SlideShare uma empresa Scribd logo
Os DOIS Tipos de FÉ
O Segredo da Fé Revelado
E.W. Kenyon
(foto)
E. W. KENYON
Autor
(1867-1948)
Décima Oitava Impressão
Copyright 1998
Por
KENYON´S GOSPEL PUBLISHING SOCIETY
(Sociedade Publicadora Evangélica de Kenyon)
www.kenyons.org
Tradutor
Clayton Bezzan
c_bezzan@ig.com.br
CONTRACAPA
Orações não respondidas se colocam entre o indivíduo e uma vida de fé.
Alguns perderam completamente a fé. Muitos se voltaram para as seitas
filosóficas e metafísicas porque suas vidas de oração estavam fracassadas.
Há somente um fundamento para a Fé, a Palavra Viva. Quando nos tornamos
um com a Palavra em nossas ações, então a fé se torna uma realidade
inconsciente. Você nunca pensa em sua fé, somente pensa na necessidade e
em Sua capacidade de satisfazê-la.
Este livro lhe mostra a diferença entre a fé real, o assentimento mental e a
esperança.
A esperança é sempre no futuro. Você nunca recebe aquilo pelo que está
esperando. A FÉ É AGORA!
A fé real é agir sobre a Palavra, independente de qualquer Evidência dos
Sentidos.
Este livro lhe explicará e mostrará a diferença entre a fé real e a fé do
Conhecimento pelos Sentidos. A fé do Conhecimento pelos Sentidos quase
expulsou a fé real das igrejas.
“Crer” é na verdade “agir sobre a Palavra”, e a Fé é o resultado da ação.
ÍNDICE
A Situação é Exposta
1. A Base para a Fé
2. O que é a Fé
3.Tipos de Fé
4. As Fases Diferentes da Fé
5. A Fé pela Revelação
6. Alguns Inimigos da Fé
7. A Fé na sua Fé
8. Ações Correspondentes
9. Com o Coração o Homem Crê
10. Agindo sobre Sua Palavra
11. As Coisas que nos Pertencem
12. Empecilhos para a Fé
13. Oração
14. Algumas Coisas em que Devemos Crer
15. Receber, não Dar
16. A Mente Dirigida pelos Sentidos
17. O Novo Mandamento e a Justiça
18. Meu Recibo
19. O que Jesus disse sobre a Fé
Resumo
Uma Sugestão
A SITUAÇÃO É EXPOSTA
Orações não respondidas se colocam entre o indivíduo e uma vida de fé.
Alguns perderam completamente a fé. Muitos se voltaram para as seitas
filosóficas e metafísicas porque suas vidas de oração estavam fracassadas.
Se tivéssemos de perguntar ao indivíduo o que ele crê ser sua maior
dificuldade na sua caminhada cristã, creio que invariavelmente sua resposta
seria, “Não tenho fé o suficiente. Sei que Deus não é culpado. Sei que as
promessas estão lá na Palavra. Eu simplesmente não pude conseguir fé. Tenho
orado por ela; tenho jejuado por ela; mas não sei como consegui-la”.
Esta pequena conversa ocorreu entre marido e esposa na mesa do café da
manhã:
“Não, eu não estou perdendo minha confiança na Bíblia, mas de fato parece-
me que com o passar dos anos em que freqüentamos a igreja deveríamos ter
chegado a algum lugar.
“Hoje no escritório, a questão da fé veio à baila e descobri que não tinha
nenhuma fé. Isto é, eu não tinha nenhuma fé positiva e definida na Palavra,
como tenho nos negócios.
“Tenho fé nas coisas que fabricamos. Sei que elas farão aquilo que
anunciamos que farão.
“Não sei se a Palavra de Deus fará aquilo que é anunciado que ela fará.
Gostaria de saber onde está a dificuldade.
“Lá no escritório, quando enfrentamos um problema, nós o resolvemos, mas
em nossa igreja nós somente o encobrimos. O ignoramos. Tenho ignorado isso
tanto quanto posso. Preciso saber por quê!”
Esta é a razão para este livro. Nós o escrevemos para responder sobre o
problema da fé para homens e mulheres que pensam.
Capítulo I
A BASE PARA A FÉ
“Este assunto da fé me frustra”, disse um jovem o outro dia.
“O pastor pregou sobre fé no domingo. Ele não me falou como obter a fé, mas
ele me falou sobre a necessidade de tê-la, falou sobre o que ela poderia fazer.
“Ele citou aquelas maravilhosas sentenças dos lábios do Mestre, „Tudo é
possível ao que crê‟. „Se tiverdes fé como um grão de mostarda...‟
“Tenho tentado consegui-la. Fiz tudo o que sabia ou que alguém pudesse me
contar, mas ela parece ser tão difícil de entender. Você pode me dizer onde
está a dificuldade?”
Eu gostei dele. Ele era tão franco, tão genuíno. A aflição em seus olhos me
desafiavam.
Então eu lhe disse, “A fé vem através da Palavra de Deus.
“Você tem fé no homem para quem trabalha; se ele prometesse a você um
aumento em seu salário, você não questionaria.
“Você tem fé no banco com o qual faz negócios. Se dissessem que sua conta
está sem fundos, você não questionaria.
“Você sabe que você e sua palavra são um. Você está por trás de sua palavra,
por trás de toda palavra que empenha.
“Deus e Sua Palavra são um. Deus está por trás de toda Palavra que Ele
empenha. Não somente Ele está por trás dela, mas Seu trono está por trás de
Sua Palavra.
“Ele disse, „eu velo sobre a minha Palavra para a cumprir‟.
“Ele é um homem de negócios. Ele sabe que Sua Palavra é o fundamento de
tudo, de forma que Ele fica por trás dela.
“Jesus disse, „Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão‟
“Isto é a coisa que gera fé ... a integridade desta Palavra”.
“A fé vem de ouvir a Palavra, de a entender, por meio dela se tornando uma
parte de nós.
“Vou dizer uma coisa dura. Estou certo de que você me entenderá. A mentira,
o engano e a desonestidade são os distintivos do mundo.
“Vemos isso no relacionamento internacional entre as nações.
“Eles têm seus homens do serviço secreto na escuta por toda a parte, roubando
uns aos outros dos projetos de navios de guerra, etc., até que não haja mais
nenhuma chance de haver segurança em nenhum lugar.
Esta é a razão de nossa incredulidade. O ar está cheio dela. Quando vimos
contra a Palavra de Deus, que não pode mentir e não pode ser desafiada, de
alguma forma ou de outra, estamos despreparados para aceitá-la.
“Satanás é um mentiroso e ele é o deus deste mundo.
“Jesus veio como Revelação da Verdade. Ele é o único que alguma vez fez os
homens ficarem honestos, quando dizer a verdade significava que seriam
queimados na estaca.
“Aqui vemos o fundamento para esta Fé. Você é levado a conhecer Jesus
através da Palavra. Ele lhe apresenta para o Pai.
“Então você começa a agir sobre a Palavra, como para pô-la à prova.
“Após pouco, você descobrirá que agir sobre o que Jesus disse, ou o Pai disse,
se torna tão natural como agir sobre a palavra do homem para quem você está
trabalhando”.
Ele disse após pensar cuidadosamente, “Obrigado. Creio que aprendi algo que
nunca havia visto antes”.
Um Fundamento
Há somente um fundamento para a Fé, a Palavra Viva.
À medida que nos tornamos um com a Palavra em nossas ações, a fé se torna
uma realidade inconsciente.
Você nunca pensa na sua Fé, você pensa na necessidade e na Sua habilidade
em satisfazê-la.
Se você quer que a fé cresça e fique robusta e forte, fique impregnado da
Palavra, se alimente dela, medite nela, até que se torne um com ela no sentido
de que é um com seu trabalho.
Descubra o que você é em Cristo, quais são os seus privilégios, o que Ele
pensa de você, e o que Ele fala de você.
Você vai achar tudo isso na Palavra.
Capítulo II
O QUE É A FÉ
“Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam”.
A fé é compreender as irrealidades da esperança e trazê-las para o âmbito da
realidade.
A fé germina da Palavra de Deus.
Ela é o documento que garante de que a coisa pela qual você esperava
carinhosamente finalmente é sua.
Ela é a “evidência das coisas não vistas”.
Você tem esperança de conseguir as finanças para cumprir uma obrigação; a
fé dá a certeza de que você terá o dinheiro quando precisar.
Você espera pela força física para fazer o trabalho que sabe que precisa fazer.
A fé diz, “O Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei?”
O Conhecimento pelos Sentidos trouxe à igreja o Assentimento Mental, que se
parece tanto com a fé que muitas pessoas não podem ver a diferença.
O Assentimento Mental é ver, admirar e dizer “é verdade, mas não no meu
caso”.
O Assentimento Mental concorda que a Bíblia é uma Revelação, que ela veio
de Deus, e que cada Palavra é verdadeira, contudo quando a crise vem, ela não
funciona. Ele simplesmente reconhece a veracidade desse maravilhoso livro,
mas não age sobre ele.
A esperança diz, “Um dia conseguirei”.
A fé diz, “Eu tenho agora”.
O Assentimento Mental diz, “É lindo. Sei que deveria tê-lo. Por alguma razão
não consigo. Não posso entender por quê.”
A fé do Conhecimento pelos Sentidos diz, “Quando eu chegar a ver, quando
sentir, saberei que o tenho”.
A fé real na Palavra diz, “Se Deus diz que é verdade, realmente é. Se Ele diz
que „Pelas Suas pisaduras fui sarado‟, realmente estou sarado. Se Ele diz que
Deus suprirá todas minhas necessidades, Ele o fará. Se Deus diz que Ele é a
força da minha vida, então Ele é. Assim, ocupo-me em fazer o meu trabalho
porque Ele é o que diz que Ele é, e eu sou o que Ele diz que sou”.
“Se Ele diz que sou forte, eu sou.
“Se Ele diz que estou curado, estou.
“Se Ele diz que se importa comigo, sei que Ele assim o faz.
“Quietamente descanso na Palavra, a despeito das evidências que satisfariam
meus Sentidos”.
A fé real é edificada sobre a Palavra.
Não está contaminada pelo Conhecimento que vem pelos Sentidos.
Ela é tão inconsciente de si mesma como a fé que uma criancinha tem na sua
mãe.
A criança nunca diz, “Mamãe, creio na sua palavra. Sei que se lhe pedir um
pedaço de pão a Sra. me dará”. Se dissesse tais coisas assustaria a mãe. Ela se
indagaria quanto ao que teria acontecido com sua criança.
Temos erigido ao redor da fé uma estranha palavrologia, como um obstáculo
feito de arame farpado.
Você ouve homens e mulheres clamarem “Senhor, eu creio! Ajuda a minha
falta de fé!”
Você os ouve orar pedindo fé.
Você ouve os homens dizerem a Deus que sabem que o que Ele diz é verdade,
que toda Palavra que Ele falou é verdadeira.
Tudo isso indica o domínio do Conhecimento pelos Sentidos sobre seus
espíritos, que a Palavra não conseguiu ainda a supremacia em Suas vidas.
A fé é o resultado da Palavra habitar em nós.
Não quero dizer a Palavra memorizada.
Quero dizer a Palavra vivida, praticada, até que se torne uma parte de nós
mesmos.
Meditamos nela. Pensamos profundamente nela. Nos alimentamos dela. A
Palavra se torna parte absoluta de nós mesmos; esta palavra de Fé desenvolve
em nós a confiança e a certeza.
O Conhecimento pelos Sentidos lutará a cada passo do caminho para nos
prender na esfera das coisas vistas, sentidas e ouvidas, mas nós
persistentemente adentramos na Palavra até que ela seja parte de nosso ser. A
Palavra é real.
Capítulo III
TIPOS DE FÉ
Realizei uma palestra sobre a Nova Criação na qual declarei, sem oferecer
nenhuma prova nas Escrituras, que os discípulos não foram Nascidos de Novo
até o dia de Pentecostes, que a salvação veio como resultado da fé em Jesus
como nosso Substituto.
Depois da reunião, um homem me disse, “E Marta, ela não era salva? Ela cria
em Jesus. E a declaração feita por Pedro não foi uma declaração que lhe
trouxe a salvação?”
Que tipo de fé os homens tinham em Jesus antes de Sua Morte e Ressurreição?
João 20:9, “Pois ainda não tinham compreendido a Escritura, que era
necessário Ele ressuscitar dentre os mortos‟.
Esta é uma parte da história dramática ligada à Ressurreição do Senhor Jesus.
Sabemos que a salvação é dependente de nossa fé em Jesus como Substituto,
de que Ele morreu pelos nossos pecados e de que Ele ressuscitou para nossa
Justificação.
A fé de Marta em Jesus é descrita em João 11:27. “Sim, Senhor, respondeu
ela, eu tenho crido que tu és o Cristo, o Filho de Deus que devia vir ao
mundo”.
Ela não tinha fé em Jesus como Aquele que tinha morrido e ressurgido como
seu Substituto e Salvador pessoal.
Ela tinha fé nEle como Filho de Deus, como Messias prometido.
Pedro fez outra confissão sobre Jesus que é registrada em Mateus 16:16.
Simão Pedro respondeu e disse, “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”.
Essa não foi uma confissão de que Cristo havia morrido por seus pecados e
ressuscitado para sua Justificação, mas simplesmente uma confissão dEle ser o
Messias e o Filho de Deus.
Há ainda outro tipo de confissão nos Quatro Evangelhos que é surpreendente.
João 6:30, “Então, lhe disseram eles: Que sinal fazes para que o vejamos e
creiamos em ti? Quais são os teus feitos?”
Note a expressão “para que o vejamos e creiamos”.
Talvez devamos nos voltar para João 20:25 e ler a declaração de Tomé. Jesus
havia aparecido aos discípulos depois de Sua Ressurreição. Tomé não estava
presente. Eles lhe contaram o que havia acontecido.
Ele disse, “Se eu não vir nas suas mãos o sinal dos cravos, e ali não puser o
dedo, e não puser a mão no seu lado, de modo algum acreditarei”.
Ele desejava crer se pudesse ter a evidência.
Jesus o satisfez quanto a isso. Nos versículos 27-29 diz, “Põe aqui o dedo e vê
as minhas mãos; chega também a mão e põe-na no meu lado; não sejas
incrédulo, mas crente. Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu! Disse-
lhe Jesus: Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram e
creram”.
Eis aqui dois tipos de fé em contraste.
Uma é a Fé do Conhecimento pelos Sentidos, que está baseada em evidências
físicas. Vemos e cremos. Ouvimos e cremos.
Jesus fala de outro tipo de fé na qual não se vê, não se sente, ou não se ouve,
contudo se crê.
A fé que os homens tinham em Jesus durante Sua caminhada terrena era a Fé
do Conhecimento pelos Sentidos.
Esta é uma das mais surpreendentes descobertas feitas nesta caminhada de fé.
Ela esclarece muitas questões.
O grande corpo da igreja tem a Fé do Conhecimento pelos Sentidos, em vez
da fé na Revelação que Deus nos deu.
Durante a caminhada terrena de Cristo os judeus estavam sob a Primeira
Aliança.
Eles estavam debaixo do sangue de novilhos e bodes.
Eles não tinham a Vida Eterna até que Cristo morresse e ressuscitasse, pois
nenhum deles cria em Cristo como Salvador.
Eles não criam em Sua obra Substitutiva. Não sabiam nada sobre isso.
Lucas 24:10-53 fornece uma ilustração nítida da condição dos discípulos
depois da Ressurreição do Senhor Jesus.
Ele havia aparecido para Maria e para outros.
Eles correram para o lugar onde os discípulos estavam reunidos.
“Eram Maria Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago; também as demais que
estavam com elas confirmaram estas coisas aos apóstolos. Tais palavras lhes
pareciam um como delírio, e não acreditaram nelas”.
Não havia nenhuma fé salvadora da parte dos discípulos nesse tempo.
Eles não O saudaram como seu Salvador.
Eles estavam mistificados, confusos pela Sua aparição.
Eles O reconheceram, pois viram a evidência da crucificação em Seu corpo.
Eles sabiam que era Ele.
Os discípulos tinham fé em Jesus como Messias, como Filho de Deus, mas
não como Substituto, não como Salvador do pecado. Eles O viam como seu
libertador de Roma.
O conhecimento da obra substitutiva de Cristo não chegou claramente até eles
até que Deus tivesse revelado isto a Paulo.
Obtemos esse conhecimento na Sua Revelação a Paulo nas Epístolas.
A Fé como Vista no Livro de Atos
Vamos agora dar uma olhada na fé dos discípulos como registrado nos
primeiros quinze capítulos do livro de Atos, antes da Revelação Paulina se
tornar conhecida.
Em Atos 1, os discípulos se encontraram com o Mestre. Eles O tocaram. Eles
comeram com Ele. Eles ouviram a Sua voz. Sua fé nEle estava baseada na
Evidência dos Sentidos.
Este não é o tipo de fé que você tem. Você nunca viu Jesus fisicamente.
Nunca ouviu Sua voz. Nunca tocou Seu corpo, contudo você crê que Ele
ressuscitou dentre os mortos.
Eles conviviam com Ele antes de Sua morte.
Eles conviveram com Ele novamente por quarenta dias depois de Sua
Ressurreição.
Leia cuidadosamente Atos 2:1-4.
“Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar;
de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda
a casa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas,
como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do
Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes
concedia que falassem”.
Eles ouviram o som como de um forte vento impetuoso.
Eles viram línguas como que de fogo repartidas sobre a fronte de cada um
deles.
Eles os ouviram falar em línguas e glorificar a Deus.
Não havia nenhuma fé vinda por meio da Revelação. Era uma Fé vinda
puramente do Conhecimento pelos Sentidos.
Eles creram nas línguas porque as ouviram.
Eles creram que o Espírito havia chegado porque tinham visto as evidências.
Os poderosos milagres que se seguiram, registrados em Atos 5, concederam às
multidões uma grande fé na Ressurreição do Senhor Jesus.
Não é esse o tipo de fé que você tem hoje, porque não tem as evidências
físicas que eles tinham em Jerusalém.
1 João 1:1-4, “O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos
visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos
apalparam, com respeito ao Verbo da vida (e a vida se manifestou, e nós a
temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos, a vida eterna, a
qual estava com o Pai e nos foi manifestada), o que temos visto e ouvido
anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais
comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho,
Jesus Cristo”.
Pedro e os demais viram Jesus com seus próprios olhos depois da
Ressurreição, e com suas próprias mãos O apalparam.
Jesus lhes dera o direito de usar Seu Nome e de impor as mãos sobre os
enfermos.
Eles manifestavam esta autoridade.
Em Atos 3:6, Pedro e João usaram o Nome para curar um homem inválido na
Porta Formosa do templo.
As multidões podiam ver o homem que eles antes haviam conhecido como um
aleijado impotente, agora curado diante de seus olhos.
O Sinédrio não podia dizer nada quando os prendeu.
Atos 4:14, “Vendo com eles o homem que fora curado, nada tinham que dizer
em contrário”. Isso fechou suas bocas.
Quando eles perguntaram no dia de Pentecostes, “Que faremos para sermos
salvos?”, Pedro não disse que deveriam crer no Senhor Jesus Cristo.
Ele simplesmente disse, “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em
Nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados”.
A Revelação sobre a fé não tinha chegado ainda. Deus estava tratando com
eles como crianças.
Ele não lhes pediu para crer em algo que não podiam ver, ouvir ou sentir.
É interessante notar que muitas vezes os crentes nos dizem, “Queremos um
tipo de cristianismo primitivo tal como a igreja tinha nos primeiros poucos
anos de sua existência”.
Eles não sabiam que tentando obter esse tipo de cristianismo, estavam
repudiando a fé real, e a Palavra.
Eles declaram que ninguém jamais recebeu o Espírito Santo a não ser que
tenha recebido uma manifestação física.
Eles não crêem que Deus está no meio do povo a não ser que haja uma
evidência dos Sentidos.
Isso não é fé na Palavra de Deus. Isso é fé nos Sentidos.
Eu o “vi”, o “ouvi”, o “senti”. Portanto creio que o tenho.
Gálatas 3:2-3, “Quero apenas saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas
obras da lei ou pela pregação da fé? Sois assim insensatos que, tendo
começado no Espírito, estejais, agora, vos aperfeiçoando na carne (ou nos
Sentidos)?”
Você pode ver que Deus tratou com grande graça conosco como crianças,
quando em razão do tempo deveríamos ter crescido e aprendido a andar pela
fé e não por vista.
Se você estudar cuidadosamente os primeiros quinze capítulos do livro de
Atos, notará que não há a menor evidência de que alguém dentre eles tenha
entendido o ensino da Substituição.
Não há nenhum indício do grande ensino sobre a Justiça.
Não há nenhuma indicação de que eles entendessem o que o Novo
Nascimento significava.
Eles desfrutavam dele, andavam na sua plenitude, mas não o entendiam.
Isso viria mais tarde através da Revelação que o Pai daria ao Apóstolo Paulo.
Naturalmente nós esperaríamos que no livro de Atos houvesse uma introdução
aos grandes assuntos: Redenção, Substituição, Nova Criação, o ministério de
Jesus à destra do Pai, mas não há nenhuma alusão a isso.
O mais próximo de alguma coisa como isso nos livros se encontra em Atos
15:10-11, quando do Concílio de Jerusalém.
Nele Paulo colocava diante dos apóstolos a mensagem que havia pregado.
Então Pedro falou, “Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz
dos discípulos um jugo que nem nossos pais puderam suportar, nem nós? Mas
cremos que fomos salvos pela graça do Senhor Jesus, como também aqueles o
foram”.
Ele se referia a guardar a lei sob a Primeira Aliança. A última afirmação se
refere aos crentes gentílicos.
Antes de começar a estudar a fé vinda pela Revelação, devemos notar os
diferentes tipos de fé que os homens têm em Jesus hoje em dia.
A Ciência Cristã, a Unidade, e os outros mestres Metafísicos e Filosóficos de
hoje não crêem que Deus é uma pessoa.
Eles lhe dirão que Ele é uma mente perfeita, mas que não tem localização.
É apenas uma grande mente universal que reside em cada indivíduo. Ele não
tem um quartel-general.
É uma mente sem cérebro, sem personalidade.
Eles não crêem que Jesus morreu por nossos pecados, mas que Ele morreu
como um mártir.
Eles não crêem que Ele teve uma Ressurreição literal, uma Ressurreição
física, mas como alguém propôs, “uma ressurreição metafísica” (o que quer
que isso signifique).
Se Deus não é uma pessoa e Jesus não aniquilou o pecado, então quem é Jesus
e qual é o valor de nossa fé nEle?
Um deles O chama de “Aquele que mostra o caminho”. Mas Ele não é tal
coisa. ELE É O CAMINHO!
A fé deles em Jesus e em Deus é afinal uma fé neles mesmos e no que eles
inerentemente têm dentro de si mesmos.
Ela causou mudanças poderosas neles, mas nunca produziu uma Nova
Criação, nem os trouxe a uma comunhão real com Deus Pai, nem produziu
neles a Justiça.
Qual é a fé que os modernistas têm hoje?
Não é a fé em Jesus como Substituto, pois eles não crêem no Sacrifício
Substitutivo de Cristo.
Não é fé em Deus Pai como revelado a nós por Jesus.
É a fé no conceito que o homem tem de Jesus. Não produz uma Nova Criação.
Não salva os perdidos.
O homem tem fé na ciência e proclama em voz alta a ciência como o deus
moderno do ser humano.
Mas a ciência não é nada senão um fragmento do conhecimento que o homem
reuniu dentre o grande corpo de verdades ocultas no universo.
Ele obteve este conhecimento através dos Cinco Sentidos.
Estes Cinco Sentidos têm sido incapazes de encontrar a razão para a Criação
ou a sua causa.
Eles não descobriram a origem da Vida ou do Movimento, ou a Autoridade ou
Poder que mantém o universo coeso.
Eles não conhecem a Razão para o homem, nem o fim do homem. Assim
como o Conhecimento pelos Sentidos é limitado, a Fé do Conhecimento pelos
Sentidos é limitada.
Capítulo IV
AS FASES DIFERENTES DA FÉ
A igreja nunca ofereceu um tratamento justo para a fé, contudo essa fé gerou
todas as grandes realizações humanas.
Woolworth tinha fé em itens que custavam de cinco e de dez centavos de dólar
e deixou após si uma fortuna de 60 milhões de dólares, com lojas em toda a
parte.
Ford teve fé num automóvel de baixo custo, que toda pessoa pudesse ter
condições de comprar.
A fé é o maior elemento na civilização avançada.
Assim como a fé humana gera tais realizações na esfera natural, a fé do crente
no Pai e em Sua Palavra gera realizações espirituais.
O pregador que tem fé na mensagem que está trazendo, descobre que a
Palavra produz resultados de fé nos corações dos homens que o ouvem.
Ele tem fé na Palavra, de que Deus está nela e por trás dela.
Ele tem fé na humanidade, de que ela responderá à mensagem que ele está
trazendo.
Ele tem fé no Amor, no tipo de Amor de Jesus. Ele crê que ele é a solução
para todo problema humano, e a família que pratica o amor produz o mais alto
tipo de caráter cristão.
Foi um grande dia na minha própria vida em que descobri que Deus é um
Deus de Fé.
Eu sabia que Ele era um Deus de Amor. Sabia que ele era um Deus Justo, um
Deus Onipotente, um Deus Onisciente; quando descobri que Ele era
primariamente um Deus de Fé, vi que como filhos Seus, era natural para nós
andar pela fé.
A Fé Criativa
Hebreus 11:3 diz, “Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela
palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não
aparecem”.
Esta era uma nova criação, não uma criação remendada, feita de mundos
desgastados.
Descobri que ela era governada por Palavras. Hebreus 1:3, “Ele, que é o
resplendor da glória e a expressão exata do Seu Ser, sustentando todas as
coisas pela palavra do Seu poder, depois de ter feito a purificação dos
pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas”.
Há uma palavra notável que é usada repetidamente no primeiro capítulo de
Gênesis. Ela é: “haja”.
Palavras cheias de fé trouxeram o universo à existência, e palavras cheias de
fé estão governando o universo hoje.
Jesus nos forneceu algumas ilustrações da fé criativa.
Mateus 15:30-31 registra que os aleijados estavam sendo curados.
“E vieram a ele muitas multidões trazendo consigo coxos, aleijados, cegos,
mudos e outros muitos e os largaram junto aos pés de Jesus; e ele os curou. De
modo que o povo se maravilhou ao ver que os mudos falavam, os aleijados
recobravam saúde, os coxos andavam e os cegos viam. Então, glorificavam ao
Deus de Israel”.
Soube de várias mulheres que tiveram órgãos restaurados os quais haviam
sido removidos através de operações pelos cirurgiões.
A fé criativa é igualmente tão real hoje como era quando Jesus andou na
Galiléia.
A Fé Dominante
Esta é a fé que domina sobre as circunstâncias.
Em Hebreus 1:3 vemos uma descrição de Jesus:
“Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do Seu Ser, sustentando
todas as coisas pela palavra do Seu poder, depois de ter feito a purificação dos
pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas”
Aqui Ele não é somente um criador, mas Ele também domina sobre o que
criou.
Ele governa o universo pela Palavra de Seu poder.
Eis uma descrição dEle dominando as forças da natureza:
Mateus 8:26, “E, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar; e fez-se grande
bonança”.
Jesus governava sobre o vento e o mar.
Como Sua autoridade surpreendia aqueles que observavam isso!
Eles diziam, “Quem é este que até os ventos e o mar lhe obedecem?”
Em Lucas 5:1-11 vemo-lO governando sobre os peixes do mar.
Ele tinha usado o barco de Pedro por um momento como púlpito. Em seguida,
Ele fez pagamento pelo seu uso.
Ele disse, “Pedro, você apanhou alguma coisa a noite passada?”
Pedro respondeu, “Não, Mestre”.
Jesus disse, “Faça-se ao largo, e lance as suas redes para pescar”.
Pedro disse: “Sei, Mestre, que não há peixes aqui, mas segundo Sua palavra
lançarei as redes”.
As redes ficaram cheias instantaneamente.
Esta é a fé dominante.
Marcos 1:32-34, “À tarde, ao cair do sol, trouxeram a Jesus todos os enfermos
e endemoninhados. Toda a cidade estava reunida à porta. E ele curou muitos
doentes de toda sorte de enfermidades; também expeliu muitos demônios, não
lhes permitindo que falassem, porque sabiam quem Ele era”.
Jesus governava sobre os demônios e eles reconheciam Seu domínio sobre
eles.
Em João 11:39-44, na ressurreição de Lázaro, Ele foi um Dominador sobre a
morte.
Ele disse, “Tirai a pedra”. Depois Ele ordenou que Lázaro viesse para fora.
Jesus tinha uma fé dominante.
Ele governava sobre as forças demoníacas. Ele governava sobre as obras do
diabo. Ele era um Dominador.
Ele ordenou que uma árvore morresse e ela morreu desde a raiz.
Ele era Monarca absoluto sobre as leis que governam o Universo.
A Fé Religiosa
Poucos dentre nós percebem que poderosa força a fé religiosa constitui hoje.
Os homens têm fé nos Credos, nas Organizações, na sua Igreja, na Medicina,
nos Médicos, na Ciência Médica e na Ciência Cirúrgica, nas boas obras, nos
atos generosos, na doação de dinheiro, no arrependimento e na penitência.
É impressionante a fé que a pessoa comum tem em algo que ela ou outra
pessoa pode fazer.
A Fé nas Experiências
Talvez o mais ilusório dentre todos os diferentes tipos de fé seja a fé nas
Experiências.
Os homens falam do que têm sentido, do que têm ouvido ou visto.
Alguém me disse recentemente, “Não fui curado. Não fui capaz de demonstrar
a minha fé”.
Tais pessoas têm a Fé do Conhecimento pelos Sentidos.
Elas precisam ter a evidência física ou elas não crêem.
Nenhuma desilusão que tenha se apoderado da igreja moderna é mais letal do
que esta.
Alguns não crêem que receberam o Espírito Santo até que tenham tido uma
manifestação física.
Não crêem que estão curados até que a dor tenha deixado seus corpos.
Não crêem que Deus ouviu sua oração até que possam ver alguma evidência
física disso.
Temos visto neste tipo de fé que o Conhecimento pelos Sentidos ou a
Evidência dos Sentidos ocupam o lugar que a Palavra de Deus deve ocupar.
Na Fé pela Revelação a Palavra ocupa o primeiro lugar. Ela não é dependente
da evidência física. A Fé pela Revelação crê que nenhuma Palavra de Deus é
desprovida de poder e descansa em serena confiança no que Deus declarou.
Ela aceita a Palavra como final sem qualquer outra evidência.
Se a Palavra o declara, isso é suficiente.
A pessoa doente lê, “Certamente, ele tomou sobre si as minhas enfermidades e
as minhas dores levou sobre si”, e ele clama, “Obrigado, Pai, porque estou
curado”.
Esta é a Fé da Nova Aliança ou Fé pela Revelação.
Capítulo V
A FÉ PELA REVELAÇÃO
Há três importantes escrituras no Antigo Testamento sobre as quais a
Revelação Paulina se baseia.
A primeira é Gênesis 15:6, “Abraão creu no Senhor, e isso lhe foi imputado
para justiça”.
Isto quer dizer que ele firmou um “compromisso irrestrito” com Jeová e Ele
lhe imputou isso para justiça.
Este “compromisso irrestrito” é idêntico ao pensamento de Romanos 10:9-11,
“Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres
que Deus O ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Porque com o coração
se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação. Porquanto
a Escritura diz: Todo aquele que nele crê não será confundido”.
A Fé pela Revelação como dada por Paulo exige uma confissão com nossos
lábios do Senhorio de Jesus. Isto significa um “compromisso irrestrito” para
com a Palavra, porque a Palavra assume o lugar do Cristo ausente.
A segunda passagem da escritura, Isaías 28:16 (ARC), “Eis que eu assentei em
Sião uma pedra, uma pedra já provada, pedra preciosa de esquina, que está
bem firme e fundada; aquele que crer não se apresse”.
Há duas outras traduções: “Aquele que crer nEle não perambula
distraidamente procurando outro fundamento”, ou, “Aquele que crê nEle não
será envergonhado”.
Diz que quem faz isso não será envergonhado. Não importam as
circunstâncias, aparências, ou evidências dos sentidos, ele repousa seu caso
completamente na Palavra.
A terceira passagem é Habacuque 2:4, “O meu justo viverá pela fé”. Ela
conduz a um passo à frente.
“O meu justo” foi tornado justo por meio de uma Nova Criação. Ele deve
andar, não por vista ou por sentimento, ele deve andar pela fé. Em outras
palavras, ele deve andar pela Palavra.
2 Coríntios 5:7(ARC), “Porque andamos por fé e não por vista”.
Hebreus 10:38, “O meu justo viverá pela fé; e: Se retroceder, nele não se
compraz a minha alma”.
Você nota em cada uma dessas passagens um desafio à sua confiança.
Você é o Seu Justo. Você deve viver por fé.
Não deve recuar para as evidências dos Sentidos e para o Conhecimento pelos
Sentidos, mas deve prosseguir com Ele à luz da Palavra.
Você fará como Abraão fez.
Você está olhando para a Palavra e se torna forte através da fé, dando glória a
Deus, pois reconhece que Deus é capaz de confirmar em você tudo o que Ele
prometeu em Sua Palavra.
Você pode ver como estas grandes passagens das Escrituras se tornam o
fundamento da Revelação da Justiça pela fé na Palavra, como encontrado nas
Epístolas Paulinas.
Você descobrirá que no começo de seu grande argumento no livro de
Romanos, Paulo usa a fé de Abraão como um tipo.
Romanos 4:3-5, “Pois que diz a Escritura? Abraão creu em Deus, e isso lhe foi
imputado para justiça. Ora, ao que trabalha, o salário não é considerado como
favor, e sim como dívida. Mas, ao que não trabalha, porém crê naquele que
justifica o ímpio, a sua fé lhe é atribuída como justiça”.
Justiça significa a capacidade de ficar na presença de Deus sem senso de
pecado, culpa ou inferioridade.
Você notará, depois que Deus atribuiu a Justiça a Abraão, que ele fez sua
grande intercessão pela salvação de Sodoma e Gomorra.
Leia cuidadosamente Gênesis 18 e observe a ousada fé de Abraão.
Ele não era Justo da maneira como nós somos Justos. Sua Justiça era
meramente atribuída a Ele.
Ela foi colocada na Sua conta. Ela lhe deu crédito com Deus.
A passagem que acabamos de ler de Romanos 4 nos diz que a Justiça não é
atribuída com base nas obras.
Esta Justiça é concedida com base na fé. Ninguém pode fazer obras para
consegui-la. Ela é aceita como um dom.
Efésios 2:8-9, “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de
vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie”.
A Salvação, a Redenção, a Vida Eterna, a Nova Criação, a presença residente
do Espírito, o direito legal de usar o Nome de Jesus e todos nossos privilégios
como filhos e filhas de Deus, estão baseados sobre a graça através da fé.
Ninguém a consegue pelas obras. Ninguém detém uma posição melhor do que
algum outro.
Toda pessoa tem a mesma Justiça, os mesmos privilégios, a mesma posição,
pois é tudo pela graça.
A fé de Abraão descrita em Romanos é relatada em Romanos 4:18-21,
“Abraão, esperando contra a esperança, creu, para vir a ser pai de muitas
nações”.
Esta é uma afirmação surpreendente. A fé lutou com a esperança, e a fé
venceu.
A Esperança é sempre futura. A Fé é sempre agora.
A esperança teria privado Abraão de um filho, mas a fé lutou com a esperança,
venceu-a e ele recebeu Isaque como recompensa.
O versículo 19 diz, “Abraão, esperando contra a esperança, creu, para vir a ser
pai de muitas nações, segundo lhe fora dito: Assim será a tua descendência. E,
sem enfraquecer na fé, embora levasse em conta o seu próprio corpo
amortecido, sendo já de cem anos, e a idade avançada de Sara, não duvidou,
por incredulidade, da promessa de Deus; mas, pela fé, se fortaleceu, dando
glória a Deus, estando plenamente convicto de que ele era poderoso para
cumprir o que prometera”.
Esta é uma ilustração muito bonita da fé.
Abraão não tinha nada para se basear senão na Palavra de um anjo.
Contudo ele creu nessa Palavra; ele olhou para seu próprio corpo e disse para
si mesmo, “Estou com noventa e nove anos. Passei da idade em que poderia
ser pai de uma criança”.
Ele pensou em Sara que tinha noventa anos de idade. Ele sabia que ela era
velha demais para dar a luz a uma criança.
No entanto, se desviando da evidência dos Sentidos, ele olhou para a Palavra
que Deus havia falado através do anjo e se fortaleceu através da fé, dando
glória a Deus. Pois sabia sem dúvida ou medo que “Deus é capaz de confirmar
o que prometeu”.
Esta não é a Fé do Conhecimento pelos Sentidos. Esta é a Fé pela Revelação.
Este é o tipo de fé que Paulo nos deu em sua Revelação.
Note o versículo vinte e dois, “Pelo que isso lhe foi também imputado para
Justiça.
Ele não tinha a Justiça que temos. Ele tinha a Justiça colocada a seu crédito.
Romanos 4:23-25, “E não somente por causa dele está escrito que lhe foi
levado em conta, mas também por nossa causa, posto que a nós igualmente
nos será imputado, a saber, a nós que cremos naquele que ressuscitou dentre
os mortos a Jesus, nosso Senhor, o qual foi entregue por causa das nossas
transgressões e ressuscitou porque estamos justificados perante Deus”.
(grifado Trad. Lit.).
A Revelação Paulina mostra que Deus realizou uma Redenção perfeita em
Cristo.
Colossenses 1: 13-14, “Ele nos libertou do império (autoridade) das trevas e
nos transportou para o reino do Filho do Seu amor, no qual temos a redenção,
a remissão dos pecados”.
Efésios 1:7, “No qual temos a redenção, pelo Seu sangue, a remissão dos
pecados, segundo a riqueza da Sua graça”.
Romanos 3:26, “Tendo em vista a manifestação da Sua justiça no tempo
presente, para Ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em
Jesus”.
Esta Redenção era uma redenção do domínio de Satanás. Era uma redenção da
culpa e da penalidade do pecado.
Era uma Redenção de nosso corpo físico do domínio da doença.
Era uma Revelação da Nova Criação realizada em Cristo Jesus.
Isso se torna uma realidade quando aceitamos Cristo como nosso Salvador e o
confessamos como nosso Senhor.
Deus deu ao homem natural Sua vida e natureza.
2 Coríntios 5:17-18, “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as
coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas. Ora, tudo provém de
Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo”.
Efésios 4:23-24, “E vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em
justiça e retidão procedentes da verdade”.
Esta Revelação de uma Nova Criação consiste no fato mais surpreendente da
graça de Deus.
Deus pode tomar um homem governado por Satanás, alguém que é chamado
de “pecado” (porque ele está identificado com Satanás, e é um filho dele), e
Ele pode redimi-lo, tirá-lo desta condição e transmitir-lhe Sua própria
natureza, tornando-o Seu próprio filho.
1 João 5:12-13 nos conta o que ele recebeu:
“Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não
tem a vida. Estas coisas vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida
eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus”.
João 6:47, “Quem crê em mim tem a Vida Eterna”.
Um crente é um possuidor. Não há fé sem possessão.
Se creio que Deus colocou meus pecados sobre Jesus e que Jesus foi meu
Substituto, que Ele morreu em meu lugar, que Ele ressuscitou porque havia
aniquilado meu pecado e obtido a Justificação para mim, no momento em que
creio eu recebo a Vida Eterna e me torno um filho de Deus.
Crer é ter.
Em seguida Ele nos dá a Justiça. É uma Revelação da Justiça de Deus que fica
disponível ao homem que tem fé em Jesus, (Romanos 3:21-26).
Deus se torna a Justiça do homem que recebe Cristo como seu Salvador e O
coroa como Senhor de sua vida.
2 Coríntios 5:21, “Aquele que não conheceu pecado, Ele o fez pecado por nós;
para que, nEle, fôssemos feitos justiça de Deus”.
Ele não somente se torna a nossa Justiça, mas também pela comunicação de
Sua natureza nos tornamos Sua Justiça, Seus filhos e filhas.
Hebreus 10:38, “O meu Justo viverá pela fé”.
Somos chamados Seus justos.
Não somente somos a Justiça de Deus, mas nos tornamos filhos e filhas de
Deus.
O apogeu da Revelação que Deus deu a Paulo, registrada em Romanos 8:14-
17 afirma isso claramente:
“Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus.
Porque não recebestes o espírito de escravidão, para viverdes, outra vez,
atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual
clamamos: Aba, Pai. O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que
somos filhos de Deus. Ora, se somos filhos, somos também herdeiros,
herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo”.
Esta é a filiação com todos os seus privilégios gloriosos.
Paulo não para aí. Estes filhos e filhas são participantes não somente da
natureza de Deus, mas do próprio Deus na pessoa do Espírito Santo.
Romanos 8:11, “Se habita em vós o Espírito dAquele que ressuscitou a Jesus
dentre os mortos, Esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos
vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do Seu Espírito, que em vós
habita”.
1 Coríntios 6:19, “Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito
Santo, que está em vós?”
Isso tudo vem ao crente pela fé.
Não é necessária nenhuma fé do Conhecimento pelos Sentidos.
Você não precisa ter nenhum sentimento para provar que Nasceu de Novo.
Tudo o que é necessário é a Palavra de Deus.
Romanos 10:9 declara: “Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e,
em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo”.
Você não precisa da evidência do Conhecimento pelos Sentidos para provar
que recebeu o Espírito Santo.
Lucas 11:13, “Quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que
lho pedirem?”
Sua confiança não está em nenhuma manifestação ou evidência física. Está
sempre na simples Palavra de Deus.
Lucas 1:37, “Nenhuma Palavra de Deus está desprovida de poder” (ou da
capacidade de se cumprir).
Estas poderosas Escrituras fornecem uma base para a Fé.
Temos confiança quando sabemos o que somos em Cristo.
A incredulidade é em grande medida o resultado da ignorância do que somos
em Cristo.
Quando vi o que Deus havia feito por mim em Cristo, todo meu ser ficou
emocionado, a fé se tornou um fato inconsciente, ela era minha. Ele fez isso
por mim, e eu disse, “Obrigado, Pai”, e então comecei a desfrutar de meus
direitos em Cristo.
Capítulo VI
ALGUNS INIMIGOS DA FÉ
Este livro não estaria completo a não ser que lhe revelássemos alguns dos
belos inimigos da fé.
O primeiro deles é a “Esperança”.
Esperança
A Esperança está sempre no futuro.
“Espero ser curado”.
“Espero ter dinheiro para pagar as minhas contas”.
“Espero ter forças para fazer meu trabalho”.
Ela é inimiga da fé. Fica no caminho da fé.
Se eu lhe digo, “Você crê que será curado quando eu orar por você?” e você
responde, “Espero que sim”, isso significa que você não será curado.
Não há nenhuma cura na esperança. No que se refere à fé, a esperança é uma
ilusão.
A fé está sempre no tempo presente. Portanto, porque a Esperança está sempre
no futuro, ela é um empecilho para a Fé.
Temos esperança quanto ao Céu. Mas quando alcançarmos o Céu não teremos
mais esperança.
Assentimento Mental
O Assentimento Mental é outro inimigo, um inimigo astuto e perigoso.
O Assentimento Mental reivindica que toda a Bíblia é verdadeira. Os que
praticam o Assentimento Mental dizem que crêem em toda palavra dela, mas
não agem sobre ela.
Eles simplesmente assentem ao fato de que ela é verdadeira.
Fui chamado a orar por uma mulher com câncer. Tanto ela como seu marido
foram professores destacados da Bíblia por anos.
Enquanto me sentava à beira da cama e lhe abria a Palavra, ela permanecia
dizendo, “Sempre cri nisso. Conheço essa passagem da escritura desde
criança”.
Fui embora daquela casa frustrado, derrotado. Não podia entender onde estava
a dificuldade.
Quando cheguei em casa, andei de lá para cá na minha sala dizendo, “Senhor,
por que ela não é curada? Ela é uma boa mulher. Ela diz que crê na tua
Palavra e tem sido uma professora da mesma por muitos anos”.
Então o Espírito me fez ver que ela somente assentia mentalmente à Palavra.
Ela não cria nela! Crer é agir sobre a Palavra. Ela nunca havia agido sobre a
Palavra para sua cura.
Alguns dias depois voltei àquela casa novamente. Desta vez eu entendia o seu
caso.
Quando comecei a abrir a Palavra ela disse, “Tenho crido nisso toda a minha
vida”. Eu lhe disse, “Não, você nunca creu nela, pois se tivesse estaria fora da
cama fazendo seu trabalho. Você somente assente mentalmente a ela”.
Você vai descobrir que em muitos casos onde homens e mulheres têm
assentimento mental em vez de fé, seu credo ou dogma ocupou o lugar da
realidade da Palavra.
Fé do Conhecimento pelos Sentidos
A fé do Conhecimento pelos Sentidos requer a evidência dos Sentidos.
Este é o tipo de fé que Tomé teve quando disse, (João 20:24-29), “Se eu não
vir nas suas mãos o sinal dos cravos, e ali não puser o dedo, e não puser a mão
no Seu lado, de modo algum acreditarei”.
Então Jesus de repente lhe apareceu e disse, “Põe aqui o dedo e vê as Minhas
mãos; chega também a mão e põe-na no Meu lado; não sejas incrédulo, mas
crente. Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu! Disse-lhe Jesus:
Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram e creram”.
Aqui vemos estes dois tipos de fé em contraste.
Há uma fé da Bíblia e uma fé do Conhecimento pelos Sentidos.
A fé que Maria e Marta e os outros tinham em Jesus durante Sua caminhada
terrena era a fé do Conhecimento pelos Sentidos. Eles criam em Jesus porque
viram os milagres que Ele realizava.
Os judeus disseram, “Que sinal fazes para que o vejamos e creiamos em ti?”
Esta fé do Conhecimento pelos Sentidos quase expulsou das igrejas a fé real.
Este tipo de fé não dá à Palavra seu lugar de direito. Os homens carregam a
Palavra para a Igreja, mas não confiam nela. Eles confiam em seus
sentimentos, em suas emoções, no que podem ver e ouvir, ou provar ou
cheirar.
A fé real é agir sobre a Palavra independentemente de qualquer evidência dos
Sentidos.
Há dois tipos de incredulidade.
O primeiro é baseado na falta de conhecimento. O homem não crê na Palavra
porque não sabe nada a seu respeito. Assim, ele não crê na Revelação do Pai
para ele.
Um grande número de incrédulos é ignorante quanto às coisas em que deve
crer. Eles não sabem, portanto não podem crer.
O segundo tipo de incredulidade é mencionado em Hebreus 4:11. É a
“incapacidade de ficar persuadido”.
“Esforcemo-nos, pois, por entrar naquele descanso, a fim de que ninguém
caia, segundo o mesmo exemplo de desobediência”. (A palavra grega,
correspondente aqui na versão ARA à desobediência, é traduzida como
“incredulidade” na versão do Rei Tiago (KJV), e significa “incapacidade de
ficar persuadido”)
Isto significa que o homem não quer que a Palavra o governe.
É uma recusa em agir sobre o conhecimento.
Ele sabe o que a Palavra ensina, mas se recusa a agir sobre ela.
Crer é um ato da vontade.
Ele pode agir sobre a Palavra se quiser.
“Crer” é “desejar” fazer Sua vontade.
A desobediência é uma atitude impersuasível para com a Palavra.
Assim, incredulidade ou é ignorância da Palavra ou é incapacidade de ficar
persuadido a agir sobre ela.
Capítulo VII
A FÉ NA SUA FÉ
A Fé na sua própria fé é a lei para o sucesso no domínio do espírito.
Você vive na Palavra e a Palavra vive em você.
A Palavra é uma coisa viva.
Quando você a libera em você, está deixando Deus ser liberado em você.
Quando você ousa agir sobre a Palavra e fala a Palavra, Deus estará nas
palavras que você fala.
À medida que a Palavra predomina, haverá uma fé inconsciente na sua própria
habilidade de confiar nEle. Você confiará nEle completamente, irá até o limite
da Sua Palavra.
É uma coisa boa que o homem se entregue à Palavra, se mova livremente e
deixe Deus ser liberado em si, até que a passagem “Maior é aquele que está
em vós do que aquele que está no mundo”, se torne uma realidade
emocionante.
1 Coríntios 2:12 nos conta que recebemos o Espírito para que possamos saber
as coisas que nos foram dadas livremente por Deus.
“Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem
de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente”.
Conheça seu lugar, seus direitos, seus privilégios e sua autoridade.
Então não haverá nenhum problema concernente à fé.
A Fé será um problema somente quando não conhecemos o Senhor e não
conhecemos a Palavra.
Dê lugar ao Deus que está dentro de você.
Conte com o Deus que está dentro de você.
De manhã, antes de levantar, diga, “Posso fazer isso porque Ele está dentro de
mim. Ele me capacitará a me encontrar com essas pessoas. Ele me capacitará a
falar a Palavra. Ele me capacitará a andar em amor porque maior é o amor
dentro de mim do que a inveja e o ódio ao meu redor”.
Apenas conte com o Deus que está dentro de você.
Planeje seu trabalho com a consciência da Sua capacidade em você para levá-
lo a cabo.
Ele se tornou uma realidade viva.
Ele está ali agora.
Ele espera que você faça seus pedidos a Ele.
Ele Se revela conforme a sua necessidade exige.
Você está esperando que Ele o guie a toda a verdade ou realidade.
Sempre que você se dedica à Palavra por alguns minutos, você sabe que a luz
dentro de você abrirá a Palavra e a tornará uma coisa viva.
Você sabe que João 16:13 é completamente verdadeiro.
“Quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade”.
Ele tomará das coisas do Pai e as revelará a você.
Você tem uma confiança inconsciente no Nome quando falado através de seus
lábios.
Você sabe que se disser, “No Nome de Jesus, demônio saia desse homem ou
mulher”, que ele sairá.
Você sabe que quando ordenar àquela doença que deixe de existir que ela
deixará de existir.
Você sabe quando usa o Nome de Jesus Cristo para obter o suprimento
financeiro para satisfazer uma obrigação, que tão certo como o Pai se assenta
em Seu trono, o dinheiro virá.
Você sabe que Sua Palavra em seus lábios salvará os perdidos, curará os
enfermos, dará coragem e força aos fracos e vitória para os derrotados.
Certa vez a Palavra de Deus estava nos lábios de Jesus.
Agora a Palavra de Deus está em seus lábios.
Jesus cria na Palavra de Deus em Seus lábios.
Sua confiança nessa Palavra tornava-a uma coisa viva em Seus lábios.
Como a vida se torna rica e bela quando a Palavra predomina em nossos
corações!
Será um grande dia para você quando souber que sua Fé realiza coisas, quando
você crê em sua própria capacidade de atingir o ouvido do Amor.
Quando você sabe que suas orações são respondidas, que Deus o ouve, você
não será mais dependente da Fé dos outros, você terá a sua própria fé.
Diga repetidas vezes, “Finalmente tenho fé na minha própria fé. Posso
alcançar a Deus, assim como qualquer outra pessoa”.
Se um ente amado é atingido, você destemidamente assume seus direitos e o
livra do inimigo, sua fé prevalece, sua fé vence.
Você pode usar o Nome de Jesus como qualquer outro agora.
Esse Nome é finalmente seu, com sua “total autoridade”, de forma que você
ousa usá-lo como sendo seu mesmo. Ele lhe deu o direito de usá-lo, e você
está fazendo isso.
O Conhecimento não tem valor a não ser que você saiba como usá-lo.
Você conhece sua posição com o Pai, conhece seus privilégios. Agora faça a
sua parte.
A Fé na Fé dos Outros
Grande porcentagem daqueles que são curados nas reuniões de massa, onde
eles têm a fé coletiva, raramente mantém sua cura.
A razão é obvia. Eles não têm nenhuma fé pessoal. É apenas a fé na fé dos
outros.
Durante nossa última viagem a Los Angeles, um obreiro cristão que era muito
usado pelo Senhor me disse, “Não posso entender porque minhas orações por
meus velhos amigos não são mais ouvidas. Eles costumavam ser curados toda
vez que eu orava por eles”.
Eu disse, “A dificuldade está no fato de que quando em conseqüência do
tempo passado essas pessoas enfermas deviam estar orando elas mesmas pelos
doentes, elas precisam que alguém mais ore por elas”.
Assim como o Espírito diz em Hebreus 5:12, “Pois, com efeito, quando
devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes, novamente,
necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios
elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de
leite e não de alimento sólido. Ora, todo aquele que se alimenta de leite é
inexperiente na palavra da justiça, porque é criança”.
Todo aquele que se alimenta de leite, vive no âmbito dos Sentidos e depende
da evidência dos Sentidos em vez da Palavra, não teve nenhuma experiência
na Palavra da Justiça. Ele é ainda um bebê.
O que isso quer dizer?
Estas pessoas que foram curadas pela fé dos outros por anos, chegaram ao
lugar em que Deus exige que tenham uma fé própria.
Se elas não desejarem estudar a Palavra, desenvolver sua vida de fé, elas se
voltarão para o “braço de carne” e sofrerão a penalidade que se segue
naturalmente.
Deus espera que cada um de nós tenha uma experiência na Palavra da Justiça.
Em outras palavras, que tenhamos uma experiência própria na oração pelos
enfermos, na proclamação da Palavra, em levar homens a Cristo, em revelar a
Palavra.
Isso pertence a cada crente.
Colossenses 1:12, “Dando graças ao Pai, que vos fez idôneos à parte que vos
cabe da herança dos santos na luz”.
Ele nos libertou da autoridade das trevas.
Ele recriou seu espírito.
Agora Ele está pronto para renovar sua mente, para que você possa entender
seus privilégios e direitos em Cristo.
Isso lhe pertence. Você tem um direito a isso.
Você deveria desfrutar disso em vez de ficar dependente da fé dos outros.
Agora você tem uma fé própria.
Que tempo seria este se aqueles que lêem este livro declarassem, “Pela graça
de Deus terei a minha própria fé”.
Você tem direito a ela. Ela pertence a você.
Você tem o mesmo Espírito Santo que eu tenho, o mesmo Espírito Santo que
Jesus tinha, e que os Apóstolos tinham.
Você tem a mesma Vida Eterna, a mesma Justiça, a mesma Capacidade.
O Pai não tem favoritos.
Todas estas coisas pertencem a todos nós, assim não precisamos ser estéreis e
improdutivos.
2 Coríntios 9:8, “Deus pode fazer-vos abundar em toda graça, a fim de que,
tendo sempre, em tudo, ampla suficiência, superabundeis em toda boa obra”.
E no versículo dez ele diz, “Ora, aquele que dá semente ao que semeia e pão
para alimento também suprirá e aumentará a vossa sementeira e multiplicará
os frutos da vossa justiça”.
Você tem a Justiça que lhe foi transmitida na Natureza do Pai no Novo
Nascimento.
Essa Justiça deve estar dando fruto em sua vida diária.
Você deve se aproveitar do fato de sua posição legal diante do Trono, de seus
direitos em Cristo e começar a orar pelos enfermos e necessitados.
Você tem a mesma posição Legal diante de Deus que Paulo tinha e tem a
mesma Justiça que ele tinha, não há desculpas para esconder sua luz debaixo
do alqueire.
Comece a testemunhar do que você é em Cristo.
Capítulo VIII
AÇÕES CORRESPONDENTES
Em Tiago 2:14, Weymouth nos fornece uma expressão impressionante, “Qual
é o proveito, meus irmãos, se um homem confessa ter fé, contudo suas ações
não correspondem a isso?”
O versículo 18 diz, “Note que sua fé (a fé dele) estava cooperando com suas
ações, e que por suas ações sua fé foi aperfeiçoada”.
Um dos erros mais graves que muitos crentes cometem é confessar sua fé na
Palavra, mas ao mesmo tempo contradizer sua confissão por meio de ações
erradas.
Uma mulher me disse, “Não posso entender porque não consegui a minha
cura. Tenho orado repetidas vezes. Sei que a Bíblia é verdadeira”.
Eu lhe perguntei, “A Sra. ainda está tomando remédios?”
“Sim, Senhor”, ela disse.
Então eu lhe li a passagem da escritura que acabei de citar. Suas ações não
correspondiam à sua confissão. Ela disse que estava confiando no Senhor,
contudo sua confiança estava no remédio e não na Sua Palavra.
Dizemos que confiamos no Pai para nossas finanças, e ao mesmo tempo
estamos nos preocupando e afligindo a respeito de como vamos pagar nossas
contas.
Num momento confessamos que nenhuma Palavra de Deus jamais pode se
perder, que Ele precisa manter Sua Palavra para conosco, e que sabemos que
Ele irá fazer isso, mas no momento seguinte estamos repudiando tudo o que
temos confessado.
“Tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando-
vos a vós mesmos”.
As ações de um “praticante da Palavra” coincidem com a sua confissão.
Jesus disse em Mateus 7:24-26, “Todo aquele, pois, que ouve estas minhas
palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua
casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos
e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada
sobre a rocha”.
“E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será
comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; e caiu
a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto
contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína”.
Tantos que professam Cristo e que declaram que crêem na Palavra de Gênesis
a Apocalipse, e que dizem isso com muita unção, não são praticantes da
Palavra. Eles são faladores a respeito da Palavra. Eles têm assentido
mentalmente ao fato de que a Palavra é verdadeira.
Isso não lhes adianta nada. Eles não estão se apropriando dela.
Quando confio na Palavra de todo meu coração, paro de me apoiar sobre o
raciocínio dos Sentidos, paro de olhar para as pessoas para conseguir
libertação, aí então haverá ações correspondentes.
Minhas ações estão em perfeita comunhão com minha confissão.
Levou um longo tempo para alguns de nós termos ações correspondentes às
nossas confissões.
Enquanto não há uma ação correspondente, haverá um fracasso contínuo.
Posso confessar tão alto quanto me aprouver que Deus é a força da minha vida
e ao mesmo tempo falar de minha fraqueza, incapacidade, e falta de fé.
Não há nenhuma ação correspondente aqui.
Estou recorrendo a meios humanos em vez de confiar completamente no
Senhor.
Isso com certeza trará confusão ao meu espírito, fraqueza e fracasso à minha
vida.
Voltemo-nos resolutamente para 1 Pedro 5:7, “Lançando sobre Ele toda a
vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós”.
Não importam as circunstâncias, não importam as influências ao nosso redor,
vamos lançar todos problemas aos Seus cuidados.
Seu pior inimigo é você mesmo. Ele chegou através do Conhecimento pelos
Sentidos que limitariam você à sua própria capacidade.
A linguagem dos Sentidos é: “Não posso, não tenho capacidade, não tenho
força, não tenho a oportunidade, não tenho a educação necessária, tenho sido
limitado”.
A linguagem da fé diz, “Posso tudo nAquele que me fortalece”.
Quem é aquele que me fortalece? É meu Deus e Pai.
Posso fazer todas as coisas através dEle. Não posso ser vencido. Não posso ser
derrotado.
Não há força suficiente em todo o mundo para vencer Aquele que habita em
mim.
Não sou somente nascido de Deus, um participante da natureza e vida de
Deus, mas tenho Deus habitando em mim, e tenho o Espírito dAquele que
ressuscitou a Jesus dentre os mortos habitando em mim.
Tenho a sabedoria de Deus, a força de Deus, a habilidade de Deus.
Estou aprendendo como deixá-lO governar meu intelecto, deixando-O pensar
através de mim, usar minhas faculdades vocais. Estou ousando pensar Seus
pensamentos conforme Ele pensa.
Estou ousando crer que é Deus quem está trabalhando dentro de mim e que
Ele operará segundo Sua boa vontade.
Estou ousando dizer na presença de meus velhos inimigos: fracasso, fraqueza,
necessidade, falta de oportunidade, falta de conhecimento, falta de amigos
fortes, e milhares de outras coisas, “Deus é a minha capacidade”.
Deus me fez maior do que meus inimigos.
Deus fez-me colocar meu calcanhar no pescoço da fraqueza, do medo, da
incapacidade, e ficar de pé e declarar que quem crê nEle não será
envergonhado.
Não posso ser envergonhado.
Minhas fraquezas estão aniquiladas.
A força de Deus é minha.
A habilidade de Deus me cativou e eu me deleito neste cativeiro.
Isto é a Fé falando, uma real ação correspondente.
Capítulo IX
COM O CORAÇÃO O HOMEM CRÊ
Por anos tenho procurado ansiosamente por uma explicação satisfatória para
Romanos 10:10, “Porque com o coração se crê para justiça”.
Você entende que a palavra “coração” é usada de forma figurada porque o
coração é o centro vital do homem. É a grande bomba que mantém vivo o
corpo físico.
Sabemos que quando Deus fala sobre o coração, Ele se refere ao espírito
humano.
Sabemos que o homem é um espírito.
Ele está na mesma classe que Deus.
Sabemos que Deus é um espírito e que Ele se tornou um homem e assumiu o
corpo de um homem, e que quando o fez, Ele não era menos Deus do que era
antes de assumir o corpo físico.
Sabemos que o homem na morte deixa seu corpo físico e não é menos homem
do que era quando tinha seu corpo físico.
Sabemos que o homem não pode conhecer a Deus através do Conhecimento
pelos Sentidos.
Deus só é revelado ao homem através do espírito.
É o espírito do homem que entra em contato com Deus.
Sabemos que as coisas espirituais são tão reais como as coisas materiais.
Deus é uma pessoa tão real como se tivesse um corpo físico.
Jesus, com seu corpo físico agora no Céu não é mais real do que o Espírito
Santo ou o Pai.
Em 1 Pedro 3:4, nosso espírito é chamado o “homem oculto do coração”.
Em Romanos 7:22 ele é chamado de “homem interior”.
Este “homem interior” e o “homem oculto” nos fornecem a definição de Deus
para o espírito humano.
O homem real é um espírito.
Ele tem um corpo e uma alma.
A alma entra em contato com a esfera intelectual, o corpo físico entra em
contato com a esfera física, e o espírito com a esfera espiritual.
Isso explica que “o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus,
porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem
espiritualmente”, 1 Coríntios 2:14.
Os primeiros dois capítulos de 1 Coríntios nos fornecem um contraste entre o
Conhecimento pelos Sentidos e o conhecimento espiritual, ou um contraste
entre os sentidos e o espírito.
Você entende que todo conhecimento que o homem tem fora do
Conhecimento pela Revelação veio até ele através dessas cinco portas para a
mente.
Elas são meios de comunicação entre as coisas materiais e as intelectuais.
A mente não pode receber nada a não ser que a receba através destes Cinco
Sentidos (O assunto é coberto mais completamente em nosso livro, “Os Dois
Tipos de Conhecimento”).
Se os Cinco Sentidos fossem destruídos, o homem não teria nenhum meio de
receber conhecimento.
Ele não poderia conhecer a si mesmo, nem o mundo material.
2 Coríntios 4:16, “Por isso, não desanimamos; pelo contrário, mesmo que o
nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se
renova de dia em dia”.
Efésios 3:16, “Para que, segundo a riqueza da sua glória, vos conceda que
sejais fortalecidos com poder, mediante o seu Espírito no homem interior”.
Quando um homem Nasce de Novo, a Vida Eterna é comunicada a seu
espírito, a seu homem interior.
Quando o Espírito Santo vem ao seu corpo, Ele vem habitar no seu espírito.
O Espírito Santo não pode se comunicar diretamente com nossas mentes, mas
precisa se comunicar conosco através de nosso espírito o qual alcança e
influencia nossos processos intelectuais.
O espírito tem uma voz. Chamamos essa voz de consciência, ou
pressentimento, ou direção.
Às vezes ela é chamada de intuição. Recebemos uma intuição e se a seguirmos
não cometeremos erros.
Todos sabemos que se seguíssemos a voz interior, não teríamos feito alguns
dos investimentos que fizemos nos quais perdemos dinheiro; que nunca
teríamos escolhido certas pessoas como companheiros; que nunca teríamos
entrado em parceria de negócios com certas pessoas.
Essa voz interior procura dar direção para nossas mentes.
Quase nunca cometeríamos erros se aprendêssemos a dar ouvidos ao nosso
espírito.
Um dos maiores erros que têm sido cometidos na nossa cultura intelectual é o
de ignorar o espírito.
O conhecimento de nossos intelectos assumiu o trono e nossos espíritos têm
estado trancados como numa prisão.
Consequentemente estamos continuamente cometendo erros porque nosso
espírito que nos deveria guiar não recebe permissão para funcionar.
O conhecimento é algo que adquirimos através dos Sentidos, através da
leitura, através das viagens e da audição.
A sabedoria é a capacidade de usar o conhecimento para tirar algum proveito.
A sabedoria não vem através dos Sentidos.
A sabedoria vem de nosso espírito.
Tiago diz que ela vem de cima. Essa é uma sabedoria divina, a sabedoria de
Deus a nós transmitida, Tiago 3:13-18.
O homem que tranca seu espírito e faz dele um prisioneiro, que nunca o ouve,
nunca o obedece, fica aleijado e se torna presa fácil para pessoas egoístas e
astuciosas.
Quem deixa o espírito prevalecer e o influenciar em tempos de crise é aquele
que vai escalar até o topo.
O que significa “crer com o coração”?
Significa crer com o espírito.
Não podemos crer com nosso intelecto. Quanto a isso não há argumentação.
A fé é um produto do espírito.
Esta convicção interior, esta coisa chamada certeza, é filha de nossos espíritos.
Não sabemos porque sabemos; não podemos explicá-lo, contudo sabemos de
fato.
No outro dia estava expondo a Palavra para uma mulher que tinha uma
enfermidade muito dolorida. Enquanto abria as Escrituras passo a passo, ela
disse, “Percebo! Por Suas pisaduras fui curada”.
Eu lhe disse, “Como a Sra. sabe que foi curada?” Ela disse, “Porque a Palavra
declara que eu fui curada”.
O Conhecimento pelos Sentidos disse, “A dor está ainda em seu corpo e você
pode sentir a dor agora mesmo”.
Contudo ela se ergueu acima do Conhecimento pelos Sentidos e das
Evidências dos Sentidos e declarou que estava curada.
Quando orei por ela, sua fé expulsou a doença. A coisa que significava a
morte para ela foi embora. Por quê? Porque no seu coração ela creu na Palavra
de Deus; no seu espírito ela creu nela.
Como nosso espírito obtém a fé que nosso intelecto não pode conseguir?
Através da Palavra.
Jesus disse, “Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede
da boca de Deus”, Mateus 4:4.
Ele está falando de alimento espiritual. Ele está usando termos do
Conhecimento pelos Sentidos para transmitir uma verdade espiritual.
Nossos espíritos ficam cheios de convicção quando meditamos na Palavra.
Por muitos anos andei pela fé quanto às finanças, quanto a todas minhas
necessidades físicas. Agora já cresci até o ponto de saber que a Palavra é o
alimento que fortalece o espírito, torna-o forte, e lhe concede convicção e
tranqüilidade.
Os Sentidos crêem no que podem ouvir, ver e sentir.
O espírito crê na Palavra, não importa o que se vê, se ouve ou se sente.
As pessoas que recebem oração continuamente, mas não conseguem ser
curadas, têm uma fé do Conhecimento pelos Sentidos.
Elas não têm fé pela Revelação. Elas têm fé no homem, fé no óleo da unção,
fé na oração de outrem, fé em alguma pessoa ou organização. Elas não têm fé
na Palavra.
Tiago 5:14 ilustra isso, “Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros
da igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo, em nome do
Senhor. E a oração da fé salvará o enfermo, e o Senhor o levantará”. Então
fala sobre como a oração de um Justo é eficaz em seus efeitos.
Este quadro todo é relativo a uma fé do Conhecimento pelos Sentidos.
Se aquela pessoa que estava doente soubesse que “pelas Suas pisaduras” foi
curada, não teria necessidade de chamar os presbíteros.
Mas porque não sabia disso, no seu desespero se voltou para o Senhor e para
os presbíteros.
Eis uma demonstração da Graça de Deus, atendendo o homem no seu próprio
nível, como Jesus fez na Encarnação.
Quando a Palavra se tornou carne e habitou entre os homens, Ele veio até a
esfera do Conhecimento pelos Sentidos, para que esse homem pudesse vê-lO,
ouvi-lO e tocá-lO.
Tudo o que se referia à caminhada terrena de Jesus até o ponto que o homem
podia ver, era na esfera dos Sentidos.
Não havia nenhuma fé em Jesus de um ponto de vista espiritual.
Eles criam porque viram os milagres e comeram o pão.
Quando Ele morreu na cruz não havia nenhum entendimento espiritual. Eles
não sabiam que Ele estava morrendo pelos pecados deles. Pensavam que Ele
estava morrendo como um mártir por Seus ideais.
O Conhecimento pelos Sentidos usa o mesmo conceito hoje em dia.
O mundo escolástico crê que Jesus morreu por suas convicções.
Na crucificação a fé pelo Conhecimento pelos Sentidos falhou.
Crer de todo nosso coração é crer independentemente do Conhecimento pelos
Sentidos.
Nossos Espíritos respondem à nossa rendição ao Senhorio de Jesus. (A chave
para a fé bíblica é o reconhecimento do Senhorio de Jesus pelo coração).
1 Pedro 3:15, “Santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração”.
“Santificar” significa “separar” ou “colocar à parte”. Colocamos Cristo à parte
em nossos corações.
Quando coroamos Jesus como Senhor em nossas vidas, coroamos Sua Palavra
como Senhora de nossas vidas. Isso dá à Palavra o seu devido lugar.
Jesus está assentado à destra do Pai. Sua Palavra está em nossos corações.
Damos a esta Palavra o seu lugar, e quando fazemos isso a fé se torna algo
perfeitamente natural.
Provérbios 3:5-7, “Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no
teu próprio entendimento (ou no Conhecimento pelos Sentidos). Reconhece-O
em todos os teus caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas. Não sejas sábio
aos teus próprios olhos”.
Não seja sábio com o Conhecimento pelos Sentidos que nos leva a repudiar a
Palavra ou agir independentemente dela.
2 Coríntios 10:4-5 “Anulando nós sofismas e toda altivez que se levante
contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à
obediência de Cristo”.
Isso é muito importante se queremos andar pela fé. A Palavra precisa ser
superior ao Conhecimento pelos Sentidos, quer ele seja nosso ou de outrem.
Queremos lembrar que o Conhecimento pelos Sentidos é sempre limitado.
Ninguém tem um perfeito Conhecimento pelos Sentidos.
A Palavra de Deus é perfeita. Esta Revelação é Sua perfeita Revelação e ela
satisfaz em toda crise e a toda necessidade de nossas vidas.
Se confiarmos nesta Palavra de todo coração então chegará uma quietude e
descanso dentro de nossos espíritos.
Crer é saber. Sabemos que a Palavra de Deus é verdadeira.
Quando Ele diz, “E o meu Deus há de suprir cada uma de vossas
necessidades”, simplesmente sabemos em nossos espíritos que toda
necessidade será suprida e não nos preocupamos; não temos nenhuma
ansiedade.
Nossos corações ficam encorajados quando lemos a Palavra. Nossa convicção
se torna mais profunda.
Esta é uma convicção que é independente da evidência dos Sentidos. Ela pode
contradizer a evidência dos Sentidos como muitas vezes faz, mas sabemos que
as coisas espirituais são tão reais quanto as coisas materiais.
Sabemos que as forças espirituais são superiores às coisas físicas, pois Deus,
um espírito, criou as coisas físicas.
Sabemos que as forças espirituais são mais fortes do que as forças físicas.
Sabemos que “Maior é Aquele que está em nós do que aquele que está no
mundo”.
Sabemos que esse alguém Maior domina sobre a doença e a fraqueza.
Confiamos nEle de todo coração. Ele se levanta em nós e fornece iluminação
para nossas mentes que elas não poderiam conseguir de nenhuma outra fonte.
Sabemos que não podemos ser vencidos.
Sabemos porque nós cremos.
Capítulo X
AGINDO SOBRE SUA PALAVRA
Em João 6:47 Jesus disse, “Quem crê em mim tem a vida eterna”.
“Crer” é “ter”. É possessão.
O Assentimento Mental admira a Palavra, confessa que a Palavra é verdadeira
e muito desejável, mas não a possui.
Crer termina na feliz confissão, “É meu. Eu o tenho”.
Vemos pouca ação real sobre a Palavra hoje em dia.
Você se lembra do homem que foi trazido à presença de Jesus por quatro de
seus amigos (Marcos 2:1-12)?
Jesus lhe disse, “Levanta-te, toma o teu leito e anda”.
Se ele não tivesse agido sobre as palavras do Mestre, ele nunca teria sido
curado; mas porque agiu, foi curado.
Em Lucas 5:5 Pedro disse, “Mas sob a tua palavra lançarei as redes”.
Que mudança haveria em algumas de nossas vidas se disséssemos, “Sob tua
palavra faremos assim”.
Nos apegamos às teorias dos homens e ignoramos a Palavra Viva.
A cura e a vitória lhe pertencem.
Quando Jesus disse a Pedro, “Venha, ande sobre as ondas comigo”, Pedro
agiu sobre a Palavra.
Quando os servos encheram os galões com água, obedeceram ao que Jesus
havia dito, e a água se tornou vinho, João 2:1-11.
Nós assentimos mentalmente à integridade e à realidade da Palavra; mas não
agimos sobre ela.
Até agirmos sobre ela, ela não se torna uma realidade.
Você pode considerar a Verdade da Ressurreição como uma grande doutrina
ou dogma, mas não significará nada para você até que diga, “Ele morreu por
mim. Ele venceu a morte e o inferno por mim. Ele ressuscitou por mim. E
porque ressuscitou, eu sou vencedor, sou hoje um conquistador sobre Satanás.
Satanás não tem nenhum domínio sobre mim. Estou livre”. Então a Palavra se
torna em algo mais que uma doutrina ou uma teoria. Ela se torna uma
realidade.
As pessoas que agem sobre a Palavra recebem as coisas.
Hoje quem age sobre a Palavra recebe.
Você age segundo a fé e fala a fé, suas ações e suas palavras concordam.
Você é um crente.
Você precisou da fé para entrar na família, mas depois que entrou na família
todas as coisas são suas (1 Coríntios 3:21).
Você precisou de fé para se tornar um filho de Deus, mas os filhos possuem
tudo o que Cristo realizou para eles.
Quando Deus diz, “Velo sobre a minha Palavra para a cumprir”, você pode
estar certo de que se você aceitar Isaías 53:3-6 tão certamente como Deus se
assenta em Seu trono, a cura é com certeza sua.
Tudo o que precisa fazer é agir sobre a Palavra.
É profundamente importante que você aprenda esta lição simples e pequena.
Não é uma questão de lutar, orar ou clamar.
Agir sobre o que Deus falou é que produz resultados.
A Fé e Crer
A palavra “fé‟ é um substantivo e a palavra “crer” é um verbo.
“Crer” é na verdade “agir” sobre a Palavra.
É simplesmente agir sobre a Palavra de Deus como agiu sobre a palavra de um
médico, a palavra de um advogado, ou a palavra de um ser amado.
Você não faz as perguntas: “Eu creio?” ou “Eu tenho fé?”
Você simplesmente diz, “é isso o que Deus disse”, e você age de acordo. Ou
diz “Deus disse que „pelas Suas pisaduras‟ fui curado? Se Deus de fato disse
isso, então tenho de ser curado, e devo agir sobre o que Deus falou”.
A fé é o resultado da ação.
Crer é dar o passo em direção ao objeto, à coisa que você quer. Fé é ter
chegado.
Em vez de usar a palavra “crer” uso as palavras “agir sobre Sua Palavra”.
É mais simples. É perfeitamente bíblico e é exatamente o que Jesus quis dizer.
É uma coisa notável que em nenhuma parte das Epístolas Paulo instou os
discípulos a crer ou a ter fé.
Nossa exortação para que os homens creiam é resultado da Palavra ter perdido
sua realidade.
O que Paulo nos diz?
Efésios 1:3 (ARC), “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o
qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em
Cristo”.
Se Ele abençoou você com todas as bênçãos espirituais, então você é
abençoado.
Você não precisa pedir as bênçãos espirituais.
Tudo o que você precisa fazer é agradecer-Lhe que as tem.
Tudo o que você precisa dizer é, “Pai eu te agradeço por minha cura. Eu te
agradeço pela minha libertação”.
Tudo o que Jesus fez foi agir sobre a Palavra de Seu Pai.
Tudo o que Pedro fez foi agir sobre a Palavra que Cristo lhe havia dado.
Foi a Palavra de Cristo na boca de Pedro em razão da qual ele agiu que trouxe
salvação, cura e libertação para o povo.
Podemos pregar a Palavra, mas se não a praticarmos, ela não produzirá
resultados.
Podemos pregar a cura e declarar nossa fé na cura, mas isso não terá valor a
não ser que pratiquemos.
Tiago nos diz que “a fé sem ações correspondentes é morta”.
Quando agimos sobre a Palavra mostramos nossa fé.
Sabemos que nenhuma Palavra vinda de Deus é isenta de poder ou desprovida
da capacidade de Deus. Lucas 1:37.
Assim, agimos sobre ela. Destemidamente impomos nossas mãos sobre os
enfermos. Ordenamos que a doença saia em Nome de Jesus e ela obedece. O
enfermo é curado.
Ele disse, “Velo sobre a minha Palavra para a cumprir”.
Nunca teríamos imposto as mãos sobre os enfermos e reivindicado a cura se
Ele não tivesse mandado fazer isso.
Ele disse, “Os que crêem imporão as mãos sobre os enfermos”, Marcos 16:16-
18.
Isso quer dizer que no instante em que aceitamos Cristo como nosso Salvador,
O confessamos como Senhor, e recebemos a Vida Eterna, podemos começar a
funcionar na Família. Podemos começar a impor as mãos nos enfermos.
“Quem crer e for batizado será salvo”, Marcos 16:16.
A palavra grega ali para “salvo” é “sozo” que significa “curado”.
A cura em análise final é espiritual assim como física.
A doença se manifesta no físico, mas suas raízes, sua substância, sua realidade
estão no espírito.
A palavra “crer” ocorre cerca de cem vezes no Evangelho de João.
A palavra “fé” somente ocorre cerca de duas ou três vezes.
A razão evidentemente é que ele estava falando a homens fora do Corpo de
Cristo, aos judeus sob a Lei.
Eles não eram homens de fé. Não tinham fé. Ele os estava estimulando a crer.
Alguns Fatos Sobre Crer
Algumas pessoas não podem crer na Palavra porque nunca confessaram o
Senhorio de Cristo.
O medo do homem os manteve em prisão.
Esta é uma das mais fortes fortalezas de Satanás sobre o homem.
Muitas vezes um credo morto aprisiona um homem.
Você é ensinado a não crer nisto e a não crer naquilo.
Seu Cristo ficou perdido numa confusão de teorias teológicas.
Abandone-se ao Senhorio da Palavra; aja sobre ela, e Deus se tornará real para
você.
Capítulo XI
AS COISAS QUE NOS PERTENCEM
O Pai, em Sua grande graça, deu à Igreja o suficiente para torná-la rica e forte.
Efésios 1:3(ARC), “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual
nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em
Cristo”.
O que Ele quer dizer com isto?
Que na Sua obra redentora, tudo o que Deus fez em Cristo desde tempo em
que Ele foi feito Pecado até que se assentou à destra da Majestade no Alto,
pertence à Igreja, o Corpo de Cristo.
Fomos abençoados.
Jesus não fez nada em favor de Si mesmo e o Pai não precisava de nada.
João 3:16, “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho
unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.
Jesus foi o presente de amor para um mundo perdido.
E Ele nunca tomou o presente de volta.
O mundo é possuidor de Jesus, quer reconheça ou não essa propriedade.
Tudo o que Jesus fez em seu Sacrifício Substitutivo é propriedade particular
do indivíduo por quem Jesus o realizou.
O pecador não precisa implorar a Deus que o salve.
A obra já foi realizada.
Tudo o que ele precisa fazer é aceitá-la e agradecer a Deus por ela. Então ela
se torna dele.
“Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de
Deus; não de obras, para que ninguém se glorie”, Efésios 2:8-9.
A salvação é um dom.
A fé vem pelo agir sobre a Palavra de Deus.
Agimos sobre a Palavra. Recebemos Jesus Cristo como nosso Salvador, O
confessamos como nosso Senhor, e nesse exato momento recebemos a Vida
Eterna.
“Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus”.
A obra foi realizada antes de Cristo ressurgir dentre os mortos, e essa obra nos
pertence agora.
Tudo o que precisamos fazer é aceitá-la.
O crente não precisa pedir ao Pai para curá-lo quando está doente, porque
“Certamente, Ele tomou sobre Si as nossas enfermidades e as nossas dores
levou sobre Si; e nós O reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido”.
Deus colocou nossas doenças sobre Jesus.
Isaías 53:10 afirma que agradou a Jeová enfermá-lo com nossas doenças para
que por Suas pisaduras fôssemos curados.
Se estamos curados não precisamos pedir nossa cura.
Tudo o que precisamos fazer é repreender o inimigo no Nome de Jesus, para
que deixe nossos corpos, e agradecer ao Pai pela perfeita cura.
Tudo é tão simples!
Não precisamos pedir ao Senhor que nos dê força, porque Ele é agora a força
de nossas vidas.
O Salmo 27:1, “O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei
medo? O Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei?”
Isso nos pertence agora.
Ele se tornou nossa luz e nossa salvação. Isto é, Ele se tornou nosso
conhecimento e nossa redenção.
Ele se tornou nossa libertação.
1 Coríntios 1:30, “Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual se nos tornou, da
parte de Deus, sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção”.
Vamos dar uma olhada nas coisas que Deus fez Jesus se tornar por nós.
Não pedimos para ser santificados porque Ele é a nossa santificação.
Não pedimos para ser tornados Justos, porque Ele é a nossa Justiça e nos
tornamos Sua Justiça em Cristo.
O crente é um possuidor.
“Aquele que crê tem a vida eterna”.
Não podemos crer sem ter a Vida Eterna.
Não podemos crer em Filipenses 4:19, “E o meu Deus suprirá todas vossas
necessidades”, sem que sejamos possuidores das coisas de que precisamos
Paulo reconheceu que os crentes eram possuidores.
Não temos de tentar crer que somos redimidos porque somos redimidos,
Efésios 1:7.
Não temos de tentar crer que estamos em Cristo porque estamos nEle, 2
Coríntios 5:17.
Não temos de tentar crer que somos filhos de Deus porque fomos recriados.
Estamos na Sua família, 1 João 3:2.
Não precisamos tentar crer que Ele vai remir nossos pecados, e orar com essa
finalidade, porque nossos pecados estão remidos e estamos absolvidos,
justificados em Sua presença. Nossa velha natureza foi aniquilada e
recebemos a natureza de Deus, Colossenses 1:13-14.
Não temos de tentar crer que Deus nos dará o Espírito Santo.
Tudo o que precisamos fazer é convidá-lo a entrar. “Quanto mais o Pai
celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem”, Lucas 11:13.
Aqui Ele está falando a um novo bebê em Cristo que nunca recebeu o Espírito.
Ele está falando a alguém que recebeu a Vida Eterna. Agora ele pede com
determinação ao Espírito que ressuscitou Jesus dentre os mortos, que venha
para dentro de seu corpo e faça Sua morada ali.
O Nome de Jesus nos pertence.
Deus é o nosso próprio Pai.
Jesus é o nosso próprio Senhor, Advogado e Mestre.
O Espírito Santo é o nosso Professor.
A cura é completamente nossa. A força é nossa. A luz e a sabedoria são
nossas.
A Vida Eterna nos pertence. Ele é o nosso suprimento. Ele é a nossa
suficiência. Ele é amor em nós.
Tudo isso é nosso quando primeiro cremos e não depende de nossa fé
individual como crentes.
Nós possuímos tudo isso. É nosso. Pertence a cada filho.
Tudo isso está incluído na Redenção.
Apenas agradeça ao Pai e O louve sempre que se confronta com uma coisa
que necessita coberta pela Redenção, e ela será sua.
Alguns poderiam dizer, “Pelo que então podemos orar?”
Podemos orar por um grande mundo necessitado, por crentes que vivem na
escuridão aquém de seus privilégios, por libertação da escravidão para homens
e mulheres que não sabem que foram libertados dela.
Desfrutando de Nossos Direitos em Cristo
A Redenção foi planejada por Deus; seus resultados satisfazem o coração de
Deus e todas as necessidades do homem.
O Cristianismo nos liga a Deus. Se estivermos unidos com Deus seremos bem
sucedidos.
As forças mais poderosas do universo estão à nossa disposição.
Atos 1:8 diz, “Mas recebereis capacidade, ao descer sobre vós o Espírito
Santo”, (A versão Atualizada de Almeida diz “poder” em vez de
“capacidade”.)
A capacidade de Deus está à nossa disposição.
Que fato excitante!
1 João 4:4 diz, “Filhinhos, vós sois de Deus e tendes vencido os falsos
profetas, porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no
mundo”.
Somos de Deus.
Nossas raízes se aprofundam em Deus.
A capacidade de Deus é a nossa herança. Assim como as raízes retiram a
umidade do solo, da mesma forma nossas raízes em Deus retiram força,
vitalidade e capacidade de Deus.
Ele não somente está conosco, mas se torna parte de nós.
Ele está em nós. Sua natureza é nossa.
Seria muito bom dizer repetidamente durante o dia, “Deus está em mim. A
capacidade de Deus é minha. A força de Deus é minha. A saúde de Deus é
minha. Seu sucesso é meu. Sou um vencedor. Sou um sucesso porque o
Maior, com Sua grande capacidade está em mim”.
Não é uma questão de desistir de algo, mas de se apropriar de algo..
É de desfrutarmos da Vida com Ele. É de vivermos com Ele, termos
comunhão, trabalharmos com o Homem das Eras.
Temos o uso de Seu Nome, do Nome que conquista, do Nome que está acima
de todo o nome.
O Nome de Jesus pode ser usado no mundo dos negócios, no mundo
científico. Pode ser usado em todas as seções do empreendimento humano.
“Em meu Nome”. É como se na verdade o próprio Mestre estivesse aqui.
“E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei”
Quando usamos esse Nome, levamos Jesus Cristo a entrar em real contato
com os nossos problemas.
Aquele que é a fonte de todo poder está ligado com nossas vidas e com os
problemas que nos confrontam.
Capítulo XII
EMPECILHOS PARA A FÉ
A fé nunca supera a sua própria confissão. (Não nos referimos à confissão de
pecados, mas à confissão da Palavra.)
Se confessarmos fraqueza e fracasso destruímos a fé.
Quando ousadamente fazemos nossa confissão de que nossas doenças foram
colocadas sobre Jesus e conservamos firme essa confissão, trazemos Deus à
cena.
Algumas vezes a falta de conhecimento nos impedirá de fazer uma confissão
ousada.
Não agimos sobre a Palavra além de nosso conhecimento.
A fé cresce com o entendimento da Palavra.
A falta de conhecimento sobre nossa Redenção e nossos direitos redentores é
freqüentemente a razão para a incredulidade.
Falta de Entendimento
A falta de entendimento quanto ao que significa a Nova Criação e quanto ao
que ela é realmente, é um empecilho para nossa vida de fé.
Muitas pessoas não sabem que têm a Vida Eterna. Elas pensam de si mesmas
como sendo “salvas do pecado”.
Muitas pessoas não têm a mentalidade de têm Deus dentro de si.
A falta de entendimento quanto à sua posição em Cristo e à posição de Cristo
nas suas vidas, a falta de entendimento da Justiça, do que ela é e do que ela
confere, mantém mais pessoas em cativeiro do que talvez qualquer outra
coisa.
Quando sabemos que somos a Justiça de Deus em Cristo, saímos do espaço
apertado do fracasso e da fraqueza em que temos vivido, para a plenitude sem
limites de Deus.
A falta de entendimento quanto a nosso direito legal de usar o Nome de Jesus
nos mantém presos e nos leva a um senso de fraqueza. Mas quando sabemos o
que o Nome fará, podemos vencer Satanás e desfrutar da vitória.
Muitos são os fracassos por causa da falta de entendimento acerca da
confissão.
Nossa fé acompanha os passos de nossa confissão
Somos mantidos em prisão porque nos falta entendimento quanto a agir sobre
a Palavra.
Tentamos crer.
Tudo o que é necessário, porém, é que ajamos em função do que Deus diz.
Se sabemos que a Palavra é verdadeira e agimos como ela sendo a verdade,
ela se torna uma realidade em nossas vidas.
A fé real é filha do conhecimento da Palavra.
As Duas Confissões
Nossa fé é medida por nossas confissões.
Nossa utilidade na obra do Senhor é medida pelas nossas confissões.
Mais cedo ou mais tarde nos tornamos o que confessamos.
Há uma confissão de nosso coração e uma confissão de nossos lábios.
Quando a confissão de nossos lábios se harmoniza com a confissão de nossos
corações, e estas duas confissões confirmam a Palavra de Deus, então nos
tornamos poderosos em nossa vida de oração.
Mas muitas pessoas têm uma confissão negativa.
Elas estão sempre falando o que elas não são, falando de suas fraquezas, de
suas falhas, de sua falta de dinheiro, de sua falta de capacidade, e de sua falta
de saúde.
Invariavelmente elas vão para o nível de sua confissão.
Uma lei espiritual que poucos dentre nós temos reconhecido é que as nossas
confissões nos governam.
Quando confessamos Seu Senhorio e nossos corações concordam plenamente
com isso, então entregamos nossas vidas ao Seu cuidado.
Esse é o fim da preocupação, o fim do medo, e o começo da fé.
Quando cremos que Ele se levantou dentre os mortos por nós, e que pela Sua
Ressurreição venceu o Adversário e o aniquilou por nós, quando isto se torna
a confissão de nossos lábios e de nossos corações, tornamo-nos uma força
para Deus.
Se temos aceitado Jesus como nosso Salvador e O confessado como nosso
Senhor, somos Novas Criações, temos a Vida Eterna, temos a posição de
filhos, somos herdeiros de Deus e co-herdeiros com Jesus Cristo.
No momento em que reconhecemos o fato de Sua efetiva Ressurreição, então
sabemos que o problema do pecado está resolvido; sabemos que Satanás foi
eternamente derrotado por nós.
Sabemos que estamos unidos à Divindade.
Sabemos que chegamos à família de Deus.
Sabemos que a capacidade de Deus se tornou nossa.
Isto pode não ficar evidente para nós de uma só vez, mas à medida que
estudamos a Palavra e agimos sobre ela, vivemos nela, e deixamos que ela
viva em nós, ela se torna talvez vagarosamente, porém certamente uma
realidade viva.
Essa realidade é desenvolvida através de nossa confissão.
Confessamos Seu Senhorio e declaramos diante do mundo que Ele é nosso
Pastor e que nada nos faltará.
Confessamos que Ele nos faz repousar em pastos verdejantes, e que Ele nos
conduz às águas de descanso.
Confessamos que Ele restaurou nossas almas a uma doce e maravilhosa
comunhão consigo mesmo.
Confessamos que Ele nos tornou Novas Criações, que as coisas velhas já
passaram e eis que todas as coisas se tornaram novas, e que nos tornamos a
Justiça de Deus em Cristo.
Confessamos destemidamente diante do mundo a nossa completa unidade e
união com Ele.
Declaramos que Ele é a Vinha e que nós somos os ramos; que os ramos e a
Vinha são um.
Declaramos que somos participantes da Natureza Divina que habitava nEle
quando Ele andava na Galiléia.
Estas são as nossas confissões.
Ficamos sabendo que Satanás está derrotado, que os demônios estão sujeitos
ao Nome de Jesus em nossos lábios, que a doença não pode existir na presença
do Cristo Vivo em nós.
Agora ousamos agir em face do que sabemos que a Palavra ensina.
Ousamos assumir nosso lugar e confessar diante do mundo que o que a
Palavra diz sobre nós é verdade.
Deixamos a confissão de fracasso, fraqueza, e incapacidade, porque Deus se
tornou nossa capacidade, Deus se tornou nossa suficiência e Ele nos fez
suficientes como ministros de uma Nova Aliança.
Confessamos que Ele nos tomou do antigo estado no qual o fracasso reinava,
para um novo estado de vitória, alegria e paz.
À medida que fazemos nossa confissão e agimos sobre a Palavra, nossa fé
cresce e nossa Redenção se torna uma realidade.
A Confissão Correta
Jesus disse, “Porque eu não tenho falado por mim mesmo, mas o Pai, que me
enviou, esse me tem prescrito o que dizer e o que anunciar”, João 12:49.
Toda cura que Jesus realizou foi feita através da Palavra de Seu Pai. Toda
Palavra que falou era a Palavra do Pai.
Jesus sabia quem era; conhecia Seu lugar; conhecia Seu trabalho.
Era sempre positivo em Sua mensagem. Sabia que as palavras que falava eram
as Palavras de Seu Pai.
Assumia Seu lugar como filho. Cumpria Seu papel.
Confessava continuamente sua filiação.
Jesus sempre confessava o que era.
Ele dizia, “Eu sou o Bom Pastor. Eu sou o Pão da Vida. Eu sou a Água da
Vida. Deus é Meu Pai. Eu sou a Luz do Mundo”.
Em João 5:19-30, Jesus faz dez declarações sobre Si mesmo.
Elas na verdade são confissões, e cada uma delas o relaciona à Divindade.
Ele estava falando a própria Palavra de Seu Pai.
João 7:29 diz, “Eu o conheço, porque venho da parte dele e fui por ele
enviado”.
Ele não somente confessou o que era, mas também confessou destemidamente
o que o homem seria depois que se tornasse uma Nova Criação.
João 15:5 diz, “Eu sou a videira, vós, os ramos”.
João 7:38-39 diz, “Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior
fluirão rios de água viva. Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de
receber os que nele cressem; pois o Espírito até aquele momento não fora
dado, porque Jesus não havia sido ainda glorificado”.
Que espécie de confissão era essa! Quão real se tornou no Dia de Pentecostes!
João 8:54-55, “Respondeu Jesus: Se eu me glorifico a mim mesmo, a minha
glória nada é; quem me glorifica é meu Pai, o qual vós dizeis que é vosso
Deus. Entretanto, vós não O tendes conhecido; eu, porém, O conheço. Se eu
disser que não O conheço, serei como vós: mentiroso; mas eu O conheço e
guardo a Sua palavra”.
João 17:5, “E, agora, glorifica-me, ó Pai, contigo mesmo, com a glória que eu
tive junto de ti, antes que houvesse mundo”.
Esse era um testemunho notável.
João 17:26 diz, “Eu lhes fiz conhecer o Teu nome e ainda o farei conhecer”.
Jesus conhecia o novo nome que Deus haveria de receber.
João 17:6 diz, “Manifestei o teu nome aos homens que me deste do mundo”.
Tenho convicção de que o novo nome do qual Jesus fala aqui é “Pai”.
Ninguém jamais havia chamado Deus de “Pai” antes.
João 9: 35-36, “Ouvindo Jesus que o tinham expulsado, encontrando-o, lhe
perguntou: Crês tu no Filho do Homem? Ele respondeu e disse: Quem é,
Senhor, para que eu nele creia?”
Jesus então confessou quem Ele era realmente.
No versículo 37 Jesus disse ao homem que havia sido cego, “Já o tens visto, e
é o que fala contigo”.
Jesus declarou abertamente que era o Filho de Deus.
Em João 4:26 temos outra confissão surpreendente.
Ele estava falando com uma mulher samaritana e confessando que era o
Messias, o Filho de Deus.
Jesus Sabia Quem Era
Quase todo milagre que Jesus efetuava era feito com as Palavras do Pai nos
Seus lábios.
Jesus era a vontade revelada do Pai.
João 4:34 diz, “A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me
enviou e realizar a sua obra”.
João 5:30 diz, “Não procuro a minha própria vontade, e sim a daquele que me
enviou”.
João 6:38 diz, “Porque eu desci do céu, não para fazer a minha própria
vontade, e sim a vontade daquele que me enviou”.
João 8:29 diz, “Eu faço sempre o que Lhe agrada”.
Que descrição do Mestre! Ele não tinha ambições pessoais, nenhum objetivo
pessoal a alcançar, estava simplesmente fazendo a vontade de Seu Pai,
revelando o Pai, ao ponto de poder dizer, “Quem me vê a mim vê o Pai” (João
14:9).
Quanto menos ambições mundanas tivermos, quanto menos desejos do
mundo, mais plenamente o Pai Se revelará a nós.
Suas Palavras em nossos lábios realizarão os mesmos prodígios que Suas
Palavras realizaram nos lábios de Jesus.
A atitude egocêntrica limita as pessoas.
O homem egoísta é um homem limitado.
Quem vive na Palavra e deixa a Palavra viver nele, quem pratica a Palavra e
age sobre ela, é quem revela o Pai.
Quando agimos sobre a Palavra de Deus revelamos o Pai
A Confissão Errada
Poucos dentre nós compreendemos que nossa confissão nos aprisiona. Mas, o
tipo certo de confissão nos libertará.
Não são os nossos pensamentos, mas nossas palavras, nossas conversas, que
formam a força ou a fraqueza em nós.
Nossas palavras são a moeda no Reino da Fé. Nossas Palavras nos prendem e
mantêm em cativeiro, ou nos libertam e se tornam poderosas nas vidas dos
outros.
É o que confessamos com nossos lábios que realmente domina nosso ser
interior.
Inconscientemente confessamos o que cremos.
Se falamos da doença é porque cremos nela. Se falamos da fraqueza e do
fracasso, é porque cremos na fraqueza e no fracasso.
É surpreendente que fé as pessoas têm nas coisas erradas.
Elas crêem firmemente no câncer, nas úlceras estomacais, na tuberculose, e
nas outras doenças incuráveis. Sua fé nessas doenças se levanta até o ponto
delas as dominar completamente e as governar. Elas se tornam seus escravos
absolutos.
Elas adquirem o hábito de confessar suas fraquezas e sua confissão faz
aumentar a força de sua fraqueza. Elas confessam sua falta de fé e estão cheias
de dúvidas.
Elas confessam seu medo e ficam mais temerosas. Elas confessam seu medo
da doença e a doença aumenta sob essa confissão.
Elas confessam sua carência e desenvolvem um senso de falta que vem a
predominar em suas vidas.
Quando compreendemos que nunca podemos passar do nível de nossa
confissão, chegamos à situação na qual Deus pode realmente começar a nos
usar.
Você confessa então que pelas Suas pisaduras está curado, apega-se a esta sua
confissão, de forma que nenhuma doença pode permanecer diante de você.
Quer entendamos ou não, estamos semeando palavras assim como Jesus disse
em Lucas 8:11, “A semente é a palavra de Deus”. O semeador saiu a semear e
a semente que estava semeando era a Palavra de Deus.
Essa é a semente que devemos semear. Outros estão semeando as sementes do
medo e da dúvida que vêm do Conhecimento pelos Sentidos.
É quando confessamos a Palavra de Deus, declarando enfaticamente “Pelas
Suas pisaduras estou curado” ou “Meu Deus supre cada uma de minhas
necessidades” e nos apegamos à essa nossa confissão, que vemos nossa
libertação.
Nossas palavras produzem fé ou dúvida nos outros.
Apocalipse 12:11 declara, “Eles, pois, o venceram por causa do sangue do
Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram”.
Eles o venceram com a Palavra de Deus que estava no seu testemunho. Eles
venceram o Diabo com palavras.
A maior parte dos enfermos que Jesus curou durante Seu ministério foi curada
com palavras.
Deus criou o Universo com palavras: palavras cheias de fé.
Jesus disse, “tua fé te salvou”.
Ele disse para o morto Lázaro, “Vem para fora!” Suas Palavras levantaram o
morto.
Satanás é vencido por meio de palavras, ele é derrotado por palavras.
Nossos lábios se tornam o meio de transporte do livramento de Deus vindo do
céu para as necessidades do homem aqui na terra.
Usamos a Palavra de Deus. Sussurramos, “No Nome de Jesus, demônio, saia
dele”.
Jesus disse, “Em meu Nome, expelirão demônios; em meu Nome vocês
imporão as mãos sobre os enfermos e eles ficarão curados”.
Tudo através de Palavras!
Questiono se as mãos impostas fazem mais do que apenas ajudar os Sentidos.
É apenas a Palavra que cura.
Jesus disse, “E tudo quanto demandardes em meu nome, isso farei”. (Em
Grego a palavra geralmente traduzida por “pedir” significa “demandar”).
Estamos demandando assim como Pedro fez na Porta Formosa quando disse,
“Em Nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda!”
Palavras curaram esse homem.
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé
E. w. kenyon   os dois tipos de fé

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
  kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus   kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
antonio ferreira
 
O EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO.pdf
O EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO.pdfO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO.pdf
O EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO.pdf
Del Souza
 
As faces da espiritualidade hernandes dias lopes
As faces da espiritualidade   hernandes dias lopesAs faces da espiritualidade   hernandes dias lopes
As faces da espiritualidade hernandes dias lopes
Deusdete Soares
 
O Batismo no Espírito Santo - Como recebê-lo / W. V. Grant
O Batismo no Espírito Santo - Como recebê-lo / W. V. GrantO Batismo no Espírito Santo - Como recebê-lo / W. V. Grant
O Batismo no Espírito Santo - Como recebê-lo / W. V. Grant
Helio Colombe
 
Agentes Infiltrados na IASD
Agentes Infiltrados na IASDAgentes Infiltrados na IASD
Agentes Infiltrados na IASD
José Silva
 
O Poder disponível do louvor - Kenneth Hagin Jr.
O Poder disponível do louvor - Kenneth Hagin Jr.O Poder disponível do louvor - Kenneth Hagin Jr.
O Poder disponível do louvor - Kenneth Hagin Jr.
ROSA SARMENTO
 
A cura de cristo como recebê la (t. l. osborn)
A cura de cristo como recebê la (t. l. osborn)A cura de cristo como recebê la (t. l. osborn)
A cura de cristo como recebê la (t. l. osborn)
Deusdete Soares
 
De volta para jerusalém sermão lançamento reencontro
De volta para jerusalém   sermão lançamento reencontroDe volta para jerusalém   sermão lançamento reencontro
De volta para jerusalém sermão lançamento reencontro
PauloRoberto71714
 
A ceia do Senhor - Thomas Watson
A ceia do Senhor - Thomas WatsonA ceia do Senhor - Thomas Watson
A ceia do Senhor - Thomas Watson
Hilton da Silva
 
Batalha espiritual no evangelismo
Batalha espiritual no evangelismoBatalha espiritual no evangelismo
Batalha espiritual no evangelismo
Edleusa Silva
 
A oração muda as coisas r. c. sproul
A oração muda as coisas    r. c. sproulA oração muda as coisas    r. c. sproul
A oração muda as coisas r. c. sproul
Pastor Marcello Rocha
 
Kenneth e. hagin o ministerio de um profeta
Kenneth e. hagin   o ministerio de um  profetaKenneth e. hagin   o ministerio de um  profeta
Kenneth e. hagin o ministerio de um profeta
prfavinho
 
Andando no espírito dave roberson
Andando no espírito   dave robersonAndando no espírito   dave roberson
Andando no espírito dave roberson
Deusdete Soares
 
122 igrejas que oram-c. peter wagner
122   igrejas que oram-c. peter wagner122   igrejas que oram-c. peter wagner
122 igrejas que oram-c. peter wagner
Luiza Dayana
 
O cristão que intercede kenneth e. hagin
O cristão que intercede   kenneth e. haginO cristão que intercede   kenneth e. hagin
O cristão que intercede kenneth e. hagin
prfavinho
 
O purê de batatas
O purê de batatasO purê de batatas
O purê de batatas
Sidinei Kauer
 
Regiões de Cativeiro
Regiões de Cativeiro Regiões de Cativeiro
Regiões de Cativeiro
Grupo Irmãos na Unção
 
A isca-de-satanas-john-bevere
A isca-de-satanas-john-bevereA isca-de-satanas-john-bevere
A isca-de-satanas-john-bevere
Mitie Pimenta
 
Adoração - Um Presente do Homem Para Deus - Sermão
Adoração - Um Presente do Homem Para Deus - SermãoAdoração - Um Presente do Homem Para Deus - Sermão
Adoração - Um Presente do Homem Para Deus - Sermão
Levi de Paula Tavares
 
Lição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
Lição 7 - A Necessidade do Novo NascimentoLição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
Lição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
Éder Tomé
 

Mais procurados (20)

kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
  kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus   kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
kathryn-kuhlman-nada-e-impossivel-para-Deus
 
O EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO.pdf
O EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO.pdfO EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO.pdf
O EVANGELHO DE JOÃO VERSÍCULO POR VERSÍCULO.pdf
 
As faces da espiritualidade hernandes dias lopes
As faces da espiritualidade   hernandes dias lopesAs faces da espiritualidade   hernandes dias lopes
As faces da espiritualidade hernandes dias lopes
 
O Batismo no Espírito Santo - Como recebê-lo / W. V. Grant
O Batismo no Espírito Santo - Como recebê-lo / W. V. GrantO Batismo no Espírito Santo - Como recebê-lo / W. V. Grant
O Batismo no Espírito Santo - Como recebê-lo / W. V. Grant
 
Agentes Infiltrados na IASD
Agentes Infiltrados na IASDAgentes Infiltrados na IASD
Agentes Infiltrados na IASD
 
O Poder disponível do louvor - Kenneth Hagin Jr.
O Poder disponível do louvor - Kenneth Hagin Jr.O Poder disponível do louvor - Kenneth Hagin Jr.
O Poder disponível do louvor - Kenneth Hagin Jr.
 
A cura de cristo como recebê la (t. l. osborn)
A cura de cristo como recebê la (t. l. osborn)A cura de cristo como recebê la (t. l. osborn)
A cura de cristo como recebê la (t. l. osborn)
 
De volta para jerusalém sermão lançamento reencontro
De volta para jerusalém   sermão lançamento reencontroDe volta para jerusalém   sermão lançamento reencontro
De volta para jerusalém sermão lançamento reencontro
 
A ceia do Senhor - Thomas Watson
A ceia do Senhor - Thomas WatsonA ceia do Senhor - Thomas Watson
A ceia do Senhor - Thomas Watson
 
Batalha espiritual no evangelismo
Batalha espiritual no evangelismoBatalha espiritual no evangelismo
Batalha espiritual no evangelismo
 
A oração muda as coisas r. c. sproul
A oração muda as coisas    r. c. sproulA oração muda as coisas    r. c. sproul
A oração muda as coisas r. c. sproul
 
Kenneth e. hagin o ministerio de um profeta
Kenneth e. hagin   o ministerio de um  profetaKenneth e. hagin   o ministerio de um  profeta
Kenneth e. hagin o ministerio de um profeta
 
Andando no espírito dave roberson
Andando no espírito   dave robersonAndando no espírito   dave roberson
Andando no espírito dave roberson
 
122 igrejas que oram-c. peter wagner
122   igrejas que oram-c. peter wagner122   igrejas que oram-c. peter wagner
122 igrejas que oram-c. peter wagner
 
O cristão que intercede kenneth e. hagin
O cristão que intercede   kenneth e. haginO cristão que intercede   kenneth e. hagin
O cristão que intercede kenneth e. hagin
 
O purê de batatas
O purê de batatasO purê de batatas
O purê de batatas
 
Regiões de Cativeiro
Regiões de Cativeiro Regiões de Cativeiro
Regiões de Cativeiro
 
A isca-de-satanas-john-bevere
A isca-de-satanas-john-bevereA isca-de-satanas-john-bevere
A isca-de-satanas-john-bevere
 
Adoração - Um Presente do Homem Para Deus - Sermão
Adoração - Um Presente do Homem Para Deus - SermãoAdoração - Um Presente do Homem Para Deus - Sermão
Adoração - Um Presente do Homem Para Deus - Sermão
 
Lição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
Lição 7 - A Necessidade do Novo NascimentoLição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
Lição 7 - A Necessidade do Novo Nascimento
 

Destaque

A ultima grande transferencia de riquezas
A ultima grande transferencia de riquezasA ultima grande transferencia de riquezas
A ultima grande transferencia de riquezas
Pastor Alexander König Ribeiro
 
A lei da fé
A lei da féA lei da fé
A lei da fé
guilhergon
 
DESENVOLVENDO A FÉ SOBRENATURAL
DESENVOLVENDO A FÉ SOBRENATURALDESENVOLVENDO A FÉ SOBRENATURAL
DESENVOLVENDO A FÉ SOBRENATURAL
Fundacao Hospitalar Do Municipio De Varginha Fhomuv
 
A autoridade do crente kenneth e. hagin
A autoridade do crente   kenneth e. haginA autoridade do crente   kenneth e. hagin
A autoridade do crente kenneth e. hagin
Lisa A Serviço Do Rei Jesus
 
Crescente fé
Crescente féCrescente fé
Crescente fé
antonio ferreira
 
A Conquista do Pão - Piotr Kropotkin
A Conquista do Pão - Piotr KropotkinA Conquista do Pão - Piotr Kropotkin
A Conquista do Pão - Piotr Kropotkin
BlackBlocRJ
 

Destaque (6)

A ultima grande transferencia de riquezas
A ultima grande transferencia de riquezasA ultima grande transferencia de riquezas
A ultima grande transferencia de riquezas
 
A lei da fé
A lei da féA lei da fé
A lei da fé
 
DESENVOLVENDO A FÉ SOBRENATURAL
DESENVOLVENDO A FÉ SOBRENATURALDESENVOLVENDO A FÉ SOBRENATURAL
DESENVOLVENDO A FÉ SOBRENATURAL
 
A autoridade do crente kenneth e. hagin
A autoridade do crente   kenneth e. haginA autoridade do crente   kenneth e. hagin
A autoridade do crente kenneth e. hagin
 
Crescente fé
Crescente féCrescente fé
Crescente fé
 
A Conquista do Pão - Piotr Kropotkin
A Conquista do Pão - Piotr KropotkinA Conquista do Pão - Piotr Kropotkin
A Conquista do Pão - Piotr Kropotkin
 

Semelhante a E. w. kenyon os dois tipos de fé

Evanglico kennethehagin-alimentodaf-devocionais-140124071635-phpapp02
Evanglico kennethehagin-alimentodaf-devocionais-140124071635-phpapp02Evanglico kennethehagin-alimentodaf-devocionais-140124071635-phpapp02
Evanglico kennethehagin-alimentodaf-devocionais-140124071635-phpapp02
Flavio Chaves
 
Evangelico -kenneth_e_hagin_-_alimento_da_fé-_devocionais
Evangelico  -kenneth_e_hagin_-_alimento_da_fé-_devocionaisEvangelico  -kenneth_e_hagin_-_alimento_da_fé-_devocionais
Evangelico -kenneth_e_hagin_-_alimento_da_fé-_devocionais
ℓys Oℓiveira❀
 
Kenneth hagin avivamento da fé - devocionais
Kenneth hagin    avivamento da fé - devocionaisKenneth hagin    avivamento da fé - devocionais
Kenneth hagin avivamento da fé - devocionais
Josimar Santos
 
Segredo revelado aos filhos de deus e-book
Segredo revelado aos filhos de deus   e-bookSegredo revelado aos filhos de deus   e-book
Segredo revelado aos filhos de deus e-book
henriquecoutinho10
 
Fe fundamental
Fe fundamentalFe fundamental
Fe fundamental
AlexSteeve
 
PRINCÍPIOS DA FÉ BÍBLICA
PRINCÍPIOS DA FÉ BÍBLICAPRINCÍPIOS DA FÉ BÍBLICA
Discipulado
DiscipuladoDiscipulado
Discipulado
Janderson Pedro
 
O menino endemoniado liberto por Jesus
O menino endemoniado liberto por JesusO menino endemoniado liberto por Jesus
O menino endemoniado liberto por Jesus
Juraci Rocha
 
Http --filhosdeezequiel com-um-menino-possesso-libertado-por-jesus-
Http --filhosdeezequiel com-um-menino-possesso-libertado-por-jesus-Http --filhosdeezequiel com-um-menino-possesso-libertado-por-jesus-
Http --filhosdeezequiel com-um-menino-possesso-libertado-por-jesus-
Juraci Rocha
 
Lançando todo meu cuidado sobre ele
Lançando todo meu cuidado sobre eleLançando todo meu cuidado sobre ele
Lançando todo meu cuidado sobre ele
antonio ferreira
 
Ante a tempestade
Ante a tempestadeAnte a tempestade
Ante a tempestade
Helio Cruz
 
2015.05.27 a oração
2015.05.27   a oração2015.05.27   a oração
2015.05.27 a oração
Alexandre Panerai
 
Crescendo na vida
Crescendo na vidaCrescendo na vida
Crescendo na vida
cibelefernoli
 
A fé que remove montanhas
A fé que remove montanhasA fé que remove montanhas
A fé que remove montanhas
Pastora Celia Azevedo
 
Capítulo 1
Capítulo 1Capítulo 1
Capítulo 1
antonio ferreira
 
Quem me tocou
Quem me tocouQuem me tocou
Quem me tocou
Marco Aurelio Recco
 
Quem me tocou
Quem me tocouQuem me tocou
Quem me tocou
Marcelo Monteiro
 
Tome Posse AGORA!
Tome Posse AGORA!Tome Posse AGORA!
Tome Posse AGORA!
Jean Costa
 
5008118 curai-enfermos-e-expulsai-demonios-t-l-osborn-120624160506-phpapp01
5008118 curai-enfermos-e-expulsai-demonios-t-l-osborn-120624160506-phpapp015008118 curai-enfermos-e-expulsai-demonios-t-l-osborn-120624160506-phpapp01
5008118 curai-enfermos-e-expulsai-demonios-t-l-osborn-120624160506-phpapp01
GILMAR BASTOS
 
Norman Vincent Peale - A Esperanca
Norman Vincent Peale - A EsperancaNorman Vincent Peale - A Esperanca
Norman Vincent Peale - A Esperanca
IEAD PG
 

Semelhante a E. w. kenyon os dois tipos de fé (20)

Evanglico kennethehagin-alimentodaf-devocionais-140124071635-phpapp02
Evanglico kennethehagin-alimentodaf-devocionais-140124071635-phpapp02Evanglico kennethehagin-alimentodaf-devocionais-140124071635-phpapp02
Evanglico kennethehagin-alimentodaf-devocionais-140124071635-phpapp02
 
Evangelico -kenneth_e_hagin_-_alimento_da_fé-_devocionais
Evangelico  -kenneth_e_hagin_-_alimento_da_fé-_devocionaisEvangelico  -kenneth_e_hagin_-_alimento_da_fé-_devocionais
Evangelico -kenneth_e_hagin_-_alimento_da_fé-_devocionais
 
Kenneth hagin avivamento da fé - devocionais
Kenneth hagin    avivamento da fé - devocionaisKenneth hagin    avivamento da fé - devocionais
Kenneth hagin avivamento da fé - devocionais
 
Segredo revelado aos filhos de deus e-book
Segredo revelado aos filhos de deus   e-bookSegredo revelado aos filhos de deus   e-book
Segredo revelado aos filhos de deus e-book
 
Fe fundamental
Fe fundamentalFe fundamental
Fe fundamental
 
PRINCÍPIOS DA FÉ BÍBLICA
PRINCÍPIOS DA FÉ BÍBLICAPRINCÍPIOS DA FÉ BÍBLICA
PRINCÍPIOS DA FÉ BÍBLICA
 
Discipulado
DiscipuladoDiscipulado
Discipulado
 
O menino endemoniado liberto por Jesus
O menino endemoniado liberto por JesusO menino endemoniado liberto por Jesus
O menino endemoniado liberto por Jesus
 
Http --filhosdeezequiel com-um-menino-possesso-libertado-por-jesus-
Http --filhosdeezequiel com-um-menino-possesso-libertado-por-jesus-Http --filhosdeezequiel com-um-menino-possesso-libertado-por-jesus-
Http --filhosdeezequiel com-um-menino-possesso-libertado-por-jesus-
 
Lançando todo meu cuidado sobre ele
Lançando todo meu cuidado sobre eleLançando todo meu cuidado sobre ele
Lançando todo meu cuidado sobre ele
 
Ante a tempestade
Ante a tempestadeAnte a tempestade
Ante a tempestade
 
2015.05.27 a oração
2015.05.27   a oração2015.05.27   a oração
2015.05.27 a oração
 
Crescendo na vida
Crescendo na vidaCrescendo na vida
Crescendo na vida
 
A fé que remove montanhas
A fé que remove montanhasA fé que remove montanhas
A fé que remove montanhas
 
Capítulo 1
Capítulo 1Capítulo 1
Capítulo 1
 
Quem me tocou
Quem me tocouQuem me tocou
Quem me tocou
 
Quem me tocou
Quem me tocouQuem me tocou
Quem me tocou
 
Tome Posse AGORA!
Tome Posse AGORA!Tome Posse AGORA!
Tome Posse AGORA!
 
5008118 curai-enfermos-e-expulsai-demonios-t-l-osborn-120624160506-phpapp01
5008118 curai-enfermos-e-expulsai-demonios-t-l-osborn-120624160506-phpapp015008118 curai-enfermos-e-expulsai-demonios-t-l-osborn-120624160506-phpapp01
5008118 curai-enfermos-e-expulsai-demonios-t-l-osborn-120624160506-phpapp01
 
Norman Vincent Peale - A Esperanca
Norman Vincent Peale - A EsperancaNorman Vincent Peale - A Esperanca
Norman Vincent Peale - A Esperanca
 

E. w. kenyon os dois tipos de fé

  • 1. Os DOIS Tipos de FÉ O Segredo da Fé Revelado E.W. Kenyon
  • 2. (foto) E. W. KENYON Autor (1867-1948) Décima Oitava Impressão Copyright 1998 Por KENYON´S GOSPEL PUBLISHING SOCIETY (Sociedade Publicadora Evangélica de Kenyon) www.kenyons.org Tradutor Clayton Bezzan c_bezzan@ig.com.br
  • 3. CONTRACAPA Orações não respondidas se colocam entre o indivíduo e uma vida de fé. Alguns perderam completamente a fé. Muitos se voltaram para as seitas filosóficas e metafísicas porque suas vidas de oração estavam fracassadas. Há somente um fundamento para a Fé, a Palavra Viva. Quando nos tornamos um com a Palavra em nossas ações, então a fé se torna uma realidade inconsciente. Você nunca pensa em sua fé, somente pensa na necessidade e em Sua capacidade de satisfazê-la. Este livro lhe mostra a diferença entre a fé real, o assentimento mental e a esperança. A esperança é sempre no futuro. Você nunca recebe aquilo pelo que está esperando. A FÉ É AGORA! A fé real é agir sobre a Palavra, independente de qualquer Evidência dos Sentidos. Este livro lhe explicará e mostrará a diferença entre a fé real e a fé do Conhecimento pelos Sentidos. A fé do Conhecimento pelos Sentidos quase expulsou a fé real das igrejas. “Crer” é na verdade “agir sobre a Palavra”, e a Fé é o resultado da ação.
  • 4. ÍNDICE A Situação é Exposta 1. A Base para a Fé 2. O que é a Fé 3.Tipos de Fé 4. As Fases Diferentes da Fé 5. A Fé pela Revelação 6. Alguns Inimigos da Fé 7. A Fé na sua Fé 8. Ações Correspondentes 9. Com o Coração o Homem Crê 10. Agindo sobre Sua Palavra 11. As Coisas que nos Pertencem 12. Empecilhos para a Fé 13. Oração 14. Algumas Coisas em que Devemos Crer 15. Receber, não Dar 16. A Mente Dirigida pelos Sentidos 17. O Novo Mandamento e a Justiça 18. Meu Recibo 19. O que Jesus disse sobre a Fé Resumo Uma Sugestão
  • 5. A SITUAÇÃO É EXPOSTA Orações não respondidas se colocam entre o indivíduo e uma vida de fé. Alguns perderam completamente a fé. Muitos se voltaram para as seitas filosóficas e metafísicas porque suas vidas de oração estavam fracassadas. Se tivéssemos de perguntar ao indivíduo o que ele crê ser sua maior dificuldade na sua caminhada cristã, creio que invariavelmente sua resposta seria, “Não tenho fé o suficiente. Sei que Deus não é culpado. Sei que as promessas estão lá na Palavra. Eu simplesmente não pude conseguir fé. Tenho orado por ela; tenho jejuado por ela; mas não sei como consegui-la”. Esta pequena conversa ocorreu entre marido e esposa na mesa do café da manhã: “Não, eu não estou perdendo minha confiança na Bíblia, mas de fato parece- me que com o passar dos anos em que freqüentamos a igreja deveríamos ter chegado a algum lugar. “Hoje no escritório, a questão da fé veio à baila e descobri que não tinha nenhuma fé. Isto é, eu não tinha nenhuma fé positiva e definida na Palavra, como tenho nos negócios. “Tenho fé nas coisas que fabricamos. Sei que elas farão aquilo que anunciamos que farão. “Não sei se a Palavra de Deus fará aquilo que é anunciado que ela fará. Gostaria de saber onde está a dificuldade. “Lá no escritório, quando enfrentamos um problema, nós o resolvemos, mas em nossa igreja nós somente o encobrimos. O ignoramos. Tenho ignorado isso tanto quanto posso. Preciso saber por quê!” Esta é a razão para este livro. Nós o escrevemos para responder sobre o problema da fé para homens e mulheres que pensam.
  • 6. Capítulo I A BASE PARA A FÉ “Este assunto da fé me frustra”, disse um jovem o outro dia. “O pastor pregou sobre fé no domingo. Ele não me falou como obter a fé, mas ele me falou sobre a necessidade de tê-la, falou sobre o que ela poderia fazer. “Ele citou aquelas maravilhosas sentenças dos lábios do Mestre, „Tudo é possível ao que crê‟. „Se tiverdes fé como um grão de mostarda...‟ “Tenho tentado consegui-la. Fiz tudo o que sabia ou que alguém pudesse me contar, mas ela parece ser tão difícil de entender. Você pode me dizer onde está a dificuldade?” Eu gostei dele. Ele era tão franco, tão genuíno. A aflição em seus olhos me desafiavam. Então eu lhe disse, “A fé vem através da Palavra de Deus. “Você tem fé no homem para quem trabalha; se ele prometesse a você um aumento em seu salário, você não questionaria. “Você tem fé no banco com o qual faz negócios. Se dissessem que sua conta está sem fundos, você não questionaria. “Você sabe que você e sua palavra são um. Você está por trás de sua palavra, por trás de toda palavra que empenha. “Deus e Sua Palavra são um. Deus está por trás de toda Palavra que Ele empenha. Não somente Ele está por trás dela, mas Seu trono está por trás de Sua Palavra. “Ele disse, „eu velo sobre a minha Palavra para a cumprir‟. “Ele é um homem de negócios. Ele sabe que Sua Palavra é o fundamento de tudo, de forma que Ele fica por trás dela. “Jesus disse, „Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão‟ “Isto é a coisa que gera fé ... a integridade desta Palavra”. “A fé vem de ouvir a Palavra, de a entender, por meio dela se tornando uma parte de nós. “Vou dizer uma coisa dura. Estou certo de que você me entenderá. A mentira, o engano e a desonestidade são os distintivos do mundo. “Vemos isso no relacionamento internacional entre as nações.
  • 7. “Eles têm seus homens do serviço secreto na escuta por toda a parte, roubando uns aos outros dos projetos de navios de guerra, etc., até que não haja mais nenhuma chance de haver segurança em nenhum lugar. Esta é a razão de nossa incredulidade. O ar está cheio dela. Quando vimos contra a Palavra de Deus, que não pode mentir e não pode ser desafiada, de alguma forma ou de outra, estamos despreparados para aceitá-la. “Satanás é um mentiroso e ele é o deus deste mundo. “Jesus veio como Revelação da Verdade. Ele é o único que alguma vez fez os homens ficarem honestos, quando dizer a verdade significava que seriam queimados na estaca. “Aqui vemos o fundamento para esta Fé. Você é levado a conhecer Jesus através da Palavra. Ele lhe apresenta para o Pai. “Então você começa a agir sobre a Palavra, como para pô-la à prova. “Após pouco, você descobrirá que agir sobre o que Jesus disse, ou o Pai disse, se torna tão natural como agir sobre a palavra do homem para quem você está trabalhando”. Ele disse após pensar cuidadosamente, “Obrigado. Creio que aprendi algo que nunca havia visto antes”. Um Fundamento Há somente um fundamento para a Fé, a Palavra Viva. À medida que nos tornamos um com a Palavra em nossas ações, a fé se torna uma realidade inconsciente. Você nunca pensa na sua Fé, você pensa na necessidade e na Sua habilidade em satisfazê-la. Se você quer que a fé cresça e fique robusta e forte, fique impregnado da Palavra, se alimente dela, medite nela, até que se torne um com ela no sentido de que é um com seu trabalho. Descubra o que você é em Cristo, quais são os seus privilégios, o que Ele pensa de você, e o que Ele fala de você. Você vai achar tudo isso na Palavra.
  • 8. Capítulo II O QUE É A FÉ “Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam”. A fé é compreender as irrealidades da esperança e trazê-las para o âmbito da realidade. A fé germina da Palavra de Deus. Ela é o documento que garante de que a coisa pela qual você esperava carinhosamente finalmente é sua. Ela é a “evidência das coisas não vistas”. Você tem esperança de conseguir as finanças para cumprir uma obrigação; a fé dá a certeza de que você terá o dinheiro quando precisar. Você espera pela força física para fazer o trabalho que sabe que precisa fazer. A fé diz, “O Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei?” O Conhecimento pelos Sentidos trouxe à igreja o Assentimento Mental, que se parece tanto com a fé que muitas pessoas não podem ver a diferença. O Assentimento Mental é ver, admirar e dizer “é verdade, mas não no meu caso”. O Assentimento Mental concorda que a Bíblia é uma Revelação, que ela veio de Deus, e que cada Palavra é verdadeira, contudo quando a crise vem, ela não funciona. Ele simplesmente reconhece a veracidade desse maravilhoso livro, mas não age sobre ele. A esperança diz, “Um dia conseguirei”. A fé diz, “Eu tenho agora”. O Assentimento Mental diz, “É lindo. Sei que deveria tê-lo. Por alguma razão não consigo. Não posso entender por quê.” A fé do Conhecimento pelos Sentidos diz, “Quando eu chegar a ver, quando sentir, saberei que o tenho”. A fé real na Palavra diz, “Se Deus diz que é verdade, realmente é. Se Ele diz que „Pelas Suas pisaduras fui sarado‟, realmente estou sarado. Se Ele diz que Deus suprirá todas minhas necessidades, Ele o fará. Se Deus diz que Ele é a força da minha vida, então Ele é. Assim, ocupo-me em fazer o meu trabalho porque Ele é o que diz que Ele é, e eu sou o que Ele diz que sou”. “Se Ele diz que sou forte, eu sou. “Se Ele diz que estou curado, estou.
  • 9. “Se Ele diz que se importa comigo, sei que Ele assim o faz. “Quietamente descanso na Palavra, a despeito das evidências que satisfariam meus Sentidos”. A fé real é edificada sobre a Palavra. Não está contaminada pelo Conhecimento que vem pelos Sentidos. Ela é tão inconsciente de si mesma como a fé que uma criancinha tem na sua mãe. A criança nunca diz, “Mamãe, creio na sua palavra. Sei que se lhe pedir um pedaço de pão a Sra. me dará”. Se dissesse tais coisas assustaria a mãe. Ela se indagaria quanto ao que teria acontecido com sua criança. Temos erigido ao redor da fé uma estranha palavrologia, como um obstáculo feito de arame farpado. Você ouve homens e mulheres clamarem “Senhor, eu creio! Ajuda a minha falta de fé!” Você os ouve orar pedindo fé. Você ouve os homens dizerem a Deus que sabem que o que Ele diz é verdade, que toda Palavra que Ele falou é verdadeira. Tudo isso indica o domínio do Conhecimento pelos Sentidos sobre seus espíritos, que a Palavra não conseguiu ainda a supremacia em Suas vidas. A fé é o resultado da Palavra habitar em nós. Não quero dizer a Palavra memorizada. Quero dizer a Palavra vivida, praticada, até que se torne uma parte de nós mesmos. Meditamos nela. Pensamos profundamente nela. Nos alimentamos dela. A Palavra se torna parte absoluta de nós mesmos; esta palavra de Fé desenvolve em nós a confiança e a certeza. O Conhecimento pelos Sentidos lutará a cada passo do caminho para nos prender na esfera das coisas vistas, sentidas e ouvidas, mas nós persistentemente adentramos na Palavra até que ela seja parte de nosso ser. A Palavra é real.
  • 10. Capítulo III TIPOS DE FÉ Realizei uma palestra sobre a Nova Criação na qual declarei, sem oferecer nenhuma prova nas Escrituras, que os discípulos não foram Nascidos de Novo até o dia de Pentecostes, que a salvação veio como resultado da fé em Jesus como nosso Substituto. Depois da reunião, um homem me disse, “E Marta, ela não era salva? Ela cria em Jesus. E a declaração feita por Pedro não foi uma declaração que lhe trouxe a salvação?” Que tipo de fé os homens tinham em Jesus antes de Sua Morte e Ressurreição? João 20:9, “Pois ainda não tinham compreendido a Escritura, que era necessário Ele ressuscitar dentre os mortos‟. Esta é uma parte da história dramática ligada à Ressurreição do Senhor Jesus. Sabemos que a salvação é dependente de nossa fé em Jesus como Substituto, de que Ele morreu pelos nossos pecados e de que Ele ressuscitou para nossa Justificação. A fé de Marta em Jesus é descrita em João 11:27. “Sim, Senhor, respondeu ela, eu tenho crido que tu és o Cristo, o Filho de Deus que devia vir ao mundo”. Ela não tinha fé em Jesus como Aquele que tinha morrido e ressurgido como seu Substituto e Salvador pessoal. Ela tinha fé nEle como Filho de Deus, como Messias prometido. Pedro fez outra confissão sobre Jesus que é registrada em Mateus 16:16. Simão Pedro respondeu e disse, “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Essa não foi uma confissão de que Cristo havia morrido por seus pecados e ressuscitado para sua Justificação, mas simplesmente uma confissão dEle ser o Messias e o Filho de Deus. Há ainda outro tipo de confissão nos Quatro Evangelhos que é surpreendente. João 6:30, “Então, lhe disseram eles: Que sinal fazes para que o vejamos e creiamos em ti? Quais são os teus feitos?” Note a expressão “para que o vejamos e creiamos”. Talvez devamos nos voltar para João 20:25 e ler a declaração de Tomé. Jesus havia aparecido aos discípulos depois de Sua Ressurreição. Tomé não estava presente. Eles lhe contaram o que havia acontecido.
  • 11. Ele disse, “Se eu não vir nas suas mãos o sinal dos cravos, e ali não puser o dedo, e não puser a mão no seu lado, de modo algum acreditarei”. Ele desejava crer se pudesse ter a evidência. Jesus o satisfez quanto a isso. Nos versículos 27-29 diz, “Põe aqui o dedo e vê as minhas mãos; chega também a mão e põe-na no meu lado; não sejas incrédulo, mas crente. Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu! Disse- lhe Jesus: Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram e creram”. Eis aqui dois tipos de fé em contraste. Uma é a Fé do Conhecimento pelos Sentidos, que está baseada em evidências físicas. Vemos e cremos. Ouvimos e cremos. Jesus fala de outro tipo de fé na qual não se vê, não se sente, ou não se ouve, contudo se crê. A fé que os homens tinham em Jesus durante Sua caminhada terrena era a Fé do Conhecimento pelos Sentidos. Esta é uma das mais surpreendentes descobertas feitas nesta caminhada de fé. Ela esclarece muitas questões. O grande corpo da igreja tem a Fé do Conhecimento pelos Sentidos, em vez da fé na Revelação que Deus nos deu. Durante a caminhada terrena de Cristo os judeus estavam sob a Primeira Aliança. Eles estavam debaixo do sangue de novilhos e bodes. Eles não tinham a Vida Eterna até que Cristo morresse e ressuscitasse, pois nenhum deles cria em Cristo como Salvador. Eles não criam em Sua obra Substitutiva. Não sabiam nada sobre isso. Lucas 24:10-53 fornece uma ilustração nítida da condição dos discípulos depois da Ressurreição do Senhor Jesus. Ele havia aparecido para Maria e para outros. Eles correram para o lugar onde os discípulos estavam reunidos. “Eram Maria Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago; também as demais que estavam com elas confirmaram estas coisas aos apóstolos. Tais palavras lhes pareciam um como delírio, e não acreditaram nelas”. Não havia nenhuma fé salvadora da parte dos discípulos nesse tempo. Eles não O saudaram como seu Salvador. Eles estavam mistificados, confusos pela Sua aparição.
  • 12. Eles O reconheceram, pois viram a evidência da crucificação em Seu corpo. Eles sabiam que era Ele. Os discípulos tinham fé em Jesus como Messias, como Filho de Deus, mas não como Substituto, não como Salvador do pecado. Eles O viam como seu libertador de Roma. O conhecimento da obra substitutiva de Cristo não chegou claramente até eles até que Deus tivesse revelado isto a Paulo. Obtemos esse conhecimento na Sua Revelação a Paulo nas Epístolas. A Fé como Vista no Livro de Atos Vamos agora dar uma olhada na fé dos discípulos como registrado nos primeiros quinze capítulos do livro de Atos, antes da Revelação Paulina se tornar conhecida. Em Atos 1, os discípulos se encontraram com o Mestre. Eles O tocaram. Eles comeram com Ele. Eles ouviram a Sua voz. Sua fé nEle estava baseada na Evidência dos Sentidos. Este não é o tipo de fé que você tem. Você nunca viu Jesus fisicamente. Nunca ouviu Sua voz. Nunca tocou Seu corpo, contudo você crê que Ele ressuscitou dentre os mortos. Eles conviviam com Ele antes de Sua morte. Eles conviveram com Ele novamente por quarenta dias depois de Sua Ressurreição. Leia cuidadosamente Atos 2:1-4. “Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem”. Eles ouviram o som como de um forte vento impetuoso. Eles viram línguas como que de fogo repartidas sobre a fronte de cada um deles. Eles os ouviram falar em línguas e glorificar a Deus. Não havia nenhuma fé vinda por meio da Revelação. Era uma Fé vinda puramente do Conhecimento pelos Sentidos. Eles creram nas línguas porque as ouviram. Eles creram que o Espírito havia chegado porque tinham visto as evidências.
  • 13. Os poderosos milagres que se seguiram, registrados em Atos 5, concederam às multidões uma grande fé na Ressurreição do Senhor Jesus. Não é esse o tipo de fé que você tem hoje, porque não tem as evidências físicas que eles tinham em Jerusalém. 1 João 1:1-4, “O que era desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com os nossos próprios olhos, o que contemplamos, e as nossas mãos apalparam, com respeito ao Verbo da vida (e a vida se manifestou, e nós a temos visto, e dela damos testemunho, e vo-la anunciamos, a vida eterna, a qual estava com o Pai e nos foi manifestada), o que temos visto e ouvido anunciamos também a vós outros, para que vós, igualmente, mantenhais comunhão conosco. Ora, a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho, Jesus Cristo”. Pedro e os demais viram Jesus com seus próprios olhos depois da Ressurreição, e com suas próprias mãos O apalparam. Jesus lhes dera o direito de usar Seu Nome e de impor as mãos sobre os enfermos. Eles manifestavam esta autoridade. Em Atos 3:6, Pedro e João usaram o Nome para curar um homem inválido na Porta Formosa do templo. As multidões podiam ver o homem que eles antes haviam conhecido como um aleijado impotente, agora curado diante de seus olhos. O Sinédrio não podia dizer nada quando os prendeu. Atos 4:14, “Vendo com eles o homem que fora curado, nada tinham que dizer em contrário”. Isso fechou suas bocas. Quando eles perguntaram no dia de Pentecostes, “Que faremos para sermos salvos?”, Pedro não disse que deveriam crer no Senhor Jesus Cristo. Ele simplesmente disse, “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em Nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados”. A Revelação sobre a fé não tinha chegado ainda. Deus estava tratando com eles como crianças. Ele não lhes pediu para crer em algo que não podiam ver, ouvir ou sentir. É interessante notar que muitas vezes os crentes nos dizem, “Queremos um tipo de cristianismo primitivo tal como a igreja tinha nos primeiros poucos anos de sua existência”. Eles não sabiam que tentando obter esse tipo de cristianismo, estavam repudiando a fé real, e a Palavra.
  • 14. Eles declaram que ninguém jamais recebeu o Espírito Santo a não ser que tenha recebido uma manifestação física. Eles não crêem que Deus está no meio do povo a não ser que haja uma evidência dos Sentidos. Isso não é fé na Palavra de Deus. Isso é fé nos Sentidos. Eu o “vi”, o “ouvi”, o “senti”. Portanto creio que o tenho. Gálatas 3:2-3, “Quero apenas saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé? Sois assim insensatos que, tendo começado no Espírito, estejais, agora, vos aperfeiçoando na carne (ou nos Sentidos)?” Você pode ver que Deus tratou com grande graça conosco como crianças, quando em razão do tempo deveríamos ter crescido e aprendido a andar pela fé e não por vista. Se você estudar cuidadosamente os primeiros quinze capítulos do livro de Atos, notará que não há a menor evidência de que alguém dentre eles tenha entendido o ensino da Substituição. Não há nenhum indício do grande ensino sobre a Justiça. Não há nenhuma indicação de que eles entendessem o que o Novo Nascimento significava. Eles desfrutavam dele, andavam na sua plenitude, mas não o entendiam. Isso viria mais tarde através da Revelação que o Pai daria ao Apóstolo Paulo. Naturalmente nós esperaríamos que no livro de Atos houvesse uma introdução aos grandes assuntos: Redenção, Substituição, Nova Criação, o ministério de Jesus à destra do Pai, mas não há nenhuma alusão a isso. O mais próximo de alguma coisa como isso nos livros se encontra em Atos 15:10-11, quando do Concílio de Jerusalém. Nele Paulo colocava diante dos apóstolos a mensagem que havia pregado. Então Pedro falou, “Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais puderam suportar, nem nós? Mas cremos que fomos salvos pela graça do Senhor Jesus, como também aqueles o foram”. Ele se referia a guardar a lei sob a Primeira Aliança. A última afirmação se refere aos crentes gentílicos. Antes de começar a estudar a fé vinda pela Revelação, devemos notar os diferentes tipos de fé que os homens têm em Jesus hoje em dia.
  • 15. A Ciência Cristã, a Unidade, e os outros mestres Metafísicos e Filosóficos de hoje não crêem que Deus é uma pessoa. Eles lhe dirão que Ele é uma mente perfeita, mas que não tem localização. É apenas uma grande mente universal que reside em cada indivíduo. Ele não tem um quartel-general. É uma mente sem cérebro, sem personalidade. Eles não crêem que Jesus morreu por nossos pecados, mas que Ele morreu como um mártir. Eles não crêem que Ele teve uma Ressurreição literal, uma Ressurreição física, mas como alguém propôs, “uma ressurreição metafísica” (o que quer que isso signifique). Se Deus não é uma pessoa e Jesus não aniquilou o pecado, então quem é Jesus e qual é o valor de nossa fé nEle? Um deles O chama de “Aquele que mostra o caminho”. Mas Ele não é tal coisa. ELE É O CAMINHO! A fé deles em Jesus e em Deus é afinal uma fé neles mesmos e no que eles inerentemente têm dentro de si mesmos. Ela causou mudanças poderosas neles, mas nunca produziu uma Nova Criação, nem os trouxe a uma comunhão real com Deus Pai, nem produziu neles a Justiça. Qual é a fé que os modernistas têm hoje? Não é a fé em Jesus como Substituto, pois eles não crêem no Sacrifício Substitutivo de Cristo. Não é fé em Deus Pai como revelado a nós por Jesus. É a fé no conceito que o homem tem de Jesus. Não produz uma Nova Criação. Não salva os perdidos. O homem tem fé na ciência e proclama em voz alta a ciência como o deus moderno do ser humano. Mas a ciência não é nada senão um fragmento do conhecimento que o homem reuniu dentre o grande corpo de verdades ocultas no universo. Ele obteve este conhecimento através dos Cinco Sentidos. Estes Cinco Sentidos têm sido incapazes de encontrar a razão para a Criação ou a sua causa. Eles não descobriram a origem da Vida ou do Movimento, ou a Autoridade ou Poder que mantém o universo coeso.
  • 16. Eles não conhecem a Razão para o homem, nem o fim do homem. Assim como o Conhecimento pelos Sentidos é limitado, a Fé do Conhecimento pelos Sentidos é limitada.
  • 17. Capítulo IV AS FASES DIFERENTES DA FÉ A igreja nunca ofereceu um tratamento justo para a fé, contudo essa fé gerou todas as grandes realizações humanas. Woolworth tinha fé em itens que custavam de cinco e de dez centavos de dólar e deixou após si uma fortuna de 60 milhões de dólares, com lojas em toda a parte. Ford teve fé num automóvel de baixo custo, que toda pessoa pudesse ter condições de comprar. A fé é o maior elemento na civilização avançada. Assim como a fé humana gera tais realizações na esfera natural, a fé do crente no Pai e em Sua Palavra gera realizações espirituais. O pregador que tem fé na mensagem que está trazendo, descobre que a Palavra produz resultados de fé nos corações dos homens que o ouvem. Ele tem fé na Palavra, de que Deus está nela e por trás dela. Ele tem fé na humanidade, de que ela responderá à mensagem que ele está trazendo. Ele tem fé no Amor, no tipo de Amor de Jesus. Ele crê que ele é a solução para todo problema humano, e a família que pratica o amor produz o mais alto tipo de caráter cristão. Foi um grande dia na minha própria vida em que descobri que Deus é um Deus de Fé. Eu sabia que Ele era um Deus de Amor. Sabia que ele era um Deus Justo, um Deus Onipotente, um Deus Onisciente; quando descobri que Ele era primariamente um Deus de Fé, vi que como filhos Seus, era natural para nós andar pela fé. A Fé Criativa Hebreus 11:3 diz, “Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem”. Esta era uma nova criação, não uma criação remendada, feita de mundos desgastados. Descobri que ela era governada por Palavras. Hebreus 1:3, “Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do Seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do Seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas”.
  • 18. Há uma palavra notável que é usada repetidamente no primeiro capítulo de Gênesis. Ela é: “haja”. Palavras cheias de fé trouxeram o universo à existência, e palavras cheias de fé estão governando o universo hoje. Jesus nos forneceu algumas ilustrações da fé criativa. Mateus 15:30-31 registra que os aleijados estavam sendo curados. “E vieram a ele muitas multidões trazendo consigo coxos, aleijados, cegos, mudos e outros muitos e os largaram junto aos pés de Jesus; e ele os curou. De modo que o povo se maravilhou ao ver que os mudos falavam, os aleijados recobravam saúde, os coxos andavam e os cegos viam. Então, glorificavam ao Deus de Israel”. Soube de várias mulheres que tiveram órgãos restaurados os quais haviam sido removidos através de operações pelos cirurgiões. A fé criativa é igualmente tão real hoje como era quando Jesus andou na Galiléia. A Fé Dominante Esta é a fé que domina sobre as circunstâncias. Em Hebreus 1:3 vemos uma descrição de Jesus: “Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do Seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do Seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas” Aqui Ele não é somente um criador, mas Ele também domina sobre o que criou. Ele governa o universo pela Palavra de Seu poder. Eis uma descrição dEle dominando as forças da natureza: Mateus 8:26, “E, levantando-se, repreendeu os ventos e o mar; e fez-se grande bonança”. Jesus governava sobre o vento e o mar. Como Sua autoridade surpreendia aqueles que observavam isso! Eles diziam, “Quem é este que até os ventos e o mar lhe obedecem?” Em Lucas 5:1-11 vemo-lO governando sobre os peixes do mar. Ele tinha usado o barco de Pedro por um momento como púlpito. Em seguida, Ele fez pagamento pelo seu uso. Ele disse, “Pedro, você apanhou alguma coisa a noite passada?” Pedro respondeu, “Não, Mestre”.
  • 19. Jesus disse, “Faça-se ao largo, e lance as suas redes para pescar”. Pedro disse: “Sei, Mestre, que não há peixes aqui, mas segundo Sua palavra lançarei as redes”. As redes ficaram cheias instantaneamente. Esta é a fé dominante. Marcos 1:32-34, “À tarde, ao cair do sol, trouxeram a Jesus todos os enfermos e endemoninhados. Toda a cidade estava reunida à porta. E ele curou muitos doentes de toda sorte de enfermidades; também expeliu muitos demônios, não lhes permitindo que falassem, porque sabiam quem Ele era”. Jesus governava sobre os demônios e eles reconheciam Seu domínio sobre eles. Em João 11:39-44, na ressurreição de Lázaro, Ele foi um Dominador sobre a morte. Ele disse, “Tirai a pedra”. Depois Ele ordenou que Lázaro viesse para fora. Jesus tinha uma fé dominante. Ele governava sobre as forças demoníacas. Ele governava sobre as obras do diabo. Ele era um Dominador. Ele ordenou que uma árvore morresse e ela morreu desde a raiz. Ele era Monarca absoluto sobre as leis que governam o Universo. A Fé Religiosa Poucos dentre nós percebem que poderosa força a fé religiosa constitui hoje. Os homens têm fé nos Credos, nas Organizações, na sua Igreja, na Medicina, nos Médicos, na Ciência Médica e na Ciência Cirúrgica, nas boas obras, nos atos generosos, na doação de dinheiro, no arrependimento e na penitência. É impressionante a fé que a pessoa comum tem em algo que ela ou outra pessoa pode fazer. A Fé nas Experiências Talvez o mais ilusório dentre todos os diferentes tipos de fé seja a fé nas Experiências. Os homens falam do que têm sentido, do que têm ouvido ou visto. Alguém me disse recentemente, “Não fui curado. Não fui capaz de demonstrar a minha fé”. Tais pessoas têm a Fé do Conhecimento pelos Sentidos. Elas precisam ter a evidência física ou elas não crêem.
  • 20. Nenhuma desilusão que tenha se apoderado da igreja moderna é mais letal do que esta. Alguns não crêem que receberam o Espírito Santo até que tenham tido uma manifestação física. Não crêem que estão curados até que a dor tenha deixado seus corpos. Não crêem que Deus ouviu sua oração até que possam ver alguma evidência física disso. Temos visto neste tipo de fé que o Conhecimento pelos Sentidos ou a Evidência dos Sentidos ocupam o lugar que a Palavra de Deus deve ocupar. Na Fé pela Revelação a Palavra ocupa o primeiro lugar. Ela não é dependente da evidência física. A Fé pela Revelação crê que nenhuma Palavra de Deus é desprovida de poder e descansa em serena confiança no que Deus declarou. Ela aceita a Palavra como final sem qualquer outra evidência. Se a Palavra o declara, isso é suficiente. A pessoa doente lê, “Certamente, ele tomou sobre si as minhas enfermidades e as minhas dores levou sobre si”, e ele clama, “Obrigado, Pai, porque estou curado”. Esta é a Fé da Nova Aliança ou Fé pela Revelação.
  • 21. Capítulo V A FÉ PELA REVELAÇÃO Há três importantes escrituras no Antigo Testamento sobre as quais a Revelação Paulina se baseia. A primeira é Gênesis 15:6, “Abraão creu no Senhor, e isso lhe foi imputado para justiça”. Isto quer dizer que ele firmou um “compromisso irrestrito” com Jeová e Ele lhe imputou isso para justiça. Este “compromisso irrestrito” é idêntico ao pensamento de Romanos 10:9-11, “Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus O ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação. Porquanto a Escritura diz: Todo aquele que nele crê não será confundido”. A Fé pela Revelação como dada por Paulo exige uma confissão com nossos lábios do Senhorio de Jesus. Isto significa um “compromisso irrestrito” para com a Palavra, porque a Palavra assume o lugar do Cristo ausente. A segunda passagem da escritura, Isaías 28:16 (ARC), “Eis que eu assentei em Sião uma pedra, uma pedra já provada, pedra preciosa de esquina, que está bem firme e fundada; aquele que crer não se apresse”. Há duas outras traduções: “Aquele que crer nEle não perambula distraidamente procurando outro fundamento”, ou, “Aquele que crê nEle não será envergonhado”. Diz que quem faz isso não será envergonhado. Não importam as circunstâncias, aparências, ou evidências dos sentidos, ele repousa seu caso completamente na Palavra. A terceira passagem é Habacuque 2:4, “O meu justo viverá pela fé”. Ela conduz a um passo à frente. “O meu justo” foi tornado justo por meio de uma Nova Criação. Ele deve andar, não por vista ou por sentimento, ele deve andar pela fé. Em outras palavras, ele deve andar pela Palavra. 2 Coríntios 5:7(ARC), “Porque andamos por fé e não por vista”. Hebreus 10:38, “O meu justo viverá pela fé; e: Se retroceder, nele não se compraz a minha alma”. Você nota em cada uma dessas passagens um desafio à sua confiança. Você é o Seu Justo. Você deve viver por fé.
  • 22. Não deve recuar para as evidências dos Sentidos e para o Conhecimento pelos Sentidos, mas deve prosseguir com Ele à luz da Palavra. Você fará como Abraão fez. Você está olhando para a Palavra e se torna forte através da fé, dando glória a Deus, pois reconhece que Deus é capaz de confirmar em você tudo o que Ele prometeu em Sua Palavra. Você pode ver como estas grandes passagens das Escrituras se tornam o fundamento da Revelação da Justiça pela fé na Palavra, como encontrado nas Epístolas Paulinas. Você descobrirá que no começo de seu grande argumento no livro de Romanos, Paulo usa a fé de Abraão como um tipo. Romanos 4:3-5, “Pois que diz a Escritura? Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça. Ora, ao que trabalha, o salário não é considerado como favor, e sim como dívida. Mas, ao que não trabalha, porém crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é atribuída como justiça”. Justiça significa a capacidade de ficar na presença de Deus sem senso de pecado, culpa ou inferioridade. Você notará, depois que Deus atribuiu a Justiça a Abraão, que ele fez sua grande intercessão pela salvação de Sodoma e Gomorra. Leia cuidadosamente Gênesis 18 e observe a ousada fé de Abraão. Ele não era Justo da maneira como nós somos Justos. Sua Justiça era meramente atribuída a Ele. Ela foi colocada na Sua conta. Ela lhe deu crédito com Deus. A passagem que acabamos de ler de Romanos 4 nos diz que a Justiça não é atribuída com base nas obras. Esta Justiça é concedida com base na fé. Ninguém pode fazer obras para consegui-la. Ela é aceita como um dom. Efésios 2:8-9, “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie”. A Salvação, a Redenção, a Vida Eterna, a Nova Criação, a presença residente do Espírito, o direito legal de usar o Nome de Jesus e todos nossos privilégios como filhos e filhas de Deus, estão baseados sobre a graça através da fé. Ninguém a consegue pelas obras. Ninguém detém uma posição melhor do que algum outro. Toda pessoa tem a mesma Justiça, os mesmos privilégios, a mesma posição, pois é tudo pela graça.
  • 23. A fé de Abraão descrita em Romanos é relatada em Romanos 4:18-21, “Abraão, esperando contra a esperança, creu, para vir a ser pai de muitas nações”. Esta é uma afirmação surpreendente. A fé lutou com a esperança, e a fé venceu. A Esperança é sempre futura. A Fé é sempre agora. A esperança teria privado Abraão de um filho, mas a fé lutou com a esperança, venceu-a e ele recebeu Isaque como recompensa. O versículo 19 diz, “Abraão, esperando contra a esperança, creu, para vir a ser pai de muitas nações, segundo lhe fora dito: Assim será a tua descendência. E, sem enfraquecer na fé, embora levasse em conta o seu próprio corpo amortecido, sendo já de cem anos, e a idade avançada de Sara, não duvidou, por incredulidade, da promessa de Deus; mas, pela fé, se fortaleceu, dando glória a Deus, estando plenamente convicto de que ele era poderoso para cumprir o que prometera”. Esta é uma ilustração muito bonita da fé. Abraão não tinha nada para se basear senão na Palavra de um anjo. Contudo ele creu nessa Palavra; ele olhou para seu próprio corpo e disse para si mesmo, “Estou com noventa e nove anos. Passei da idade em que poderia ser pai de uma criança”. Ele pensou em Sara que tinha noventa anos de idade. Ele sabia que ela era velha demais para dar a luz a uma criança. No entanto, se desviando da evidência dos Sentidos, ele olhou para a Palavra que Deus havia falado através do anjo e se fortaleceu através da fé, dando glória a Deus. Pois sabia sem dúvida ou medo que “Deus é capaz de confirmar o que prometeu”. Esta não é a Fé do Conhecimento pelos Sentidos. Esta é a Fé pela Revelação. Este é o tipo de fé que Paulo nos deu em sua Revelação. Note o versículo vinte e dois, “Pelo que isso lhe foi também imputado para Justiça. Ele não tinha a Justiça que temos. Ele tinha a Justiça colocada a seu crédito. Romanos 4:23-25, “E não somente por causa dele está escrito que lhe foi levado em conta, mas também por nossa causa, posto que a nós igualmente nos será imputado, a saber, a nós que cremos naquele que ressuscitou dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor, o qual foi entregue por causa das nossas transgressões e ressuscitou porque estamos justificados perante Deus”. (grifado Trad. Lit.).
  • 24. A Revelação Paulina mostra que Deus realizou uma Redenção perfeita em Cristo. Colossenses 1: 13-14, “Ele nos libertou do império (autoridade) das trevas e nos transportou para o reino do Filho do Seu amor, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados”. Efésios 1:7, “No qual temos a redenção, pelo Seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da Sua graça”. Romanos 3:26, “Tendo em vista a manifestação da Sua justiça no tempo presente, para Ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus”. Esta Redenção era uma redenção do domínio de Satanás. Era uma redenção da culpa e da penalidade do pecado. Era uma Redenção de nosso corpo físico do domínio da doença. Era uma Revelação da Nova Criação realizada em Cristo Jesus. Isso se torna uma realidade quando aceitamos Cristo como nosso Salvador e o confessamos como nosso Senhor. Deus deu ao homem natural Sua vida e natureza. 2 Coríntios 5:17-18, “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas. Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo”. Efésios 4:23-24, “E vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade”. Esta Revelação de uma Nova Criação consiste no fato mais surpreendente da graça de Deus. Deus pode tomar um homem governado por Satanás, alguém que é chamado de “pecado” (porque ele está identificado com Satanás, e é um filho dele), e Ele pode redimi-lo, tirá-lo desta condição e transmitir-lhe Sua própria natureza, tornando-o Seu próprio filho. 1 João 5:12-13 nos conta o que ele recebeu: “Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida. Estas coisas vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus”. João 6:47, “Quem crê em mim tem a Vida Eterna”. Um crente é um possuidor. Não há fé sem possessão. Se creio que Deus colocou meus pecados sobre Jesus e que Jesus foi meu Substituto, que Ele morreu em meu lugar, que Ele ressuscitou porque havia
  • 25. aniquilado meu pecado e obtido a Justificação para mim, no momento em que creio eu recebo a Vida Eterna e me torno um filho de Deus. Crer é ter. Em seguida Ele nos dá a Justiça. É uma Revelação da Justiça de Deus que fica disponível ao homem que tem fé em Jesus, (Romanos 3:21-26). Deus se torna a Justiça do homem que recebe Cristo como seu Salvador e O coroa como Senhor de sua vida. 2 Coríntios 5:21, “Aquele que não conheceu pecado, Ele o fez pecado por nós; para que, nEle, fôssemos feitos justiça de Deus”. Ele não somente se torna a nossa Justiça, mas também pela comunicação de Sua natureza nos tornamos Sua Justiça, Seus filhos e filhas. Hebreus 10:38, “O meu Justo viverá pela fé”. Somos chamados Seus justos. Não somente somos a Justiça de Deus, mas nos tornamos filhos e filhas de Deus. O apogeu da Revelação que Deus deu a Paulo, registrada em Romanos 8:14- 17 afirma isso claramente: “Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para viverdes, outra vez, atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai. O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo”. Esta é a filiação com todos os seus privilégios gloriosos. Paulo não para aí. Estes filhos e filhas são participantes não somente da natureza de Deus, mas do próprio Deus na pessoa do Espírito Santo. Romanos 8:11, “Se habita em vós o Espírito dAquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, Esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do Seu Espírito, que em vós habita”. 1 Coríntios 6:19, “Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós?” Isso tudo vem ao crente pela fé. Não é necessária nenhuma fé do Conhecimento pelos Sentidos. Você não precisa ter nenhum sentimento para provar que Nasceu de Novo.
  • 26. Tudo o que é necessário é a Palavra de Deus. Romanos 10:9 declara: “Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo”. Você não precisa da evidência do Conhecimento pelos Sentidos para provar que recebeu o Espírito Santo. Lucas 11:13, “Quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” Sua confiança não está em nenhuma manifestação ou evidência física. Está sempre na simples Palavra de Deus. Lucas 1:37, “Nenhuma Palavra de Deus está desprovida de poder” (ou da capacidade de se cumprir). Estas poderosas Escrituras fornecem uma base para a Fé. Temos confiança quando sabemos o que somos em Cristo. A incredulidade é em grande medida o resultado da ignorância do que somos em Cristo. Quando vi o que Deus havia feito por mim em Cristo, todo meu ser ficou emocionado, a fé se tornou um fato inconsciente, ela era minha. Ele fez isso por mim, e eu disse, “Obrigado, Pai”, e então comecei a desfrutar de meus direitos em Cristo.
  • 27. Capítulo VI ALGUNS INIMIGOS DA FÉ Este livro não estaria completo a não ser que lhe revelássemos alguns dos belos inimigos da fé. O primeiro deles é a “Esperança”. Esperança A Esperança está sempre no futuro. “Espero ser curado”. “Espero ter dinheiro para pagar as minhas contas”. “Espero ter forças para fazer meu trabalho”. Ela é inimiga da fé. Fica no caminho da fé. Se eu lhe digo, “Você crê que será curado quando eu orar por você?” e você responde, “Espero que sim”, isso significa que você não será curado. Não há nenhuma cura na esperança. No que se refere à fé, a esperança é uma ilusão. A fé está sempre no tempo presente. Portanto, porque a Esperança está sempre no futuro, ela é um empecilho para a Fé. Temos esperança quanto ao Céu. Mas quando alcançarmos o Céu não teremos mais esperança. Assentimento Mental O Assentimento Mental é outro inimigo, um inimigo astuto e perigoso. O Assentimento Mental reivindica que toda a Bíblia é verdadeira. Os que praticam o Assentimento Mental dizem que crêem em toda palavra dela, mas não agem sobre ela. Eles simplesmente assentem ao fato de que ela é verdadeira. Fui chamado a orar por uma mulher com câncer. Tanto ela como seu marido foram professores destacados da Bíblia por anos. Enquanto me sentava à beira da cama e lhe abria a Palavra, ela permanecia dizendo, “Sempre cri nisso. Conheço essa passagem da escritura desde criança”. Fui embora daquela casa frustrado, derrotado. Não podia entender onde estava a dificuldade.
  • 28. Quando cheguei em casa, andei de lá para cá na minha sala dizendo, “Senhor, por que ela não é curada? Ela é uma boa mulher. Ela diz que crê na tua Palavra e tem sido uma professora da mesma por muitos anos”. Então o Espírito me fez ver que ela somente assentia mentalmente à Palavra. Ela não cria nela! Crer é agir sobre a Palavra. Ela nunca havia agido sobre a Palavra para sua cura. Alguns dias depois voltei àquela casa novamente. Desta vez eu entendia o seu caso. Quando comecei a abrir a Palavra ela disse, “Tenho crido nisso toda a minha vida”. Eu lhe disse, “Não, você nunca creu nela, pois se tivesse estaria fora da cama fazendo seu trabalho. Você somente assente mentalmente a ela”. Você vai descobrir que em muitos casos onde homens e mulheres têm assentimento mental em vez de fé, seu credo ou dogma ocupou o lugar da realidade da Palavra. Fé do Conhecimento pelos Sentidos A fé do Conhecimento pelos Sentidos requer a evidência dos Sentidos. Este é o tipo de fé que Tomé teve quando disse, (João 20:24-29), “Se eu não vir nas suas mãos o sinal dos cravos, e ali não puser o dedo, e não puser a mão no Seu lado, de modo algum acreditarei”. Então Jesus de repente lhe apareceu e disse, “Põe aqui o dedo e vê as Minhas mãos; chega também a mão e põe-na no Meu lado; não sejas incrédulo, mas crente. Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu! Disse-lhe Jesus: Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram e creram”. Aqui vemos estes dois tipos de fé em contraste. Há uma fé da Bíblia e uma fé do Conhecimento pelos Sentidos. A fé que Maria e Marta e os outros tinham em Jesus durante Sua caminhada terrena era a fé do Conhecimento pelos Sentidos. Eles criam em Jesus porque viram os milagres que Ele realizava. Os judeus disseram, “Que sinal fazes para que o vejamos e creiamos em ti?” Esta fé do Conhecimento pelos Sentidos quase expulsou das igrejas a fé real. Este tipo de fé não dá à Palavra seu lugar de direito. Os homens carregam a Palavra para a Igreja, mas não confiam nela. Eles confiam em seus sentimentos, em suas emoções, no que podem ver e ouvir, ou provar ou cheirar. A fé real é agir sobre a Palavra independentemente de qualquer evidência dos Sentidos.
  • 29. Há dois tipos de incredulidade. O primeiro é baseado na falta de conhecimento. O homem não crê na Palavra porque não sabe nada a seu respeito. Assim, ele não crê na Revelação do Pai para ele. Um grande número de incrédulos é ignorante quanto às coisas em que deve crer. Eles não sabem, portanto não podem crer. O segundo tipo de incredulidade é mencionado em Hebreus 4:11. É a “incapacidade de ficar persuadido”. “Esforcemo-nos, pois, por entrar naquele descanso, a fim de que ninguém caia, segundo o mesmo exemplo de desobediência”. (A palavra grega, correspondente aqui na versão ARA à desobediência, é traduzida como “incredulidade” na versão do Rei Tiago (KJV), e significa “incapacidade de ficar persuadido”) Isto significa que o homem não quer que a Palavra o governe. É uma recusa em agir sobre o conhecimento. Ele sabe o que a Palavra ensina, mas se recusa a agir sobre ela. Crer é um ato da vontade. Ele pode agir sobre a Palavra se quiser. “Crer” é “desejar” fazer Sua vontade. A desobediência é uma atitude impersuasível para com a Palavra. Assim, incredulidade ou é ignorância da Palavra ou é incapacidade de ficar persuadido a agir sobre ela.
  • 30. Capítulo VII A FÉ NA SUA FÉ A Fé na sua própria fé é a lei para o sucesso no domínio do espírito. Você vive na Palavra e a Palavra vive em você. A Palavra é uma coisa viva. Quando você a libera em você, está deixando Deus ser liberado em você. Quando você ousa agir sobre a Palavra e fala a Palavra, Deus estará nas palavras que você fala. À medida que a Palavra predomina, haverá uma fé inconsciente na sua própria habilidade de confiar nEle. Você confiará nEle completamente, irá até o limite da Sua Palavra. É uma coisa boa que o homem se entregue à Palavra, se mova livremente e deixe Deus ser liberado em si, até que a passagem “Maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo”, se torne uma realidade emocionante. 1 Coríntios 2:12 nos conta que recebemos o Espírito para que possamos saber as coisas que nos foram dadas livremente por Deus. “Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente”. Conheça seu lugar, seus direitos, seus privilégios e sua autoridade. Então não haverá nenhum problema concernente à fé. A Fé será um problema somente quando não conhecemos o Senhor e não conhecemos a Palavra. Dê lugar ao Deus que está dentro de você. Conte com o Deus que está dentro de você. De manhã, antes de levantar, diga, “Posso fazer isso porque Ele está dentro de mim. Ele me capacitará a me encontrar com essas pessoas. Ele me capacitará a falar a Palavra. Ele me capacitará a andar em amor porque maior é o amor dentro de mim do que a inveja e o ódio ao meu redor”. Apenas conte com o Deus que está dentro de você. Planeje seu trabalho com a consciência da Sua capacidade em você para levá- lo a cabo. Ele se tornou uma realidade viva. Ele está ali agora.
  • 31. Ele espera que você faça seus pedidos a Ele. Ele Se revela conforme a sua necessidade exige. Você está esperando que Ele o guie a toda a verdade ou realidade. Sempre que você se dedica à Palavra por alguns minutos, você sabe que a luz dentro de você abrirá a Palavra e a tornará uma coisa viva. Você sabe que João 16:13 é completamente verdadeiro. “Quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade”. Ele tomará das coisas do Pai e as revelará a você. Você tem uma confiança inconsciente no Nome quando falado através de seus lábios. Você sabe que se disser, “No Nome de Jesus, demônio saia desse homem ou mulher”, que ele sairá. Você sabe que quando ordenar àquela doença que deixe de existir que ela deixará de existir. Você sabe quando usa o Nome de Jesus Cristo para obter o suprimento financeiro para satisfazer uma obrigação, que tão certo como o Pai se assenta em Seu trono, o dinheiro virá. Você sabe que Sua Palavra em seus lábios salvará os perdidos, curará os enfermos, dará coragem e força aos fracos e vitória para os derrotados. Certa vez a Palavra de Deus estava nos lábios de Jesus. Agora a Palavra de Deus está em seus lábios. Jesus cria na Palavra de Deus em Seus lábios. Sua confiança nessa Palavra tornava-a uma coisa viva em Seus lábios. Como a vida se torna rica e bela quando a Palavra predomina em nossos corações! Será um grande dia para você quando souber que sua Fé realiza coisas, quando você crê em sua própria capacidade de atingir o ouvido do Amor. Quando você sabe que suas orações são respondidas, que Deus o ouve, você não será mais dependente da Fé dos outros, você terá a sua própria fé. Diga repetidas vezes, “Finalmente tenho fé na minha própria fé. Posso alcançar a Deus, assim como qualquer outra pessoa”. Se um ente amado é atingido, você destemidamente assume seus direitos e o livra do inimigo, sua fé prevalece, sua fé vence. Você pode usar o Nome de Jesus como qualquer outro agora.
  • 32. Esse Nome é finalmente seu, com sua “total autoridade”, de forma que você ousa usá-lo como sendo seu mesmo. Ele lhe deu o direito de usá-lo, e você está fazendo isso. O Conhecimento não tem valor a não ser que você saiba como usá-lo. Você conhece sua posição com o Pai, conhece seus privilégios. Agora faça a sua parte. A Fé na Fé dos Outros Grande porcentagem daqueles que são curados nas reuniões de massa, onde eles têm a fé coletiva, raramente mantém sua cura. A razão é obvia. Eles não têm nenhuma fé pessoal. É apenas a fé na fé dos outros. Durante nossa última viagem a Los Angeles, um obreiro cristão que era muito usado pelo Senhor me disse, “Não posso entender porque minhas orações por meus velhos amigos não são mais ouvidas. Eles costumavam ser curados toda vez que eu orava por eles”. Eu disse, “A dificuldade está no fato de que quando em conseqüência do tempo passado essas pessoas enfermas deviam estar orando elas mesmas pelos doentes, elas precisam que alguém mais ore por elas”. Assim como o Espírito diz em Hebreus 5:12, “Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes, novamente, necessidade de alguém que vos ensine, de novo, quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim, vos tornastes como necessitados de leite e não de alimento sólido. Ora, todo aquele que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, porque é criança”. Todo aquele que se alimenta de leite, vive no âmbito dos Sentidos e depende da evidência dos Sentidos em vez da Palavra, não teve nenhuma experiência na Palavra da Justiça. Ele é ainda um bebê. O que isso quer dizer? Estas pessoas que foram curadas pela fé dos outros por anos, chegaram ao lugar em que Deus exige que tenham uma fé própria. Se elas não desejarem estudar a Palavra, desenvolver sua vida de fé, elas se voltarão para o “braço de carne” e sofrerão a penalidade que se segue naturalmente. Deus espera que cada um de nós tenha uma experiência na Palavra da Justiça. Em outras palavras, que tenhamos uma experiência própria na oração pelos enfermos, na proclamação da Palavra, em levar homens a Cristo, em revelar a Palavra.
  • 33. Isso pertence a cada crente. Colossenses 1:12, “Dando graças ao Pai, que vos fez idôneos à parte que vos cabe da herança dos santos na luz”. Ele nos libertou da autoridade das trevas. Ele recriou seu espírito. Agora Ele está pronto para renovar sua mente, para que você possa entender seus privilégios e direitos em Cristo. Isso lhe pertence. Você tem um direito a isso. Você deveria desfrutar disso em vez de ficar dependente da fé dos outros. Agora você tem uma fé própria. Que tempo seria este se aqueles que lêem este livro declarassem, “Pela graça de Deus terei a minha própria fé”. Você tem direito a ela. Ela pertence a você. Você tem o mesmo Espírito Santo que eu tenho, o mesmo Espírito Santo que Jesus tinha, e que os Apóstolos tinham. Você tem a mesma Vida Eterna, a mesma Justiça, a mesma Capacidade. O Pai não tem favoritos. Todas estas coisas pertencem a todos nós, assim não precisamos ser estéreis e improdutivos. 2 Coríntios 9:8, “Deus pode fazer-vos abundar em toda graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, ampla suficiência, superabundeis em toda boa obra”. E no versículo dez ele diz, “Ora, aquele que dá semente ao que semeia e pão para alimento também suprirá e aumentará a vossa sementeira e multiplicará os frutos da vossa justiça”. Você tem a Justiça que lhe foi transmitida na Natureza do Pai no Novo Nascimento. Essa Justiça deve estar dando fruto em sua vida diária. Você deve se aproveitar do fato de sua posição legal diante do Trono, de seus direitos em Cristo e começar a orar pelos enfermos e necessitados. Você tem a mesma posição Legal diante de Deus que Paulo tinha e tem a mesma Justiça que ele tinha, não há desculpas para esconder sua luz debaixo do alqueire. Comece a testemunhar do que você é em Cristo.
  • 34. Capítulo VIII AÇÕES CORRESPONDENTES Em Tiago 2:14, Weymouth nos fornece uma expressão impressionante, “Qual é o proveito, meus irmãos, se um homem confessa ter fé, contudo suas ações não correspondem a isso?” O versículo 18 diz, “Note que sua fé (a fé dele) estava cooperando com suas ações, e que por suas ações sua fé foi aperfeiçoada”. Um dos erros mais graves que muitos crentes cometem é confessar sua fé na Palavra, mas ao mesmo tempo contradizer sua confissão por meio de ações erradas. Uma mulher me disse, “Não posso entender porque não consegui a minha cura. Tenho orado repetidas vezes. Sei que a Bíblia é verdadeira”. Eu lhe perguntei, “A Sra. ainda está tomando remédios?” “Sim, Senhor”, ela disse. Então eu lhe li a passagem da escritura que acabei de citar. Suas ações não correspondiam à sua confissão. Ela disse que estava confiando no Senhor, contudo sua confiança estava no remédio e não na Sua Palavra. Dizemos que confiamos no Pai para nossas finanças, e ao mesmo tempo estamos nos preocupando e afligindo a respeito de como vamos pagar nossas contas. Num momento confessamos que nenhuma Palavra de Deus jamais pode se perder, que Ele precisa manter Sua Palavra para conosco, e que sabemos que Ele irá fazer isso, mas no momento seguinte estamos repudiando tudo o que temos confessado. “Tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando- vos a vós mesmos”. As ações de um “praticante da Palavra” coincidem com a sua confissão. Jesus disse em Mateus 7:24-26, “Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha”. “E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; e caiu
  • 35. a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína”. Tantos que professam Cristo e que declaram que crêem na Palavra de Gênesis a Apocalipse, e que dizem isso com muita unção, não são praticantes da Palavra. Eles são faladores a respeito da Palavra. Eles têm assentido mentalmente ao fato de que a Palavra é verdadeira. Isso não lhes adianta nada. Eles não estão se apropriando dela. Quando confio na Palavra de todo meu coração, paro de me apoiar sobre o raciocínio dos Sentidos, paro de olhar para as pessoas para conseguir libertação, aí então haverá ações correspondentes. Minhas ações estão em perfeita comunhão com minha confissão. Levou um longo tempo para alguns de nós termos ações correspondentes às nossas confissões. Enquanto não há uma ação correspondente, haverá um fracasso contínuo. Posso confessar tão alto quanto me aprouver que Deus é a força da minha vida e ao mesmo tempo falar de minha fraqueza, incapacidade, e falta de fé. Não há nenhuma ação correspondente aqui. Estou recorrendo a meios humanos em vez de confiar completamente no Senhor. Isso com certeza trará confusão ao meu espírito, fraqueza e fracasso à minha vida. Voltemo-nos resolutamente para 1 Pedro 5:7, “Lançando sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós”. Não importam as circunstâncias, não importam as influências ao nosso redor, vamos lançar todos problemas aos Seus cuidados. Seu pior inimigo é você mesmo. Ele chegou através do Conhecimento pelos Sentidos que limitariam você à sua própria capacidade. A linguagem dos Sentidos é: “Não posso, não tenho capacidade, não tenho força, não tenho a oportunidade, não tenho a educação necessária, tenho sido limitado”. A linguagem da fé diz, “Posso tudo nAquele que me fortalece”. Quem é aquele que me fortalece? É meu Deus e Pai. Posso fazer todas as coisas através dEle. Não posso ser vencido. Não posso ser derrotado.
  • 36. Não há força suficiente em todo o mundo para vencer Aquele que habita em mim. Não sou somente nascido de Deus, um participante da natureza e vida de Deus, mas tenho Deus habitando em mim, e tenho o Espírito dAquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos habitando em mim. Tenho a sabedoria de Deus, a força de Deus, a habilidade de Deus. Estou aprendendo como deixá-lO governar meu intelecto, deixando-O pensar através de mim, usar minhas faculdades vocais. Estou ousando pensar Seus pensamentos conforme Ele pensa. Estou ousando crer que é Deus quem está trabalhando dentro de mim e que Ele operará segundo Sua boa vontade. Estou ousando dizer na presença de meus velhos inimigos: fracasso, fraqueza, necessidade, falta de oportunidade, falta de conhecimento, falta de amigos fortes, e milhares de outras coisas, “Deus é a minha capacidade”. Deus me fez maior do que meus inimigos. Deus fez-me colocar meu calcanhar no pescoço da fraqueza, do medo, da incapacidade, e ficar de pé e declarar que quem crê nEle não será envergonhado. Não posso ser envergonhado. Minhas fraquezas estão aniquiladas. A força de Deus é minha. A habilidade de Deus me cativou e eu me deleito neste cativeiro. Isto é a Fé falando, uma real ação correspondente.
  • 37. Capítulo IX COM O CORAÇÃO O HOMEM CRÊ Por anos tenho procurado ansiosamente por uma explicação satisfatória para Romanos 10:10, “Porque com o coração se crê para justiça”. Você entende que a palavra “coração” é usada de forma figurada porque o coração é o centro vital do homem. É a grande bomba que mantém vivo o corpo físico. Sabemos que quando Deus fala sobre o coração, Ele se refere ao espírito humano. Sabemos que o homem é um espírito. Ele está na mesma classe que Deus. Sabemos que Deus é um espírito e que Ele se tornou um homem e assumiu o corpo de um homem, e que quando o fez, Ele não era menos Deus do que era antes de assumir o corpo físico. Sabemos que o homem na morte deixa seu corpo físico e não é menos homem do que era quando tinha seu corpo físico. Sabemos que o homem não pode conhecer a Deus através do Conhecimento pelos Sentidos. Deus só é revelado ao homem através do espírito. É o espírito do homem que entra em contato com Deus. Sabemos que as coisas espirituais são tão reais como as coisas materiais. Deus é uma pessoa tão real como se tivesse um corpo físico. Jesus, com seu corpo físico agora no Céu não é mais real do que o Espírito Santo ou o Pai. Em 1 Pedro 3:4, nosso espírito é chamado o “homem oculto do coração”. Em Romanos 7:22 ele é chamado de “homem interior”. Este “homem interior” e o “homem oculto” nos fornecem a definição de Deus para o espírito humano. O homem real é um espírito. Ele tem um corpo e uma alma. A alma entra em contato com a esfera intelectual, o corpo físico entra em contato com a esfera física, e o espírito com a esfera espiritual.
  • 38. Isso explica que “o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente”, 1 Coríntios 2:14. Os primeiros dois capítulos de 1 Coríntios nos fornecem um contraste entre o Conhecimento pelos Sentidos e o conhecimento espiritual, ou um contraste entre os sentidos e o espírito. Você entende que todo conhecimento que o homem tem fora do Conhecimento pela Revelação veio até ele através dessas cinco portas para a mente. Elas são meios de comunicação entre as coisas materiais e as intelectuais. A mente não pode receber nada a não ser que a receba através destes Cinco Sentidos (O assunto é coberto mais completamente em nosso livro, “Os Dois Tipos de Conhecimento”). Se os Cinco Sentidos fossem destruídos, o homem não teria nenhum meio de receber conhecimento. Ele não poderia conhecer a si mesmo, nem o mundo material. 2 Coríntios 4:16, “Por isso, não desanimamos; pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia”. Efésios 3:16, “Para que, segundo a riqueza da sua glória, vos conceda que sejais fortalecidos com poder, mediante o seu Espírito no homem interior”. Quando um homem Nasce de Novo, a Vida Eterna é comunicada a seu espírito, a seu homem interior. Quando o Espírito Santo vem ao seu corpo, Ele vem habitar no seu espírito. O Espírito Santo não pode se comunicar diretamente com nossas mentes, mas precisa se comunicar conosco através de nosso espírito o qual alcança e influencia nossos processos intelectuais. O espírito tem uma voz. Chamamos essa voz de consciência, ou pressentimento, ou direção. Às vezes ela é chamada de intuição. Recebemos uma intuição e se a seguirmos não cometeremos erros. Todos sabemos que se seguíssemos a voz interior, não teríamos feito alguns dos investimentos que fizemos nos quais perdemos dinheiro; que nunca teríamos escolhido certas pessoas como companheiros; que nunca teríamos entrado em parceria de negócios com certas pessoas. Essa voz interior procura dar direção para nossas mentes.
  • 39. Quase nunca cometeríamos erros se aprendêssemos a dar ouvidos ao nosso espírito. Um dos maiores erros que têm sido cometidos na nossa cultura intelectual é o de ignorar o espírito. O conhecimento de nossos intelectos assumiu o trono e nossos espíritos têm estado trancados como numa prisão. Consequentemente estamos continuamente cometendo erros porque nosso espírito que nos deveria guiar não recebe permissão para funcionar. O conhecimento é algo que adquirimos através dos Sentidos, através da leitura, através das viagens e da audição. A sabedoria é a capacidade de usar o conhecimento para tirar algum proveito. A sabedoria não vem através dos Sentidos. A sabedoria vem de nosso espírito. Tiago diz que ela vem de cima. Essa é uma sabedoria divina, a sabedoria de Deus a nós transmitida, Tiago 3:13-18. O homem que tranca seu espírito e faz dele um prisioneiro, que nunca o ouve, nunca o obedece, fica aleijado e se torna presa fácil para pessoas egoístas e astuciosas. Quem deixa o espírito prevalecer e o influenciar em tempos de crise é aquele que vai escalar até o topo. O que significa “crer com o coração”? Significa crer com o espírito. Não podemos crer com nosso intelecto. Quanto a isso não há argumentação. A fé é um produto do espírito. Esta convicção interior, esta coisa chamada certeza, é filha de nossos espíritos. Não sabemos porque sabemos; não podemos explicá-lo, contudo sabemos de fato. No outro dia estava expondo a Palavra para uma mulher que tinha uma enfermidade muito dolorida. Enquanto abria as Escrituras passo a passo, ela disse, “Percebo! Por Suas pisaduras fui curada”. Eu lhe disse, “Como a Sra. sabe que foi curada?” Ela disse, “Porque a Palavra declara que eu fui curada”. O Conhecimento pelos Sentidos disse, “A dor está ainda em seu corpo e você pode sentir a dor agora mesmo”.
  • 40. Contudo ela se ergueu acima do Conhecimento pelos Sentidos e das Evidências dos Sentidos e declarou que estava curada. Quando orei por ela, sua fé expulsou a doença. A coisa que significava a morte para ela foi embora. Por quê? Porque no seu coração ela creu na Palavra de Deus; no seu espírito ela creu nela. Como nosso espírito obtém a fé que nosso intelecto não pode conseguir? Através da Palavra. Jesus disse, “Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus”, Mateus 4:4. Ele está falando de alimento espiritual. Ele está usando termos do Conhecimento pelos Sentidos para transmitir uma verdade espiritual. Nossos espíritos ficam cheios de convicção quando meditamos na Palavra. Por muitos anos andei pela fé quanto às finanças, quanto a todas minhas necessidades físicas. Agora já cresci até o ponto de saber que a Palavra é o alimento que fortalece o espírito, torna-o forte, e lhe concede convicção e tranqüilidade. Os Sentidos crêem no que podem ouvir, ver e sentir. O espírito crê na Palavra, não importa o que se vê, se ouve ou se sente. As pessoas que recebem oração continuamente, mas não conseguem ser curadas, têm uma fé do Conhecimento pelos Sentidos. Elas não têm fé pela Revelação. Elas têm fé no homem, fé no óleo da unção, fé na oração de outrem, fé em alguma pessoa ou organização. Elas não têm fé na Palavra. Tiago 5:14 ilustra isso, “Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo, em nome do Senhor. E a oração da fé salvará o enfermo, e o Senhor o levantará”. Então fala sobre como a oração de um Justo é eficaz em seus efeitos. Este quadro todo é relativo a uma fé do Conhecimento pelos Sentidos. Se aquela pessoa que estava doente soubesse que “pelas Suas pisaduras” foi curada, não teria necessidade de chamar os presbíteros. Mas porque não sabia disso, no seu desespero se voltou para o Senhor e para os presbíteros. Eis uma demonstração da Graça de Deus, atendendo o homem no seu próprio nível, como Jesus fez na Encarnação.
  • 41. Quando a Palavra se tornou carne e habitou entre os homens, Ele veio até a esfera do Conhecimento pelos Sentidos, para que esse homem pudesse vê-lO, ouvi-lO e tocá-lO. Tudo o que se referia à caminhada terrena de Jesus até o ponto que o homem podia ver, era na esfera dos Sentidos. Não havia nenhuma fé em Jesus de um ponto de vista espiritual. Eles criam porque viram os milagres e comeram o pão. Quando Ele morreu na cruz não havia nenhum entendimento espiritual. Eles não sabiam que Ele estava morrendo pelos pecados deles. Pensavam que Ele estava morrendo como um mártir por Seus ideais. O Conhecimento pelos Sentidos usa o mesmo conceito hoje em dia. O mundo escolástico crê que Jesus morreu por suas convicções. Na crucificação a fé pelo Conhecimento pelos Sentidos falhou. Crer de todo nosso coração é crer independentemente do Conhecimento pelos Sentidos. Nossos Espíritos respondem à nossa rendição ao Senhorio de Jesus. (A chave para a fé bíblica é o reconhecimento do Senhorio de Jesus pelo coração). 1 Pedro 3:15, “Santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração”. “Santificar” significa “separar” ou “colocar à parte”. Colocamos Cristo à parte em nossos corações. Quando coroamos Jesus como Senhor em nossas vidas, coroamos Sua Palavra como Senhora de nossas vidas. Isso dá à Palavra o seu devido lugar. Jesus está assentado à destra do Pai. Sua Palavra está em nossos corações. Damos a esta Palavra o seu lugar, e quando fazemos isso a fé se torna algo perfeitamente natural. Provérbios 3:5-7, “Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento (ou no Conhecimento pelos Sentidos). Reconhece-O em todos os teus caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas. Não sejas sábio aos teus próprios olhos”. Não seja sábio com o Conhecimento pelos Sentidos que nos leva a repudiar a Palavra ou agir independentemente dela. 2 Coríntios 10:4-5 “Anulando nós sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo”.
  • 42. Isso é muito importante se queremos andar pela fé. A Palavra precisa ser superior ao Conhecimento pelos Sentidos, quer ele seja nosso ou de outrem. Queremos lembrar que o Conhecimento pelos Sentidos é sempre limitado. Ninguém tem um perfeito Conhecimento pelos Sentidos. A Palavra de Deus é perfeita. Esta Revelação é Sua perfeita Revelação e ela satisfaz em toda crise e a toda necessidade de nossas vidas. Se confiarmos nesta Palavra de todo coração então chegará uma quietude e descanso dentro de nossos espíritos. Crer é saber. Sabemos que a Palavra de Deus é verdadeira. Quando Ele diz, “E o meu Deus há de suprir cada uma de vossas necessidades”, simplesmente sabemos em nossos espíritos que toda necessidade será suprida e não nos preocupamos; não temos nenhuma ansiedade. Nossos corações ficam encorajados quando lemos a Palavra. Nossa convicção se torna mais profunda. Esta é uma convicção que é independente da evidência dos Sentidos. Ela pode contradizer a evidência dos Sentidos como muitas vezes faz, mas sabemos que as coisas espirituais são tão reais quanto as coisas materiais. Sabemos que as forças espirituais são superiores às coisas físicas, pois Deus, um espírito, criou as coisas físicas. Sabemos que as forças espirituais são mais fortes do que as forças físicas. Sabemos que “Maior é Aquele que está em nós do que aquele que está no mundo”. Sabemos que esse alguém Maior domina sobre a doença e a fraqueza. Confiamos nEle de todo coração. Ele se levanta em nós e fornece iluminação para nossas mentes que elas não poderiam conseguir de nenhuma outra fonte. Sabemos que não podemos ser vencidos. Sabemos porque nós cremos.
  • 43. Capítulo X AGINDO SOBRE SUA PALAVRA Em João 6:47 Jesus disse, “Quem crê em mim tem a vida eterna”. “Crer” é “ter”. É possessão. O Assentimento Mental admira a Palavra, confessa que a Palavra é verdadeira e muito desejável, mas não a possui. Crer termina na feliz confissão, “É meu. Eu o tenho”. Vemos pouca ação real sobre a Palavra hoje em dia. Você se lembra do homem que foi trazido à presença de Jesus por quatro de seus amigos (Marcos 2:1-12)? Jesus lhe disse, “Levanta-te, toma o teu leito e anda”. Se ele não tivesse agido sobre as palavras do Mestre, ele nunca teria sido curado; mas porque agiu, foi curado. Em Lucas 5:5 Pedro disse, “Mas sob a tua palavra lançarei as redes”. Que mudança haveria em algumas de nossas vidas se disséssemos, “Sob tua palavra faremos assim”. Nos apegamos às teorias dos homens e ignoramos a Palavra Viva. A cura e a vitória lhe pertencem. Quando Jesus disse a Pedro, “Venha, ande sobre as ondas comigo”, Pedro agiu sobre a Palavra. Quando os servos encheram os galões com água, obedeceram ao que Jesus havia dito, e a água se tornou vinho, João 2:1-11. Nós assentimos mentalmente à integridade e à realidade da Palavra; mas não agimos sobre ela. Até agirmos sobre ela, ela não se torna uma realidade. Você pode considerar a Verdade da Ressurreição como uma grande doutrina ou dogma, mas não significará nada para você até que diga, “Ele morreu por mim. Ele venceu a morte e o inferno por mim. Ele ressuscitou por mim. E porque ressuscitou, eu sou vencedor, sou hoje um conquistador sobre Satanás. Satanás não tem nenhum domínio sobre mim. Estou livre”. Então a Palavra se torna em algo mais que uma doutrina ou uma teoria. Ela se torna uma realidade. As pessoas que agem sobre a Palavra recebem as coisas. Hoje quem age sobre a Palavra recebe.
  • 44. Você age segundo a fé e fala a fé, suas ações e suas palavras concordam. Você é um crente. Você precisou da fé para entrar na família, mas depois que entrou na família todas as coisas são suas (1 Coríntios 3:21). Você precisou de fé para se tornar um filho de Deus, mas os filhos possuem tudo o que Cristo realizou para eles. Quando Deus diz, “Velo sobre a minha Palavra para a cumprir”, você pode estar certo de que se você aceitar Isaías 53:3-6 tão certamente como Deus se assenta em Seu trono, a cura é com certeza sua. Tudo o que precisa fazer é agir sobre a Palavra. É profundamente importante que você aprenda esta lição simples e pequena. Não é uma questão de lutar, orar ou clamar. Agir sobre o que Deus falou é que produz resultados. A Fé e Crer A palavra “fé‟ é um substantivo e a palavra “crer” é um verbo. “Crer” é na verdade “agir” sobre a Palavra. É simplesmente agir sobre a Palavra de Deus como agiu sobre a palavra de um médico, a palavra de um advogado, ou a palavra de um ser amado. Você não faz as perguntas: “Eu creio?” ou “Eu tenho fé?” Você simplesmente diz, “é isso o que Deus disse”, e você age de acordo. Ou diz “Deus disse que „pelas Suas pisaduras‟ fui curado? Se Deus de fato disse isso, então tenho de ser curado, e devo agir sobre o que Deus falou”. A fé é o resultado da ação. Crer é dar o passo em direção ao objeto, à coisa que você quer. Fé é ter chegado. Em vez de usar a palavra “crer” uso as palavras “agir sobre Sua Palavra”. É mais simples. É perfeitamente bíblico e é exatamente o que Jesus quis dizer. É uma coisa notável que em nenhuma parte das Epístolas Paulo instou os discípulos a crer ou a ter fé. Nossa exortação para que os homens creiam é resultado da Palavra ter perdido sua realidade. O que Paulo nos diz?
  • 45. Efésios 1:3 (ARC), “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo”. Se Ele abençoou você com todas as bênçãos espirituais, então você é abençoado. Você não precisa pedir as bênçãos espirituais. Tudo o que você precisa fazer é agradecer-Lhe que as tem. Tudo o que você precisa dizer é, “Pai eu te agradeço por minha cura. Eu te agradeço pela minha libertação”. Tudo o que Jesus fez foi agir sobre a Palavra de Seu Pai. Tudo o que Pedro fez foi agir sobre a Palavra que Cristo lhe havia dado. Foi a Palavra de Cristo na boca de Pedro em razão da qual ele agiu que trouxe salvação, cura e libertação para o povo. Podemos pregar a Palavra, mas se não a praticarmos, ela não produzirá resultados. Podemos pregar a cura e declarar nossa fé na cura, mas isso não terá valor a não ser que pratiquemos. Tiago nos diz que “a fé sem ações correspondentes é morta”. Quando agimos sobre a Palavra mostramos nossa fé. Sabemos que nenhuma Palavra vinda de Deus é isenta de poder ou desprovida da capacidade de Deus. Lucas 1:37. Assim, agimos sobre ela. Destemidamente impomos nossas mãos sobre os enfermos. Ordenamos que a doença saia em Nome de Jesus e ela obedece. O enfermo é curado. Ele disse, “Velo sobre a minha Palavra para a cumprir”. Nunca teríamos imposto as mãos sobre os enfermos e reivindicado a cura se Ele não tivesse mandado fazer isso. Ele disse, “Os que crêem imporão as mãos sobre os enfermos”, Marcos 16:16- 18. Isso quer dizer que no instante em que aceitamos Cristo como nosso Salvador, O confessamos como Senhor, e recebemos a Vida Eterna, podemos começar a funcionar na Família. Podemos começar a impor as mãos nos enfermos. “Quem crer e for batizado será salvo”, Marcos 16:16. A palavra grega ali para “salvo” é “sozo” que significa “curado”. A cura em análise final é espiritual assim como física.
  • 46. A doença se manifesta no físico, mas suas raízes, sua substância, sua realidade estão no espírito. A palavra “crer” ocorre cerca de cem vezes no Evangelho de João. A palavra “fé” somente ocorre cerca de duas ou três vezes. A razão evidentemente é que ele estava falando a homens fora do Corpo de Cristo, aos judeus sob a Lei. Eles não eram homens de fé. Não tinham fé. Ele os estava estimulando a crer. Alguns Fatos Sobre Crer Algumas pessoas não podem crer na Palavra porque nunca confessaram o Senhorio de Cristo. O medo do homem os manteve em prisão. Esta é uma das mais fortes fortalezas de Satanás sobre o homem. Muitas vezes um credo morto aprisiona um homem. Você é ensinado a não crer nisto e a não crer naquilo. Seu Cristo ficou perdido numa confusão de teorias teológicas. Abandone-se ao Senhorio da Palavra; aja sobre ela, e Deus se tornará real para você.
  • 47. Capítulo XI AS COISAS QUE NOS PERTENCEM O Pai, em Sua grande graça, deu à Igreja o suficiente para torná-la rica e forte. Efésios 1:3(ARC), “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo”. O que Ele quer dizer com isto? Que na Sua obra redentora, tudo o que Deus fez em Cristo desde tempo em que Ele foi feito Pecado até que se assentou à destra da Majestade no Alto, pertence à Igreja, o Corpo de Cristo. Fomos abençoados. Jesus não fez nada em favor de Si mesmo e o Pai não precisava de nada. João 3:16, “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. Jesus foi o presente de amor para um mundo perdido. E Ele nunca tomou o presente de volta. O mundo é possuidor de Jesus, quer reconheça ou não essa propriedade. Tudo o que Jesus fez em seu Sacrifício Substitutivo é propriedade particular do indivíduo por quem Jesus o realizou. O pecador não precisa implorar a Deus que o salve. A obra já foi realizada. Tudo o que ele precisa fazer é aceitá-la e agradecer a Deus por ela. Então ela se torna dele. “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie”, Efésios 2:8-9. A salvação é um dom. A fé vem pelo agir sobre a Palavra de Deus. Agimos sobre a Palavra. Recebemos Jesus Cristo como nosso Salvador, O confessamos como nosso Senhor, e nesse exato momento recebemos a Vida Eterna. “Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus”. A obra foi realizada antes de Cristo ressurgir dentre os mortos, e essa obra nos pertence agora.
  • 48. Tudo o que precisamos fazer é aceitá-la. O crente não precisa pedir ao Pai para curá-lo quando está doente, porque “Certamente, Ele tomou sobre Si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre Si; e nós O reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido”. Deus colocou nossas doenças sobre Jesus. Isaías 53:10 afirma que agradou a Jeová enfermá-lo com nossas doenças para que por Suas pisaduras fôssemos curados. Se estamos curados não precisamos pedir nossa cura. Tudo o que precisamos fazer é repreender o inimigo no Nome de Jesus, para que deixe nossos corpos, e agradecer ao Pai pela perfeita cura. Tudo é tão simples! Não precisamos pedir ao Senhor que nos dê força, porque Ele é agora a força de nossas vidas. O Salmo 27:1, “O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo? O Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei?” Isso nos pertence agora. Ele se tornou nossa luz e nossa salvação. Isto é, Ele se tornou nosso conhecimento e nossa redenção. Ele se tornou nossa libertação. 1 Coríntios 1:30, “Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual se nos tornou, da parte de Deus, sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção”. Vamos dar uma olhada nas coisas que Deus fez Jesus se tornar por nós. Não pedimos para ser santificados porque Ele é a nossa santificação. Não pedimos para ser tornados Justos, porque Ele é a nossa Justiça e nos tornamos Sua Justiça em Cristo. O crente é um possuidor. “Aquele que crê tem a vida eterna”. Não podemos crer sem ter a Vida Eterna. Não podemos crer em Filipenses 4:19, “E o meu Deus suprirá todas vossas necessidades”, sem que sejamos possuidores das coisas de que precisamos Paulo reconheceu que os crentes eram possuidores. Não temos de tentar crer que somos redimidos porque somos redimidos, Efésios 1:7.
  • 49. Não temos de tentar crer que estamos em Cristo porque estamos nEle, 2 Coríntios 5:17. Não temos de tentar crer que somos filhos de Deus porque fomos recriados. Estamos na Sua família, 1 João 3:2. Não precisamos tentar crer que Ele vai remir nossos pecados, e orar com essa finalidade, porque nossos pecados estão remidos e estamos absolvidos, justificados em Sua presença. Nossa velha natureza foi aniquilada e recebemos a natureza de Deus, Colossenses 1:13-14. Não temos de tentar crer que Deus nos dará o Espírito Santo. Tudo o que precisamos fazer é convidá-lo a entrar. “Quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem”, Lucas 11:13. Aqui Ele está falando a um novo bebê em Cristo que nunca recebeu o Espírito. Ele está falando a alguém que recebeu a Vida Eterna. Agora ele pede com determinação ao Espírito que ressuscitou Jesus dentre os mortos, que venha para dentro de seu corpo e faça Sua morada ali. O Nome de Jesus nos pertence. Deus é o nosso próprio Pai. Jesus é o nosso próprio Senhor, Advogado e Mestre. O Espírito Santo é o nosso Professor. A cura é completamente nossa. A força é nossa. A luz e a sabedoria são nossas. A Vida Eterna nos pertence. Ele é o nosso suprimento. Ele é a nossa suficiência. Ele é amor em nós. Tudo isso é nosso quando primeiro cremos e não depende de nossa fé individual como crentes. Nós possuímos tudo isso. É nosso. Pertence a cada filho. Tudo isso está incluído na Redenção. Apenas agradeça ao Pai e O louve sempre que se confronta com uma coisa que necessita coberta pela Redenção, e ela será sua. Alguns poderiam dizer, “Pelo que então podemos orar?” Podemos orar por um grande mundo necessitado, por crentes que vivem na escuridão aquém de seus privilégios, por libertação da escravidão para homens e mulheres que não sabem que foram libertados dela.
  • 50. Desfrutando de Nossos Direitos em Cristo A Redenção foi planejada por Deus; seus resultados satisfazem o coração de Deus e todas as necessidades do homem. O Cristianismo nos liga a Deus. Se estivermos unidos com Deus seremos bem sucedidos. As forças mais poderosas do universo estão à nossa disposição. Atos 1:8 diz, “Mas recebereis capacidade, ao descer sobre vós o Espírito Santo”, (A versão Atualizada de Almeida diz “poder” em vez de “capacidade”.) A capacidade de Deus está à nossa disposição. Que fato excitante! 1 João 4:4 diz, “Filhinhos, vós sois de Deus e tendes vencido os falsos profetas, porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo”. Somos de Deus. Nossas raízes se aprofundam em Deus. A capacidade de Deus é a nossa herança. Assim como as raízes retiram a umidade do solo, da mesma forma nossas raízes em Deus retiram força, vitalidade e capacidade de Deus. Ele não somente está conosco, mas se torna parte de nós. Ele está em nós. Sua natureza é nossa. Seria muito bom dizer repetidamente durante o dia, “Deus está em mim. A capacidade de Deus é minha. A força de Deus é minha. A saúde de Deus é minha. Seu sucesso é meu. Sou um vencedor. Sou um sucesso porque o Maior, com Sua grande capacidade está em mim”. Não é uma questão de desistir de algo, mas de se apropriar de algo.. É de desfrutarmos da Vida com Ele. É de vivermos com Ele, termos comunhão, trabalharmos com o Homem das Eras. Temos o uso de Seu Nome, do Nome que conquista, do Nome que está acima de todo o nome. O Nome de Jesus pode ser usado no mundo dos negócios, no mundo científico. Pode ser usado em todas as seções do empreendimento humano. “Em meu Nome”. É como se na verdade o próprio Mestre estivesse aqui. “E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei”
  • 51. Quando usamos esse Nome, levamos Jesus Cristo a entrar em real contato com os nossos problemas. Aquele que é a fonte de todo poder está ligado com nossas vidas e com os problemas que nos confrontam.
  • 52. Capítulo XII EMPECILHOS PARA A FÉ A fé nunca supera a sua própria confissão. (Não nos referimos à confissão de pecados, mas à confissão da Palavra.) Se confessarmos fraqueza e fracasso destruímos a fé. Quando ousadamente fazemos nossa confissão de que nossas doenças foram colocadas sobre Jesus e conservamos firme essa confissão, trazemos Deus à cena. Algumas vezes a falta de conhecimento nos impedirá de fazer uma confissão ousada. Não agimos sobre a Palavra além de nosso conhecimento. A fé cresce com o entendimento da Palavra. A falta de conhecimento sobre nossa Redenção e nossos direitos redentores é freqüentemente a razão para a incredulidade. Falta de Entendimento A falta de entendimento quanto ao que significa a Nova Criação e quanto ao que ela é realmente, é um empecilho para nossa vida de fé. Muitas pessoas não sabem que têm a Vida Eterna. Elas pensam de si mesmas como sendo “salvas do pecado”. Muitas pessoas não têm a mentalidade de têm Deus dentro de si. A falta de entendimento quanto à sua posição em Cristo e à posição de Cristo nas suas vidas, a falta de entendimento da Justiça, do que ela é e do que ela confere, mantém mais pessoas em cativeiro do que talvez qualquer outra coisa. Quando sabemos que somos a Justiça de Deus em Cristo, saímos do espaço apertado do fracasso e da fraqueza em que temos vivido, para a plenitude sem limites de Deus. A falta de entendimento quanto a nosso direito legal de usar o Nome de Jesus nos mantém presos e nos leva a um senso de fraqueza. Mas quando sabemos o que o Nome fará, podemos vencer Satanás e desfrutar da vitória. Muitos são os fracassos por causa da falta de entendimento acerca da confissão. Nossa fé acompanha os passos de nossa confissão
  • 53. Somos mantidos em prisão porque nos falta entendimento quanto a agir sobre a Palavra. Tentamos crer. Tudo o que é necessário, porém, é que ajamos em função do que Deus diz. Se sabemos que a Palavra é verdadeira e agimos como ela sendo a verdade, ela se torna uma realidade em nossas vidas. A fé real é filha do conhecimento da Palavra. As Duas Confissões Nossa fé é medida por nossas confissões. Nossa utilidade na obra do Senhor é medida pelas nossas confissões. Mais cedo ou mais tarde nos tornamos o que confessamos. Há uma confissão de nosso coração e uma confissão de nossos lábios. Quando a confissão de nossos lábios se harmoniza com a confissão de nossos corações, e estas duas confissões confirmam a Palavra de Deus, então nos tornamos poderosos em nossa vida de oração. Mas muitas pessoas têm uma confissão negativa. Elas estão sempre falando o que elas não são, falando de suas fraquezas, de suas falhas, de sua falta de dinheiro, de sua falta de capacidade, e de sua falta de saúde. Invariavelmente elas vão para o nível de sua confissão. Uma lei espiritual que poucos dentre nós temos reconhecido é que as nossas confissões nos governam. Quando confessamos Seu Senhorio e nossos corações concordam plenamente com isso, então entregamos nossas vidas ao Seu cuidado. Esse é o fim da preocupação, o fim do medo, e o começo da fé. Quando cremos que Ele se levantou dentre os mortos por nós, e que pela Sua Ressurreição venceu o Adversário e o aniquilou por nós, quando isto se torna a confissão de nossos lábios e de nossos corações, tornamo-nos uma força para Deus. Se temos aceitado Jesus como nosso Salvador e O confessado como nosso Senhor, somos Novas Criações, temos a Vida Eterna, temos a posição de filhos, somos herdeiros de Deus e co-herdeiros com Jesus Cristo. No momento em que reconhecemos o fato de Sua efetiva Ressurreição, então sabemos que o problema do pecado está resolvido; sabemos que Satanás foi eternamente derrotado por nós.
  • 54. Sabemos que estamos unidos à Divindade. Sabemos que chegamos à família de Deus. Sabemos que a capacidade de Deus se tornou nossa. Isto pode não ficar evidente para nós de uma só vez, mas à medida que estudamos a Palavra e agimos sobre ela, vivemos nela, e deixamos que ela viva em nós, ela se torna talvez vagarosamente, porém certamente uma realidade viva. Essa realidade é desenvolvida através de nossa confissão. Confessamos Seu Senhorio e declaramos diante do mundo que Ele é nosso Pastor e que nada nos faltará. Confessamos que Ele nos faz repousar em pastos verdejantes, e que Ele nos conduz às águas de descanso. Confessamos que Ele restaurou nossas almas a uma doce e maravilhosa comunhão consigo mesmo. Confessamos que Ele nos tornou Novas Criações, que as coisas velhas já passaram e eis que todas as coisas se tornaram novas, e que nos tornamos a Justiça de Deus em Cristo. Confessamos destemidamente diante do mundo a nossa completa unidade e união com Ele. Declaramos que Ele é a Vinha e que nós somos os ramos; que os ramos e a Vinha são um. Declaramos que somos participantes da Natureza Divina que habitava nEle quando Ele andava na Galiléia. Estas são as nossas confissões. Ficamos sabendo que Satanás está derrotado, que os demônios estão sujeitos ao Nome de Jesus em nossos lábios, que a doença não pode existir na presença do Cristo Vivo em nós. Agora ousamos agir em face do que sabemos que a Palavra ensina. Ousamos assumir nosso lugar e confessar diante do mundo que o que a Palavra diz sobre nós é verdade. Deixamos a confissão de fracasso, fraqueza, e incapacidade, porque Deus se tornou nossa capacidade, Deus se tornou nossa suficiência e Ele nos fez suficientes como ministros de uma Nova Aliança. Confessamos que Ele nos tomou do antigo estado no qual o fracasso reinava, para um novo estado de vitória, alegria e paz.
  • 55. À medida que fazemos nossa confissão e agimos sobre a Palavra, nossa fé cresce e nossa Redenção se torna uma realidade. A Confissão Correta Jesus disse, “Porque eu não tenho falado por mim mesmo, mas o Pai, que me enviou, esse me tem prescrito o que dizer e o que anunciar”, João 12:49. Toda cura que Jesus realizou foi feita através da Palavra de Seu Pai. Toda Palavra que falou era a Palavra do Pai. Jesus sabia quem era; conhecia Seu lugar; conhecia Seu trabalho. Era sempre positivo em Sua mensagem. Sabia que as palavras que falava eram as Palavras de Seu Pai. Assumia Seu lugar como filho. Cumpria Seu papel. Confessava continuamente sua filiação. Jesus sempre confessava o que era. Ele dizia, “Eu sou o Bom Pastor. Eu sou o Pão da Vida. Eu sou a Água da Vida. Deus é Meu Pai. Eu sou a Luz do Mundo”. Em João 5:19-30, Jesus faz dez declarações sobre Si mesmo. Elas na verdade são confissões, e cada uma delas o relaciona à Divindade. Ele estava falando a própria Palavra de Seu Pai. João 7:29 diz, “Eu o conheço, porque venho da parte dele e fui por ele enviado”. Ele não somente confessou o que era, mas também confessou destemidamente o que o homem seria depois que se tornasse uma Nova Criação. João 15:5 diz, “Eu sou a videira, vós, os ramos”. João 7:38-39 diz, “Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva. Isto ele disse com respeito ao Espírito que haviam de receber os que nele cressem; pois o Espírito até aquele momento não fora dado, porque Jesus não havia sido ainda glorificado”. Que espécie de confissão era essa! Quão real se tornou no Dia de Pentecostes! João 8:54-55, “Respondeu Jesus: Se eu me glorifico a mim mesmo, a minha glória nada é; quem me glorifica é meu Pai, o qual vós dizeis que é vosso Deus. Entretanto, vós não O tendes conhecido; eu, porém, O conheço. Se eu disser que não O conheço, serei como vós: mentiroso; mas eu O conheço e guardo a Sua palavra”. João 17:5, “E, agora, glorifica-me, ó Pai, contigo mesmo, com a glória que eu tive junto de ti, antes que houvesse mundo”.
  • 56. Esse era um testemunho notável. João 17:26 diz, “Eu lhes fiz conhecer o Teu nome e ainda o farei conhecer”. Jesus conhecia o novo nome que Deus haveria de receber. João 17:6 diz, “Manifestei o teu nome aos homens que me deste do mundo”. Tenho convicção de que o novo nome do qual Jesus fala aqui é “Pai”. Ninguém jamais havia chamado Deus de “Pai” antes. João 9: 35-36, “Ouvindo Jesus que o tinham expulsado, encontrando-o, lhe perguntou: Crês tu no Filho do Homem? Ele respondeu e disse: Quem é, Senhor, para que eu nele creia?” Jesus então confessou quem Ele era realmente. No versículo 37 Jesus disse ao homem que havia sido cego, “Já o tens visto, e é o que fala contigo”. Jesus declarou abertamente que era o Filho de Deus. Em João 4:26 temos outra confissão surpreendente. Ele estava falando com uma mulher samaritana e confessando que era o Messias, o Filho de Deus. Jesus Sabia Quem Era Quase todo milagre que Jesus efetuava era feito com as Palavras do Pai nos Seus lábios. Jesus era a vontade revelada do Pai. João 4:34 diz, “A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra”. João 5:30 diz, “Não procuro a minha própria vontade, e sim a daquele que me enviou”. João 6:38 diz, “Porque eu desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, e sim a vontade daquele que me enviou”. João 8:29 diz, “Eu faço sempre o que Lhe agrada”. Que descrição do Mestre! Ele não tinha ambições pessoais, nenhum objetivo pessoal a alcançar, estava simplesmente fazendo a vontade de Seu Pai, revelando o Pai, ao ponto de poder dizer, “Quem me vê a mim vê o Pai” (João 14:9). Quanto menos ambições mundanas tivermos, quanto menos desejos do mundo, mais plenamente o Pai Se revelará a nós. Suas Palavras em nossos lábios realizarão os mesmos prodígios que Suas Palavras realizaram nos lábios de Jesus.
  • 57. A atitude egocêntrica limita as pessoas. O homem egoísta é um homem limitado. Quem vive na Palavra e deixa a Palavra viver nele, quem pratica a Palavra e age sobre ela, é quem revela o Pai. Quando agimos sobre a Palavra de Deus revelamos o Pai A Confissão Errada Poucos dentre nós compreendemos que nossa confissão nos aprisiona. Mas, o tipo certo de confissão nos libertará. Não são os nossos pensamentos, mas nossas palavras, nossas conversas, que formam a força ou a fraqueza em nós. Nossas palavras são a moeda no Reino da Fé. Nossas Palavras nos prendem e mantêm em cativeiro, ou nos libertam e se tornam poderosas nas vidas dos outros. É o que confessamos com nossos lábios que realmente domina nosso ser interior. Inconscientemente confessamos o que cremos. Se falamos da doença é porque cremos nela. Se falamos da fraqueza e do fracasso, é porque cremos na fraqueza e no fracasso. É surpreendente que fé as pessoas têm nas coisas erradas. Elas crêem firmemente no câncer, nas úlceras estomacais, na tuberculose, e nas outras doenças incuráveis. Sua fé nessas doenças se levanta até o ponto delas as dominar completamente e as governar. Elas se tornam seus escravos absolutos. Elas adquirem o hábito de confessar suas fraquezas e sua confissão faz aumentar a força de sua fraqueza. Elas confessam sua falta de fé e estão cheias de dúvidas. Elas confessam seu medo e ficam mais temerosas. Elas confessam seu medo da doença e a doença aumenta sob essa confissão. Elas confessam sua carência e desenvolvem um senso de falta que vem a predominar em suas vidas. Quando compreendemos que nunca podemos passar do nível de nossa confissão, chegamos à situação na qual Deus pode realmente começar a nos usar. Você confessa então que pelas Suas pisaduras está curado, apega-se a esta sua confissão, de forma que nenhuma doença pode permanecer diante de você.
  • 58. Quer entendamos ou não, estamos semeando palavras assim como Jesus disse em Lucas 8:11, “A semente é a palavra de Deus”. O semeador saiu a semear e a semente que estava semeando era a Palavra de Deus. Essa é a semente que devemos semear. Outros estão semeando as sementes do medo e da dúvida que vêm do Conhecimento pelos Sentidos. É quando confessamos a Palavra de Deus, declarando enfaticamente “Pelas Suas pisaduras estou curado” ou “Meu Deus supre cada uma de minhas necessidades” e nos apegamos à essa nossa confissão, que vemos nossa libertação. Nossas palavras produzem fé ou dúvida nos outros. Apocalipse 12:11 declara, “Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da palavra do testemunho que deram”. Eles o venceram com a Palavra de Deus que estava no seu testemunho. Eles venceram o Diabo com palavras. A maior parte dos enfermos que Jesus curou durante Seu ministério foi curada com palavras. Deus criou o Universo com palavras: palavras cheias de fé. Jesus disse, “tua fé te salvou”. Ele disse para o morto Lázaro, “Vem para fora!” Suas Palavras levantaram o morto. Satanás é vencido por meio de palavras, ele é derrotado por palavras. Nossos lábios se tornam o meio de transporte do livramento de Deus vindo do céu para as necessidades do homem aqui na terra. Usamos a Palavra de Deus. Sussurramos, “No Nome de Jesus, demônio, saia dele”. Jesus disse, “Em meu Nome, expelirão demônios; em meu Nome vocês imporão as mãos sobre os enfermos e eles ficarão curados”. Tudo através de Palavras! Questiono se as mãos impostas fazem mais do que apenas ajudar os Sentidos. É apenas a Palavra que cura. Jesus disse, “E tudo quanto demandardes em meu nome, isso farei”. (Em Grego a palavra geralmente traduzida por “pedir” significa “demandar”). Estamos demandando assim como Pedro fez na Porta Formosa quando disse, “Em Nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda!” Palavras curaram esse homem.