SlideShare uma empresa Scribd logo
Tecido epitelial

- A superfície externa do corpo e as cavidades corporais internas dos animais são
revestidas por este tecido.
- Funções: proteção do corpo (pele), absorção de substâncias úteis (epitélio do intestino) e
percepção de sensações (pele).
- células perfeitamente justapostas, unidas por pequena quantidade de material
cimentante, com pouquíssimo espaço intercelular.
- Os epitélios não são vascularizados e não sangram quando feridos.
- Os epitélios podem ser classificados quanto ao número de células:
   •   Quando os epitélios são formados por uma só camada de células, são chamados
       de epitélios simples ou uniestratificados
   •   Já os epitélios formados por mais de uma camada de células são chamados
       estratificados.
   •   Existem ainda epitélios que, apesar de formados por uma única camada celular,
       têm células de diferentes alturas, o que dá a impressão de serem estratificados.
       Por isso, eles costumam ser denominados pseudo-estratificados.




                      Tecido epitelial glandular
As células do tecido epitelial glandular produzem substâncias chamadas secreções, que
podem ser utilizadas e outras partes do corpo ou eliminadas do organismo. Essas
secreções podem ser:
   •   mucosas, quando espessas e ricas em muco, Ex. glândulas salivares
   •   serosas, quando fluidas, aquosas, claras e ricas e proteínas. Ex. glândulas
       secretoras do pâncreas
   •   Podem também ser mistas, quando ocorrem secreções mucosas e serosas juntas.
       Ex. Glândulas salivares parótidas.
As glândulas podem ser unicelulares, como a glândula caliciforme (que ocorre por
exemplo, no epitélio da traquéia), ou multicelulares, como a maioria das glândulas.


                              Três tipos de glândulas multicelulares


Glândulas exócrinas: apresentam a porção secretora associada a dutos que lançam suas
secreções para fora do corpo (como as glândulas sudoríparas, lacrimais, mamárias e
sebáceas) ou para o interior de cavidades do corpo (como as glândulas salivares);
Glândulas endócrinas: não apresentam dutos associados à porção secretora. As
secreções são denominadas hormônios e lançadas diretamente nos vasos sanguíneos e
linfáticos. Exemplos, hipófise, glândulas da tireóide, glândulas paratireódeas e glândulas
adrenais;
Glândulas mistas: apresentam regiões endócrinas e exócrinas ao mesmo tempo. É o caso
do pâncreas, cuja porção exócrina secreta enzimas digestivas que são lançadas no
duodeno, enquanto a porção endócrina é responsável pela secreção dos hormônios
insulina e glucagon. Esses hormônios atuam, respectivamente, na redução e no aumento
dos níveis de glicose no sangue.


                   Tecido conjuntivo sanguíneo

O sangue (originado pelo tecido
hemocitopoiético)     é    um     tecido
altamente especializado, formado por
alguns tipos de células, que compõem a
parte figurada, dispersas num meio
líquido – o plasma -, que corresponde à
parte amorfa. Os constituintes celulares
são: glóbulos vermelhos (também
denominados          hemácias         ou
eritrócitos);     glóbulos      brancos
(também chamados de leucócitos).
O plasma é composto principalmente de
água com diversas substâncias
dissolvidas, que são transportadas
através dos vasos do corpo.
Todas as células do sangue são originadas na medula óssea vermelha a partir das células
indiferenciadas pluripotentes (células-tronco). Como consequência do processo de
diferenciação celular, as células-filhas indiferenciadas assumem formas e funções
especializadas.




                     Tecido conjuntivo adiposo
Nesse tecido a substância intracelular é reduzida, e as células, ricas em lipídios, são
denominadas células adiposas. Ocorre principalmente sob a pele, exercendo funções de
reserva de energia, proteção contra choques mecânicos e isolamento térmico. Ocorre
também ao redor de alguns órgãos como os rins e o coração.
As células adiposas possuem um grande vacúolo central de gordura, que aumenta ou
diminui, dependendo do metabolismo: se uma pessoa come pouco ou gasta muita energia,
a gordura das células adiposas diminui; caso contrário, ela se acumula. O tecido adiposo
atua como reserva de energia para momentos de necessidade.


                Tecido conjuntivo cartilaginoso
O tecido cartilaginoso, ou simplesmente cartilagem, apresentam consistência firme, mas
não é rígido como o tecido ósseo. Tem função de sustentação, reveste superfícies
articulares facilitando os movimentos e é fundamental para o crescimento dos ossos
longos.
A cartilagem é encontrada no nariz, nos anéis da traquéia e dos brônquios, na orelha
externa (pavilhão auditivo), na epiglote e em algumas partes da laringe. Além disso,
existem discos cartilaginosos entre as vértebras, que amortecem o impacto dos
movimentos sobre a coluna vertebral. No feto, o tecido cartilaginoso é muito abundante,
pois o esqueleto é inicialmente formado por esse tecido, que depois é em grande parte
substituído pelo tecido ósseo.


                       Tecido conjuntivo ósseo
O tecido ósseo tem a função de sustentação e ocorre nos ossos do esqueleto dos
vertebrados. É um tecido rígido graças à presença de matriz rica em sais de cálcio,
fósforo e magnésio. Além desses elementos, a matriz é rica em fibras colágenas, que
fornecem certa flexibilidade ao osso.
Quando um osso é serrado, percebe-se que ele é formado por duas partes: uma sem
cavidades, chamada osso compacto, e outra com muitas cavidades que se comunicam,
chamada osso esponjoso.
Os canais de Havers comunicam-se entre si, com a cavidade medular e com a superfície
externa do osso por meio de canais transversais ou oblíquos, chamados canais perfurantes
(canais de Volkmann). O interior dos ossos é preenchido pela medula óssea, que pode ser
de dois tipos: amarela, constituída por tecido adiposo, e vermelha, formadora de células
do sangue.


                              Tecido nervoso
Os seres vivos reagem aos estímulos ambientais. Mudanças nas condições do ambiente,
tais como sons, choques, calor e frio, são percebidas pelo organismo, que reage adotando
uma postura correspondente ao estímulo. Embora sejam os músculos que respondem aos
estímulos, é o tecido nervoso o responsável por sua recepção e escolha da resposta
adequada.
Os neurônios, ou células nervosas, têm a propriedade de receber e transmitir estímulos
nervosos, permitindo ao organismo responder a alteração do meio. Os neurônios são
alongados, podendo atingir, em alguns casos, cerca de 1 metro de comprimento, como
nos neurônios que se estendem desde nossas costas até o pé. São células formadas por um
corpo celular ou pericário, de onde partem dois tipos de prolongamento: dendritos e
axônio.
O axônio é uma expansão celular fina, alongada e de diâmetro constante, com
ramificações em sua porção final, de modo que o impulso pode ser transmitido
simultaneamente a vários destinos. É uma estrutura especializada na transmissão de
impulsos nervosos para outros neurônios ou para outros tipos celulares, como as células
de órgãos efetores (musculares e glandulares).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tecidos do corpo humano - 8 ano
Tecidos do corpo humano  - 8 anoTecidos do corpo humano  - 8 ano
Tecidos do corpo humano - 8 ano
Wanderley Almeida
 
8 ano: Tecidos do corpo humano
8 ano: Tecidos do corpo humano8 ano: Tecidos do corpo humano
8 ano: Tecidos do corpo humano
Sarah Lemes
 
Aula tecidos -_simplificado (1)
Aula tecidos -_simplificado (1)Aula tecidos -_simplificado (1)
Aula tecidos -_simplificado (1)
giovannimusetti
 
Relatório Histologia
Relatório HistologiaRelatório Histologia
Relatório Histologia
Ilana Moura
 
HISTOLOGIA - TEC. EPITELIAL E CONJUNTIVO
HISTOLOGIA - TEC. EPITELIAL E CONJUNTIVOHISTOLOGIA - TEC. EPITELIAL E CONJUNTIVO
HISTOLOGIA - TEC. EPITELIAL E CONJUNTIVO
César Milani
 
Tecidos animais fim[1]
Tecidos animais fim[1]Tecidos animais fim[1]
Tecidos animais fim[1]
Roberto Bagatini
 
Organização dos organismos- Tecidos, órgãos e sistemas
Organização dos organismos- Tecidos, órgãos e sistemasOrganização dos organismos- Tecidos, órgãos e sistemas
Organização dos organismos- Tecidos, órgãos e sistemas
Carlos Priante
 
7ª série- Histologia
7ª série- Histologia7ª série- Histologia
7ª série- Histologia
Aline Tonin
 
Tecidos animais
Tecidos animais Tecidos animais
Tecidos animais
gracielabtonin
 
-efeitos_fisiol._da_endermot._combinados_a_massagem_modeladora_no_tto_de_gord...
-efeitos_fisiol._da_endermot._combinados_a_massagem_modeladora_no_tto_de_gord...-efeitos_fisiol._da_endermot._combinados_a_massagem_modeladora_no_tto_de_gord...
-efeitos_fisiol._da_endermot._combinados_a_massagem_modeladora_no_tto_de_gord...
Rafael Thamiris Calegari
 
8 ano principais tipos de tecidos
8 ano principais tipos de tecidos8 ano principais tipos de tecidos
8 ano principais tipos de tecidos
crisbassanimedeiros
 
Histologia animal biologia - 2011
Histologia animal   biologia - 2011Histologia animal   biologia - 2011
Histologia animal biologia - 2011
Roberto Bagatini
 
Histologia animal biologia - 2011
Histologia animal   biologia - 2011Histologia animal   biologia - 2011
Histologia animal biologia - 2011
Roberto Bagatini
 
Resumo histologia 2
Resumo   histologia 2Resumo   histologia 2
Resumo histologia 2
flaviolimaenfermeiro
 
Histologia Animal
Histologia AnimalHistologia Animal
Histologia Animal
Jailson Lima
 
Aula tecidos simplificado
Aula tecidos   simplificadoAula tecidos   simplificado
Aula tecidos simplificado
ERACILDIA RODRIGUES
 
Tecidos
TecidosTecidos
Tecido epitelial
Tecido epitelialTecido epitelial
Tecido epitelial
letyap
 
Resumo histologia
Resumo   histologiaResumo   histologia
Resumo histologia
flaviolimaenfermeiro
 

Mais procurados (19)

Tecidos do corpo humano - 8 ano
Tecidos do corpo humano  - 8 anoTecidos do corpo humano  - 8 ano
Tecidos do corpo humano - 8 ano
 
8 ano: Tecidos do corpo humano
8 ano: Tecidos do corpo humano8 ano: Tecidos do corpo humano
8 ano: Tecidos do corpo humano
 
Aula tecidos -_simplificado (1)
Aula tecidos -_simplificado (1)Aula tecidos -_simplificado (1)
Aula tecidos -_simplificado (1)
 
Relatório Histologia
Relatório HistologiaRelatório Histologia
Relatório Histologia
 
HISTOLOGIA - TEC. EPITELIAL E CONJUNTIVO
HISTOLOGIA - TEC. EPITELIAL E CONJUNTIVOHISTOLOGIA - TEC. EPITELIAL E CONJUNTIVO
HISTOLOGIA - TEC. EPITELIAL E CONJUNTIVO
 
Tecidos animais fim[1]
Tecidos animais fim[1]Tecidos animais fim[1]
Tecidos animais fim[1]
 
Organização dos organismos- Tecidos, órgãos e sistemas
Organização dos organismos- Tecidos, órgãos e sistemasOrganização dos organismos- Tecidos, órgãos e sistemas
Organização dos organismos- Tecidos, órgãos e sistemas
 
7ª série- Histologia
7ª série- Histologia7ª série- Histologia
7ª série- Histologia
 
Tecidos animais
Tecidos animais Tecidos animais
Tecidos animais
 
-efeitos_fisiol._da_endermot._combinados_a_massagem_modeladora_no_tto_de_gord...
-efeitos_fisiol._da_endermot._combinados_a_massagem_modeladora_no_tto_de_gord...-efeitos_fisiol._da_endermot._combinados_a_massagem_modeladora_no_tto_de_gord...
-efeitos_fisiol._da_endermot._combinados_a_massagem_modeladora_no_tto_de_gord...
 
8 ano principais tipos de tecidos
8 ano principais tipos de tecidos8 ano principais tipos de tecidos
8 ano principais tipos de tecidos
 
Histologia animal biologia - 2011
Histologia animal   biologia - 2011Histologia animal   biologia - 2011
Histologia animal biologia - 2011
 
Histologia animal biologia - 2011
Histologia animal   biologia - 2011Histologia animal   biologia - 2011
Histologia animal biologia - 2011
 
Resumo histologia 2
Resumo   histologia 2Resumo   histologia 2
Resumo histologia 2
 
Histologia Animal
Histologia AnimalHistologia Animal
Histologia Animal
 
Aula tecidos simplificado
Aula tecidos   simplificadoAula tecidos   simplificado
Aula tecidos simplificado
 
Tecidos
TecidosTecidos
Tecidos
 
Tecido epitelial
Tecido epitelialTecido epitelial
Tecido epitelial
 
Resumo histologia
Resumo   histologiaResumo   histologia
Resumo histologia
 

Destaque

Planificaci%C3%B3n Del Tiempo De Estudio[1].Ppt2
Planificaci%C3%B3n Del Tiempo De Estudio[1].Ppt2Planificaci%C3%B3n Del Tiempo De Estudio[1].Ppt2
Planificaci%C3%B3n Del Tiempo De Estudio[1].Ppt2
eilin2005
 
Os irmãos lumiere
Os irmãos lumiereOs irmãos lumiere
Os irmãos lumiere
veronicadiogo
 
Abc community education
Abc community educationAbc community education
Abc community education
Toddy Wobbema
 
Estrategias De Aprendizajes Gg
Estrategias De Aprendizajes GgEstrategias De Aprendizajes Gg
Estrategias De Aprendizajes Gg
eilin2005
 
Paz Interior
Paz InteriorPaz Interior
Paz Interior
Karla Romero
 
45mmmmmaaaeeee
45mmmmmaaaeeee45mmmmmaaaeeee
45mmmmmaaaeeee
Ecila Nobre Dos Santos
 
Pesquisa g2
Pesquisa g2Pesquisa g2
Pesquisa g2
JULIO CORREA
 
Chef cv ,eng.
Chef cv  ,eng.Chef cv  ,eng.
Chef cv ,eng.
Radovan Djuric
 
A Logistica Paulista e sua Importancia para o Desenvolvimento Regional
A Logistica Paulista e sua Importancia para o Desenvolvimento RegionalA Logistica Paulista e sua Importancia para o Desenvolvimento Regional
A Logistica Paulista e sua Importancia para o Desenvolvimento Regional
Cogepp CEPAM
 
Eu seria mais criativo se...
Eu seria mais criativo se...Eu seria mais criativo se...
Eu seria mais criativo se...
JULIO CORREA
 

Destaque (10)

Planificaci%C3%B3n Del Tiempo De Estudio[1].Ppt2
Planificaci%C3%B3n Del Tiempo De Estudio[1].Ppt2Planificaci%C3%B3n Del Tiempo De Estudio[1].Ppt2
Planificaci%C3%B3n Del Tiempo De Estudio[1].Ppt2
 
Os irmãos lumiere
Os irmãos lumiereOs irmãos lumiere
Os irmãos lumiere
 
Abc community education
Abc community educationAbc community education
Abc community education
 
Estrategias De Aprendizajes Gg
Estrategias De Aprendizajes GgEstrategias De Aprendizajes Gg
Estrategias De Aprendizajes Gg
 
Paz Interior
Paz InteriorPaz Interior
Paz Interior
 
45mmmmmaaaeeee
45mmmmmaaaeeee45mmmmmaaaeeee
45mmmmmaaaeeee
 
Pesquisa g2
Pesquisa g2Pesquisa g2
Pesquisa g2
 
Chef cv ,eng.
Chef cv  ,eng.Chef cv  ,eng.
Chef cv ,eng.
 
A Logistica Paulista e sua Importancia para o Desenvolvimento Regional
A Logistica Paulista e sua Importancia para o Desenvolvimento RegionalA Logistica Paulista e sua Importancia para o Desenvolvimento Regional
A Logistica Paulista e sua Importancia para o Desenvolvimento Regional
 
Eu seria mais criativo se...
Eu seria mais criativo se...Eu seria mais criativo se...
Eu seria mais criativo se...
 

Semelhante a Tecidos

Esquema de Histologia animal
Esquema de Histologia animalEsquema de Histologia animal
Esquema de Histologia animal
Gustavo Pessoa
 
Biologia - Histologia Animal
Biologia - Histologia AnimalBiologia - Histologia Animal
Biologia - Histologia Animal
Carson Souza
 
Atividade de Biologia Tecidual .pdf
Atividade de Biologia Tecidual .pdfAtividade de Biologia Tecidual .pdf
Atividade de Biologia Tecidual .pdf
ManoelaLorentzen
 
A2 tecidos e niveis postar
A2 tecidos e niveis postarA2 tecidos e niveis postar
A2 tecidos e niveis postar
Simone Costa
 
Histologia Animal - Tecido Epitelial e Tecido Conjuntivo.
Histologia Animal - Tecido Epitelial e Tecido Conjuntivo.Histologia Animal - Tecido Epitelial e Tecido Conjuntivo.
Histologia Animal - Tecido Epitelial e Tecido Conjuntivo.
Paulocosta510
 
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Marcia Moreira
 
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Marcia Moreira
 
Resumo histologia 2
Resumo   histologia 2Resumo   histologia 2
Resumo histologia 2
flaviolimaenfermeiro
 
Histo copy
Histo copyHisto copy
Histo copy
Jhonny Marllon
 
Diferenciação celular e histologia 2014
Diferenciação celular e histologia 2014Diferenciação celular e histologia 2014
Diferenciação celular e histologia 2014
Gisele A. Barbosa
 
Histologia ruan
Histologia ruanHistologia ruan
Histologia ruan
Ruan Caetano
 
Tecidos animais
Tecidos animaisTecidos animais
Tecidos animais
gracielatonin
 
Aula 8º ano - Tecidos do corpo humano
Aula 8º ano - Tecidos do corpo humanoAula 8º ano - Tecidos do corpo humano
Aula 8º ano - Tecidos do corpo humano
Leonardo Kaplan
 
Histologia Animal
Histologia AnimalHistologia Animal
Histologia Animal
Eiderson Silva Cabral
 
Histologia Geral
Histologia GeralHistologia Geral
Histologia Geral
Carlos Priante
 
Aula tecidos -_simplificado
Aula tecidos -_simplificadoAula tecidos -_simplificado
Aula tecidos -_simplificado
giovannimusetti
 
Tecidos
TecidosTecidos
Aula tecidos -_simplificado (2)
Aula tecidos -_simplificado (2)Aula tecidos -_simplificado (2)
Aula tecidos -_simplificado (2)
giovannimusetti
 
Aula tecidos -_simplificado (3)
Aula tecidos -_simplificado (3)Aula tecidos -_simplificado (3)
Aula tecidos -_simplificado (3)
giovannimusetti
 
Aula tecidos simplificado
Aula tecidos   simplificadoAula tecidos   simplificado
Aula tecidos simplificado
Myrian Reis
 

Semelhante a Tecidos (20)

Esquema de Histologia animal
Esquema de Histologia animalEsquema de Histologia animal
Esquema de Histologia animal
 
Biologia - Histologia Animal
Biologia - Histologia AnimalBiologia - Histologia Animal
Biologia - Histologia Animal
 
Atividade de Biologia Tecidual .pdf
Atividade de Biologia Tecidual .pdfAtividade de Biologia Tecidual .pdf
Atividade de Biologia Tecidual .pdf
 
A2 tecidos e niveis postar
A2 tecidos e niveis postarA2 tecidos e niveis postar
A2 tecidos e niveis postar
 
Histologia Animal - Tecido Epitelial e Tecido Conjuntivo.
Histologia Animal - Tecido Epitelial e Tecido Conjuntivo.Histologia Animal - Tecido Epitelial e Tecido Conjuntivo.
Histologia Animal - Tecido Epitelial e Tecido Conjuntivo.
 
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
 
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
 
Resumo histologia 2
Resumo   histologia 2Resumo   histologia 2
Resumo histologia 2
 
Histo copy
Histo copyHisto copy
Histo copy
 
Diferenciação celular e histologia 2014
Diferenciação celular e histologia 2014Diferenciação celular e histologia 2014
Diferenciação celular e histologia 2014
 
Histologia ruan
Histologia ruanHistologia ruan
Histologia ruan
 
Tecidos animais
Tecidos animaisTecidos animais
Tecidos animais
 
Aula 8º ano - Tecidos do corpo humano
Aula 8º ano - Tecidos do corpo humanoAula 8º ano - Tecidos do corpo humano
Aula 8º ano - Tecidos do corpo humano
 
Histologia Animal
Histologia AnimalHistologia Animal
Histologia Animal
 
Histologia Geral
Histologia GeralHistologia Geral
Histologia Geral
 
Aula tecidos -_simplificado
Aula tecidos -_simplificadoAula tecidos -_simplificado
Aula tecidos -_simplificado
 
Tecidos
TecidosTecidos
Tecidos
 
Aula tecidos -_simplificado (2)
Aula tecidos -_simplificado (2)Aula tecidos -_simplificado (2)
Aula tecidos -_simplificado (2)
 
Aula tecidos -_simplificado (3)
Aula tecidos -_simplificado (3)Aula tecidos -_simplificado (3)
Aula tecidos -_simplificado (3)
 
Aula tecidos simplificado
Aula tecidos   simplificadoAula tecidos   simplificado
Aula tecidos simplificado
 

Tecidos

  • 1. Tecido epitelial - A superfície externa do corpo e as cavidades corporais internas dos animais são revestidas por este tecido. - Funções: proteção do corpo (pele), absorção de substâncias úteis (epitélio do intestino) e percepção de sensações (pele). - células perfeitamente justapostas, unidas por pequena quantidade de material cimentante, com pouquíssimo espaço intercelular. - Os epitélios não são vascularizados e não sangram quando feridos. - Os epitélios podem ser classificados quanto ao número de células: • Quando os epitélios são formados por uma só camada de células, são chamados de epitélios simples ou uniestratificados • Já os epitélios formados por mais de uma camada de células são chamados estratificados. • Existem ainda epitélios que, apesar de formados por uma única camada celular, têm células de diferentes alturas, o que dá a impressão de serem estratificados. Por isso, eles costumam ser denominados pseudo-estratificados. Tecido epitelial glandular As células do tecido epitelial glandular produzem substâncias chamadas secreções, que podem ser utilizadas e outras partes do corpo ou eliminadas do organismo. Essas secreções podem ser: • mucosas, quando espessas e ricas em muco, Ex. glândulas salivares • serosas, quando fluidas, aquosas, claras e ricas e proteínas. Ex. glândulas secretoras do pâncreas • Podem também ser mistas, quando ocorrem secreções mucosas e serosas juntas. Ex. Glândulas salivares parótidas. As glândulas podem ser unicelulares, como a glândula caliciforme (que ocorre por exemplo, no epitélio da traquéia), ou multicelulares, como a maioria das glândulas. Três tipos de glândulas multicelulares Glândulas exócrinas: apresentam a porção secretora associada a dutos que lançam suas
  • 2. secreções para fora do corpo (como as glândulas sudoríparas, lacrimais, mamárias e sebáceas) ou para o interior de cavidades do corpo (como as glândulas salivares); Glândulas endócrinas: não apresentam dutos associados à porção secretora. As secreções são denominadas hormônios e lançadas diretamente nos vasos sanguíneos e linfáticos. Exemplos, hipófise, glândulas da tireóide, glândulas paratireódeas e glândulas adrenais; Glândulas mistas: apresentam regiões endócrinas e exócrinas ao mesmo tempo. É o caso do pâncreas, cuja porção exócrina secreta enzimas digestivas que são lançadas no duodeno, enquanto a porção endócrina é responsável pela secreção dos hormônios insulina e glucagon. Esses hormônios atuam, respectivamente, na redução e no aumento dos níveis de glicose no sangue. Tecido conjuntivo sanguíneo O sangue (originado pelo tecido hemocitopoiético) é um tecido altamente especializado, formado por alguns tipos de células, que compõem a parte figurada, dispersas num meio líquido – o plasma -, que corresponde à parte amorfa. Os constituintes celulares são: glóbulos vermelhos (também denominados hemácias ou eritrócitos); glóbulos brancos (também chamados de leucócitos). O plasma é composto principalmente de água com diversas substâncias dissolvidas, que são transportadas através dos vasos do corpo. Todas as células do sangue são originadas na medula óssea vermelha a partir das células indiferenciadas pluripotentes (células-tronco). Como consequência do processo de diferenciação celular, as células-filhas indiferenciadas assumem formas e funções especializadas. Tecido conjuntivo adiposo Nesse tecido a substância intracelular é reduzida, e as células, ricas em lipídios, são denominadas células adiposas. Ocorre principalmente sob a pele, exercendo funções de reserva de energia, proteção contra choques mecânicos e isolamento térmico. Ocorre
  • 3. também ao redor de alguns órgãos como os rins e o coração. As células adiposas possuem um grande vacúolo central de gordura, que aumenta ou diminui, dependendo do metabolismo: se uma pessoa come pouco ou gasta muita energia, a gordura das células adiposas diminui; caso contrário, ela se acumula. O tecido adiposo atua como reserva de energia para momentos de necessidade. Tecido conjuntivo cartilaginoso O tecido cartilaginoso, ou simplesmente cartilagem, apresentam consistência firme, mas não é rígido como o tecido ósseo. Tem função de sustentação, reveste superfícies articulares facilitando os movimentos e é fundamental para o crescimento dos ossos longos. A cartilagem é encontrada no nariz, nos anéis da traquéia e dos brônquios, na orelha externa (pavilhão auditivo), na epiglote e em algumas partes da laringe. Além disso, existem discos cartilaginosos entre as vértebras, que amortecem o impacto dos movimentos sobre a coluna vertebral. No feto, o tecido cartilaginoso é muito abundante, pois o esqueleto é inicialmente formado por esse tecido, que depois é em grande parte substituído pelo tecido ósseo. Tecido conjuntivo ósseo O tecido ósseo tem a função de sustentação e ocorre nos ossos do esqueleto dos vertebrados. É um tecido rígido graças à presença de matriz rica em sais de cálcio, fósforo e magnésio. Além desses elementos, a matriz é rica em fibras colágenas, que fornecem certa flexibilidade ao osso. Quando um osso é serrado, percebe-se que ele é formado por duas partes: uma sem cavidades, chamada osso compacto, e outra com muitas cavidades que se comunicam, chamada osso esponjoso. Os canais de Havers comunicam-se entre si, com a cavidade medular e com a superfície externa do osso por meio de canais transversais ou oblíquos, chamados canais perfurantes (canais de Volkmann). O interior dos ossos é preenchido pela medula óssea, que pode ser de dois tipos: amarela, constituída por tecido adiposo, e vermelha, formadora de células do sangue. Tecido nervoso Os seres vivos reagem aos estímulos ambientais. Mudanças nas condições do ambiente, tais como sons, choques, calor e frio, são percebidas pelo organismo, que reage adotando uma postura correspondente ao estímulo. Embora sejam os músculos que respondem aos
  • 4. estímulos, é o tecido nervoso o responsável por sua recepção e escolha da resposta adequada. Os neurônios, ou células nervosas, têm a propriedade de receber e transmitir estímulos nervosos, permitindo ao organismo responder a alteração do meio. Os neurônios são alongados, podendo atingir, em alguns casos, cerca de 1 metro de comprimento, como nos neurônios que se estendem desde nossas costas até o pé. São células formadas por um corpo celular ou pericário, de onde partem dois tipos de prolongamento: dendritos e axônio. O axônio é uma expansão celular fina, alongada e de diâmetro constante, com ramificações em sua porção final, de modo que o impulso pode ser transmitido simultaneamente a vários destinos. É uma estrutura especializada na transmissão de impulsos nervosos para outros neurônios ou para outros tipos celulares, como as células de órgãos efetores (musculares e glandulares).