SlideShare uma empresa Scribd logo

Seminário Experiências Partilhadas Bridges | Biografias Oradores e Moderadores

Conheça os oradores e moderadores do Seminário Experiências Partilhadas França-Portugal sobre Investimento Social a ter lugar na Culturgest em Lisboa, dia 24 de novembro de 2015.

1 de 16
Baixar para ler offline
11
INVESTIMENTO
SOCIAL
SEMINÁRIO
powered by
PONTES PARA UM FUTURO MAIS SUSTENTÁVEL.
FRANÇA
PORTUGAL
BIOGRAFIAS
ORADORES E MODERADORES
— Primeira Parte —
Enquadramento e políticas
Criar um ecossistema favorável
3
José de Matos
Presidente da Comissão Executiva da Caixa Geral de Depósitos
Licenciado em Economia, com um percurso profissional ligado ao Banco de Portugal, Banco Central
­Europeu, Banco Mundial, Instituto Monetário Europeu, Eurostat e OCDE. Foi Vice-Governador do Banco de
Portugal, Substituto do Governador do Banco de Portugal no Conselho de Governadores do Banco Central
Europeu (BCE), Membro do Comité de Relações Internacionais do BCE/SEBC, Presidente do Comité de
Orçamento do BCE e Membro do Comité Económico e Financeiro da União Europeia.
Martine Pinville
Secretária de Estado do Comércio, Artesanato, Consumo e da Economia Social e Solidária
Secretária de Estado do Comércio, do Artesanato, do Consumo e da Economia Social e Solidária desde
junho de 2015, Martine Pinville é membro do Partido Socialista, desde 1983, do qual foi secretária nacio-
nal para os assuntos relacionados com a Saúde entre 2012 e 2014. Foi deputada, de 2007 até 2015, por
­Charente, região sul oeste da França, onde também foi vereadora entre 1995 e 2012.
É Presidente do Comité Nacional para o Autismo, desde 2012.
Na comemoração do primeiro aniversário da Lei n.º 2014-856, de 31 de julho, que define e  legitima a
Economia Social e Solidária, Martine Pinville reforçou o compromisso do Governo francês com as empresas
sociais, um  novo tipo de empresas que se assumem eficazes em termos económicos e socialmente úteis,
num setor que pretende criar mais de 600 mil empregos até 2020, em França.
No passado mês de outubro, por iniciativa da Secretária de Estado, os agentes da Economia Social e
­Solidária (ESS) reuniram-se para, em conjunto, criarem o Conselho Superior da ESS que tem como missão
assegurar o diálogo entre os diferentes atores e os poderes públicos nacionais e europeus, dar uma ­opinião
4
consultiva sobre as leis e regulamentos da ESS, preservando a igualdade de géneros no setor. É ainda
­objetivo, deste organismo, a promoção da Economia Social e Solidária junto dos jovens, o que significa
melhor representação deste público- alvo e razão pela qual Martine Pinville promoveu a integração de 15
jovens no Conselho Superior da ESS.
Fernando Medina
Presidente da Câmara Municipal de Lisboa
Presidente da Câmara Municipal de Lisboa desde abril de 2015, Fernando Medina tem uma extensa
­atividade ao serviço do Estado. Foi assessor de António Guterres, consultor da AICEP, e em 2005 assumiu
a pasta da Secretaria de Estado do Emprego e Formação Profissional, de onde transitou em 2009 para
a pasta da Secretaria de Estado da Indústria e do Desenvolvimento. Em 2013 integrou a lista do Partido
­Socialista à Câmara Municipal de Lisboa, tendo ocupado a Vice-Presidência até à data em que tomou
­posse como Presidente.
É licenciado em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto, e tem um Mestrado em
Sociologia Económica pelo Instituto Superior de Economia e Gestão.
5
— Segunda Parte —
Experiências cruzadas
A perspetiva dos atores no terreno
Mesa redonda
Moderadora
Paula Guimarães
Presidente do GRACE
PaulaMagalhãeséPresidentedoGRACE–GrupodeReflexãoeApoioàCidadaniaEmpresarial,desde2013,em
representação da Fundação Montepio. É Diretora do Gabinete de Responsabilidade Social do Montepio,
desde junho 2006, Administradora Não Executiva das Residências Montepio e docente na Universidade de
Aveiro e na Universidade Católica.
Foi Vice-Presidente do Instituto de Reinserção Social e membro do Conselho Nacional de Saúde Mental,
Mercado Social de Emprego e da Comissão Nacional para a Política da Terceira Idade.
Sobre o GRACE
Fundado em fevereiro de 2000, o GRACE é uma associação pioneira, sem fins lucrativos e exclusivamente
dedicada à promoção da Responsabilidade Social Corporativa. Reúne mais de 130 empresas, das mais
variadas dimensões e setores de atividade, empenhadas em aprofundar o papel das empresas no
desenvolvimento social das pessoas e das organizações, partilhando a missão há muito assumida: refletir,
promover e desenvolver a responsabilidade social corporativa em Portugal.
6
Painel
André Dupon
Presidente do Grupo Vitamine T e do Mouvement des Entrepreneurs Sociaux (MOUVES)
André Dupon iniciou a sua carreira como educador especializado no trabalho com jovens em risco, sob
tutela judiciária. A convite do então primeiro-ministro e presidente da Câmara Municipal de Lille, Pierre
Mauroy, criou a primeira missão local de apoio a jovens. Dirigiu e dinamizou um centro social, criando uma
empresa de inserção e um centro de formação.
Em 1995, ingressou no Grupo Vitamine T que, em 15 anos, sob o seu impulso passou de 5 para 14 empre-
sas sociais e de 600 para 2 600 empregados.
André Dupon é também Presidente da Sauvegarde du Nord, uma associação com 1 500 funcionários distri-
buídos por vários setores: médico-social, proteção à infância, à toxicodependência e promoção da saúde.
E Presidente do Mouvement des Entrepreneurs Sociaux (Movimento dos Empreendedores Sociais).
Sobre o Grupo Vitamine T
É um ator de referência no setor das empresas de inserção. O Grupo Vitamine T trabalha em prol da
inserção económica dos trabalhadores que encontram dificuldades no mercado do trabalho. Reúne 14
empresas especializadas nos sectores dos serviços, da economia solidária, do trabalho temporário, da
limpeza e manutenção, reciclagem, agricultura biológica etc. A faturação do Grupo ronda os 50 milhões de
euros anuais.
Sobre o MOUVES
O Movimento dos Empreendedores Sociais foi criado, em França, em 2010. Agrega 400 dirigentes de
empresas sociais. A associação promove encontros entre empreendedores sociais para que possam
partilhar as respetivas experiências. Procura também exercer a sua influência sobre os poderes públicos
com o fim de desenvolver as empresas sociais e promover a eficácia económica ao serviço do interesse
geral.
Anúncio

Recomendados

Projecto HomemBraga EAD_Lisbon_150311
Projecto HomemBraga EAD_Lisbon_150311Projecto HomemBraga EAD_Lisbon_150311
Projecto HomemBraga EAD_Lisbon_150311Dianova
 
carta apresentaçao 2011
carta apresentaçao 2011carta apresentaçao 2011
carta apresentaçao 2011Cristinapg
 
Programa eu2020covilha2013
Programa eu2020covilha2013Programa eu2020covilha2013
Programa eu2020covilha2013Dianova
 
Nures no 6º foro latinoamericano “memoria e identidad”
Nures no 6º foro latinoamericano “memoria e identidad”Nures no 6º foro latinoamericano “memoria e identidad”
Nures no 6º foro latinoamericano “memoria e identidad”coeppelotas
 
Boletim seesp dezembro 2013
Boletim seesp dezembro 2013Boletim seesp dezembro 2013
Boletim seesp dezembro 2013seesp
 

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Seminário Experiências Partilhadas Bridges | Biografias Oradores e Moderadores

00327 conhecendo o programa de erradicação do trabalho infantil
00327   conhecendo o programa de erradicação do trabalho infantil00327   conhecendo o programa de erradicação do trabalho infantil
00327 conhecendo o programa de erradicação do trabalho infantilmfvasconcelos
 
UniExcellence Japan - Portfólio
UniExcellence Japan - PortfólioUniExcellence Japan - Portfólio
UniExcellence Japan - Portfóliouniexcellence
 
carta apresentaçao 2011
carta apresentaçao 2011carta apresentaçao 2011
carta apresentaçao 2011Cristinapg
 
Dianova Portugal - Brochura Institucional 2018
Dianova Portugal - Brochura Institucional 2018Dianova Portugal - Brochura Institucional 2018
Dianova Portugal - Brochura Institucional 2018Dianova
 
Ações de responsabilidade social
Ações de responsabilidade socialAções de responsabilidade social
Ações de responsabilidade socialtommymarras
 
Workshop 3 Nov 09 Sbi Consulting Small Business First Step ApresentaçãO
Workshop 3 Nov 09 Sbi Consulting Small Business First Step ApresentaçãOWorkshop 3 Nov 09 Sbi Consulting Small Business First Step ApresentaçãO
Workshop 3 Nov 09 Sbi Consulting Small Business First Step ApresentaçãOsbrochado
 
Cartilha nocoes basicas_sobre_cooperativismo_sds
Cartilha nocoes basicas_sobre_cooperativismo_sdsCartilha nocoes basicas_sobre_cooperativismo_sds
Cartilha nocoes basicas_sobre_cooperativismo_sdsClaudio Inacio Schuck
 
Princípios de Empreendedorismo Social
Princípios de Empreendedorismo SocialPrincípios de Empreendedorismo Social
Princípios de Empreendedorismo SocialEmmanoel Messias
 
Artigo formação e educação caso dianova_2012
Artigo formação e educação caso dianova_2012Artigo formação e educação caso dianova_2012
Artigo formação e educação caso dianova_2012Dianova
 
Comunicação - Aldeias
Comunicação - AldeiasComunicação - Aldeias
Comunicação - Aldeiasdinizpatricia
 
Moção de Estratégia Global 2016-2018
Moção de Estratégia Global 2016-2018 Moção de Estratégia Global 2016-2018
Moção de Estratégia Global 2016-2018 JSD Distrital de Lisboa
 

Semelhante a Seminário Experiências Partilhadas Bridges | Biografias Oradores e Moderadores (20)

Conheça os oradores
Conheça os oradoresConheça os oradores
Conheça os oradores
 
PROGRAMA / XVII SEMANA NACIONAL DO MARKETING - APPM
PROGRAMA / XVII SEMANA NACIONAL DO MARKETING - APPMPROGRAMA / XVII SEMANA NACIONAL DO MARKETING - APPM
PROGRAMA / XVII SEMANA NACIONAL DO MARKETING - APPM
 
Mkt social apres12 tm1013
Mkt social apres12 tm1013Mkt social apres12 tm1013
Mkt social apres12 tm1013
 
ONG OIKOS
ONG OIKOS ONG OIKOS
ONG OIKOS
 
00327 conhecendo o programa de erradicação do trabalho infantil
00327   conhecendo o programa de erradicação do trabalho infantil00327   conhecendo o programa de erradicação do trabalho infantil
00327 conhecendo o programa de erradicação do trabalho infantil
 
Artigo DE _RSE
Artigo DE _RSEArtigo DE _RSE
Artigo DE _RSE
 
UniExcellence Japan - Portfólio
UniExcellence Japan - PortfólioUniExcellence Japan - Portfólio
UniExcellence Japan - Portfólio
 
carta apresentaçao 2011
carta apresentaçao 2011carta apresentaçao 2011
carta apresentaçao 2011
 
Dianova Portugal - Brochura Institucional 2018
Dianova Portugal - Brochura Institucional 2018Dianova Portugal - Brochura Institucional 2018
Dianova Portugal - Brochura Institucional 2018
 
Ações de responsabilidade social
Ações de responsabilidade socialAções de responsabilidade social
Ações de responsabilidade social
 
DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA
DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA
DIÁLOGOS SOBRE AVALIAÇÃO NA PRIMEIRA INFÂNCIA
 
Guia metodolígico para franchising social
Guia metodolígico para franchising socialGuia metodolígico para franchising social
Guia metodolígico para franchising social
 
Cópia de currículo definitivo= 2014
Cópia de currículo definitivo= 2014Cópia de currículo definitivo= 2014
Cópia de currículo definitivo= 2014
 
Case Dín4mo apresentado no Café com Investidores de Impacto Social
Case Dín4mo apresentado no Café com Investidores de Impacto SocialCase Dín4mo apresentado no Café com Investidores de Impacto Social
Case Dín4mo apresentado no Café com Investidores de Impacto Social
 
Workshop 3 Nov 09 Sbi Consulting Small Business First Step ApresentaçãO
Workshop 3 Nov 09 Sbi Consulting Small Business First Step ApresentaçãOWorkshop 3 Nov 09 Sbi Consulting Small Business First Step ApresentaçãO
Workshop 3 Nov 09 Sbi Consulting Small Business First Step ApresentaçãO
 
Cartilha nocoes basicas_sobre_cooperativismo_sds
Cartilha nocoes basicas_sobre_cooperativismo_sdsCartilha nocoes basicas_sobre_cooperativismo_sds
Cartilha nocoes basicas_sobre_cooperativismo_sds
 
Princípios de Empreendedorismo Social
Princípios de Empreendedorismo SocialPrincípios de Empreendedorismo Social
Princípios de Empreendedorismo Social
 
Artigo formação e educação caso dianova_2012
Artigo formação e educação caso dianova_2012Artigo formação e educação caso dianova_2012
Artigo formação e educação caso dianova_2012
 
Comunicação - Aldeias
Comunicação - AldeiasComunicação - Aldeias
Comunicação - Aldeias
 
Moção de Estratégia Global 2016-2018
Moção de Estratégia Global 2016-2018 Moção de Estratégia Global 2016-2018
Moção de Estratégia Global 2016-2018
 

Mais de Caixa Geral Depósitos (20)

Graphenest
GraphenestGraphenest
Graphenest
 
Faarm
FaarmFaarm
Faarm
 
I 2 d
I 2 dI 2 d
I 2 d
 
Probe.ly
Probe.lyProbe.ly
Probe.ly
 
Eat Tasty
Eat TastyEat Tasty
Eat Tasty
 
Kide Fashion
Kide FashionKide Fashion
Kide Fashion
 
Agent 4 Travel
Agent 4 TravelAgent 4 Travel
Agent 4 Travel
 
360 waste
360 waste360 waste
360 waste
 
Mito Diets
Mito DietsMito Diets
Mito Diets
 
Digital Bookauto
Digital BookautoDigital Bookauto
Digital Bookauto
 
Farm Cloud
Farm CloudFarm Cloud
Farm Cloud
 
Smart freez
Smart freezSmart freez
Smart freez
 
Digital Home Hunting
Digital Home HuntingDigital Home Hunting
Digital Home Hunting
 
Digital Pakket Mail
Digital Pakket MailDigital Pakket Mail
Digital Pakket Mail
 
ModProt Diagnostics
ModProt DiagnosticsModProt Diagnostics
ModProt Diagnostics
 
Weld Note
Weld NoteWeld Note
Weld Note
 
Digital Hi Jiffy
Digital Hi JiffyDigital Hi Jiffy
Digital Hi Jiffy
 
Attentive
AttentiveAttentive
Attentive
 
Digital Petable
Digital PetableDigital Petable
Digital Petable
 
Team Outloud
Team OutloudTeam Outloud
Team Outloud
 

Último

Com base nas informações sobre Aline (Perfil 2), calcule a carga predita de 1...
Com base nas informações sobre Aline (Perfil 2), calcule a carga predita de 1...Com base nas informações sobre Aline (Perfil 2), calcule a carga predita de 1...
Com base nas informações sobre Aline (Perfil 2), calcule a carga predita de 1...Unicesumar
 
ATIVIDADE 1 – PROTOCOLO E PROCEDIMENTO DE COLETA DAS MEDIDAS.
ATIVIDADE 1 – PROTOCOLO E PROCEDIMENTO DE COLETA DAS MEDIDAS.ATIVIDADE 1 – PROTOCOLO E PROCEDIMENTO DE COLETA DAS MEDIDAS.
ATIVIDADE 1 – PROTOCOLO E PROCEDIMENTO DE COLETA DAS MEDIDAS.Unicesumar
 
Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como o objetivo...
Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como o objetivo...Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como o objetivo...
Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como o objetivo...Unicesumar
 
Em 26 de janeiro de 2024, a Agência Petrobras fez o seguinte comunicado: Petr...
Em 26 de janeiro de 2024, a Agência Petrobras fez o seguinte comunicado: Petr...Em 26 de janeiro de 2024, a Agência Petrobras fez o seguinte comunicado: Petr...
Em 26 de janeiro de 2024, a Agência Petrobras fez o seguinte comunicado: Petr...AcademicaDlaUnicesum
 
Com base nos estudos e material da disciplina, explique por qual motivo o tre...
Com base nos estudos e material da disciplina, explique por qual motivo o tre...Com base nos estudos e material da disciplina, explique por qual motivo o tre...
Com base nos estudos e material da disciplina, explique por qual motivo o tre...Unicesumar
 
Um dos materiais mais utilizados em salas de aula na educação escolar pública...
Um dos materiais mais utilizados em salas de aula na educação escolar pública...Um dos materiais mais utilizados em salas de aula na educação escolar pública...
Um dos materiais mais utilizados em salas de aula na educação escolar pública...AcademicaDlaUnicesum
 
A molécula de ATP e formada por açúcar (ribose), ligado a uma base nitrogenad...
A molécula de ATP e formada por açúcar (ribose), ligado a uma base nitrogenad...A molécula de ATP e formada por açúcar (ribose), ligado a uma base nitrogenad...
A molécula de ATP e formada por açúcar (ribose), ligado a uma base nitrogenad...Unicesumar
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...Unicesumar
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E ENSI...
ATIVIDADE 1 - BEDU - EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E ENSI...ATIVIDADE 1 - BEDU - EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E ENSI...
ATIVIDADE 1 - BEDU - EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E ENSI...Unicesumar
 
MAPA - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - 51/2024
MAPA - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - 51/2024MAPA - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - 51/2024
MAPA - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - 51/2024Unicesumar
 
Demora na entrega e altas taxas são as principais reclamações de usuários de ...
Demora na entrega e altas taxas são as principais reclamações de usuários de ...Demora na entrega e altas taxas são as principais reclamações de usuários de ...
Demora na entrega e altas taxas são as principais reclamações de usuários de ...assedlmoi
 
Analisando o objetivo de Matheus (Perfil 1), o treinamento resistido será des...
Analisando o objetivo de Matheus (Perfil 1), o treinamento resistido será des...Analisando o objetivo de Matheus (Perfil 1), o treinamento resistido será des...
Analisando o objetivo de Matheus (Perfil 1), o treinamento resistido será des...Unicesumar
 

Último (12)

Com base nas informações sobre Aline (Perfil 2), calcule a carga predita de 1...
Com base nas informações sobre Aline (Perfil 2), calcule a carga predita de 1...Com base nas informações sobre Aline (Perfil 2), calcule a carga predita de 1...
Com base nas informações sobre Aline (Perfil 2), calcule a carga predita de 1...
 
ATIVIDADE 1 – PROTOCOLO E PROCEDIMENTO DE COLETA DAS MEDIDAS.
ATIVIDADE 1 – PROTOCOLO E PROCEDIMENTO DE COLETA DAS MEDIDAS.ATIVIDADE 1 – PROTOCOLO E PROCEDIMENTO DE COLETA DAS MEDIDAS.
ATIVIDADE 1 – PROTOCOLO E PROCEDIMENTO DE COLETA DAS MEDIDAS.
 
Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como o objetivo...
Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como o objetivo...Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como o objetivo...
Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como o objetivo...
 
Em 26 de janeiro de 2024, a Agência Petrobras fez o seguinte comunicado: Petr...
Em 26 de janeiro de 2024, a Agência Petrobras fez o seguinte comunicado: Petr...Em 26 de janeiro de 2024, a Agência Petrobras fez o seguinte comunicado: Petr...
Em 26 de janeiro de 2024, a Agência Petrobras fez o seguinte comunicado: Petr...
 
Com base nos estudos e material da disciplina, explique por qual motivo o tre...
Com base nos estudos e material da disciplina, explique por qual motivo o tre...Com base nos estudos e material da disciplina, explique por qual motivo o tre...
Com base nos estudos e material da disciplina, explique por qual motivo o tre...
 
Um dos materiais mais utilizados em salas de aula na educação escolar pública...
Um dos materiais mais utilizados em salas de aula na educação escolar pública...Um dos materiais mais utilizados em salas de aula na educação escolar pública...
Um dos materiais mais utilizados em salas de aula na educação escolar pública...
 
A molécula de ATP e formada por açúcar (ribose), ligado a uma base nitrogenad...
A molécula de ATP e formada por açúcar (ribose), ligado a uma base nitrogenad...A molécula de ATP e formada por açúcar (ribose), ligado a uma base nitrogenad...
A molécula de ATP e formada por açúcar (ribose), ligado a uma base nitrogenad...
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
ATIVIDADE 1 - BEDU - EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E ENSI...
ATIVIDADE 1 - BEDU - EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E ENSI...ATIVIDADE 1 - BEDU - EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E ENSI...
ATIVIDADE 1 - BEDU - EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS E ENSI...
 
MAPA - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - 51/2024
MAPA - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - 51/2024MAPA - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - 51/2024
MAPA - ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - 51/2024
 
Demora na entrega e altas taxas são as principais reclamações de usuários de ...
Demora na entrega e altas taxas são as principais reclamações de usuários de ...Demora na entrega e altas taxas são as principais reclamações de usuários de ...
Demora na entrega e altas taxas são as principais reclamações de usuários de ...
 
Analisando o objetivo de Matheus (Perfil 1), o treinamento resistido será des...
Analisando o objetivo de Matheus (Perfil 1), o treinamento resistido será des...Analisando o objetivo de Matheus (Perfil 1), o treinamento resistido será des...
Analisando o objetivo de Matheus (Perfil 1), o treinamento resistido será des...
 

Seminário Experiências Partilhadas Bridges | Biografias Oradores e Moderadores

  • 1. 11 INVESTIMENTO SOCIAL SEMINÁRIO powered by PONTES PARA UM FUTURO MAIS SUSTENTÁVEL. FRANÇA PORTUGAL
  • 2. BIOGRAFIAS ORADORES E MODERADORES — Primeira Parte — Enquadramento e políticas Criar um ecossistema favorável
  • 3. 3 José de Matos Presidente da Comissão Executiva da Caixa Geral de Depósitos Licenciado em Economia, com um percurso profissional ligado ao Banco de Portugal, Banco Central ­Europeu, Banco Mundial, Instituto Monetário Europeu, Eurostat e OCDE. Foi Vice-Governador do Banco de Portugal, Substituto do Governador do Banco de Portugal no Conselho de Governadores do Banco Central Europeu (BCE), Membro do Comité de Relações Internacionais do BCE/SEBC, Presidente do Comité de Orçamento do BCE e Membro do Comité Económico e Financeiro da União Europeia. Martine Pinville Secretária de Estado do Comércio, Artesanato, Consumo e da Economia Social e Solidária Secretária de Estado do Comércio, do Artesanato, do Consumo e da Economia Social e Solidária desde junho de 2015, Martine Pinville é membro do Partido Socialista, desde 1983, do qual foi secretária nacio- nal para os assuntos relacionados com a Saúde entre 2012 e 2014. Foi deputada, de 2007 até 2015, por ­Charente, região sul oeste da França, onde também foi vereadora entre 1995 e 2012. É Presidente do Comité Nacional para o Autismo, desde 2012. Na comemoração do primeiro aniversário da Lei n.º 2014-856, de 31 de julho, que define e  legitima a Economia Social e Solidária, Martine Pinville reforçou o compromisso do Governo francês com as empresas sociais, um  novo tipo de empresas que se assumem eficazes em termos económicos e socialmente úteis, num setor que pretende criar mais de 600 mil empregos até 2020, em França. No passado mês de outubro, por iniciativa da Secretária de Estado, os agentes da Economia Social e ­Solidária (ESS) reuniram-se para, em conjunto, criarem o Conselho Superior da ESS que tem como missão assegurar o diálogo entre os diferentes atores e os poderes públicos nacionais e europeus, dar uma ­opinião
  • 4. 4 consultiva sobre as leis e regulamentos da ESS, preservando a igualdade de géneros no setor. É ainda ­objetivo, deste organismo, a promoção da Economia Social e Solidária junto dos jovens, o que significa melhor representação deste público- alvo e razão pela qual Martine Pinville promoveu a integração de 15 jovens no Conselho Superior da ESS. Fernando Medina Presidente da Câmara Municipal de Lisboa Presidente da Câmara Municipal de Lisboa desde abril de 2015, Fernando Medina tem uma extensa ­atividade ao serviço do Estado. Foi assessor de António Guterres, consultor da AICEP, e em 2005 assumiu a pasta da Secretaria de Estado do Emprego e Formação Profissional, de onde transitou em 2009 para a pasta da Secretaria de Estado da Indústria e do Desenvolvimento. Em 2013 integrou a lista do Partido ­Socialista à Câmara Municipal de Lisboa, tendo ocupado a Vice-Presidência até à data em que tomou ­posse como Presidente. É licenciado em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto, e tem um Mestrado em Sociologia Económica pelo Instituto Superior de Economia e Gestão.
  • 5. 5 — Segunda Parte — Experiências cruzadas A perspetiva dos atores no terreno Mesa redonda Moderadora Paula Guimarães Presidente do GRACE PaulaMagalhãeséPresidentedoGRACE–GrupodeReflexãoeApoioàCidadaniaEmpresarial,desde2013,em representação da Fundação Montepio. É Diretora do Gabinete de Responsabilidade Social do Montepio, desde junho 2006, Administradora Não Executiva das Residências Montepio e docente na Universidade de Aveiro e na Universidade Católica. Foi Vice-Presidente do Instituto de Reinserção Social e membro do Conselho Nacional de Saúde Mental, Mercado Social de Emprego e da Comissão Nacional para a Política da Terceira Idade. Sobre o GRACE Fundado em fevereiro de 2000, o GRACE é uma associação pioneira, sem fins lucrativos e exclusivamente dedicada à promoção da Responsabilidade Social Corporativa. Reúne mais de 130 empresas, das mais variadas dimensões e setores de atividade, empenhadas em aprofundar o papel das empresas no desenvolvimento social das pessoas e das organizações, partilhando a missão há muito assumida: refletir, promover e desenvolver a responsabilidade social corporativa em Portugal.
  • 6. 6 Painel André Dupon Presidente do Grupo Vitamine T e do Mouvement des Entrepreneurs Sociaux (MOUVES) André Dupon iniciou a sua carreira como educador especializado no trabalho com jovens em risco, sob tutela judiciária. A convite do então primeiro-ministro e presidente da Câmara Municipal de Lille, Pierre Mauroy, criou a primeira missão local de apoio a jovens. Dirigiu e dinamizou um centro social, criando uma empresa de inserção e um centro de formação. Em 1995, ingressou no Grupo Vitamine T que, em 15 anos, sob o seu impulso passou de 5 para 14 empre- sas sociais e de 600 para 2 600 empregados. André Dupon é também Presidente da Sauvegarde du Nord, uma associação com 1 500 funcionários distri- buídos por vários setores: médico-social, proteção à infância, à toxicodependência e promoção da saúde. E Presidente do Mouvement des Entrepreneurs Sociaux (Movimento dos Empreendedores Sociais). Sobre o Grupo Vitamine T É um ator de referência no setor das empresas de inserção. O Grupo Vitamine T trabalha em prol da inserção económica dos trabalhadores que encontram dificuldades no mercado do trabalho. Reúne 14 empresas especializadas nos sectores dos serviços, da economia solidária, do trabalho temporário, da limpeza e manutenção, reciclagem, agricultura biológica etc. A faturação do Grupo ronda os 50 milhões de euros anuais. Sobre o MOUVES O Movimento dos Empreendedores Sociais foi criado, em França, em 2010. Agrega 400 dirigentes de empresas sociais. A associação promove encontros entre empreendedores sociais para que possam partilhar as respetivas experiências. Procura também exercer a sua influência sobre os poderes públicos com o fim de desenvolver as empresas sociais e promover a eficácia económica ao serviço do interesse geral.
  • 7. 7 Guillaume Lefebvre Diretor de Operações do Grupo Siel Blue e Director-Geral da Siel Bleu Espanha Guillaume Lefebvre iniciou a sua carreira na Valeo North America, ingressando na PwC em 2004, onde desempenhou as funções de consultor e assessor financeiro, antes de ingressar na Siel Bleu em 2008. Como Diretor de Operações, supervisionou o lançamento da Siel Bleu na Irlanda e Espanha (onde ocupa o cargo de Diretor-Geral), e tem trabalhado na expansão europeia do sistema Siel Bleu, através de contactos e parcerias com instituições como a Comissão Europeia, Danone e governos locais. Tem um Mestrado em International Business pela Grenoble École de Management. Sobre a Siel Bleu  Com 18 anos de atividade, o Grupo Siel Bleu procura promover um modelo terapêutico que não recorre a medicamentos, acessível a todos e capaz de transformar de forma estruturante o sistema de saúde francês. A Siel Bleu acompanha diariamente mais de 80 000 pessoas fragilizadas, em França, em 3 700 instituições, e igualmente através de sessões ao domicílio. Intervém também na área da prevenção no meio empresarial. O Grupo integra igualmente um instituto de pesquisa, uma fundação e uma outra empresa, detida pela Siel Bleu, que pretende produzir material de desporto adaptado. A Siel Bleu tem atualmente 450 funcionários em França, e emprega mais 150 pessoas nas subsidiárias da Bélgica, Espanha e Irlanda. Emanuel Silva Martins Presidente do Conselho de Administração da Fundação “O Século” Formado em Gestão de Marketing e Marketing Político pela Universidade Independente. Foi deputado da Assembleia da República e vereador da Câmara de Oeiras, durante 12 anos, onde deteve o pelouro da ­Habitação Social, entre outros. Foi Presidente do Conselho de Administração da LEMO E.I.M. É um dos
  • 8. 8 fundadores da Fundação “O Século”, onde ocupou o cargo de administrador e desde julho de 2012 é Presidente do Conselho de Administração, conduzindo o processo de crescimento e modernização desta fundação. Sobre a Fundação “O Século” A Fundação “O Século” foi constituída em 1998, para dar continuidade à Colónia Balnear Infantil e à Obra Social iniciada em 1927 pelo então jornal “O Século”. Em 1999, viu reconhecido o estatuto de IPSS, na defesa dos direitos da Criança e dos cidadãos, nomeada- mente através da promoção de colónias de férias e centros de apoio social a crianças e respetivas famílias de meios desfavorecidos bem como a idosos. Atualmente, a Obra Social abarca mais de uma dezena de valências, destacando-se o ­Acolhimento de Emergência, o Apoio Alimentar e Domiciliário a idosos e pessoas carenciadas, os lares de acolhimento “Casa das Conchas” e “Casa do Mar”, a Colónia de Férias, a Loja Social, o Centro de Apoio à Família e a Creche e Jardim de Infância, o TAKE-IT, os 4 apartamentos de autonomização “Casas da Ponte” e a Cantina Social. João Magalhães Fundador e Diretor-Geral da Academia de Código CEO e cofundador da Academia de Código, João Magalhães acumulou mais de 10 anos de experiência numa consultora e num banco de investimento a colaborar com empresas, empresários e investidores em projetos de consultoria financeira e estratégica. Após a realização de um MBA no IE Business School, ­iniciou a atividade de empreendedor com vários projetos, sendo a Academia de Código dos mais recentes. Sobre a Academia de Código A Academia de Código tem como objetivo incluir aulas de programação no currículo das escolas e trans- formar as crianças e os jovens de meros utilizadores em criadores de tecnologia. Paralelamente procura suprir a falta de programadores através da requalificação de jovens que estejam desempregados ou que pretendam mudar profissionalmente para as tecnologias de informação.
  • 9. 9 A perspetiva dos investidores Mesa redonda Moderador Filipe Santos Presidente da Comissão Diretiva do Portugal Inovação Social Formado em Economia pela Universidade Nova de Lisboa, Mestre em Gestão e Estratégia Industrial pelo Instituto Superior Técnico de Lisboa, tem um doutoramento em Engenharia e Gestão pela Universidade de Stanford. Foi Professor Convidado de Empreendedorismo Social no INSEAD desde 2003 até janeiro de 2015, data a partir da qual passou a liderar a iniciativa do governo português para a dinamização do sector social, conhecida como Portugal Inovação Social. Sobre o Portugal Inovação Social O Portugal Inovação Social é a iniciativa pioneira do Governo Português para o desenvolvimento do investimento social em Portugal, formalmente constituída em dezembro de 2014. Através da canalização de uma parcela importante dos fundos estruturais europeus para o sector social - cerca de 150 milhões de euros – o Portugal Inovação Social procura dinamizar o investimento e criar condições para o desenvolvi- mento do mercado. Tem como principais objetivos coordenar programas de apoio ao financiamento para Iniciativas de Inovação e Empreendedorismo Social, através de quatro instrumentos orientados para as diferentes dimensões das entidades sociais.
  • 10. 10 Painel Christian Caye Delegado para o Desenvolvimento Sustentável da Vinci e Delegado-geral da Fundação Vinci pour la Cité Doutorado em Ciências Económicas pela Universidade de Paris I - Panthéon-Sorbonne, Christian Caye tem dedicado, nos seus trabalhos e publicações, especial atenção às questões da integração das componentes societárias, sociais e ambientais nos sistemas de produção públicos, privados ou associativos. Responsável pelo Desenvolvimento Sustentável do Grupo Vinci, tem ainda a seu cargo a dinamização da política de R&D e de Inovação. É vice-presidente do Comité 21 e administrador da associação das empresas para o ambiente e membro do conselho científico da Fabrique de la Cité – think tank sobre o tema “inventar a cidade de amanhã”. Após várias experiências profissionais em fundações internacionais, é atualmente Delegado da Fundação Vinci pour la Cité. Christian Caye participa ainda, a titulo individual, em diferentes movimentos de combate à exclusão e às discriminações. Sobre a Fondation Vinci pour la Cité Criada em 2002, a Fundação apoia projetos que respondem, apontando uma solução às dificuldades de inserção social ou profissional das pessoas mais carenciadas. A Fundação intervém a nível local através de um duplo suporte: apoio financeiro e o Voluntariado de competências, assegurado por um ou mais colabo- radores do Grupo, que quer ser um parceiro de longo prazo para as comunidades para as quais constrói e gere infraestruturas. A Fundação dá apoio a entidades que promovem a empregabilidade e o acesso a formação para públicos sem qualificação e acompanha iniciativas que zelam pela mobilidade dos públicos em situação de exclusão social ou profissional, o acesso ao alojamento etc. São apoiados, por ano, 200 projetos, o que representa um valor de doação de 2,5 milhões de euros.
  • 11. 11 Cyrille Langendorff Diretor dos Assuntos Internacionais do Crédit Coopératif Cyrille Langendorff tem um Bacharelato em Ciências de Gestão e um Master em Finança de Mercados pela Universidade Paris-Dauphine. Após quinze anos na banca de investimento – no Banco Paribas, e depois ABN AMRO Bank – integrou o Crédit Coopératif, em 2007, no âmbito da missão Finança Solidá- ria e ­Alternativa. Em 2010, passou para a Direção dos Assuntos Internacionais como chefe de projeto. Cyrille Langendorff representa o Crédit Coopératif no conselho de administração da Federação Europeia de ­Finanças e Bancos Éticos e Alternativos e está presente no Conselho de Supervisão da Microfinança Solidária. É ainda relator dos trabalhos do Comité consultivo francês sobre o Investimento de Impacto, ­presidido por Hugues Sibille. Participa ativamente na Global Alliance for Banking on Values. Sobre o Crédit Coopératif É um banco cooperativo que faz parte do grupo bancário francês BPCE. O banco exerce todas as ­atividades bancarias e é especializado no financiamento aos atores da economia social francesa (associações, ­fundações, cooperativas e mutualidades) através de uma rede de agências bancárias situadas exclusiva- mente em França. Desta forma, tem desenvolvido nos últimos 30 anos um conjunto de instrumentos finan- ceiros adaptados ao sector: o banco, por exemplo, é líder no mercado dos fundos de investimento solidário “90/10” (versão francesa dos fundos de investimentos de impacto). O vice-presidente do Crédit Coopératif, Hugues Sibille presidiu aos trabalhos do comité consultivo francês sobre o investimento de impacto social (2013/2014), assim como à delegação francesa no seio da Taskforce do G8.
  • 12. 12 Guillaume Mortelier Diretor de Estratégia e Desenvolvimento de Bpifrance Guillaume Mortelier é formado em Engenharia pela École Polytechnique e pela École Nationale des Ponts et Chaussées. Ingressou no Bpi France, em 2012, após ter trabalhado na Proparco, na área de Private Equity, e também na Astorg Partners, tendo começado a sua carreira como consultor na Bain & Company. Desde 2012 dirige o polo Desenvolvimento de CDC Entreprises e depois de BpiFrance, o Banco Público de ­Investimento. Ficou responsável pela criação de instrumentos de apoio à Economia Social e Solidária anunciados pelo Bpifrance em maio de 2013. Bpi France O Bpifrance acompanha 86 000 empresas, com financiamentos adaptados a cada fase do seu desenvol- vimento. O Bpifrance financia também o desenvolvimento da Economia Social e ­Solidária assim como a inovação social, através da disponibilização de instrumentos dedicados ao ­financiamento de empresas que respondam a necessidades sociais ou societais. O banco criou um fundo de inovação social. As suas ativi- dades de prestação de garantia foram alargadas as grandes associações. O banco criou também um fundo de investimento em cooperativas, ­recorrendo aos títulos participativos criados pela Lei da Economia Social e Solidária. Participou também na criação de fundos de investimento em entidades com forte ­impacto social. Em junho de 2015, lançou um empréstimo dedicado - o empréstimo das empresas de ESS - que ­financia prioritariamente as despesas materiais e o aumento do fundo de maneio ligados ao desenvolvimen- to da atividade. O empréstimo (entre 20 e 50 000 euros) é dado sem garantia e sempre ­acompanhado por um financiamento bancário externo.
  • 13. 13 Nuno Fernandes Thomaz Presidente do Conselho de Administração do Fundo de Bem Comum É atualmente presidente da NovaSBE (Faculdade de Economia da Universidade Nova) e administrador não executivo dos CTT - Correios de Portugal e da Luz Saúde. Desde há vários anos que é membro da direção do IPCG-Instituto Português de Corporate Governance e do Fórum para a Competitividade, tendo assumido a vice-presidência da ACEGE durante 10 anos, onde entre outras missões liderou a criação e o desenvolvimento da Sociedade Bem Comum, que gere o Fundo Bem Comum, como Presidente do Conselho de Administração. É licenciado em Direito pela Universidade Clássica. Fundo de Bem Comum O Fundo Bem Comum nasceu para dar uma oportunidade aos quadros profissionais com mais de 40 anos que, por razões etárias, foram “esquecidos” pelo mercado de trabalho, apesar de terem ainda capacidade e talento para contribuir para o desenvolvimento social do País. Com um capital inicial de 2,5 milhões de ­Euros, aplicado pelo Novo Banco, Grupo José de Mello, Caixa Geral de Depósitos, Grupo Santander e Mon- tepio Geral, o Fundo visa estimular quadros qualificados, desaproveitados por desemprego ou em situação de pré-reforma a desenvolverem projetos empresariais sustentáveis e com potencial de crescimento. O Fundo pretende assim utilizar o private equity numa função social de criação de emprego e de geração de riqueza, que promova a integração no mercado de trabalho de quadros qualificados e de outros desem- pregados, com base em empresas com elevado potencial.
  • 14. 14 Santiago Salazar Sócio e Administrador Executivo da Busy Angels Formado em Técnica Industrial, Economia, Informática e Gestão pelo Instituto Superior Técnico. Trabalhou durante 16 anos como CEO de várias empresas multinacionais. É um dos sócios e administradores execu- tivos da Busy Angels, onde acumula mais de 5 anos de trabalho na área do Capital de Risco em Portugal, como investidor business angel. Busy Angels A Busy Angels é uma empresa que detém um fundo de capital de risco, especializado no investimento de projetos com elevado potencial de crescimento. As suas áreas de portfólio contemplam os bens de ­consumo, ciências da vida, engenharia, marketplaces, serviços financeiros e TI/digital. Paula Viegas Diretora de Sustentabilidade da Caixa Geral de Depósitos Responsável pela marca, comunicação interna e design, pelo Programa Corporativo de Sustentabilidade e Sistema de Gestão Ambiental. É licenciada em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto, Mestre em Estratégia de Investimento e Internacionalização pelo ISG. Representa a CGD nas iniciativas Global Compact e UNEP FI, das Nações Unidas, nos Comités de Sustentabilidade e de Marca e Comunicação do European Savings Banks Group, no Fórum de Ética e no Conselho Consultivo de Ética, ambos da Católica Porto Business School.
  • 15. 15 Encerramento Jean-François Blarel Embaixador de França em Portugal Jean-François Blarel é diplomado pelo Instituto de Estudos Políticos e antigo aluno da Escola Nacional da Administração (ENA), Promotion Voltaire 1980. Entre 1980 e 1983, ocupou o cargo de Segundo Secretário e depois Primeiro Secretário, na Embaixada em Nova Deli. Em 2004, torna-se Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário no Vietname. Desde setembro de 2013, Jean-François Blarel é Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário em Portugal.