Eugenia uniflora L. (pitangueira):descrição do mecanismo de polinização e inferências sobre sua origem                  ev...
Eugenia L.                      Polen como recurso floral                      (assim como em outras                      ...
Biologia Floral de Eugenia uniflora L.• Flores hermafroditas;• Antese ca. 24 horas;• Pedicelo flexível;• Pétalas e sépalas...
Amadurecimento floral: pré-floração
Antese              pedicelo   perianto   deflexoestigmas
Pós-antese                 receptáculoEstigma                           perianto deflexo
Adaptações do Receptáculo e Hipanto em Myrtaceae         - Polinização vibrátil teria relação com hipanto         prolonga...
Grupos de Visitantes Mais Frequentes                             Hymenoptera           Diptera                            ...
Wilson et al.(2001)                      Polinizadores:                      Melitofilia, Cantarofilia,                   ...
Discussão• flores do tipo pólen estão presentes nas mais diversasfamílias de plantas (fato!);• provavelmente os primeiros ...
Conclusões• A oferta de pólen vincula-se a Myrtales (Lytrhaceae,Melastomataceae, Myrtaceae e etc.), precedendo Myrtaceae;•...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Eugenia uniflora (myrtaceae)

1.811 visualizações

Publicada em

Este seminário apresenta um breve estudo da biologia reprodutiva desta espécie típica da Mata Atlântica. Durante o presente trabalho não foram encontrada publicação específicas sobre a bilogia reprodutiva desta espécie.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.811
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Eugenia uniflora (myrtaceae)

  1. 1. Eugenia uniflora L. (pitangueira):descrição do mecanismo de polinização e inferências sobre sua origem evolutiva na família Myrtaceae
  2. 2. Eugenia L. Polen como recurso floral (assim como em outras Myrtaceae); importante papel na manutenção deste recurso nas restingas (Silva e Pinheiro 2007) Principalmente abelhas de tamanho médio eWilson et al.(2001) generalistas.
  3. 3. Biologia Floral de Eugenia uniflora L.• Flores hermafroditas;• Antese ca. 24 horas;• Pedicelo flexível;• Pétalas e sépalas deflexas;• Estames numerosos, terminais; flor tipo pólen• Anteras rimosas;• Estilete ultrapassa androceu;
  4. 4. Amadurecimento floral: pré-floração
  5. 5. Antese pedicelo perianto deflexoestigmas
  6. 6. Pós-antese receptáculoEstigma perianto deflexo
  7. 7. Adaptações do Receptáculo e Hipanto em Myrtaceae - Polinização vibrátil teria relação com hipanto prolongado em Myrtaceae (Proença 1992). Campomanesia velutina Myrcia linearifolia Myrcia dictiophylla Siphoneugena densifloraFonte: Proença (1992)
  8. 8. Grupos de Visitantes Mais Frequentes Hymenoptera Diptera Coleoptera (Syrphidae): (Apidae): (Oedemeridae): Ornidia obesa Trigona spinipesFontes:bugguide.netwebbee.org.brWikimedia.org
  9. 9. Wilson et al.(2001) Polinizadores: Melitofilia, Cantarofilia, Miofilia (Silva & Pinheiro 2007) Melitofilia ou Ornitofilia (Hingston & Potts 1998; Hingston, Potts & McQuillan 2004) Melitofilia, Cantarofilia, Quiropterofilia (Gupta & Kumar 1993; Hawkeswood 1993; Myerscough 1998) Melitofilia ou Ornitofilia (Coleman 2008; Kato & Kawakita 2004)
  10. 10. Discussão• flores do tipo pólen estão presentes nas mais diversasfamílias de plantas (fato!);• provavelmente os primeiros visitantes florais, no Mesozóico, jácoletavam pólen (Proctor et al. 1996);• o ancestral “mirtaleano”, de provável origem no Cretáceo, jápossuía tal sistema (Muller 1984, apud. Proença 1992);• caracteres não moleculares representam diversas homoplasias, eminúmeros clados da família Wilson et al. (2001).
  11. 11. Conclusões• A oferta de pólen vincula-se a Myrtales (Lytrhaceae,Melastomataceae, Myrtaceae e etc.), precedendo Myrtaceae;• A polinização por Apidae (presente na maior parte dos cladosem Myrtaceae) talvez possa ter contribuído para a origem deflores tipo pólen;• São necessários estudos comparativos, utilizando-se outrasferramentas complementares à morfologia, como estudosmoleculares e de Colletidae (Proença 1992).

×