Montar loja virtual - Manual ABSOLUTAMENTE completo para criar sua loja online - cap 5

258 visualizações

Publicada em

Capítulo 5 do manual de e-commerce da Linkia (http://www.linkia.com.br). Aprenda a montar sua loja virtual sem ajuda de designers ou programadores! Aprenda tudo o que é necessário para montar seu negócio de sucesso na internet

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
258
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Montar loja virtual - Manual ABSOLUTAMENTE completo para criar sua loja online - cap 5

  1. 1. Capítulo 5 Gestão do conteúdo
  2. 2. 2 Introdução Montar um e-commerce costuma ser uma tarefa que é muito comparada com um bicho de sete cabe- ças. As preocupações parecem ser tantas e as infor- mações são tão vagas que muitas vezes é com esse cenário que nos deparamos. No entanto, a Linkia resolveu trabalhar um pouco nesse tópico e compi- lar uma série de informações úteis que podem ser tomadas como base para qualquer um que queira montar uma loja virtual. Você, lojista, que deseja começar a vender online e não sabia por onde co- meçar... você acabou de encontrar o seu lugar. Esperamos que a partir de hoje, a criação de um e- -commerce seja uma tarefa muito mais simples e cientificamente fundamentada, ao invés de basea- da em opiniões e achismos. Através desse manual vamos passar pelos princi- pais pontos que amedrontam os empresários quan- do pensam em lojas virtuais. O que apresentaremos não é apenas um apanhado de opiniões, mas sim estratégias e metodologias científicas que ajudarão a criar um e-commerce que realmente é eficaz. Muito do que existe aqui foi aprendido, na prática, por muitas empresas que hoje estão falidas e por muito poucas outras que prosperaram. E não pen- se que é o contrário. Mas onde está exatamente a diferença entre um e-commerce de sucesso e um e-commerce fadado ao fracasso? É isso o que nos propomos a te ensinar até o final desse manual. Pular Introdução
  3. 3. 3 5.1Produçãodeconteúdo Produção de conteúdo, voltado para e-commerce, deveseralgoquecrieempatia.Depoisdealgunsme- sesdetrabalho,alojavirtualestámontada.Vocêjun- touasuaequipeedesenvolveuexcelentesestratégias de divulgação. O consumidor está chegando até as páginasdeseusprodutos,masasvendasnãoaconte- cem.Oqueseráquepodeestaracontecendo? Muitasvezesnosesquecemosqueomesmoconsumi- dor que compra online é aquele que visita nossas lo- jasfísicas.Todossabemosoquãodifícilé agradar um cliente receoso so- bre as qualidades de determi- nado produto ou marca. Ele pega o produto, revira, olha, pergunta, lê as instruções, A nossa loja está criada. O layout é atrativo, os mecanismos para transformar as visitas em vendas estão em pleno funcionamento. Chegou a hora de cadastrar os nossos produtos. pede opiniões. Na internet não é diferente. O problema é que ele não vai ter um vendedor ao lado para tirar as suas dúvidas. Portanto, todas as informações que ele pode de- sejardevemestarmuitobemlistadasnaquelapáginapara queelenãotenhadúvidasparafecharonegócio. Énessepontoqueentraaimportânciadaboaproduçãode conteúdoparaalojavirtual.Asinformaçõesdevemserdis- postasdeformaclaraeobjetivaecomumtomqueagradea todosostiposdeclientes.Precisamossoardeformaagradá- veltantoparaumclientemaistímidoeretraído, quanto para um mais agitado e dinâmico eatémesmoparaaquelerabugento.A dica que fica é que um tom simples, sinceroecomlevetoquedecriativi- dade e humor é unânime entre os maisdiferentestiposdepessoas.
  4. 4. 4 Algumasdicassãouniversais: a) Evite os textos que são fornecidos pelo fabricante É tentador a ideia de pegar o texto que vem prontinho do fabricante, com todas as informações sobre o produto, e colocaremnossapágina.Aschancesdequeoutroslojistasestejamutilizandoomesmoconteúdosãograndes.Evitar, portanto,essaestratégiaéfundamentalparanossadiferenciaçãonomeiodetantos.Veremostambém,àfrente,que paraoGoogle,textocopiadoésinaldebaixaqualidadedoconteúdo.   b) Ausência de descrição em forma de texto Lembre-se que o Google e outros mecanismos de busca funcionam orien- tadosportexto.Nãoadianta,porexemplo,apenasencherapáginadeima- genscomasinformaçõessobreoproduto.Invistaemtextosinformativos, que mostrem as qualidades e recursos do produto, ajudando no processo de decisão de compra e facilitando a vida do Googlebot (o robô do Google quevarreainternetcompilandoasinformaçõesdenossaspáginas)  
  5. 5. 5 c) Deixe espaço para opiniões de seus clientes Mais de 70% das pessoas dão preferência a compras onde possam ver a opinião de ou- tras pessoas. Frustrações, felicidades, surpresas e alegrias, quando compartilhadas, tem enorme poder. Por isso, estimule a participação do público dando espaço para avaliações e comentários. Monitore os comentários a procura de insatisfações pontuaisparacorreçãoomaisrápidopossível.Alémdefacilitaradecisãodecom- pra, isso vai gerar mais conteúdo para ser indexado. E, além disso, no caso dos comentários integrados com redes sociais, o potencial de viralização daquelas informaçõesaumentaexponencialmentecomessaestratégia.   d) Fique atento a comportamentos de busca pelos usuários FerramentasdopróprioGooglepodemauxiliaremuitonaescolhadequaispalavraschaveutilizaremcadaumadas páginas.Qualseráamelhormaneiradesevenderumatelevisão:colocando“TV”noanúncioou“televisão”?Oqueos clientesprocurammais?Paraqualdessaspalavrasaconcorrênciaparalinkspatrocinadosémenor,eocustobenefí- ciomaior?Explicaremosmaissobreissonocapítulodemarketingdigital.
  6. 6. 6 5.2 Publicaçãonoe-commerce Diferentementedelojastradicionais,nomundovirtualonossoclientenãotemcontatodiretocomoproduto.Nãopode pegar, ler as instruções na embalagem, olhar a etiqueta, experimentar. Dessa forma, é nossa obrigação fornecer a ele asinformaçõesrelevantesedeboaqualidadeparanortearumaboaexperiênciadecompraemnossalojavirtual.Não estamosatrásapenasdecompradores,massimdeclientesfiéisesatisfeitoscomnossamarca. Jádissemosanteriormenteaimportânciadeumaboapesquisaantesdeprocederaocadastrodeprodutos.Agora,ire- mos um pouco mais a fundo. Em primeiro lugar, uma das tarefas mais importantes: a escolha do nome do produto. Vocêdeveestarseperguntando:masescolheronomedoprodutoéumatarefadequemoinventou,correto?Vocênão estariaerradopensandodessamaneira.Noentanto,oquequeremosaqui,nanossalojavirtual,édefinironomequein- termediaráoprimeirocontatodonossopotencialconsumidorcomumdeterminadoprodutodenossaloja.Oexercício aquiéfazeropensamentoinverso:aoinvésdeolharparaoprodutocomosolhosdequemquervender,tenteolharpara elecomosolhosdequemdesejacomprá-lo. Veja o seguinte exemplo: Suponhamos que você tenha um determinado computador à venda. Desejamos agora escolher o nome para colocar em nosso produto, que encabeçará também o título dessa página de produto. Imagine essas duas descrições: a) “Lindo notebook, melhor do mercado” b) “Notebook MegaWare, 2.4 GHZ, 320 GB, 2GB RAM, DVD-RW”
  7. 7. 7 Nemprecisamosdizerqueasegundaopçãoatingeumacamadadepúblicomaisselecionadaecommaiorchancedeter sua necessidade adequada por aquele produto. Lembre-se sempre que a grande maioria dos consumidores chega aos nossos produtos advindos de motores de busca. Logo, devemos pensar como eles para conseguir imaginar qual seria a melhor forma de nomear nossas ofertas. Gloriosamente, essa tarefa também pode ser facilitada ao olharmos as pá- ginasespecíficasdosmotoresdebuscaquenosmostramasestatísticasdebuscaparacadapalavraquedesejarmos.O Google,porexemplo,ofereceumaferramentaparadesenvolvedoresquenosmostraexatamentequantaspesquisasfo- ramrealizadaspordeterminadaspalavrasnosúltimosdias.Dessaformaficamuitomaisfácilescolherentrepalavras sinônimas para utilizarmos no título de nosso produto (uma palavra que teve 20 mil procuras no último mês é muito maisinteressantedoqueumasinônimaqueteveapenasmil). Aodefinirotítulodenossoproduto,devemosteremmentequeumnúmeromáximodecaracteresdeveserutilizado – 70 caracteres são suficientes para qualquer descrição e títulos maiores são cortados e exibidos apenas parcialmente pelosbuscadores.Oquequeremosevidenciardeveestaremprimeirolugar,afinal,aspalavrasiniciaistêmmaiorrele- vânciadoqueasúltimas.Otítuloaindadeveserdescritivoeconterpreferencialmenteaspalavraschavedaquelapági- na,comoveremosmaisàfrenteemotimizaçãoparaSEO. Escolhidoumbomtítulo,nossosesforçospassamagoraparaumaboadescrição.Conformejáorientamos,adicamais importanteéserrelevanteparaseucliente,deformaoriginalenadaenfadonha.Coloque-senolugardocompradore respondaàseguintepergunta:vocêcomprariaoprodutoqueestávendendocombaseapenasnessasuadescrição?Se arespostafor“não”,nãopensequeoseuclienteémenosexigentedoquevocê.Umaboadescriçãoéconcisa,deleitura agradável, bem organizada e que contém todas as informações relevantes para se fechar a compra. E lembre-se que incluirmarca,modeloeespecificaçõeséfundamental.
  8. 8. 8 Amaiorpartedoscompradoresonlinecompraemsitesquepossueminformaçõesmaiscompletassobreoprodutoque lhes interessa. Utilização de revisões de literatura referentes ao produto ou segmento e anexar textos comparativos, publicadosnamídia,tambémsãoimportantesparamelhorarmosaconversãodenossapágina.Dispordeinformações úteisecorrelacionadasaoprodutovendidotambémsãoboasestratégias:emumapáginaquedesejavenderumrelógio, colocarumtextohistóricoedivertidosobreoprimeirorelógiodepulso,porexemplo,podeentreteroleitorefazercom quepassemaistemponessapágina-emaistempoemumapáginaéigualaumamaiortaxadeconversão. Umavezbemtituladoebemdescrito,devemosfazercomquesejadefácilacessopelonossoconsumidorinteressado: categorizardeformaadequadaessesprodutosemnossalojapermitequeoclientenavegueemnossaspáginasefacil- menteretorneparaaqueleprodutoquegostou.Alémdisso,éatravésdanavegaçãopelosnossosmenusqueumcliente queacessounossapáginaprincipalchegaráatédeterminadoproduto. Umaboacategorizaçãodeprodutosdevetercategoriassuficientesparafacilitaroencontrodequalquerprodutodaloja demaneiradireta(esemdúvida)empoucoscliques.Nãodeveseremexcesso,paranãoentediaredificultaroprocesso. Onúmeroidealdesubcategoriaséaquelequepermiteumadivisãoclaraentreositensepermitaoclientechegaraoque desejaemnomáximo2ou3cliques.TestesA/Bpodemserimplementadosparaavaliaramelhoropçãoparacadacaso específicoeéorecomendadonamaioriadoscasos.Podemosmuitasvezesnossurpreendercomoaumentodevendas dedeterminadoprodutosimplesmenteporimplementarmosmudançasemsuaposiçãohierárquicadentrodaloja.
  9. 9. 9 5.3 Gerenciamento de imagens 5.3.1 - Fotos A imagem de um produto é fator determinante para o sucesso de sua venda. Essa não é uma simples te- oria. Imagem boa vende mais. Esse é um dos grandes fatores que influenciam sobremaneira na taxa de conversão de uma página de produto. Em muitos casos, é com base apenas nela que o consumidor decide ou não em comprar determinado produto. Portanto, segue uma preciosa dica: esqueça o amadorismo e procure soluções de qualidade para esse problema. Para que uma foto cumpra seu papel é importante que ela mostre o produto como um todo, com foco em tudo o que é diferencial e impor- tante, mas não se esquecendo dos detalhes. O grande trunfo de uma boa vitrine é expor de forma concisa os detalhes mais importantes e que influenciam de maneira positiva o consumidor em sua escolha. No entanto, é importante também expor os pontos que podem gerar dúvidas e aqueles que possam ser mal entendidos pelo cliente. Além de tudo isso que é óbvio, podemos também nos basear nos feed- backs do processo para nos orientar melhor quanto ao que mostrar: supo- nhamos que determinado notebook à venda apresenta enormes taxas de
  10. 10. 10 devolução e a queixa principal é o que o teclado não é o padrão brasileiro, mas sim o americano. Logo, uma simples foto que evidencia essa característica pode diminuir e muito o nosso custo logístico. Além disso, fotos com possibilidade de zoom (aumento localizado) ou mesmo visão 360º do produto também são es- tratégias que aumentam a taxa de conversão. Ao planejar a página de determinado produto temos de ter em mente as opções de imagem que podemos utilizar. Em primeiro lugar e como primeira opção, podemos solicitar junto ao nosso fornecedor o catá- logo oficial de fotos daquele produto. Essa não é nem de perto a solução ideal. Muitas vezes você mesmo, como consumidor, já se deparou com duas ou três lojas virtuais diferentes, anunciando um mesmo pro- duto e utilizando a mesma imagem. Essa prática diminui e muito a credibilidade do lojista quando é per- cebida. Como segunda solução, poderíamos utilizar dos próprios buscadores: entrar no Google e procurar fotos diferentes e menos abundantes que representam fielmente o produto que desejamos vender. Devemos ter cuidado com direitos de publicação e nos certificar de que se trata realmente do produto que estamos vendendo, caso contrário, deixamos o cliente com a faca e o queijo na mão para reclamar quando receber qualquer coisa diferente daquilo que ele viu. Caso as opções acima não sejam possíveis ou você deseja um pouco mais de profissionalismo nesse quesi- to, sugerimos contratar um bom fotógrafo de produtos (sim, eles existem!) ou mesmo treinar um pouco mais nesse quesito, para que você mesmo consiga fotografar os produtos que desejar. Fotos de boa qua- lidade vendem mais (uma boa imagem vale mais que mil palavras!). Portanto, algumas dicas podem ser bem úteis para que você mesmo tenha êxito nessa tarefa:
  11. 11. 11 a) Qualidade da imagem: fotos de baixa qualidade podem ofuscar a qualidade do produto e muitas vezes fazem com que os clientes desistam de determinada compra. b) Pode parecer absurdo, mas é importante que a foto seja de um produto novo e em bom estado de conservação. c) Antes de colocar uma foto na página de um determinado produto, certifique-se que não está havendo trocas e que aquela foto realmente corresponde àquele produto. d) Evite, sempre que possível, as fotos genéricas. Tente mostrar em sua foto a originalida- de de sua loja e a exclusividade do produto oferecido. e) Em caso de impossibilidade de foto de produtos de diferentes cores, dê preferência para os mais neutros. f) Explore os ângulos diferentes e abuse na resolução. Cada milésimo de se- gundo a mais que é gasto pra carregar uma página reflete negativamente na venda do produto. Logo, ao fazer um cliente esperar para ver uma foto carregada em seu Browser, mostre ao menos uma foto de boa qualidade. O recomendado é algo em torno de 1000 pixels e no mínimo 72 DPIs (permite que seja exibida em monitores sem grandes distorções). g) Dê ao cliente a percepção tridimensional do produto: para isso, certifique-se que os diferentes ângulos favorecem essa percepção.
  12. 12. 12 h) Sempre que possível, ambiente o produto em seu habitat natural. Isso ajuda o cliente a visua- lizá-lo dentro de seu real contexto, bem como ter uma melhor percepção de tamanho e utilidade. i) Ao tirar as fotos, desligue o flash da máquina fotográfica: abuse da iluminação local e evite os reflexos. Produtos com superfície refletiva podem ser mais difíceis de fotografar. Opte por fun- dos claros e que contrastem com o produto. Na grande maioria dos casos, colocar o produto sobre um pedaço de papel ou pano branco e sem brilho resolve o problema. j) Retire da foto tudo aquilo que possa tirar a atenção do cliente em relação ao produto. Uma mo- delo com maravilhosos olhos azuis pode não ser a mais adequada para vender um colar, por exem- plo. Atenha a atenção do consumidor para aquilo que de fato interessa. Se o seu olho mira primei- ro algum outro elemento da foto que não o produto, talvez seja melhor refazê-la. Além da grande influência que exercem na página de venda de determinado produto, uma boa imagem é crucial na divulgação de nossas campanhas: cerca de 70% do conteúdo compartilhado em mídias sociais é composto de imagens, em contraste com os 6% que são vídeos e os 2% de textos (dados do Facebook). Logo, personalização das campanhas com tratamento adequado das imagens por profissional qualificado, fra- ses de impacto e slogans também aumentam e muito as chances de divulgação e compartilhamento.
  13. 13. 13 5.3.2 - Logotipos Aquientraaqueleassuntoqueintroduzimosnoiníciodes- semanual:aquestãodaforçadenossamarcaeregistroda mesma.Quandoinvestimosemdivulgaçãodenossocon- teúdo,denossasofertasepromoções,semprequepossível, devemosatrelaraonomedenossamarca.Fazercomque onomedenossalojasedestaquenomeiodetantaséoque conhecemoscomobranding.Nãoénossoobjetivoaquiex- plicarastécnicasmaisusadasparaissoeaimportânciade fazerumnomedeimpacto. Grandes marcas se sustentam ao longo do tempo com as mais diversas estratégias. O segredo de quase todas elas é fazercomquesejamlembradas,semprequepossível,pelo potencialconsumidor. Como estamos investindo em divulgação de campanhas, produtos e páginas, é importante que façamos de forma associada à nossa marca. Com isso, o gasto publicitário geratambémumretornointangívelqueéaforçadenosso nome.Somenteotempoeumaconsistênciadeboasações eassociaçõesfarãocomqueapenasonossonomeseja o suficiente para uma conversão. A presença de um logotipoajudatambémnesseprocesso,juntandoaes- critacomovisualeaumentoaschancesdeimpregnar comboaslembrançasosubconscientedosnossoscon- sumidores.
  14. 14. 14 5.3.3 - Vídeos Aquestãoaquiébemsimples:vídeovende.Assimcomooutrasestratégiasqueaumentam aconversão,apresençadevídeosquemostrammaissobreosprodutostambémtemenor- meefeitopositivosobreasvendas.Oferecemvisãopraticamenteem360º,exemplificação deformadeuso,consistência,texturizaçãoeoutrasqualidadesquesãodifíceisdeserem avaliadasporsimplesimagens. NosEUA,em2012,73%dossitesincorporaramvídeosemseuconteúdo,segundopesqui- safeitapelaeMarketer.NoBrasil,apesardenãoencontrarmosestatísticasaesserespeito, sabemos que os números são muito inferiores. Eis alguns motivos para avaliarmos com outrosolhosaproduçãodevídeosparanossapágina: a)Resultadoscomvídeosaparecememcercade70%dasmelhoreslistagensnosmotoresdebusca; b)Umapáginacomvídeotemprobabilidade50vezesmaiordeaparecernafrentedeumapáginaquecontémape- nastexto,nosmotoresdebusca; c)Pasmem:osegundomaiormotordebuscanoBrasiléoYoutube.Issomesmo!Ofamosocanaldevídeoséutiliza- doporgrandepartedosbrasileirosquandoprocuramporalgonainternet; d)Oaumentomédiodataxadeconversãoéde30%emumapáginaqueacrescentavídeoaoconteúdo; e)25%amenosdecarrinhossãoabandonadospelasimplesadiçãodevídeoaoconteúdo.
  15. 15. 15 Fique ligado! O próximo capítulo do Manual de ecommerce será sobre Organização das Operações logísticas básicas. Baixe já em nosso site!
  16. 16. Médico Oftalmologista pela Universidade Federal de Minas Gerais. Empreendedor por natureza, motivo pelo qual segue, também, a carreira de gestor. Desen- volvedor de algoritmos matemáticos voltados para a área de e-commerce e social commerce. Participa ativamente dos projetos de e-commerce da Linkia/ JN2. Grande experiência em gestão de projetos Web (atualmente sócio diretor na Linkia e iMedicina), com atuação voltada para planejamento, captação de in- vestimentos e organização de setor comercial. raphaeltrotta@gmail.com www.linkia.com.br +55 31 2555.6662 Raphael Trotta Sobre o autor
  17. 17. 17 Gostou desse E-book? Então compartilhe!! Fale diretamente com o autor ou entre em contato com a Linkia. Compartilhe Dúvidas, comentários, críticas, elogios ou sugestões? • Faça uma crítica do nosso conteúdo; • Sugira novos temas; • Esclareça suas dúvidas. Fale com a Linkia

×