COLÉGIO FRANCISCANO CORAÇÃO DE MARIA                       Disciplina: Redação                                       Ensin...
Grosso do Sul que, acampados à beira de uma estrada desse Estado, reivindicam a demarcação de suas terrasancestrais.O Cons...
Já se sabia desde janeiro que o prédio do antigo Museu do Índio, ainda objeto de disputa na Justiça entre os moradores da ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Primeira avaliação 2° ano 1° trimestre gabarito

352 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
352
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Primeira avaliação 2° ano 1° trimestre gabarito

  1. 1. COLÉGIO FRANCISCANO CORAÇÃO DE MARIA Disciplina: Redação Ensino Médio Atividade: Primeira Avaliação Série: 2ª Trimestre: 1º Data: _______/03/2013 Professor (a): Fernanda BragaAluno(a): Turma: Número:ESTA PROVA TEM O VALOR DE 9,0 PONTOS.AS QUESTÕES DEVEM SER RESPONDIDAS À CANETA PRETA.OS VALORES DAS QUESTÕES ESTÃO AO LADO DO ENUNCIADO.RESPOSTAS EM FORMA DE ESQUEMA E NÃO DE PARÁGRAFOS NÃO SERÃO LIDAS.NADA ESCRITO ALÉM DO LIMITE DE LINHAS SERÁ LIDO.A REDAÇÃO QUE FOR ESCRITA SOMENTE NA FOLHA DE RASCUNHO NÃO SERÁ AVALIADA. VOCÊPODERÁ DESTACAR A FOLHA DE RASCUNHO.BOA SORTE!QUESTÃO 01 (VALOR: 4 PONTOS)Baseando-se nos recentes acontecimentos referentes à Igreja Católica e na foto abaixo, redija uma notíciaobedecndo às caracterísitcas do gênero.• Ao desenvolver o tema proposto, procure utilizar os conhecimentos adquiridos e as reflexões feitas ao longo de suaformação. Selecione, organize e relacione argumentos, fatos e opiniões para defender seu ponto de vista, elaborandopropostas para a solução do problema discutido em seu texto. Suas propostas devem demonstrar respeito aosdireitos humanos.• Lembre-se de que a situação de produção de seu texto requer o uso da modalidade escrita culta da línguaportuguesa.• O texto não deve ser escrito em forma de poema (versos).• O texto deverá ter no mínimo 15 (quinze) linhas escritas.O texto deveria ter a estrutura de uma notícia:- Título, subtítulo;- Primeiro parágrafo: LEAD;- Segundo parágrafo: como, por quê, por isso;- Terceiro parágrafo: depoimento de algum personagem ligado à notícia ou consequências do fato ocorrido;- O texto deve ser IMPARCIAL;- Os fatos poderiam ser inventados.QUESTÃO 02 (VALOR: 3 PONTOS)Após ler as duas notícias apresentadas abaixo, redija um parágrafo apontando as diferenças entre elas levando emconsideração a parcialidade dos meios de comunicação.Rio: índios protestam contra demolição da Aldeia MaracanãOs índios da Aldeia Maracanã, uma ocupação em um prédio antigo próximo ao histórico estádio de futebol do Rio deJaneiro, realizaram nesta sexta-feira um ato em apoio ao povo guarani-kaiowá e contra a demolição de seu espaço,ameaçado pelas obras da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos do Rio-2016. Apoiados por membros demovimentos sociais e culturais, indígenas de diversas etnias manifestaram apoio à tribo dos guarani-kaiowá, do Mato
  2. 2. Grosso do Sul que, acampados à beira de uma estrada desse Estado, reivindicam a demarcação de suas terrasancestrais.O Conselho Indigenista Missionário (Cimi), ligado à Igreja Católica, indica que pelo menos 12 líderes guarani-kaiowáforam mortos na última década por pistoleiros contratados por proprietários de terras. Para Suzana Samaiego, índiaguarani-kaiowá que foi ao Rio visitar seus filhos e participar do ato, a maior dificuldade é resistir e "lutar por suasterras sem o apoio de ninguém" e em meio à violência. Ela conta que uma de suas sobrinhas foi estuprada e mortapor homens armados e nada foi feito em relação aos culpados.Recentemente, esta comunidade declarou em uma carta, que circulou o mundo inteiro, que estava disposta a ter uma"morte coletiva" para não abandonar suas terras. Já os índios que ocupam este prédio construído no coração do Riode Janeiro, que já abrigou o antigo Museu do Índio, defendem o direito de permanecer no local, que foi ocupado hámais de seis anos e transformado desde então em um centro de cultura indígena, já que o governo do Estadoanunciou sua intenção de demolir o edifício histórico para as obras da Copa de 2014.Carlos Tucano, cacique da Aldeia Maracanã, explicou a situação das tribos que ocupam o local. "Estamos aqui paradizer ao Brasil e ao mundo quem somos nós, trazendo a nossa história que nunca foi respeitada (...), mas com oanúncio da Copa do Mundo de 2014 estamos nos sentindo ameaçados de expulsão. Não somos contra os eventosesportivos, apenas reivindicamos o nosso espaço", disseEm declarações concedidas no mês passado, o governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB),afirmou que "o Museu do Índio, perto do Maracanã, será demolido. Vai virar uma área de mobilidade e de circulaçãode pessoas. É uma exigência da Fifa e do Comitê Organizador Local", embora a Federação Internacional de Futeboltenha negado que tivesse solicitado esta demolição."Só sabemos do que as autoridades pensam através da imprensa. É uma pressão psicológica. Nunca ouvimos a vozdo governo, do prefeito e de nenhuma autoridade sobre o nosso destino, só sabemos que querem demolir", lamentaTucano. A esperança do cacique é que "o governo e a Fifa se sensibilizem com a questão dos povos indígenas". Eleafirmou que os índios estão dispostos a negociar, desde que sejam deslocados para um local digno.Com cartazes exigindo "respeito à cultura e ao povo indígena", cerca de 200 pessoas participaram do ato. Os índiosconseguiram uma primeira vitória no final de outubro com a determinação do juiz Renato César Pessanha de Souza,que determinou que o estado do Rio e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) não expulsem os índios,atendendo a um pedido da Defensoria Pública da União.Além da Aldeia, estão previstas as demolições de duas instalações do complexo esportivo do Maracanã: o estádio deatletismo Célio de Barros e o parque aquático Júlio Delamare.http://noticias.terra.com.br/brasil/cidades/rio-indios-protestam-contra-demolicao-da-aldeia-maracana,3fb8af97a555b310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.htmlRio decide demolir escola e retirar índios de área do MaracanãEdital de concessão confirma demolição da Escola Friedenreich e remoção da Aldeia MaracanãApós pressão da sociedade, o Museu do Índio será preservado, mas os indígenas serão retirados e o prédio abrigaráo futuro Memorial Olímpico (Foto: Portal2014)Rio de Janeiro – A bola ainda não rolou para a partida inaugural do novo Maracanã, mas o estádio carioca, quereceberá jogos da Copa das Confederações em junho e da Copa do Mundo no ano que vem, já tem seus primeirosderrotados: os estudantes da Escola Municipal Friedenreich e os indígenas que ocupam há sete anos o terreno doantigo Museu do Índio e lá organizaram a Aldeia Maracanã. Publicado ontem (25) no Diário Oficial do Estado pelogoverno do Rio de Janeiro, o edital de concessão, operação e manutenção do Maracanã prevê a demolição daescola. Após pressão da sociedade, o Museu do Índio será preservado, mas os indígenas serão retirados e o prédioabrigará o futuro Memorial Olímpico.A ferrenha oposição dos pais dos alunos e o fato de a Friedenreich ter sido considerada a quarta melhor escola doRio segundo o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) não sensibilizaram o governador Sérgio Cabrale o prefeito Eduardo Paes. O edital de concessão do Maracanã prevê que a escola seja demolida e reconstruída noterreno onde hoje já existe a Escola Municipal Orsina da Fonseca, no bairro da Tijuca e distante cerca de doisquilômetros do Maracanã.Após a demolição da escola, de acordo com o edital, serão erguidas no local duas salas de aquecimento para asseleções que forem jogar no estádio durante a Copa do Mundo. As instalações, segundo o governo, servirão tambémem 2016, quando serão utilizadas por atletas que forem competir no Maracanãzinho.
  3. 3. Já se sabia desde janeiro que o prédio do antigo Museu do Índio, ainda objeto de disputa na Justiça entre os moradores da Aldeia Maracanã e o governo, não será mais demolido. A novidade do edital publicado ontem, que já havia sido antecipada por Cabral durante um evento do Comitê Olímpico Internacional (COI) na semana passada, é que o local não mais abrigará o Centro Cultural Indígena, como chegou a ser cogitado, nem algo parecido. Após o restauro, o prédio abrigará o Memorial Olímpico: “A concessionária vencedora do edital do Maracanã será responsável pelo restauro, recuperação e preparo do prédio, e o memorial será administrado pelo Comitê Olímpico Brasileiro”, disse Carlos Arthur Nuzman, presidente do COB. A sessão de licitação está marcada para 11 de abril, no Palácio Guanabara. Segundo o edital do governo, a empresa vencedora ficará também responsável por gerir o Maracanãzinho e as obras de adaptação do entorno do Complexo do Maracanã, o que inclui o prédio do Museu do Índio. Também estão confirmadas as demolições do Parque Aquático Júlio Delamare e do Estádio de Atletismo Célio de Barros, para desespero de nadadores e atletas brasileiros que ainda não têm novo abrigo definitivo para substituir os dois ícones do esporte no Rio, ambos considerados excelentes pontos para treinos e competições. http://www.redebrasilatual.com.br/temas/esportes/2013/02/novo-maracana-sem-espaco-para-indigenas-e-estudantes A primeira notícia é mais imparcial que a segunda, apesar de conter ideias favoráveis aos índios. A segunda notícia deixa clara a opinião do autor sobre o assunto e desvia-se, portanto, da característica principal do gênero que é a imparcialidade. Com isso, a sociedade se vê influenciada pelos meios de comunicação. QUESTÃO 03 (VALOR: 2 PONTOS) Redija um parágrafo explicitando e explicando pelo menos três características que diferenciam a notícia da reportagem.A notícia é imparcial, exata e mais objetiva enquanto a reportagem é mais desenvolvida, pode conter opiniões enão tem como prioridade somente a informação, mas, sim, a interpretação do fato ocorrido.

×