SlideShare uma empresa Scribd logo
Profissões Enquadradas as profissões em quadras PIEF de Monforte área curricular de Formação Vocacional ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Com fato-de-macaco se veste E com óleo se bronzeia  Chaves, velas e roquete O trabalhador passeia mecânico 1
Com a máquina em acção As imagens captura No laboratório de revelação  Vê as vidas de aventura fotógrafo 2
Vive as vidas a fingir  No palco ouve as palmas  Às câmaras gosta de fugir  O que importa são as almas actor 3
Com o martelo põe a ordem Com a palavra sabedoria  Não permite a desordem  Mesmo de um grande rufia juiz 4
Com os peixes se debate De um mar enfurecido Esperando a melhor parte De um lobo do mar esquecido  pescador 5
De sol a sol trabalha De enxada na mão O coelho atrapalha  A cultura do hortelão agricultor 6
Com capacete se protegem De um fogo destruidor  São heróis de coragem  E o povo o seu louvor bombeiro 7
De noite fazem a recolha Para passarmos bem dia Não é nossa escolha  Mas o seu dia-a-dia recolhedor de lixo 8
Com garbo enfrenta o touro  E com risco de se magoar Para ele é um tesouro  Esta coisa de pegar  forcado 9
Entre tachos e panelas  Fazem a sua arte Servem em baixelas  Sempre a melhor parte  cozinheiro 10
Tratam das doenças De amigos domésticos  Com as suas presenças Tornam-nos energéticos veterinário 11
Paciente e amigo  Os jovens são uma vocação Mesmo após um castigo São a sua maior paixão professor 12
Por infinitos trilhos  Guia o TIR com alegria Esperando ver mulher e filhos Quando chega ao fim do dia  camionista 13
Com fato de protecção Necessita de trabalhar A rainha o coração De quem quer adoçar  apicultor 14
De terra em terra mantêm a banca  Com o pregão fazem dinheiro Na carrinha a alavanca  Com que partem o mealheiro feirante 15
Pouca terra, pouca terra Vai vendo o seu caminho O rio, os campos e a serra Os passarinhos no ninho maquinista 16
Gosta de tudo limpinho Esteja frio ou calor Por onde faz o seu caminho Deixa tudo num primor varredor 17
De trincha e rolo trabalha Leva o dia a pintar A sua maior tralha É o andaime montar pintor 18
Máscara, óculos e avental  Para os metais soldar  O seu pior mal  É o ouro não toldar  serralheiro 19
De chave de bocas na mão  Os canos e as porcas aperta  O esgoto deita um cheirão  Que toda a rua desperta canalizador 20
Presta cuidados paliativos  Com toda a dedicação Vai fazendo os curativos Com amor no coração enfermeiro 21
Com toda a delicadeza  Limas, tesoura e verniz Arranja as mãos à princesa  Que à saída vai feliz manicure 22
De vaso na mão  E argila no forno As peças no chão  E a roda a servir de torno oleiro 23
Com o busca-pólos na mão A energia procura Apesar do trovão Enfrenta o choque com bravura eletricista 24
Entre desenhos e maquetas  O seu trabalho realiza Os edifícios nas carpetes  Que o homem concretiza arquiteto 25
Para a sua construção O tijolo e a massa usa A colher na projeção E a betoneira confusa pedreiro 26
De noite trabalha Depois de muito amassar Com a pá na fornalha A côdea não pode passar padeiro 27
Concentrado na estrada Não tira o pé do acelerador Tem uma vida arriscada Mas a velocidade é o seu amor piloto de automóveis 28
Entre animadas conversas Embeleza muita gente As opções são diversas “ Cabelo liso ou permanente?” cabeleireira 29
Com música no coração O seu instrumento é a voz Na letra de uma canção Põe a vida de todos nós cantor 30
Da árvore vem o material Que lhe dá o ganha-pão Serra, prega, cola e tal… E está feita a construção carpinteiro 31
De transporte ou a andar Procura as nossas moradas Para lá nos colocar As mensagens enviadas carteiro 32
Sempre de agulha e dedal Faz arranjos e bainhas Tanto num fato normal Como em vestes de rainhas costureira 33
Põe-nos de boca aberta E analisa a situação Procura a solução certa Para cada dentição dentista 34
Dá papa, mudas fraldinhas Vai ensinando a brincar  Põe os meninos nas caminhas Com um canção de embalar educadora de infância 35
Malha no ferro em brasa Com força para o domar A fornalha aquece a casa E o calor faz transpirar ferreiro 36
Sem parar de trabalhar Ensaia lindos cantares O seu serviço é limpar Escolas, escritórios ou lares funcionária de limpeza 37
Controla pelos botões Guindastes e escavadoras Não pode haver distrações Com máquinas tão assustadoras operador de máquinas 38

Mais conteúdo relacionado

Mais de maladigitalmourao

Mais de maladigitalmourao (20)

Prevenção rodoviária pief
Prevenção rodoviária piefPrevenção rodoviária pief
Prevenção rodoviária pief
 
Folheto comunidades ciganas final
Folheto comunidades ciganas finalFolheto comunidades ciganas final
Folheto comunidades ciganas final
 
E news ciganos-n7
E news ciganos-n7E news ciganos-n7
E news ciganos-n7
 
Portefólio formação vocacional_pief_mourão
Portefólio formação vocacional_pief_mourãoPortefólio formação vocacional_pief_mourão
Portefólio formação vocacional_pief_mourão
 
Guia de atividades etnias
Guia de atividades etniasGuia de atividades etnias
Guia de atividades etnias
 
Enicc consulta publica
Enicc consulta publicaEnicc consulta publica
Enicc consulta publica
 
E news ciganos-n6
E news ciganos-n6E news ciganos-n6
E news ciganos-n6
 
Enicc consulta publica
Enicc consulta publicaEnicc consulta publica
Enicc consulta publica
 
Tese doutoramento mj casa nova
Tese doutoramento mj casa novaTese doutoramento mj casa nova
Tese doutoramento mj casa nova
 
Interculturalidade
InterculturalidadeInterculturalidade
Interculturalidade
 
Historias do povo cigano sugestoes para profs
Historias do povo cigano   sugestoes para profsHistorias do povo cigano   sugestoes para profs
Historias do povo cigano sugestoes para profs
 
Guia de combate ao insucesso escolar das raparigas ciganas
Guia de combate ao insucesso escolar das raparigas ciganasGuia de combate ao insucesso escolar das raparigas ciganas
Guia de combate ao insucesso escolar das raparigas ciganas
 
Fundacion secretariadogitanojerez saude nos jovens ciganos
Fundacion secretariadogitanojerez saude nos jovens ciganosFundacion secretariadogitanojerez saude nos jovens ciganos
Fundacion secretariadogitanojerez saude nos jovens ciganos
 
Léxico português caló
Léxico português calóLéxico português caló
Léxico português caló
 
Microorganismos
MicroorganismosMicroorganismos
Microorganismos
 
Ficha prof 1
Ficha prof 1Ficha prof 1
Ficha prof 1
 
Ficha aluno 2
Ficha aluno 2Ficha aluno 2
Ficha aluno 2
 
Ficha aluno 1
Ficha aluno 1Ficha aluno 1
Ficha aluno 1
 
Objectivos
ObjectivosObjectivos
Objectivos
 
Mat 2
Mat 2Mat 2
Mat 2
 

Livro das profissões monforte

  • 1.
  • 2. Com fato-de-macaco se veste E com óleo se bronzeia Chaves, velas e roquete O trabalhador passeia mecânico 1
  • 3. Com a máquina em acção As imagens captura No laboratório de revelação Vê as vidas de aventura fotógrafo 2
  • 4. Vive as vidas a fingir No palco ouve as palmas Às câmaras gosta de fugir O que importa são as almas actor 3
  • 5. Com o martelo põe a ordem Com a palavra sabedoria Não permite a desordem Mesmo de um grande rufia juiz 4
  • 6. Com os peixes se debate De um mar enfurecido Esperando a melhor parte De um lobo do mar esquecido pescador 5
  • 7. De sol a sol trabalha De enxada na mão O coelho atrapalha A cultura do hortelão agricultor 6
  • 8. Com capacete se protegem De um fogo destruidor São heróis de coragem E o povo o seu louvor bombeiro 7
  • 9. De noite fazem a recolha Para passarmos bem dia Não é nossa escolha Mas o seu dia-a-dia recolhedor de lixo 8
  • 10. Com garbo enfrenta o touro E com risco de se magoar Para ele é um tesouro Esta coisa de pegar forcado 9
  • 11. Entre tachos e panelas Fazem a sua arte Servem em baixelas Sempre a melhor parte cozinheiro 10
  • 12. Tratam das doenças De amigos domésticos Com as suas presenças Tornam-nos energéticos veterinário 11
  • 13. Paciente e amigo Os jovens são uma vocação Mesmo após um castigo São a sua maior paixão professor 12
  • 14. Por infinitos trilhos Guia o TIR com alegria Esperando ver mulher e filhos Quando chega ao fim do dia camionista 13
  • 15. Com fato de protecção Necessita de trabalhar A rainha o coração De quem quer adoçar apicultor 14
  • 16. De terra em terra mantêm a banca Com o pregão fazem dinheiro Na carrinha a alavanca Com que partem o mealheiro feirante 15
  • 17. Pouca terra, pouca terra Vai vendo o seu caminho O rio, os campos e a serra Os passarinhos no ninho maquinista 16
  • 18. Gosta de tudo limpinho Esteja frio ou calor Por onde faz o seu caminho Deixa tudo num primor varredor 17
  • 19. De trincha e rolo trabalha Leva o dia a pintar A sua maior tralha É o andaime montar pintor 18
  • 20. Máscara, óculos e avental Para os metais soldar O seu pior mal É o ouro não toldar serralheiro 19
  • 21. De chave de bocas na mão Os canos e as porcas aperta O esgoto deita um cheirão Que toda a rua desperta canalizador 20
  • 22. Presta cuidados paliativos Com toda a dedicação Vai fazendo os curativos Com amor no coração enfermeiro 21
  • 23. Com toda a delicadeza Limas, tesoura e verniz Arranja as mãos à princesa Que à saída vai feliz manicure 22
  • 24. De vaso na mão E argila no forno As peças no chão E a roda a servir de torno oleiro 23
  • 25. Com o busca-pólos na mão A energia procura Apesar do trovão Enfrenta o choque com bravura eletricista 24
  • 26. Entre desenhos e maquetas O seu trabalho realiza Os edifícios nas carpetes Que o homem concretiza arquiteto 25
  • 27. Para a sua construção O tijolo e a massa usa A colher na projeção E a betoneira confusa pedreiro 26
  • 28. De noite trabalha Depois de muito amassar Com a pá na fornalha A côdea não pode passar padeiro 27
  • 29. Concentrado na estrada Não tira o pé do acelerador Tem uma vida arriscada Mas a velocidade é o seu amor piloto de automóveis 28
  • 30. Entre animadas conversas Embeleza muita gente As opções são diversas “ Cabelo liso ou permanente?” cabeleireira 29
  • 31. Com música no coração O seu instrumento é a voz Na letra de uma canção Põe a vida de todos nós cantor 30
  • 32. Da árvore vem o material Que lhe dá o ganha-pão Serra, prega, cola e tal… E está feita a construção carpinteiro 31
  • 33. De transporte ou a andar Procura as nossas moradas Para lá nos colocar As mensagens enviadas carteiro 32
  • 34. Sempre de agulha e dedal Faz arranjos e bainhas Tanto num fato normal Como em vestes de rainhas costureira 33
  • 35. Põe-nos de boca aberta E analisa a situação Procura a solução certa Para cada dentição dentista 34
  • 36. Dá papa, mudas fraldinhas Vai ensinando a brincar Põe os meninos nas caminhas Com um canção de embalar educadora de infância 35
  • 37. Malha no ferro em brasa Com força para o domar A fornalha aquece a casa E o calor faz transpirar ferreiro 36
  • 38. Sem parar de trabalhar Ensaia lindos cantares O seu serviço é limpar Escolas, escritórios ou lares funcionária de limpeza 37
  • 39. Controla pelos botões Guindastes e escavadoras Não pode haver distrações Com máquinas tão assustadoras operador de máquinas 38