Criminologia
Docente: Raquel Matos
Ana Rita Ribeiro (320110011)
1. Introdução
2. Relação entre droga e crime:
• Até 1970
• Anos 70
• A viragem dos anos 80
• Atualidade
3. Conclusão
3. Bi...
Finais dos
anos 60Droga
quase
inexistente
Anos 70 Anos 80 Atualidade
primeiros contactos com as
drogas ilegais, sobretudo ...
 L. Fernandes
 C. Poiares
 C. da Agra
 Agra, C. (2008). Entre Droga e Crime. (2ª Edição). Lisboa: Casa das Letras.
 Rodrigues, S. (2010). O branqueamento de c...
 Deslandes, S. & Minayo, M. (1998). A complexidade das relações entre drogas, álcool e violência.
Cad. Saúde Pública, 14(...
 MacCoun, R. (1993). Drugs and the Law: A Psychological Analysis of Drug Prohibition.
Psychological Bulletin, 113(3), 497...
 Walters, G. (2012). Substance Abuse and Criminal Thinking: Testing the
Countervailing, Mediation, and Specificity Hypoth...
 Mestrado, Escola de Criminologia da Faculdade de Direito – Universidade do
Porto, Portugal.
 Tinoco, R. (2004). Velhas ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Bibliografia Entre Droga e Crime

302 visualizações

Publicada em

Uma apresentação sobre bibliografia essencial para realizar um trabalho sobre a relação droga-crime.

Publicada em: Direito
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
302
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bibliografia Entre Droga e Crime

  1. 1. Criminologia Docente: Raquel Matos Ana Rita Ribeiro (320110011)
  2. 2. 1. Introdução 2. Relação entre droga e crime: • Até 1970 • Anos 70 • A viragem dos anos 80 • Atualidade 3. Conclusão 3. Bibliografia Toxicodependência e Crime Tráfico de Droga e Crime Estatísticas em Portugal Evolução da Lei portuguesa
  3. 3. Finais dos anos 60Droga quase inexistente Anos 70 Anos 80 Atualidade primeiros contactos com as drogas ilegais, sobretudo em festas particulares (essencialmente substâncias alucinogénias e cannabis) • Droga considerada um problema social • convenção única sobre Estupefacientes • Campanhas anti-droga • implementação de um mercado de venda de heroína • Alto preço da heroína conduz a diversos comportamentos desviantes, aumentando a ameaça à ordem social • aparecimento da SIDA • Droga como um dos maiores problemas nacionais • Aumento do consumo de droga como principal razão da violência urbana • Causas da toxicodependência: amizades perigosas, rejeição familiar e personalidades influenciáveis
  4. 4.  L. Fernandes  C. Poiares  C. da Agra
  5. 5.  Agra, C. (2008). Entre Droga e Crime. (2ª Edição). Lisboa: Casa das Letras.  Rodrigues, S. (2010). O branqueamento de capitais e a Droga. Dissertação de Mestrado, Instituto superior de contabilidade e administração de Lisboa – Instituto Politécnico de Lisboa, Portugal.  Maguire, M., Morgan, R. & Reiner, R. (2012). The Oxford Handbook of Criminology. (5ª Edição). Pp 686-701, United Kingdom: Oxford University Press.  Machado, M. (2000). Uso de drogas e reacção social ou da droga-delito à droga- crime. Dissertação de Mestrado, Escola de Criminologia da Faculdade de Direito – Universidade do Porto, Portugal.
  6. 6.  Deslandes, S. & Minayo, M. (1998). A complexidade das relações entre drogas, álcool e violência. Cad. Saúde Pública, 14(1), 35-42.  Pita, A. (2011). A droga e a Justiça: Politicas Públicas de Intervenção. Trabalho de Project o no âmbito do Mestrado em Administração da Justiça, Escola de Economia e Gestão - Universidade do Minho, Portugal.  Day, B., Feske, U., Kirisci, L., McNamee, R., Mezzich, A. & Tarter, R. (2007). Assessment of Risk for Substance Use Disorder Consequent to Consumption of Illegal Drugs: Psychometric Validation of the Neurobehavior Disinhibition Trait. Psychology of Addictive Behaviors, 21(4), 508-515.  Brenda, B., Rodell, D. & Rodell, L. (2003). Crime among homeless militar veterans who abuse substances. Psychiatric Rehabilitation Journal, 26(4), 332-345.  Joaquim, H. (2005). Criminalidade e consumo de substâncias ilícitas. Revista Toxicodependências, 11(1), 53-64.  Manita, C. (2000). Das descobertas privadas aos crimes públicos: evolução dos significados em trajectórias de droga-crime. Revista Toxicodependências, 6(2), 17-31.  Gomes, M. & Torres, A. (2005). Drogas e prisões: Relação Próximas. Revista Toxicodependências, 11(2), 23-40.
  7. 7.  MacCoun, R. (1993). Drugs and the Law: A Psychological Analysis of Drug Prohibition. Psychological Bulletin, 113(3), 497-512.  Agra, C. (2008). Entre Droga e Crime. (2ª Edição). Lisboa: Casa das Letras.  Manita, C. (2001). Evolução das significações em trajectórias de droga-crime (II): Novos sentidos para a intervenção psicológica com toxicodependentes?. Revista Toxicodependências, 7(3), 59-72.  Löbmann, R. & Verthein, U. (2009). Explaining the Effectiveness of Heroin-assisted Treatment on Crime Reductions. Law and Human Behavior, 33(1), 83-95.  Humphries, J. (2013). Intoxicated Witnesses and Suspects: An Archival Analysis of Their Involvement in Criminal Case Processing. Law and Human Behavior, 37(1), 54-59.  Gomes, I. (2008). Maus-Tratos, Droga e Criminalidade: Uma Trilogia no Feminino. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Medicina – Universidade de Lisboa, Portugal.  Rodrigues, S. (2010). O branqueamento de capitais e a Droga. Dissertação de Mestrado, Instituto superior de contabilidade e administração de Lisboa – Instituto Politécnico de Lisboa, Portugal.  Nunes, A. (2003). Representação social da relação droga-crime. Portal dos Psicólogos. Acedido Outubro 08, 2013, em http://www.psicologia.pt/artigos/textos/TL0094.pdf.
  8. 8.  Walters, G. (2012). Substance Abuse and Criminal Thinking: Testing the Countervailing, Mediation, and Specificity Hypotheses. Law and Human Behavior, 36(6), 506-512.  Carmona, E. & Newcomb, M. (2001). The Drug-Crime Nexus in a Community Sample of Adults. Psychology of Addictive Behaviors, 15(3), 185-193.  Bagley, B. (2013). The evolution of drug trafficking and organized crime in latin America. SOCIOLOGIA, PROBLEMAS E PRÁTICAS, (71), 99-123.  Maguire, M., Morgan, R. & Reiner, R. (2012). The Oxford Handbook of Criminology. (5ª Edição). Pp 686-701, United Kingdom: Oxford University Press.  Kassouf, A. & Santos, M. (2007). Uma investigação económica da influência do mercado de drogas ilícitas sobre a criminalidade brasileira. Revista Economia, 8(2), 187-210.  Machado, M. (2000). Uso de drogas e reacção social ou da droga-delito à droga-crime. Dissertação de
  9. 9.  Mestrado, Escola de Criminologia da Faculdade de Direito – Universidade do Porto, Portugal.  Tinoco, R. (2004). Velhas drogas, velhos consumos: o lento caminho da desarticulação biográfica. Acedido Outubro 08, 2013, em http://comum.rcaap.pt/bitstream/123456789/3456/1/velhas%20drogas%20velhos%2 0consumos.pdf  Pereira, A. C. (2011). Viagens Brancas. Lisboa: Arcádia reportagem/babel  Shneider, S. (2013). VIOLENCE, ORGANIZED CRIME, AND ILLICIT DRUG MARKETS: A Canadian case study. SOCIOLOGIA, PROBLEMAS E PRÁTICAS, (71), 125-143.

×