A Igreja e a Aids

571 visualizações

Publicada em

Homenagem aos milhares de católicos que anonimamente doam sua vida pelos irmãos...

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
571
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • PUBLICADO EN FECHA 02.04.2009
  • Pasalo……
  • A Igreja e a Aids

    1. 1. A Igreja e a AIDS
    2. 2. Onde quer que haja um hospital dedicado à AIDS, tanto na África como na Ásia ou na América Latina, também na Europa, são monjas e padres católicos os que estão à cabeceira da cama para atender os doentes.
    3. 3. Por motivo de trabalho profissional, percorri mais de cem países. Leprosários em todo o mundo, recantos para idosos terminais, hospitais para doentes infecciosos, só há um e com missionárias e missionários católicos. Essa é a pura verdade.
    4. 4. Nunca encontrei nesses lugares um só comunista militante, um desses manifestantes que vociferam contra a Igreja. Os missionários e missionárias permanecem à margem dos cartazes e dos discursos políticos. Derramam seu amor sobre os leprosos, os aidéticos, os doentes terminais, os idosos sem teto, os desfavorecidos e desamparados.
    5. 5. Mesmo assim, todos os profissionais do jornalismo, sabemos que quando ocorre uma tragédia do tipo das que ocorrem no terceiro mundo, encontraremos com certeza uma missionária ou um missionário espanhóis, que exercem seu ministério nos lugares mais miseráveis. Nunca falham, essa é a realidade.
    6. 6. José Luis Rodríguez Zapatero, para dar uma lição à Igreja Católica, decidiu presentear a África com um milhão de preservativos pagos através dos impostos com que sangra os cidadãos espanhóis.
    7. 7. Quantos militantes do Partido Socialista Obrero Español - PSOE , encabeçados por Bibiana Aído, vai enviar para que sejam instalados durante dez anos nos hospitais especializados em AIDS, para que convivam com os doentes, os atendam, lhes deem de comer, os higienizem, os acompanhem?
    8. 8. O Papa instalou na África enferma, muitos milhares de monjas e padres, de missionários e missionárias. Obras são amor. Essa é a diferença entre os que vociferam e os que derramam carinho e atenções.
    9. 9. Em janeiro de 1967, conheci Teresa de Calcutá, quando ainda não alcançara a celebridade. Passei um dia com ela visitando seus hangares para enfermos terminais. Escutei com atenção o que me dizia.
    10. 10. Foi uma lição de quem sabia melhor que ninguém no que consiste as terras duras da fome, o mundo dos desfavorecidos profundos. Soube que estava falando com uma santa. E assim o escrevi.
    11. 11. Pois bem, no inferno africano, nas cidades esterqueiras da África, nos povoados de escombros da Ásia, nas favelas brasileiras ou nos paupérrimos povoados peruanos, trabalham para os mais pobres, para os mais desfavorecidos, milhares e milhares de teresitas de Calcuta.
    12. 12. O Papa crê que a melhor forma de combater a AIDS na África é a monogamia e a fidelidade. Não levou em conta que as negrinhas estão maravilhosas e o difícil que é para os negros - politeístas e polígamos , ante o espetáculo de tanta beleza e atração, praticarem a virtude da monogamia.
    13. 13. Entretanto, ironias à parte, os que combatem a AIDS na África são as missionárias, os missionários católicos.
    14. 14. Escutei em uma transmissão de rádio, um simpático homosexual falar muito mal do Papa e também contra a Iglesia.
    15. 15. Resolvi lhe esclarecer: “ Dizem que a AIDS está especialmente expandida entre os homosexuais mesmo que já afete os heterosexuais. Certamente você nunca ficará doente. Mas tenha a certeza de que se ficar, quem o atenderá com amor e dedicação no hospital será uma monja católica”
    16. 16. Ficou calado e o simpático gay e os participantes da tertúlia se apressaram em mudar de tema.
    17. 17. Luis María Ansón Membro da Real Academia Espanhola Publicada em 02/04/2009
    18. 18. Por ocasião da visita do Papa à África, a imprensa mundial deturpou o sentido de suas palavras. São muitos os que se dedicaram a atacar sistematicamente a Igreja Católica. Tudo lhes é válido, como argumento, na tentativa de desprestigiar os seguidores de Cristo, sem querer reconhecer o trabalho que, durante vinte séculos, estão fazendo no mundo os discípulos daquele pequeno grupo de Apóstolos. Hoje, no mundo inteiro, monjas e padres católicos estão atendendo os mais miseráveis, sofridos e enfermos. Antes era o tifo ou a lepra. Agora é a AIDS. Sem distinção de país, raça ou religião, são religiosos católicos os que estão na primeira linha, em silêncio, sem câmaras de Tv. junto àqueles que mais precisam de ajuda. Publicado em 02/04/2009.
    19. 19. Encaminhe-a…

    ×