MOÇÃO SECTORIAL
CONSTRUIR PELAS BASES, FAZER MILITÂNCIA.
Subscritores:
Andrea Carla Gonçalves Domingos, 243
Dina Carla da ...
Neste curto documento não cabe aprofundar as fragilidades da estratégia
adotada para a consolidação territorial do Partido...
b. Descentralizar a ação do Partido
A construção de um Partido deve ser produzida através das bases. Na prática, o PAN
não...
aspetos do problema e criar estratégias de ação, com base nas boas práticas, de forma a
espelha-las em todo o território n...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Construir pelas bases, fazer militância

562 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
562
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
436
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Construir pelas bases, fazer militância

  1. 1. MOÇÃO SECTORIAL CONSTRUIR PELAS BASES, FAZER MILITÂNCIA. Subscritores: Andrea Carla Gonçalves Domingos, 243 Dina Carla da Costa Maia do Amaral, filiada 308 Ernesto Carlos Iglésias Morais, filiado 460 Joana Catarina da Silva Pinto, filiada 320 José Diogo Martins Oliveira, filiado 309 Rui Carlos Medeiros Alvarenga, 313
  2. 2. Neste curto documento não cabe aprofundar as fragilidades da estratégia adotada para a consolidação territorial do Partido, mas parece-nos adequada a chamada de atenção para a evidente falta de motivação e interesse pela participação política que atinge a família PAN, bem como a necessidade de gerar uma nova massa crítica capaz de fazer crescer o Partido. Apesar do aumento do número de inscritos, o PAN não tem produzido melhor dinamismo. O ato político não é um ato de fé. Mais do que teorizar sobre uma utopia, por muito legitima que seja, o ato político pressupõe a construção efetiva de um caminho, com degraus, alguns recuos e vários níveis de conquista. Para a edificação deste percurso, necessitamos de estratégias exequíveis, orientações assertivas, capacidade, por parte dos órgãos nacionais, de mobilizar e motivar os agentes políticos. Esta moção pretende propor quatro medidas que conferirão, a curto prazo, maior apoio aos militantes e requalificará o posicionamento dos órgãos nacionais em relação às bases do Partido. a. Liderança mais presente A liderança do Partido tem que ter a capacidade de motivar e influenciar, de forma positiva, para que os militantes possam, voluntaria e entusiasticamente, trabalhar em torno dos objetivos comummente aceites. O PAN necessita de uma maior presença dos representantes do Partido nas ações das assembleias locais e regionais. Um maior acompanhamento será fundamental para reabilitar a motivação e consolidar os níveis de participação. O Partido é novo e tem que ser construído de forma consistente. Não basta criar órgãos locais e deixá-los à sua sorte. Nesta fase, o papel do Presidente do Partido é fundamental para mobilizar mais apoios, incentivar os menos motivados ou esclarecer os mais céticos. Os dirigentes nacionais têm que se comprometer em estar, sempre que possam, nas realizações promovidas pelos órgãos locais. Mais do que a internacionalização do PAN, urge consolidar a sua implementação no território nacional.
  3. 3. b. Descentralizar a ação do Partido A construção de um Partido deve ser produzida através das bases. Na prática, o PAN não tem conseguido escapar à velha lógica da centralização. É importante que as grandes ações do Partido possam ser realizadas em outros locais do Território Nacional. É difícil compreender que um Partido, em fase de crescimento, promova os seus primeiros três congressos na mesma cidade. É igualmente estranho que os locais onde se realizam as reuniões magnas tenham tão pouco que ver com os valores que o PAN pretende transmitir. Sugerimos que os próximos Congressos se realizem fora das grandes cidades, em locais que necessitem de ser mostrados e valorizados, evitando os auditórios convencionais pertencentes a grandes grupos empresariais, em espaços naturais e que aceitem animais de companhia. c. Abertura de sede do Partido no Porto Para efetivar uma estratégia de descentralização ambiciosa, com vista a um crescimento sustentado, é essencial a abertura de uma sede na segunda cidade do País. Este novo espaço permitirá criar uma maior dinâmica no Porto, mas servirá também de ligação às regiões Norte e Centro do País. As reuniões dos órgãos nacionais deverão ser realizadas, de forma intercalada, entre estas duas sedes, permitindo aos dirigentes nacionais interagirem regularmente com os dirigentes, filiados, simpatizantes e população em geral, motivando-os, passando informação e atualizando diretamente a agenda política e as orientações para a ação de comunicação que o Partido pretende desenvolver. d. Estratégias para o presente Os vários programas políticos que o Partido têm produzido são, na generalidade, consensuais. São fins em si mesmos. Todavia, o PAN tarda em definir o caminho para atingir metas intermédias, realizáveis dentro do contexto jurídico atual. Um exemplo concreto: Urge mudar a lei de proteção animal. Mas enquanto não se muda a lei, objetivo que, infelizmente, pode demorar anos, o PAN deverá identificar, no imediato, todos os
  4. 4. aspetos do problema e criar estratégias de ação, com base nas boas práticas, de forma a espelha-las em todo o território nacional. Os grupos de trabalho, entretanto formados, que são constituídos por membros de excecional competência e dedicação, atuam sem ter como base uma diretriz do Partido. Torna-se fundamental a construção de um plano de ação concreto para todas as áreas de atuação política, visando o presente, indo ao encontro das expetativas do eleitorado.

×