O mundo desenvolvido tem como base a utilização dos recursos naturais
como matéria prima para a criação de produtos destin...
VIVER
ALIMENTAR
TRABALHAR
HABITAR
VENDER
PRODUZIR
MANUFATURAR
EMPREENDER
SEMINARIOS
OFICINAS
COMPARTILHAR
APRENDER
VARAS
B...
QUAL O NOSSO OBJETIVO
O principal objetivo do projeto é estimular o plantio, difundir o conhecimento
das potencialidades d...
PORQUE ACREDITAMOS NESTE PROJETO
Economicamente, o bambu oferece muitas vantagens frente a outras
madeiras, seja por sua m...
Por seu amadurecimento rápido, cerca de quatro anos, do plantio ao
corte e por regenerar-se sem necessidade de replantio. ...
Requerer benefícios e incentivos fiscais, além de captar recursos
específicos da Lei 12.484, PNMCB (Política Nacional de I...
IMPACTOS PLANEJADOS
Reunir lideranças por uma causa comum e de efeito abrangente na
sociedade. (Comitê Permanente)
Promove...
IMPACTOS PLANEJADOS
Estruturar negócios em associativismo, cooperação em Arranjos
Produtivos, capaz de maximizar resultado...
REALIZAÇÃO	
   APOIO	
  
Projeto viverdebambu (2)
Projeto viverdebambu (2)
Projeto viverdebambu (2)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Projeto viverdebambu (2)

716 visualizações

Publicada em

Programa ViVerDeBambu, proposta organizacional de desenvolvimento sustentável com base no bambu

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
716
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto viverdebambu (2)

  1. 1. O mundo desenvolvido tem como base a utilização dos recursos naturais como matéria prima para a criação de produtos destinados ao conforto, alimentação e geração de renda. Nosso desafio é seguir tendências por inovações e buscar alternativas que minimizem os impactos ao meio ambiente, conciliando desenvolvimento e sustentabilidade. O BAMBU vem surpreendendo, chamado à atenção de alguns setores da economia, sendo utilizados e aprovados em testes que comprovam sua eficácia em diversas áreas de usos; tornando-se uma excelente alternativa à madeira e outros materiais, como usos, na geração de energia, indústrias moveleiras, química, alimentação e até substituindo o aço na construção civil. As características de suas fibras longas dão resistência e surgem diferentes usos. Consequentemente garantem melhor qualidade de vida para as atuais e futuras gerações.
  2. 2. VIVER ALIMENTAR TRABALHAR HABITAR VENDER PRODUZIR MANUFATURAR EMPREENDER SEMINARIOS OFICINAS COMPARTILHAR APRENDER VARAS BROTOS MUDAS CULTIVAR PROPÓSITO DO PROJETO
  3. 3. QUAL O NOSSO OBJETIVO O principal objetivo do projeto é estimular o plantio, difundir o conhecimento das potencialidades desta planta em diferentes regiões do país, focadas nas características regionais; Identificando-se espécies nativas e exóticas, suas especificações. Objetivando desenvolver planos de negócios e técnicas inovadoras para maximizar os resultados, promovendo o desenvolvimento sustentável.
  4. 4. PORQUE ACREDITAMOS NESTE PROJETO Economicamente, o bambu oferece muitas vantagens frente a outras madeiras, seja por sua maior densidade florestal, como por precocidade; Resultando numa atividade rendável, de fácil manejo, acrescentando resultados, além dos econômicos, socioambientais favoráveis; Pela sustentabilidade, se comparado a outras árvores, o bambu tem enorme potencial ecológico. Biologicamente, o bambu não é madeira e sim um tipo de grama, e como vegetal, cresce mais rápido do que qualquer outra árvore no planeta; 1 2
  5. 5. Por seu amadurecimento rápido, cerca de quatro anos, do plantio ao corte e por regenerar-se sem necessidade de replantio. Requerer mínima fertilização, o que torna o bambu, grande substituto de outros tipos madeira. Beleza, resistência e versatilidade, fazem do bambu a madeira e ou material do futuro; Por possibilitar enquadra-se e atender a múltiplos programas federais, como o Programa ABC, (Agricultura de Baixo Carbono) do Ministério da Agricultura-MAPA, ou possibilitar a formação de APLs, (Arranjos Produtivos Locais) do Ministério da Indústria Comércio e Exportação. Ainda, possibilitando beneficiar-se de infraestrutura e comunicação, com a implantação de Telecentro, proposto pelo Ministério das Comunicações-CTI; 3 4
  6. 6. Requerer benefícios e incentivos fiscais, além de captar recursos específicos da Lei 12.484, PNMCB (Política Nacional de Incentivo ao Manejo Sustentado e ao Cultivo do Bambu) para o financiamento incremento e inovações das atividades da cadeia produtiva do bambu; Desenvolver núcleos de treinamentos e produção em sua cadeia produtiva, em diferentes regiões, promovendo redes de intercambio, organizando e qualificando mão de obra, gerando sistematicamente, renda, promoção sociocultural e qualidade de vida; 5 6 7 ! A produção de produtos certificados. Agregando valor e competitividade aos produtos, capacitando às exigências dos mercados nacionais e internacionais, possibilitando a exportação;
  7. 7. IMPACTOS PLANEJADOS Reunir lideranças por uma causa comum e de efeito abrangente na sociedade. (Comitê Permanente) Promover o desenvolvimento sustentável e de repercussão em inúmeros setores da economia ( APRs – APLs) Capacitar e promover a cadeia produtiva, estabelecendo na região de abrangência um polo de produção, inovação e tecnologia. (P.I.T. – Vila Bambu) Oferecer oportunidade de trabalho e renda para localidades no meio urbano e rural, criando maior inteiração e comprometimento da cidade e do campo. (Vila Bambu))
  8. 8. IMPACTOS PLANEJADOS Estruturar negócios em associativismo, cooperação em Arranjos Produtivos, capaz de maximizar resultados pela sinergia nos processos. Oferecendo especialização, capacitando os envolvidos. (Núcleo de Negócios – Feixe de Empreendedores) (Projeto Complementares) Viabilizar econômica e financeiramente, promovendo políticas de incentivo do setor. Garantindo a expansão e melhoria dos processos e produtos. (Fundo Financeiro - Investidores) Disponibilizar acesso à tecnologia e garantir a certificação de base científica. (Centros de Pesquisas)(Telecentro)
  9. 9. REALIZAÇÃO   APOIO  

×