SlideShare uma empresa Scribd logo
• TECIDO EPITELIAL
• TECIDO CONJUNTIVO
O organismo humano é formado por vários tipos de tecido, os quais
podem ser reunidos em quatro grandes grupos: epitelial, conjuntivo,
muscular e nervoso.
Cada um desses grupos de tecido é extremamente importante para o
funcionamento do corpo e apresenta características singulares que
permitem sua diferenciação. Veremos as principais características dos
quatro tipos de tecido humano.
Características gerais
 O tecido epitelial apresenta células
justapostas (bastante unidas) e possui
pouca ou nenhuma substância
intercelular (M.E). Suas células
justapostas estão ligadas à função de
revestimento do corpo.
 Tecido epitelial de revestimento -
apresenta como função principal
revestir os órgãos e o nosso corpo
.
• Tecido epitelial glandular - é
responsável pela formação das
glândulas do corpo, estruturas
responsáveis pela produção de
secreções importantes
Apresentam apenas uma camada de células.
Possuem mais de uma camada de células.
Tecido formado apenas por uma camada de células
TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO PSEUDO-
ESTRATIFICADO CILÍNDRICO CILIADO – TRAQUÉIA.
TECIDO EPITELIAL ESTRATIFICADO
PAVIMENTOSO - PELE.
Epitélio simples Prismático – Intestino Delgado. Epitélio simples Pavimentoso – Alvéolos Pulmonares.
Pavimentoso: Células com formato achatado
que muitas vezes lembram azulejos. Os epitélios
pavimentosos, que podem ser simples ou
estratificados, podem ser encontrados revestindo
vasos sanguíneos e formando a epiderme. Como
exemplo temos o epitélio pavimentoso simples dos
alvéolos pulmonares, que tem como função permitir a
passagem de oxigênio para as células.
Cúbico: Células de formato cúbico. Os
epitélios cúbicos podem ser simples ou
estratificados e podem ser observados no
ovário e nos rins, que apresenta como
função absorção de água e secreção
Prismático, colunar ou
cilíndrico: Células alongadas e
retangulares. Os epitélios prismáticos podem
ser simples ou estratificados e podem ser
encontrados revestindo o Intestino delgado,
traquéia e a cavidade nasal, por exemplo.
Transição: Tipo de tecido
estratificado com células superficiais de
formato globoso que mudam de acordo
com o grau de distensão do tecido.
Esse tipo de epitélio é encontrado na
bexiga.
 O tipo de epitélio encontrado em cada órgão está diretamente
relacionado com a função daquela determinada estrutura.
 Os epitélios pavimentosos simples, por exemplo, são encontrados
em locais onde a troca de substâncias deve ocorrer facilmente.
 Já os estratificados pavimentosos, por exemplo, dificultam a
troca de substâncias e estão mais relacionados com a proteção.
 Resultante da multiplicação de células epiteliais, as glândulas são
agrupamentos de células especializadas na produção de substância úteis, as
secreções podem ser divididas em:
 EXÓCRINAS;
 ENDÓCRINAS ;
 MISTA.
São glândulas que eliminam
substâncias para fora do
organismo ou em cavidades
abertas.
EX.: Glândulas sebáceas,
lacrimais, salivares, mamária e
sudoríferas ou sudoríparas, que
produzem uma solução salina
diluída, que pela evaporação,
colabora para diminuir a
temperatura do corpo.
GLÂNDULAS EXÓCRINAS
Não possuem o canal de
comunicação com o epitélio de
origem e lançam seus produtos,
chamados de hormônios em capilares
sanguíneos.
 EX.: Hipófise, Tireóide, Paratireóide e
suprarrenais.
GLÂNDULAS ENDÓCRINAS
 Apresentam partes endócrinas e partes
exócrinas;
Exemplo: Pâncreas - cujas secreções
internas são a insulina e o glucagon, que
controlam a taxa de açúcar no sangue, e
cuja secreção externa é o suco
pancreático, que contém enzimas
digestivas.
GLÂNDULAS MISTAS
São aquelas que eliminam
somente as secreções ficando suas
células intactas.
Ex.: Glândulas lacrimais,
glândulas salivares, glândulas
sudoríparas.
GLÂNDULAS MERÓCRINAS
São aquelas que eliminam parte
(pedaço) das células junto com
secreção.
Ex.: Glândula MAMÁRIA.
GLÂNDULAS APÓCRINAS
 São aquelas que eliminam células
juntamente com a secreção. Nas
glândulas sebáceas a secreção é
formada pela própria célula, que
acumula sua secreção, morre e é
eliminada.
GLÂNDULAS HOLÓCRINA
Quando a glândula é simples, ela possui apenas um ducto, quando
é composta, possui mais de um ducto e quando é ramificada,
possui duas ou mais porções secretoras que se unem em um único
ducto secretor.
• III - Glândula Tubulosa ou Tubular
• II - Glândula Acinosa ou Alveolar
• I - Glândula Túbulo-acinosa
A porção secretora assume a forma de um
cacho de uvas. Pode ser simples,
ramificada ou composta.
Glândula Acinosa ou Alveolar
Acinosa Simples - Ocorrem como bolsas nas
superfícies epiteliais e acham-se revestidas por
células secretoras.
Exemplo: glândula muco-secretora da uretra
peniana.
A porção secretora da glândula
assume a forma de tubo. Pode ser
simples, ramificada ou enrolada.
Glândula Tubulosa ou Tubular
Tubulosa Simples - Não possui ductos
diferenciados. A porção secretora se abre
diretamente na superfície.
Exemplos: glândulas intestinais (glândulas
de Lieberkuhn)
 Glândula onde se encontram ao mesmo
tempo porções secretoras tubulosas e
acinosas. Pode ser simples ou composta.
Glândula Túbulo-acinosa
Túbulo-acinosa Simples - Ocorre
porção Tubular e Acinosa em um único
ducto.
Exemplo: glândulas mucosas esofagianas.
TECIDO
CONJUNTIV
O
TECIDO CONJUNTIVO
 O tecido conjuntivo apresenta uma grande quantidade
de substância intercelular, o que faz com que suas
células não estejam tão unidas como as do tecido
epitelial.
 Esse tecido normalmente apresenta na substância
intercelular uma grande quantidade de fibras
(Colágeno).
 Ele também se destaca por apresentar uma grande
variedade de tipos celulares.
Tecidos conjuntivos propriamente ditos
Frouxo;
Denso
 Tecidos conjuntivos especiais (tecido adiposo, cartilaginoso, ósseo e
hematopoiético).
Denso Modelado (ou tendinoso)
Denso Não Modelado (ou fibroso)
 Apresentam-se amplamente distribuídos no
corpo humano.
 Fibroblastos - responsáveis pela produção de
fibras e substâncias intercelulares;
 Macrófagos - células grandes e móveis que se
deslocam continuamente pela matriz
intercelular, fagocitando bactérias e resíduos.
 Unir e sustentar outros tecidos (órgãos), dando
“conjunto” ao corpo.
 Presente em várias partes do corpo,
caracteriza-se por apresentar fibras
frouxamente entrelaçadas.
 Sua função é sustentar tecidos epiteliais
vizinhos e preencher espaços entre tecidos e
órgãos.
 Um exemplo desse tecido é a camada papilar
da derme, localizada imediatamente sob a
epiderme da pele.
Tecido conjuntivo frouxo
 Também chamado de tecido conjuntivo denso
fibroso, tem grande quantidade de fibras
proteicas entrelaçadas, que lhe dão resistência
e elasticidade.
 Ele está presente na camada reticular da
derme e em cápsulas envoltórias de diversos
órgãos internos, como rins, o baço, o fígado e os
testículos, entre outros.
Tecido conjuntivo denso não modelado
 Também denominado tecido conjuntivo
denso tendinoso, tem grande quantidade
de fibras colágenas orientadas
paralelamente, o que o torna muito
resistente e pouco elástico.
 Esse tecido constitui os tendões, que
ligam os músculos aos ossos, e os
ligamentos, que ligam ossos entre si.
Tecido conjuntivo denso modelado
 Alguns tecidos conjuntivos desempenham funções altamente
especializadas, sendo, por isso, chamados de tecidos conjuntivos
especiais.
 Exemplos são o tecido adiposo, que armazena gordura, o tecido
cartilaginoso, que constitui as cartilagens, o tecido ósseo, que constitui
os ossos, e o tecido hematopoiético, que origina as células do sangue.
 É um tipo especial de tecido conjuntivo
cujas células, os adipócitos,
especializam-se no armazenamento de
gordura.
 Ele se localiza principalmente sob a
pele, constituindo a tela subcutânea ou
hipoderme.
Tecido Conjuntivo Adiposo
 Caracteriza-se pela resistência aliada à flexibilidade.
 Matriz intercelular rica em fibras colágenas e em matérias
consistentes, produzidos e secretados por células denominadas
condroblastos.
 Os condroblastos amadurecem e diminuem de tamanho, passando a
ser chamados de condrócitos.
 Único tecido conjuntivo avascular - Pericôndrio
Tecido Conjuntivo Cartilaginoso
 No animais adultos, há cartilagens na traqueia, nos
brônquios, na laringe, no nariz e nas orelhas, dando
sustentação mecânica a esses órgão.
 Constitui os ossos, responsáveis pela sustentação
mecânica do corpo. A principal característica desse
tecido é a matriz intercelular rígida, rica em fibras
colágenas e em fosfato de cálcio.
 Além de íons minerais como magnésio, potássio e
sódio.
 Os cristais de fosfato de cálcio, juntamente com as
fibras colágenas, são os responsáveis pela rigidez e
resistência dos ossos.
Tecido Conjuntivo Ósseo
 Osteoblastos - produzem a matriz óssea.
 Osteócitos - a célula passa a ocupar
apenas a lacuna central, deixando vazios
os canalículos modelados quando a
matriz óssea se formou.
 Pelos canalículos ósseos circulam fluido
provenientes do sangue, trazendo
nutrientes e gás oxigênio para as
Tecido Conjuntivo Ósseo
 Além de osteoblastos e osteócitos, o tecido ósseo
apresenta células denominadas osteoclastos (do
grego klastos, quebrar, destruir);
 Originadas pela fusão de células sanguíneas
chamadas de monócitos.
 Os osteoclastos deslocam-se sobre as superfícies
ósseas destruindo áreas lesadas ou envelhecidas
do osso, possibilitando sua regeneração pelos
osteoblastos.
Tecido Conjuntivo Ósseo
 O tecido hematopoiético ou hemocitopoético (do grego hematos, sangue,
citos, célula, e poiese, origem, formação).
 Está presente na medula óssea vermelha dos ossos e em certos órgãos
corporais como o timo, o baço, e os linfonodos.
 Sua função é originar as células do sangue, que ficam mergulhadas em
uma matriz líquida, o plasma sanguíneo.
Hemacias;
Leucócitos;
Plaquetas.
Neutrófilo - Bactérias
 Função - transporta gás oxigênio e
nutrientes para todas as células do corpo
e recolhe gás carbônico e excreções
produzidos por elas.
 Transporta também os hormônios
produzidos pelas glândulas endócrinas e
protege o corpo contra a invasão de
agentes infecciosos, combatendo-os por
meio da ação dos glóbulos brancos.
Tecido Conjuntivo Hematopoiético
Células Sanguíneas Características
Hemácias ou eritrócitos (células vermelha) Forma discoidal; sem núcleo; repletas de hemoglobina;
transportam gás oxigênio para os tecidos.
Neutrófilos
Forma esférica; núcleo trilobado; fagocitam bactérias e
corpos estranhos.
Eosinófilos Forma esférica; núcleo bilobado; participam das reações
alérgicas, produzindo histamina e atuam na defesa
contra infecções vermes-parasitárias.
Basófilos Forma esférica; núcleo irregular; acredita-se que também
participam de processos alérgicos; produzem histamina e
heparina (anticoagulante).
Linfócitos (B e T) Forma esférica; núcleo também esférico; participam dos
processos de defesa imunitária, produzindo e regulando a
síntese de anticorpos.
Monócitos Forma esférica; núcleo oval ou riniforme; originam
macrófagos e osteoclastos, células especializadas na
fagocitose.
Plaquetas Forma irregular; sem núcleo; participam dos processos de
coagulação do sangue.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A pele e seus anexos
A pele e seus anexosA pele e seus anexos
A pele e seus anexos
Centro Universitário Ages
 
Histologia humana
Histologia humanaHistologia humana
Histologia humana
César Milani
 
Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial
César Milani
 
3.tecido adiposo
3.tecido adiposo3.tecido adiposo
3.tecido adiposo
Ana Paula Ribeiro
 
Tecidos do corpo humano - 8 ano
Tecidos do corpo humano  - 8 anoTecidos do corpo humano  - 8 ano
Tecidos do corpo humano - 8 ano
Wanderley Almeida
 
Anatomia corpo humano parte 1
Anatomia corpo humano parte 1Anatomia corpo humano parte 1
Anatomia corpo humano parte 1
Alexandre Donha
 
Tecido ósseo
Tecido ósseoTecido ósseo
Tecido ósseo
Amália Beims
 
Aula slides bacteriologia
Aula slides   bacteriologiaAula slides   bacteriologia
Aula slides bacteriologia
Simone Alvarenga
 
Anatomia humana síntese
Anatomia humana sínteseAnatomia humana síntese
Anatomia humana síntese
Claudio Poeta
 
Resumo histologia 2
Resumo   histologia 2Resumo   histologia 2
Resumo histologia 2
flaviolimaenfermeiro
 
Anatomia e fisiologia
Anatomia e  fisiologiaAnatomia e  fisiologia
Anatomia e fisiologia
Luis Antonio Cezar Junior
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
Rita Cunha
 
Pele e anexos
Pele e anexosPele e anexos
Pele e anexos
kassiel
 
Sistema digestório - anatomia humana II
Sistema digestório - anatomia humana IISistema digestório - anatomia humana II
Sistema digestório - anatomia humana II
Marília Gomes
 
Sistema Tegumentar
Sistema TegumentarSistema Tegumentar
Sistema Tegumentar
psicologiaisecensa
 
Neuro 1 aula 4 290311 bioeletrogênese
Neuro 1 aula 4 290311 bioeletrogêneseNeuro 1 aula 4 290311 bioeletrogênese
Neuro 1 aula 4 290311 bioeletrogênese
Thiago Lemos
 
Sistema Tegumentar
Sistema TegumentarSistema Tegumentar
Sistema Tegumentar
Giulio Bonanno
 
Introducao a farmacologia
Introducao a farmacologiaIntroducao a farmacologia
Introducao a farmacologia
Regia Taline
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
Nathanael Amparo
 
Histofisiologia tecido epitelial
Histofisiologia tecido epitelialHistofisiologia tecido epitelial
Histofisiologia tecido epitelial
Marília Gomes
 

Mais procurados (20)

A pele e seus anexos
A pele e seus anexosA pele e seus anexos
A pele e seus anexos
 
Histologia humana
Histologia humanaHistologia humana
Histologia humana
 
Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial Histologia humana - Tecido Epitelial
Histologia humana - Tecido Epitelial
 
3.tecido adiposo
3.tecido adiposo3.tecido adiposo
3.tecido adiposo
 
Tecidos do corpo humano - 8 ano
Tecidos do corpo humano  - 8 anoTecidos do corpo humano  - 8 ano
Tecidos do corpo humano - 8 ano
 
Anatomia corpo humano parte 1
Anatomia corpo humano parte 1Anatomia corpo humano parte 1
Anatomia corpo humano parte 1
 
Tecido ósseo
Tecido ósseoTecido ósseo
Tecido ósseo
 
Aula slides bacteriologia
Aula slides   bacteriologiaAula slides   bacteriologia
Aula slides bacteriologia
 
Anatomia humana síntese
Anatomia humana sínteseAnatomia humana síntese
Anatomia humana síntese
 
Resumo histologia 2
Resumo   histologia 2Resumo   histologia 2
Resumo histologia 2
 
Anatomia e fisiologia
Anatomia e  fisiologiaAnatomia e  fisiologia
Anatomia e fisiologia
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
 
Pele e anexos
Pele e anexosPele e anexos
Pele e anexos
 
Sistema digestório - anatomia humana II
Sistema digestório - anatomia humana IISistema digestório - anatomia humana II
Sistema digestório - anatomia humana II
 
Sistema Tegumentar
Sistema TegumentarSistema Tegumentar
Sistema Tegumentar
 
Neuro 1 aula 4 290311 bioeletrogênese
Neuro 1 aula 4 290311 bioeletrogêneseNeuro 1 aula 4 290311 bioeletrogênese
Neuro 1 aula 4 290311 bioeletrogênese
 
Sistema Tegumentar
Sistema TegumentarSistema Tegumentar
Sistema Tegumentar
 
Introducao a farmacologia
Introducao a farmacologiaIntroducao a farmacologia
Introducao a farmacologia
 
Sistema tegumentar
Sistema tegumentarSistema tegumentar
Sistema tegumentar
 
Histofisiologia tecido epitelial
Histofisiologia tecido epitelialHistofisiologia tecido epitelial
Histofisiologia tecido epitelial
 

Semelhante a Histologia Animal - Tecido Epitelial e Tecido Conjuntivo.

Atividade de Biologia Tecidual .pdf
Atividade de Biologia Tecidual .pdfAtividade de Biologia Tecidual .pdf
Atividade de Biologia Tecidual .pdf
ManoelaLorentzen
 
Tecidos animais
Tecidos animais Tecidos animais
Tecidos animais
gracielabtonin
 
Tecidos
TecidosTecidos
Tecidos
TecidosTecidos
Tecido epitelial 2o b
Tecido epitelial 2o bTecido epitelial 2o b
Tecido epitelial 2o b
SESI 422 - Americana
 
Histologia animal biologia - 2011
Histologia animal   biologia - 2011Histologia animal   biologia - 2011
Histologia animal biologia - 2011
Roberto Bagatini
 
Histologia animal biologia - 2011
Histologia animal   biologia - 2011Histologia animal   biologia - 2011
Histologia animal biologia - 2011
Roberto Bagatini
 
Histologia humana GAP 2023.pdf
Histologia humana GAP 2023.pdfHistologia humana GAP 2023.pdf
Histologia humana GAP 2023.pdf
JULIANAALVESMIRANDA
 
Biologia - Histologia Animal
Biologia - Histologia AnimalBiologia - Histologia Animal
Biologia - Histologia Animal
Carson Souza
 
AULA-3-BIOLOGIA-APLICADA-A-ESTÃ_TICA.pdf
AULA-3-BIOLOGIA-APLICADA-A-ESTÃ_TICA.pdfAULA-3-BIOLOGIA-APLICADA-A-ESTÃ_TICA.pdf
AULA-3-BIOLOGIA-APLICADA-A-ESTÃ_TICA.pdf
IsabelCristina669515
 
Histologiahumana completa
Histologiahumana completaHistologiahumana completa
Histologiahumana completa
Roberta Lemos
 
Tecido epitelial
Tecido epitelialTecido epitelial
Tecido epitelial
Nathalia Fuga
 
Resumo histologia 2
Resumo   histologia 2Resumo   histologia 2
Resumo histologia 2
flaviolimaenfermeiro
 
Noções de Histologia
Noções de HistologiaNoções de Histologia
Noções de Histologia
emanuel
 
Lista de Histologia Animal
Lista de Histologia AnimalLista de Histologia Animal
Lista de Histologia Animal
emanuel
 
HISTOLOGIA - TEC. EPITELIAL E CONJUNTIVO
HISTOLOGIA - TEC. EPITELIAL E CONJUNTIVOHISTOLOGIA - TEC. EPITELIAL E CONJUNTIVO
HISTOLOGIA - TEC. EPITELIAL E CONJUNTIVO
César Milani
 
Tecido conjuntivo e ósseo 2o b
Tecido conjuntivo e ósseo 2o bTecido conjuntivo e ósseo 2o b
Tecido conjuntivo e ósseo 2o b
SESI 422 - Americana
 
A2 tecidos e niveis postar
A2 tecidos e niveis postarA2 tecidos e niveis postar
A2 tecidos e niveis postar
Simone Costa
 
Aula 08 histologia
Aula 08   histologiaAula 08   histologia
Aula 08 histologia
Hamilton F Nobrega
 
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Marcia Moreira
 

Semelhante a Histologia Animal - Tecido Epitelial e Tecido Conjuntivo. (20)

Atividade de Biologia Tecidual .pdf
Atividade de Biologia Tecidual .pdfAtividade de Biologia Tecidual .pdf
Atividade de Biologia Tecidual .pdf
 
Tecidos animais
Tecidos animais Tecidos animais
Tecidos animais
 
Tecidos
TecidosTecidos
Tecidos
 
Tecidos
TecidosTecidos
Tecidos
 
Tecido epitelial 2o b
Tecido epitelial 2o bTecido epitelial 2o b
Tecido epitelial 2o b
 
Histologia animal biologia - 2011
Histologia animal   biologia - 2011Histologia animal   biologia - 2011
Histologia animal biologia - 2011
 
Histologia animal biologia - 2011
Histologia animal   biologia - 2011Histologia animal   biologia - 2011
Histologia animal biologia - 2011
 
Histologia humana GAP 2023.pdf
Histologia humana GAP 2023.pdfHistologia humana GAP 2023.pdf
Histologia humana GAP 2023.pdf
 
Biologia - Histologia Animal
Biologia - Histologia AnimalBiologia - Histologia Animal
Biologia - Histologia Animal
 
AULA-3-BIOLOGIA-APLICADA-A-ESTÃ_TICA.pdf
AULA-3-BIOLOGIA-APLICADA-A-ESTÃ_TICA.pdfAULA-3-BIOLOGIA-APLICADA-A-ESTÃ_TICA.pdf
AULA-3-BIOLOGIA-APLICADA-A-ESTÃ_TICA.pdf
 
Histologiahumana completa
Histologiahumana completaHistologiahumana completa
Histologiahumana completa
 
Tecido epitelial
Tecido epitelialTecido epitelial
Tecido epitelial
 
Resumo histologia 2
Resumo   histologia 2Resumo   histologia 2
Resumo histologia 2
 
Noções de Histologia
Noções de HistologiaNoções de Histologia
Noções de Histologia
 
Lista de Histologia Animal
Lista de Histologia AnimalLista de Histologia Animal
Lista de Histologia Animal
 
HISTOLOGIA - TEC. EPITELIAL E CONJUNTIVO
HISTOLOGIA - TEC. EPITELIAL E CONJUNTIVOHISTOLOGIA - TEC. EPITELIAL E CONJUNTIVO
HISTOLOGIA - TEC. EPITELIAL E CONJUNTIVO
 
Tecido conjuntivo e ósseo 2o b
Tecido conjuntivo e ósseo 2o bTecido conjuntivo e ósseo 2o b
Tecido conjuntivo e ósseo 2o b
 
A2 tecidos e niveis postar
A2 tecidos e niveis postarA2 tecidos e niveis postar
A2 tecidos e niveis postar
 
Aula 08 histologia
Aula 08   histologiaAula 08   histologia
Aula 08 histologia
 
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
Aulatecidos simplificado1-110208154726-phpapp02
 

Último

Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 

Último (20)

Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 01.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 

Histologia Animal - Tecido Epitelial e Tecido Conjuntivo.

  • 1. • TECIDO EPITELIAL • TECIDO CONJUNTIVO
  • 2. O organismo humano é formado por vários tipos de tecido, os quais podem ser reunidos em quatro grandes grupos: epitelial, conjuntivo, muscular e nervoso. Cada um desses grupos de tecido é extremamente importante para o funcionamento do corpo e apresenta características singulares que permitem sua diferenciação. Veremos as principais características dos quatro tipos de tecido humano.
  • 3. Características gerais  O tecido epitelial apresenta células justapostas (bastante unidas) e possui pouca ou nenhuma substância intercelular (M.E). Suas células justapostas estão ligadas à função de revestimento do corpo.
  • 4.  Tecido epitelial de revestimento - apresenta como função principal revestir os órgãos e o nosso corpo . • Tecido epitelial glandular - é responsável pela formação das glândulas do corpo, estruturas responsáveis pela produção de secreções importantes
  • 5. Apresentam apenas uma camada de células. Possuem mais de uma camada de células. Tecido formado apenas por uma camada de células
  • 6. TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO PSEUDO- ESTRATIFICADO CILÍNDRICO CILIADO – TRAQUÉIA. TECIDO EPITELIAL ESTRATIFICADO PAVIMENTOSO - PELE.
  • 7. Epitélio simples Prismático – Intestino Delgado. Epitélio simples Pavimentoso – Alvéolos Pulmonares.
  • 8. Pavimentoso: Células com formato achatado que muitas vezes lembram azulejos. Os epitélios pavimentosos, que podem ser simples ou estratificados, podem ser encontrados revestindo vasos sanguíneos e formando a epiderme. Como exemplo temos o epitélio pavimentoso simples dos alvéolos pulmonares, que tem como função permitir a passagem de oxigênio para as células.
  • 9. Cúbico: Células de formato cúbico. Os epitélios cúbicos podem ser simples ou estratificados e podem ser observados no ovário e nos rins, que apresenta como função absorção de água e secreção
  • 10. Prismático, colunar ou cilíndrico: Células alongadas e retangulares. Os epitélios prismáticos podem ser simples ou estratificados e podem ser encontrados revestindo o Intestino delgado, traquéia e a cavidade nasal, por exemplo.
  • 11. Transição: Tipo de tecido estratificado com células superficiais de formato globoso que mudam de acordo com o grau de distensão do tecido. Esse tipo de epitélio é encontrado na bexiga.
  • 12.  O tipo de epitélio encontrado em cada órgão está diretamente relacionado com a função daquela determinada estrutura.  Os epitélios pavimentosos simples, por exemplo, são encontrados em locais onde a troca de substâncias deve ocorrer facilmente.  Já os estratificados pavimentosos, por exemplo, dificultam a troca de substâncias e estão mais relacionados com a proteção.
  • 13.  Resultante da multiplicação de células epiteliais, as glândulas são agrupamentos de células especializadas na produção de substância úteis, as secreções podem ser divididas em:  EXÓCRINAS;  ENDÓCRINAS ;  MISTA.
  • 14. São glândulas que eliminam substâncias para fora do organismo ou em cavidades abertas. EX.: Glândulas sebáceas, lacrimais, salivares, mamária e sudoríferas ou sudoríparas, que produzem uma solução salina diluída, que pela evaporação, colabora para diminuir a temperatura do corpo. GLÂNDULAS EXÓCRINAS
  • 15. Não possuem o canal de comunicação com o epitélio de origem e lançam seus produtos, chamados de hormônios em capilares sanguíneos.  EX.: Hipófise, Tireóide, Paratireóide e suprarrenais. GLÂNDULAS ENDÓCRINAS
  • 16.  Apresentam partes endócrinas e partes exócrinas; Exemplo: Pâncreas - cujas secreções internas são a insulina e o glucagon, que controlam a taxa de açúcar no sangue, e cuja secreção externa é o suco pancreático, que contém enzimas digestivas. GLÂNDULAS MISTAS
  • 17. São aquelas que eliminam somente as secreções ficando suas células intactas. Ex.: Glândulas lacrimais, glândulas salivares, glândulas sudoríparas. GLÂNDULAS MERÓCRINAS
  • 18. São aquelas que eliminam parte (pedaço) das células junto com secreção. Ex.: Glândula MAMÁRIA. GLÂNDULAS APÓCRINAS
  • 19.  São aquelas que eliminam células juntamente com a secreção. Nas glândulas sebáceas a secreção é formada pela própria célula, que acumula sua secreção, morre e é eliminada. GLÂNDULAS HOLÓCRINA
  • 20. Quando a glândula é simples, ela possui apenas um ducto, quando é composta, possui mais de um ducto e quando é ramificada, possui duas ou mais porções secretoras que se unem em um único ducto secretor. • III - Glândula Tubulosa ou Tubular • II - Glândula Acinosa ou Alveolar • I - Glândula Túbulo-acinosa
  • 21. A porção secretora assume a forma de um cacho de uvas. Pode ser simples, ramificada ou composta. Glândula Acinosa ou Alveolar Acinosa Simples - Ocorrem como bolsas nas superfícies epiteliais e acham-se revestidas por células secretoras. Exemplo: glândula muco-secretora da uretra peniana.
  • 22. A porção secretora da glândula assume a forma de tubo. Pode ser simples, ramificada ou enrolada. Glândula Tubulosa ou Tubular Tubulosa Simples - Não possui ductos diferenciados. A porção secretora se abre diretamente na superfície. Exemplos: glândulas intestinais (glândulas de Lieberkuhn)
  • 23.  Glândula onde se encontram ao mesmo tempo porções secretoras tubulosas e acinosas. Pode ser simples ou composta. Glândula Túbulo-acinosa Túbulo-acinosa Simples - Ocorre porção Tubular e Acinosa em um único ducto. Exemplo: glândulas mucosas esofagianas.
  • 24.
  • 26. TECIDO CONJUNTIVO  O tecido conjuntivo apresenta uma grande quantidade de substância intercelular, o que faz com que suas células não estejam tão unidas como as do tecido epitelial.  Esse tecido normalmente apresenta na substância intercelular uma grande quantidade de fibras (Colágeno).  Ele também se destaca por apresentar uma grande variedade de tipos celulares.
  • 27. Tecidos conjuntivos propriamente ditos Frouxo; Denso  Tecidos conjuntivos especiais (tecido adiposo, cartilaginoso, ósseo e hematopoiético). Denso Modelado (ou tendinoso) Denso Não Modelado (ou fibroso)
  • 28.  Apresentam-se amplamente distribuídos no corpo humano.  Fibroblastos - responsáveis pela produção de fibras e substâncias intercelulares;  Macrófagos - células grandes e móveis que se deslocam continuamente pela matriz intercelular, fagocitando bactérias e resíduos.  Unir e sustentar outros tecidos (órgãos), dando “conjunto” ao corpo.
  • 29.  Presente em várias partes do corpo, caracteriza-se por apresentar fibras frouxamente entrelaçadas.  Sua função é sustentar tecidos epiteliais vizinhos e preencher espaços entre tecidos e órgãos.  Um exemplo desse tecido é a camada papilar da derme, localizada imediatamente sob a epiderme da pele. Tecido conjuntivo frouxo
  • 30.  Também chamado de tecido conjuntivo denso fibroso, tem grande quantidade de fibras proteicas entrelaçadas, que lhe dão resistência e elasticidade.  Ele está presente na camada reticular da derme e em cápsulas envoltórias de diversos órgãos internos, como rins, o baço, o fígado e os testículos, entre outros. Tecido conjuntivo denso não modelado
  • 31.  Também denominado tecido conjuntivo denso tendinoso, tem grande quantidade de fibras colágenas orientadas paralelamente, o que o torna muito resistente e pouco elástico.  Esse tecido constitui os tendões, que ligam os músculos aos ossos, e os ligamentos, que ligam ossos entre si. Tecido conjuntivo denso modelado
  • 32.  Alguns tecidos conjuntivos desempenham funções altamente especializadas, sendo, por isso, chamados de tecidos conjuntivos especiais.  Exemplos são o tecido adiposo, que armazena gordura, o tecido cartilaginoso, que constitui as cartilagens, o tecido ósseo, que constitui os ossos, e o tecido hematopoiético, que origina as células do sangue.
  • 33.  É um tipo especial de tecido conjuntivo cujas células, os adipócitos, especializam-se no armazenamento de gordura.  Ele se localiza principalmente sob a pele, constituindo a tela subcutânea ou hipoderme. Tecido Conjuntivo Adiposo
  • 34.  Caracteriza-se pela resistência aliada à flexibilidade.  Matriz intercelular rica em fibras colágenas e em matérias consistentes, produzidos e secretados por células denominadas condroblastos.  Os condroblastos amadurecem e diminuem de tamanho, passando a ser chamados de condrócitos.  Único tecido conjuntivo avascular - Pericôndrio Tecido Conjuntivo Cartilaginoso
  • 35.  No animais adultos, há cartilagens na traqueia, nos brônquios, na laringe, no nariz e nas orelhas, dando sustentação mecânica a esses órgão.
  • 36.  Constitui os ossos, responsáveis pela sustentação mecânica do corpo. A principal característica desse tecido é a matriz intercelular rígida, rica em fibras colágenas e em fosfato de cálcio.  Além de íons minerais como magnésio, potássio e sódio.  Os cristais de fosfato de cálcio, juntamente com as fibras colágenas, são os responsáveis pela rigidez e resistência dos ossos. Tecido Conjuntivo Ósseo
  • 37.  Osteoblastos - produzem a matriz óssea.  Osteócitos - a célula passa a ocupar apenas a lacuna central, deixando vazios os canalículos modelados quando a matriz óssea se formou.  Pelos canalículos ósseos circulam fluido provenientes do sangue, trazendo nutrientes e gás oxigênio para as Tecido Conjuntivo Ósseo
  • 38.  Além de osteoblastos e osteócitos, o tecido ósseo apresenta células denominadas osteoclastos (do grego klastos, quebrar, destruir);  Originadas pela fusão de células sanguíneas chamadas de monócitos.  Os osteoclastos deslocam-se sobre as superfícies ósseas destruindo áreas lesadas ou envelhecidas do osso, possibilitando sua regeneração pelos osteoblastos. Tecido Conjuntivo Ósseo
  • 39.
  • 40.  O tecido hematopoiético ou hemocitopoético (do grego hematos, sangue, citos, célula, e poiese, origem, formação).  Está presente na medula óssea vermelha dos ossos e em certos órgãos corporais como o timo, o baço, e os linfonodos.  Sua função é originar as células do sangue, que ficam mergulhadas em uma matriz líquida, o plasma sanguíneo. Hemacias; Leucócitos; Plaquetas. Neutrófilo - Bactérias
  • 41.  Função - transporta gás oxigênio e nutrientes para todas as células do corpo e recolhe gás carbônico e excreções produzidos por elas.  Transporta também os hormônios produzidos pelas glândulas endócrinas e protege o corpo contra a invasão de agentes infecciosos, combatendo-os por meio da ação dos glóbulos brancos. Tecido Conjuntivo Hematopoiético
  • 42. Células Sanguíneas Características Hemácias ou eritrócitos (células vermelha) Forma discoidal; sem núcleo; repletas de hemoglobina; transportam gás oxigênio para os tecidos. Neutrófilos Forma esférica; núcleo trilobado; fagocitam bactérias e corpos estranhos. Eosinófilos Forma esférica; núcleo bilobado; participam das reações alérgicas, produzindo histamina e atuam na defesa contra infecções vermes-parasitárias. Basófilos Forma esférica; núcleo irregular; acredita-se que também participam de processos alérgicos; produzem histamina e heparina (anticoagulante). Linfócitos (B e T) Forma esférica; núcleo também esférico; participam dos processos de defesa imunitária, produzindo e regulando a síntese de anticorpos. Monócitos Forma esférica; núcleo oval ou riniforme; originam macrófagos e osteoclastos, células especializadas na fagocitose. Plaquetas Forma irregular; sem núcleo; participam dos processos de coagulação do sangue.