DÉCADA DE AÇÃO PELASEGURANÇA NO TRÂNSITO   Rio de Janeiro, 20 de Junho de 2012    Dr. Luiz Augusto Galvão  Gerente da Área...
ESTRUTURA                                        DESTA APRESENTAÇÃO1. Envolvimento mais recente do setor   saúde com as qu...
Pan AmericanA Opas:                                                 Health A Organização Pan-Americana                   ...
ENVOLVIMENTO MAIS RECENTE                              DA OPAS/OMS NA SEGURANÇA DO TRÂNSITO 19621: Primeiras incursões da...
O RELATÓRIO MUNDIAL SOBRE                                    PREVENÇÃO DE LESÕES NO TRÂNSITO O Dia Mundial de Saúde de 20...
PANORAMA DESCRITO RELATÓRIO MUNDIAL                            SOBRE PREVENÇÃO DE LESÕES NO TRÂNSITONO RELATÓRIO, AS BASES...
PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO:                                    QUADRO MAIS PREOCUPANTEPRINCIPAIS ATINGIDOS:  Usuários mais...
IMPACTO NO SETOR SAÚDE                                 NOS PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO Estimativa OMS: para cada  morte: 70...
IMPACTO NO SETOR SAÚDE                                                                         NOS PAÍSES EM DESENVOLVIMEN...
2009: INFORMES SOBRE OESTADO DA SEGURANÇA NO TRÂNSITO
PONTOS DESTACADOS DOS INFORMES                            MORTOS POR ACIDENTE DE TRÂNSITONOVAMENTE: SITUAÇÃOPREOCUPANTE NO...
POSTOS DESTACADOS DOS INFORME (CONT.) O compartilhamento dos  espaços de circulação dos modos  motorizados com pedestres ...
POSTOS DESTACADOS DOS INFORME (CONT.)   Historicamente, as medidas    tem sido voltada a ocupantes    de carros. No entan...
PRINCIPAIS CAUSAS DE MORTE - 2004 E PROJEÇÃO PARA 2030                      2004                                         2...
O INFORME GLOBAL SOBRE O ESTADO                                  DA SEGURANÇA NO TRÂNSITO NAS AMÉRICASDESDOBRAMENTO DO INF...
SITUAÇÃO NA                                                                REGIÃO DAS AMÉRICAS Estimou-se, na Região, uma...
TAXA DE MORTALIDADE POR 100.000 HABITANTES AJUSTADA SEGUNDO                                          SUB-REGIÃO DA OPAS 20...
1ª CONFERÊNCIA MINISTERIAL MUNDIAL                                       SOBRE SEGURANÇA NO TRÂNSITO Em Novembro de 2009:...
ONU ACOLHE A DECLARAÇÃO DE MOSCOU
WEBSITE E LINKS DA “DÉCADA”http://www.who.int/roadsafety/decade_of_action
PLANO DE AÇÕES Um Plano Mundial foi proposto  para se tomar como base para  iniciativas nacionais e  locais, descrevendo ...
CINCO PILARES BÁSICOS                         1. Gestão da Segurança no Trânsito O Plano de Ações       2. Infraestrutura...
REDUÇÃO DESEJADA PARA A DÉCADA                                                                                            ...
LANÇAMENTO DA DÉCADA Em 11 de maio 2011 a “Década”  Instituída pela Assembleia Geral  das Nações Unidas foi lançada  glob...
EXPECTATIVAS SOBRE O BRASIL Do Brasil, seja em pelo de  seu novo posicionamento  no panorama mundial, seja  em função de ...
Obrigado!Luiz Augusto GalvãoGerente da Área de DesenvolvimentoSustentável e Saúde AmbientalOPAS – Washington, DC
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BRASIL. Saúde Brasil 2007: uma análise da                Resolution WHA27.59. Prevention of r...
“Década de Ação em segurança viária” - Luiz Augusto Galvão, Gerente de Desenvolvimento Sustentável e Saúde Ambiental da Or...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

“Década de Ação em segurança viária” - Luiz Augusto Galvão, Gerente de Desenvolvimento Sustentável e Saúde Ambiental da Organização Pan-Americana de Saúde - OPAS

1.164 visualizações

Publicada em

“Década de Ação em segurança viária” - Luiz Augusto Galvão, Gerente de Desenvolvimento Sustentável e Saúde Ambiental da Organização Pan-Americana de Saúde - OPAS

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.164
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

“Década de Ação em segurança viária” - Luiz Augusto Galvão, Gerente de Desenvolvimento Sustentável e Saúde Ambiental da Organização Pan-Americana de Saúde - OPAS

  1. 1. DÉCADA DE AÇÃO PELASEGURANÇA NO TRÂNSITO Rio de Janeiro, 20 de Junho de 2012 Dr. Luiz Augusto Galvão Gerente da Área de Desenvolvimento Sustentável e Saúde Ambiental OPAS – Washington, DC
  2. 2. ESTRUTURA DESTA APRESENTAÇÃO1. Envolvimento mais recente do setor saúde com as questões do trânsito: OMS e OPAS;2. Magnitude e Impacto das lesões e mortes no trânsito;3. A particularidade do quadro da Região das Américas;4. A Década de Ação pela Segurança no Trânsito
  3. 3. Pan AmericanA Opas: Health A Organização Pan-Americana Organization da Saúde é um organismo Regional Office of the World Health Organization internacional de saúde pública com um século de experiência, voltado a ESTADOS MEMBROS 1. Antígua e Panamá melhorar as condições de Barbuda Paraguai saúde dos países das 2. Argentina Peru 3. Bahamas Republica Américas. 4. Barbados Dominicana 5. Belize Santa Lucia Também atua como Escritório 6. Bolívia San Vicente e 7. Brasil Granadinas Regional da Organização 8. Canada Saint Kitt e Nevis 9. Chile Suriname Mundial da Saúde para as 10. Colômbia Trinidad e Tobago Américas e faz parte dos 11. Costa Rica Uruguai 12. Cuba Venezuela sistemas da Organização dos 13. Dominica 14. El Salvador ESTADOS PARTICIPANTES Estados Americanos (OEA) e 15. Equador  França da Organização das Nações 16. Estados Unidos  Países Baixos 17. Granada  Reino Unido Unidas (ONU). 18. Guatemala 19. Guiana ESTADOS Possui 36 Estados 20. Haiti OBSERVADORES 21. Honduras  Espanha Membros, além de 22. Jamaica  Portugal 23. México participantes e observadores. 24. Nicarágua
  4. 4. ENVOLVIMENTO MAIS RECENTE DA OPAS/OMS NA SEGURANÇA DO TRÂNSITO 19621: Primeiras incursões da OMS na questão. Em 1974: entendimento dos acidentes trânsito como um problema de saúde pública (Res. WHA27.59). Em 2004 pela 1ª vez, o Dia Mundial da Saúde é dedicado à Segurança no Trânsito. Em 14/04/2004:  inédita Sessão Plenária da Assembleia Geral das Nações Unidas, voltada ao tema, seguida de uma Resolução da ONU conclamando os países membros a uma ação mais vigorosa em relação à questão da morbimortalidade no trânsito
  5. 5. O RELATÓRIO MUNDIAL SOBRE PREVENÇÃO DE LESÕES NO TRÂNSITO O Dia Mundial de Saúde de 2004 marcado pela publicação do Relatório Mundial Sobre Prevenção de Lesões Causadas no Trânsito;  Foi um projeto envolvendo especialistas nas áreas de saúde, transporte, engenharia, seguran ça pública, educação e outras.  Descrição do impacto global, fatores de risco, intervenções conhecidas e recomendações;  Objetivo: chamar atenção para a magnitude e a previsibilidade do problema e apresentar as estratégias de intervenção.  Importante: mudanças no paradigmas da ação preventiva no trânsito
  6. 6. PANORAMA DESCRITO RELATÓRIO MUNDIAL SOBRE PREVENÇÃO DE LESÕES NO TRÂNSITONO RELATÓRIO, AS BASES DASPREOCUPAÇÕES DA OMS: Estimativas de 1,3 milhão de mortos e 50 milhões de feridos/ano no trânsito no mundo; Acidentes: 3ª causa de mortes na faixa de 30-44 anos; 2ª na faixa de 5-14 e 1ª na faixa de 15-29; Custos entre 1-3% dos PIBs (custo global US$ 518 bi/ano); Relação como aumento dos índices de motorização dos países em desenvolvimento (com mais desigualdades, limitações infraestruturais e institucionais).
  7. 7. PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO: QUADRO MAIS PREOCUPANTEPRINCIPAIS ATINGIDOS:  Usuários mais vulneráreis das vias (nos países mais pobres: até 70% dos óbitos);  Países mais pobres, com menores condições de arcar com os custos da morbimortalidade no trânsito;  Segmentos sociais menos favorecidos: populações com menor acesso a atendimentos emergenciais e pós-traumáticos.
  8. 8. IMPACTO NO SETOR SAÚDE NOS PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO Estimativa OMS: para cada morte: 70 atendimentos de emergência e 15 internações; Sobrecarga de prontos- socorros, setores de radiologia, fisioterapia; reabilitação; Trânsito:  Cerca de 50% da ocupação dos centros cirúrgicos;  30%-86% das hospitalizações (média 20 dias de internação).
  9. 9. IMPACTO NO SETOR SAÚDE NOS PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO (CONT.)CUSTOS MENOS TANGENCIÁVEIS: Sofrimento humano; Impacto nos círculo de convivência direto e indireto; Estudo da FEVR*:  85-90% das famílias de falecidos/ incapacitados tiveram a condição de vida muito deteriorada; distúrbios de saúde, físicos e psicológicos, sem melhorias significativas ao cabo de 3 anos *FÉDÉRATION EUROPÉENNE DES VICTIMES DE LA ROUTE Study of physical, psychological and material secondary damage inflicted on victims and their families by road crashes. Geneva, 1993.
  10. 10. 2009: INFORMES SOBRE OESTADO DA SEGURANÇA NO TRÂNSITO
  11. 11. PONTOS DESTACADOS DOS INFORMES MORTOS POR ACIDENTE DE TRÂNSITONOVAMENTE: SITUAÇÃOPREOCUPANTE NOS PAÍSES 8.5%  Países deEM DESENVOLVIMENTO: Alta Renda 41.9% 49.5% 90% das mortes  Países de Média Renda ocorrem em países de  Países de média e baixa Baixa Renda renda, que detém menos da metade da VEÍCULOS REGISTRADOS frota, e possuem taxas entre 19 e 21 óbitos 9.2% por 100 mil habitantes. 38.7% 52.1% Fonte: WHO. Global status report on road safety: time for action. Geneva: WHO, 2009.
  12. 12. POSTOS DESTACADOS DOS INFORME (CONT.) O compartilhamento dos espaços de circulação dos modos motorizados com pedestres e ciclistas potencializa as colisões e os atropelamentos. Vítimas mais frequentes: jovens e adultos jovens do sexo masculino pertencentes a segmentos com menos acesso a serviços de saúde e por consequência, de recuperação e retorno ao trabalho. Com mortes e incapacitações: perda de arrimos, órfãos e perpetuação dos ciclos de pobreza  Incidentes no trânsito são um problema de saúde que tornam-se problema sociais graves.
  13. 13. POSTOS DESTACADOS DOS INFORME (CONT.) Historicamente, as medidas tem sido voltada a ocupantes de carros. No entanto, metade das vitimas fatais são pedestres, ciclistas, motocic listas, e usuários de transporte público – particularmente no países em desenvolvimento (ex: Peru 78% pedestres) Pouco se fez em relação a estes segmentos mais vulneráveis. Projeção: até 2030, em não se agindo energicamente, serão 2,4 milhões de óbitos/ano no trânsito, que passará da 9ª para a 5ª causa de óbitos no planeta.
  14. 14. PRINCIPAIS CAUSAS DE MORTE - 2004 E PROJEÇÃO PARA 2030 2004 2030 1 Cardiopatia isquêmica 1 Cardiopatia isquêmica 2 Doenças cérebrovasculares 2 Doenças cérebrovasculares 3 Infecções vias resp. inferiores 3 Enferm. pulmonar obstrutiva crônica 4 Enferm. pulmonar obstrutiva crônica 4 Infecções vias resp. inferiores 5 Enfermidades diarréica 5 Traumatismos no trânsito 6 HIV/AIDS 6 Cânceres traqueia/brônquios/pulmões 7 Tuberculose 7 Diabetes Mellitus 8 Cânceres traqueia/brônquios/pulmões 8 Enfermidade cardíaca hipertensiva 9 Traumatismos no trânsito 9 Câncer de estômago10 Prematuridade e baixo peso ao nascer 10 HIV/AIDS Fonte: World health statistics 2008 apud WHO. Global status report on road safety: time for action. Geneva: WHO, 2009.
  15. 15. O INFORME GLOBAL SOBRE O ESTADO DA SEGURANÇA NO TRÂNSITO NAS AMÉRICASDESDOBRAMENTO DO INFORMEGLOBAL, DESTACANDO A SITUAÇÃOTRÂNSITO NAS AMÉRICAS (2009): Resultados de 32 países da Região das Américas (99% da população da Região):  O trânsito responde por cerca de 140 mil mortes 5 milhões feridos por ano nas Américas;  Os acidentes são uma das primeiras causas de morte na Região, sobretudo na população de 5 a 44 anos;
  16. 16. SITUAÇÃO NA REGIÃO DAS AMÉRICAS Estimou-se, na Região, uma taxa ajustada de 15,8 mortes por 100.000 habitantes. Mas há uma diferença entre os países, com variações de 4,3 a 21,8 por 100 mil habitantes. Onze países (incluindo o Brasil) têm uma taxa mais elevada do que a média para a região. Fonte: OPS. Informe sobre el Estado de la Seguridad Vial en la Región de las Américas. OPS. Washington, DC, 2009.
  17. 17. TAXA DE MORTALIDADE POR 100.000 HABITANTES AJUSTADA SEGUNDO SUB-REGIÃO DA OPAS 2006-200725 21.7 21.7 21.8 21.5 19.9 19.720 18.3 18.3 17.3 17.6 16.7 Média 15.5 15.6 15.4 regional 14.5 14.7 15,815 13.9 14.2 13.7 13.7 13.5 12.8 12.7 12.6 12.3 12.2 11.7 11.710 8.8 8.6 6.6 5 4.3 0 Fonte: OPS. Informe sobre el Estado de la Seguridad Vial en la Región de las Américas. OPS. Washington, DC, 2009.
  18. 18. 1ª CONFERÊNCIA MINISTERIAL MUNDIAL SOBRE SEGURANÇA NO TRÂNSITO Em Novembro de 2009:1ª Conferência MinisterialMundial sobre Segurança noTrânsito Ao fim: Declaração de Moscou:  estimula a aplicação das recomendações dos Informes Mundiais de 2009;  Convida Assembleia Geral da ONU a declarar a "Década de Ação para a Segurança Viária 2011-2020” visando estabilizar e reduzir a mortalidade no trânsito.
  19. 19. ONU ACOLHE A DECLARAÇÃO DE MOSCOU
  20. 20. WEBSITE E LINKS DA “DÉCADA”http://www.who.int/roadsafety/decade_of_action
  21. 21. PLANO DE AÇÕES Um Plano Mundial foi proposto para se tomar como base para iniciativas nacionais e locais, descrevendo medidas para melhorar a segurança das vias e dos veículos, melhorar os serviços de emergência e criar capacidade de gestão da segurança das vias em geral. Se aplicado de maneira satisfatória, as atividades do Plano Mundial permitirá salvar 5 milhões de vidas e evitar 50 milhões feridos graves.
  22. 22. CINCO PILARES BÁSICOS 1. Gestão da Segurança no Trânsito O Plano de Ações 2. Infraestrutura Viária Adequada para a “Década” é recomendado a partir 3. Segurança Veicular de intervenções em 4. Comportamento/Segurança do Usuário Cinco Pilares 5. Atendimento Pré/Hospitalar/Pós
  23. 23. REDUÇÃO DESEJADA PARA A DÉCADA Aumento METAS MUNDIAIS DA DÉCADA DE AÇÕES PELA SEGURANÇA NO projetado caso TRÂNSITO 2011-2020 não haja ações 2.0 1.8 1.6Mortes no trânsito (Milhões) 1.4 5 milhões de vidas salvas 1.2 1.0 0.8 0.6 Redução 0.4 esperada para a Década 0.2 201 201 201 201 201 201 201 201 201 202 1 2 3 4 5 6 7 8 9 0
  24. 24. LANÇAMENTO DA DÉCADA Em 11 de maio 2011 a “Década” Instituída pela Assembleia Geral das Nações Unidas foi lançada globalmente; Governos, sociedade civil, ONGs e empresas em mais de 100 países celebraram lançamento da em vários eventos nacionais e locais. É uma uma oportunidade histórica para inverter uma tendência. Caso não se haja firmemente em relação ao problema, projeta-se que até 1,9 milhão de vidas serão perdidas no trânsito em 2020.
  25. 25. EXPECTATIVAS SOBRE O BRASIL Do Brasil, seja em pelo de seu novo posicionamento no panorama mundial, seja em função de sua condição de país em acelerado desenvolvimento e crescente taxas de motorização, muito se espera quanto ao seu posicionamento frente a esta mobilização. A Opas vem dando apoio na forma de cooperação Lançamento da Década em Brasília: Presentes técnica, projetos, intercâmbi Ministros da Saúde, das os entre outras iniciativas. Cidades, Denatran, SVS/MS, Opas/OMS no Brasil
  26. 26. Obrigado!Luiz Augusto GalvãoGerente da Área de DesenvolvimentoSustentável e Saúde AmbientalOPAS – Washington, DC
  27. 27. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BRASIL. Saúde Brasil 2007: uma análise da  Resolution WHA27.59. Prevention of road traffic situação de saúde no Brasil/ Ministério da accidents. In:Twenty-seventh World Health Saúde, SVS, DASIS. Brasília: Ministério da Assembly, Geneva, 7–23 May 1974. Geneva, World Saúde, 2007. Disponível em Health Organization, 1974. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/saude_ http://www.who.int/violence_injury_prevention/media brasil_2007.pdf /en/171.pdf FÉDÉRATION EUROPÉENNE DES VICTIMES DE  Tight, M.; M. Page; A. Wolinski. e R. Dixey. Casualty LA ROUTE Study of physical, psychological and reduction or danger reduction: conflicting material secondary damage inflicted on victims and approaches or means to achieve the same ends? their families by road crashes. Geneva, 1993. Transport Policy 1998; 5(3): 185-192. NORMAN LG. Road traffic accidents:  WHO. Global status report on road safety: time for epidemiology, control, and prevention. action. Geneva: WHO, 2009. Disponível em Geneva, WHO, 1962. http://www.who.int/violence_injury_prevention/road_ safety_status/2009/en OPS. Informe sobre el Estado de la Seguridad Vial en la Región de las Américas. OPS.  WHO. Ottawa Charter for Health Promotion. In: First Washington, DC, 2009. Disponível em International Conference on Health Promotion http://www.who.int/violence_injury_prevention/road_ Ottawa, 21 November 1986 - WHO/HPR/HEP/95. safety_status/2009/gsrrs_paho.pdf Disponível em: http://www.who.int/hpr/NPH/docs/ottawa_charter_hp PEDEN MM, World Health Organization. Injuries .pdf and Violence Prevention Dept. World report on road traffic injury prevention.  World health statistics 2008. Disponível em Geneva;WHO, 2004. Disponível em http://www.who.int/whosis/whostat/2008/en/index.ht http://whqlibdoc.who.int/publications/2004/92415913 ml 15.pdf

×