Brincadeira deCriança         Clara Diúlia Dias da Cunha
Todas as vezes em quevou    à   casa    da   minhabisavó,    ela    me     contahistórias de sua infância.
Certo    dia,   enquantoolhávamos minha prima deseis     anos    desprezar   umbrinquedo,      ela    relembrouquando ganh...
Naquela    época    erammuito pobres e tinham quetrabalhar   para    ajudar   afamília, não tendo temponem para brincar.
Ela teve sua primeiraboneca aos 15 anos e quasenão brincou, porque sua mãedizia que já estava velha eque não tinha mais id...
Pode-se    dizer   que   minhabisavó não teve infância.
Ela, porém, diz que ascrianças “de hoje” é que nãotêm     infância,   pois     estãosempre     entretidas      demais,vend...
Até eu, que tenho 16anos,   sinto-me      indignadacom essa realidade.
Mas, acho que a históriaainda não termina. Chegará umdia em que não haverá maisbrincadeira de criança.
CRÉDITOS:Texto de Clara Diúlia Dias da Cunha – aluna daEscola    Estadual     “Celestino Nunes”     –Paineiras/MG, 2º Ano ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Brincadeira de criança (Clara Diúlia)

575 visualizações

Publicada em

Trabalho escolar.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
575
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Brincadeira de criança (Clara Diúlia)

  1. 1. Brincadeira deCriança Clara Diúlia Dias da Cunha
  2. 2. Todas as vezes em quevou à casa da minhabisavó, ela me contahistórias de sua infância.
  3. 3. Certo dia, enquantoolhávamos minha prima deseis anos desprezar umbrinquedo, ela relembrouquando ganhou sua primeiraboneca.
  4. 4. Naquela época erammuito pobres e tinham quetrabalhar para ajudar afamília, não tendo temponem para brincar.
  5. 5. Ela teve sua primeiraboneca aos 15 anos e quasenão brincou, porque sua mãedizia que já estava velha eque não tinha mais idadepara brincar.
  6. 6. Pode-se dizer que minhabisavó não teve infância.
  7. 7. Ela, porém, diz que ascrianças “de hoje” é que nãotêm infância, pois estãosempre entretidas demais,vendo televisão e dormindo.
  8. 8. Até eu, que tenho 16anos, sinto-me indignadacom essa realidade.
  9. 9. Mas, acho que a históriaainda não termina. Chegará umdia em que não haverá maisbrincadeira de criança.
  10. 10. CRÉDITOS:Texto de Clara Diúlia Dias da Cunha – aluna daEscola Estadual “Celestino Nunes” –Paineiras/MG, 2º Ano do Ensino Médio, turnonoturno.Imagens: www.google.com.br, http://office.microsoft.comRevisão e organização: Prof.ª Arlete C. de Jesus.Música: “Mais Perto de Ti” (Domínio Público) –MP3, disponível em http://palcomp3.com/martonioteofilo/#!/mais-perto-de-ti

×