ogum Pedimos licença a Zambi, a Oxum e Iemanjá, Para abrir nossos trabalhos com a bandeira de Oxalá. (2X) Sarava Ogum, sarava Congar. (2X) Sarava seu 7 ondas ele é rei é orixá. Sarava as almas, sarava congar. (2X) Pisa na linha de Umbanda que eu quero ver, Ogum 7 ondas, pisa na linha de Umbanda que eu quero ver Ogum Beira-Mar, Pisa na linha de Umbanda que eu quero ver, Ogum Iara, Ogum Megê. Seu cangira de Umbanda auê. (2X) Ora pisa no reino o cangira, ora pisa no reino o cangira, ora pisa no reino o cangira, Tatá de Umbanda o cangira. (2X) São Jorge era guerreiro, eu também sei guerrear. Se ele venceu demandas, eu também sei demandar. Oi entra meu São Jorge, por essa casa a dentro. Ilumina os 4 cantos com o santíssimo sacramento. (2X) Oh Jorge, Jorge guerreiro, você mesmo foi quem disse. Olha seus filhos primeiro Jorge. (2X) Jorge é guerreiro. (3X) Guerreiro venceu demanda. Quem tá de ronda é São Jorge, deixa São Jorge rondar. (2X) São Jorge é guerreiro, que manda na terra, que manda no mar. (2X) Sarava meu pai. Sarava meu pai. Girar é bom, girar é bom, girar é bom, é bom girar! Oi salve Ogum Megê, Ogum Rompe-Mato e Ogum Beira-Mar (2X) Eles trabalham na areia meus pais, eles trabalham no mar. (2X) Oi salve Ogum Megê, Ogum Rompe-Mato e Ogum Beira-Mar (2X) Quem beira rio, beira rio, beira mar, O que se ganha de ogum, só ogum pode tirar. (2X) Seu Ogum de ronda é quem vem girar, E vem trazendo folha pra descarregar. (2X) Ogum já venceu, já venceu, já venceu, Ogum vem de Aruanda que lhe manda é Deus. (2X) E ele vem beirando o rio, ele vem beirando o mar. (2X) Oi salve santo Antônio da Calunga, Benedito e Beira-mar. (2X)
  41. 41. Eu tenho 7 Espadas para me defender, Eu tenho Ogum em minha companhia. (2X) Se o Ogum é meu pai, se Ogum é meu guia. Mas Ogum vai baixar na fé de Zambi e da Virgem Maria. Mas quem me der Ogum, Para ser meu guia, Ogum é soldado de cavalaria. (2X) Ogum não devia beber, Ogum não devia fumar. A fumaça representa as nuvens e a cerveja branca a espuma do mar. Se meu Pai é Ogum, Ogum. Vencedor de demanda, Ele vem de Aruanda pra salvar filhos de Umbanda. (2X) Ogum, Ogum Iara. (2X) Salve os campos de batalha, salve a sereia do mar. Ogum, ogum Iara. Filho de pemba bebe água no rochedo, Filho de Ogum corre campo e não tem medo. (2X) Vou pedir ao criador, Que derrame o seu amor, Aos nossos guias e ao nosso Babalaô. (2X) Eu sou General Guerreiro, Eu só trabalho para vencer, Eu tenho o peito na lança, Essa batalha eu tenho que vencer. Sou eu, guerreiro, cheguei da guerra, Venci muitas batalhas, quando eu trabalhei em terra. Oh fala guerreiro. Fala guerreiro. (2X) Guerreiro fala guerreiro. Ogum Beira Mar O que trouxe do mar? (2x) Quando ele vem, vem beirando a areia e na mão direita ele traz a guia da mamãe Sereia. (2X) Ogum em seu cavalo corre A vossa espada reluz. (2x) Ogum, meu pai. Mostre a bandeira para os filhos de Jesus, Ogum! (2X) Bandeira linda de Ogum, que foi firmada lá no Humaitá. (2X) Mas ele é o general da banda, Ogum venceu demanda nos campos do Humaitá. (2X) A umbanda clareou. Clareou, clareou! Esse grande Orixá. Clareou, clareou! Sobre a luz da lua cheia. Lá no alto das pedreiras. Olhando as cachoeiras. Quem é o cavaleiro? (2X) Que veio cavalgar, montado em seu cavalo branco. Com sua espada a empunhar. É Ogum meu Pai! Ogunhê meu Pai. Cavaleiro de Oxalá, Oxalá! Com sua espada suprema, ele é o senhor dos caminhos, ele é o Rei do Humaitá Sarava Pai Ogum! Ogunhê, Ogunhê! Ele é o Tatá. Ele é o Tatá. Ele é o Tatá no Arerê. (2X) Quando Ogum partiu pra guerra, Iemanjá chorou. (2X) Quando Ogum voltou vencedor, Iemanjá cantou. (2X)
  42. 42. Ogum de Lei pelo mundo andei, Ogum de Lei pelo mundo vou andar. Mas olha eu, senhor Ogum, pelo mundo já andei, pelo mundo vou andar. Ogum de Lei passou em Roma, Ogum de Lei em Roma passou. Mas olha eu, senhor Ogum, pelo mundo já andei, pelo mundo vou andar. (2X) Olho pra cima eu vejo o céu, olho pra baixo vejo terra pra girar, vamos pisar com esses pés no chão. O nosso mundo é areia do mar. Armadura de aço e uma lança na mão Pai Ogum venceu a guerra ele matou o dragão. Se a estrada é longa, tá difícil de andar. É chamar pelo seu nome ele vem lhe amparar. Ele é Ogum, é pai, é protetor. Foi nos campos de batalha Pai Ogum se consagrou. Se o filho chama, ele vem lhe ajudar. Sua força é poderosa não deixa filho tombar. É nessa hora que ele emana seu poder. Pai Ogum é poderoso e seu filho pode crer Armadura de aço e uma lança na mão Pai Ogum venceu a guerra Ele matou o dragão Lutou nas guerras. Sempre combateu o mal. Pai Ogum na nossa Umbanda ele é o nosso general. Sua bandeira tem bordada uma cruz. Pai Ogum venceu demanda em nome de Jesus e na Umbanda quando vem pra sarava. Ele vem das matas virgens, vem da terra ou pelo mar. Sua falange tem força e poder Pai Ogum é glorioso não deixa filho sofrer. Autor: Ogã Moisés de Oxalá Ogum guerreiro de Umbanda, seu ponto vem afirmar. (2X) Ele pede ao sol e a lua oh paranga, para lhe ajudar. (2X) Se a sua coroa de ouro é mariô. (2X) Diz o Ogum que tatá é tatá, coroa de ouro é mariô. (2X) O seu cavalo corre, sua espada reluz. Sua a bandeira cobre todos os filhos de Jesus. Seu cavalo corre, sua espada reluz. Auê seu Ogum Iara aos pés da santa cruz. __________________________________ Ogum Oyá, Ogum Oyá é de menê. (2X) Ogum Oyá é de menê, patacuri é de menê. (2X) __________________________________ Em seu cavalo branco, seu capacete é dourado. (2X) Ogum, ele é meu padrinho, ele é meu padrinho é ele meu protetor. (2X) __________________________________ É sentinela de Oxum, é remador de Iemanjá, Ogum Beira Mar. (2X) __________________________________ Ogum toma conta de mim, não me deixe sofrer tanto assim meu pai. (2X) Quando eu morrer vou passar lá na Aruanda, pra ver Ogum sarava filhos de Umbanda. (2X) __________________________________ Mandei fazer um capacete de penas, para usar antes da alvorada (2X). Vermelho e branco, verde e azul, esse capacete têm as cores de Ogum. (2X) De Ogum Naruê, de Ogum Matinata. (2X) Quando eu uso o capacete eu ouço toque de alvorada. (2X) __________________________________ Lanceiro, lanceiro, lanceiro de Oxalá. (2X) Bendito e louvado seja a hora em que Ogum nasceu. (2X) __________________________________ Ogum venceu a guerra, Ogum tocou clarim. (2X) E o exército todo foi comandado por ele. (2X) São dois irmãos na madrugada, seu Ogum Iara, seu Ogum Matinata. (2X)
  43. 43. Ogum Megê, Ogum Megê, Ogum Iara. (2X) Se a noite é linda, é de luar, Ogum Megê, Ogum Megê é quem vai girar. (2X) __________________________________ Estrela clareia a terra, estrela clareia o mar. (2X) Clareia o conga de Beira Mar, clareia, clareia os filhos no conga. (2X) __________________________________ Ogum é todo Malé, Malé ô linha Nagô. Ogum é todo Malé, Malé ô linha ôh. __________________________________ Ele é guerreiro, ele veio sarava. (2X) Jurou bandeira, Ogum é militar. (2X) Ogum me disse que dançar Nagô é bom. (2X) Oi que dançar Nagô é bom. (4X) Despedida de Ogum Mandei selar meu cavalo, para Ogum viajar (2X) Vai pra terra de Nossa Senhora da Glória, ele vai, mas torna a voltar. (2X) __________________________________ Selei, selei seu cavalo selei. (2X) Olha o Ogum já vai embora e seu cavalo selei. (2X) __________________________________
  44. 44. Oxóssi Sincretismo com São Sebastião
  45. 45. Oxóssi Oh! Senhor das matas. Nesta sua paz eu vou me abrigar. Neste chão de igualdade vou sentir liberdade com o senhor vou caçar! Vou parar nesse verde de Oxóssi esperança pra mim, entre folhas caindo, Pés no chão vou seguindo, eu vou viver! Acordar quando o sol no horizonte nascer me banhar nos seus rios, liberto a correr folhas verdes no frio irão me guardar santa paz de Oxóssi vai me agasalhar. __________________________________ Oxóssi quando vem, a ele vem aos pés da cruz. Vem pedindo proteção para os filhos de jesus. (2X) A terra tremeu, a terra tremeu, tremeu a cruz, mas não tremeu Jesus. (2X) __________________________________ Quem manda na mata é Oxóssi, Oxóssi é caçador, Oxóssi é caçador. Eu vi meu pai assobiar, ele mandou chamar. Vem de Aruanda ê, vem de Aruanda â, eu vi meu pai assobiar, ele mandou chamar. (2X) __________________________________ Oxóssi é rei da Tatarucaía, firma ponto na macaia, dono do seu Jacutá. Eu saravei, todos os caboclos, todos os caboclos sua banda sarava. __________________________________ Quem é o cavaleiro quem vem lá de Aruanda? É Oxóssi, e seu cavalo com seu chapéu de banda. Ele é filho do verde, ele é filho das matas. Sarava Nossa Senhora, com a sua flecha mata. Vem de Aruanda auê, vem de Aruanda auâ. (2X) __________________________________ Ele veio de tão longe, para sarava Oyá. (2X) Oh bendito, louvado seja ele é o rei de Obatalá. (2X) Oi bate o bumbo lá na aldeia. (2X) __________________________________ Okê bamboclinho, lá na mata tem guiné! (2X) Oxóssi é rei, ele é rei lá na macáia. Ele vem de Aruanda pra saudar esse conga. Ele ganhou flecha e bodoque, sua coroa quem lhe deu foi Oxalá. __________________________________ A malvadeza que vieram lhe fazer. (2X) Amarraram pelos pés, amarraram pelas mãos, atiraram flechas no peito de meu São Sebastião. Viva viva! Oh viva São Sebastião. (2X) Ele é meu Pai Oxóssi, na coroa do conga, vem abençoar seus filhos, não deixa ele tombar. Viva viva! __________________________________
  46. 46. Estava chovendo na Jurema, as folhas se abriram toda em flor. O sol clareava mundo inteiro, quando veio o nosso chefe Oxóssi caçador. (2X) __________________________________ Oh caçador na beira do caminho. Oh não me mate essa coral na estrada. Se ela abandou sua choupana caçador foi no romper da madrugada. (2X) __________________________________ Estrela matutina clareia o mundo sem parar. (2X) Estrela clareou banda de Oxóssi, na raiz do Orucá, eh eh eh eh ah. (2X) __________________________________ Na cidade de Jurema ouve um tiroteio, sua falange Oxóssi não abandonou. O Juremê, oh Juremá, o Rei das Matas mandou lhe chamar. __________________________________ Oxóssi é poderoso, da mata ele é senhor. Pedi licença a “Ogum”, “Ogunhê”, Oxalá me deu agô. Oxóssi é poderoso, da mata ele é senhor. __________________________________ Vem do alto, a energia do conga, vem da terra, vem do mar. Foi Oxalá que lhe chamou pra esses filhos ajudar. Foi Oxalá quem coroou Oxóssi nesse conga, do alto... __________________________________ Oh sarava meu Pai Oxóssi, auê, auá. (2X) Oi macutará de maleime, okê bamboclim de mará Zambi. __________________________________ Oxóssi encontrou Jurema na beira do Igarapé. (2X) Cobriu-a com folhas verdes, defumou-a com guiné. (2X) __________________________________ Oxóssi tá no muzambê, Oxóssi tá no muzambê, na cidade da Jurema Oxóssi tá no muzambê, tá no muzambê, tá no muzambê. (3X) __________________________________ Senhor das Matas, guerreiro de Aruanda. Oh Luz do Conhecimento, vem brilhar aqui na Umbanda. (2X) Ele é Rei supremo lá no Juremá. Ele é Caçador na falange de Oxalá. Ele traz sua Flecha e sua Coroa a iluminar. Pai Oxóssi vem chegando com sua Luz dourada. Okê Arô sarava Oxóssi êh! Okê Arô sarava Oxóssi ah! __________________________________ Caboclos Caboclo não tem caminho para caminhar Caminha por cima da folha, Por baixo da folha, em todo lugar!!! Okê Caboclo! __________________________________ Oi salve o sol, e salve e as estrelas das 7 linhas de Umbanda, como Ubirajara, Japiaçu e sua falange, Ubiratã em sua gira vamos sarava. __________________________________ Mas eu mandei fazer 3 capacetes de penas. (2X) Um é Jussara, outro é pra Jandira, outro é pra Jurema. (2X) __________________________________ Na macaia de meu pai tem terra, que alguém jamais pisou. (2X) Chão de Seu Mata Virgem, pedra de meu Pai Xangô. (2X) __________________________________ Quem manda na mata é Oxóssi, Oxóssi é caçador, Oxóssi é caçador. Ouvi meu Pai assoviar, ele mandou chamar. (2X) Vem de Aruanda auê, vem de Aruanda auá, “Seu Pena Verde” de Umbanda ele mandou chamar. (2X) __________________________________
  47. 47. Ele é caboclo da mata virgem, ele trabalha até o romper da aurora. (2X) Olha cambono firma o ponto que Tupinaquara tá chegando agora. (2X) Ele é caboclo da mata fechada, Tupinaquara em qualquer lugar e só atira as suas flechas com ordem suprema de Pai Oxalá. (2X) __________________________________ Lá na beira do caminho, tinha uma estrela a brilhar. (2X) Encontrei Flecha Dourada com as cores de Oxalá. Auê firmando o clima, auê Iemanjá. (2X) __________________________________ Na sua aldeia ele é caboclo, é Rompe Mato é Arranca Toco. (2X) Na sua aldeia lá na Jurema, não se faz nada sem ordem suprema. (2X) __________________________________ Cobra Coral a sua banda esta em festa, o céu e o mar estão cantando em seu louvor. (2X) Olha a Cobra Coral, quiô, quiô. (2X) Cobra Coral estou cantando em seu louvor. (2X) __________________________________ Foi na Umbanda que eu nasci, foi na Umbanda que eu cresci. (2X) Oi caboclo sarava a sua pena, oi caboclo sarava o seu conga. (2X) __________________________________ Foi numa tarde serena, Lá nas matas da Jurema que eu vi meu caboclo cantar. Quiô quiô quiô quiô que era, toda mata está em festa, sarava seu Cachoeiras que ele é, rei da floresta. Quiô quiô quiô quiô que era, toda mata está em festa, sarava seu 7 Flechas que ele é, rei da floresta. Quiô quiô quiô quiô que era, toda mata está em festa, sarava seu Mata Virgem que ele é, rei da floresta. __________________________________ Caboclo vai, vai, vai, vai. Caboclo vai pelas matas vai. Os passarinhos já estão cantando, lá na mata virgem, Onde tá o meu pai. (2X) __________________________________ Caboclo, selvagem, tu és a nação do Brasil, Tu és a nação brasileira, no alto daquela serra caboclo, As cores da nossa bandeira. __________________________________ Caboclo gira por aqui girou, Os maus dos filhos ele já levou. (2X) Levou, jogou, para as ondas do mar, ele já levou. __________________________________ O vento soprou lá nas matas, Jogando as folhas da Jurema no chão. (2X) O vento vai soprando, as folhas vão caindo, Caboclo vai apanhar folha do chão. (2X) __________________________________ Curimbembê, curimbembá, 7 Flechas um grande Orixá. (2X) Com 7 dias de nascido a Jurema o encontrou, Deitado na folha seca, o caboclo ela criou. Curimbembê, curimbembá, 7 Flechas um grande Orixá. (2X) Nasceu na mata de Oxóssi, na aldeia de Juremá O caboclo 7 flechas iluminado por Oxalá. Curimbembê, curimbembá, 7 Flechas um grande Orixá. (2X) __________________________________ Caboclo roxo da pele morena, Se ele é caçador, é caçador lá da Jurema. (2X) Ele jurou, ele jurará, pelos conselhos que a Jurema vai dar. (2X). __________________________________ Ele é Anda-Lua, que veio trabalhar, E com os poder de Deus, todo mal ele vai levar. __________________________________
  48. 48. Vestimenta de caboclo é samambaia É samambaia, é samambaia. Saia caboclo não se atrapalha, Saia do meio da samambaia. __________________________________ Corto língua, corto mironga. Corto língua de falador. Quando chego não há embaraço. Chegou Ubirajara, do peito de aço. (2X) __________________________________ Eu vi chover, eu vi relampear. Mas mesmo assim o céu estava azul. Firma seu ponto, Na folha da Jurema, Oxóssi reina, de norte a sul. Firma seu ponto, Na folha da Jurema, Oxóssi reina, de norte a sul. __________________________________ A Coral é sua sinta, a Jiboia é sua laça. (2X) Quizôa, quizôa, quizôa ê, caboclo mora nas matas. (2X) __________________________________ Chamei, chamei, chamei meus três irmãos. (2X) Chamei Flecha Dourada, Treme Terra, Furacão. (2X) __________________________________ Treme Terra, Treme Terra, quero ver terra tremer. Treme Terra, Treme Terra, quero ver terra gemer. __________________________________ Eu moro no meu lajedo. (2X) Lá no meio da samambaia. (2X) Em cima do monte verde, olê lê, Aonde os caboclos moram. (2X) Comida de caboclo, é abobora Juá. Vestimenta de caboclo, é a samambaia. (2X) __________________________________ Oh Juremê, oh Jurema, Suas folhas caiu sereno oh Jurema, dentro deste conga. (2X) Salve São Jorge guerreiro, Salve São Sebastião, Salve todos os caboclos que me dão a proteção, da Jurema. __________________________________ Oh lua nova, quarta crescente. Oh lua cheia, oh quarta minguante. Oh lua nova clareou o dia, Oh lua nova clareou o sol, Oh lua nova clareou as estrelas, Oh lua nova meus caboclos é hora. __________________________________ Tava nas matas, tava trabalhando. (2X) Senhor Pena-Branca mandou me chamar. (2X) Eu vou, eu vou, onde é que mora, Eu moro nas matas de Nossa Senhora. (2X). __________________________________ Eh, rê rê Eh rê, rê, rê, rê, rê. Caboclo Sete Flechas no gongar. (2X) Sarava Seu Sete Flechas, Ele é o rei das matas, A sua bodoque atira o paranga, A sua flecha mata. __________________________________ Auê, auê, meus caboclos auê. (4X) Caboclo mora nas matas, na beira da sapucaía, Caboclo come folha, se veste de samambaia. Auê, auê, meus caboclos auê. (4X) Salve cabocla Jupira, Salve cabocla Jurema, Sarava seu 7 Flechas, sarava seu Tira- Teima. Auê, auê, meus caboclos auê. (4X) __________________________________
  49. 49. No centro da mata virgem, uma linda cabocla eu vi. (2X) Com seu saiote, feito de penas, era a Jurema filha de Tupi. (2X) Jurema, Jurema, Jurema, Linda cabocla filha de Tupi, Ela vem lá da Juremá, Vai firmar seu ponto neste congar. (2X) __________________________________ Estava na minha aldeia, de longe ouvi me chamar. (2X) Eu sou a cabocla Jurema, cabocla de Pena que veio trabalhar. Estava na minha aldeia, vivendo sempre a sorrir. (2X) Eu sou a cabocla Jurema, cabocla de Pena que veio trabalhar. __________________________________ No meio da mata eu vi, dois nomes gravados em um tronco de pau. De um lado era seu Rompe Mato, do outro seu Cobra Coral. (2X) No meio da mata virgem eu vi, todos os caboclos falavam a língua Tupi-guarani. __________________________________ É banda, é banda, é banda, é banda, é banda eh. (2X) Sua banda é de ouro eh. (2X) Seu saiote é de pena dourada ele cheira guiné. __________________________________ Estava na beira do rio, sem poder atravessar, Eu chamei pelo caboclo, caboclo Tupinambá. (2X) Tupinambá chamei, chamei tornei chamar eah. (2X) __________________________________ São duas caboclas tão lindas, que têm la nas matas do Juremá. (2X) Salve a Cabocla Jacira, Cabocla Jussara, filhas de Iemanjá. (2X) __________________________________ Meu pai é um caboclo do mato, Têm uma choupana lá no Juremá, Ele usa saiote de penas, Prepara suas flechas quando vai caçar. Seu Orirê, seu Orirá. (2X) Meu pai é um caboclo girante, Que vive girando lá no Juremá, Ele gira na sua cangira, Chega no terreiro, sarava o endá. __________________________________ Na mata, perto de uma cachoeira, Encontrei Cobra Coral, ele tava na pedreira, Trazia seu arco flecha mão, dava seu brado de guerra, Pai Xangô deus do trovão. Fazia oração a Oxalá, a Oxóssi rei das matas, E Ogum no Humaitá, no céu um arco-íris nasceu, Era Nanã e Iemanjá, Iansã e Aieieu. __________________________________ Seu capacete é carijó, Sua flecha é dourada. (2X) Mas ele é o Caboclo Araúna Ele é filho da Oxum e mora nas águas sagradas. __________________________________ Luar, luar, segue o seu destino luar, segue o seu destino luar. (2X) Onde há muita alegria, Sete Estrelas mora lá. (2X) Por de traz daquela serra onde canta o sabiá. (2X) Onde há muita alegria, sete estrelas mora lá. (2X) __________________________________ Aqui nessa aldeia, tem um caboclo ele é real. Ele não mora longe, mora aqui mesmo nesse casuá. (2X) __________________________________
  50. 50. Quando a Aruanda se abre, eu quero ver quem é. (2X) É um Teimoso de Aruanda é um caboclo rei guiné. (2X) __________________________________ Toda meia noite de 19 d outubro, saia da sua tribo o mais valente dos guerreiros, Seu nome é Itaguaci, guerreiro de brado forte, ele veio conhecer um pedaço do reino de Oxóssi. (2X) __________________________________ O lírio é uma flor tão linda, que nasceu no Juremá. (2X) Oh lírio como o lírio é. (3X) __________________________________ Chefe da mata me disse na mata, que na mata não tinha caboclo. (2X) Atira caboclo atira, atira no rastro do outro. (2X) __________________________________ Oh, oh, oh, cadê Gira Mundo? Firma! É um terreiro pemba, com seu saiote de pena. (2X) Veado no mato é corredor, Oxóssi na mata é caçador cadê minha mano Ventania, esse caboclo minha estrela guia. __________________________________ Mas o seu manacá já não dá mais flores. (2X) Ele vai mandar plantar. (2X) Uma semente no seu manacá. Ah como é linda esta madrugada, povo de Umbanda que vem trabalhar, Tupinambá é pai de terreiro, Tupinambá é quem vem nos ajudar. (2X) __________________________________ Urubatão de guia sua mata é fria Jurema chorou. (2X) Por este mundo a fora Jurema quem chora Urubatão chorou. (2X) __________________________________ Suará eh eh, Suará. Suará na lei de Deus Suará. Você diz que é da lei, Suará. No terreiro é um rei, Suará. Eh eh eh Suará... __________________________________ Rei da mata, sua mata, sua mano combinou. Sua flecha seu boque viva Deus nosso Senhor. (2X) __________________________________ Chegou Urubatão de guia, que veio para nos salvar. Arrebenta as cadeias de ferro e de aço, arrebenta as cadeias de bronze. O sol e a lua vêm surgindo, também a estrela da guia, ele trás em seu peito gravado o nome da virgem Maria. __________________________________ Subida dos Caboclos Caboclo vai embora, pra cidade da Jurema, Oxalá tá te chamando, na cidade da Jurema, Ele vai ser coroado, na cidade da Jurema, Com a coroa de Ariré, na cidade da Jurema. (2X) __________________________________ A despedida de caboclo, faz chorar, faz chorar, faz soluçar, faz chorar. Caboclo vai pra Aruanda, trabalhar, e se despede da Umbanda, sarava. __________________________________ Caboclo pegue a sua flecha, pegue os eu bodoque, o galo já cantou. (2X) O galo já cantou foi na Aruanda, Oxalá te chama para sua banda. (2X) __________________________________
  51. 51. Ibejis Sincretismo com São Cosme São Damião e Doum
  52. 52. Ibejis São Cosme e Damião, cadê Doum? Doum foi passear, e não voltou. (2X) Sentada na pedreira de Xangô, Vai buscar Mamãe Nagô, Para procurar Doum. (2X) Cadê Doum? __________________________________ Cosme e Damião ilumina meus caminhos, Com a sua força e proteção pra nossa banda. (2X) Dê proteção pra nossa banda. Dê proteção pro nosso irmão. Dê proteção com fé em Zambi. Dê proteção em oração. __________________________________ Erês Vem, vem, vem, vem meu barquinho, acostar neste congar. (2X) Trás Pezinho e Jorginho para brincar no congar. (2X) Autor: Bruno Campos de Medeiros __________________________________ Brinca menino brinca, Vamos brincar na areia, Pra ver se você descobre, O brinco da mamãe sereia, Ó menino ó menina Olha lá coisa linda. __________________________________ No jardim do céu, Estão as crianças, quando elas vêm pra terra, Trazem amor e esperança. Venha criança, vem me ajudar, a criança é uma flor, Que merece o nosso amor. Pai Oxalá, que as abençoes, sempre resta uma esperança, Quando chega uma criança. Venha criança, venha brincar, sai da roda Mariazinha, Vamos todos brincar. (2X) __________________________________ Zum, zum, zum, zum, zum, zum Chupa chupeta Doum. (2X) Mas veja que belezinha a saia da Mariazinha. __________________________________ Oh menino vadio, Dois Dois. Ele quer vadiar, Dois Dois. Ele brinca no mar, Dois Dois. E na areia da praia, Dois Dois. __________________________________ Erê está te chamando, Dois Dois erê quer te ver. Dois Dois está esperando erê brincar com você. __________________________________ Tambor vai buscar criança, Com a ordem do vovô. Tambor vai buscar criança, Oxalá foi quem mandou. __________________________________
  53. 53. Crispim Crispiniano. (2X) Vá buscar tambor Crispim, que Oxalá está chamando. Crispim Crispiniano. (2X) Com licença vem salvar todos os filhos dessa banda. __________________________________ Erê quem vem de Aruanda brincar na beira do rio. (2X) Vem erê brincar na beira do rio. (2X) Erê quem vem de Aruanda brincar na beira do rio. (2X) Vem erê tomar a benção ao titio. (2X) __________________________________ E menininho d’Angola como brinca, vem brincar. (2X) Ele brinca de bola, ele brinca de pique. E menininho d’Angola como brinca, vem brincar. (2X) Ele brinca de corda, ele brinca de roda. __________________________________ Ibejada e quando vem brinca na beira da praia. (2X) Tô quase, tô quase, tô quase erê. Que Zambi te dê o melhor. __________________________________ Doum Doum, vai buscar os seus maninhos. Doum Doum, vem brincando no caminho Doum Doum, vem buscar os seus docinhos Doum Doum, toma benção o padrinho. __________________________________ Criança vem de muito longe, trazer seus maninhos para brincar. (2X) Vem Dois Dois, brincar na beira do rio. Vem Dois Dois, pra salvar a nossa banda. Vem Dois Dois, salve a sua estrela guia. __________________________________ Crianças quando chegam de Aruanda, Criança demanda. (2X) Eles vêm gritando auê auê, ao romper da aurora. (2X) Disquindin, insquindim, as crianças chegam assim. (2X) __________________________________ Papai me mande um balão, para todas as crianças que vem lá do céu. (2X) Tem doce mamãe, tem doce mamãe, tem doce lá jardim. (2X) __________________________________ Criança vem Aruanda, criança vamos brincar. (2X) Criança vem no congar para alegrar nossa banda. (2X) __________________________________ Bahia é terra de dois, terra de dois irmãos, governador da Bahia é São Cosme e São Damião. (2X) __________________________________ Vai, vai Doum, vai São Cosme e Damião. (2X) Vai com Crispim, Crispiniano pro jardim colher uma rosa para Iemanjá. (2X) Vai que a onda vai, vai que a onda vem, vai que a onda vai e a lua vai também. (2X) __________________________________ Quero brincar de roda mamãe tá chamando e eu não sei onde é, eh eh, eu não sei onde é. (2X) __________________________________ Doum, hoje é o seu dia, hoje tem alegria em todos os terreiros. Doum, oh oh Doum, sarava Zambi na linha de Umbanda em todos os terreiros. Ainda tem seus irmãos, ainda tem seus irmãos, quem é seus irmãos? É Cosme e Damião, é Cosme Damião! (2X) __________________________________ Na Bahia tem um coco, coco que faz a cocada. (2X) Coco que faz o manjar, para dar para Ibejada. (2X) Doum, Doum, Doum, Doum Cosme e Damião. Doum, Doum, Doum, brinca sentado no chão. (2X) __________________________________
  54. 54. Os anjos lá no céu cantavam, estrela D’Alva clareou. (4X) Sarava Cosme e Damião, nesse terreiro Oxalá lhe abençoou. (2X) __________________________________ Mas ele é pequenininho, mora no fundo do mar. Sua madrinha é Sereia, seu padrinho é Beira Mar (2X) Mas no fundo do mar tem areia, no fundo do mar tem areia, seu padrinho é Beira Mar, sua madrinha é Sereia. (2X) __________________________________ Quando a lua brilha no céu, clareia Umbanda (2X) Clareia Ibejada que vem lá de Aruanda. (2X) __________________________________ Titia me deu cocada, tio me deu guaraná. (2X) Gostei foi do caruru que a mamãe mandou preparar. (2X) Mamãe me deu caruru, eu comi caruru de mamãe. (2X) Gostei foi do caruru que a mamãe mandou preparar. (2X) __________________________________ Filho de fé estava doente, filho de fé estava chorando, filho de fé viu Ibejada, filho de fé já está cantando. (2X) __________________________________ Tem bala de coco e peteca deixa Ibejada brincar. (2X) Hoje é dia de festa Ibejada vem sarava. (2X) __________________________________ Ele vem do mar, ele vem da mata. (2X) Ele vem da pedreira, ele vem da cascata. (2X) __________________________________ Ibejada está de ronda, São Jorge de prontidão. Salve o povo de Aruanda, salve Cosme e Damião. __________________________________ Vamos apanhar caruru, caruru... Vamos apanhar caruru, com “Cosminho”. __________________________________ Fui no jardim colher as rosas, e a vovozinha deu-me as rosas mais formosas. (2X) Cosme e Damião, oh Doum, Crispim e Crispiniano são os filhos de Ogum. __________________________________ Eu quero doce, eu quero bala, eu quero mel pra passar na sua cara. __________________________________ Lá no céu têm 3 estrelas, todas as 3 em carreirinha. (2X) Uma é Cosme e Damião, a outra é Mariazinha. __________________________________ Antes do sol nascer, da lua se esconder da madrugada chegar, madrugada chegar. (2X) A lua clareia a mata ela é prateada, como clareia Beira Mar, eu vi as crianças brincando na beira d’água para saudar Iemanjá. (2X) __________________________________ Doum, Doum, Doum, meu santinho, ele e filho de Oxalá. Crispim, Crispiniano abre a roda, deixa Cosminho entrar. Cocadinha pra dois, dois, dois! Cocadinha pra dois! __________________________________ Subida das Crianças Andorinha que voa, voa, andorinha. Leva as crianças pro céu andorinha. (2X) Voa, voa, voa, andorinha Leva as crianças pro céu andorinha. (2X) __________________________________
  55. 55. Pretos Velhos Saudação: Adorei as Almas | As Almas Adorei
  56. 56. Pretos Velhos Tô na matamba ê catendê. Tô na matamba ê catendê. (2X) Olha o catendê, olha o catendê, Catendê de lá de cima, olha o catendê. (2X) __________________________________ Cateretê de preto velho, como sai fumaça. Cateretê de preto velho como sai fumaça, Cateretê de preto velho como sai fumaça. __________________________________ Sou Guerreiro do Quilombo, Quilombola. Lê lê lê ô. Eu sou Negro dos Bantos de Angola. Negro nagô. (2X) Fomos trazidos pro Brasil. Minha família separou. Minha mana foi vendida pra fazenda de um senhor. O meu pai morreu no tronco no chicote do feitor o meu irmão não tem a orelha porque o feitor arrancou. Na mente trago tristeza e no corpo muita dor. Mas olha um dia pro quilombo eu fugi, com muita luta e muita garra me tornei um guerreiro de Zumbi. Ao passar do tempo pra fazenda eu retornei. Soltei todos os escravos E as senzalas eu queimei. A liberdade não tava escrita em papel, nem foi dada por princesa cujo nome Isabel. A liberdade foi feita com sangue e muita dor, muitas lutas e batalhas, foi o que nos despertou. Sou Guerreiro do Quilombo, Quilombola. Lê lê lê ô. Eu sou Negro dos Bantos de Angola. Negro nagô. (2X) __________________________________ Se a pedra é dura é dura de quebrar, Coração que não bambeia, hoje tem que bambear. (2X) Eu pisei na pedra e a pedra balanceou, O mundo estava torto e Pai João endireitou. (2X) É Pai João que abre os caminhos, Pai João é quem abre o gongar, Segura sua cangira meu Pai João, não deixa esse conga virar. Segura sua cangira meu Pai João, não deixa esse conga virar. __________________________________ Na fazendo do lajedo, tem quatro campo quadrado, Cada canto tem um negro capinando seu roçado. Senhor, Senhor, deixa negro trabalhar. __________________________________ Ele trabalha sentado Ele trabalha em pé (2X) Mandinga de Pai Manoel, É galho de arruda e folha de guiné. (2X) __________________________________ Tava dormindo “Pai Thomé” me chamou. (2X) Levanta povo, cativeiro acabou. Eh... Levanta povo cativeiro acabou. __________________________________ Quem manda no céu é Deus do céu. Quem manda aqui na terra, é Deus do céu. (2X) Vela inteira não me alumeia, toco de vela é que vai me alumiar. (2X) __________________________________
  57. 57. Maria Conga, o que é que você quer? (4X) Quero pemba, quero guia, quero folha de guiné, um galinho de arruda pra saudar filhos de fé. Quero pemba, quero guia, quero folha de guiné, um louvor em oração para Jesus de Nazaré. __________________________________ Nossa Senhora do Rosário no altar, preta velha no terreiro de Umbanda. (2X) Mas olha firma seus pontos meus filhos, preta velha quem chegou Vovó Tereza de Aruanda. (2X) __________________________________ Com o seu cachimbo, seu rosário na mão. (2X) Ele é um preto velho lá das matas, de bom coração. (2X) Sentado em seu trono, ninguém sabe a força que ele tem. Ele é Pai Jerônimo de Aruanda, E aqui na terra nunca temeu a ninguém. (2X) __________________________________ Eu sou Carreiro, eu vim pra carrear. (2X) A minha boiada é boa, sobe morro devagar. (2X) __________________________________ Ele é Pai Serafim de Nagô, ele veio foi trabalhar. (2X) Todo mal desses seus filhos, Pai Serafim é quem vai levar. (2X) __________________________________ Vovó Catarina que tem poder, Tem na Umbanda muito a ver. (2X) Ela vem da Aruanda Com a fé de Oxalá Traz arruda e guiné Pra rezar filhos de fé __________________________________ Ecoou um canto vindo de longe ecoou (2x) Um lindo dia, uma luz no céu brilhou, com a estrela guia iluminada chegou. A preta-velha de Aruanda luz divina recebeu de oxalá o nome de Catarina (2x) É lua cheia é lua nova louvada seja vovó Catarina de Angola. (2x) __________________________________ Eu vou me embora, vou me embora, Eu vou me embora pra Bahia (2X) Bumbala ti bumbala ti bumbala Catarina Bumbala ti bumbala ti bumbala Catarina. __________________________________ Pai Cipriano quando baixa na aldeia, Baixa junto com seus orixás. Louvando a Deus. Louvando a Deus e pedindo perdão. (2X) Ele é Pai Cipriano, porém é arrependido, Ele é Pai Cipriano, porém é arrependido. __________________________________ Ele não tem pai, ele não tem mãe, foi jogado na rua, na rua se criou. (2X) Seu pai é o sol, a sua mãe é a lua, ele é Cipriano, no Tranca Ruas. (2X) __________________________________ Adorei as almas, as almas me atenderam. (2X) Eram as santas almas, lá do cruzeiro. (2X) __________________________________ Preto velho quando fuma cachimbo, oh sinhá, Fumaça vai longe o sinhá. (2X) Fumaça vai longe o sinhá, vai pra defumar, oh sinhá. Fumaça vai longe o sinhá, vai pra sarava, oh sinhá. __________________________________ Foi no mato rancatumba, foi tombar quem é? Foi tombar meus inimigos, salve Pai Guiné. (2X) Vem de Aruanda, vem de Aruanda, é Pai Guiné é quem vai vencer demanda. (2X) __________________________________ Guiné, guiné, guiné de Umbanda, com o poder de Jesus Cristo, Pai Guiné venceu demanda. (2X) Vem de Aruanda, vem de Aruanda, é Pai Guiné é quem vai vencer demanda. (2X) __________________________________ Mas todo o pau é torto, só pau Pereira não, mas todo mundo arrêia, só Pai Matheus não. Água com areia não pode demandar, a água vai embora areia fica no lugar. Sereia, sereia, sereia do mar, eh eh. Sereia, sereia mamãe Iemanjá, eh ah. __________________________________
  58. 58. Lá em vem vovó descendo a serra com sua sacola. É com seu Patuá, é com seu rosário, ela vem de Angola. (2X) Eu quero ver vovó eu quero ver! Eu quero ver se filho de Umbanda tem querer. __________________________________ Caminhou, caminhou, preto velho, caminhou. (2X) Lá na Aruanda maior, preto velho caminhou. (2X) __________________________________ Desceu a escada azul, Maria nossa mãe estimada. (2X) Oh venha ver vossos filhos de Aruanda, Trabalhar neste congar Vovó Tereza de Aruanda. (2X) A Umbanda diz que banda é no gonguê, a Umbanda diz que banda é no congar. __________________________________ Cantou meu galinho cantou, Foi na hora em que Jesus nasceu. (2X) Quem baixa nesta Seara meus irmãos, É o nosso bom Pai Matheus. (2X) Não vejo mais o meu galinho cantar. (2X) Cantou, cantou, foi na Aruanda, É Pai Matheus é quem vai vencer demandas. Cantou, cantou foi na Aruanda, Pai Matheus vem salvar filhos de Umbanda. __________________________________ Vem, vem, vem, Pai Joaquim de Aruanda, Ele chegou com Deus e Nossa Senhora, No terreiro de Umbanda, Pai Joaquim chegou agora. Pra quê buliu, pra quê chamou? (2X) Pra quê buliu com a linha de Nagô. (2X) __________________________________ Eu vi a maré levantando, Eu vi a sereia do mar. (2X) Eu vi Pai Joaquim de Aruanda, tirando areia do fundo do mar. (2X) __________________________________ Pai Joaquim ê ê, Pai Joaquim ê a. Pai Joaquim é o rei de Umbanda, Pai Joaquim é de Angola golá. __________________________________ Maria Conga mora na beira do rio, Maria Conga mora na beira do mar. Também sou Congo, eu também quero morar, Na beira do rio verde, lá tem cobra coral. (2X) __________________________________ Maria Conga, é quem vence demanda. (2X) E na sua cachimba, ela diz que tem mironga. (2X) __________________________________ Navio negreiro no meio do mar, Navio negreiro no meio do mar. Correntes pesadas na areia a arrastar. A velha escrava tristonha a cantar, A velha escrava tristonha a cantar, Sarava! A nossa mãe Iemanjá, Sarava! A nossa mãe Iemanjá. Preto tá orando, preto tá pedindo, Preto tá orando, preto tá pedindo, Proteção! A nossa mãe Iemanjá, Proteção! A nossa mãe Iemanjá. __________________________________ Cambinda mamãe êh, Cambinda mamãe áh. (2X) Segura Cambinda que eu quero ver, se filho de pemba tem querer, segura Cambinda que eu quero ver, se filho de pemba tem querer. __________________________________
  59. 59. Preta Cambinda, que fala Nagô (2X) Preta velha feiticeira, filha de Babalaô (2X). É na macumba ê, é na macumba ah ah, Preta velha feiticeira filha de Babalaô. (2X) __________________________________ Rodou pilão de Moçambique Rodou pilão de Moçambique Moçambique auê, auâ. O sol vai e a lua vem para com Deus te alumiar (2X). __________________________________ Preto Velho senta no toco, Ele faz o sinal da cruz. Pede proteção pra Zambi e para os filhos de Jesus. (2X) Cada qual no seu lugar, é os velhos que aqui está, Se não fosse os pretos velhos eu não sabia caminhar. (2X) __________________________________ Vovó não quer casca de coco no terreiro. (2X) É só pra não lembrar do tempo do cativeiro (2X) __________________________________ Se os preto véi soubesse da força que eles têm. (2X) Não mais seriam cativeiro de ninguém. (2X) Eu tô na linha de Angolê, ê ê ê, Eu tô na linha de Angola, ê ê á. (2X) __________________________________ Olha eu, olha eu, olha eu Pai João de Aruanda, Olha eu, olha eu, olha eu Pai João de Aruanda, Olha eu, olha eu, Pai João que desmancha demanda, Olha eu, olha eu, Pai João que desmancha demanda, Se a demanda é dura, Pai João pisa nela, Se a demanda é dura, Pai João desmancha ela, Se a demanda é dura, Pai João pisa nela, Se a demanda é dura, Pai João desmancha ela, Taí taí taí taí, eu nunca vi rolar pau grosso, nem fi de Pai João cair. (2X) Machadinha que corta Aroeira, meu pé de umbaúba ela nunca cortou. Machadinha que corta Aroeira, meu pé de umbaúba ela nunca cortou. É na Aruanda de Pai João, Senhora da Conceição Vem confortar (2X). Taí taí, taí taí, eu nunca vi rolar pau grosso, nem fi de Pai João cair. __________________________________ Quem vem de lá de tão longe, é os Pretos Velhos que vem trabalhar. (2X) Oh dai-me forças pelo amor de Deus, óh meu pai, Oi dai-me forças pros trabalhos meus. __________________________________ Salve Deus e os pretos velhos de Aruanda. (2X) Pai João quem chegou no terreiro de Umbanda. Ele veio de Aruanda. De Aruanda ele veio. Pai João seus filhos te chama no terreiro e no conga. __________________________________ O jarro que eu plantei a flor oh oh, ele não quebrou. (2X) Mas olha lá, oh venha ver, olê lê lê tá caindo fulor. (2X) __________________________________ Olêlê balainho de ‘fulôr’. (2X) Plantei semente nasceu flor. (2X) O palácio da rainha é bonito que alumeia. (2X) Todo cheio de babado desde o teto até na teias. __________________________________ Iluminou, iluminou, iluminou. Iluminou a Umbanda iluminou. Todos contentes tem flores coloridas, Estão dizendo que a Mãe Joana já chegou. (2X) __________________________________ Pai João de Aruanda, vem do reino de Zambi. O gira na cangira, todo mal pai João vai levar. __________________________________
  60. 60. Oh valei-me meu São Gabriel, Oh valei-me meu São Serafim, Pois todos que zombam da fé, em vossos pés têm que vir. “Pai Matheus” já chegou, com seu cajarro de flor, espalhando pétalas com fé, aos pés de nosso Senhor. (2X) __________________________________ Pai Matheus cadê Pai Joaquim? Tá no mato panhando café! (2X) Pois diga ele que quando vier não suba as escadas sem bater o pé. (2X) __________________________________ Bate o tambor na Angola, bate o tambor. (2X) Pai Joaquim, bate o tambor, Maria Conga, bate o tambor... __________________________________ Tá caindo fulô, Oh oh, tá caindo fulô (4X) Cai do céu, cai na terra, olê lê tá caindo fulô. (2X) __________________________________ Preto na senzala bateu sua caixa deu viva ai ah. Preto na senzala bateu sua caixa deu viva oi oh. Viva ai ah! Viva oi oh! Viva Nossa Senhora Cativeiro já acabou! (2X) __________________________________ Ariou na linha de Congo, é de Congo, é de Congo aruê. Ariou na linha de Congo, agora que eu quero ver. Salve Congo, salve rei Congo, salve os Congos de Iansã, salve São Jorge Guerreiro, salve São Sebastião. __________________________________ Com licença Pai Antônio, eu não vim lhe visitar, eu estou muito doente, vim aqui pra você me curar. Se a doença for feitiço, curará em seu conga, se a doença for de Deus Pai Antônio vai curar. Coitado de Pai Antônio preto velho rezador, foi parar na detenção, por não ter um defensor. Pai Antônio na quimbanda, é curador (2X) É pai de mesa é rezador (2X) __________________________________ Minha cachimba tá no toco, manda moleque buscar (2X) No alto da derrubada meu cachimbo ficou lá (2X) __________________________________ Menino Jesus de Praga, ah quem lhe deu essa toalha branca? (2X) Foi a baiana do engenho, é pra vovó Maria Conga. (2X) É Conga, é Conga rerê, É Conga, é Conga rará... (2X) __________________________________ Oh Bahia, terra santa, terra que Jesus abençoou. (2X) Chegou vovó Joana da Bahia, Senhor do Bomfim foi quem mandou. __________________________________ Um galhinho de arruda, que a vovó me deu. Um galhinho de arruda, pra me proteger. (2X) Eu agradeço a essa linda preta velha, o galhinho de arruda que ela me ofereceu, Eu agradeço a essa linda preta velha, pois em suas orações ela nunca me esqueceu. __________________________________ Preto Velho que nasceu no cativeiro, hoje baixa no terreiro, de cachimbo e pé no chão. Pega na pemba, risca ponto, faz mironga, sarava Maria Conga, sarava meu pai João. __________________________________ Que fumaça cheirosa vovô sai do seu cachimbo. (2X) Não sei se é arruda vovô, ou manjericão, só sei que está fumaça vovô faz bem ao meu coração. __________________________________ Meu senhor da senzala, meu senhorzinho, ele vêm cansado, meu pai Joaquim. (2X) Um grito de liberdade, negro ecoou quando Oxalá chamou, recebeu toda paz pela humildade, hoje ele nos faz a caridade. Luanda, Oh Luana! Como é tão lindo meu pai Joaquim em nossa banda. (2X) __________________________________
  61. 61. No toco o preto velho rezava Para acabar a escravidão Rezava pra Nossa Senhora, mãe Oxum Com seu rosário na mão... Com muita emoção pai Joaquim implora A Nossa Senhora sua libertação Cativeiro acabou, quem já chegou agora Neste terreiro é pai Joaquim de Angola __________________________________ Quando o filho chora, Pai Roberto canta, Quando o filho canta Pai Roberto rir, Pai Roberto vem, Pai Roberto vem, vem levar mandinga de filho meu pai porque aqui tem? (2X) __________________________________ Fio , se suncê precisar é só pensar na vovó que ela vem te ajudar. Pensa numa estrada longa , zi fio , lá no se jacutá. E numa casinha branca zi fio , que a vovó tá lá , Sentada num banquinho tosco, zi fio, com seu rosário na mão. Pensa na vovó Maria Redonda fazendo oração. __________________________________ Caminhou, caminhou, preto velho caminhou. (2X) Lá na Aruanda maior preto velho caminhou. (2X) __________________________________ Com dendê, com dendê, preto velho trabalha com dendê. (2X) Agora que eu quero ver preto velho trabalha com dendê. __________________________________ Aiuê, meu cativeiro, meu cativeiro, meu cativerá. (4X) Preto velho tava cansado ia pra senzala batia o tambor, preto velho dava viva ai ia ia dava viva a sinhá, dava viva ao senhô. __________________________________ Vovó Catarina vem, vem pra trabalhar. (2X) Já foi parteira, é rezadeira, com arruda é guiné. Quebra quebranto e mal olhado, mas só cura quem têm fé. __________________________________ Inhã inhã, inhã inhã. Inhãinhã, Inhã Chica. Venha com Zambi pra nos abençoar. Inha inha, Inha Chica. __________________________________ A porta do céu abriu, eu vi os anjos entrar. Com a cora de Nossa Senhora do Rosário, Eu vi os anjos entrar. __________________________________ Força, força, força, Força é Deus quem dá, Senhora do Rosário está aqui, para nos ajudar. __________________________________ É congo é um belê, um belê é o rei de Congo. É congo é um belê, um belê é um naruê. __________________________________ Congo ê, congo ê, congo de sa sarava. Congo de sa sarava, segura seus filhos que Deus é maior. __________________________________ Êh.... Luanda! (2X) Oh... Terra da magia, do batuque e do canjerê. (2X) Eu vou chamar vovô. Eu vou chamar vovó. __________________________________ Preto velho que veio de Angola vamos sarava no conga. Aê, aê, aê vamos sarava no congar. Preto velho que veio de Cambinda, Preto velho que veio de Luanda, Preto velho que veio lá do Congo, Pra sarava filho de Umbanda. Preto velho é Pai Benedito, Preto velho é João Serrador, Preto velho é Ximango Toco, Que veio na Angola sarava Xangô. __________________________________ No rosário, de Maria, oh nasceu um botão. (2X) Já abriram rosas, já foi colhida, foi ofertada pra Nossa Senhora. __________________________________
  62. 62. No tempo do cativeiro, negro chorava sim Sinhô e depois lá na Senzala cantava pra Nosso Senhor. Oi batuca negro no canjerê (3X) Ô ô ô ô... Preto Velho a sua vida é o começo da Umbanda. Alvorada canta longe lá no sacrário da Aruanda. Oi batuca negro no canjerê (3X) Ô ô ô ô __________________________________ Minha cachimba tem mironga Minha cachimba tem dendê (2x) Quem duvida da minha cachimba Que venha ver, que venha ver (2x) __________________________________ Plantei mandioca a formiga comeu, já plantei não planto mais. (2X) Preto velho que está no congar, zig zig zig zig zig zig zig zá... (2X) __________________________________ O céu é alto meu filho o mar é fundo Pisa no chão com jeito e aprende a andar no mundo. Eu fui no mato meu filho tirar cipó, voltar calado meu filho é bem melhor. __________________________________ Corta língua, conta mironga, corta língua de falador. Preto velho é quem chegou pra cortar a língua do falador. __________________________________ Lá na Angola tem, Lá na Angola está. (2X) Filho de Umbanda não pode errar, Mas se errar tem que pagar, Mas quando pedir melei-me, o povo de Angola não dá. (2X) __________________________________ Cativeiro, cativeiro. (2X) Cativeiro, cativerá, auê meu cativeiro. (3X) __________________________________ As almas já acenderam o candeeiro êh êh lá no fundo do mar. (4X) __________________________________ É o vento que balança a folha guiné, é o vento que balança a folha. (2X) Éh éh éh Pai guiné, é o vento que balança a folha. (2X) __________________________________ É Nagô é, é Nagô é, é Nagô é. (2X) Se ele filho de Nagô seu padrinho é São José. (2X) __________________________________ Que preto é esse calunga, que chegou agora calunga? (2X) É pai Joaquim oh calunga, que veio d’Angola calunga. (2X) __________________________________ Senhora do Rosário foi quem me trouxe aqui. (2X) A água do mar é santa eu vi, eu vi, eu vi. (2X) __________________________________ Quem é aquele velhinho, que vem no caminho de terra batida, descalço andar? Com 7 guizos no bolso, seu chapéu palha, seu ponto não falha com ele não há. (2X) Mas ele é Cipriano das Almas, que anda mundo a fora sem ter aonde chegar. Que pisa devagar, mas com tanta firmeza no chão, preto velho chega no terreiro dando sua proteção. (2X) __________________________________ São Benedito São Benedito, a sua casa cheira, Cheira cravo e cheira rosa, cheira flor de laranjeira! Abre essa porta, pra seu filho entrar, Abre a porta do céu, deixe as almas trabalhar! ... __________________________________
  63. 63. Subida dos Pretos Velhos Vovó já vai, já vai pra Aruanda. (2X) A benção minha mãe, proteção pra nossa banda. (2X) Zambi te trouxe, Zambi vai te levar. (2X) Adeus a tolha de chita ou de renda, de Pai Oxalá. (2X) __________________________________ A Aruanda é longe, e ninguém vai lá. (2X) É só os Pretos Velhos que vai lá e torna voltar. (2X) __________________________________ A sineta do céu bateu Oxalá já diz que é hora. (2X) Eu vou, eu vou, eu vou, fica com Deus e Nossa Senhora. (2X) __________________________________ Pretos Velhos – 13 de Maio 13 de maio, quando acabava o cativeiro. (2X) Preto velho sorria, preto velho chorava, e a princesa Isabel, já libertava os escravos. (2X) __________________________________ No dia 13 de maio, negro deixou de ter senhor, Foi graças, a princesa Isabel, Que abolindo com a lei Aurea o cativeiro tão cruel. Liberdade, liberdade a final. Deodoro acenou, está chegando a hora. E assim quando a aurora raiou, Proclamando a república, o povo aclamou. (2X) __________________________________
  64. 64. Boiadeiros Saudação: Jetruá Seu Boiadeiro
  65. 65. Boiadeiro Não toque nesse boi este boi é cruzado. Ele é de boiadeiro caboclo valente de quem sou afilhado. Se você precisar, Boiadeiro está aqui. Mas não toque no boi, que a ponta da chibata pode te ferir. (2X) __________________________________ Sou boiadeiro uso o couro trançado. A minha laça eu jogo sem errar. O meu patrão não quer ver boi espalhado, sou boiadeiro vim aqui pra trabalhar. (2X) Rah... como é longo o meu caminho jetruê. Rah muito tenho que andar. (2X) Quando eu nasci Oxalá abençoou, o que sei foi o mundo que me ensinou. Ainda menino conheci o meu destino, eu ia juntar o rebanho pro senhor. (2X) __________________________________ Oh no caminho boiadeiro toca o sino, ele é menino mas já sabe trabalhar. (2X) Seu moço toque a guiada, Zé boiadeiro bom Jesus de Mariá. (2X) __________________________________ Olha o caboclo boiadeiro, boiadeiro, boiadeiro, boiadeiro, boiadeiro, boiadeiro é. (4X) __________________________________ Me chamam de boiadeiro, boiadeiro eu não sou não. (2X) Boiadeiro tem dinheiro, boiadeiro é meu patrão. (2X) __________________________________ Tava no mato, tava trabalhando. (2X) Seu boiadeiro passou me chamando. (2X) Eu vou, eu vou, aonde é que mora? Eu moro nas matas de Nossa Senhora. (2X) __________________________________ Seu boiadeiro deu um brado tão alto, tão alto, que se ouviu lá no além. (2X) Até o padre que rezava na capela se ajoelhou e rezou amém, amém! (2X) __________________________________ Seu boiadeiro por aqui choveu, mas choveu tanto que água jorrou. (2X) Foi tanta água que meu boi nadou. __________________________________ De lá vem vindo, de lá vem só. De lá vem vindo as força maior. (2X) De lá vem vindo, de lá vem só, de lá trazendo as força maior. (2X) __________________________________ Mas ele veio pelo rio de contas, vem caminhando por aquela rua. (2X) Olha que beleza, seu boiadeiro no clarão da lua. (2X) __________________________________
  66. 66. Baianos Saudação: É pra Bahia meu Pai | Salve o Senhor do Bonfim

×