1a. Circular - 8a. Semana de Geografia da Unesp-Ourinhos                              2012Data: 29/10-01/11/2012 (segunda ...
reflexão geográfica sempre se alicerçou na interdisciplinaridade, no pensamento e na ação,buscando interfaces com os mais ...
Programação das atividades:Horário/Dia     29/10                  30/10                  31/10                  01/11     ...
Envio de trabalhosOs trabalhos enviados serão apresentados exclusivamente na forma oral em "Espaços deDiálogos e Práticas"...
Os textos devem conter: Resumo em Português                  (Fonte 10, Justificado, sem recuo e sem espaço               ...
subjacentes ao movimento de modernização e transformação. Face ao principal objetivo dodesenvolvimento, várias concepções ...
Tema 3 - Desenvolvimento e espaços urbanos e ruraisA diversidade de projetos e ações de desenvolvimento territorial reconh...
Tema 5 - Desenvolvimento, geopolítica e representações espaciaisQuando tratamos de desenvolvimento e território estamos ex...
MODELO DE FICHA DE INSCRIÇÃONome completoInstituição e cursoCPF e RGVai apresentar trabalho?Deseja participar de minicurso...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

8ª Semana de Geografia da Unesp

591 visualizações

Publicada em

1a. Circular

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
591
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
156
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

8ª Semana de Geografia da Unesp

  1. 1. 1a. Circular - 8a. Semana de Geografia da Unesp-Ourinhos 2012Data: 29/10-01/11/2012 (segunda a quinta-feira)Inscrições e envio de trabalhos: Pelo email semanageoourinhos@gmail.com, enviandoem anexo a ficha de inscrição preenchida (Na última página). A confirmação departicipação se dará no credenciamento, dia 29/10, das 9:00-17:00, mediante pagamento detaxa de inscrição de R$ 10,00.Ementa Geral: A Semana de Geografia da Unesp-Ourinhos consolida-se gradativamentecomo um evento de formação de forte impacto local e regional, reunindo a comunidadeacadêmica e não-acadêmica interessada em debater sobre a influência da geografia nasociedade. A Semana desse ano, a oitava edição, vai oferecer atividades em quatro dias eem três períodos, se estruturando em conferências, mesas redondas, minicursos, oficinas,espaços de diálogos e práticas para apresentação de artigos, exposições, trabalhos de campoe eventos culturais diversos. O eixo central de discussão será o tema "desenvolvimento". Apalavra desenvolvimento designa crescimento ou expansão gradual, a passagem de umestádio inferior a um estádio mais aperfeiçoado, adiantamento, progresso. No século XXdiversas concepções de desenvolvimento tomaram conta da análise política, social eespacial. Desenvolvimento econômico, desenvolvimento tecnológico, subdesenvolvimento,desenvolvimento regional, desenvolvimento local, desenvolvimento sustentável,desenvolvimento humano. Nesse sentido, qual é a contribuição da Geografia ao debate. A
  2. 2. reflexão geográfica sempre se alicerçou na interdisciplinaridade, no pensamento e na ação,buscando interfaces com os mais variados campos de conhecimento sobre a natureza esociedade. Assim, o olhar da ciência geográfica se pauta na observância dos diversosprocessos econômicos, sociais e ambientais, instrumentalizados pela política, que tomamposse, delimitam e constroem/desconstroem territórios, em diversas escalas, do local aoglobal. Diante de grandes movimentos recentes de governança socioambiental e decrescimento econômico sediados no Brasil, como o saber geográfico pode ser mobilizadopara explicar e oferecer alternativas para a construção de um modelo de desenvolvimentomais humano e solidário?Comissão organizadora:Prof. Dr. Lucas Labigalini FuiniProf. Dr. Marcelo Dornellis CarvalhalConselho de CursoDiretoria ExecutivaComissão de apoio:EmpGeo (Empresa Jr.)Grupo PETCACUO (Cursinho Comunitário)Alunos do Curso de GeografiaPatrocínio e apoio:FundunespPROEXVunespAtividades previstas:Conferência noturna com 1 docente convidado e 1 debatedor da unidadeMinicursos (período da manhã/tarde)Oficinas (período da manhã/tarde)Exposição de fotografias retrospectivas do evento (manhã/tarde-Exposição)Concurso de fotografias (manhã/tarde-Exposição)Exposição dos projetos de extensão/pesquisa (manhã/tarde-Exposição)Espaços de diálogos e práticas (Orais- segunda/terça - Tarde)Trabalho de campo (quinta-feira-manhã e tarde)
  3. 3. Programação das atividades:Horário/Dia 29/10 30/10 31/10 01/11 Atividades permanentes com monitorias (manhã/tarde)Manhã (8:00- Credenciamento Minicursos/Oficinas Minicursos/Oficinas Trabalho de campo (4012:00) (4/6 horas-40 vagas (4/6/8 horas-40 vagas): cada) vagas cada) (9:00) 3- 1 - Economia solidária Webcartography: e desenvolvimento: O 1 – Por uma Prof. Dr. Arlete exemplo da geografia da Meneghete ReciclaOurinhos música: Prof. Msc. (UNESP-PP) INCOP-UNESP Lucas Panitz 4 – O ensino de (UFRGS) Geografia com materiais 2 – Sketchup: recicláveis (Prof. Modelagem em Dr. José Camilo Geografia – Ramos de Souza- Prof. Dr. Arlete USP) Meneghete 5 – África em (UNESP-PP) livros didáticos Exposição (Prof. Dr. fotográfica- Rosemberg história do Ferracini- Evento USP/UNESP) Exposição deAlmoço Almoço Almoço Almoço Almoço projetos deTarde (14:00- Credenciamento 15:00-18:00 - EDPs 3- Continuação do TC extensão e18:00) (orais) Webcartography: pesquisa Prof. Dr. Arlete 15:00-17:00 Meneghete Palestra com o Prof. Concurso (UNESP-PP) Dr. Paulo de Tarso P. “Geofotografias”, 15:00-18:00 - EDPs Leite de Moraes com curadoria da (orais) (Etapas do Prof.a Dr.a desenvolvimento do Marcilene dos capitalismo agrário e a Santos (UNESP- teoria leninista) Ourinhos)Interturno Atividades culturais Atividades culturais Atividades culturais Atividades culturais(18:30-19:30) (Coral-Escola (Batucada/Unesp) (Banda MPB- (Banda Rock n municipal de música) Samba/Unesp) roll/Unesp)Noite (19:30- Mesa de Abertura: “Desenvolvimento "Desenvolvimento, "Desenvolvimento e22:30) "O olhar geográfico e meio ambiente” e território" espaços urbanos rurais" sobre o desenvolvimento" Nomes: Prof. Dr. Nomes: Prof.a Dr.a Nomes: Nomes: Luís B. Molion Adriana Renata Prof. Dr. Roberto Prof. Dr. Jorge (UFAL) Verdi (IEA- Braga (Unesp-Rio Montenegro Gomez Secretária de Claro) (UFPR) Mediadores: Prof. Agricultura) Dr. Jonas Teixeira 21:30-22:00 - Nery Mediadores: Prof. Mediadores: Prof. Dr. Mediação e questões: Dr. Lucas Luciano Antônio Prof. Dr. Marcelo Labigalini Fuini Furini D. Carvalhal_______________________________________________________
  4. 4. Envio de trabalhosOs trabalhos enviados serão apresentados exclusivamente na forma oral em "Espaços deDiálogos e Práticas", coordenados por docentes da unidade. A avaliação dos artigosatenderá ao sistema de avaliação por pares utilizado em revistas científicas.O proponente deverá enviar o artigo completo até 01/10/2012 para o emailsemanageoourinhos@gmail.com, com a ficha de inscrição em anexo.Segue abaixo as normas para redação do artigo: Nº de Máximo 10 p. / Mínimo 7 p. páginas Tipo de .doc (Word) arquivo Fonte Arial, tamanho 12, justificado. Espaçamento 1,5 linhas maiúsculo, negrito, fonte Arial, tamanho 14, Título centralizado. fonte Arial, tamanho 12, lado direito da folha, com Autores as devidas identificações (instituição e endereço eletrônico) Subitens Minúsculas e negrito superior e esquerda 3,0 cm; inferior e direita 2,0 Margens: cm; papel A4.
  5. 5. Os textos devem conter: Resumo em Português (Fonte 10, Justificado, sem recuo e sem espaço entre linhas, máximo de 200 palavras), Introdução, Objetivos, Metodologia do trabalho, Resultados (parciais ou finais), Considerações Finais e Referências bibliográficas (segundo as normas da ABNT). Orientações gerais Os nomes dos orientadores devem comparecer em nota de rodapé, com indicação no título do trabalho. Serão aceitos no máximo 2 trabalhos por autor. (A revisão ortográfico-gramatical é responsabilidade dos autores) Data de Até 01 de Outubro envio 22 de Outubro no site do evento e por email aos Divulgação autores (www.ourinhos.unesp.br). Os trabalhados dos aceites aceitos serão publicados nos anais do evento com ISSN. Endereço para envio semanageoourinhos@gmail.com_______________________________________________________Ementas: Semana da GeografiaTema 1 - Desenvolvimento e territórioA questão do desenvolvimento é uma das temáticas de maior exploração e polêmica nasciências humanas e sociais. Em termos gerais, o desenvolvimento é tratado como umprocesso concomitante de expansão da renda per capita e do PIB associado à reformasestruturais que contemplem melhor distribuição de recursos, investimentos e oportunidadeseconômicas, sociais e tecnológicas entre segmentos da atividade econômica, classes sociais,países e regiões. Em termos práticos, o desenvolvimento se realiza em determinadosterritórios nacionais ou subnacionais, dependendo fortemente de estímulos público-estataise das estratégias do setor privado. Portanto, as diferentes modalidades de desenvolvimentoexpressas atualmente no Brasil refletem as diferentes territorializações locais, regionais enacionais do capital nacional e internacional a procura dos melhores sítios para instalação eobtenção de maior produtividade e competitividade inter-territorial. Nesse sentido, o Estadoatua como viabilizador desses investimentos, promovendo externalidades e infra-estruturasnecessárias à fluidez dos trocas comerciais e financeiras, ou pode também atuar no sentidode capacitar, incitar e auxiliar tecnicamente a sociedade civil e a comunidade para gerirem,controlarem e organizarem o processo de desenvolvimento regional e local conforme suasnecessidades e prioridades, pensando sobre o mundo do trabalho e as relações de emprego
  6. 6. subjacentes ao movimento de modernização e transformação. Face ao principal objetivo dodesenvolvimento, várias concepções e reflexões surgiram historicamente buscando revelaras contradições e inovações do desenvolvimento, ora como desenvolvimento econômico,ora como desenvolvimento regional, desenvolvimento humano, subdesenvolvimento,desenvolvimento local, desenvolvimento endógeno, desenvolvimento como liberdade, entretantas. Fugindo aos modismos e extremos, nos propomos neste evento a realizar umaretomada analítica da categoria geográfica de "território" e pensá-la como parte integrante,funcional e essencial do desenvolvimento, em suas diversas escalas, e também dodesenvolvimento que queremos ou gostaríamos que ocorresse? Nesse sentido, o territóriopode ser visto tanto como recurso, ator ou como contexto do desenvolvimento, e nessesaspectos, trata-se sempre de uma relação mediada por poderes e hierarquias, conflitos einteresses, cooperação e concorrência. Afinal, quando pensamos em "desenvolvimentoterritorial" e suas diversas manifestações no tempo e no espaço, qual é a nossa reflexão,posição e interesse sobre o "desenvolvimento", considerando que a Universidade é tambémum ator social de extrema relevância na constituição desse jogo de relações ao qualchamamos de "território"?Tema 2 - Desenvolvimento e meio ambienteNa história recente do Brasil, os grandes projetos de desenvolvimento nacional deixarammarcas indeléveis em nossa paisagem, modificando relevos, vegetações, cursos dágua e opróprio modo de vida de muitas comunidade tradicionais intrinsecamente dependentes domeio ecológico, em diferentes escalas de impactos, do global até o local. Em contrapartida,o desenvolvimento recente trouxe à tona também um Brasil urbano e industrial, comexpansão de cidades metrópoles e de porte médio e do mercado de consumo e de trabalho,colocando em tese a harmonia do meio ambiente e as diferentes faces da preservação econversação ambientais diante do aumento contínuo dos desmatamentos, intervenções,substituições e modificações. Considerando o território já como segunda natureza, comomeio técnico modificado pelas ações antrópicas, retomamos a discussão sobre as interfacesentre desenvolvimento e meio ambiente, permeadas pelas realidades territoriais, epropomos um debate mais amplo sobre o desenvolvimento sustentável, fugindo dediscursos fechados como o do "economicismo", que vê a natureza como simples recurso emercadoria, e do "ambientalismo", a pensar em uma natureza harmônica sem impactossociais. Nesse debate, faz-se oportuno ponderar sobre as ideologias, interesses e conflitospostos em ação ao tratarmos de modelos de desenvolvimento e dos atores públicos,privados e da sociedade civil que interagem e se posicionam sobre o meio ambiente,tornando as práticas sociais como exemplos cabais daquilo que se quer e se julgasustentável ou insustentável. Lemas, gritos de guerra e chavões se colocam no debate;"preservar a Amazônia e o Pantanal", "conter o agronegócio", "cobrar pelo acesso à água","usar energia eólica e solar", "cobrar pedágio e reforçar o rodízio de veículos", "incitarempresas à responsabilidade socioambiental", "reflorestar", entre tantos motivos que vem areforçar as seguintes problemáticas: a geração de renda é contraditória ou complementar àessas questões; devemos frear o desenvolvimento econômico pautado na sociedade deconsumo ou devemos expandi-lo como ferramenta de inserção social? E a Universidade, éum contexto de discussões e práticas sobre os problemas socioambientais? Eis o debate, eissuas questões.
  7. 7. Tema 3 - Desenvolvimento e espaços urbanos e ruraisA diversidade de projetos e ações de desenvolvimento territorial reconhecem como seuslócus de reprodução privilegiados os espaços urbanos e rurais, bem como as interfaces entreesses dois conjuntos de relações sociais, econômicas e culturais. Recentemente, tem-se atendência em aceitar na reflexão acadêmica que o desenvolvimento rural seria meroapêndice do desenvolvimento das cidades, sendo que as produções e reproduções sociais ede poder nos espaços rurais seriam fruto da lógica de ação de atores territoriais localizadosno urbano. Consideramos que o urbano e o rural constituem universos que interagem dentroda uma mesma lógica do desenvolvimento interdependente, mas que apresentam suasespecificidades associadas às implantações econômicas, e sobretudo, à organização social ecultural neles contidas. Nesse sentido, a perspectiva de análise do desenvolvimento regionale local coloca em evidência espaços urbanos e rurais que crescem e se dinamizameconômica e tecnologicamente, pari passu, a espaços estagnados e empobrecidos. Essaproblemática nos coloca o desafio de pensar em um projeto de desenvolvimento nacionalintegrado e sensível às realidades do urbano e do rural, fazendo salientar o papel dosgovernos nacional, estadual e municipal, da iniciativa privada, dos sindicatos e associaçõese da Universidade nesse pensar e fazer que tornem o urbano e rural eixos de uma mesmadinâmica de desenvolvimento em perspectiva multiescalar e multitemática.Tema 4 - Desenvolvimento, educação e culturaA educação visa um processo de transformação da sociedade e é condição especial para aevolução econômica de um país. Saberes, habilidades e competências são construídos noperíodo escolar e atendem aos objetivos de se formar seres trabalhadores e cidadãos críticose conscientes para intervirem na sociedade, na política e na economia. A Geografia comomatéria escolar, pensa a Escola, e esta por sua vez também pensa, reproduz e transforma aGeografia como área do conhecimento científico e educacional. O desenvolvimento em suaperspectiva territorial pode reforçar o papel da educação, como mera reprodutora daspráticas sociais e espaciais vigentes, ou, pelo contrário, como ambiente para se pensar odesenvolvimento e modificá-lo. Não obstante, se lida na escola com a cultura, aqueleconjunto de símbolos, signos, valores, hábitos, crenças e instrumentos que dão identidade aum povo em suas práticas territoriais. As práticas culturais inerentes à formação do povobrasileiro têm sido desprezadas nas estratégias de desenvolvimento econômico de cunhotecnocrático, cujo planejamento estatal foi e têm sido um meio bastante eficaz de suaaplicação. No entanto, é difícil pensar em desenvolvimento local, regional ou nacionalpleno se não considerarmos as especificidades culturais impregnadas em diferentesterritorialidades de modos de vida, de fazer, de agir e de produzir, pois estaríamos tolhendodo desenvolvimento algo que lhe é mais valioso: as potencialidades e oportunidades de seexpressar a riqueza econômica, social e cultural de cada território. E nesse sentido, a escola,a Universidade e a educação caminham lado a lado como referenciais de umdesenvolvimento pela diversidade, de um desenvolvimento que seja manifestação daformação histórica e territorial de nosso povo e seja reflexo das práticas e representaçõescotidianas de nossa identidade. Estamos caminhando nesse sentido, ou em outro diferente?
  8. 8. Tema 5 - Desenvolvimento, geopolítica e representações espaciaisQuando tratamos de desenvolvimento e território estamos explorando cenários e eventosmarcados por relações de poder, por determinados interesses geopolíticos. Essasmanifestações de poder político e econômico envolvem atores sociais que controlamrecursos e organizam fluxos, sendo os principais; o Estado e as grandes empresas. Essesatores descrevem formas de organização territorial marcadas por ideologias, visões demundo que definem os rumos e contornos do desenvolvimento. A sociedade que habita o"espaço banal" se vê presa em tais controles e contenções territoriais, haja vista que têmpequeno controle e poder econômico. A Cartografia nos traz, por sua vez, representaçõesespaciais que evidenciam intenções e ideologias territoriais: do pesquisador, em suafinalidade de melhor conhecer e entender os processos socioeconômicos e ambientais; doeducando e da escola, buscando localizar lugares e fenômenos e estabelecer relações ecomparações no e pelo espaço; do cidadão e aluno com necessidades especiais, buscandoexplorar pelos sentidos as paisagens e o mundo que os cerca; do Estado, com finalidades deplanejamento e ordenamento de investimentos entre regiões marcadas pela desigualdadecombinada; e por fim, da empresa, buscando conhecer a distribuição de pessoas e recursosde capital, para entender o mercado, suas demandas e oportunidades de lucro. O mapa, aimagem de satélite e a maquete aparecem como técnicas e produtos atrelados à determinadaformação sócio-espacial, sendo passíveis de usos que reforcem os controles territoriaispúblicos e privados, ou que promovam a liberdade e consciência crítica no uso dainformação e na produção de conhecimentos pela promoção da solidariedade social. Comopensar, neste sentido, a geopolítica e a cartografia sob o "enredo" do desenvolvimento?
  9. 9. MODELO DE FICHA DE INSCRIÇÃONome completoInstituição e cursoCPF e RGVai apresentar trabalho?Deseja participar de minicurso? Qual (Ver número na programação)?Deseja participar de oficina? Qual (Ver número na programação)?Deseja participar do trabalho de campo? Qual (Ver número na programação)?OBS: A obtenção de certificados de participação, de participação emminicurso/oficina e trabalho de campo e de apresentação de trabalho dependerá dopagamento da taxa de inscrição de R$ 10,00 no credenciamento, segunda-feira, 29/10(9:00 às 17:00). Os certificados de participação serão entregues apenas, e tão somente,após o término da última conferência no dia 01/11.

×