2012Entre nós corre um rio largo, distânciasde pôr-de-sol. Corre uma mesma veiaonde o sangue quente flui e é doce.Ridicula...
2012emoções lesadas nos intrigam. Cujarejeição assimilamos com bravura.Somos     mulheres,   seres  curiosos.Qualquer pass...
2012vagabundas. Da Sorbonne à Praça Sete:pintamos o sete, o oito, o nove.Bordamos as iniciais do sonho nastoalhas das boda...
2012O melhor de tudo é que nem assim agente deixa de acreditar no Amor eabrir as gavetas dos sonhos, enfimsomos femmes!!!!...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Entre nós corre um rio largo

437 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
  • Very interesting text, as usual , my dear friend Victor !!! Thanks for sharing and congratulations! Best greetings from Greece. I wish you a wonderful week. Nikos
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Entre nós corre um rio largo

  1. 1. 2012Entre nós corre um rio largo, distânciasde pôr-de-sol. Corre uma mesma veiaonde o sangue quente flui e é doce.Ridiculamente mel.Falamos muito e choramos uma dor deser quem somos. A dor de seresmutilados, prestes a dar à luz a umverso de desacato. De pura estupidez.Sim, somos assim. Mulheres à beira deum ataque de nervos. Almodóvar foi oúnico homem capaz de ler nossasentrelinhas sem cuspir nelas. E oRubem, claro, que este não machucanem bicho de pé.Somos guerreiras de uma batalhaperdida e quando o escudo e a lançacaem, não nos entregamos. Temosunhas afiadas, braços fortes paraembalar as crianças e suportar a ironiamasculina. E estremecer de ternura eprazer nos braços do homem amado.Dos homens que amamos ao longo davida, dos pobres meninos cujasVictor Sterling Franco Página 1
  2. 2. 2012emoções lesadas nos intrigam. Cujarejeição assimilamos com bravura.Somos mulheres, seres curiosos.Qualquer passarinho cantando é motivoda gente se dar ao trabalho de parar eouvir. Qualquer "eu te amo" baratoexplode nossa via-láctea e os sinosdobram, por nós. A gente começa apensar que toda a poesia existe paranos enternecer. E todas as cançõespara nos lembrar que somos raras.Pérolas no fundo do oceano.Sim, somos idiotas. Parecemos idiotas,agimos como. (Não basta ser, é precisoparecer).Dissertamos, rompemos movimentoscontrários, botamos filhos no mundo,rasgamos a alma, sentimos o quenenhum mané pode sentir: nossos filhosdentro de nossas barrigas lunares.Vamos pra estrada, pra rua, xingamosno engarrafamento, brilhamos na sededos governos mundiais. Somos damas eVictor Sterling Franco Página 2
  3. 3. 2012vagabundas. Da Sorbonne à Praça Sete:pintamos o sete, o oito, o nove.Bordamos as iniciais do sonho nastoalhas das bodas. Vamos de RitaCadilac à Michelle Obama. De AdéliaPrado à Florbela Espanca. Sem escalas,num rasante.Algumas de nós vendem seus corpos,outras dão de graça a alma. O que nofundo é a mesma coisa. Prostituiçãopoética, vadiagem do sentimento.Somos aquilo que se pode chamar demais belo, de mais amor. E seja comofor, na alegria ou na tristeza, na riquezaou na pobreza, amando e desamando,respeitando ou lutando pelo legítimodireito de ser inteira (e nãocomplemento), vamos tatuando na almanossa letra escarlate, nossa JoanaDArc, nossa Maria Madalena. Loucas,santas, ingênuas, tolas. Tontas comouma borboleta pisada.Victor Sterling Franco Página 3
  4. 4. 2012O melhor de tudo é que nem assim agente deixa de acreditar no Amor eabrir as gavetas dos sonhos, enfimsomos femmes!!!!!!!!!!!!!hoje mais apimentada e louca............MIRRELLE GAMBETTAVictor Sterling Franco Página 4

×