XIV CBE - MESA 6 - Segen estefen - 25 outubro 2012

563 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
563
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Estudos e simulações computacionais apara a análise de tensões no entorno de poços não convencionais: poços de longo alcance, horizontais, multilaterais, etc. As condições locais do problema, i.e. temperatura, pressão, nível de tensões na rocha “in situ” e a geometria do poço, colocam desafios consideráveis ao projeto que tem como objetivo final assegurar a sua estabilidade nas fases de perfuração e de produção.
  • XIV CBE - MESA 6 - Segen estefen - 25 outubro 2012

    1. 1. Congresso Brasileiro de EnergiaMesa 6 - Pré-Sal: Desafios e Oportunidade de Ganhos no País Rio de Janeiro, 23-25 de outubro de 2012 Segen F. Estefen Diretor de Tecnologia e Inovação COPPE – Universidade Federal do Rio de Janeiro
    2. 2. UFRJ – Ilha da Cidade Universitária
    3. 3. Campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro• COPPE/UFRJ – Inst. Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia• CENPES – Centro de Pesquisas da PETROBRAS• CEPEL – Centro de Pesquisas da ELETROBRAS• Institutos MCTI: CETEM e IEN• Incubadora de Empresas da COPPE: 16 empresas• Parque Tecnológico (12 Centros de P&D + Labs. COPPE + empresas de base tecnológica)• Distrito Verde• Torre da Inovação (em fase de projeto)
    4. 4. Infraestrutura de Pesquisa 116 Laboratórios Complexo Laboratorial I-2000 Parque Tecnológico LabOceano NEO LEAD CEGN GIGTech Lab Computação de Alto Desempenho 12 Centros de P&D de grandes empresas 9 Empresas de base tecnológica
    5. 5. Tecnologias para o Pré-Sal
    6. 6. Cooperação COPPE - PETROBRAS1977 – Estruturas Offshore1984 – Grupo de Robótica e Controle1989 - Lab. Tecnologia Submarina1998 – Treinamento e Projetos em Ambiente e Geoquímica2001 - 1000 contratos com a PETROBRAS2003 – LabOceano2006 - 2000 contratos com a PETROBRAS2009 - Lab de Ensaios Não Destrutivos, Corrosão e Soldagem2011 - 3000 contratos com a PETROBRAS
    7. 7. LabOceano • Hidrodinâmica de Estruturas Flutuantes • Instalações em Águas Profundas • Avaliação de Protótipos
    8. 8. Lab Tecnologia Submarina• Câmaras hiperbáricas (pressão equivalente a 5.000 m)• Instalação de risers: simulação do armazenamento por carretel e avaliação da fadiga
    9. 9. Lab Ensaios Não Destrutivos, Corrosão e Soldagem Foco em aspectos relacionados aos desafios do Pré-Sal em materiais para poços e produção submarina
    10. 10. Computação de Alto Desempenho • Geomecânica de Poços • Simulação de Reservatórios
    11. 11. Tecnologias Avançadas para Construção Naval• Capacitação em projeto e cadeia de suprimentos• Simulação do processo de produção• Tecnologia avançada de produção Centro de Tecnologia de Construção Naval e Offshore
    12. 12. Incubadora de Empresas Parque Tecnológico
    13. 13. Incubadora de Empresas da COPPE
    14. 14. Centros de P&D de Grandes Empresas
    15. 15. Laboratórios da COPPE no Parque TecnológicoLAMCE Computação de Alto DesempenhoRio + Centro Internacional de Sustentabilidade
    16. 16. Empresas de Base Tecnológica Georadar
    17. 17. Conteúdo Local e Engenharia Nacional• Oportunidade para a indústria nacional• Necessidade de RH altamente qualificados einfraestrutura laboratorial de ponta• Retomada da Engenharia Nacional• Sinergia Empresa-Universidade para um projetonacional a partir do Pré-Sal, incorporandotecnologias inovadoras em diferentes aplicações.
    18. 18. Considerações Finais• A Ilha da Cidade Universitária da UFRJ é,atualmente, o mais dinâmico núcleo de inovação dopaís• A interação entre Academia e Empresas tempropiciado sinergia entre as atividades acadêmicas,de pesquisa e empresariais, propiciando a criaçãode novas empresas de base tecnológica e empregosqualificados.
    19. 19. Considerações Finais• As principais Universidades Brasileiras possuematualmente infraestrutura laboratorial de ponta erecursos humanos de alta qualificação.• Política Nacional de Inovação Tecnológica devenecessariamente incluir os núcleos de competênciadas Universidades.
    20. 20. www.coppe.ufrj.br

    ×