Acessibilidade Web

305 visualizações

Publicada em

Palestra sobre Acessibilidade Web

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
305
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Acessibilidade Web

  1. 1. Janicy Rocha Doutoranda em Ciência da InformaçãoMestre em Ciência da InformaçãoBacharel em Sistemas de InformaçãoAcessibilidade Web
  2. 2. Acessibilidade Webprimeiros passos
  3. 3. "O poder da Web está na sua universalidade. O acesso por todos, independentemente de suas incapacidades, é um aspecto essencial." (Tim Berners-Lee -Diretor do W3C)
  4. 4. Janicy Rocha2014Acessibilidade: o que é? Acessibilidadedigital:acessouniversalaquaisquerrecursosdeTIAcessibilidadenainternet:acessouniversalaoscomponentesdaredemundialdecomputadores(chats,e-mail,etc) Acessibilidadenaweb:acesso,percepção, compreensão,interação,navegaçãoecolaboraçãocomocomponenteWeb,representadopelaspáginasinterligadasporlinksdehipertexto
  5. 5. Janicy Rocha2014Acessibilidade Web Harmoniaentreinformação,comunicação, necessidadesepreferênciassubjetivasdeumusuário,permitindoqueeleinterajaepercebaoconteúdoinformacional,utilizandoalgumaTecnologiaAssistivacompatívelcomsuasnecessidades(NEVILLE,2007)
  6. 6. Tecnologia Assistiva?
  7. 7. Janicy Rocha2014Pessoas idosasAcessibilidade: para quem?
  8. 8. Janicy Rocha2014Acessibilidade: para quem? Analfabetos funcionais
  9. 9. Janicy Rocha2014Acessibilidade: para quem? Pessoas com pouca experiência e medo do computador
  10. 10. Janicy Rocha2014Acessibilidade: para quem? Pessoas com incapacidade temporária
  11. 11. Janicy Rocha2014Acessibilidade: para quem? ... dispositivos móveis... internet lentaUsuários de...
  12. 12. Janicy Rocha2014Acessibilidade: para quem? O bilionário cego
  13. 13. Janicy Rocha2014Acessibilidade: para quem? Pessoas com deficiências diversas
  14. 14. Janicy Rocha 2014Pessoa com deficiência? Pessoa portadora de deficiência?Pessoa com necessidades especiais?
  15. 15. Janicy Rocha2014Qual termo e quando usar? PessoaportadoradedeficiênciaPessoacomnecessidadesespeciaisPessoacomdeficiênciaterminologiadesatualizada,usadanalegislaçãobrasileirapessoascomnecessidadesdiferenciadas,masquenãoseconstituemcomodeficiênciasterminologiapreferidapelomovimentobrasileiroligadoàdeficiênciaeadotadoatravésdaResoluçãonº1doCONADE(2010)
  16. 16. Janicy Rocha2014Quem são as pessoas com deficiência? Sãoaquelaspessoascomimpedimentosdelongoprazodenaturezafísica,mental, intelectualousensorial,osquais,eminteraçãocomdiversasbarreiras,podemobstruirsuaparticipaçãoplenaeefetivanasociedadeemigualdadesdecondiçõescomasdemaispessoas(ONU,2008)
  17. 17. Janicy Rocha2014Pessoas com deficiência no BrasilDoscercade190milhõesdebrasileiros, aquelescompelomenosumadeficiênciasomam45milhões(23,9%) IBGE, 2010
  18. 18. Como as pessoas com deficiência usam a internet?
  19. 19. Janicy Rocha2014Iniciativas internacionais de acessibilidade1994:fundaçãodoWorldWideWebConsortium(W3C) 1999:WebAccessibilityInitiative(WAI) consórciodeempresasqueregulamentaawebgrupodetrabalhodoW3C,responsávelpordiretrizesdeacessibilidadeMissão:levarawebaseupotencialmáximo
  20. 20. Janicy Rocha 2014 Iniciativas internacionais de acessibilidade1999:WebContentGuidelinesAccessibility(WCAG1.0) 14diretrizesdeacessibilidadee2princípios: assegurarumatransformaçãoharmoniosadaspágina tornaroconteúdocompreensívelenavegável
  21. 21. Janicy Rocha2014Iniciativas internacionais de acessibilidade1999:WebContentGuidelinesAccessibility(WCAG1.0) consideravaníveisdeprioridadeeconformidade
  22. 22. Janicy Rocha2014Iniciativas internacionais de acessibilidade2008:WebContentGuidelinesAccessibility(WCAG2.0) 12diretrizesdeacessibilidadee4princípios: perceptível operável compreensível robusto
  23. 23. Janicy Rocha2014Iniciativas nacionais de acessibilidade2004:Decreto5.296/04CapítuloVI–DoacessoàinformaçãoecomunicaçãoArt.47–NoprazodeatédozemesesacontardadatadepublicaçãodesteDecreto,seráobrigatóriaaacessibilidadenosportaisesítioseletrônicosdaadministraçãopúblicanaredemundialdecomputadores(internet),paraousodaspessoasportadorasdedeficiênciavisual,garantindo-lhesoplenoacessoàsinformaçõesdisponíveis
  24. 24. 2010: Censo da web: 6,3 milhões de páginas HTML coletadasAcessibilidade nos websitesdo governo brasileiroJanicy Rocha2014Fonte: CGI.br(2010)
  25. 25. Janicy Rocha2014Iniciativas nacionais de acessibilidade01/2005:ModelodeAcessibilidadedoGovernoEletrônico(e-MAG1.0) 3níveisdeacessibilidade(A,AA,AAA) 12/2005:ModelodeAcessibilidadedoGovernoEletrônico(e-MAG2.0) 8diretrizese57recomendaçõesdeacessibilidade 4princípiosdeacessibilidade percepção,operação,entendimento,compatibilidade
  26. 26. Janicy Rocha2014Iniciativas nacionais de acessibilidade2011:ModelodeAcessibilidadedoGovernoEletrônico(e-MAG3.0) nãoadotamaisosníveisdeacessibilidade(A,AA,AAA) 45recomendaçõesdeacessibilidadeem6princípios: marcação comportamento conteúdo/informação apresentação/design multimídia formulário
  27. 27. Diretrizes de Acessibilidade: exemplos práticos(e-MAG)
  28. 28. FornecerâncorasparairdiretoaumblocodeconteúdoMarcação–Recomendaçãonº6
  29. 29. NãoabrirnovasinstânciassemasolicitaçãodousuárioMarcação–Recomendaçãonº9
  30. 30. NãocriarpáginascomatualizaçãoautomáticaperiódicaComportamento–Recomendaçãonº11
  31. 31. OferecerumtítulodescritivoeinformativoàpáginaConteúdo/informação-Recomendaçãonº17:
  32. 32. DisponibilizarinformaçãosobrealocalizaçãodousuárionapáginaConteúdo/informação-Recomendaçãonº18:
  33. 33. DescreverlinksclaraesucintamenteConteúdo/informação-Recomendaçãonº19:
  34. 34. ForneceralternativaemtextoparaimagensnosítioConteúdo/informação-Recomendaçãonº20: ForneceralternativaemtextoparabotõesdeimagensemformuláriosFormulários-Recomendação36: <imgsrc="crianca.jpg" alt="Foto de uma criança cheirando uma flor">
  35. 35. DisponibilizardocumentosemformatosacessíveisConteúdo/informação-Recomendaçãonº22:
  36. 36. OferecercontrastemínimoentreplanodefundoeprimeiroplanoApresentação/Design-Recomendaçãonº28:
  37. 37. Permitirredimensionamentodetexto,semperdadefuncionalidadeApresentação/Design-Recomendaçãonº30:
  38. 38. DividirasáreasdeinformaçãoApresentação/Design-Recomendaçãonº31:
  39. 39. 33:Forneceralternativaparavídeo34:Forneceralternativaparaáudio35:Forneceráudio-descriçãoparavídeopré-gravado36:FornecercontroledeáudioparasomMultimídia-Recomendaçõesnº:
  40. 40. FornecerinstruçõesparaentradadedadosFormulários-Recomendaçãonº42:
  41. 41. IdentificaredescrevererrosdeentradadedadosFormulários-Recomendaçãonº43:
  42. 42. AgruparcamposdeformuláriosFormulários-Recomendaçãonº44:
  43. 43. FornecercaptchahumanoFormulários-Recomendaçãonº45:
  44. 44. Janicy Rocha2014Outras recomendações importantesnº5:Disponibilizartodasasfunçõesdapáginaviatecladonº16:Identificaroidiomaprincipaldapáginanº22:Disponibilizardocumentosemformatosacessíveisnº29:Nãoutilizarapenascorououtrascaracterísticassensoriaisparadiferenciarelementosnº40:Estabelecerumaordemlógicadenavegação
  45. 45. Avaliação de Acessibilidade
  46. 46. Janicy Rocha2014Avaliação de acessibilidadeObjetivo: identificarbarreirasdeacessibilidadeemwebsitesereportá-lasparacorreçãoPodeserfeitaatravésdeváriosmétodosetécnicas,tantoporinspeçãoquantoempíricas
  47. 47. Janicy Rocha2014Métodos de avaliação de acessibilidade1)Conformidadecomdiretrizes(guidelines): Validaçãoautomática,pormeiodevalidadoresautomáticose/ouinspeçãomanualNa validação automática o avaliador utiliza uma ou mais ferramentas automatizadasNa inspeção manual o avaliador percorre o HTML, identificando problemas
  48. 48. Janicy Rocha2014Métodos de avaliação de acessibilidade2)Testescomusuários: ensaiosdeinteração,atravésdosquaispessoascomdeficiênciarealizamtarefasounavegamlivrementenowebsiteConsiderar as particularidades de cada deficiência
  49. 49. Janicy Rocha2014Métodos de avaliação de acessibilidade3)InspeçãoporHeurísticas: avaliadorverificaaconformidadedoswebsitesaheurísticaspreviamentedefinidas
  50. 50. Janicy Rocha2014Métodos de avaliação de acessibilidade -W3C1)Avaliaçãopreliminardeacessibilidade: a)seleçãodeamostrarepresentativadepáginasb)examedaspáginascomnavegadoresgráficosc)examedaspáginascomnavegadoresespeciaisd)usodeferramentasdevalidaçãoautomáticae) sumarização dos resultados
  51. 51. Janicy Rocha2014Métodos de avaliação de acessibilidade -W3C2)Avaliaçãodeconformidadecomdiretrizes: a)determinaçãodoescopodaavaliaçãob)usodevalidadoresautomáticosc)avaliaçãomanualdaamostradepáginasd)sumarizaçãoeapresentaçãoderesultados
  52. 52. Janicy Rocha2014Métodos de avaliação de acessibilidade -e-MAG2.0a)usodevalidadoresautomáticosdeacessibilidadeb)validaçãohumanaporprofissionaistécnicosc)validaçãohumanaporusuárioscomdeficiência
  53. 53. Janicy Rocha2014Métodos de avaliação de acessibilidade -e-MAG3.0a)validaroscódigosdoconteúdoHTMLedoCSSb)verificarofluxodeleituradapáginacomumnavegadortextualouumleitordetelac)verificarofluxodeleituradapáginasemestilos,scripteimagensd)verificarasfuncionalidadesdabarradeacessibilidadee)realizaravalidaçãoautomáticadeacessibilidadef) realizar a validação manual, utilizando os checklistsde validação humana
  54. 54. Janicy Rocha2014Avaliação de acessibilidade -Demonstração
  55. 55. Proposta de metodologia para estruturação de serviços informacionais para usuários cegos e com visão subnormal (adaptável a outras deficiências) SOUZA, 2004
  56. 56. Janicy Rocha2014Estruturação de serviços informacionaisacessíveis1) Conhecer o usuário a quem se destina o serviço: fazerolevantamentodosalunoscomdeficiênciamatriculadosnainstituição utilizarosestudosdeusuáriosparaseterumaimagempréviadousuárioaseratendido
  57. 57. Janicy Rocha2014Estruturação de serviços informacionaisacessíveis2)Conhecerpolíticas,legislaçãoenormasquepossamproverouinterferirnoprocesso: políticas, normas e leis da instituição, município, estado e país, além das internacionais conhecerdiferençaserelaçõesentreconceitosbásicosquecircundamaquestão buscar trocas e parcerias com outras instituições
  58. 58. Janicy Rocha2014Estruturação de serviços informacionaisacessíveis3)Conheceraáreafísicaondeseráofertadooserviço: planejamentoporequipecompostapelogestordabiblioteca,engenheiro,arquitetoeprofissionaisdeSegurançaeMedicinadoTrabalho documentonorteador:normaNBR9050/04,quetratadaAcessibilidadeaEdificaçõesMobiliário, EspaçoseEquipamentosUrbanos
  59. 59. Janicy Rocha2014Estruturação de serviços informacionaisacessíveis4)Conhecertécnicasetecnologiasautilizar: formargruposdetrabalhoentrebibliotecaeTI identificaretreinarquemmanusearáasTIC identificarquaisasTICnecessárias,quaisabibliotecajápossui,quemsãoosfornecedoresequaisosvalores verificaroconhecimentodosusuáriosquantoasTICassociadasaoatodapesquisaeleitura
  60. 60. Janicy Rocha2014Estruturação de serviços informacionaisacessíveis5) Conhecer necessidades informacionaisx acervo: tornaracessívelabibliografiabásicadoscursos estabelecercomprofessores/coordenadoresdecursosumcronograma,comatençãoaotemponecessárioparaaconversãodabibliografia
  61. 61. Janicy Rocha2014Estruturação de serviços informacionaisacessíveis6)Conhecerrecursoshumanosparaefetivaroserviço: preparar,capacitareengajarpessoasparacomposiçãodeumaequipecapazde“aprenderaconhecer”,“aprenderafazer”e“aprenderainteragircomusuários”
  62. 62. Janicy Rocha2014Estruturação de serviços informacionaisacessíveis7)Conhecermecanismosdemediçãoeavaliaçãodoserviço: Considerararelaçãoeficácia,custo-eficáciaecustobenefício,atravésdositens: Pessoal Materiais consumidos Equipamentos e mobiliários Espaço ocupado e sua manutenção Distribuição Meios de comunicação utilizados; Acervo (físico e intangível) Identificação de custos adicionais
  63. 63. Janicy Rocha2014Estruturação de serviços informacionaisacessíveis8)Avaliarospassos: verificarsehouveumalacunaentreoidealeaeficáciaconseguidapelorealizávelatravésdasaçõesimplantadas
  64. 64. Janicy Rocha2014Infraestrutura de bibliotecas acessíveisa) construção e sinalização conforme ABNT/NBR 9050/04b)pessoalcapacitadoparaatenderpessoascomdeficiência programa de ampliação de tela leitor de tela, sintetizador de voz e displayBraille Thermoform, impressora Braille ou linhas Braille scannercom OCR gravações em vídeo e/ou áudio obra em Braille, LIBRAS ou formato Daisy c) acervo com versões de obras em meio sonoro e visual, ou serviços para obtenção e uso da versão alternativa:
  65. 65. Janicy Rocha2014 Digital AccessibleInformationSystem -DAISYPadrãodanovageraçãodelivrosdigitais,emformatoDTB(DigitalTalkingBook) ResultadodotrabalhoconjuntodebibliotecasprodutorasdelivrosemBrailleparaestabelecerumanormainternacionaldelivrosdigitaisfaladoseemBraille
  66. 66. Janicy Rocha2014 Digital AccessibleInformationSystem -DAISYIncluinavegabilidadeplena,dandoaousuárioapossibilidadedeinserçãodemarcas,mudançadefrase,parágrafo,seção,capítulo,página,irparafrente,irparatrás,navegandopelodocumentodeformasuaveemantendoosincronismoentreavozeotextoescrito
  67. 67. Janicy Rocha2014ReferênciasBRASIL. Resolução nº 01, de 15 de outubro de 2010. Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Portadora de Deficiência -CONADE. Diário Oficial da União. 2010. BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico. 2010. BRASIL. Decreto nº 5.296 de 02 de Dezembro de 2004. Regulamenta as Leis nos10.048, de 8 de novembro de 2000 e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília: Senado Federal, 03 dez. 2004. BRASIL. Recomendações de Acessibilidade para Construção e Adaptação de Conteúdos do Governo Brasileiro na Internet: e-Mag. Modelo de Acessibilidade. Versão 2.0. 14 de Dezembro de 2005. BRASIL. Recomendações de Acessibilidade para Construção e Adaptação de Conteúdos do Governo Brasileiro na Internet: eMag. Cartilha Técnica. Versão 2.0. 14 de Dezembro de 2005. BRASIL. Recomendações de Acessibilidade para Construção e Adaptação de Conteúdos do Governo Brasileiro na Internet Departamento de Governo Eletrônico. Versão 3.0. Agosto de 2011. CGI.br. Dimensões e características da Web brasileira: um estudo do .gov.br. Comitê Gestor da Internet no Brasil. 2010.
  68. 68. Janicy Rocha2014ReferênciasDAISY CONSORTIUM. Digital AccessibleInformationSystem. Disponível em: <http://www.daisy.org/>. Acesso em: 24 out. 2014. IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. NEVILLE, L. Access for all accessibility: an inclusive approach. La Trobe University. 2007. ONU. Organização das Nações Unidas. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. 2008. SOUZA, S. C. de. Acessibilidade: Uma Proposta de Metodologia de Estruturação de Serviços Informacionais para Usuários Cegos e com Visão Subnormal em Biblioteca Universitária. 2004. (Mestrado em Engenharia de Produção) -Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004. W3C. Web ContentAccessibilityGuidelines1.0. 1999. Disponível em: <http://www.w3. org/TR/WCAG10/>. Acesso em: 24 out. 2014. W3C. Web ContentAccessibilityGuidelines2.0.2008. Disponível em: <http://www.w3. org/TR/WCAG20/>. Acesso em: 24 out. 2014.
  69. 69. Obrigada! janicy.rocha@gmail.com

×