Minicurso php

363 visualizações

Publicada em

PHP

Publicada em: Software
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Minicurso php

  1. 1. Laboratório de Ensino de Ciência da Computação - LECC Introdução ao PHP Danilo Victor Barbosa da Costa João Paulo Ferreira da Silva
  2. 2. Apresentação dos ministrantes Introdução Objetivo O que é preciso para programar em PHP? Sintaxe básica Variáveis Tipos de dados Constantes Operadores Operadores Lógicos Estruturas de Controle switch / case for while Roteiro
  3. 3. do – while Matrizes Inclusão de arquivos Parâmetros Formulários Mini - projeto Roteiro
  4. 4. Danilo Costa (3º período) João Paulo (3º período) Apresentação dos ministrantes
  5. 5. 1.<?php 2. function aprenderPHP(){ 3. $passo1 = (“Assistir o minicurso”); 4. $passo2 = (“Praticar”); 5. return “Você aprendeu o básico de PHP”; 6. } 7.?> Objetivo
  6. 6. Introdução PHP significa: Hypertext Preprocessor . O produto foi originalmente chamado de “Personal Home Page Tools”, mas como se expandiu em escopo um nome novo e mais apropriado foi escolhido por votação da comunidade.
  7. 7. Você pode utilizar qualquer extensão que desejar para designar um arquivo PHP, mas os recomendados foram *.php , *.phtml. O PHP está atualmente na versão 5.x, chamado de PHP5 ou, simplesmente de PHP. PHP é uma linguagem de criação de scripts embutida em HTML no servidor. Introdução
  8. 8. Introdução Representação de como PHP e HTML se comportam.
  9. 9. Linux: Instalação conhecida como “LAMP” que corresponde : Linux, Apache, MySQL, PHP. O usuário deve instalar cada um manualmente. Windows: Instalação conhecida como “WAMP” que corresponde : Windows, Apache, MySQL, PHP. Nesse caso, o usuário pode usar o Wampserver, o XAMP, etc. Estes instalam o “pacote” LAMP automaticamente. O que é preciso para programar em PHP?
  10. 10. Tags especiais indicam ao PHP onde estão os blocos de código. A tag de abertura é formada por um sinal de “menor que” (<), um sinal de interrogação (?) e a sigla (php). A tag de fechamento é formada por um ponto interrogação (?) e sinal de “maior que” (>). Sintaxe básica
  11. 11. Ex: 1.<?php 2.... 3.?> Sintaxe básica
  12. 12. Sintaxe básica
  13. 13. Variáveis armazenam valores. Pode-se referir a variáveis para obter seu valor ou para alterar seu conteúdo. No PHP elas são representadas por um cifrão ($) mais o nome da variável. Os nomes de variáveis válidos são iniciados por letras ou por um subscrito ( _ ). Existe diferenciação entre nomes de variáveis maiúsculas e minúsculas. Variáveis
  14. 14. Quando a variável é declarada dentro de uma função, ela só estará disponível para o código desta função. O código a seguir gera um erro devido a essa característica: Variáveis
  15. 15. 1.<?php 2. function soma($a){ 3. $b = $a + 5; 4.} 5. soma(10); 6. echo "o valor de 'b' é $b"; 7.?> Variáveis
  16. 16. Para evitar este tipo de problema, deve-se definir a variável como global. O código a seguir resolve o problema do código anterior. Variáveis
  17. 17. 1.<?php 2. function soma($a) 3. { 4. global $b; 5. $b = $a + 5; 6. } 7. soma(10); 8. echo "o valor de 'b' é $b"; 9.?> Variáveis
  18. 18. O PHP suporta vários tipos de dados: Inteiro – Números inteiros (isto é, números sem ponto decimal); Números de dupla precisão – Números reais (isto é, números que contêm um ponto decimal); String – Texto entre aspas simples (´ ´) ou duplas (“ “); Booleanos – armazenam valores verdadeiros ou falsos, usados em testes de condições; Array – Grupo de elementos do mesmo tipo; Objeto – Grupo de atributos e métodos; Tipos de dados
  19. 19. Recurso – Uma origem de dados externa; Nulo – Nenhum valor; Tipos de dados
  20. 20. 1.// dados boleanos 2.$a = True; 3.if ($a) 4.{ 5.echo "Verdadeiro"; 6.} 7.else 8.{ 9.echo "Falso"; 10.} Tipos de dados
  21. 21. 1.// dados com hexadecimais 2.$a = 0x1A; //Corresponde ao decimal 26 3.$b = -16; 4.$c = $a + $b; 5.echo "a + b = $c"; Tipos de dados
  22. 22. 1.// pontos flutuantes são representados por (.) 2.$preco = 11.90; 3.$soma = $preco * 4; 4.echo "Quatro revistas W custam R$ $soma<br>"; Tipos de dados
  23. 23. 1.// strings são representadas por aspas simples e duplas 2.$texto1 = 'Esse é o primeiro texto.<br>'; 3.$texto2 = "Esse é o segundo texto."; 4.echo $texto1; 5.echo $texto2; Tipos de dados
  24. 24. 1./* As variáveis do tipo matriz ou array permitem o armazenamento de 2.diversos elementos 3.referenciados por uma mesma referência*/ 4.$frutas = array( 5.1 => "Laranja", 6.2 => "Maçã", 7.3 => "Uva"); 8.echo "<li> $frutas[1]<br>"; 9.echo "<li> $frutas[2]<br>"; 10.echo "<li> $frutas[3]<br>"; Tipos de dados
  25. 25. Constantes são identificadores para valores simples. O seu conteúdo não muda durante a execução do código. Elas são criadas com a função define e, por convenção, são escritas com letras maiúsculas e não usam o cifrão no início. Constantes
  26. 26. 1.<?php 2.define("CONSTANTE", "Alô mundo."); 3.echo CONSTANTE; 4.?> Constantes
  27. 27. São usados para efetuarem operações sobre as variáveis e constantes. Os operadores do PHP são: + soma; - subtração; / divisão; ^ exponenciação; % módulo, resto da divisão; ++ acrescenta um a uma variável; Operadores
  28. 28. -- subtrai um de uma variável; += soma um valor a uma variável e lhe atribui o resultado. Constantes
  29. 29. 1.<?php 2.$x = 2; 3.echo($x + 2); 4.echo "<br>"; 5.$x = 2; 6.echo(5 - $x); 7.echo "<br>"; 8.$x = 4; 9.echo($x * 5); Operadores
  30. 30. 10.echo "<br>"; 11.$x = 4; 12.echo($x * 5); 13.echo "<br>"; 14.$x = 15; 15.echo($x / 5); 16.echo "<br>"; 17.$x = 10; 18.echo($x % 8); Operadores
  31. 31. 19.echo "<br>"; 20.$x = 5; 21.$x++; 22.echo($x); 23.echo "<br>"; 24.$x = 5; 25.$x--; 26.echo($x); 27.echo "<br>"; Operadores
  32. 32. 28.$x = 8; 29.echo($x); 30.echo "<br>"; 31.$x = 8; 32.$x = $x + 10; 33.echo($x); 34.echo "<br>"; 35.$x = 8; 36.$x += 10; 37.echo($x); 38.?> Operadores
  33. 33. Há também os operadores de comparação. Uma comparação sempre gera um dos dois valores possíveis: vazio, que corresponde a falso, e 1, que corresponde a verdadeiro. Operadores
  34. 34. == é igual a; ! = não é igual a; > é maior que; < é menor que; >= é maior ou igual a; <= é menor ou igual a; Operadores
  35. 35. 1.$resultado = ($x > 8); 2.if($resultado == 1) 3.{ 4.echo "verdadeiro"; 5.} 6.else 7.{ 8.echo "falso"; Operadores
  36. 36. and ou && - operador lógico “e”, apenas retornando verdadeiro quando as duas condições envolvidas no teste forem verdadeiras; or ou | | operador lógico “ou”, retornando verdadeiro quando uma ou as duas condições envolvidas no teste forem verdadeiras;  ! operador lógico “não”, invertendo o resultado de um teste ; xor – operador lógico “ou exclusivo” que determina se uma de duas condições é verdadeira mas não ambas. Se ambas forem verdadeiras, o teste final será falso. Operadores Lógicos
  37. 37. 1.$x = 6; 2.$y = 3; 3.$resultado = ($x < 10 && $y > 1); 4.if($resultado == 1) 5.{ 6.echo "verdadeiro"; 7.} 8.else 9.{ 10.echo "falso"; 11.} Operadores Lógicos
  38. 38. No PHP, as estruturas de controle são formadas por declarações condicionais e de looping: if – executa uma ação se uma condição for atendida. O bloco de comandos a ser executado deve ser escrito entre chaves; else – pode-se colocar um conjunto de comandos alternativos caso o teste do if seja negativo. A declaração else deve vir logo após o bloco de código relacionado ao if. O comando if também pode ser usado após a declaração else. Estruturas de Controle
  39. 39. 1.<?php 2.$x = 20; 3.if ($x > 10) 4.{ 5.echo("O valor da variável é maior que 10."); 6.} 7.?> Estruturas de Controle
  40. 40. 1.<?php 2.$cor = "branco"; 3.if ($cor == "vermelho") 4.{ 5.echo("A variável contém o valor 'vermelho'."); 6.} 7.else if ($cor == "azul") 8.{ 9.echo("A variável contém o valor 'azul'."); 10.} Estruturas de Controle
  41. 41. 11.else if ($cor == "amarelo") 12.{ 13.echo("A variável contém o valor 'amarelo'."); 14.} 15.else 16.{ 17.echo("O valor da variável não foi identificado."); 18.} 19.?> Estruturas de Controle
  42. 42. Forma de testar uma dentre várias possibilidades. A declaração default executa caso nenhuma das opções for verdadeira. A declaração break faz com que o restante do código não seja executado caso o teste seja verdadeiro. switch / case
  43. 43. 1.<?php 2.$d = getdate(); 3.switch ($d['wday']) 4.{ 5.case 5: 6.echo("Sexta-feira"); 7.break; 8.case 6: 9.echo("Sábado"); 10.break; switch / case
  44. 44. 11.case 0: 12.echo("Domingo"); 13.break; 14.default: 15.echo("Outro dia da semana"); 16.} 17.?> switch / case
  45. 45. Estrutura de looping que executa um bloco de código quantas vezes for indicado em uma variável. Deve-se definir a variável que será testada no looping, uma condição de teste e o incremento (ou decremento) da variável de controle. for
  46. 46. 1.<?php 2.for ($i = 1; $i < 10; $i++) 3.{ 4.echo("Linha $i <br>"); 5.} 6.?> for
  47. 47. Estrutura de looping que não necessita de um número determinado de iterações. Ele é executado enquanto uma condição for verdadeira. while
  48. 48. 1.<?php 2. $i = 1; 3.while ($i < 10000) 4.{ 5.echo($i); 6.$i *= 2; 7.echo(" vezes 2 é igual a $i <br>"); 8.} 9.?> while
  49. 49. Outra forma de looping que executa um bloco de código, testa uma condição e repete novamente o bloco de código (ou não). do - while
  50. 50. 1.<?php 2.$i = 1; 3.do 4.{ 5.echo ("Linha $i <br>"); 6.$i++; 7.} 8.while ($i < 10) 9.?> do -while
  51. 51. Matrizes são variáveis que armazenam mais de um valor simultaneamente. Uma matriz no PHP é atualmente um mapa ordenado. Um mapa é um tipo que relaciona valores para chaves. Este tipo é otimizado de várias maneiras, então você pode usá-lo como um array real, ou uma lista (vetor), hashtable (que é uma implementação de mapa), dicionário, coleção, pilha, fila, etc. As referências aos elementos da matriz podem ser declaradas como valores numéricos ou strings. Matrizes
  52. 52. 1.<?php 2.$colaboradores = array(0 => "Marcos", 3.1 => "Eduardo", 4.2 => "Maria", 5.3 => "Sérgio", 6.4 => "Rosangela"); 7.echo "<b>Colaboradores</b>"; 8.echo "<ul>"; 9.echo "<li>" . $colaboradores[0]; 10.echo "<li>" . $colaboradores[1]; 11.echo "<li>" . $colaboradores[3]; 12.echo "<li>" . $colaboradores[2]; 13.echo "<li>" . $colaboradores[4]; 14.echo "</ul>"; 15.?> Matrizes
  53. 53. O comando include permite a inclusão de outros arquivos php dentro do script que está sendo executado. Pode-se criar uma função que imprime a data atual e pode-se reusá-lo sem precisar reescrever o código cada vez que for necessário. No exemplo a seguir, pode-se chamar o primeiro script de topo.php e o próximo script o inclui através do comando include. Inclusão de Arquivos
  54. 54. 1.<body> 2.<?php 3.$meses = array(1 => "Janeiro", 4.2 => "Fevereiro", 5.3 => "Março", 6.4 => "Abril", 7.5 => "Maio", 8.6 => "Junho", 9.7 => "Julho", 10.8 => "Agosto", 11.9 => "Setembro", Inclusão de Arquivos
  55. 55. 12.10 => "Outubro", 13.11 => "Novembro", 14.12 => "Dezembro"); 15.$hoje = getdate(); 16.$dia = $hoje["mday"]; 17.$mes = $hoje["mon"]; 18.$nomeMes = $meses[$mes]; 19.$ano = $hoje["year"]; 20.echo "Hoje é dia $dia de $nomeMes de $ano." 21.?> 22.</body> Inclusão de Arquivos
  56. 56. Para chamar o arquivo topo.php, usamos o seguinte código em um novo arquivo php. Inclusão de Arquivos
  57. 57. 1.<body> 2.<?php 3.include("topo.php"); 4.?> 5.</body> Inclusão de Arquivos
  58. 58. Este recurso pode ser bem interessante, para facilitar a atualização de setores do seu site, pois podemos importar arquivos no formato texto como, por exemplo, arquivos em TXT , apenas é necessário salvá-lo no formato UTF-8, para que o navegador consiga interpretar corretamente a acentuação. Inclusão de Arquivos
  59. 59. O uso de parâmetros facilita a programação porque permite a passagem de dados entre o browser e o script ou entre scripts. A passagem de parâmetros entre o browser e o script é feita dentro da URL, por exemplo, e é manipulada pela função $_GET. Nesse exemplo a seguir, cada um dos links envia um valor diferente para a página que é aberta parametros.php. Para enviar um parâmetro, a sintaxe inclui um sinal de interrogação, o nome da variável, um sinal de igual e o valor da variável. Parâmetros
  60. 60. 1.<body> 2.<?php 3.if (isset($_GET["valor"])) 4.{ 5.$valor = $_GET["valor"]; 6.echo "Você clicou no valor $valor <p>"; 7.} 8.else 9.{ 10.echo "Clique em um dos valores:<p>"; 11.} 12.?> Parâmetros
  61. 61. 13.<a href="parametros.php?valor=1">Valor01</a><br> 14.<a href="parametros.php?valor=2">Valor02</a><br> 15.<a href="parametros.php?valor=3">Valor03</a><br> 16.<a href="parametros.php?valor=4">Valor04</a><br> 17.<a href="parametros.php?valor=5">Valor05</a><br> 18.</body> Parâmetros
  62. 62. Os valores enviados através de um formulário podem ser recuperados pela variável predefinida $_POST. Através dela é possível obter os dados que foram enviados através do método POST do HTML, bastando indicar o nome do campo do formulário. No comando action do formulário, deve-se indicar a página PHP que irá receber os valores. O mesmo documento pode conter o código e o formulário. Formulários
  63. 63. 1.<body> 2.<?php 3.if (isset($_POST["pnome"]) && isset($_POST["snome"])) 4.{ 5.$pnome = $_POST["pnome"]; 6.$snome = $_POST["snome"]; 7.echo "Olá $pnome $snome.<p>"; 8.} 9.else 10.{ 11.echo "Digite o seu nome.<p>"; 12.} 13.?> 14.> Formulários
  64. 64. 15.<form method="post" action="formulario.php"> 16.Nome: <input type="text" name="pnome"> 17.<br> 18.Sobrenome: <input type="text" name="snome"> 19.<br><br> 20.<input type="submit" value="Enviar"> 21.</form> 22.</body> Formulários
  65. 65. Sugestão: Formulário. Mini-Projeto

×