Carta para minha mae

2.038 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.038
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
396
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Carta para minha mae

  1. 2. Neste domingo, é festejada uma das datas universais mais importantes do ano “O Dia das Mães”! As ruas centrais estão cheias, as lojas superlotadas, os shoppings intransitáveis, floriculturas repletas, crianças, jovens e adultos caminham e procuram um “mimo” para esta pessoa tão especial: A MÃE! Sinto então um aperto em meu peito.......uma grande emoção toma conta de mim! meus olhos se ofuscam, e percebo um nó na garganta! Apesar de adulta, sinto-me uma criança órfã e carente! Minhas mãos estão vazias! Mais um ano sem sua presença física!
  2. 3. Que vontade enorme de falar com você! Ah se pudesse tê-la comigo por algumas horas, quanta coisa teria para lhe contar! Mas sei que irá me ouvir daí no Plano Espiritual onde está! Chegam as recordações: Recordo-me dos sábios conselhos transmitidos, que você adquiriu na “sua escola da vida”! Recordo-me da mulher batalhadora, excelente administradora do lar, que me ensinou o caminho para a vida, a superar com coragem os obstáculos!
  3. 4. Recordo-me dos seus doces olhos azuis, como dois pedacinhos do céu! Recordo-me de sua vaidade, para consigo mesma! Recordo-me do seu espírito solidário em todas as ocasiões! Recordo-me da naturalidade do seu doce sorriso! Recordo-me do seu orgulho e alegria, pelo sucesso dos meus estudos!
  4. 5. Recordo-me dos seus almoços criativos, deliciosos, tão carinhosamente elaborados para nós! Recordo-me de suas mãos de fada, dando seu toque mágico na decoração da casa, num arranjo de flores, na mesa de refeição, tudo muito simples, mas lindo! Recordo-me de seus horários de oração, onde todos parentes, amigos inimigos eram carinhosamente lembrados, com sua fé tão fervorosa, mas de uma forma simples, pura e natural! Recordo-me do seu olhar distante, na janela, observando a chuva chegar!
  5. 6. Recordo-me do imenso carinho que você era tratada por todos os meus amigos, seus sobrinhos e parentes, para quem sempre tinha palavras doces e gentis! Recordo-me do seu rosto marcado pela dor, quando perdia um ente querido! Recordo-me que você me ensinou que é o amor, e não só o tempo, que cura todas as feridas! Recordo-me da sua imensa afeição pelos animais de estimação e pelas plantas, com os quais carinhosamente dialogava!
  6. 7. Recordo-me você me contando as suas lembranças de infância e juventude, apesar de muito pobre e sofrida, com sua família, todos colonos em Fazenda Cafeeira, sempre narradas de forma muito interessante, que nos envolvia por longo tempo! Recordo-me do carinho maternal, com que acolheu seu genro, que hoje também não quis mais estar ao meu lado! Recordo-me da ouvinte assídua, para todos os assuntos que eu lhe trazia!
  7. 8. Perdoe-me minha mãe querida, se algumas vezes não soube compreender suas queixas! Perdoe-me, se outras não soube entender seu excesso de preocupação para comigo! Ai que saudades! Perdoe-me se não segui todos os seus conselhos! Perdoe-me por não ter lhe presenteado com um neto para que embalasse, como comentou com as enfermeiras, nos seus últimos dias de vida, em seu leito de dor! Perdoe-me por não seguir seu exemplo de exímia dona de casa! Perdoe-me por tê-la privado da minha companhia, enquanto permanecia, por longo período no meu local de trabalho!
  8. 9. Perdoe-me, minha querida mãe, por não ter nos permitido alguns passeios, conforme planejamos, após minha aposentadoria! Deus assim o quis! Perdoe-me se não consegui levar, a seu contento a missão de cuidar dos dois velhinhos, que me deixou incumbida. Mas tenha certeza, minha querida mãe, eu tentei lhes dar o melhor de mim! Perdoe-me mãe pelo meu egoísmo de querer tê-la para sempre ao meu lado, de querer ludibriar a morte, para que ela nunca a encontrasse! Perdoe-me meu lamento e desilusão, quando a vi partir sem retorno!
  9. 10. Agora minha mãe, você se encontra na companhia do seu marido, meus tios, que quiseram também estar aí com você, deixando-me em tão curto espaço de tempo! Dê-lhes o amparo necessário, como sempre o fez aqui nesta terra! Sei que ainda olha por mim... até chegar a minha hora, não é? Sei que está na companhia de outra mãe, a qual sempre respeitou e venerou: a Mãe de Jesus! O tempo passa a saudade é a mesma,ou mais forte. Sinto apenas o consolo de saber que um dia, se Deus o permitir, nos reencontraremos aí onde você estiver! Beijos de sua filha Dalva www.mensagensvirtuais.com.br Texto/criação: Dalva Galego Email: [email_address] Música: Violinos Mágicos “Fascinação”

×