Classificação dos seres vivos

14.884 visualizações

Publicada em

trabalho apresentado para disciplina de anatomia e sistemática vegetal.

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.884
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
63
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
507
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Classificação dos seres vivos

  1. 1. Classificação dos seres<br /> vivos<br />David Oliveira Rodrigues<br />Curso de bacharelado em Agronomia<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  2. 2. Classificação dos seres vivos<br /><ul><li>Por que classificar?
  3. 3. Agrupar os semelhantes;
  4. 4. Facilitar estudo.
  5. 5. Melhor compreensão;</li></ul>Carl Linnaeus<br /> (1707-1778)<br /><ul><li>Breve histórico:
  6. 6. Aristóteles;
  7. 7. Lineu;
  8. 8. Haeckel;
  9. 9. Copeland;
  10. 10. Whitacker;
  11. 11. Carl Woese:</li></ul>Aristóteles<br />(384 a.C.- 322 a.C.)<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  12. 12. Sistema de classificação em dois reinos<br />O sistema de classificação, de Aristóteles e Lineu, separava os seres em dois reinos distintos: as plantas e os animais, tendo em conta:<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  13. 13. Sistema de classificação em dois reinos<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  14. 14. Sistema de classificação em três reinos<br /><ul><li> Haeckel criou um terceiro reino a que chamou Protista e nele incluía todos os seres unicelulares e coloniais, que não tinham tecidos diferenciados. </li></ul>Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  15. 15. Sistema de classificação em quatro reinos<br />Herbert Copeland propôs Reino Monera – Seres<br />procariontes separados do Protista (eucariontes<br />unicelulares). <br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  16. 16. Sistema de classificação em cinco reinos<br />A classificação feita por Whittaker em 1969, reconhece cinco reinos: Plantae, Animalia, Fungi, Protista e Monera. Whittaker propõe inicialmente, dois critérios de classificação:<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  17. 17. Depois destes dois critérios foram acrescentados mais dois, que fizeram constituir a classificação de Whittaker (modificada). Assim o sistema passou a ter os seguintes critérios:<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  18. 18. Aspectos importantes dos reinos<br /><ul><li> Reino protista
  19. 19. No reino Protista incluem-se as algas são seres autotróficos e, portanto são produtores.</li></ul>Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  20. 20. Reino fungi<br /><ul><li>O Reino Fungi compreende os organismos eucariontes, heterotróficos que se alimentam de nutrientes absorvidos do meio, com espécies unicelulares e multicelulares formadas por filamentos denominados hifas. São conhecidos popularmente por: leveduras (fermento), bolores, mofos, cogumelos e orelha-de-pau.</li></ul>Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  21. 21. Reino Plantae<br />O  compreende seres eucariontes, pluricelulares, autotróficos, que realizam fotossíntese.<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  22. 22. Reino animália<br /><ul><li>No reino Animalia inserem-se seres que em termos de morfologia são bastante diferentes. Dos insetos, de pequena dimensão, aos mamíferos marinhos todos têm em comum a pluricelularidade, o tipo de nutrição (heterotróficos) e a interacção nos ecossistemas, as formigas integram este grupo pelo facto de serem pluricelulares e heterotróficas (ingestão).</li></ul>Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  23. 23. Outros sistemas de classificação<br />( Carl Woese )<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  24. 24. Código internacional de nomenclatura botânica (ICNB)<br /><ul><li>Segue 6 princípios:
  25. 25. A nomenclatura botânica é</li></ul>independente da zoológica e bacteriológica;<br /><ul><li>A aplicação de nomes segue regra</li></ul>específica;<br /><ul><li>A nomenclatura de um grupo</li></ul>taxonômico é baseada na<br />prioridade de publicação;<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  26. 26. Código internacional de nomenclatura botânica (ICNB)<br /><ul><li>Cada grupo pode ter um único nome</li></ul>correto segundo ICBN;<br /><ul><li> Os nomes científicos são tratados</li></ul>como nomes latinos (em latim);<br /><ul><li>As regras são retroativas à 1 de</li></ul>Maio de 1753, referente à<br />publicação SpeciesPlantarum<br />de Linnaeus.<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  27. 27. Principais regras<br /><ul><li> A espécie é a base da classificação dos seres</li></ul>vivos.<br /><ul><li> O nome da espécie e do gênero deve ser em</li></ul>latim ou latinizado e estar em destaque no<br />texto.<br /><ul><li>O nome científico é Binominal.
  28. 28. Ex: Oryza sativa
  29. 29. Ex: Triticumaestivum
  30. 30. O nome do gênero deve iniciar-se me com letra</li></ul>maiúscula.<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  31. 31. <ul><li>Escrita à mão:
  32. 32. Primeira letra maiúscula e nome sublinhado.
  33. 33. Textos eletrônicos/ à máquina:
  34. 34. Primeira letra maiúscula e nome em itálico (acrescido ou não de negrito).
  35. 35. Quando não tem certeza da espécie ou se quer</li></ul>generalizar:<br /><ul><li>Triticumsp. ou Triticumspp</li></ul>.<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  36. 36. <ul><li>Todo nome deve ser acompanhado pelo</li></ul>nome do autor da espécie, e deve aparecer<br />destacado do texto (itálico).<br /><ul><li>Ex.: Caesalpinia echinata L. (Pau-brasil)</li></ul>a. nome do gênero<br /> b. nome da espécie<br /> c. autoria<br /> L = quem descreveu (nome) a planta<br />frequentemente abreviado, Ex: Linnaeus = L. orLinn.<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  37. 37. <ul><li>A classificação é hierárquica (isto é, espécie, gênero (conj. de espécies) etc...
  38. 38. Quando uma espécie muda de gênero, o nome do autor do basiônimo (primeiro nome dado a uma espécie) deve ser citado entre parênteses, seguido pelo nome do autor que fez a nova combinação.</li></ul>•Ex.: Tabebuia alba (Cham.) Sadw.;<br />•basiônimo: TecomaalbaCham<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  39. 39. exemplo<br /><ul><li> milho.</li></ul>Reino: Plantae<br />Divisão: Magnoliophyta<br />Classe: Liliopsida<br />Ordem: Poales<br />Família: Poaceae<br />Gênero: Zea<br />Espécie: Zeamays<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  40. 40. Reino <br /> Plantae<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  41. 41. Reino Plantae<br />Características gerais:<br /><ul><li> Todos os seres incluídos no Reino Plantae são:</li></ul>• EUCARIONTES<br />• PLURICELULARES<br />• AUTÓTROFOS<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  42. 42. representantes do Reino Plantae<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  43. 43. Classificação das plantas<br />Criptógamas: órgãos reprodutores não visíveis; sem flores e sementes. <br />Pteridóftas<br />brióftas<br />Fanerógamas: órgãos reprodutores visíveis- estróbilos e flores <br />gimnospermas<br />angiospermas<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />
  44. 44. bibliografia<br />As fontes de informação que permitiram a realização deste trabalho foram:<br />Cinco Reinos - Um Guia Ilustrado dos Filos da Vida na Terra   Autor: Schwartz, Karlene V.; Margulis, Lynn   Editora:  GUANABARA KOOGAN<br />David Ussery. Biologia 101 “Uma Introdução à Vida no Planeta Terra”- Unidade 3. Aula 17. Capítulo 16 – setembro de 1999<br />Livro de Botânica 1 – 2007 prof Arlindo Costa1 CADERNO I – CLASSIFICAÇÃO DOS SERES VIVO<br /> Sites relacionados<br />http://www.cbs.dtu.dk/staff/dave/ronoke/bio1012ch20.html<br />http://www.sobiologia.com.br/.../Seres vivos/.../classifiseresvivos.p<br />http:/www.joinville.udesc.br/sbs/.../arlindo/.../CLASSIFICA__OSERESVIVOS.pdf<br />Confresa-MT 14 de junho de 2011<br />

×