História 40

                               AGRADECIMENTO DA BICHOLÂNDIA
                                   Tema- DEUS e B...
_Puxa e nós que nunca pensamos nisso? Espere! Levarei a macacada toda, para orar e
agradecer também. Vamos agradecer os ca...
Daí a pouco, a superfície das águas encheu-se de peixes de vários tamanhos e cores. Era o
dourado, o bagre, o pintado e um...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

16917645 Espiritismo Infantil Historia 40

666 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Diversão e humor
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
666
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
140
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

16917645 Espiritismo Infantil Historia 40

  1. 1. História 40 AGRADECIMENTO DA BICHOLÂNDIA Tema- DEUS e BONDADE. Em certa manhã toda ouro e azul o coelhinho acordou alegre. Abriu a janela de sua casa e viu o dia claro, o céu azul e as árvores verdejantes. Pôs-se a cantar. Música: Abre a janela Maria que é dia Abri minha janela ao amanhecer, A Terra toda bela me fez reconhecer, De Deus a bondade e quero agradecer, Toda a felicidade que sinto de viver. Um bem-te-vi ouvi-o e disse: _Coelhinho porque tanta alegria? Neste belo dia? O coelhinho falou: _Vou saltando até a clareira do bosque, agradecer a Deus este belo dia ( sol, ar, chuva, perfume, etc.). O bem-te-vi gorjeou: _Eu não havia pensado nisso. Espere, eu vou também agradecer o ar, o espaço azul, onde voam e pipilam milhões de passarinhos. E lá se foram pela estrada, um pulando outro voando e cantando. CANTO: Abri minha janela ao amanhecer, A terra toda bela me fez reconhecer, De Deus a bondade e quero agradecer, Toda a felicidade que sinto de viver. Daí a pouco encontraram a família do macaco. Seu macaco, dona macaca e o filhote macaquinho que vinha comendo uma banana. Estes perguntaram a razão de tanta alegria. O coelhinho gritou: _Vamos saltando até a clareira do bosque, agradecer a Deus as plantas verdejantes, o sol, a chuva, o perfume do ar, claridade da lua, o brilho das estrelas e tantas coisas mais. O macaco guinchou: 1
  2. 2. _Puxa e nós que nunca pensamos nisso? Espere! Levarei a macacada toda, para orar e agradecer também. Vamos agradecer os cachos de bananas maduras e douradas que nos oferece o enorme bananal. E lá se foi o grupo todo, cantando alegremente. Abri minha janela ao amanhecer.............. Dormindo sob uns arbustos, o jabuti, acordou sobressaltado. Esticou a engraçada cabeça para fora do casco e perguntou: _Que há? O coelhinho gritou: _Vamos saltando até a clareira do bosque agradecer a Deus o mundo em que moramos. E o jabuti, pediu: _Vamos mais devagar! Preciso acompanha-los. Quero dizer a Deus quanto boa é a minha casa, sob meu casco forte. Fico bem protegido da chuva e do frio. Mais adiante encontraram outros bichos que também quiseram saber a razão de tanta alegria. A beira de uma lagoa, patos, marrecos e cisnes ouviram o canto maravilhoso e perguntaram o que havia. O coelhinho respondeu: _Vamos saltando até a clareira do bosque agradecer a Deus, as flores perfumadas, o ar que respiramos, o sol que nos aquece, o orvalho da noite, os frutos dos pomares e tantas coisas mais. Então disseram as aves: _Esperem, também vamos agradecer a Deus esta lagoa azul de águas cristalinas! Os sapos, as rãs, e pererecas ouviram a conversa e se incorporaram ao grupo. E o festivo bando, saiu a cantar: Abri minha janela ao amanhecer, A Terra toda bela me fez reconhecer, De Deus a bondade e quero agradecer, Esta felicidade que sinto de viver. No regato sinuoso, peixes ouviram a prosa e disseram: _Nós vamos também nadando até a clareira do bosque, agradecer a Deus este riacho, de águas claras e frescas. 2
  3. 3. Daí a pouco, a superfície das águas encheu-se de peixes de vários tamanhos e cores. Era o dourado, o bagre, o pintado e uma porção de lambaris. Nadavam e acompanhavam o belo canto. De baixo da terra saíram minhocas curiosas que perguntavam: _Porque tanto barulho! _Vamos até a clareira, agradecer a Deus tanta bondade. As minhocas juntaram-se e disseram: _Vamos também, agradecer a Deus a terra quente que nos proporciona moradia. E durante a campanha, milhares de insetos uniram-se a eles. Foram agradecer as folhas verdes do tenro broto, e a bela primavera. E da terra, das águas, do ar partia o canto alegre. Abri minha janela ao amanhecer, A terra toda bela me fez reconhecer, De Deus a bondade e quero agradecer, Toda felicidade que sinto de viver. E assim todos os animais daquela floresta, juntaram-se na clareira, para agradecer ao CRIADOR, os dons recebidos. Verdadeira orquestra se elevou no espaço até chegar ao Céu. Um solo foi feito pela cigarra, outro pelo sabiá que cantava maravilhosamente. E a bicholândia fazia o mais estranho coro que se possa imaginar. Os pássaros gorjeavam, macacos guinchavam, patos grasnavam, sapos coaxavam, abelhas zuniam. Até uma orquestra foi arranjada às pressas. Foi um estranho conserto e, certamente, o que mais agradou a DEUS NOSSO SENHOR! E vocês sabem porque? Porque reconheceram em tudo, a PRESENÇA E A BONDADE DE DEUS. FIM Voltar 3

×