Por que Envelhecemos ?

2.877 visualizações

Publicada em

Palestras apresentadas na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.877
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
219
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
98
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Por que Envelhecemos ?

  1. 1. Por que Envelhecemos? Thadeu Penna Sistemas Complexos Instituto de Física Universidade Federal Fluminense tjpp@if.uff.br http://profs.if.uff.br/tjpp Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2008 UFF 22 de outubro de 2008
  2. 2. O que é envelhecimento ? tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  3. 3. Tudo envelhece ? tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  4. 4. É possível retardar o envelhecimento ? Com Botox tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  5. 5. É possível retardar o envelhecimento ? Sem Botox tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  6. 6. Por que físicos se interessam por envelhecimento ? tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  7. 7. Por que físicos se interessam por envelhecimento ? tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  8. 8. Como medir o envelhecimento ? tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  9. 9. Como medir o envelhecimento ? tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  10. 10. Bactérias morrem ou envelhecem ? Na divisão, as duas bactérias são mais jovens que a original. São imortais, considerando como colônias. tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  11. 11. DNA: a razão de tudo tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  12. 12. Telômeros: a parte do fim São encurtados em cada replicação. tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  13. 13. Telômeros: Quem é o avançado tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  14. 14. Primeira Teoria: limite de Hayflick espécies diferentes têm limites diferentes, tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  15. 15. Primeira Teoria: limite de Hayflick espécies diferentes têm limites diferentes, não explica diferenças de mortalidades dentro da mesma espécie, tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  16. 16. Primeira Teoria: limite de Hayflick espécies diferentes têm limites diferentes, não explica diferenças de mortalidades dentro da mesma espécie, não explica diferenças de causas de mortes. tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  17. 17. O mais velho do mundo tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  18. 18. E células cancerígenas ? Devido à mutação, células cangerígenas não param de se reproduzir. Células normais tem um limite de reprodução. Células tronco também não obedecem o limite. A hidra parece ser o único animal com esta habilidade. tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  19. 19. Divisão de células cancerígenas Divisão rápida e sem controle. tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  20. 20. Mutações: a causa de tudo? tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  21. 21. Mutações são ruins ? Mutações levam a melhoramentos tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  22. 22. Mutações são ruins ? Mutações levam a melhoramentos Ruins são mais comuns agora tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  23. 23. Mutações são ruins ? Mutações levam a melhoramentos Ruins são mais comuns agora Alta taxa de mutação é boa estratégia para vírus tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  24. 24. Mutações são ruins ? Mutações levam a melhoramentos Ruins são mais comuns agora Alta taxa de mutação é boa estratégia para vírus Mutações levaram ao que somos hoje tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  25. 25. Mutações são ruins ? Mutações levam a melhoramentos Ruins são mais comuns agora Alta taxa de mutação é boa estratégia para vírus Mutações levaram ao que somos hoje Mutações levarão ao que seremos no futuro tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  26. 26. Mutações são ruins ? Mutações levam a melhoramentos Ruins são mais comuns agora Alta taxa de mutação é boa estratégia para vírus Mutações levaram ao que somos hoje Mutações levarão ao que seremos no futuro Mutações funcionam graças à Seleção Natural tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  27. 27. Mutações são ruins ? Mutações levam a melhoramentos Ruins são mais comuns agora Alta taxa de mutação é boa estratégia para vírus Mutações levaram ao que somos hoje Mutações levarão ao que seremos no futuro Mutações funcionam graças à Seleção Natural Mutações levam à Evolução tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  28. 28. Como envelhecemos ? tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  29. 29. e as mulheres na Finlândia ? tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  30. 30. Lei de Gompertz tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  31. 31. Lei de Gompertz tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  32. 32. Lei de Gompertz tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  33. 33. Lei de Gompertz tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  34. 34. França 2002 a 2004 tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  35. 35. Que curva é esta ? tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  36. 36. Gompertz 1779-1865 Lei Universal de Mortalidade (1825) tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  37. 37. Só com humanos ? tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  38. 38. Só com humanos ? tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  39. 39. Ciclo de vida do Salmão tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  40. 40. Salmão tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  41. 41. Salmão tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  42. 42. Salmão tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  43. 43. Senescência do Salmão tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  44. 44. Longevidade é genética ? tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  45. 45. Acúmulo de mutações Nascido no Rio em 1915, inglês, filho de libanês Peter Medawar tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  46. 46. Acúmulo de mutações Nascido no Rio em 1915, inglês, filho de libanês Nobel de Medicina em 1960 (imunologia) Peter Medawar tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  47. 47. Acúmulo de mutações Nascido no Rio em 1915, inglês, filho de libanês Nobel de Medicina em 1960 (imunologia) Experiências com gado Peter Medawar tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  48. 48. Acúmulo de mutações Nascido no Rio em 1915, inglês, filho de libanês Nobel de Medicina em 1960 (imunologia) Experiências com gado Mutações também tem hora de se manifestarem Peter Medawar tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  49. 49. Acúmulo de mutações Nascido no Rio em 1915, inglês, filho de libanês Nobel de Medicina em 1960 (imunologia) Experiências com gado Mutações também tem hora de se manifestarem Mutações Ruins que se manifestam mais cedo são mais perigosas Peter Medawar tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  50. 50. Acúmulo de mutações Nascido no Rio em 1915, inglês, filho de libanês Nobel de Medicina em 1960 (imunologia) Experiências com gado Mutações também tem hora de se manifestarem Mutações Ruins que se manifestam mais cedo são mais perigosas a idade da reprodução é importante Peter Medawar tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  51. 51. Acúmulo de mutações Nascido no Rio em 1915, inglês, filho de libanês Nobel de Medicina em 1960 (imunologia) Experiências com gado Mutações também tem hora de se manifestarem Mutações Ruins que se manifestam mais cedo são mais perigosas a idade da reprodução é importante Peter Medawar Evolução e Seleção Natural tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  52. 52. Pleiotropia Antagônica Exemplos fenilcetonúria - cor da pele e resistência à fenilalanina tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  53. 53. Pleiotropia Antagônica Exemplos fenilcetonúria - cor da pele e resistência à fenilalanina bactérias e utilização da glucose tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  54. 54. Pleiotropia Antagônica Exemplos fenilcetonúria - cor da pele e resistência à fenilalanina bactérias e utilização da glucose anemia falciforme - malária tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  55. 55. Pleiotropia Antagônica Exemplos fenilcetonúria - cor da pele e resistência à fenilalanina bactérias e utilização da glucose anemia falciforme - malária hemofilia - peste tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  56. 56. Pleiotropia Antagônica Exemplos fenilcetonúria - cor da pele e resistência à fenilalanina bactérias e utilização da glucose anemia falciforme - malária hemofilia - peste fixação de cálcio (antagônica) tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  57. 57. Pleiotropia Antagônica Exemplos fenilcetonúria - cor da pele e resistência à fenilalanina bactérias e utilização da glucose anemia falciforme - malária hemofilia - peste fixação de cálcio (antagônica) testosterona e câncer de próstata (antagônica) tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  58. 58. Evolução e Envelhecimento ? Morcegos vivem até 30 anos tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  59. 59. Evolução e Envelhecimento ? Morcegos vivem até 30 anos Ratos vivem 2 a 3 anos tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  60. 60. Evolução e Envelhecimento ? Morcegos vivem até 30 anos Ratos vivem 2 a 3 anos Morcegos têm menos predadores tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  61. 61. Evolução e Envelhecimento ? Morcegos vivem até 30 anos Ratos vivem 2 a 3 anos Morcegos têm menos predadores Morcegos reproduzem mais tarde e vivem mais tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  62. 62. Evolução e Envelhecimento ? Morcegos vivem até 30 anos Ratos vivem 2 a 3 anos Morcegos têm menos predadores Morcegos reproduzem mais tarde e vivem mais Gaivotas são os pássaros que vivem mais tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  63. 63. Simulações tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  64. 64. Modelo de Tira de Bits tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  65. 65. Modelo de Tira de Bits tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  66. 66. Modelo de Tira de Bits tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  67. 67. Modelo de Tira de Bits tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  68. 68. Modelo de Tira de Bits tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  69. 69. Modelo de Tira de Bits tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  70. 70. Curva de Mortalidade tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  71. 71. O que ganhamos com isto ? Simulações são rápidas e baratas tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  72. 72. O que ganhamos com isto ? Simulações são rápidas e baratas Estudos da própria Teoria da Evolução tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  73. 73. O que ganhamos com isto ? Simulações são rápidas e baratas Estudos da própria Teoria da Evolução Problemas em que a idade seja um fator importante tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  74. 74. O que ganhamos com isto ? Simulações são rápidas e baratas Estudos da própria Teoria da Evolução Problemas em que a idade seja um fator importante Planejamento de Aposentadorias e Pensões tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  75. 75. O que ganhamos com isto ? Simulações são rápidas e baratas Estudos da própria Teoria da Evolução Problemas em que a idade seja um fator importante Planejamento de Aposentadorias e Pensões Fertilidade depende da idade tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  76. 76. O que ganhamos com isto ? Simulações são rápidas e baratas Estudos da própria Teoria da Evolução Problemas em que a idade seja um fator importante Planejamento de Aposentadorias e Pensões Fertilidade depende da idade Planos de saúde tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  77. 77. O que ganhamos com isto ? Simulações são rápidas e baratas Estudos da própria Teoria da Evolução Problemas em que a idade seja um fator importante Planejamento de Aposentadorias e Pensões Fertilidade depende da idade Planos de saúde tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008
  78. 78. O que ganhamos com isto ? Simulações são rápidas e baratas Estudos da própria Teoria da Evolução Problemas em que a idade seja um fator importante Planejamento de Aposentadorias e Pensões Fertilidade depende da idade Planos de saúde tjpp@if.uff.br Semana de Ciência e Tecnologia 2008

×