SlideShare uma empresa Scribd logo
a oração que constrói a
eternidade
Ebook Gratuito
Criado e disponibilizado pelo blog Hermeneutica Particular
(www.hermeneuticaparticular.com)
Publicado em 31 de janeiro de 2011.
Conteúdo baseado no sermão do Pr. Dr. John Piper do Ministério Desir-
ing God.org e da Igreja Bethlehem Baptist Church. O conteúdo origi-
nal pode ser encontrado em http://www.desiringgod.org.
Tradução:
Beatriz Rustiguel da Silva
Capa e Diagramação:
Beatriz Rustiguel da Silva
4
Mateus 6:5-15
5 E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas
sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo
que já receberam o seu galardão. 6 Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e,
fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te
recompensará publicamente. 7 E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios,
que pensam que por muito falarem serão ouvidos. 8 Não vos assemelheis, pois, a eles;
porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes. 9 Portanto, vós
orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; 10 Venha o teu
reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; 11 O pão nosso de cada dia
nos dá hoje; 12 E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos
devedores; 13 E não nos induzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino,
e o poder, e a glória, para sempre. Amém. 14 Porque, se perdoardes aos homens as suas
ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; 15 Se, porém, não perdoardes aos
homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas.
	 O que Deus tem nos ensinando sobre a
oração nesta guerra espiritual em que vive-
mos, e como ela pode fazer uma diferença
em nossa vida?
	 Eu, John Piper, escolhi concentrar-me no
tema oração nesse momento, porque ela tem
estado comigo durante minha vida, tanto como
um grito constante a Deus por sua ajuda, como
um foco recorrente de reflexão e pensamento.
Orei muito, e eu meditei muito sobre o tema
oração e quero compartilhar com você sobre o
que tenho aprendido.
	 Eu amo as orações da Bíblia. Eles mol-
dam minhas orações mais do qualquer outra
coisa. Eu amo as orações de Paulo em Filipens-
es 1:9-11, e Efésios 1:16-21 e 3:14-19 e Colos-
senses 1:9-12. Eu amo a oração de Jesus em
João 17. E eu amo de todo o livro dos Salmos
- que é o livro de orações da bíblia - pois é
cheio com uma gama de emoções que revela
o grito do nosso coração. Em quase qualquer
experiência podemos encontrar palavras de
oração adequadas nos Salmos.
A oração do Senhor: simples e es-
petacular
	 Mas a oração na Bíblia que mais me
prendeu durante minha lincença ministerial,
deste ano de 2010, é oração do Pai Nosso em
Mateus 6:9-13. Isto provavelmente porque,
pela providência de Deus, eu estava decorando
o Sermão da Montanha, com muitos de vocês.
Assim semana após semana eu estava revendo
Mateus 6 em minha mente, e assim repetindo
e meditando sobre a Oração do Senhor mais e
mais.
	 Como eu pensei sobre ela e orei com
base nela, isso teve um efeito sobre o quadro
geral da minha vida, e isso teve um efeito so-
bre o âmago das lutas diárias em minha vida.
Eu espero que ela tenha um efeito similar so-
bre você.
	 A oração do Senhor é muito fiel à vida
neste sentido. A vida é um combinação de coi-
sas espetaculares e coisas simples. Na vida de
quase todos há coisas deslumbrantes e coisas
Senhor, Ensina-nos a Orar
Pr. Dr. John Piper
5
chatas, coisas fantásticas e coisas familiares,
coisas extraordinárias e coisas comuns. A vida é
assim. E a oração do Senhor abordar esses dois
aspectos da nossa vida.
A oração do Senhor em duas partes
	 Quase todo mundo nota que essa oração
tem duas partes. A primeira parte (vers. 09-10)
tem três petições, e a segunda parte (vers. 11-
13) possui mais três petições.
1.As três primeiras petições são:
‘Santificado seja o teu nome
Venha o teu reino
Vossa vontade seja feita na terra como no
céu.’
	 Estamos pedindo a Deus para trazer es-
tas três coisas: fazer com que seu nome seja
santificado; fazer com que seu reino venha;
fazer com que a sua vontade seja feita tanto
na terra como no céu.
2. As três últimas petições são:
‘Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia
Perdoai-nos as nossas dívidas, assim como nós
também temos perdoado aos nossos devedores
Não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-
nos do mal.’
	 Você pode ver e sentir a diferença entre
esses duas metades? As três primeiras petições
são sobre o nome de Deus, o reino de Deus, a
vontade de Deus. Os três últimos são sobre a
nossa comida, nosso perdão, e nossa santidade.
As três primeiras chamam a nossa atenção para
a grandeza de Deus. E as três últimas chamam
atenção para as nossas necessidades. As duas
metades têm impactos muito diferentes.
	 Em outras palavras, há uma corre-
spondência entre o conteúdo da presente
oração e do conteúdo de nossas vidas. O grande
e o pequeno. O glorioso e o comum. O majes-
toso e o mundano. O sublime e os humildes. E
essa é a forma como esta oração liga a eterni-
dade e a vida ordinária.
Oração para a Eternidade
	 Versículo 9: Pai, faça com que o seu
nome grande e santo seja honrado e reveren-
ciado e estimado e valorizado acima de tudo,
em todo o mundo (incluindo o meu coração).
	 Versículo 10: E faça com que seu glori-
oso, soberano, majestoso reino venha dominar
sem obstrução em todo o mundo (incluindo o
meu coração).
	 Versículo 10: E faça com que a sua sábia,
boa, justa e santa vontade seja ser feita por
todo este mundo da mesma maneira que os an-
jos fazem perfeitamente e alegremente no céu
(faça acontecer também em mim).
	
	 Essa é a parte de tirar o fôlego da
oração. Quando nós oramos assim estamos en-
volvidos em grandes coisas, coisas gloriosas,
coisas globais, coisas eternas. Deus quer que
isso aconteça. Ele quer que sua vida seja am-
pliada, enobrecida e enriquecida como essa
oração.
Oração para o Diário
	 Mas, então, nós também oramos:
	 Versículo 11: Pai, eu não estou pedindo
a graça de riquezas. Eu estou pedindo o pão.
Apenas o suficiente para me dar vida. Eu quero
viver. Eu quero ser saudável, e ter um corpo e
uma mente que funcionam. Você me dá o que
eu preciso para o meu corpo e mente?
	 Versículo 12: E, Pai, eu sou um pecador
e preciso ser perdoado todos os dias. Eu não
posso viver e prosperar com a culpa. Eu vou
morrer se tiver que suportar minha culpa to-
dos os dias. Não quero guardar rancor. Eu sei
que não mereço perdão, e por isso não tenho
o direito de guardar rancor contra ninguém. Eu
deixo de todas as ofensas feitas contra mim.
Por favor, tenham piedade de mim e me perdoe
e me deixe viver na liberdade do seu amor. E,
6
claro, sabemos agora que quando oramos por
perdão, esperamos receber não apenas porque
Deus é nosso Pai, mas porque o Pai entregou o
Seu Filho para morrer em nosso lugar.
	 Versículo 13: E Pai, eu não quero con-
tinuar pecando. Eu sou grato pelo perdão, mas
Pai, eu não quero pecar. Por favor, não me leve
as complicações da tentação irresistível. Livra-
me do mal. Guarda-me de Satanás e de todas
as suas obras e todos os seus caminhos. Conce-
da-me andar em santidade.
	 Essa é a parte da terrena da oração. A
diária luta da vida cristã. Precisamos de comi-
da, perdão e proteção contra o mal.
	 E eu acho que as duas metades da oração
do Pai nosso correspondem às duas coisas ditas
a respeito de Deus. Jesus nos diz para nos di-
rigirmos a ele no início, no versículo 9: “Pai
nosso que estás nos céus.” Primeiramente,
Deus é um pai para nós. E segundo, ele é infini-
tamente acima de nós e sobre tudo, nos céus.
Sua paternidade corresponde a sua disponibili-
dade em satisfazer as nossas necessidades ter-
renas. Sua paternidade celeste (ou divindade)
corresponde a seu direito supremo de receber
adoração, fidelidade e obediência.
	 Por exemplo, em Mateus 6:32, Jesus nos
diz para não estarmos muito preocupados com
comida, bebida e roupas, porque “o vosso Pai
celeste sabe que necessitais de todos eles.” Em
outras palavras, Jesus quer que nós sintamos a
paternidade de Deus como uma expressão de
sua prontidão para atender às nossas necessi-
dades mais básicas.
	 E então devemos considerar Mateus
05:34, onde Jesus diz: “de maneira nenhuma
jureis; nem pelo céu, porque é o trono de
Deus;” Em outras palavras, quando você pen-
sar em céu, deve pensar no trono de Deus, em
sua majestade, poder e autoridade.
	 Então, quando Jesus nos diz em Mateus
6:09 para orar: “Pai nosso, que estás nos céus”
ele está nos dizendo que o Deus que nos ouve
em oração é majestoso e misericordioso. Ele
é alto, mas também habita com o contrito
(Isaías 57:15). Ele é um rei, e ele é um pai.
Ele é santo, e ele se humilha. Ele está muito
acima de nós, mas está pronto para vir até
nós. Ele tem planos para toda a terra e para a
universo, e quer que nós nos preocupemos com
estes grandes planos e que nós oremos sobre
eles, e ele tem planos para nossa vida pessoal
ao nível mais prático e deseja que nós oremos
sobre isso também.
	 Parece-me que os grandes desígnios de
Deus são em primeiro lugar sobre o próprio
Deus. Que seu nome seja santificado, que sua
vontade seja feita, a que seu Reino venha. E
o resto da oração é como eu posso me encaix-
ar no serviço desses grandes projetos divinos.
Meu pão, meu perdão, minha salvação, minha
saúde, a minha esperança, minha santidade
são para o propósito de fazer parte dos grandes
propósitos de glorificação e exaltação do nome
de Deus, e do governo divino e da realização de
sua plena vontade.
	 Mas, há algo original e único sobre
a primeira petição: “Santificado seja o teu
nome.” Nessa petição, ouvimos um pedido es-
pecífico ao coração humano - a santificação,
reverencia, honra, valorização e admiração do
nome de Deus acima de todas as coisas. Nen-
hum dos outros cinco pedidos nos diz para orar
por uma resposta específica do coração hu-
mano.
	 Se você combina esse fato com o fato
de que esta petição vem em primeiro lugar, e
que o “nome” de Deus (“santificado seja o teu
nome”) é equivalente ao ser de Deus e não so-
mente ao seu reino, ou a sua vontade, a minha
conclusão é que esta petição é o ponto princi-
pal da oração. Todas as outras petições servem
para alcançar este ponto.
	 Em outras palavras, a estrutura da
oração não é meramente que as últimas três
petições servem as três primeiras, mas que os
7
últimos cinco pontos servem ao primeiro.
	 Nada é mais claro para mim, do que a
razão de existência do universo. O universo e
tudo que nele há existe e serve para a santifi-
cação do nome de Deus.
Seu reino vem para isso.
Sua vontade é feita para isso.
Os seres humanos têm a vida e pão para isso.
Os pecados são perdoados por isso.
Somos livres das tentações por isso.
Oração para a pressões e problemas
	 Cedo ou tarde a vida quase nos esmaga
com pressões e problemas, problemas físicos
(dar-nos pão de cada dia), problemas nos rela-
cionamentos e problemas mentais (Perdoa-nos
as nossas dívidas), problemas morais (não nos
deixeis cair em tentação). E o que eu quero
que você veja é isso: você tem um pai. Ele é
mil vezes melhor do que o melhor pai humano.
Sua paternidade significa que ele se preocupa
com cada um desses problemas, e ele aceita
que você fala com ele sobre cada problema em
oração, e que você vá até ele para pedir ajuda.
Ele sabe o que você precisa (Mateus 6:32).
	 Essa é a maneira que nós normalmente
atacamos os nossos problemas. E é assim que
devemos atacar. Nós atacamos os problemas
diretamente em oração. “Eu tenho esse prob-
lema financeiro, ou este problema de relacion-
amento, ou esse mau hábito e pecado. Pai aju-
da-me!” Essa é a maneira certa de lidar com os
problemas.
	 Mas Jesus nos oferece mais opções nesta
oração. Existe um ataque indireto aos nossos
problemas. Há um remédio, há uma libertação
completa de todos os problemas desta vida nas
três primeiras petições da oração, especial-
mente a primeira petição.
	 Deus nos faz parte da santificação do
nome d’Ele, da implantação do seu reino, e de
ver a realização da sua vontade sendo feita na
terra assim como no céu. Em outras palavras,
Ele nos fez para coisas magníficas e para coisas
mundanas. Ele nos fez para coisas espetacu-
lar e para coisas simples. Ele ama tanto o sim-
ples quanto o espetacular. Ele honra a ambos.
Mas, o que nós não vemos com freqüência é
que, quando perdemos o nosso domínio sobre a
grandeza de Deus e seu nome e seu reino, sua
vontade mundial, nós perdemos o nosso equilí-
brio na vida cotidiana, e estamos muito mais
facilmente dominados pelos problemas munda-
nos.
	 Peço a você que não perca de vista a
supremacia e centralidade da santificação do
nome de Deus em sua vida. Estou exortando-
vos com a oração do Senhor que você vá até
Deus pelo seu pão de cada dia, e para a cura
de relacionamentos, e para a superação dos
pecados que te assediam, e para fazer a von-
tade de Deus, e para a busca do reino de Deus,
tudo isso e em tempo todo por causa da san-
tificação, reverência, honra, e valorização do
nome de Deus acima todas as coisas.
Pés no Chão, Coração elevado a Deus
	 Mantenha seus pés no chão. É por isso
que as três petições naturais estão ali. Mas
deixe seu coração se elevar para a magnificên-
cia global de Deus, da sua vontade, do seu rei-
no, e acima de tudo da santidade de seu nome.
	 Você não pode ver claramente agora,
mas eu testifico a partir das Escrituras e a
partir da experiência, há mais salvação, mais
cura, mais alegria na santificação do nome de
Deus do que talvez você jamais possa sonhar.
Vamos orar na plenitude dessa oração.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Epifania do senhor
Epifania do senhorEpifania do senhor
Epifania do senhor
Gustavo Scheffer
 
Oração do Pai nosso = Lucas 11
Oração  do Pai nosso = Lucas 11Oração  do Pai nosso = Lucas 11
Oração do Pai nosso = Lucas 11
Jair de Barros
 
Sunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese MassSunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese Mass
MariadaSilva95
 
Sunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese MassSunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese Mass
MariadaSilva95
 
Folheto Litúrgico do mês de fevereiro 2014
Folheto Litúrgico do mês de fevereiro 2014Folheto Litúrgico do mês de fevereiro 2014
Folheto Litúrgico do mês de fevereiro 2014
Gustavo Scheffer
 
Sunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese MassSunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese Mass
MariadaSilva95
 
Apr 18 2021 dominga 2
Apr 18 2021   dominga 2Apr 18 2021   dominga 2
Apr 18 2021 dominga 2
MariadaSilva95
 
29 01 12
29 01 1229 01 12
Apr 25 2021 dominga 3
Apr 25 2021   dominga 3Apr 25 2021   dominga 3
Apr 25 2021 dominga 3
MariadaSilva95
 
Hora Santa Vocacional 2014
Hora Santa Vocacional 2014Hora Santa Vocacional 2014
Hora Santa Vocacional 2014
José Vieira Dos Santos
 
Apresentação missa para 06 05-12
 Apresentação missa para 06 05-12 Apresentação missa para 06 05-12
Apresentação missa para 06 05-12
Nacreto
 
15º noite do trigo crianças
15º noite do trigo crianças15º noite do trigo crianças
15º noite do trigo crianças
Gustavo Scheffer
 
Novena Mass
Novena MassNovena Mass
Novena Mass
MariadaSilva95
 
Intimidade com Deus
Intimidade com DeusIntimidade com Deus
Intimidade com Deus
Antonio Sampaio
 
“Os homens começaram a invocar o nome de Deus”
“Os homens começaram a invocar o nome de Deus”“Os homens começaram a invocar o nome de Deus”
“Os homens começaram a invocar o nome de Deus”
JUERP
 
May 30 2021
May 30 2021May 30 2021
May 30 2021
MariadaSilva95
 
Sunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese MassSunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese Mass
MariadaSilva95
 
Feast of the Sacred Heart Mass
Feast of the Sacred Heart MassFeast of the Sacred Heart Mass
Feast of the Sacred Heart Mass
MariadaSilva95
 
Folheto de cânticos
Folheto de cânticosFolheto de cânticos
Folheto de cânticos
torrasko
 
"O Senhor ouviu as orações"
"O Senhor ouviu as orações""O Senhor ouviu as orações"
"O Senhor ouviu as orações"
JUERP
 

Mais procurados (20)

Epifania do senhor
Epifania do senhorEpifania do senhor
Epifania do senhor
 
Oração do Pai nosso = Lucas 11
Oração  do Pai nosso = Lucas 11Oração  do Pai nosso = Lucas 11
Oração do Pai nosso = Lucas 11
 
Sunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese MassSunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese Mass
 
Sunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese MassSunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese Mass
 
Folheto Litúrgico do mês de fevereiro 2014
Folheto Litúrgico do mês de fevereiro 2014Folheto Litúrgico do mês de fevereiro 2014
Folheto Litúrgico do mês de fevereiro 2014
 
Sunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese MassSunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese Mass
 
Apr 18 2021 dominga 2
Apr 18 2021   dominga 2Apr 18 2021   dominga 2
Apr 18 2021 dominga 2
 
29 01 12
29 01 1229 01 12
29 01 12
 
Apr 25 2021 dominga 3
Apr 25 2021   dominga 3Apr 25 2021   dominga 3
Apr 25 2021 dominga 3
 
Hora Santa Vocacional 2014
Hora Santa Vocacional 2014Hora Santa Vocacional 2014
Hora Santa Vocacional 2014
 
Apresentação missa para 06 05-12
 Apresentação missa para 06 05-12 Apresentação missa para 06 05-12
Apresentação missa para 06 05-12
 
15º noite do trigo crianças
15º noite do trigo crianças15º noite do trigo crianças
15º noite do trigo crianças
 
Novena Mass
Novena MassNovena Mass
Novena Mass
 
Intimidade com Deus
Intimidade com DeusIntimidade com Deus
Intimidade com Deus
 
“Os homens começaram a invocar o nome de Deus”
“Os homens começaram a invocar o nome de Deus”“Os homens começaram a invocar o nome de Deus”
“Os homens começaram a invocar o nome de Deus”
 
May 30 2021
May 30 2021May 30 2021
May 30 2021
 
Sunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese MassSunday Portuguese Mass
Sunday Portuguese Mass
 
Feast of the Sacred Heart Mass
Feast of the Sacred Heart MassFeast of the Sacred Heart Mass
Feast of the Sacred Heart Mass
 
Folheto de cânticos
Folheto de cânticosFolheto de cânticos
Folheto de cânticos
 
"O Senhor ouviu as orações"
"O Senhor ouviu as orações""O Senhor ouviu as orações"
"O Senhor ouviu as orações"
 

Semelhante a John piper a oração que constroi a eternidade

Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Luiza Dayana
 
Livro ebook-oracao-como-estilo-de-vida
Livro ebook-oracao-como-estilo-de-vidaLivro ebook-oracao-como-estilo-de-vida
Livro ebook-oracao-como-estilo-de-vida
Luis Augusto Guimarães
 
Pai Nosso
Pai   NossoPai   Nosso
[EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 5 - Orando co...
[EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 5 - Orando co...[EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 5 - Orando co...
[EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 5 - Orando co...
José Carlos Polozi
 
O que é oração
O que é oraçãoO que é oração
O que é oração
Joselito Machado
 
JEJUM Abrindo a Porta Para as Promessas de Deus.pdf
JEJUM Abrindo a Porta Para as Promessas de Deus.pdfJEJUM Abrindo a Porta Para as Promessas de Deus.pdf
JEJUM Abrindo a Porta Para as Promessas de Deus.pdf
BillyIbn1
 
Praticando os cinco tipos de oração
Praticando os cinco tipos de oraçãoPraticando os cinco tipos de oração
Praticando os cinco tipos de oração
baixarlivros1
 
Oração, cura e restauração_1242014_GGR
Oração, cura e restauração_1242014_GGROração, cura e restauração_1242014_GGR
Oração, cura e restauração_1242014_GGR
Gerson G. Ramos
 
Oração:A chave da vitória que todo cristão tem que colocar em pratica
Oração:A chave da vitória que todo cristão tem que colocar em praticaOração:A chave da vitória que todo cristão tem que colocar em pratica
Oração:A chave da vitória que todo cristão tem que colocar em pratica
EnoqueReis5
 
A oração do x.tão 2
A oração do x.tão 2A oração do x.tão 2
A oração do x.tão 2
Antenor Antenor
 
Propósito com a oração.
Propósito com a oração.Propósito com a oração.
Propósito com a oração.
Quenia Damata
 
A oração muda as coisas r. c. sproul
A oração muda as coisas    r. c. sproulA oração muda as coisas    r. c. sproul
A oração muda as coisas r. c. sproul
Sheimon Mim
 
A oração muda as coisas r. c. sproul
A oração muda as coisas    r. c. sproulA oração muda as coisas    r. c. sproul
A oração muda as coisas r. c. sproul
Pastor Marcello Rocha
 
Elementos para uma oraçao vitoriosa
Elementos para uma oraçao vitoriosaElementos para uma oraçao vitoriosa
Elementos para uma oraçao vitoriosa
Carlos Allvarenga
 
ECC PAL.ORAÇÃO.ppt
ECC PAL.ORAÇÃO.pptECC PAL.ORAÇÃO.ppt
ECC PAL.ORAÇÃO.ppt
SouzaRoberto
 
Grandesoracoes pg
Grandesoracoes pgGrandesoracoes pg
Lição 01 - EBD Ensina-nos a Orar 08-10-2023.pptx
Lição 01 - EBD Ensina-nos a Orar 08-10-2023.pptxLição 01 - EBD Ensina-nos a Orar 08-10-2023.pptx
Lição 01 - EBD Ensina-nos a Orar 08-10-2023.pptx
Antonio Marcio da Silva
 
4.a vida de oração do cristão
4.a vida de oração do cristão4.a vida de oração do cristão
4.a vida de oração do cristão
talmidimted
 
O Poder da Oração - Autores diversos
O Poder da Oração - Autores diversosO Poder da Oração - Autores diversos
O Poder da Oração - Autores diversos
edbtr
 
Disciplinas Espirituais - Oração
Disciplinas Espirituais - OraçãoDisciplinas Espirituais - Oração
Disciplinas Espirituais - Oração
Tiago de Souza
 

Semelhante a John piper a oração que constroi a eternidade (20)

Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
 
Livro ebook-oracao-como-estilo-de-vida
Livro ebook-oracao-como-estilo-de-vidaLivro ebook-oracao-como-estilo-de-vida
Livro ebook-oracao-como-estilo-de-vida
 
Pai Nosso
Pai   NossoPai   Nosso
Pai Nosso
 
[EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 5 - Orando co...
[EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 5 - Orando co...[EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 5 - Orando co...
[EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 5 - Orando co...
 
O que é oração
O que é oraçãoO que é oração
O que é oração
 
JEJUM Abrindo a Porta Para as Promessas de Deus.pdf
JEJUM Abrindo a Porta Para as Promessas de Deus.pdfJEJUM Abrindo a Porta Para as Promessas de Deus.pdf
JEJUM Abrindo a Porta Para as Promessas de Deus.pdf
 
Praticando os cinco tipos de oração
Praticando os cinco tipos de oraçãoPraticando os cinco tipos de oração
Praticando os cinco tipos de oração
 
Oração, cura e restauração_1242014_GGR
Oração, cura e restauração_1242014_GGROração, cura e restauração_1242014_GGR
Oração, cura e restauração_1242014_GGR
 
Oração:A chave da vitória que todo cristão tem que colocar em pratica
Oração:A chave da vitória que todo cristão tem que colocar em praticaOração:A chave da vitória que todo cristão tem que colocar em pratica
Oração:A chave da vitória que todo cristão tem que colocar em pratica
 
A oração do x.tão 2
A oração do x.tão 2A oração do x.tão 2
A oração do x.tão 2
 
Propósito com a oração.
Propósito com a oração.Propósito com a oração.
Propósito com a oração.
 
A oração muda as coisas r. c. sproul
A oração muda as coisas    r. c. sproulA oração muda as coisas    r. c. sproul
A oração muda as coisas r. c. sproul
 
A oração muda as coisas r. c. sproul
A oração muda as coisas    r. c. sproulA oração muda as coisas    r. c. sproul
A oração muda as coisas r. c. sproul
 
Elementos para uma oraçao vitoriosa
Elementos para uma oraçao vitoriosaElementos para uma oraçao vitoriosa
Elementos para uma oraçao vitoriosa
 
ECC PAL.ORAÇÃO.ppt
ECC PAL.ORAÇÃO.pptECC PAL.ORAÇÃO.ppt
ECC PAL.ORAÇÃO.ppt
 
Grandesoracoes pg
Grandesoracoes pgGrandesoracoes pg
Grandesoracoes pg
 
Lição 01 - EBD Ensina-nos a Orar 08-10-2023.pptx
Lição 01 - EBD Ensina-nos a Orar 08-10-2023.pptxLição 01 - EBD Ensina-nos a Orar 08-10-2023.pptx
Lição 01 - EBD Ensina-nos a Orar 08-10-2023.pptx
 
4.a vida de oração do cristão
4.a vida de oração do cristão4.a vida de oração do cristão
4.a vida de oração do cristão
 
O Poder da Oração - Autores diversos
O Poder da Oração - Autores diversosO Poder da Oração - Autores diversos
O Poder da Oração - Autores diversos
 
Disciplinas Espirituais - Oração
Disciplinas Espirituais - OraçãoDisciplinas Espirituais - Oração
Disciplinas Espirituais - Oração
 

Mais de Marcelo Mardson Souza Lima E Silva

Morte
MorteMorte
Destino eterno
Destino eternoDestino eterno
Perseveranca
PerseverancaPerseveranca
Teologia cruz
Teologia cruzTeologia cruz
historia da igreja
 historia da igreja  historia da igreja
ética cristã - teologia do obreiro
 ética cristã - teologia do obreiro ética cristã - teologia do obreiro
ética cristã - teologia do obreiro
Marcelo Mardson Souza Lima E Silva
 
Ordus salutis2
Ordus salutis2Ordus salutis2
Jim elliff -_35_razoes_para_nao_pecar
Jim elliff -_35_razoes_para_nao_pecarJim elliff -_35_razoes_para_nao_pecar
Jim elliff -_35_razoes_para_nao_pecar
Marcelo Mardson Souza Lima E Silva
 
Arminianismo x calvinismo
Arminianismo x calvinismoArminianismo x calvinismo
Arminianismo x calvinismo
Marcelo Mardson Souza Lima E Silva
 
Encontro doutrinario paternidade
Encontro doutrinario   paternidadeEncontro doutrinario   paternidade
Encontro doutrinario paternidade
Marcelo Mardson Souza Lima E Silva
 
Catecismo puritano, com provas, de c.h.spurgeon
Catecismo puritano, com provas, de c.h.spurgeonCatecismo puritano, com provas, de c.h.spurgeon
Catecismo puritano, com provas, de c.h.spurgeon
Marcelo Mardson Souza Lima E Silva
 
Paul washer você tem olhos bons
Paul washer   você tem olhos bonsPaul washer   você tem olhos bons
Paul washer você tem olhos bons
Marcelo Mardson Souza Lima E Silva
 
Credo dos apóstolos
Credo dos apóstolosCredo dos apóstolos
Credo de calcedônia
Credo de calcedôniaCredo de calcedônia
Credo de atanásio
Credo de atanásioCredo de atanásio
Sociedade biblica
Sociedade biblica   Sociedade biblica

Mais de Marcelo Mardson Souza Lima E Silva (16)

Morte
MorteMorte
Morte
 
Destino eterno
Destino eternoDestino eterno
Destino eterno
 
Perseveranca
PerseverancaPerseveranca
Perseveranca
 
Teologia cruz
Teologia cruzTeologia cruz
Teologia cruz
 
historia da igreja
 historia da igreja  historia da igreja
historia da igreja
 
ética cristã - teologia do obreiro
 ética cristã - teologia do obreiro ética cristã - teologia do obreiro
ética cristã - teologia do obreiro
 
Ordus salutis2
Ordus salutis2Ordus salutis2
Ordus salutis2
 
Jim elliff -_35_razoes_para_nao_pecar
Jim elliff -_35_razoes_para_nao_pecarJim elliff -_35_razoes_para_nao_pecar
Jim elliff -_35_razoes_para_nao_pecar
 
Arminianismo x calvinismo
Arminianismo x calvinismoArminianismo x calvinismo
Arminianismo x calvinismo
 
Encontro doutrinario paternidade
Encontro doutrinario   paternidadeEncontro doutrinario   paternidade
Encontro doutrinario paternidade
 
Catecismo puritano, com provas, de c.h.spurgeon
Catecismo puritano, com provas, de c.h.spurgeonCatecismo puritano, com provas, de c.h.spurgeon
Catecismo puritano, com provas, de c.h.spurgeon
 
Paul washer você tem olhos bons
Paul washer   você tem olhos bonsPaul washer   você tem olhos bons
Paul washer você tem olhos bons
 
Credo dos apóstolos
Credo dos apóstolosCredo dos apóstolos
Credo dos apóstolos
 
Credo de calcedônia
Credo de calcedôniaCredo de calcedônia
Credo de calcedônia
 
Credo de atanásio
Credo de atanásioCredo de atanásio
Credo de atanásio
 
Sociedade biblica
Sociedade biblica   Sociedade biblica
Sociedade biblica
 

Último

Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
HerverthRibeiro1
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
FernandoCavalcante48
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 

Último (10)

Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
Aula do ESDE 2 - Penas e Gozos Futuros 2024
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 

John piper a oração que constroi a eternidade

  • 1.
  • 2.
  • 3. a oração que constrói a eternidade Ebook Gratuito Criado e disponibilizado pelo blog Hermeneutica Particular (www.hermeneuticaparticular.com) Publicado em 31 de janeiro de 2011. Conteúdo baseado no sermão do Pr. Dr. John Piper do Ministério Desir- ing God.org e da Igreja Bethlehem Baptist Church. O conteúdo origi- nal pode ser encontrado em http://www.desiringgod.org. Tradução: Beatriz Rustiguel da Silva Capa e Diagramação: Beatriz Rustiguel da Silva
  • 4. 4 Mateus 6:5-15 5 E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. 6 Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente. 7 E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos. 8 Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes. 9 Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; 10 Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; 11 O pão nosso de cada dia nos dá hoje; 12 E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; 13 E não nos induzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém. 14 Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; 15 Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas. O que Deus tem nos ensinando sobre a oração nesta guerra espiritual em que vive- mos, e como ela pode fazer uma diferença em nossa vida? Eu, John Piper, escolhi concentrar-me no tema oração nesse momento, porque ela tem estado comigo durante minha vida, tanto como um grito constante a Deus por sua ajuda, como um foco recorrente de reflexão e pensamento. Orei muito, e eu meditei muito sobre o tema oração e quero compartilhar com você sobre o que tenho aprendido. Eu amo as orações da Bíblia. Eles mol- dam minhas orações mais do qualquer outra coisa. Eu amo as orações de Paulo em Filipens- es 1:9-11, e Efésios 1:16-21 e 3:14-19 e Colos- senses 1:9-12. Eu amo a oração de Jesus em João 17. E eu amo de todo o livro dos Salmos - que é o livro de orações da bíblia - pois é cheio com uma gama de emoções que revela o grito do nosso coração. Em quase qualquer experiência podemos encontrar palavras de oração adequadas nos Salmos. A oração do Senhor: simples e es- petacular Mas a oração na Bíblia que mais me prendeu durante minha lincença ministerial, deste ano de 2010, é oração do Pai Nosso em Mateus 6:9-13. Isto provavelmente porque, pela providência de Deus, eu estava decorando o Sermão da Montanha, com muitos de vocês. Assim semana após semana eu estava revendo Mateus 6 em minha mente, e assim repetindo e meditando sobre a Oração do Senhor mais e mais. Como eu pensei sobre ela e orei com base nela, isso teve um efeito sobre o quadro geral da minha vida, e isso teve um efeito so- bre o âmago das lutas diárias em minha vida. Eu espero que ela tenha um efeito similar so- bre você. A oração do Senhor é muito fiel à vida neste sentido. A vida é um combinação de coi- sas espetaculares e coisas simples. Na vida de quase todos há coisas deslumbrantes e coisas Senhor, Ensina-nos a Orar Pr. Dr. John Piper
  • 5. 5 chatas, coisas fantásticas e coisas familiares, coisas extraordinárias e coisas comuns. A vida é assim. E a oração do Senhor abordar esses dois aspectos da nossa vida. A oração do Senhor em duas partes Quase todo mundo nota que essa oração tem duas partes. A primeira parte (vers. 09-10) tem três petições, e a segunda parte (vers. 11- 13) possui mais três petições. 1.As três primeiras petições são: ‘Santificado seja o teu nome Venha o teu reino Vossa vontade seja feita na terra como no céu.’ Estamos pedindo a Deus para trazer es- tas três coisas: fazer com que seu nome seja santificado; fazer com que seu reino venha; fazer com que a sua vontade seja feita tanto na terra como no céu. 2. As três últimas petições são: ‘Dá-nos hoje o nosso pão de cada dia Perdoai-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores Não nos deixeis cair em tentação, mas livrai- nos do mal.’ Você pode ver e sentir a diferença entre esses duas metades? As três primeiras petições são sobre o nome de Deus, o reino de Deus, a vontade de Deus. Os três últimos são sobre a nossa comida, nosso perdão, e nossa santidade. As três primeiras chamam a nossa atenção para a grandeza de Deus. E as três últimas chamam atenção para as nossas necessidades. As duas metades têm impactos muito diferentes. Em outras palavras, há uma corre- spondência entre o conteúdo da presente oração e do conteúdo de nossas vidas. O grande e o pequeno. O glorioso e o comum. O majes- toso e o mundano. O sublime e os humildes. E essa é a forma como esta oração liga a eterni- dade e a vida ordinária. Oração para a Eternidade Versículo 9: Pai, faça com que o seu nome grande e santo seja honrado e reveren- ciado e estimado e valorizado acima de tudo, em todo o mundo (incluindo o meu coração). Versículo 10: E faça com que seu glori- oso, soberano, majestoso reino venha dominar sem obstrução em todo o mundo (incluindo o meu coração). Versículo 10: E faça com que a sua sábia, boa, justa e santa vontade seja ser feita por todo este mundo da mesma maneira que os an- jos fazem perfeitamente e alegremente no céu (faça acontecer também em mim). Essa é a parte de tirar o fôlego da oração. Quando nós oramos assim estamos en- volvidos em grandes coisas, coisas gloriosas, coisas globais, coisas eternas. Deus quer que isso aconteça. Ele quer que sua vida seja am- pliada, enobrecida e enriquecida como essa oração. Oração para o Diário Mas, então, nós também oramos: Versículo 11: Pai, eu não estou pedindo a graça de riquezas. Eu estou pedindo o pão. Apenas o suficiente para me dar vida. Eu quero viver. Eu quero ser saudável, e ter um corpo e uma mente que funcionam. Você me dá o que eu preciso para o meu corpo e mente? Versículo 12: E, Pai, eu sou um pecador e preciso ser perdoado todos os dias. Eu não posso viver e prosperar com a culpa. Eu vou morrer se tiver que suportar minha culpa to- dos os dias. Não quero guardar rancor. Eu sei que não mereço perdão, e por isso não tenho o direito de guardar rancor contra ninguém. Eu deixo de todas as ofensas feitas contra mim. Por favor, tenham piedade de mim e me perdoe e me deixe viver na liberdade do seu amor. E,
  • 6. 6 claro, sabemos agora que quando oramos por perdão, esperamos receber não apenas porque Deus é nosso Pai, mas porque o Pai entregou o Seu Filho para morrer em nosso lugar. Versículo 13: E Pai, eu não quero con- tinuar pecando. Eu sou grato pelo perdão, mas Pai, eu não quero pecar. Por favor, não me leve as complicações da tentação irresistível. Livra- me do mal. Guarda-me de Satanás e de todas as suas obras e todos os seus caminhos. Conce- da-me andar em santidade. Essa é a parte da terrena da oração. A diária luta da vida cristã. Precisamos de comi- da, perdão e proteção contra o mal. E eu acho que as duas metades da oração do Pai nosso correspondem às duas coisas ditas a respeito de Deus. Jesus nos diz para nos di- rigirmos a ele no início, no versículo 9: “Pai nosso que estás nos céus.” Primeiramente, Deus é um pai para nós. E segundo, ele é infini- tamente acima de nós e sobre tudo, nos céus. Sua paternidade corresponde a sua disponibili- dade em satisfazer as nossas necessidades ter- renas. Sua paternidade celeste (ou divindade) corresponde a seu direito supremo de receber adoração, fidelidade e obediência. Por exemplo, em Mateus 6:32, Jesus nos diz para não estarmos muito preocupados com comida, bebida e roupas, porque “o vosso Pai celeste sabe que necessitais de todos eles.” Em outras palavras, Jesus quer que nós sintamos a paternidade de Deus como uma expressão de sua prontidão para atender às nossas necessi- dades mais básicas. E então devemos considerar Mateus 05:34, onde Jesus diz: “de maneira nenhuma jureis; nem pelo céu, porque é o trono de Deus;” Em outras palavras, quando você pen- sar em céu, deve pensar no trono de Deus, em sua majestade, poder e autoridade. Então, quando Jesus nos diz em Mateus 6:09 para orar: “Pai nosso, que estás nos céus” ele está nos dizendo que o Deus que nos ouve em oração é majestoso e misericordioso. Ele é alto, mas também habita com o contrito (Isaías 57:15). Ele é um rei, e ele é um pai. Ele é santo, e ele se humilha. Ele está muito acima de nós, mas está pronto para vir até nós. Ele tem planos para toda a terra e para a universo, e quer que nós nos preocupemos com estes grandes planos e que nós oremos sobre eles, e ele tem planos para nossa vida pessoal ao nível mais prático e deseja que nós oremos sobre isso também. Parece-me que os grandes desígnios de Deus são em primeiro lugar sobre o próprio Deus. Que seu nome seja santificado, que sua vontade seja feita, a que seu Reino venha. E o resto da oração é como eu posso me encaix- ar no serviço desses grandes projetos divinos. Meu pão, meu perdão, minha salvação, minha saúde, a minha esperança, minha santidade são para o propósito de fazer parte dos grandes propósitos de glorificação e exaltação do nome de Deus, e do governo divino e da realização de sua plena vontade. Mas, há algo original e único sobre a primeira petição: “Santificado seja o teu nome.” Nessa petição, ouvimos um pedido es- pecífico ao coração humano - a santificação, reverencia, honra, valorização e admiração do nome de Deus acima de todas as coisas. Nen- hum dos outros cinco pedidos nos diz para orar por uma resposta específica do coração hu- mano. Se você combina esse fato com o fato de que esta petição vem em primeiro lugar, e que o “nome” de Deus (“santificado seja o teu nome”) é equivalente ao ser de Deus e não so- mente ao seu reino, ou a sua vontade, a minha conclusão é que esta petição é o ponto princi- pal da oração. Todas as outras petições servem para alcançar este ponto. Em outras palavras, a estrutura da oração não é meramente que as últimas três petições servem as três primeiras, mas que os
  • 7. 7 últimos cinco pontos servem ao primeiro. Nada é mais claro para mim, do que a razão de existência do universo. O universo e tudo que nele há existe e serve para a santifi- cação do nome de Deus. Seu reino vem para isso. Sua vontade é feita para isso. Os seres humanos têm a vida e pão para isso. Os pecados são perdoados por isso. Somos livres das tentações por isso. Oração para a pressões e problemas Cedo ou tarde a vida quase nos esmaga com pressões e problemas, problemas físicos (dar-nos pão de cada dia), problemas nos rela- cionamentos e problemas mentais (Perdoa-nos as nossas dívidas), problemas morais (não nos deixeis cair em tentação). E o que eu quero que você veja é isso: você tem um pai. Ele é mil vezes melhor do que o melhor pai humano. Sua paternidade significa que ele se preocupa com cada um desses problemas, e ele aceita que você fala com ele sobre cada problema em oração, e que você vá até ele para pedir ajuda. Ele sabe o que você precisa (Mateus 6:32). Essa é a maneira que nós normalmente atacamos os nossos problemas. E é assim que devemos atacar. Nós atacamos os problemas diretamente em oração. “Eu tenho esse prob- lema financeiro, ou este problema de relacion- amento, ou esse mau hábito e pecado. Pai aju- da-me!” Essa é a maneira certa de lidar com os problemas. Mas Jesus nos oferece mais opções nesta oração. Existe um ataque indireto aos nossos problemas. Há um remédio, há uma libertação completa de todos os problemas desta vida nas três primeiras petições da oração, especial- mente a primeira petição. Deus nos faz parte da santificação do nome d’Ele, da implantação do seu reino, e de ver a realização da sua vontade sendo feita na terra assim como no céu. Em outras palavras, Ele nos fez para coisas magníficas e para coisas mundanas. Ele nos fez para coisas espetacu- lar e para coisas simples. Ele ama tanto o sim- ples quanto o espetacular. Ele honra a ambos. Mas, o que nós não vemos com freqüência é que, quando perdemos o nosso domínio sobre a grandeza de Deus e seu nome e seu reino, sua vontade mundial, nós perdemos o nosso equilí- brio na vida cotidiana, e estamos muito mais facilmente dominados pelos problemas munda- nos. Peço a você que não perca de vista a supremacia e centralidade da santificação do nome de Deus em sua vida. Estou exortando- vos com a oração do Senhor que você vá até Deus pelo seu pão de cada dia, e para a cura de relacionamentos, e para a superação dos pecados que te assediam, e para fazer a von- tade de Deus, e para a busca do reino de Deus, tudo isso e em tempo todo por causa da san- tificação, reverência, honra, e valorização do nome de Deus acima todas as coisas. Pés no Chão, Coração elevado a Deus Mantenha seus pés no chão. É por isso que as três petições naturais estão ali. Mas deixe seu coração se elevar para a magnificên- cia global de Deus, da sua vontade, do seu rei- no, e acima de tudo da santidade de seu nome. Você não pode ver claramente agora, mas eu testifico a partir das Escrituras e a partir da experiência, há mais salvação, mais cura, mais alegria na santificação do nome de Deus do que talvez você jamais possa sonhar. Vamos orar na plenitude dessa oração.