Apresentação separação e préconcen

174 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
174
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Extrusora Possui uma rosca alimentadora, dotada de velocidade variável, que abastece o canhão extrusor com grãos de soja inteiros ou moídos. A ação do extrusor, empurra a soja contra os elementos restritores de fluxo, elevando a temperatura do produto e a pressão interna do canhão. O canhão é segmentado, para permitir a substituição de peças desgastadas, fundidas em liga de aço especial. Possui capacidade de processar 500 a 700 kg/hora.
  • Tipos de emulsão depende de vários fatores incluindo a fração em volume de ambas as fases, a composição das fases, tipo e concentração de emulsificantes.
  • Apresentação separação e préconcen

    1. 1. Universidade Estadual do Sudoeste da BahiaPrograma de Pós- Graduação em QuímicaGisseli Souza ValasquesProf. Dr. Valfredo AzevedoLemosFevereiro/ 2013
    2. 2. “óleo de soja é o produto obtido por prensagem mecânica e/ou extraçãopor solvente, dos grãos de soja (Gluycine max. L Merril), isento de misturasde outros óleos, gorduras ou outras matérias estranhas ao produto”(MAPA. Portaria 95/93)Fonte: http://www.sbrt.ibict.brFigura 1.0 grãos de soja2
    3. 3.  A soja (Glycine Max, Soja max ou Glycine hispida) é uma planta queé cultivada no mundo todo, e apresenta um grande valor econômico; A soja é conhecida como a planta mais antiga cultivada no planeta, éexplorada no Oriente a mais de cinco mil anos; Processo de Inoculação ; Adição de Co e Mo no cultivo da soja; Fixação biológica do nitrogênio- FBN As aplicações técnicas são de 2 a 3 g de Coe 12,1 a 30 g de Mo.Figura 2.0 Plantação de soja 3
    4. 4. Figura 3.0 Fluxograma da produção de óleo bruto e farelo de soja.Fonte: Pintro 4Grãos de SojaLimpezaExtrusãoPresagem/extração do óleoFarelo de Soja Óleo de Soja
    5. 5. 5
    6. 6. Definição: É um tipo de dispersão que apresenta umafase fragmentada (fase dispersa) dentro de uma fasecontínua. (Salager,1999); A Emulsão quando formada, apresenta uma únicafase, entretanto são termodinamicamente instáveis. Três requisitos básicos para formação das emulsões:• Existência de 3 líquidos imiscíveis;• Agitação;• Emulsificante.6
    7. 7. óleoágua óleoáguaA/O O/A A/O/Aóleoáguaágua7
    8. 8. Figura 4.0 Fotomicrografias de diferentes tipos de emulsõesFonte: Arnold e Smith, 1992 8
    9. 9. Figura 5.0 processo de quebra de emulsãoFonte: Robaina, 2012 9LD : 66 e 36 ng L-1LQ: 219 e 120 ng L-1Recuperação: 86 e115%
    10. 10.  São planejamentos usados para otimização dasproporções de componentes de um sistema Característica principal  as soma das proporções dosdiversos componentes de uma mistura é sempre 100%10
    11. 11. 11Figura 6.0 Representação gráfica do planejamento de misturas.
    12. 12.  O domínio de um planejamento de mistura para trêscomponentes é representado por um triângulo equilátero. • Os vértices do triângulorepresentam os componentespuros;• Qualquer ponto no lado representauma mistura binária;• Qualquer ponto no interior dotriângulo representa uma misturaterciária12
    13. 13.  Necessidades de definir limites: Superiores ou inferiores Apresentar delimitações no domínio experimental:• a necessidade da presença de todos os componentespara a formação de um determinado material ou para quea mistura apresente o efeito de interesse;• a incompatibilidade de algumas proporções entre oscomponentes na formação da mistura.13
    14. 14.  Óleo de soja é uma amostra bastante importante; A utilização de Co e Mo nas semestes de soja; Necessidade de efetuar a avaliação e monitoramentodesses micronutrientes; As vantagens do método; Planejamento de misturas com restrições; A técnica ICP OES.14
    15. 15. Coleta das amostras:15
    16. 16. Adição da amostra X mLAdição do Triton X – 100 + HNO3 X mLAquecimento por X minRetirar alíquota ou descartar a fase orgânicaLeitura no ICP OES16
    17. 17. Teste F e T (nível de 95%)Teste de RecuperaçãoMétodo padrão - Digestão ácida17
    18. 18.  Obter as melhores proporções dos componentes ; Obter resultados confiáveis e precisos, validando ométodo por parâmetros analíticos; publicação de artigos; participação em eventos científicos ligados a linha depesquisa.18
    19. 19. • Disponível em:http://www.cnpso.embrapa.br/producaosoja/SojanoBrasil.htm (acessadoem 17/02/2013).• Pyrzynska. F., Determination of molybdenum in environmentalsamples. Analytica Chimica Acta 590 , 40–48,2007.• CASSELA. J. R.; BRUM. D. M.; CALDAS. S.F. l.; DE PAULA. R.C.E.Multivariate optimization of the determination of zinc in diesel oilemploying a novel extraction strategy based on emulsion breaking.Analytica Chimica Acta. Pag 79 –85,2011.• ROBAINA, F.N.; BRUM.M.D.; CASSELA, J.R.; Application of theextraction induced by emulsion breaking for the determination ofchromium and manganese in edible oils by electrothermal atomicabsorption spectrometry. Talanta., v.99.Pages 104–112, 2012.• J.R. Castillo, M.S. Jiménez, L. Ebdon J. Semiquantitativesimultaneous determination of metals in olive oil using directemulsion nebulization. Anal. At. Spectrom., 14, pp. 1515–1518, 1999.19

    ×