Livro digital sebastiana e severin e book

293 visualizações

Publicada em

Uma releitura da obra de André neves, feita pelos alunos do 5ºAno A, com a colaboração das professoras Audria, Veruska, Maria José e Jalda, da Escola Municipal Brigadeiro Eduardo Gomes, Parnamirim, RN.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
293
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro digital sebastiana e severin e book

  1. 1. SEBASTIANA E SEVERINA Obra do autor e ilustrador André Neves Uma releitura feita pelos alunos do 5º Ano “A” Professora Orientadora: Áudria Eliane – Titular da Sala Professoras Colaboradoras: Veruska Granja – colaboradora do 5º Ano “B” Maria José – Mediadora de Leitura – Biblioteca Poeta Vinícius de Moraes Jalda Maria– Regente do Laboratório de Informática - Turno Matutino Na preparação da publicação digitalizada © 2015 por Laboratório de Informática da Escola Municipal Brigadeiro Eduardo Gomes Professora Regente: Jalda Maria Pinheiro Cavalcante do BLOG CYBER BRIGADEIRO DIGITAL 2015 Distribua Livremente Você tem permissão para distribuir este e-book como quiser, enviar por email, imprimir e citar partes ou todo em seu web site ou blog, desde que não altere o conteúdo e mencione as fontes originais.
  2. 2. CARO LEITOR Os livros digitais ou e-books são mídias textuais equivalentes aos clássicos impressos a que estamos acostumados - livros, jornais e revistas. Há equipamentos que leem esses arquivos cooperando para crescimento cultural. Então, “bote fé nesse home de rocha” e leia o livro dos seus coleguinhas, vice! No micro, no tablet, no iPhone , no iPad e no celular ! Obrigado.
  3. 3. Projeto de Leitura: Tema: Sebastiana e Severina passeiam pelo folclore Responsáveis: Audria, Veruska, Maria José e Jalda. Objetivo - Fazer um resgate da nossa cultura a partir da leitura da obra Sebastiana e Severina.
  4. 4. Autógrafo: Obrigado a todos os leitores que contribuíram para encantar ainda mais esta história. Com afeto, André Neves
  5. 5. Antigamente existiam muitas rendeiras no Nordeste. Era assim em Umbuzeiro. No meio dessas rendeiras vivam Sebastiana e Severina, ambas faziam rendas lindas para vender na festa de são Sebastião.
  6. 6. Se a renda acabar, por favor, não se preocupe outras podemos aprontar Vamos lá fregueses façam suas encomendas daqui a alguns meses entregamos sua renda Basta fazer o pedido sem pagar adiantado mas, depois de pronto não pense em levar fiado.
  7. 7. Depois que a festa acabava, tudo recomeçava para as comadres. Elas pegavam suas almofadas cobertas com estopa e sentavam-se numa praça atrás da igreja para rendar. - Severina! Olha o que aconteceu! Faço aqui uma rosa. Não ponteio direito, fico sempre nervosa! - Mas, Sebastiana você sempre se engana, pra fazer com jeitinho passa por cima e por baixo segurando com o dedinho. O problema não é esse! é muito pior! Passo por cima e por baixo e não consigo dar nó!
  8. 8. - Boa noite meu Senhor fique a vontade, por favor!- - Obrigado, Senhoritas. Que beleza de renda! São tão bonitas! - - Obrigada, meu senhor, fazemos todas com amor. – - Como são prendadas, deveriam procurar bom marido pra casar! - - Obrigada, meu Senhor já deixou-nos com rubor. - - Não foi a minha intenção. - - E qual foi então? - - Elogiar as belas rendas. De quem são? – Fui eu quem fiz, meu Senhor! Também faço com primor. Não vou levar agora quero algo especial venho buscar outra hora.
  9. 9. Sebastiana e Severina, como quaisquer outras mulheres tinham um sonho de casar. Certo ano houve uma festa, festa de São Sebastião. Chico naquele dia veio a festa para passar a noite toda. Era um homem muito bonito, alto, inteligente e rico. Houve um boato que transformou o rapaz num alvo fácil para os vendedores. Ele comprou de tudo, cachaça, Montilha, farinha etc. Chico escutou a malícia das rendeiras.
  10. 10. À medida que Chico se afastava elas ficavam impressionadas com sua simpatia e começaram a brigar por causa dele. - Quero casar de véu e grinalda. Que seja um casamento bonito. Que encante o corpo e a alma, pois já arranjei pretendente. - Sebastiana, minha querida, acha que se engana. Se estiver pensando em Chico, creio que será mau marido. - - Você revelou-se sabida mostrou sua renda mais bonita, porém seus pontos são fracos parece material barato. - Você também foi esperta também se mostrou sabida, mas, acho que ele não gosta é de mulher enxerida.
  11. 11. Sebastiana e Severina estavam rendando quando, de repente, na outra margem do açude surgiu o forasteiro Chico. Quando ele avistou as rendeiras, gentilmente acenou com a mão fazendo-as suspirar e sussurrar baixinho. Dá-me tua mão meu amor, dela fará bela renda com todo esplendor para conquistar teu coração com todo meu ardor. Sebastiana escutou as súplicas de Severina, e também revelou seus sentimentos: - Que você certeza tenha aqui estou na tua frente com meu pano de renda a espera da proposta que de tua boca venha. – Severina falou mais forte: - Farei a renda mais bonita e no dia de São Sebastião a entregarei.
  12. 12. Assim, conquistarei teu coração Não haverá pessoa no mundo para impedir nossa paixão. – Sebastiana replicou: Com todo sentimento vou rendar para presentear meu querido. Ele formalizará nossa união ao olhar o belo bordado no dia de São Sebastião. –
  13. 13. Sebastiana, descontraída, ficou mais a vontade. Agora só precisava saber para conquistar o que queria. Na véspera de São Sebastião escreva o nome do sujeito do lado onde fica o coração. Santo Antônio é casamenteiro conhecido no sertão. Faça uma prece peça perdão, pois quem vai lhe ajudar é o nosso padroeiro mártir são Sebastião. Faça uma prece peça perdão, pois que vai lhe ajudar é o nosso padroeiro mártir são Sebastião. - É só isso? Não? Bote as imagens dos dois santos juntos, reze dez Pai Nosso e dez Ave-Marias vai fazer o pedido com muita alegria.
  14. 14. É mais fácil do que eu pensei! Mas, não é só isso. Pegue um caldeirão, bote dez rabos de cavalo, dez cabeças de alho, dez pus de furúnculo e dez unhas podres.
  15. 15. Sebastiana saiu animadíssima e preocupada para conseguir os ingredientes que São Sebastião precisava. Aquela altura, Severina já havia achado todos os ingredientes e foi correndo preparar aquela mistura monstruosa. Ela só esqueceu as dez unhas podres, mas, ela colocou em troca pôs dez chicletes mastigados. Ferveu e tomou dez goles. No primeiro gole, ela arrotou e quase voou. Com a mistura tinha gosto pavoroso! Depois lavou cuidadosamente, sua renda no quintal, botando para secar no varal.
  16. 16. Chegou o dia de São Sebastião. As rendeiras chegaram a casa de Dona Zefinha, ao mesmo tempo em que levava esperança no pensamento e Chico no coração. Olharam-se e ficaram tristes e envergonhadas. Estavam olho a olho, na frente da casa da feiticeira. Foi aí que perceberam haviam procurado ajuda de forças sobrenaturais para arranjar marido. Fingindo não dar importância ao encontro, bateram boca. Chamaram... Vasculharam em todo canto, e nada de Dona Zefinha aparecer.
  17. 17. Mas, Dona Zefinha estava só enganando as duas porque sabia que Chico gostava muito de rendas. Ele pretendia roubar as rendas de Sebastiana para exibir às margens do açude. Enquanto se balançava, a corda do balanço quebrou e Dona Zefinha morreu afogada, segurando as rendas. Chico foi pegar as rendas e também se afogou, morrendo junto com Dona Zefinha. Chico foi pegar as rendas e também se afogou, morrendo junto com Dona Zefinha. Sebastiana e Severina fizeram as pazes, e dois anos depois se casaram com outros forasteiros que chegaram a Umbuzeiro. E viveram felizes para sempre.
  18. 18. Sobre o Autor Fonte: http://pedagogiaufcg.blogspot.com.br/2013/08/biografia-do-escritor-e-ilustrador.html - pesquisa realizada em 24 de agosto de 2015 André Neves BIOGRAFIA André Neves nasceu em Recife e mora em Porto Alegre, onde tra- balha pesquisando, escrevendo e ilustrando livros infantis. Formado em Rela- ções Públicas e em Artes Plásticas, que começou a estudar em 1995. Desde en- tão, atua como escritor e ilustrador de suas obras e de outros autores. É arte- educador e promove palestras e oficinas sobre Literatura Infantil e Juvenil. Desde 1998, vem desenvolvendo trabalhos como autor, ilustrador e arte-educador. Participou do curso de ilustração para infância em Sarmede, na Itália. Em 2002, seu trabalho como ilustrador do livro “Sebastiana e Seve- rina” foi selecionado para a mostra itinerante “XX Mostra Internazionale d’ Illustrazione per I’infanzia Stepan Zavrel” na Itália, onde percorreu várias ci- dades para colorir os olhos de muitas crianças. Pelos seus trabalhos, foi agra- ciado pela FNILJ – Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil com o Prêmio Luis Jardim (Melhor Livro de Imagem) e recebeu menções de “Alta- mente Recomendável” Depois de formado, André Neves viaja por todo o Brasil para desen- volver sua verdadeira paixão: desenhar para crianças.
  19. 19. Fim

×