O slideshow foi denunciado.

Conhecidos de vista

491 visualizações

Publicada em

Publicada em: Indústria automotiva
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Conhecidos de vista

  1. 1. Conhecidos de VistaConhecidos de Vista Conhecem-se há mesesde vista, do bairro onde vivem, de se veremna rua, no supermercado, no café, depassearem os cães no jardim. Ela mora doisprédios ao lado do dele, não sabe o seunome, nem o que faz, mas conhece-lhealgumas rotinas, já ouviu a sua voz, aprecia aforma de ele se vestir. Acha-o atraente e ficaatenta quando o vê.Ele gosta de levar um livro consigo quandovai com o cão ao jardim. Senta-se num bancoa ler, mas, se ela chega, não consegueconcentrar-se. Finge que lê, espreita-a porcima do livro, maravilhado com o seu jeitodistraído de caminhar num vaivém constanteenquanto fala ao telemóvel, rodando o vestidonuma volta graciosa ao fim de alguns passoscasuais. Adora o seu sorriso encantador, omodo como inclina a cabeça para trás e lançaum risinho espontâneo para o ar a meio daconversa.É sábado, estão sentados numa esplanada dojardim, ambos sozinhos, em mesas próximas,frente a frente. Ela pede um café, deita oaçúcar, mexe-o demoradamente com a colher,distraída a observá-lo a ler o jornal. Fantasia 1
  2. 2. Conhecidos de Vistaque ele vai erguer os olhos a qualquerinstante e surpreendê-la a olhar, que lhe sorrie se levanta para ir à sua mesa apresentar-se.Sorri com a ideia no momento em que elelevanta os olhos do jornal, mas apressa-se adesviar os seus, a virar a cara, com vontadede rir.Ele repara que ela desvia o olhar, volta apágina do jornal, baixa os olhos por umsegundo e torna a olhar. Ela não se atreve afitá-lo, concentra-se na chávena de café à suafrente. Ele imagina-se a ir ter com ela parameter conversa. Por um instante, sente-setentado, pergunta-se se teria coragem.Porque não?, pensa. Mas então ela chama oempregado para lhe pedir a conta e omomento passa. Ele deixa-se estar sentado eela vai-se embora.No domingo cruzam-se no átrio de umcinema. Estão ambos acompanhados, vão asalas diferentes. Sustêm a respiração aescassos metros um do outro, os seus olhosfixam-se num espanto recíproco, numrelâmpago eterno, e, pela primeira vez,assumem um reconhecimento mútuo, pois ele 2
  3. 3. Conhecidos de Vistasorri-lhe e ela faz-lhe uma vénia ligeira com acabeça, de um modo divertido.A meio da semana ele vai almoçar com umcliente importante a um restauranterequintado da moda e lá está ela para oreceber, sorridente, desinibida, dona de umcaderno onde escreve à mão e opõe vistosnos nomes das pessoas que chegam commesa marcada. É relações públicas e veste-sede forma discretamente elegante, uma camisapreta, uma saia arroxeada de seda. Pareceque nos encontramos em todo o lado,comenta ele, encantado por a ver. Ela ri-se, éo destino, graceja.Dois dias mais tarde, ele chega ao jardim,solta a trela do cão e este corre para junto dodela. Ele aproxima-se dela, sentada numbanco, aponta para o lugar ao seu lado, elafaz-lhe sinal com a mão para que se sente.Agora que já sabe o meu nome, diz ele,gostava de saber o seu. Ela ri-se, diz como sechama e depois começam a falar comnaturalidade, como se se conhecessem desdesempre.Tiago Rebelo, in " Breve História de Amor" 3
  4. 4. Conhecidos de Vista 4

×