SlideShare uma empresa Scribd logo
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA
FARROUPILHA CAMPUS SÃO VICENTE DO SUL - RS
Instituição: Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Farroupilha
Unidade Organizacional: Campus de São Vicente do Sul
Curso: Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas
Disciplina: Seminários em Tecnologia da Informação
Orientador: Rogério Cassanta Rosado
Componentes:
Paulo Ricardo paulo.vinck@gmail.com
Michel Minussi michelminnussi@yahoo.com.br
Ruan Pozzebon rb.pozzebon@gmail.com
Turma: ADS 05
São Vicente do Sul, RS. Brasil
2011
2
SUMÁRIO
LISTA DE FIGURAS......................................................................................................................... 3
RESUMO........................................................................................................................................... 4
ABSTRACT.......................................................................................................................................
.
4
INTRODUÇÃO..................................................................................................................................
.
5
OBJETIVO GERAL............................................................................................................................ 6
OBJETIVOS ESPECÍFICOS............................................................................................................. 6
REVISÃO BIBLIOGRAFIA................................................................................................................. 7
MATERIAL E METODOS.................................................................................................................. 12
CRONOGRAMA................................................................................................................................ 13
RESULTADOS E DISCUSSÕES...................................................................................................... 14
CONCLUSÃO.................................................................................................................................... 15
REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS.................................................................................................. 16
3
LISTA DE FIGURAS
FIGURA 1....................................................................................................................................... 16
FIGURA 2...................................................................................................................................... 16
1. RESUMO
4
As metodologias clássicas de desenvolvimento da Engenharia de Software
têm causado alguns transtornos como: atrasos na entrega de projetos, insatisfação
de clientes, além de conflitos e desgastes para os profissionais da área. Assim com
o objetivo de obter melhores resultados varias empresas está adotando
metodologias de desenvolvimento, que dão mais agilidade, organização ao trabalho,
além de facilitar a interação entre os usuários e o próprio sistema. Essas
metodologias são chamadas de Metodologias Ágeis de Desenvolvimento de
Software. Assim com a proposta de apresentar e explicar o que são essas
metodologias escolhemos o processo de desenvolvimento SCRUM usado hoje por
muitas empresas conceituadas nesta área.
2. ABSTRACT
Traditional methodologies of software engineering development have caused some
inconvenience as: delays in project delivery, customer dissatisfaction, and conflict
and starvation for professionals in the area. So in order to obtain better results
companies are adopting various development methodologies, which provide more
flexibility, organization of work, and to facilitate interaction between users and the
system itself. These methods are called Agile Software Development. Thus the
proposal to introduce and explain what these methods chose the SCRUM
development process used today by many reputable companies in this area.
3. INTRODUÇÃO
5
Quando falamos em Engenharia de Software, temos em vista diversas áreas
envolvendo desde a criação de um sistema até os testes finais do mesmo.
Procurando deixar mais organizada essas tarefas de desenvolvimento, foram
criadas certas metodologias, que visam deixar mais fácil e rápida estas etapas do
projeto, as quais foram definidas como Metodologias ágeis de Desenvolvimento,
dentre elas, são mais conhecidas as práticas “XP” e “SCRUM”, sendo trabalhado
neste artigo o método “SCRUM”.
4. OBJETIVO GERAL
6
Este artigo tem como objetivo fazer uma apresentação conceitual sobre uma das
mais conhecidas Metodologias Ágeis para Desenvolvimento de Software, o SCRUM,
apresentando vantagens e desvantagens do uso em relação a Metodologias
Clássicas, sejam elas para plataformas Desktop, Web ou Dispositivos Móveis.
5. OBJETIVOS ESPECIFICOS
Detalhando mais o foco do artigo, temos o objetivo de:
• Pesquisar sobre o método de desenvolvimento “SCRUM”;
• Identificar os modelos de desenvolvimento ágeis mais utilizados no mercado
de software;
• Mostrar as vantagens e desvantagens da utilização de métodos ágeis;
• Relatar práticas bem sucedidas da utilização de métodos ágeis;
Também é um fato importante que se pretende citar é como que é a
implantação de “SCRUM” em um projeto, desde o início até a fase de testes, e até
uma experiência real de uma empresa.
7
6. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA (DESENVOLVIMENTO)
6.1.Metodologias Clássicas (Tradicionais)
Também conhecidas como Metodologias orientadas a planejamento, as
Metodologias Clássicas dominaram a forma de desenvolvimento de softwares até o
início da década de 90, Entretanto, estas metodologias devem ser aplicadas apenas
em situações em que os requisitos do sistema são estáveis e os requisitos futuros
são previsíveis. Metodologias ou Processos orientados a documentação são, de
certa forma, barreiras impostas ao desenvolvimento, pois muitas organizações não
possuem recursos para processos pesados de produção de software. Por esta
razão, as organizações pequenas acabam por não usar nenhum processo. Isto pode
trazer efeitos negativos no que diz respeito à qualidade do produto final, além de
dificultar a entrega do software nos prazos, custos e funcionalidades previamente
definidas.
8
6.2.Metodologias Ágeis e o Manifesto Ágil
A expressão “Metodologias Ágeis” tornou-se conhecida em 2001, quando
especialistas em processos de desenvolvimento de software representando entre
outros, os métodos Scrum e Extreme Programming (XP), foram estabelecidos
princípios e características comuns destes métodos. Assim foi criada a “Aliança Ágil”
e efetuou-se o estabelecimento do “Manifesto Ágil”.
6.2.1. Principais conceitos do Manifesto Ágil
- Pessoas e interações, ao contrário de processos e ferramentas.
- Software executável, ao contrário de documentação extensa e confusa.
- Colaboração do cliente, ao contrário de constantes negociações de contratos.
- Respostas rápidas para as mudanças, ao contrário de seguir planos previamente
definidos.
“A percepção que os usuários têm de suas necessidades também evolui à medida
que eles conhecem o sistema. É difícil compreender o valor de uma determinada
funcionalidade até que ela seja efetivamente usada, principalmente porque não
se pode requerer de um usuário comum a mesma capacidade de abstração que
um desenvolvedor possui ao olhar um conjunto de requisitos” (OLIVEIRA,
2003, p. 16).
9
6.3.Metodologias Ágeis (Scrum)
Inicialmente, o Scrum foi utilizado em projetos de empresas de fabricação de
automóveis e produtos de consumo, por Takeuchi e Nonaka. Eles notaram que
projetos usando equipes pequenas e multidisciplinares produziram os melhores
resultados, e associaram estas equipes altamente eficazes à formação Scrum do
Rugby (utilizada para reinício do jogo em certos casos). Jeff Sutherland aplicou a
primeira concepção do Scrum na Easel Corporation em1993, mais tarde, por volta
de 1995, Ken Schwaber formalizou essa metodologia baseando se em sua própria
experiência no desenvolvimento de sistemas e processos. O SCRUM assume-se
como uma metodologia extremamente ágil e flexível, que tem por objetivo definir um
processo de desenvolvimento interativo e incremental podendo ser aplicado a
qualquer produto ou no gerenciamento de qualquer atividade complexa. Esta
metodologia baseia-se no desenvolvimento incremental das aplicações centrado na
equipe com ciclos de iteração curto. SCRUM aplica-se a projetos tanto pequenos
como grandes. Esforçando-se para liberar o processo de quaisquer barreiras, o seu
principal objetivo é conseguir uma avaliação correta do ambiente em evolução,
adaptando-se constantemente ao “caos” de interesses e necessidades, indicados e
utilizados para o desenvolvimento de softwares em ambientes complexos, onde os
requisitos mudam com certa freqüência, sendo o caminho utilizado para aumentar
produtividade nesses tipos de sistemas. A Metodologia SCRUM apenas estabelece
conjuntos de regras e práticas de gestão que devem ser adotadas para garantir o
sucesso de um projeto. Centrado no trabalho em equipe, melhora a comunicação e
maximiza a cooperação, permitindo que cada um faça o seu melhor e se sinta bem
com o que faz o que mais tarde se reflete num aumento de produtividade.
Englobando processos de engenharia, este método não requer nem fornece
qualquer técnica ou método específico para a fase de desenvolvimento de software.
6.4.Características
10
Segundo (FERREIRA, 2005), as principais características do SCRUM são:
• é um processo ágil para gerenciar e controlar o desenvolvimento de projetos;
• é um wrapper para outras práticas de engenharia de software;
• é um processo que controla o caos resultante de necessidades e interesses
conflitantes;
• é uma forma de aumentar a comunicação e maximizar a cooperação;
• é uma forma de detectar e remover qualquer impedimento que atrapalhe o
desenvolvimento de um produto;
• é escalável desde projetos pequenos até grandes projetos em toda empresa.
Segundo Abrahamsson (2002) os papéis identificados no Scrum são: Mestre
(Scrum Master), Proprietário do produto (Product Owner), Equipe Scrum
(Scrum Team), Cliente (Customer) e Gerência (Management).
6.5.Vocabulário utilizado no SCRUM
• Backlog: Lista de todas as funcionalidades a serem desenvolvidas durante o
projeto completo, sendo bem definido e detalhado no inicio do trabalho, deve ser
listado e ordenado por prioridade de execução;
• Sprint: Período não superior a 30 dias, onde o projeto (ou apenas algumas
funcionalidades) é desenvolvido;
• Sprint Planning Meeting: Reunião de planejamento;
• Sprint Goal: Disparo dos objetivos/metas;
• Sprint Review Meeting: Revisão da reunião;
• Sprint Backlog: Trabalho a ser desenvolvido num Sprint de modo a criar um
produto a apresentar ao cliente. Deve ser desenvolvido de forma incremental,
relativa ao Backlog anterior (se existir);
• Dayling SCRUM: Reunião diária;
• Scrum: Reunião diária onde são avaliados os progressos do projeto e as barreiras
encontradas durante o desenvolvimento;
• Scrum Meeting: Protocolo a seguir de modo a realizar uma reunião Scrum;
• Scrum Team: A equipe de desenvolvimento de um Sprint;
• Scrum Master: Elemento da equipe responsável pela gestão do projeto e liderar as
11
Scrum Meetings são normalmente engenheiros de software ou da área de sistemas.
Apesar de ser gestor não tem propriamente autoridade sobre os demais membros
da equipe.
• Product Backlog: Produção do trabalho executado.
• Product Owner: Proprietário do produto.
6.6.Processos e Funcionamento
As fases de desenvolvimento SCRUM podem ser divididas basicamente em três,
são elas:
• Planejamento: Definição de uma nova funcionalidade requerida pelo sistema
baseado no conhecimento do sistema como um todo;
• Desenvolvimento: Desenvolvimento dessa nova funcionalidade respeitando o
tempo previsto, requisitos exigidos e qualidade. Esses itens definem o fim do ciclo
de desenvolvimento;
• Encerramento: Preparação para a entrega do produto persistindo as atividades:
Teste Caixa Branca, Teste Caixa Preta, Documentação do Usuário, Treinamento e
Marketing.
12
7. MATERIAL E METÓDOS
Essa pesquisa foi realizada por meio de referências de autores da área,
trabalhos publicados, experiências que deram certo e literaturas da área. E para o
desenvolvimento do trabalho foi utilizado notebooks como equipamentos e Microsoft
Word como software.
13
8. CRONOGRAMA
Tabela 1 – Cronograma
Tarefas
10/3
17/3
24/3
28/3
31/3
5/4
7/4
12/4
14/4
19/4
25/4
Definição do problema X
Embasamento teórico X X
Revisão bibliográfica X
Coleta e tabulação de
dados
X X X
Redação do trabalho X X
Revisão ortográfica X X
Compilação dos
resultados
X
Apresentação X
9. RESULTADOS E DISCUSSÕES
14
Com pesquisas e leituras sobre o tema de Metodologias Ágeis de Desenvolvimento
vimos que há grandes vantagens em utilizar esse método para agilizar o serviço, já
que hoje os aspectos mais procurados são agilidade e rapidez na entrega de
software, melhor distribuições de tarefas entre componentes da equipe, melhor
interação entre a equipe, por serem formadas por poucos integrantes e de boa
qualificação. Assim, conseguem interagir melhor se conhecendo e dividindo tarefas
mais organizadamente. E segundo WILSON BISSI (2007) esses são alguns dos
benefícios obtidos com o uso da metodologia SCRUM:
• diminuição dos riscos;
• maior integração entre os membros das equipes;
• rápida solução de problemas;
• progresso medido continuamente;
• os clientes se tornam parte da equipe de desenvolvimento;
• entregas freqüentes de funcionalidades funcionando;
• discussões diárias de status com a equipe;
• os profissionais de negócios e tecnologias trabalham juntos.
10.CONCLUSÃO
15
Os processos ágeis têm evoluído e ganhado um grande numero de usuários,
principalmente pela agilidade de fornecer resultados ao usuário final, pois logo nos
primeiros meses de projetos já existem resultados concretos, visíveis. Essa
característica talvez seja a que mais chama atenção dos clientes, que querem ter
seu sistema o mais cedo possível. Para garantir que erros de implementação não
atrapalhem essa boa impressão ao longo do projeto, os testes de software são
considerados vitais ao processo. Algumas características necessárias para
aplicação dos processos ágeis nem sempre são possíveis, como disponibilidade de
encontro entre os desenvolvedores e um representante do cliente que tenha
autoridade de decisão e ao mesmo tempo conhecimento profundo dos requisitos.
Além disso, a capacitação técnica e experiência dos desenvolvedores são de
extrema importância para o sucesso na aplicação das etapas.
11.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
16
 FERREIRA, D.; COSTA, F.; ALONSO, F.;ALVES, P.; NUNES, T. SCRUM -
Um Modelo Ágil para Gestão de Projetos de Software.Disponível em:
<http://paginas.fe.up.pt/~aaguiar/es/artigos%20finais/es_final_19.pdf>.
 CRUZ, R.S.L. Metodologia Scrum. Disponível em: http://scrum-masters.com.
 [Agile Manifesto (2004)] Disponível em http://agilemanifesto.org/
 OLIVEIRA, E. S. (2003). “Uso de Metodologias Ágeis no Desenvolvimento de
Software”, Monografia apresentada no Programa de Pós-Graduação em
Engenharia de Software da UFMG.
 CARVALHO, L.C. (1988). “Análise de sistemas”, Rio de Janeiro: Livros
Técnicos e Científicos.
 FERREIRA, R. B. (2004). “Diálogo de surdos: a difícil explicitação do saber
entre programadores de software e operadores de fábrica”, Dissertação de
mestrado pela Engenharia de Produção: UFMG.
ANEXOS
17
Figura1. Desenvolvimento Clássico.
Figura2. Desenvolvimento Scrum.
Fase de
planejamento
Fase de liberaçãoFase de desenvolvimentoFase de estágio
Product
backlog
Atualizações
regulares
Sprint
backlog
Estimativa de
esforço
Versão
final
Documentação
Inspeção
24 hours
Iteração
Incremento do
produto
Prioriza
requisitos
18

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução a Engenharia de Software - Prof.ª Cristiane Fidelix
Introdução a Engenharia de Software - Prof.ª Cristiane FidelixIntrodução a Engenharia de Software - Prof.ª Cristiane Fidelix
Introdução a Engenharia de Software - Prof.ª Cristiane Fidelix
Cris Fidelix
 
Modelos de Processo e Desenvolvimento de Software 3 - Prof.ª Cristiane Fidelix
Modelos de Processo e Desenvolvimento de Software 3 - Prof.ª Cristiane FidelixModelos de Processo e Desenvolvimento de Software 3 - Prof.ª Cristiane Fidelix
Modelos de Processo e Desenvolvimento de Software 3 - Prof.ª Cristiane Fidelix
Cris Fidelix
 
Aula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias ÁgeisAula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias Ágeis
Mauricio Cesar Santos da Purificação
 
Comparativo entre Processos Ágeis
Comparativo entre Processos ÁgeisComparativo entre Processos Ágeis
Comparativo entre Processos Ágeis
Daniel Ferreira
 
Modelos de Processo e Desenvolvimento de Software 1 - Prof.ª Cristiane Fidelix
Modelos de Processo e Desenvolvimento de Software 1 - Prof.ª Cristiane FidelixModelos de Processo e Desenvolvimento de Software 1 - Prof.ª Cristiane Fidelix
Modelos de Processo e Desenvolvimento de Software 1 - Prof.ª Cristiane Fidelix
Cris Fidelix
 
Métodos ágeis
Métodos ágeisMétodos ágeis
Métodos ágeis
Fernando Palma
 
Métodos Ágeis - Aula02
Métodos Ágeis - Aula02Métodos Ágeis - Aula02
Métodos Ágeis - Aula02
Adriano Bertucci
 
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e práticaProcessos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Ralph Rassweiler
 
Metodologias Ágeis de Desenvolvimento de Software
Metodologias Ágeis de Desenvolvimento de SoftwareMetodologias Ágeis de Desenvolvimento de Software
Metodologias Ágeis de Desenvolvimento de Software
Luciano Almeida
 
Métodos Ágeis
Métodos ÁgeisMétodos Ágeis
Métodos Ágeis
Adriano Bertucci
 
Cinco motivos para você não adotar metodologias ágeis - Rafael Prikladnicki F...
Cinco motivos para você não adotar metodologias ágeis - Rafael Prikladnicki F...Cinco motivos para você não adotar metodologias ágeis - Rafael Prikladnicki F...
Cinco motivos para você não adotar metodologias ágeis - Rafael Prikladnicki F...
Flávio Steffens
 
Porque devo usar Scrum em meus projetos
Porque devo usar Scrum em meus projetosPorque devo usar Scrum em meus projetos
Porque devo usar Scrum em meus projetos
Eamon Sousa, PMP
 
Uma introdução ao SCRUM
Uma introdução ao SCRUMUma introdução ao SCRUM
Uma introdução ao SCRUM
elliando dias
 
Engenharia de software aula 6 - Introdução ao Desenvolvimento Ágil
Engenharia de software aula 6 - Introdução ao Desenvolvimento ÁgilEngenharia de software aula 6 - Introdução ao Desenvolvimento Ágil
Engenharia de software aula 6 - Introdução ao Desenvolvimento Ágil
Rebecca Betwel
 
Gestão Ágil de Projetos com Scrum
Gestão Ágil de Projetos com ScrumGestão Ágil de Projetos com Scrum
Gestão Ágil de Projetos com Scrum
Marcos Garrido
 
Requisitos Ágeis
Requisitos ÁgeisRequisitos Ágeis
Requisitos Ágeis
André Faria Gomes
 
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane Fidelix
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane FidelixApresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane Fidelix
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane Fidelix
Cris Fidelix
 
Processo de Análise e Desenvolvimento de Software (PDS)
Processo de Análise e Desenvolvimento de Software (PDS)Processo de Análise e Desenvolvimento de Software (PDS)
Processo de Análise e Desenvolvimento de Software (PDS)
Maicon Amarante
 
Métodos Ágeis
Métodos ÁgeisMétodos Ágeis
Métodos Ágeis
elliando dias
 
Desenvolvimento ágil de software: análise sintética a partir de KANBAN
Desenvolvimento ágil de software: análise sintética a partir de KANBANDesenvolvimento ágil de software: análise sintética a partir de KANBAN
Desenvolvimento ágil de software: análise sintética a partir de KANBAN
Fernando Palma
 

Mais procurados (20)

Introdução a Engenharia de Software - Prof.ª Cristiane Fidelix
Introdução a Engenharia de Software - Prof.ª Cristiane FidelixIntrodução a Engenharia de Software - Prof.ª Cristiane Fidelix
Introdução a Engenharia de Software - Prof.ª Cristiane Fidelix
 
Modelos de Processo e Desenvolvimento de Software 3 - Prof.ª Cristiane Fidelix
Modelos de Processo e Desenvolvimento de Software 3 - Prof.ª Cristiane FidelixModelos de Processo e Desenvolvimento de Software 3 - Prof.ª Cristiane Fidelix
Modelos de Processo e Desenvolvimento de Software 3 - Prof.ª Cristiane Fidelix
 
Aula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias ÁgeisAula - Metodologias Ágeis
Aula - Metodologias Ágeis
 
Comparativo entre Processos Ágeis
Comparativo entre Processos ÁgeisComparativo entre Processos Ágeis
Comparativo entre Processos Ágeis
 
Modelos de Processo e Desenvolvimento de Software 1 - Prof.ª Cristiane Fidelix
Modelos de Processo e Desenvolvimento de Software 1 - Prof.ª Cristiane FidelixModelos de Processo e Desenvolvimento de Software 1 - Prof.ª Cristiane Fidelix
Modelos de Processo e Desenvolvimento de Software 1 - Prof.ª Cristiane Fidelix
 
Métodos ágeis
Métodos ágeisMétodos ágeis
Métodos ágeis
 
Métodos Ágeis - Aula02
Métodos Ágeis - Aula02Métodos Ágeis - Aula02
Métodos Ágeis - Aula02
 
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e práticaProcessos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
Processos de Desenvolvimento de Software - teoria e prática
 
Metodologias Ágeis de Desenvolvimento de Software
Metodologias Ágeis de Desenvolvimento de SoftwareMetodologias Ágeis de Desenvolvimento de Software
Metodologias Ágeis de Desenvolvimento de Software
 
Métodos Ágeis
Métodos ÁgeisMétodos Ágeis
Métodos Ágeis
 
Cinco motivos para você não adotar metodologias ágeis - Rafael Prikladnicki F...
Cinco motivos para você não adotar metodologias ágeis - Rafael Prikladnicki F...Cinco motivos para você não adotar metodologias ágeis - Rafael Prikladnicki F...
Cinco motivos para você não adotar metodologias ágeis - Rafael Prikladnicki F...
 
Porque devo usar Scrum em meus projetos
Porque devo usar Scrum em meus projetosPorque devo usar Scrum em meus projetos
Porque devo usar Scrum em meus projetos
 
Uma introdução ao SCRUM
Uma introdução ao SCRUMUma introdução ao SCRUM
Uma introdução ao SCRUM
 
Engenharia de software aula 6 - Introdução ao Desenvolvimento Ágil
Engenharia de software aula 6 - Introdução ao Desenvolvimento ÁgilEngenharia de software aula 6 - Introdução ao Desenvolvimento Ágil
Engenharia de software aula 6 - Introdução ao Desenvolvimento Ágil
 
Gestão Ágil de Projetos com Scrum
Gestão Ágil de Projetos com ScrumGestão Ágil de Projetos com Scrum
Gestão Ágil de Projetos com Scrum
 
Requisitos Ágeis
Requisitos ÁgeisRequisitos Ágeis
Requisitos Ágeis
 
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane Fidelix
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane FidelixApresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane Fidelix
Apresentação de Engenharia de software I - Prof. Cristiane Fidelix
 
Processo de Análise e Desenvolvimento de Software (PDS)
Processo de Análise e Desenvolvimento de Software (PDS)Processo de Análise e Desenvolvimento de Software (PDS)
Processo de Análise e Desenvolvimento de Software (PDS)
 
Métodos Ágeis
Métodos ÁgeisMétodos Ágeis
Métodos Ágeis
 
Desenvolvimento ágil de software: análise sintética a partir de KANBAN
Desenvolvimento ágil de software: análise sintética a partir de KANBANDesenvolvimento ágil de software: análise sintética a partir de KANBAN
Desenvolvimento ágil de software: análise sintética a partir de KANBAN
 

Destaque

Portafolio digital modelos de gestion de aprendizaje jesus morales
Portafolio digital modelos de gestion de aprendizaje jesus moralesPortafolio digital modelos de gestion de aprendizaje jesus morales
Portafolio digital modelos de gestion de aprendizaje jesus morales
moralesjesus68
 
Ananananaan
AnanananaanAnanananaan
ALMACENAJE DE PRODUCTOS
ALMACENAJE DE PRODUCTOSALMACENAJE DE PRODUCTOS
ALMACENAJE DE PRODUCTOS
Odiseo García-merás
 
Innovando en clase
Innovando en claseInnovando en clase
Innovando en clase
Franco Mana
 
Celebrando la vida y la amistad
Celebrando la vida y la amistadCelebrando la vida y la amistad
Celebrando la vida y la amistad
Enrique Posada
 
Punto 7. ISO 9000
Punto 7. ISO 9000Punto 7. ISO 9000
Punto 7. ISO 9000
Sandii Peña
 
Preguntas y respuestas de economia capitulos 1 3 anexo ensayo
Preguntas y respuestas de economia capitulos 1 3 anexo ensayoPreguntas y respuestas de economia capitulos 1 3 anexo ensayo
Preguntas y respuestas de economia capitulos 1 3 anexo ensayo
Jorge Luis Sanchez Solis
 
Como Hacer Una Encuesta
Como Hacer Una EncuestaComo Hacer Una Encuesta
Como Hacer Una Encuesta
Fabio Valencia
 
Curso de Dirección de Proyectos
Curso de Dirección de ProyectosCurso de Dirección de Proyectos
Curso de Dirección de Proyectos
María Jesús Salido Rojo
 
Segundo Paquete Económico 2017 Zacatecas - Egresos (4-8)
Segundo Paquete Económico 2017 Zacatecas - Egresos (4-8)Segundo Paquete Económico 2017 Zacatecas - Egresos (4-8)
Segundo Paquete Económico 2017 Zacatecas - Egresos (4-8)
Zacatecas TresPuntoCero
 
Guia de Evaluación, Monitoreo y Supervisión para servicios de salud
Guia de Evaluación, Monitoreo y Supervisión para servicios de saludGuia de Evaluación, Monitoreo y Supervisión para servicios de salud
Guia de Evaluación, Monitoreo y Supervisión para servicios de salud
Anibal Velasquez
 
Currículo Nacional de la Educación Básica
Currículo Nacional de la Educación BásicaCurrículo Nacional de la Educación Básica
Currículo Nacional de la Educación Básica
Diego Ponce de Leon
 
Plan estratégico seguridad de los pacientes de extremadura
Plan estratégico seguridad de los pacientes de extremaduraPlan estratégico seguridad de los pacientes de extremadura
Plan estratégico seguridad de los pacientes de extremadura
SociosaniTec
 
Metodología de la investigacióm
Metodología de la investigaciómMetodología de la investigacióm
Metodología de la investigacióm
Paul Itusaca Canaza
 
Informe mantenimiento mecanico
Informe mantenimiento mecanicoInforme mantenimiento mecanico
Informe mantenimiento mecanico
JDPVasquez
 
Proyectos_de_innovacion
Proyectos_de_innovacionProyectos_de_innovacion
Proyectos_de_innovacion
WebMD
 
Elaboración y Diseño de la Red de Impulsión de Servicios Básicos - Planificación
Elaboración y Diseño de la Red de Impulsión de Servicios Básicos - PlanificaciónElaboración y Diseño de la Red de Impulsión de Servicios Básicos - Planificación
Elaboración y Diseño de la Red de Impulsión de Servicios Básicos - Planificación
David Salomon Rojas Llaullipoma
 
Actualiteiten ICT Contracten en Partnerships (2012)
Actualiteiten ICT Contracten en Partnerships (2012)Actualiteiten ICT Contracten en Partnerships (2012)
Actualiteiten ICT Contracten en Partnerships (2012)Advocatenkantoor LEGALZ
 
Training Schrijven voor het Web
Training Schrijven voor het WebTraining Schrijven voor het Web
Training Schrijven voor het Web
Simone Levie
 
Marco del buen desempeño docente
Marco del buen desempeño docenteMarco del buen desempeño docente
Marco del buen desempeño docente
0013
 

Destaque (20)

Portafolio digital modelos de gestion de aprendizaje jesus morales
Portafolio digital modelos de gestion de aprendizaje jesus moralesPortafolio digital modelos de gestion de aprendizaje jesus morales
Portafolio digital modelos de gestion de aprendizaje jesus morales
 
Ananananaan
AnanananaanAnanananaan
Ananananaan
 
ALMACENAJE DE PRODUCTOS
ALMACENAJE DE PRODUCTOSALMACENAJE DE PRODUCTOS
ALMACENAJE DE PRODUCTOS
 
Innovando en clase
Innovando en claseInnovando en clase
Innovando en clase
 
Celebrando la vida y la amistad
Celebrando la vida y la amistadCelebrando la vida y la amistad
Celebrando la vida y la amistad
 
Punto 7. ISO 9000
Punto 7. ISO 9000Punto 7. ISO 9000
Punto 7. ISO 9000
 
Preguntas y respuestas de economia capitulos 1 3 anexo ensayo
Preguntas y respuestas de economia capitulos 1 3 anexo ensayoPreguntas y respuestas de economia capitulos 1 3 anexo ensayo
Preguntas y respuestas de economia capitulos 1 3 anexo ensayo
 
Como Hacer Una Encuesta
Como Hacer Una EncuestaComo Hacer Una Encuesta
Como Hacer Una Encuesta
 
Curso de Dirección de Proyectos
Curso de Dirección de ProyectosCurso de Dirección de Proyectos
Curso de Dirección de Proyectos
 
Segundo Paquete Económico 2017 Zacatecas - Egresos (4-8)
Segundo Paquete Económico 2017 Zacatecas - Egresos (4-8)Segundo Paquete Económico 2017 Zacatecas - Egresos (4-8)
Segundo Paquete Económico 2017 Zacatecas - Egresos (4-8)
 
Guia de Evaluación, Monitoreo y Supervisión para servicios de salud
Guia de Evaluación, Monitoreo y Supervisión para servicios de saludGuia de Evaluación, Monitoreo y Supervisión para servicios de salud
Guia de Evaluación, Monitoreo y Supervisión para servicios de salud
 
Currículo Nacional de la Educación Básica
Currículo Nacional de la Educación BásicaCurrículo Nacional de la Educación Básica
Currículo Nacional de la Educación Básica
 
Plan estratégico seguridad de los pacientes de extremadura
Plan estratégico seguridad de los pacientes de extremaduraPlan estratégico seguridad de los pacientes de extremadura
Plan estratégico seguridad de los pacientes de extremadura
 
Metodología de la investigacióm
Metodología de la investigaciómMetodología de la investigacióm
Metodología de la investigacióm
 
Informe mantenimiento mecanico
Informe mantenimiento mecanicoInforme mantenimiento mecanico
Informe mantenimiento mecanico
 
Proyectos_de_innovacion
Proyectos_de_innovacionProyectos_de_innovacion
Proyectos_de_innovacion
 
Elaboración y Diseño de la Red de Impulsión de Servicios Básicos - Planificación
Elaboración y Diseño de la Red de Impulsión de Servicios Básicos - PlanificaciónElaboración y Diseño de la Red de Impulsión de Servicios Básicos - Planificación
Elaboración y Diseño de la Red de Impulsión de Servicios Básicos - Planificación
 
Actualiteiten ICT Contracten en Partnerships (2012)
Actualiteiten ICT Contracten en Partnerships (2012)Actualiteiten ICT Contracten en Partnerships (2012)
Actualiteiten ICT Contracten en Partnerships (2012)
 
Training Schrijven voor het Web
Training Schrijven voor het WebTraining Schrijven voor het Web
Training Schrijven voor het Web
 
Marco del buen desempeño docente
Marco del buen desempeño docenteMarco del buen desempeño docente
Marco del buen desempeño docente
 

Semelhante a Metodologias ágeis de desenvolvimento trabalho

Aplicação das abordagens Scrum e XP
Aplicação das abordagens Scrum e XPAplicação das abordagens Scrum e XP
Aplicação das abordagens Scrum e XP
s4nx
 
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
Juliano Oliveira
 
O uso de frameworks em aplicações desktop baseadas na metodologia de desenvol...
O uso de frameworks em aplicações desktop baseadas na metodologia de desenvol...O uso de frameworks em aplicações desktop baseadas na metodologia de desenvol...
O uso de frameworks em aplicações desktop baseadas na metodologia de desenvol...
Rogério Batista
 
Metodologia de Desenvolvimento de Sistema
Metodologia de Desenvolvimento de SistemaMetodologia de Desenvolvimento de Sistema
Metodologia de Desenvolvimento de Sistema
Ricardo Antunes Fernandes
 
SCRUM: ADOÇÃO DE UM FRAMEWORK ÁGIL NO DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA TRA...
SCRUM: ADOÇÃO DE UM FRAMEWORK ÁGIL NO DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA TRA...SCRUM: ADOÇÃO DE UM FRAMEWORK ÁGIL NO DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA TRA...
SCRUM: ADOÇÃO DE UM FRAMEWORK ÁGIL NO DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA TRA...
Kéllyson Gonçalves da Silva
 
LIVRO PROPRIETÁRIO - METODOLOGIAS DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS
LIVRO PROPRIETÁRIO - METODOLOGIAS DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMASLIVRO PROPRIETÁRIO - METODOLOGIAS DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS
LIVRO PROPRIETÁRIO - METODOLOGIAS DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS
Os Fantasmas !
 
Agil - artigo cientifico
Agil - artigo cientificoAgil - artigo cientifico
Agil - artigo cientifico
Klaus Fischer Gomes Santana
 
Desenvolvimento Ágil: um survey baseado em experiências profissionais @ CONIC...
Desenvolvimento Ágil: um survey baseado em experiências profissionais @ CONIC...Desenvolvimento Ágil: um survey baseado em experiências profissionais @ CONIC...
Desenvolvimento Ágil: um survey baseado em experiências profissionais @ CONIC...
André Luis Celestino
 
Processos de software
Processos de softwareProcessos de software
Processos de software
Dann Volpato
 
TCC Aporano Play'ed SCRUM'ces - Apresentacao
TCC Aporano Play'ed SCRUM'ces - ApresentacaoTCC Aporano Play'ed SCRUM'ces - Apresentacao
TCC Aporano Play'ed SCRUM'ces - Apresentacao
Aporano Alves da Silva Torres
 
Scrum uma metodologia ágil paragestão e planejamento de projetos de software
Scrum uma metodologia ágil paragestão e planejamento de projetos de softwareScrum uma metodologia ágil paragestão e planejamento de projetos de software
Scrum uma metodologia ágil paragestão e planejamento de projetos de software
Thiago Reis da Silva
 
Práticas de Métodos Ágeis e Possibilidade de Execução em Ambiente de Trabalh...
Práticas de Métodos Ágeis e Possibilidade de Execução em Ambiente de  Trabalh...Práticas de Métodos Ágeis e Possibilidade de Execução em Ambiente de  Trabalh...
Práticas de Métodos Ágeis e Possibilidade de Execução em Ambiente de Trabalh...
Silvio Gonçalves
 
Múltiplas equipes ágeis com o framework Large Scale Scrum - um estudo de caso...
Múltiplas equipes ágeis com o framework Large Scale Scrum - um estudo de caso...Múltiplas equipes ágeis com o framework Large Scale Scrum - um estudo de caso...
Múltiplas equipes ágeis com o framework Large Scale Scrum - um estudo de caso...
André Luis Celestino
 
Artigo corrigido
Artigo corrigidoArtigo corrigido
Artigo corrigido
mpaf00 mpaf00
 
O desafio do ágil em um time de Machine Learning
O desafio do ágil em um time de Machine Learning O desafio do ágil em um time de Machine Learning
O desafio do ágil em um time de Machine Learning
Jorge Improissi
 
TCC_CMMI_Projeto_AndreLuisDeAndrade_FINAL
TCC_CMMI_Projeto_AndreLuisDeAndrade_FINALTCC_CMMI_Projeto_AndreLuisDeAndrade_FINAL
TCC_CMMI_Projeto_AndreLuisDeAndrade_FINAL
Andre Luis de Andrade
 
Metodologias de desenvolvimento
Metodologias de desenvolvimentoMetodologias de desenvolvimento
Metodologias de desenvolvimento
Sebastiao Sebastian
 
Erika questionario pt 2 (Eng Software III).
Erika questionario pt  2 (Eng Software III).Erika questionario pt  2 (Eng Software III).
Erika questionario pt 2 (Eng Software III).
Érika Santos
 
Gerenciando Projetos De Software De Forma áGil Utilizando Scrum
Gerenciando Projetos De Software De Forma áGil Utilizando ScrumGerenciando Projetos De Software De Forma áGil Utilizando Scrum
Gerenciando Projetos De Software De Forma áGil Utilizando Scrum
Raphael Donaire Albino
 
Tudo são Dados - PHP Conference 2008
Tudo são Dados - PHP Conference 2008Tudo são Dados - PHP Conference 2008
Tudo são Dados - PHP Conference 2008
ECRAYON Tecnologia Criativa
 

Semelhante a Metodologias ágeis de desenvolvimento trabalho (20)

Aplicação das abordagens Scrum e XP
Aplicação das abordagens Scrum e XPAplicação das abordagens Scrum e XP
Aplicação das abordagens Scrum e XP
 
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
 
O uso de frameworks em aplicações desktop baseadas na metodologia de desenvol...
O uso de frameworks em aplicações desktop baseadas na metodologia de desenvol...O uso de frameworks em aplicações desktop baseadas na metodologia de desenvol...
O uso de frameworks em aplicações desktop baseadas na metodologia de desenvol...
 
Metodologia de Desenvolvimento de Sistema
Metodologia de Desenvolvimento de SistemaMetodologia de Desenvolvimento de Sistema
Metodologia de Desenvolvimento de Sistema
 
SCRUM: ADOÇÃO DE UM FRAMEWORK ÁGIL NO DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA TRA...
SCRUM: ADOÇÃO DE UM FRAMEWORK ÁGIL NO DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA TRA...SCRUM: ADOÇÃO DE UM FRAMEWORK ÁGIL NO DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA TRA...
SCRUM: ADOÇÃO DE UM FRAMEWORK ÁGIL NO DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA TRA...
 
LIVRO PROPRIETÁRIO - METODOLOGIAS DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS
LIVRO PROPRIETÁRIO - METODOLOGIAS DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMASLIVRO PROPRIETÁRIO - METODOLOGIAS DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS
LIVRO PROPRIETÁRIO - METODOLOGIAS DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS
 
Agil - artigo cientifico
Agil - artigo cientificoAgil - artigo cientifico
Agil - artigo cientifico
 
Desenvolvimento Ágil: um survey baseado em experiências profissionais @ CONIC...
Desenvolvimento Ágil: um survey baseado em experiências profissionais @ CONIC...Desenvolvimento Ágil: um survey baseado em experiências profissionais @ CONIC...
Desenvolvimento Ágil: um survey baseado em experiências profissionais @ CONIC...
 
Processos de software
Processos de softwareProcessos de software
Processos de software
 
TCC Aporano Play'ed SCRUM'ces - Apresentacao
TCC Aporano Play'ed SCRUM'ces - ApresentacaoTCC Aporano Play'ed SCRUM'ces - Apresentacao
TCC Aporano Play'ed SCRUM'ces - Apresentacao
 
Scrum uma metodologia ágil paragestão e planejamento de projetos de software
Scrum uma metodologia ágil paragestão e planejamento de projetos de softwareScrum uma metodologia ágil paragestão e planejamento de projetos de software
Scrum uma metodologia ágil paragestão e planejamento de projetos de software
 
Práticas de Métodos Ágeis e Possibilidade de Execução em Ambiente de Trabalh...
Práticas de Métodos Ágeis e Possibilidade de Execução em Ambiente de  Trabalh...Práticas de Métodos Ágeis e Possibilidade de Execução em Ambiente de  Trabalh...
Práticas de Métodos Ágeis e Possibilidade de Execução em Ambiente de Trabalh...
 
Múltiplas equipes ágeis com o framework Large Scale Scrum - um estudo de caso...
Múltiplas equipes ágeis com o framework Large Scale Scrum - um estudo de caso...Múltiplas equipes ágeis com o framework Large Scale Scrum - um estudo de caso...
Múltiplas equipes ágeis com o framework Large Scale Scrum - um estudo de caso...
 
Artigo corrigido
Artigo corrigidoArtigo corrigido
Artigo corrigido
 
O desafio do ágil em um time de Machine Learning
O desafio do ágil em um time de Machine Learning O desafio do ágil em um time de Machine Learning
O desafio do ágil em um time de Machine Learning
 
TCC_CMMI_Projeto_AndreLuisDeAndrade_FINAL
TCC_CMMI_Projeto_AndreLuisDeAndrade_FINALTCC_CMMI_Projeto_AndreLuisDeAndrade_FINAL
TCC_CMMI_Projeto_AndreLuisDeAndrade_FINAL
 
Metodologias de desenvolvimento
Metodologias de desenvolvimentoMetodologias de desenvolvimento
Metodologias de desenvolvimento
 
Erika questionario pt 2 (Eng Software III).
Erika questionario pt  2 (Eng Software III).Erika questionario pt  2 (Eng Software III).
Erika questionario pt 2 (Eng Software III).
 
Gerenciando Projetos De Software De Forma áGil Utilizando Scrum
Gerenciando Projetos De Software De Forma áGil Utilizando ScrumGerenciando Projetos De Software De Forma áGil Utilizando Scrum
Gerenciando Projetos De Software De Forma áGil Utilizando Scrum
 
Tudo são Dados - PHP Conference 2008
Tudo são Dados - PHP Conference 2008Tudo são Dados - PHP Conference 2008
Tudo são Dados - PHP Conference 2008
 

Metodologias ágeis de desenvolvimento trabalho

  • 1. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SÃO VICENTE DO SUL - RS Instituição: Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Farroupilha Unidade Organizacional: Campus de São Vicente do Sul Curso: Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: Seminários em Tecnologia da Informação Orientador: Rogério Cassanta Rosado Componentes: Paulo Ricardo paulo.vinck@gmail.com Michel Minussi michelminnussi@yahoo.com.br Ruan Pozzebon rb.pozzebon@gmail.com Turma: ADS 05
  • 2. São Vicente do Sul, RS. Brasil 2011 2
  • 3. SUMÁRIO LISTA DE FIGURAS......................................................................................................................... 3 RESUMO........................................................................................................................................... 4 ABSTRACT....................................................................................................................................... . 4 INTRODUÇÃO.................................................................................................................................. . 5 OBJETIVO GERAL............................................................................................................................ 6 OBJETIVOS ESPECÍFICOS............................................................................................................. 6 REVISÃO BIBLIOGRAFIA................................................................................................................. 7 MATERIAL E METODOS.................................................................................................................. 12 CRONOGRAMA................................................................................................................................ 13 RESULTADOS E DISCUSSÕES...................................................................................................... 14 CONCLUSÃO.................................................................................................................................... 15 REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS.................................................................................................. 16 3
  • 4. LISTA DE FIGURAS FIGURA 1....................................................................................................................................... 16 FIGURA 2...................................................................................................................................... 16 1. RESUMO 4
  • 5. As metodologias clássicas de desenvolvimento da Engenharia de Software têm causado alguns transtornos como: atrasos na entrega de projetos, insatisfação de clientes, além de conflitos e desgastes para os profissionais da área. Assim com o objetivo de obter melhores resultados varias empresas está adotando metodologias de desenvolvimento, que dão mais agilidade, organização ao trabalho, além de facilitar a interação entre os usuários e o próprio sistema. Essas metodologias são chamadas de Metodologias Ágeis de Desenvolvimento de Software. Assim com a proposta de apresentar e explicar o que são essas metodologias escolhemos o processo de desenvolvimento SCRUM usado hoje por muitas empresas conceituadas nesta área. 2. ABSTRACT Traditional methodologies of software engineering development have caused some inconvenience as: delays in project delivery, customer dissatisfaction, and conflict and starvation for professionals in the area. So in order to obtain better results companies are adopting various development methodologies, which provide more flexibility, organization of work, and to facilitate interaction between users and the system itself. These methods are called Agile Software Development. Thus the proposal to introduce and explain what these methods chose the SCRUM development process used today by many reputable companies in this area. 3. INTRODUÇÃO 5
  • 6. Quando falamos em Engenharia de Software, temos em vista diversas áreas envolvendo desde a criação de um sistema até os testes finais do mesmo. Procurando deixar mais organizada essas tarefas de desenvolvimento, foram criadas certas metodologias, que visam deixar mais fácil e rápida estas etapas do projeto, as quais foram definidas como Metodologias ágeis de Desenvolvimento, dentre elas, são mais conhecidas as práticas “XP” e “SCRUM”, sendo trabalhado neste artigo o método “SCRUM”. 4. OBJETIVO GERAL 6
  • 7. Este artigo tem como objetivo fazer uma apresentação conceitual sobre uma das mais conhecidas Metodologias Ágeis para Desenvolvimento de Software, o SCRUM, apresentando vantagens e desvantagens do uso em relação a Metodologias Clássicas, sejam elas para plataformas Desktop, Web ou Dispositivos Móveis. 5. OBJETIVOS ESPECIFICOS Detalhando mais o foco do artigo, temos o objetivo de: • Pesquisar sobre o método de desenvolvimento “SCRUM”; • Identificar os modelos de desenvolvimento ágeis mais utilizados no mercado de software; • Mostrar as vantagens e desvantagens da utilização de métodos ágeis; • Relatar práticas bem sucedidas da utilização de métodos ágeis; Também é um fato importante que se pretende citar é como que é a implantação de “SCRUM” em um projeto, desde o início até a fase de testes, e até uma experiência real de uma empresa. 7
  • 8. 6. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA (DESENVOLVIMENTO) 6.1.Metodologias Clássicas (Tradicionais) Também conhecidas como Metodologias orientadas a planejamento, as Metodologias Clássicas dominaram a forma de desenvolvimento de softwares até o início da década de 90, Entretanto, estas metodologias devem ser aplicadas apenas em situações em que os requisitos do sistema são estáveis e os requisitos futuros são previsíveis. Metodologias ou Processos orientados a documentação são, de certa forma, barreiras impostas ao desenvolvimento, pois muitas organizações não possuem recursos para processos pesados de produção de software. Por esta razão, as organizações pequenas acabam por não usar nenhum processo. Isto pode trazer efeitos negativos no que diz respeito à qualidade do produto final, além de dificultar a entrega do software nos prazos, custos e funcionalidades previamente definidas. 8
  • 9. 6.2.Metodologias Ágeis e o Manifesto Ágil A expressão “Metodologias Ágeis” tornou-se conhecida em 2001, quando especialistas em processos de desenvolvimento de software representando entre outros, os métodos Scrum e Extreme Programming (XP), foram estabelecidos princípios e características comuns destes métodos. Assim foi criada a “Aliança Ágil” e efetuou-se o estabelecimento do “Manifesto Ágil”. 6.2.1. Principais conceitos do Manifesto Ágil - Pessoas e interações, ao contrário de processos e ferramentas. - Software executável, ao contrário de documentação extensa e confusa. - Colaboração do cliente, ao contrário de constantes negociações de contratos. - Respostas rápidas para as mudanças, ao contrário de seguir planos previamente definidos. “A percepção que os usuários têm de suas necessidades também evolui à medida que eles conhecem o sistema. É difícil compreender o valor de uma determinada funcionalidade até que ela seja efetivamente usada, principalmente porque não se pode requerer de um usuário comum a mesma capacidade de abstração que um desenvolvedor possui ao olhar um conjunto de requisitos” (OLIVEIRA, 2003, p. 16). 9
  • 10. 6.3.Metodologias Ágeis (Scrum) Inicialmente, o Scrum foi utilizado em projetos de empresas de fabricação de automóveis e produtos de consumo, por Takeuchi e Nonaka. Eles notaram que projetos usando equipes pequenas e multidisciplinares produziram os melhores resultados, e associaram estas equipes altamente eficazes à formação Scrum do Rugby (utilizada para reinício do jogo em certos casos). Jeff Sutherland aplicou a primeira concepção do Scrum na Easel Corporation em1993, mais tarde, por volta de 1995, Ken Schwaber formalizou essa metodologia baseando se em sua própria experiência no desenvolvimento de sistemas e processos. O SCRUM assume-se como uma metodologia extremamente ágil e flexível, que tem por objetivo definir um processo de desenvolvimento interativo e incremental podendo ser aplicado a qualquer produto ou no gerenciamento de qualquer atividade complexa. Esta metodologia baseia-se no desenvolvimento incremental das aplicações centrado na equipe com ciclos de iteração curto. SCRUM aplica-se a projetos tanto pequenos como grandes. Esforçando-se para liberar o processo de quaisquer barreiras, o seu principal objetivo é conseguir uma avaliação correta do ambiente em evolução, adaptando-se constantemente ao “caos” de interesses e necessidades, indicados e utilizados para o desenvolvimento de softwares em ambientes complexos, onde os requisitos mudam com certa freqüência, sendo o caminho utilizado para aumentar produtividade nesses tipos de sistemas. A Metodologia SCRUM apenas estabelece conjuntos de regras e práticas de gestão que devem ser adotadas para garantir o sucesso de um projeto. Centrado no trabalho em equipe, melhora a comunicação e maximiza a cooperação, permitindo que cada um faça o seu melhor e se sinta bem com o que faz o que mais tarde se reflete num aumento de produtividade. Englobando processos de engenharia, este método não requer nem fornece qualquer técnica ou método específico para a fase de desenvolvimento de software. 6.4.Características 10
  • 11. Segundo (FERREIRA, 2005), as principais características do SCRUM são: • é um processo ágil para gerenciar e controlar o desenvolvimento de projetos; • é um wrapper para outras práticas de engenharia de software; • é um processo que controla o caos resultante de necessidades e interesses conflitantes; • é uma forma de aumentar a comunicação e maximizar a cooperação; • é uma forma de detectar e remover qualquer impedimento que atrapalhe o desenvolvimento de um produto; • é escalável desde projetos pequenos até grandes projetos em toda empresa. Segundo Abrahamsson (2002) os papéis identificados no Scrum são: Mestre (Scrum Master), Proprietário do produto (Product Owner), Equipe Scrum (Scrum Team), Cliente (Customer) e Gerência (Management). 6.5.Vocabulário utilizado no SCRUM • Backlog: Lista de todas as funcionalidades a serem desenvolvidas durante o projeto completo, sendo bem definido e detalhado no inicio do trabalho, deve ser listado e ordenado por prioridade de execução; • Sprint: Período não superior a 30 dias, onde o projeto (ou apenas algumas funcionalidades) é desenvolvido; • Sprint Planning Meeting: Reunião de planejamento; • Sprint Goal: Disparo dos objetivos/metas; • Sprint Review Meeting: Revisão da reunião; • Sprint Backlog: Trabalho a ser desenvolvido num Sprint de modo a criar um produto a apresentar ao cliente. Deve ser desenvolvido de forma incremental, relativa ao Backlog anterior (se existir); • Dayling SCRUM: Reunião diária; • Scrum: Reunião diária onde são avaliados os progressos do projeto e as barreiras encontradas durante o desenvolvimento; • Scrum Meeting: Protocolo a seguir de modo a realizar uma reunião Scrum; • Scrum Team: A equipe de desenvolvimento de um Sprint; • Scrum Master: Elemento da equipe responsável pela gestão do projeto e liderar as 11
  • 12. Scrum Meetings são normalmente engenheiros de software ou da área de sistemas. Apesar de ser gestor não tem propriamente autoridade sobre os demais membros da equipe. • Product Backlog: Produção do trabalho executado. • Product Owner: Proprietário do produto. 6.6.Processos e Funcionamento As fases de desenvolvimento SCRUM podem ser divididas basicamente em três, são elas: • Planejamento: Definição de uma nova funcionalidade requerida pelo sistema baseado no conhecimento do sistema como um todo; • Desenvolvimento: Desenvolvimento dessa nova funcionalidade respeitando o tempo previsto, requisitos exigidos e qualidade. Esses itens definem o fim do ciclo de desenvolvimento; • Encerramento: Preparação para a entrega do produto persistindo as atividades: Teste Caixa Branca, Teste Caixa Preta, Documentação do Usuário, Treinamento e Marketing. 12
  • 13. 7. MATERIAL E METÓDOS Essa pesquisa foi realizada por meio de referências de autores da área, trabalhos publicados, experiências que deram certo e literaturas da área. E para o desenvolvimento do trabalho foi utilizado notebooks como equipamentos e Microsoft Word como software. 13
  • 14. 8. CRONOGRAMA Tabela 1 – Cronograma Tarefas 10/3 17/3 24/3 28/3 31/3 5/4 7/4 12/4 14/4 19/4 25/4 Definição do problema X Embasamento teórico X X Revisão bibliográfica X Coleta e tabulação de dados X X X Redação do trabalho X X Revisão ortográfica X X Compilação dos resultados X Apresentação X 9. RESULTADOS E DISCUSSÕES 14
  • 15. Com pesquisas e leituras sobre o tema de Metodologias Ágeis de Desenvolvimento vimos que há grandes vantagens em utilizar esse método para agilizar o serviço, já que hoje os aspectos mais procurados são agilidade e rapidez na entrega de software, melhor distribuições de tarefas entre componentes da equipe, melhor interação entre a equipe, por serem formadas por poucos integrantes e de boa qualificação. Assim, conseguem interagir melhor se conhecendo e dividindo tarefas mais organizadamente. E segundo WILSON BISSI (2007) esses são alguns dos benefícios obtidos com o uso da metodologia SCRUM: • diminuição dos riscos; • maior integração entre os membros das equipes; • rápida solução de problemas; • progresso medido continuamente; • os clientes se tornam parte da equipe de desenvolvimento; • entregas freqüentes de funcionalidades funcionando; • discussões diárias de status com a equipe; • os profissionais de negócios e tecnologias trabalham juntos. 10.CONCLUSÃO 15
  • 16. Os processos ágeis têm evoluído e ganhado um grande numero de usuários, principalmente pela agilidade de fornecer resultados ao usuário final, pois logo nos primeiros meses de projetos já existem resultados concretos, visíveis. Essa característica talvez seja a que mais chama atenção dos clientes, que querem ter seu sistema o mais cedo possível. Para garantir que erros de implementação não atrapalhem essa boa impressão ao longo do projeto, os testes de software são considerados vitais ao processo. Algumas características necessárias para aplicação dos processos ágeis nem sempre são possíveis, como disponibilidade de encontro entre os desenvolvedores e um representante do cliente que tenha autoridade de decisão e ao mesmo tempo conhecimento profundo dos requisitos. Além disso, a capacitação técnica e experiência dos desenvolvedores são de extrema importância para o sucesso na aplicação das etapas. 11.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 16
  • 17.  FERREIRA, D.; COSTA, F.; ALONSO, F.;ALVES, P.; NUNES, T. SCRUM - Um Modelo Ágil para Gestão de Projetos de Software.Disponível em: <http://paginas.fe.up.pt/~aaguiar/es/artigos%20finais/es_final_19.pdf>.  CRUZ, R.S.L. Metodologia Scrum. Disponível em: http://scrum-masters.com.  [Agile Manifesto (2004)] Disponível em http://agilemanifesto.org/  OLIVEIRA, E. S. (2003). “Uso de Metodologias Ágeis no Desenvolvimento de Software”, Monografia apresentada no Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Software da UFMG.  CARVALHO, L.C. (1988). “Análise de sistemas”, Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos.  FERREIRA, R. B. (2004). “Diálogo de surdos: a difícil explicitação do saber entre programadores de software e operadores de fábrica”, Dissertação de mestrado pela Engenharia de Produção: UFMG. ANEXOS 17
  • 18. Figura1. Desenvolvimento Clássico. Figura2. Desenvolvimento Scrum. Fase de planejamento Fase de liberaçãoFase de desenvolvimentoFase de estágio Product backlog Atualizações regulares Sprint backlog Estimativa de esforço Versão final Documentação Inspeção 24 hours Iteração Incremento do produto Prioriza requisitos 18