LBD

156 visualizações

Publicada em

LDB

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
156
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

LBD

  1. 1. LDB LeideDiretrizeseBases daEducaçãoNacional 7ªedição. 2012 Brasília2012 LDB LeideDiretrizeseBases daEducaçãoNacional 7ªedição Câmarados Deputados Série Legislação
  2. 2. LDB LeideDiretrizeseBases daEducaçãoNacional 7ªedição MesadaCâmaradosDeputados 54ªLegislatura|2ªSessãoLegislativa|2011-2015 Presidente MarcoMaia 1ªVice-Presidente RosedeFreitas 2ºVice-Presidente EduardodaFonte 1ºSecretário EduardoGomes 2ºSecretário JorgeTadeuMudalen 3ºSecretário InocêncioOliveira 4ºSecretário JúlioDelgado SuplentesdeSecretário 1ºSuplente GeraldoResende 2ºSuplente Manato 3ºSuplente CarlosEduardoCadoca 4ºSuplente SérgioMoraes Diretor-Geral RogérioVenturaTeixeira Secretário-GeraldaMesa SérgioSampaioContreirasdeAlmeida
  3. 3. Câmarados Deputados LDB LeideDiretrizeseBases daEducaçãoNacional 7ªedição Leinº9.394,de20dedezembrode1996, queestabeleceasdiretrizesebasesda educaçãonacional. Atualizadaem25/10/2012. CentrodeDocumentaçãoeInformação EdiçõesCâmara Brasília|2012 CÂMARADOSDEPUTADOS DiretoriaLegislativa Diretor:AfrísioVieiraLimaFilho CentrodeDocumentaçãoeInformação Diretor:AdolfoC.A.R.Furtado CoordenaçãoEdiçõesCâmara Diretora:MariaClaraBicudoCesar CoordenaçãodeEstudosLegislativos Diretora:LêdaMariaLouzadaMelgaço Projetográfico:PatríciaWeiss Diagramaçãoecapa:RobertoCamara Fotodacapa:Racsow PesquisaeRevisão:SeçãodeRevisãoeIndexação 1997,1a edição;2001,2a edição;2006,3a edição;2007,4a edição;2010,5a edição;2011,6ªedição. CâmaradosDeputados CentrodeDocumentaçãoeInformação–Cedi CoordenaçãoEdiçõesCâmara–Coedi AnexoII–PraçadosTrêsPoderes Brasília(DF)–CEP70160-900 Telefone:(61)3216-5809;fax:(61)3216-5810 editora@camara.leg.br Série Legislação n.95 DadosInternacionaisdeCatalogação-na-publicação(CIP) CoordenaçãodeBiblioteca.SeçãodeCatalogação. Brasil.[LeiDarcyRibeiro(1996)]. LDB:LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional:leinº9.394,de20dedezembrode1996,que estabeleceasdiretrizesebasesdaeducaçãonacional[recursoeletrônico].–7.ed.–Brasília:Câmara dosDeputados,EdiçõesCâmara,2012. 44p.–(Sérielegislação;n.95) Atualizadaem25/10/2012. Leinº9.394,de20dedezembrode1996,queestabeleceasdiretrizesebasesdaeducaçãonacional. ISBN978-85-402-0030-2 1.Educação,legislação,Brasil.2.EducaçãoeEstado,legislação,Brasil.3.Políticaeducacional, Brasil.I.Título.II.Série. CDU37(81)(094) ISBN978-85-402-0029-6(brochura)ISBN978-85-402-0030-2(e-book)
  4. 4. SUMÁRIO Apresentação.........................................................................................................................................7 LEINº9.394,DE20DEDEZEMBRODE1996 Estabeleceasdiretrizesebasesdaeducaçãonacional.................................................................9 TítuloI–DaEducação........................................................................................................9 TítuloII–DosPrincípioseFinsdaEducaçãoNacional..............................................9 TítuloIII–DoDireitoàEducaçãoedoDeverdeEducar.........................................10 TítuloIV–DaOrganizaçãodaEducaçãoNacional...................................................12 TítuloV–DosNíveisedasModalidadesdeEducaçãoeEnsino.............................17 CapítuloI–DaComposiçãodosNíveisEscolares......................................................17 CapítuloII–DaEducaçãoBásica...................................................................................17 SeçãoI–DasDisposiçõesGerais..........................................................................17 SeçãoII–DaEducaçãoInfantil...........................................................................21 SeçãoIII–DoEnsinoFundamental....................................................................21 SeçãoIV–DoEnsinoMédio................................................................................23 SeçãoIV-A–DaEducaçãoProfissionalTécnicadeNívelMédio.................24 SeçãoV–DaEducaçãodeJovenseAdultos......................................................25 CapítuloIII–DaEducaçãoProfissionaleTecnológica.............................................26 CapítuloIV–DaEducaçãoSuperior.............................................................................27 CapítuloV–DaEducaçãoEspecial...............................................................................33 TítuloVI–DosProfissionaisdaEducação..................................................................34 TítuloVII–DosRecursosFinanceiros.........................................................................36 TítuloVIII–DasDisposiçõesGerais............................................................................40 TítuloIX–DasDisposiçõesTransitórias....................................................................42 LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição7 APRESENTAÇÃO ComestanovaediçãodaLeideDiretrizeseBasesdaEducação,maisuma vezaCâmaradosDeputadosvaiaoencontrodosinteressesdopovobrasi- leiro.Aquisereúnemtodososdispositivosconcernentesaosistemaedu- cacionalbrasileiro,que,desde1996,estádisciplinadoemtodososníveis –dacrecheàuniversidade,passandoportodasasmodalidadesdeensino especial. Conhecendoalei,osbrasileirosestarãoapardosprincípiosgeraisdaedu- caçãonopaís,dasregrasdeformaçãodascarreirasdemagistérioedaori- gemecontroledosrecursosdestinadosaosetor. Constantementeatualizadaeaprimorada,aLDBtornou-seumdosmais efetivosinstrumentosdemelhoriadaqualidadedeensinodoBrasil,de- vendoestaraoalcancedetodosparaconhecimento,reflexãoeofertade sugestões. Esteéopropósitomaiordestapublicação:aproximarocidadãodoscon- teúdoslegislativos,paraconhecimentodeseusdireitosedeveres,eassim estimularaparticipaçãoconscienteporpartedapopulação. MarcoMaia PresidentedaCâmaradosDeputados
  5. 5. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição9 LEINº9.394, DE20DEDEZEMBRODE19961 Estabeleceasdiretrizesebasesdaedu- caçãonacional. OpresidentedaRepública FaçosaberqueoCongressoNacionaldecretaeeusancionoaseguintelei: TÍTULOI DAEDUCAÇÃO Art.1ºAeducaçãoabrangeosprocessosformativosquesedesenvolvemna vidafamiliar,naconvivênciahumana,notrabalho,nasinstituiçõesdeen- sinoepesquisa,nosmovimentossociaiseorganizaçõesdasociedadecivile nasmanifestaçõesculturais. §1ºEstaleidisciplinaaeducaçãoescolar,quesedesenvolve,predominan- temente,pormeiodoensino,eminstituiçõespróprias. §2ºAeducaçãoescolardeverávincular-seaomundodotrabalhoeàprá- ticasocial. TÍTULOII DOSPRINCÍPIOSEFINSDAEDUCAÇÃONACIONAL Art.2ºAeducação,deverdafamíliaedoEstado,inspiradanosprincípios deliberdadeenosideaisdesolidariedadehumana,temporfinalidadeo plenodesenvolvimentodoeducando,seupreparoparaoexercíciodacida- daniaesuaqualificaçãoparaotrabalho. Art.3ºOensinoseráministradocombasenosseguintesprincípios: I–igualdadedecondiçõesparaoacessoepermanêncianaescola; II–liberdadedeaprender,ensinar,pesquisaredivulgaracultura,opensa- mento,aarteeosaber; III–pluralismodeideiasedeconcepçõespedagógicas; IV–respeitoàliberdadeeapreçoàtolerância; 1PublicadanoDiárioOficialdaUnião,Seção1,de23dedezembrode1996,p.27833. Série Legislação10 V–coexistênciadeinstituiçõespúblicaseprivadasdeensino; VI–gratuidadedoensinopúblicoemestabelecimentosoficiais; VII–valorizaçãodoprofissionaldaeducaçãoescolar; VIII–gestãodemocráticadoensinopúblico,naformadestaleiedalegis- laçãodossistemasdeensino; IX–garantiadepadrãodequalidade; X–valorizaçãodaexperiênciaextraescolar; XI–vinculaçãoentreaeducaçãoescolar,otrabalhoeaspráticassociais. TÍTULOIII DODIREITOÀEDUCAÇÃOEDODEVERDEEDUCAR Art.4ºOdeverdoEstadocomeducaçãoescolarpúblicaseráefetivadome- dianteagarantiade: I–ensinofundamental,obrigatórioegratuito,inclusiveparaosqueaele nãotiveramacessonaidadeprópria; 2 II–universalizaçãodoensinomédiogratuito; III–atendimentoeducacionalespecializadogratuitoaoseducandoscom necessidadesespeciais,preferencialmentenarederegulardeensino; IV–atendimentogratuitoemcrechesepré-escolasàscriançasdezeroa seisanosdeidade; V–acessoaosníveismaiselevadosdoensino,dapesquisaedacriação artística,segundoacapacidadedecadaum; VI–ofertadeensinonoturnoregular,adequadoàscondiçõesdoeducando; VII–ofertadeeducaçãoescolarregularparajovenseadultos,comcarac- terísticasemodalidadesadequadasàssuasnecessidadesedisponibilidades, garantindo-seaosqueforemtrabalhadoresascondiçõesdeacessoeper- manêncianaescola; VIII–atendimentoaoeducando,noensinofundamentalpúblico,pormeio deprogramassuplementaresdematerialdidático-escolar,transporte,ali- mentaçãoeassistênciaàsaúde; IX–padrõesmínimosdequalidadedeensino,definidoscomoavariedade equantidademínimas,poraluno,deinsumosindispensáveisaodesenvol- vimentodoprocessodeensino-aprendizagem; 2IncisocomredaçãodadapelaLeinº12.061,de27-10-2009.
  6. 6. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição11 3 X–vaganaescolapúblicadeeducaçãoinfantiloudeensinofundamental maispróximadesuaresidênciaatodacriançaapartirdodiaemquecom- pletarquatroanosdeidade. Art.5ºOacessoaoensinofundamentalédireitopúblicosubjetivo,poden- doqualquercidadão,grupodecidadãos,associaçãocomunitária,organiza- çãosindical,entidadedeclasseououtralegalmenteconstituída,e,ainda,o MinistérioPúblico,acionaropoderpúblicoparaexigi-lo. §1ºCompeteaosestadoseaosmunicípios,emregimedecolaboração,e comaassistênciadaUnião: I–recensearapopulaçãoemidadeescolarparaoensinofundamental,eos jovenseadultosqueaelenãotiveramacesso; II–fazer-lhesachamadapública; III–zelar,juntoaospaisouresponsáveis,pelafrequênciaàescola. §2ºEmtodasasesferasadministrativas,opoderpúblicoasseguraráem primeirolugaroacessoaoensinoobrigatório,nostermosdesteartigo,con- templandoemseguidaosdemaisníveisemodalidadesdeensino,conforme asprioridadesconstitucionaiselegais. §3ºQualquerdaspartesmencionadasnocaputdesteartigotemlegitimi- dadeparapeticionarnoPoderJudiciário,nahipótesedo§2ºdoart.208 daConstituiçãoFederal,sendogratuitaederitosumárioaaçãojudicial correspondente. §4ºComprovadaanegligênciadaautoridadecompetenteparagarantiro oferecimentodoensinoobrigatório,poderáelaserimputadaporcrimede responsabilidade. §5ºParagarantirocumprimentodaobrigatoriedadedeensino,opoder públicocriaráformasalternativasdeacessoaosdiferentesníveisdeensino, independentementedaescolarizaçãoanterior. 4 Art.6ºÉdeverdospaisouresponsáveisefetuaramatrículadosmenores, apartirdosseisanosdeidade,noensinofundamental. Art.7ºOensinoélivreàiniciativaprivada,atendidasasseguintescondições: I–cumprimentodasnormasgeraisdaeducaçãonacionaledorespectivo sistemadeensino; 3IncisoacrescidopelaLeinº11.700,de13-6-2008. 4ArtigocomredaçãodadapelaLeinº11.114,de16-5-2005. Série Legislação12 II–autorizaçãodefuncionamentoeavaliaçãodequalidadepelopoder público; III–capacidadedeautofinanciamento,ressalvadooprevistonoart.213da ConstituiçãoFederal. TÍTULOIV DAORGANIZAÇÃODAEDUCAÇÃONACIONAL Art.8ºAUnião,osestados,oDistritoFederaleosmunicípiosorganizarão, emregimedecolaboração,osrespectivossistemasdeensino. 5 §1ºCaberáàUniãoacoordenaçãodapolíticanacionaldeeducação,arti- culandoosdiferentesníveisesistemaseexercendofunçãonormativa,re- distributivaesupletivaemrelaçãoàsdemaisinstânciaseducacionais. §2ºOssistemasdeensinoterãoliberdadedeorganizaçãonostermosdestalei. Art.9ºAUniãoincumbir-se-áde: I–elaboraroPlanoNacionaldeEducação,emcolaboraçãocomosestados, oDistritoFederaleosmunicípios; II–organizar,manteredesenvolverosórgãoseinstituiçõesoficiaisdosis- temafederaldeensinoeodosterritórios; III–prestarassistênciatécnicaefinanceiraaosestados,aoDistritoFederal eaosmunicípiosparaodesenvolvimentodeseussistemasdeensinoeo atendimentoprioritárioàescolaridadeobrigatória,exercendosuafunção redistributivaesupletiva; IV–estabelecer,emcolaboraçãocomosestados,oDistritoFederaleos municípios,competênciasediretrizesparaaeducaçãoinfantil,oensino fundamentaleoensinomédio,quenortearãooscurrículoseseusconteú- dosmínimos,demodoaassegurarformaçãobásicacomum; V–coletar,analisaredisseminarinformaçõessobreaeducação; 6 VI–assegurarprocessonacionaldeavaliaçãodorendimentoescolarno ensinofundamental,médioesuperior,emcolaboraçãocomossistemasde ensino,objetivandoadefiniçãodeprioridadeseamelhoriadaqualidadedo ensino; VII–baixarnormasgeraissobrecursosdegraduaçãoepós-graduação; 5ParágraforegulamentadopeloDecretonº5.622,de19-12-2005. 6IncisoregulamentadopeloDecretonº5.773,de9-5-2006.
  7. 7. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição13 7 VIII–assegurarprocessonacionaldeavaliaçãodasinstituiçõesdeeduca- çãosuperior,comacooperaçãodossistemasquetiveremresponsabilidade sobreesteníveldeensino; 8 IX–autorizar,reconhecer,credenciar,supervisionareavaliar,respectiva- mente,oscursosdasinstituiçõesdeeducaçãosuperioreosestabelecimen- tosdoseusistemadeensino. §1ºNaestruturaeducacional,haveráumConselhoNacionaldeEducação, comfunçõesnormativasedesupervisãoeatividadepermanente,criado porlei. §2ºParaocumprimentododispostonosincisosVaIX,aUniãoteráacesso atodososdadoseinformaçõesnecessáriosdetodososestabelecimentose órgãoseducacionais. §3ºAsatribuiçõesconstantesdoincisoIXpoderãoserdelegadasaosesta- doseaoDistritoFederal,desdequemantenhaminstituiçõesdeeducação superior. Art.10.Osestadosincumbir-se-ãode: I–organizar,manteredesenvolverosórgãoseinstituiçõesoficiaisdosseus sistemasdeensino; II–definir,comosmunicípios,formasdecolaboraçãonaofertadoensi- nofundamental,asquaisdevemasseguraradistribuiçãoproporcionaldas responsabilidades,deacordocomapopulaçãoaseratendidaeosrecursos financeirosdisponíveisemcadaumadessasesferasdopoderpúblico; III–elaborareexecutarpolíticaseplanoseducacionais,emconsonância comasdiretrizeseplanosnacionaisdeeducação,integrandoecoordenan- doassuasaçõeseasdosseusmunicípios; IV–autorizar,reconhecer,credenciar,supervisionareavaliar,respectiva- mente,oscursosdasinstituiçõesdeeducaçãosuperioreosestabelecimen- tosdoseusistemadeensino; V–baixarnormascomplementaresparaoseusistemadeensino; 9 VI–asseguraroensinofundamentaleoferecer,comprioridade,oensino médioatodosqueodemandarem,respeitadoodispostonoart.38destalei; 7IncisoregulamentadopeloDecretonº5.773,de9-5-2006. 8IncisoregulamentadopeloDecretonº5.773,de9-5-2006.ALeinº10.870,de19-5-2004instituiu TaxadeAvaliaçãoinloco,emfavordoInstitutoNacionaldeEstudosePesquisasEducacionais AnísioTeixeira(Inep),pelasavaliaçõesperiódicasquerealizar,quandoformuladasolicitaçãode credenciamentoourenovaçãodecredenciamentodeinstituiçãodeeducaçãosuperioresolicita- çãodeautorização,reconhecimentoourenovaçãodereconhecimentodecursosdegraduação. 9IncisocomredaçãodadapelaLeinº12.061,de27-10-2009. Série Legislação14 10 VII–assumirotransporteescolardosalunosdaredeestadual. Parágrafoúnico.AoDistritoFederalaplicar-se-ãoascompetênciasreferen- tesaosestadoseaosmunicípios. Art.11.Osmunicípiosincumbir-se-ãode: I–organizar,manteredesenvolverosórgãoseinstituiçõesoficiaisdos seussistemasdeensino,integrando-osàspolíticaseplanoseducacionais daUniãoedosestados; II–exerceraçãoredistributivaemrelaçãoàssuasescolas; III–baixarnormascomplementaresparaoseusistemadeensino; IV–autorizar,credenciaresupervisionarosestabelecimentosdoseusis- temadeensino; V–ofereceraeducaçãoinfantilemcrechesepré-escolas,e,comprioridade, oensinofundamental,permitidaaatuaçãoemoutrosníveisdeensinoso- mentequandoestiverematendidasplenamenteasnecessidadesdesuaárea decompetênciaecomrecursosacimadospercentuaismínimosvinculados pelaConstituiçãoFederalàmanutençãoedesenvolvimentodoensino; 11 VI–assumirotransporteescolardosalunosdaredemunicipal. Parágrafoúnico.Osmunicípiospoderãooptar,ainda,porseintegraraosis- temaestadualdeensinooucomporcomeleumsistemaúnicodeeducação básica. Art.12.Osestabelecimentosdeensino,respeitadasasnormascomunseas doseusistemadeensino,terãoaincumbênciade: I–elaborareexecutarsuapropostapedagógica; II–administrarseupessoaleseusrecursosmateriaisefinanceiros; III–assegurarocumprimentodosdiasletivosehoras-aulaestabelecidas; IV–velarpelocumprimentodoplanodetrabalhodecadadocente; V–provermeiosparaarecuperaçãodosalunosdemenorrendimento; VI–articular-secomasfamíliaseacomunidade,criandoprocessosde integraçãodasociedadecomaescola; 12 VII–informarpaiemãe,conviventesounãocomseusfilhos,e,seforo caso,osresponsáveislegais,sobreafrequênciaerendimentodosalunos, bemcomosobreaexecuçãodapropostapedagógicadaescola; 10IncisoacrescidopelaLeinº10.709,de31-7-2003. 11Idem. 12IncisocomredaçãodadapelaLeinº12.013,de6-8-2009.
  8. 8. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição15 13 VIII–notificaraoconselhotutelardomunicípio,aojuizcompetenteda comarcaeaorespectivorepresentantedoMinistérioPúblicoarelaçãodos alunosqueapresentemquantidadedefaltasacimadecinquentaporcento dopercentualpermitidoemlei. Art.13.Osdocentesincumbir-se-ãode: I–participardaelaboraçãodapropostapedagógicadoestabelecimentode ensino; II–elaborarecumprirplanodetrabalho,segundoapropostapedagógica doestabelecimentodeensino; III–zelarpelaaprendizagemdosalunos; IV–estabelecerestratégiasderecuperaçãoparaosalunosdemenor rendimento; V–ministrarosdiasletivosehoras-aulaestabelecidos,alémdeparticipar integralmentedosperíodosdedicadosaoplanejamento,àavaliaçãoeao desenvolvimentoprofissional; VI–colaborarcomasatividadesdearticulaçãodaescolacomasfamílias eacomunidade. Art.14.Ossistemasdeensinodefinirãoasnormasdagestãodemocrítica doensinopébliconaeducaçãobísica,deacordocomassuaspeculiarida- deseconformeosseguintesprincípios: I–participaçãodosprofissionaisdaeducaçãonaelaboraçãodoprojetope- dagógicodaescola; II–participaçãodascomunidadesescolarelocalemconselhosescolares ouequivalentes. Art.15.Ossistemasdeensinoassegurarãoàsunidadesescolarespéblicas deeducaçãobísicaqueosintegramprogressivosgrausdeautonomiapeda- gógicaeadministrativaedegestãofinanceira,observadasasnormasgerais dedireitofinanceiropéblico. Art.16.Osistemafederaldeensinocompreende: I–asinstituiçúesdeensinomantidaspelaUnião; II–asinstituiçúesdeeducaçãosuperiorcriadasemantidaspelainiciativa privada; III–osórgãosfederaisdeeducação. 13IncisoacrescidopelaLeinº10.287,de10-9-2001. Série Legislação16 Art.17.OssistemasdeensinodosestadosedoDistritoFederal compreendem: I–asinstituiçúesdeensinomantidas,respectivamente,pelopoderpéblico estadualepeloDistritoFederal; II–asinstituiçúesdeeducaçãosuperiormantidaspelopoderpéblico municipal; III–asinstituiçúesdeensinofundamentalemédiocriadasemantidaspela iniciativaprivada; IV–osórgãosdeeducaçãoestaduaisedoDistritoFederal,respectivamente. Parágrafoúnico.NoDistritoFederal,asinstituiçúesdeeducaçãoinfantil, criadasemantidaspelainiciativaprivada,integramseusistemadeensino. Art.18.Ossistemasmunicipaisdeensinocompreendem: I–asinstituiçúesdoensinofundamental,médioedeeducaçãoinfantil mantidaspelopoderpéblicomunicipal; II–asinstituiçúesdeeducaçãoinfantilcriadasemantidaspelainiciativa privada; III–osórgãosmunicipaisdeeducação. Art.19.Asinstituiçúesdeensinodosdiferentesníveisclassificam-senas seguintescategoriasadministrativas: I–péblicas,assimentendidasascriadasouincorporadas,mantidaseadmi- nistradaspelopoderpéblico; II–privadas,assimentendidasasmantidaseadministradasporpessoas físicasoujurídicasdedireitoprivado. Art.20.Asinstituiçúesprivadasdeensinoseenquadrarãonasseguintes categorias: I–particularesemsentidoestrito,assimentendidasasquesãoinstituídas emantidasporumaoumaispessoasfísicasoujurídicasdedireitoprivado quenãoapresentemascaracterísticasdosincisosabaixo; 14 II–comunitírias,assimentendidasasquesãoinstituídasporgruposde pessoasfísicasouporumaoumaispessoasjurídicas,inclusivecooperati- vaseducacionais,semfinslucrativos,queincluamnasuaentidademante- nedorarepresentantesdacomunidade; 14IncisocomredaçãodadapelaLeinº12.020,de27-8-2009.
  9. 9. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição17 III–confessionais,assimentendidasasquesãoinstituídasporgruposde pessoasfísicasouporumaoumaispessoasjurídicasqueatendemaorien- taçãoconfessionaleideologiaespecíficaseaodispostonoincisoanterior; IV–filantrópicas,naformadalei. TÍTULOV DOSNÍVEISEDASMODALIDADESDEEDUCAÇÃOEENSINO CAPÍTULOI DACOMPOSIÇÃODOSNÍVEISESCOLARES Art.21.Aeducaçãoescolarcompõe-sede: I–educaçãobásica,formadapelaeducaçãoinfantil,ensinofundamentale ensinomédio; II–educaçãosuperior. CAPÍTULOII DAEDUCAÇÃOBÁSICA SeçãoI DasDisposiçõesGerais Art.22.Aeducaçãobásicatemporfinalidadesdesenvolveroeducando,as- segurar-lheaformaçãocomumindispensávelparaoexercíciodacidadania efornecer-lhemeiosparaprogredirnotrabalhoeemestudosposteriores. Art.23.Aeducaçãobásicapoderáorganizar-seemsériesanuais,períodos semestrais,ciclos,alternânciaregulardeperíodosdeestudos,gruposnão seriados,combasenaidade,nacompetênciaeemoutroscritérios,oupor formadiversadeorganização,semprequeointeressedoprocessodeapre- dizagemassimorecomendar. §1ºAescolapoderáreclassificarosalunos,inclusivequandosetratarde transferênciasentreestabelecimentossituadosnopaísenoexterior,tendo comobaseasnormascurricularesgerais. §2ºOcalendárioescolardeveráadequar-seàspeculiaridadeslocais,in- clusiveclimáticaseeconômicas,acritériodorespectivosistemadeensino, semcomissoreduzironúmerodehorasletivasprevistonestalei. Série Legislação18 Art.24.Aeducaçãobásica,nosníveisfundamentalemédio,seráorganiza- dadeacordocomasseguintesregrascomuns: I–acargahoráriamínimaanualserádeoitocentashoras,distribuídaspor ummínimodeduzentosdiasdeefetivotrabalhoescolar,excluídootempo reservadoaosexamesfinais,quandohouver; II–aclassificaçãoemqualquersérieouetapa,excetoaprimeiradoensino fundamental,podeserfeita: a)porpromoção,paraalunosquecursaram,comaproveitamento,a sérieoufaseanterior,naprópriaescola; b)portransferência,paracandidatosprocedentesdeoutrasescolas; c)independentementedeescolarizaçãoanterior,medianteavaliação feitapelaescola,quedefinaograudedesenvolvimentoeexperiên- ciadocandidatoepermitasuainscriçãonasérieouetapaadequa- da,conformeregulamentaçãodorespectivosistemadeensino; III–nosestabelecimentosqueadotamaprogressãoregularporsérie,o regimentoescolarpodeadmitirformasdeprogressãoparcial,desdeque preservadaasequênciadocurrículo,observadasasnormasdorespectivo sistemadeensino; IV–poderãoorganizar-seclasses,outurmas,comalunosdesériesdistin- tas,comníveisequivalentesdeadiantamentonamatéria,paraoensinode línguasestrangeiras,artes,ououtroscomponentescurriculares; V–averificaçãodorendimentoescolarobservaráosseguintescritérios: a)avaliaçãocontínuaecumulativadodesempenhodoaluno,com prevalênciadosaspectosqualitativossobreosquantitativosedos resultadosaolongodoperíodosobreosdeeventuaisprovasfinais; b)possibilidadedeaceleraçãodeestudosparaalunoscomatraso escolar; c)possibilidadedeavançonoscursosenassériesmedianteverificação doaprendizado; d)aproveitamentodeestudosconcluídoscomêxito; e)obrigatoriedadedeestudosderecuperação,depreferênciaparalelos aoperíodoletivo,paraoscasosdebaixorendimentoescolar,ase- remdisciplinadospelasinstituiçõesdeensinoemseusregimentos; VI–ocontroledefrequênciaficaacargodaescola,conformeodisposto noseuregimentoenasnormasdorespectivosistemadeensino,exigidaa frequênciamínimadesetentaecincoporcentodototaldehorasletivas paraaprovação;
  10. 10. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição19 VII–cabeacadainstituiçãodeensinoexpedirhistóricosescolares,de- claraçõesdeconclusãodesérieediplomasoucertificadosdeconclusãode cursos,comasespecificaçõescabíveis. Art.25.Seráobjetivopermanentedasautoridadesresponsáveisalcançar relaçãoadequadaentreonúmerodealunoseoprofessor,acargahoráriae ascondiçõesmateriaisdoestabelecimento. Parágrafoúnico.Cabeaorespectivosistemadeensino,àvistadascondi- çõesdisponíveisedascaracterísticasregionaiselocais,estabelecerparâ- metroparaatendimentododispostonesteartigo. Art.26.Oscurrículosdoensinofundamentalemédiodevemterumabase nacionalcomum,asercomplementada,emcadasistemadeensinoeesta- belecimentoescolar,porumapartediversificada,exigidapelascaracterís- ticasregionaiselocaisdasociedade,dacultura,daeconomiaedaclientela. §1ºOscurrículosaqueserefereocaputdevemabranger,obrigatoriamente, oestudodalínguaportuguesaedamatemática,oconhecimentodomundo físicoenaturaledarealidadesocialepolítica,especialmentedoBrasil. 15 §2ºOensinodaarte,especialmenteemsuasexpressõesregionais,cons- tituirácomponentecurricularobrigatórionosdiversosníveisdaeducação básica,deformaapromoverodesenvolvimentoculturaldosalunos. 16 §3ºAeducaçãofísica,integradaàpropostapedagógicadaescola,écom- ponentecurricularobrigatóriodaeducaçãobásica,sendosuapráticafacul- tativaaoaluno: I–quecumprajornadadetrabalhoigualousuperioraseishoras; II–maiordetrintaanosdeidade; III–queestiverprestandoserviçomilitarinicialouque,emsituaçãosimi- lar,estiverobrigadoàpráticadaeducaçãofísica; IV–amparadopeloDecreto-Leinº1.044,de21deoutubrode1969; V–(vetado); VI–quetenhaprole. §4ºOensinodahistóriadoBrasillevaráemcontaascontribuiçõesdas diferentesculturaseetniasparaaformaçãodopovobrasileiro,especial- mentedasmatrizesindígena,africanaeeuropeia. §5ºNapartediversificadadocurrículoseráincluído,obrigatoriamente, apartirdaquintasérie,oensinodepelomenosumalínguaestrangeira 15ParágrafocomredaçãodadapelaLeino 12.287,de13-7-2010. 16ParágrafocomredaçãodadapelaLeino 10.793,de1-12-2003. Série Legislação20 moderna,cujaescolhaficaráacargodacomunidadeescolar,dentrodas possibilidadesdainstituição. 17 §6ºAmúsicadeveráserconteúdoobrigatório18 ,masnãoexclusivo,do componentecurriculardequetratao§2ºdesteartigo. 19 §7ºOscurrículosdoensinofundamentalemédiodevemincluirosprin- cípiosdaproteçãoedefesacivileaeducaçãoambientaldeformaintegrada aosconteúdosobrigatórios. 20 Art.26-A.Nosestabelecimentosdeensinofundamentaledeensinomé- dio,públicoseprivados,torna-seobrigatóriooestudodahistóriaecultura afro-brasileiraeindígena. §1ºOconteúdoprogramáticoaqueserefereesteartigoincluirádiversos aspectosdahistóriaedaculturaquecaracterizamaformaçãodapopula- çãobrasileira,apartirdessesdoisgruposétnicos,taiscomooestudoda históriadaÁfricaedosafricanos,alutadosnegrosedospovosindígenas noBrasil,aculturanegraeindígenabrasileiraeonegroeoíndionafor- maçãodasociedadenacional,resgatandoassuascontribuiçõesnasáreas social,econômicaepolítica,pertinentesàhistóriadoBrasil. §2ºOsconteúdosreferentesàhistóriaeculturaafro-brasileiraedospovos indígenasbrasileirosserãoministradosnoâmbitodetodoocurrículoes- colar,emespecialnasáreasdeeducaçãoartísticaedeliteraturaehistória brasileiras. Art.27.Osconteúdoscurricularesdaeducaçãobásicaobservarão,ainda, asseguintesdiretrizes: I–adifusãodevaloresfundamentaisaointeressesocial,aosdireitosede- veresdoscidadãos,derespeitoaobemcomumeàordemdemocrática; II–consideraçãodascondiçõesdeescolaridadedosalunosemcada estabelecimento; III–orientaçãoparaotrabalho; IV–promoçãododesportoeducacionaleapoioàspráticasdesportivasnão formais. 17ParágrafoacrescidopelaLeinº11.769,de18-8-2008. 18Oart.3ºdaLeinº11.769,de18-8-2008,determinaqueossistemasdeensinoterãotrêsanosletivos paraseadaptaremaessaexigência. 19ParágrafoacrescidopelaLeinº12.608,de10-4-2012. 20ArtigoacrescidopelaLeinº10.639,de9-1-2003,ecomredaçãodadapelaLeinº11.645,de 10-3-2008.
  11. 11. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição21 Art.28.Naofertadeeducaçãobásicaparaapopulaçãorural,ossistemas deensinopromoverãoasadaptaçõesnecessáriasàsuaadequaçãoàspecu- liaridadesdavidaruraledecadaregião,especialmente: I–conteúdoscurricularesemetodologiasapropriadasàsreaisnecessida- deseinteressesdosalunosdazonarural; II–organizaçãoescolarprópria,incluindoadequaçãodocalendárioesco- laràsfasesdocicloagrícolaeàscondiçõesclimáticas; III–adequaçãoànaturezadotrabalhonazonarural. SeçãoII DaEducaçãoInfantil Art.29.Aeducaçãoinfantil,primeiraetapadaeducaçãobásica,temcomo finalidadeodesenvolvimentointegraldacriançaatéseisanosdeidade,em seusaspectosfísico,psicológico,intelectualesocial,complementandoa açãodafamíliaedacomunidade. Art.30.Aeducaçãoinfantilseráoferecidaem: I–creches,ouentidadesequivalentes,paracriançasdeatétrêsanosde idade; II–pré-escolas,paraascriançasdequatroaseisanosdeidade. Art.31.Naeducaçãoinfantilaavaliaçãofar-se-ámedianteacompanha- mentoeregistrodoseudesenvolvimento,semoobjetivodepromoção, mesmoparaoacessoaoensinofundamental. SeçãoIII DoEnsinoFundamental 21 Art.32.Oensinofundamentalobrigatório,comduraçãodenoveanos, gratuitonaescolapública,iniciando-seaosseisanosdeidade,teráporob- jetivoaformaçãobásicadocidadão,mediante: I–odesenvolvimentodacapacidadedeaprender,tendocomomeiosbási- cosoplenodomíniodaleitura,daescritaedocálculo; II–acompreensãodoambientenaturalesocial,dosistemapolítico,da tecnologia,dasartesedosvaloresemquesefundamentaasociedade; 21CaputcomredaçãodadapelaLeinº11.274,de7-2-2006. Série Legislação22 III–odesenvolvimentodacapacidadedeaprendizagem,tendoemvis- taaaquisiçãodeconhecimentosehabilidadeseaformaçãodeatitudese valores; IV–ofortalecimentodosvínculosdefamília,doslaçosdesolidariedade humanaedetolerânciarecíprocaemqueseassentaavidasocial. §1ºÉfacultadoaossistemasdeensinodesdobraroensinofundamentalem ciclos. §2ºOsestabelecimentosqueutilizamprogressãoregularporsériepodem adotarnoensinofundamentaloregimedeprogressãocontinuada,sem prejuízodaavaliaçãodoprocessodeensino-aprendizagem,observadasas normasdorespectivosistemadeensino. §3ºOensinofundamentalregularseráministradoemlínguaportuguesa, asseguradaàscomunidadesindígenasautilizaçãodesuaslínguasmaternas eprocessosprópriosdeaprendizagem. §4ºOensinofundamentalserápresencial,sendooensinoadistânciautiliza- docomocomplementaçãodaaprendizagemouemsituaçõesemergenciais. 22 §5ºOcurrículodoensinofundamentalincluirá,obrigatoriamente,con- teúdoquetratedosdireitosdascriançasedosadolescentes,tendocomo diretrizaLeinº8.069,de13dejulhode1990,queinstituioEstatutoda CriançaedoAdolescente,observadaaproduçãoedistribuiçãodematerial didáticoadequado. 23 §6ºOestudosobreossímbolosnacionaisseráincluídocomotematrans- versalnoscurrículosdoensinofundamental. 24 Art.33.Oensinoreligioso,dematrículafacultativa,éparteintegranteda formaçãobásicadocidadãoeconstituidisciplinadoshoráriosnormaisdas escolaspúblicasdeensinofundamental,asseguradoorespeitoàdiversida- deculturalreligiosadoBrasil,vedadasquaisquerformasdeproselitismo. §1ºOssistemasdeensinoregulamentarãoosprocedimentosparaa definiçãodosconteúdosdoensinoreligiosoeestabelecerãoasnormaspara ahabilitaçãoeadmissãodosprofessores. §2ºOssistemasdeensinoouvirãoentidadecivil,constituídapelasdife- rentesdenominaçõesreligiosas,paraadefiniçãodosconteúdosdoensino religioso. 22ParágrafoacrescidopelaLeinº11.525,de25-9-2007. 23ParágrafoacrescidopelaLeinº12.472,de1-9-2011,emvigornoventadiasapóssuapublicação, queocorreunoDiárioOficialdaUniãode2-9-2011. 24ArtigocomredaçãodadapelaLeinº9.475,de27-7-1997.
  12. 12. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição23 Art.34.Ajornadaescolarnoensinofundamentalincluirápelomenosqua- trohorasdetrabalhoefetivoemsaladeaula,sendoprogressivamenteam- pliadooperíododepermanêncianaescola. §1ºSãoressalvadososcasosdoensinonoturnoedasformasalternativasde organizaçãoautorizadasnestalei. §2ºOensinofundamentalseráministradoprogressivamenteemtempo integral,acritériodossistemasdeensino. SeçãoIV DoEnsinoMédio Art.35.Oensinomédio,etapafinaldaeducaçãobásica,comduraçãomí- nimadetrêsanos,terácomofinalidades: I–aconsolidaçãoeoaprofundamentodosconhecimentosadquiridosno ensinofundamental,possibilitandooprosseguimentodeestudos; II–apreparaçãobásicaparaotrabalhoeacidadaniadoeducando,para continuaraprendendo,demodoasercapazdeseadaptarcomflexibilidade anovascondiçõesdeocupaçãoouaperfeiçoamentoposteriores; III–oaprimoramentodoeducandocomopessoahumana,incluindoafor- maçãoéticaeodesenvolvimentodaautonomiaintelectualedopensamen- tocrítico; IV–acompreensãodosfundamentoscientífico-tecnológicosdosprocessos produtivos,relacionandoateoriacomaprática,noensinodecadadisciplina. Art.36.OcurrículodoensinomédioobservaráodispostonaSeçãoIdeste capítuloeasseguintesdiretrizes: I–destacaráaeducaçãotecnológicabásica,acompreensãodosignificado daciência,dasletrasedasartes;oprocessohistóricodetransformaçãoda sociedadeedacultura;alínguaportuguesacomoinstrumentodecomuni- cação,acessoaoconhecimentoeexercíciodacidadania; II–adotarámetodologiasdeensinoedeavaliaçãoqueestimulemainicia- tivadosestudantes; III–seráincluídaumalínguaestrangeiramoderna,comodisciplinaobriga- tória,escolhidapelacomunidadeescolar,eumasegunda,emcaráteroptati- vo,dentrodasdisponibilidadesdainstituição; Série Legislação24 25 IV–serãoincluídasafilosofiaeasociologiacomodisciplinasobrigatórias emtodasassériesdoensinomédio. §1ºOsconteúdos,asmetodologiaseasformasdeavaliaçãoserãoorgani- zadosdetalformaqueaofinaldoensinomédiooeducandodemonstre: I–domíniodosprincípioscientíficosetecnológicosquepresidemapro- duçãomoderna; II–conhecimentodasformascontemporâneasdelinguagem; 26 III–(revogado). 27 §2º(Revogado.) §3ºOscursosdoensinomédioterãoequivalêncialegalehabilitarãoao prosseguimentodeestudos. 28 §4º(Revogado.) 29 SeçãoIV-A DaEducaçãoProfissionalTécnicadeNívelMédio Art.36-A.SemprejuízododispostonaSeçãoIVdestecapítulo,oensino médio,atendidaaformaçãogeraldoeducando,poderáprepará-loparao exercíciodeprofissõestécnicas. Parágrafoúnico.Apreparaçãogeralparaotrabalhoe,facultativamente,a habilitaçãoprofissionalpoderãoserdesenvolvidasnosprópriosestabeleci- mentosdeensinomédioouemcooperaçãocominstituiçõesespecializadas emeducaçãoprofissional. Art.36-B.Aeducaçãoprofissionaltécnicadenívelmédioserádesenvolvi- danasseguintesformas: I–articuladacomoensinomédio; II–subsequente,emcursosdestinadosaquemjátenhaconcluídooensino médio. Parágrafoúnico.Aeducaçãoprofissionaltécnicadenívelmédiodeverá observar: I–osobjetivosedefiniçõescontidosnasdiretrizescurricularesnacionais estabelecidaspeloConselhoNacionaldeEducação; II–asnormascomplementaresdosrespectivossistemasdeensino; 25IncisoacrescidopelaLeinº11.684,de2-6-2008. 26IncisorevogadopelaLeinº11.684,de2-6-2008. 27ParágraforevogadopelaLeinº11.741,de16-7-2008. 28Idem. 29SeçãoacrescidapelaLeinº11.741,de16-7-2008.
  13. 13. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição25 III–asexigênciasdecadainstituiçãodeensino,nostermosdeseuprojeto pedagógico. Art.36-C.Aeducaçãoprofissionaltécnicadenívelmédioarticulada,pre- vistanoincisoIdocaputdoart.36-Bdestalei,serádesenvolvidadeforma: I–integrada,oferecidasomenteaquemjátenhaconcluídooensinofun- damental,sendoocursoplanejadodemodoaconduziroalunoàhabilita- çãoprofissionaltécnicadenívelmédio,namesmainstituiçãodeensino, efetuando-sematrículaúnicaparacadaaluno; II–concomitante,oferecidaaquemingressenoensinomédiooujáoeste- jacursando,efetuando-sematrículasdistintasparacadacurso,epodendo ocorrer: a)namesmainstituiçãodeensino,aproveitando-seasoportunidades educacionaisdisponíveis; b)eminstituiçõesdeensinodistintas,aproveitando-seasoportuni- dadeseducacionaisdisponíveis; c)eminstituiçõesdeensinodistintas,medianteconvêniosdeinter- complementaridade,visandoaoplanejamentoeaodesenvolvimen- todeprojetopedagógicounificado. Art.36-D.Osdiplomasdecursosdeeducaçãoprofissionaltécnicadenível médio,quandoregistrados,terãovalidadenacionalehabilitarãoaoprosse- guimentodeestudosnaeducaçãosuperior. Parágrafoúnico.Oscursosdeeducaçãoprofissionaltécnicadenívelmédio, nasformasarticuladaconcomitanteesubsequente,quandoestruturados eorganizadosemetapascomterminalidade,possibilitarãoaobtençãode certificadosdequalificaçãoparaotrabalhoapósaconclusão,comaprovei- tamento,decadaetapaquecaracterizeumaqualificaçãoparaotrabalho. SeçãoV DaEducaçãodeJovenseAdultos Art.37.Aeducaçãodejovenseadultosserádestinadaàquelesquenãoti- veramacessooucontinuidadedeestudosnoensinofundamentalemédio naidadeprópria. §1ºOssistemasdeensinoassegurarãogratuitamenteaosjovenseaosadul- tos,quenãopuderamefetuarosestudosnaidaderegular,oportunidades educacionaisapropriadas,consideradasascaracterísticasdoalunado,seus interesses,condiçõesdevidaedetrabalho,mediantecursoseexames. Série Legislação26 §2ºOpoderpúblicoviabilizaráeestimularáoacessoeapermanênciado trabalhadornaescola,medianteaçõesintegradasecomplementaresentresi. 30 §3ºAeducaçãodejovenseadultosdeveráarticular-se,preferencialmen- te,comaeducaçãoprofissional,naformadoregulamento. Art.38.Ossistemasdeensinomanterãocursoseexamessupletivos,que compreenderãoabasenacionalcomumdocurrículo,habilitandoaopros- seguimentodeestudosemcaráterregular. §1ºOsexamesaqueserefereesteartigorealizar-se-ão: I–noníveldeconclusãodoensinofundamental,paraosmaioresdequinze anos; II–noníveldeconclusãodoensinomédio,paraosmaioresdedezoitoanos. §2ºOsconhecimentosehabilidadesadquiridospeloseducandospormeios informaisserãoaferidosereconhecidosmedianteexames. CAPÍTULOIII DAEDUCAÇÃOPROFISSIONALETECNOLÓGICA31 32 Art.39.Aeducaçãoprofissionaletecnológica,nocumprimentodosobje- tivosdaeducaçãonacional,integra-seaosdiferentesníveisemodalidadesde educaçãoeàsdimensõesdotrabalho,daciênciaedatecnologia. §1ºOscursosdeeducaçãoprofissionaletecnológicapoderãoserorga- nizadosporeixostecnológicos,possibilitandoaconstruçãodediferentes itineráriosformativos,observadasasnormasdorespectivosistemaenível deensino. §2ºAeducaçãoprofissionaletecnológicaabrangeráosseguintescursos: I–deformaçãoinicialecontinuadaouqualificaçãoprofissional; II–deeducaçãoprofissionaltécnicadenívelmédio; III–deeducaçãoprofissionaltecnológicadegraduaçãoepós-graduação. §3ºOscursosdeeducaçãoprofissionaltecnológicadegraduaçãoepós- graduaçãoorganizar-se-ão,noqueconcerneaobjetivos,característicase duração,deacordocomasdiretrizescurricularesnacionaisestabelecidas peloConselhoNacionaldeEducação. 30ParágrafoacrescidopelaLeinº11.741,de16-7-2008. 31TítulodocapítulocomredaçãodadapelaLeinº11.741,de16-7-2008. 32ArtigoregulamentadopeloDecretonº5.154,de23-7-2004,ecomredaçãodadapelaLeinº11.741, de16-7-2008.
  14. 14. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição27 33 Art.40.Aeducaçãoprofissionalserádesenvolvidaemarticulaçãocom oensinoregularoupordiferentesestratégiasdeeducaçãocontinuada,em instituiçõesespecializadasounoambientedetrabalho. 34 Art.41.Oconhecimentoadquiridonaeducaçãoprofissionaletecnológi- ca,inclusivenotrabalho,poderáserobjetodeavaliação,reconhecimentoe certificaçãoparaprosseguimentoouconclusãodeestudos. Parágrafoúnico.(Revogado.) 35 Art.42.Asinstituiçõesdeeducaçãoprofissionaletecnológica,alémdos seuscursosregulares,oferecerãocursosespeciais,abertosàcomunidade, condicionadaamatrículaàcapacidadedeaproveitamentoenãonecessaria- menteaoníveldeescolaridade. CAPÍTULOIV DAEDUCAÇÃOSUPERIOR Art.43.Aeducaçãosuperiortemporfinalidade: I–estimularacriaçãoculturaleodesenvolvimentodoespíritocientíficoe dopensamentoreflexivo; II–formardiplomadosnasdiferentesáreasdeconhecimento,aptosparaa inserçãoemsetoresprofissionaiseparaaparticipaçãonodesenvolvimento dasociedadebrasileira,ecolaborarnasuaformaçãocontínua; III–incentivarotrabalhodepesquisaeinvestigaçãocientífica,visandoao desenvolvimentodaciênciaedatecnologiaedacriaçãoedifusãodacultura, e,dessemodo,desenvolveroentendimentodohomemedomeioemquevive; IV–promoveradivulgaçãodeconhecimentosculturais,científicosetéc- nicosqueconstituempatrimôniodahumanidadeecomunicarosaberatra- vésdoensino,depublicaçõesoudeoutrasformasdecomunicação; V–suscitarodesejopermanentedeaperfeiçoamentoculturaleprofissional epossibilitaracorrespondenteconcretização,integrandoosconhecimentos quevãosendoadquiridosnumaestruturaintelectualsistematizadoradoco- nhecimentodecadageração; 33ArtigoregulamentadopeloDecretonº5.154,de23-7-2004. 34ArtigoregulamentadopeloDecretonº5.154,de23-7-2004,ecomredaçãodadapelaLeinº11.741, de16-7-2008. 35ArtigocomredaçãodadapelaLeinº11.741,de16-7-2008. Série Legislação28 VI–estimularoconhecimentodosproblemasdomundopresente,empar- ticularosnacionaiseregionais,prestarserviçosespecializadosàcomuni- dadeeestabelecercomestaumarelaçãodereciprocidade; VII–promoveraextensão,abertaàparticipaçãodapopulação,visando àdifusãodasconquistasebenefíciosresultantesdacriaçãoculturaleda pesquisacientíficaetecnológicageradasnainstituição. Art.44.Aeducaçãosuperiorabrangeráosseguintescursoseprogramas: 36 I–cursossequenciaisporcampodesaber,dediferentesníveisdeabrangên- cia,abertosacandidatosqueatendamaosrequisitosestabelecidospelasinsti- tuiçõesdeensino,desdequetenhamconcluídooensinomédioouequivalente; II–degraduação,abertosacandidatosquetenhamconcluídooensino médioouequivalenteetenhamsidoclassificadosemprocessoseletivo; III–depós-graduação,compreendendoprogramasdemestradoedouto- rado,cursosdeespecialização,aperfeiçoamentoeoutros,abertosacandi- datosdiplomadosemcursosdegraduaçãoequeatendamàsexigênciasdas instituiçõesdeensino; IV–deextensão,abertosacandidatosqueatendamaosrequisitosestabe- lecidosemcadacasopelasinstituiçõesdeensino. 37 Parágrafoúnico.OsresultadosdoprocessoseletivoreferidonoincisoIIdo caputdesteartigoserãotornadospúblicospelasinstituiçõesdeensinosu- perior,sendoobrigatóriaadivulgaçãodarelaçãonominaldosclassificados, arespectivaordemdeclassificação,bemcomodocronogramadascha- madasparamatrícula,deacordocomoscritériosparapreenchimentodas vagasconstantesdorespectivoedital. Art.45.Aeducaçãosuperiorseráministradaeminstituiçõesdeensi- nosuperior,públicasouprivadas,comvariadosgrausdeabrangênciaou especialização. 38 Art.46.Aautorizaçãoeoreconhecimentodecursos,bemcomoocre- denciamentodeinstituiçõesdeeducaçãosuperior,terãoprazoslimitados, sendorenovados,periodicamente,apósprocessoregulardeavaliação. 36IncisocomredaçãodadapelaLeinº11.632,de27-12-2007. 37ParágrafoacrescidopelaLeinº11.331,de25-7-2006. 38ArtigoregulamentadopeloDecretonº5.773,de9-5-2006.ALeinº10.870,de19-5-2004,instituiu aTaxadeAvaliaçãoinloco,emfavordoInstitutoNacionaldeEstudosePesquisasEducacionais AnísioTeixeira(Inep),pelasavaliaçõesperiódicasquerealizar,quandoformuladasolicitaçãode credenciamentoourenovaçãodecredenciamentodeinstituiçãodeeducaçãosuperioresolicita- çãodeautorização,reconhecimentoourenovaçãodereconhecimentodecursosdegraduação.
  15. 15. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição29 39 §1ºApósumprazoparasaneamentodedeficiênciaseventualmente identificadaspelaavaliaçãoaqueserefereesteartigo,haveráreavaliação, quepoderáresultar,conformeocaso,emdesativaçãodecursosehabilita- ções,emintervençãonainstituição,emsuspensãotemporáriadeprerroga- tivasdaautonomia,ouemdescredenciamento. §2ºNocasodeinstituiçãopública,oPoderExecutivoresponsávelporsua manutençãoacompanharáoprocessodesaneamentoefornecerárecursos adicionais,senecessários,paraasuperaçãodasdeficiências. Art.47.Naeducaçãosuperior,oanoletivoregular,independentedoanoci- vil,tem,nomínimo,duzentosdiasdetrabalhoacadêmicoefetivo,excluídoo temporeservadoaosexamesfinais,quandohouver. §1ºAsinstituiçõesinformarãoaosinteressados,antesdecadaperíodo letivo,osprogramasdoscursosedemaiscomponentescurriculares,sua duração,requisitos,qualificaçãodosprofessores,recursosdisponíveisecri- tériosdeavaliação,obrigando-seacumprirasrespectivascondições. §2ºOsalunosquetenhamextraordinárioaproveitamentonosestudos,de- monstradopormeiodeprovaseoutrosinstrumentosdeavaliaçãoespecíficos, aplicadosporbancaexaminadoraespecial,poderãoterabreviadaaduração dosseuscursos,deacordocomasnormasdossistemasdeensino. §3ºÉobrigatóriaafrequênciadealunoseprofessores,salvonosprogramas deeducaçãoadistância. §4ºAsinstituiçõesdeeducaçãosuperioroferecerão,noperíodonoturno, cursosdegraduaçãonosmesmospadrõesdequalidademantidosnoperíodo diurno,sendoobrigatóriaaofertanoturnanasinstituiçõespúblicas,garanti- daanecessáriaprevisãoorçamentária. Art.48.Osdiplomasdecursossuperioresreconhecidos,quandoregistrados, terãovalidadenacionalcomoprovadaformaçãorecebidaporseutitular. §1ºOsdiplomasexpedidospelasuniversidadesserãoporelasprópriasre- gistrados,eaquelesconferidosporinstituiçõesnãouniversitáriasserãore- gistradosemuniversidadesindicadaspeloConselhoNacionaldeEducação. §2ºOsdiplomasdegraduaçãoexpedidosporuniversidadesestrangeiras serãorevalidadosporuniversidadespúblicasquetenhamcursodomesmo níveleáreaouequivalente,respeitando-seosacordosinternacionaisdere- ciprocidadeouequiparação. 39ATaxadeAvaliaçãoinloco,dequetrataaLeinº10.870,de19-5-2004,serátambémdevidano casodareavaliaçãodequetrataesseparágrafo. Série Legislação30 §3ºOsdiplomasdemestradoededoutoradoexpedidosporuniversidades estrangeirassópoderãoserreconhecidosporuniversidadesquepossuam cursosdepós-graduaçãoreconhecidoseavaliados,namesmaáreadeconhe- cimentoeemnívelequivalenteousuperior. Art.49.Asinstituiçõesdeeducaçãosuperioraceitarãoatransferênciade alunosregulares,paracursosafins,nahipótesedeexistênciadevagas,e medianteprocessoseletivo. 40 Parágrafoúnico.Astransferênciasexofficiodar-se-ãonaformadalei. Art.50.Asinstituiçõesdeeducaçãosuperior,quandodaocorrênciadeva- gas,abrirãomatrículanasdisciplinasdeseuscursosaalunosnãoregulares quedemonstraremcapacidadedecursá-lascomproveito,medianteproces- soseletivoprévio. Art.51.Asinstituiçõesdeeducaçãosuperiorcredenciadascomouniversida- des,aodeliberarsobrecritériosenormasdeseleçãoeadmissãodeestudan- tes,levarãoemcontaosefeitosdessescritériossobreaorientaçãodoensino médio,articulando-secomosórgãosnormativosdossistemasdeensino. Art.52.Asuniversidadessãoinstituiçõespluridisciplinaresdeformação dosquadrosprofissionaisdenívelsuperior,depesquisa,deextensãoede domínioecultivodosaberhumano,quesecaracterizampor: I–produçãointelectualinstitucionalizadamedianteoestudosistemático dostemaseproblemasmaisrelevantes,tantodopontodevistacientíficoe cultural,quantoregionalenacional; II–umterçodocorpodocente,pelomenos,comtitulaçãoacadêmicade mestradooudoutorado; III–umterçodocorpodocenteemregimedetempointegral. Parágrafoúnico.Éfacultadaacriaçãodeuniversidadesespecializadaspor campodosaber. Art.53.Noexercíciodesuaautonomia,sãoasseguradasàsuniversidades, semprejuízodeoutras,asseguintesatribuições: I–criar,organizareextinguir,emsuasede,cursoseprogramasdeeduca- çãosuperiorprevistosnestalei,obedecendoàsnormasgeraisdaUniãoe, quandoforocaso,dorespectivosistemadeensino; 40ParágraforegulamentadopelaLeinº9.536,de11-12-1997.
  16. 16. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição31 II–fixaroscurrículosdosseuscursoseprogramas,observadasasdiretri- zesgeraispertinentes; III–estabelecerplanos,programaseprojetosdepesquisacientífica,produ- çãoartísticaeatividadesdeextensão; IV–fixaronúmerodevagasdeacordocomacapacidadeinstitucionaleas exigênciasdoseumeio; V–elaborarereformarosseusestatutoseregimentosemconsonância comasnormasgeraisatinentes; VI–conferirgraus,diplomaseoutrostítulos; VII–firmarcontratos,acordoseconvênios; VIII–aprovareexecutarplanos,programaseprojetosdeinvestimentos referentesaobras,serviçoseaquisiçõesemgeral,bemcomoadministrar rendimentosconformedispositivosinstitucionais; IX–administrarosrendimentosedelesdispornaformaprevistanoatode constituição,nasleisenosrespectivosestatutos; X–recebersubvenções,doações,heranças,legadosecooperaçãofinanceira resultantedeconvênioscomentidadespúblicaseprivadas. Parágrafoúnico.Paragarantiraautonomiadidático-científicadasuniver- sidades,caberáaosseuscolegiadosdeensinoepesquisadecidir,dentrodos recursosorçamentáriosdisponíveis,sobre: I–criação,expansão,modificaçãoeextinçãodecursos; II–ampliaçãoediminuiçãodevagas; III–elaboraçãodaprogramaçãodoscursos; IV–programaçãodaspesquisasedasatividadesdeextensão; V–contrataçãoedispensadeprofessores; VI–planosdecarreiradocente. Art.54.Asuniversidadesmantidaspelopoderpúblicogozarão,naforma dalei,deestatutojurídicoespecialparaatenderàspeculiaridadesdesuaes- trutura,organizaçãoefinanciamentopelopoderpúblico,assimcomodos seusplanosdecarreiraedoregimejurídicodoseupessoal. §1ºNoexercíciodasuaautonomia,alémdasatribuiçõesasseguradaspelo artigoanterior,asuniversidadespúblicaspoderão: I–proporoseuquadrodepessoaldocente,técnicoeadministrativo,assim comoumplanodecargosesalários,atendidasasnormasgeraispertinentes eosrecursosdisponíveis; II–elaboraroregulamentodeseupessoalemconformidadecomasnor- masgeraisconcernentes; Série Legislação32 III–aprovareexecutarplanos,programaseprojetosdeinvestimentosre- ferentesaobras,serviçoseaquisiçõesemgeral,deacordocomosrecursos alocadospelorespectivoPodermantenedor; IV–elaborarseusorçamentosanuaiseplurianuais; V–adotarregimefinanceiroecontábilqueatendaàssuaspeculiaridades deorganizaçãoefuncionamento; VI–realizaroperaçõesdecréditooudefinanciamento,comaprovaçãodoPo- dercompetente,paraaquisiçãodebensimóveis,instalaçõeseequipamentos; VII–efetuartransferências,quitaçõesetomaroutrasprovidênciasde ordemorçamentária,financeiraepatrimonialnecessáriasaoseubom desempenho. §2ºAtribuiçõesdeautonomiauniversitáriapoderãoserestendidasainsti- tuiçõesquecomprovemaltaqualificaçãoparaoensinoouparaapesquisa, combaseemavaliaçãorealizadapelopoderpúblico. Art.55.CaberáàUniãoassegurar,anualmente,emseuorçamentogeral, recursossuficientesparamanutençãoedesenvolvimentodasinstituições deeducaçãosuperiorporelamantidas. Art.56.Asinstituiçõespúblicasdeeducaçãosuperiorobedecerãoaoprin- cípiodagestãodemocrática,asseguradaaexistênciadeórgãoscolegiados deliberativos,dequeparticiparãoossegmentosdacomunidadeinstitucio- nal,localeregional. Parágrafoúnico.Emqualquercaso,osdocentesocuparãosetentaporcento dosassentosemcadaórgãocolegiadoecomissão,inclusivenosquetrata- remdaelaboraçãoemodificaçõesestatutáriaseregimentais,bemcomoda escolhadedirigentes. 41 Art.57.Nasinstituiçõespúblicasdeeducaçãosuperior,oprofessorficará obrigadoaomínimodeoitohorassemanaisdeaulas. 41Conformeoart.3ºdoDecretonº2.668,de13-7-1998,aosdocentesservidoresocupantesdecargo emcomissãoefunçãodeconfiançanãoseaplicaodispostonesseartigo.
  17. 17. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição33 CAPÍTULOV DAEDUCAÇÃOESPECIAL Art.58.Entende-seÍporÍeducaçãoÍespecial,ÍparaÍosÍefeitosÍdestaÍlei,ÍaÍmoda- lidadeÍdeÍeducaçãoÍescolar,ÍoferecidaÍpreferencialmenteÍnaÍredeÍregularÍdeÍ ensino,ÍparaÍeducandosÍportadoresÍdeÍnecessidadesÍespeciais. §Í1ºÍHaverá,ÍquandoÍnecessário,ÍserviçosÍdeÍapoioÍespecializado,ÍnaÍescolaÍ regular,ÍparaÍatenderÍàsÍpeculiaridadesÍdaÍclientelaÍdeÍeducaçãoÍespecial. §Í2ºÍOÍatendimentoÍeducacionalÍseráÍfeitoÍemÍclasses,ÍescolasÍouÍserviçosÍ especializados,ÍsempreÍque,ÍemÍfunçãoÍdasÍcondiçõesÍespecíficasÍdosÍalu- nos,ÍnãoÍforÍpossívelÍaÍsuaÍintegraçãoÍnasÍclassesÍcomunsÍdeÍensinoÍregular. §Í3ºÍAÍofertaÍdeÍeducaçãoÍespecial,ÍdeverÍconstitucionalÍdoÍEstado,ÍtemÍiní- cioÍnaÍfaixaÍetáriaÍdeÍzeroÍaÍseisÍanos,ÍduranteÍaÍeducaçãoÍinfantil. Art.59.OsÍsistemasÍdeÍensinoÍassegurarãoÍaosÍeducandosÍcomÍnecessida- desÍespeciais: IÍ–Ícurrículos,Ímtodos,Ítcnicas,ÍrecursosÍeducativosÍeÍorganizaçãoÍespe- cíficos,ÍparaÍatenderÍàsÍsuasÍnecessidades; IIÍ–ÍterminalidadeÍespecíficaÍparaÍaquelesÍqueÍnãoÍpuderemÍatingirÍoÍní- velÍexigidoÍparaÍaÍconclusãoÍdoÍensinoÍfundamental,ÍemÍvirtudeÍdeÍsuasÍ deficiÇncias,ÍeÍaceleraçãoÍparaÍconcluirÍemÍmenorÍtempoÍoÍprogramaÍesco- larÍparaÍosÍsuperdotados; IIIÍ–ÍprofessoresÍcomÍespecializaçãoÍadequadaÍemÍnívelÍmdioÍouÍsuperior,Í paraÍatendimentoÍespecializado,ÍbemÍcomoÍprofessoresÍdoÍensinoÍregularÍ capacitadosÍparaÍaÍintegraçãoÍdessesÍeducandosÍnasÍclassesÍcomuns; IVÍ–ÍeducaçãoÍespecialÍparaÍoÍtrabalho,ÍvisandoÍaÍsuaÍefetivaÍintegraçãoÍnaÍ vidaÍemÍsociedade,ÍinclusiveÍcondiçõesÍadequadasÍparaÍosÍqueÍnãoÍrevela- remÍcapacidadeÍdeÍinserçãoÍnoÍtrabalhoÍcompetitivo,ÍmedianteÍarticulaçãoÍ comÍosÍÃrgãosÍoficiaisÍafins,ÍbemÍcomoÍparaÍaquelesÍqueÍapresentamÍumaÍ habilidadeÍsuperiorÍnasÍáreasÍartística,ÍintelectualÍouÍpsicomotora; VÍ–ÍacessoÍigualitárioÍaosÍbenefíciosÍdosÍprogramasÍsociaisÍsuplementaresÍ disponíveisÍparaÍoÍrespectivoÍnívelÍdoÍensinoÍregular. Art.60.OsÍÃrgãosÍnormativosÍdosÍsistemasÍdeÍensinoÍestabelecerãoÍcrit- riosÍdeÍcaracterizaçãoÍdasÍinstituiçõesÍprivadasÍsemÍfinsÍlucrativos,Íespe- cializadasÍeÍcomÍatuaçãoÍexclusivaÍemÍeducaçãoÍespecial,ÍparaÍfinsÍdeÍapoioÍ tcnicoÍeÍfinanceiroÍpeloÍpoderÍpçblico. Série Legislação34 ú2 Parágrafoúnico.OÍpoderÍpçblicoÍadotará,ÍcomoÍalternativaÍpreferencial,Í aÍampliaçãoÍdoÍatendimentoÍaosÍeducandosÍcomÍnecessidadesÍespeciaisÍnaÍ prÃpriaÍredeÍpçblicaÍregularÍdeÍensino,ÍindependentementeÍdoÍapoioÍàsÍins- tituiçõesÍprevistasÍnesteÍartigo. TãTULOÍVI DOSÍPROFISSIONAISÍDAÍEDUCAáàO ú3 Art.61.Consideram-seÍprofissionaisÍdaÍeducaçãoÍescolarÍbásicaÍosÍque,Í nelaÍestandoÍemÍefetivoÍexercícioÍeÍtendoÍsidoÍformadosÍemÍcursosÍreco- nhecidos,Ísão: IÍ–ÍprofessoresÍhabilitadosÍemÍnívelÍmdioÍouÍsuperiorÍparaÍaÍdocÇnciaÍnaÍ educaçãoÍinfantilÍeÍnosÍensinosÍfundamentalÍeÍmdio; IIÍ–ÍtrabalhadoresÍemÍeducaçãoÍportadoresÍdeÍdiplomaÍdeÍpedagogia,ÍcomÍ habilitaçãoÍemÍadministração,Íplanejamento,Ísupervisão,ÍinspeçãoÍeÍorien- taçãoÍeducacional,ÍbemÍcomoÍcomÍtítulosÍdeÍmestradoÍouÍdoutoradoÍnasÍ mesmasÍáreas; IIIÍ–ÍtrabalhadoresÍemÍeducação,ÍportadoresÍdeÍdiplomaÍdeÍcursoÍtcnicoÍ ouÍsuperiorÍemÍáreaÍpedagÃgicaÍouÍafim. Parágrafoúnico.AÍformaçãoÍdosÍprofissionaisÍdaÍeducação,ÍdeÍmodoÍaÍ atenderÍàsÍespecificidadesÍdoÍexercícioÍdeÍsuasÍatividades,ÍbemÍcomoÍaosÍ objetivosÍdasÍdiferentesÍetapasÍeÍmodalidadesÍdaÍeducaçãoÍbásica,ÍteráÍ comoÍfundamentos: IÍ–ÍaÍpresençaÍdeÍsÃlidaÍformaçãoÍbásica,ÍqueÍpropicieÍoÍconhecimentoÍdosÍ fundamentosÍcientíficosÍeÍsociaisÍdeÍsuasÍcompetÇnciasÍdeÍtrabalho; IIÍ–ÍaÍassociaçãoÍentreÍteoriasÍeÍpráticas,ÍmedianteÍestágiosÍsupervisionadosÍ eÍcapacitaçãoÍemÍserviço; IIIÍ–ÍoÍaproveitamentoÍdaÍformaçãoÍeÍexperiÇnciasÍanteriores,ÍemÍinstitui- çõesÍdeÍensinoÍeÍemÍoutrasÍatividades. úú Art.62.AÍformaçãoÍdeÍdocentesÍparaÍatuarÍnaÍeducaçãoÍbásicaÍfar-se-áÍ emÍnívelÍsuperior,ÍemÍcursoÍdeÍlicenciatura,ÍdeÍgraduaçãoÍplena,ÍemÍuni- versidadesÍeÍinstitutosÍsuperioresÍdeÍeducação,Íadmitida,ÍcomoÍformaçãoÍ mínimaÍparaÍoÍexercícioÍdoÍmagistrioÍnaÍeducaçãoÍinfantilÍeÍnasÍquatroÍ ú2ÍParágrafoÍregulamentadoÍpeloÍDecretoÍnºÍ6.571,ÍdeÍ17-9-2óó8. ú3ÍArtigoÍregulamentadoÍpeloÍDecretoÍnºÍ3.276,ÍdeÍ6-12-1999,ÍeÍcomÍredaçãoÍdadaÍpelaÍLeiÍnºÍ12.ó1ú,Í deÍ6-8-2óó9. úúÍArtigoÍregulamentadoÍpeloÍDecretoÍnºÍ3.276,ÍdeÍ6-12-1999.
  18. 18. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição35 primeirassériesdoensinofundamental,aoferecidaemnívelmédio,na modalidadeNormal. 45 §1ºAUnião,oDistritoFederal,osestadoseosmunicípios,emregimede colaboração,deverãopromoveraformaçãoinicial,acontinuadaeacapaci- taçãodosprofissionaisdemagistério. 46 §2ºAformaçãocontinuadaeacapacitaçãodosprofissionaisdemagisté- riopoderãoutilizarrecursosetecnologiasdeeducaçãoadistância. 47 §3ºAformaçãoinicialdeprofissionaisdemagistériodarápreferênciaao ensinopresencial,subsidiariamentefazendousoderecursosetecnologias deeducaçãoadistância. 48 Art.63.Osinstitutossuperioresdeeducaçãomanterão: I–cursosformadoresdeprofissionaisparaaeducaçãobásica,inclusiveo cursonormalsuperior,destinadoàformaçãodedocentesparaaeducação infantileparaasprimeirassériesdoensinofundamental; II–programasdeformaçãopedagógicaparaportadoresdediplomasde educaçãosuperiorquequeiramsededicaràeducaçãobásica; III–programasdeeducaçãocontinuadaparaosprofissionaisdeeducação dosdiversosníveis. Art.64.Aformaçãodeprofissionaisdeeducaçãoparaadministração,pla- nejamento,inspeção,supervisãoeorientaçãoeducacionalparaaeducação básica,seráfeitaemcursosdegraduaçãoempedagogiaouemníveldepós- graduação,acritériodainstituiçãodeensino,garantida,nestaformação,a basecomumnacional. Art.65.Aformaçãodocente,excetoparaaeducaçãosuperior,incluiráprá- ticadeensinode,nomínimo,trezentashoras. Art.66.Apreparaçãoparaoexercíciodomagistériosuperiorfar-se-áem níveldepós-graduação,prioritariamenteemprogramasdemestradoe doutorado. Parágrafoúnico.Onotóriosaber,reconhecidoporuniversidadecomcurso dedoutoradoemáreaafim,poderásupriraexigênciadetítuloacadêmico. 45ParagráfoacrescidopelaLeinº12.056,de13-10-2009. 46Idem. 47Idem. 48ArtigoregulamentadopeloDecretonº3.276,de6-12-1999. Série Legislação36 Art.67.Ossistemasdeensinopromoverãoavalorizaçãodosprofissionais daeducação,assegurando-lhes,inclusivenostermosdosestatutosedos planosdecarreiradomagistériopúblico: I–ingressoexclusivamenteporconcursopúblicodeprovasetítulos; II–aperfeiçoamentoprofissionalcontinuado,inclusivecomlicenciamento periódicoremuneradoparaessefim; III–pisosalarialprofissional; IV–progressãofuncionalbaseadanatitulaçãoouhabilitação,enaavalia- çãododesempenho; V–períodoreservadoaestudos,planejamentoeavaliação,incluídonacar- gadetrabalho; VI–condiçõesadequadasdetrabalho. 49 §1ºAexperiênciadocenteépré-requisitoparaoexercícioprofissionalde quaisqueroutrasfunçõesdemagistério,nostermosdasnormasdecada sistemadeensino. 50 §2ºParaosefeitosdodispostono§5ºdoart.40eno§8ºdoart.201daCons- tituiçãoFederal,sãoconsideradasfunçõesdemagistérioasexercidasporpro- fessoreseespecialistasemeducaçãonodesempenhodeatividadeseducativas, quandoexercidasemestabelecimentodeeducaçãobásicaemseusdiversos níveisemodalidades,incluídas,alémdoexercíciodadocência,asdedireção deunidadeescolareasdecoordenaçãoeassessoramentopedagógico. TÍTULOVII DOSRECURSOSFINANCEIROS Art.68.Serãorecursospúblicosdestinadosàeducaçãoosorigináriosde: I–receitadeimpostosprópriosdaUnião,dosestados,doDistritoFederal edosmunicípios; II–receitadetransferênciasconstitucionaiseoutrastransferências; III–receitadosalário-educaçãoedeoutrascontribuiçõessociais; IV–receitadeincentivosfiscais; V–outrosrecursosprevistosemlei. Art.69.AUniãoaplicará,anualmente,nuncamenosdedezoito,eosesta- dos,oDistritoFederaleosmunicípios,vinteecincoporcento,ouoque constanasrespectivasconstituiçõesouleisorgânicas,dareceitaresultante 49Parágrafoúnicooriginaltransformadoem§1ºpelaLeinº11.301,de10-5-2006. 50ParágrafoacrescidopelaLeinº11.301,de10-5-2006.
  19. 19. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição37 deimpostos,compreendidasastransferênciasconstitucionais,namanu- tençãoedesenvolvimentodoensinopúblico. §1ºAparceladaarrecadaçãodeimpostostransferidapelaUniãoaosesta- dos,aoDistritoFederaleaosmunicípios,oupelosestadosaosrespectivos municípios,nãoseráconsiderada,paraefeitodocálculoprevistonestear- tigo,receitadogovernoqueatransferir. §2ºSerãoconsideradasexcluídasdasreceitasdeimpostosmencionadas nesteartigoasoperaçõesdecréditoporantecipaçãodereceitaorçamentá- riadeimpostos. §3ºParafixaçãoinicialdosvalorescorrespondentesaosmínimosestatu- ídosnesteartigo,seráconsideradaareceitaestimadanaleidoorçamento anual,ajustada,quandoforocaso,porleiqueautorizaraaberturadecrédi- tosadicionais,combasenoeventualexcessodearrecadação. §4ºAsdiferençasentreareceitaeadespesaprevistaseasefetivamenterea- lizadas,queresultemnonãoatendimentodospercentuaismínimosobriga- tórios,serãoapuradasecorrigidasacadatrimestredoexercíciofinanceiro. §5ºOrepassedosvaloresreferidosnesteartigodocaixadaUnião,dosesta- dos,doDistritoFederaledosmunicípiosocorreráimediatamenteaoórgão responsávelpelaeducação,observadososseguintesprazos: I–recursosarrecadadosdoprimeiroaodécimodiadecadamês,atéovi- gésimodia; II–recursosarrecadadosdodécimoprimeiroaovigésimodiadecadamês, atéotrigésimodia; III–recursosarrecadadosdovigésimoprimeirodiaaofinaldecadamês, atéodécimodiadomêssub-sequente. §6ºOatrasodaliberaçãosujeitaráosrecursosacorreçãomonetáriaeà responsabilizaçãocivilecriminaldasautoridadescompetentes. Art.70.Considerar-se-ãocomodemanutençãoedesenvolvimentodoen- sinoasdespesasrealizadascomvistasàconsecuçãodosobjetivosbásicos dasinstituiçõeseducacionaisdetodososníveis,compreendendoasquese destinama: I–remuneraçãoeaperfeiçoamentodopessoaldocenteedemaisprofis- sionaisdaeducação; II–aquisição,manutenção,construçãoeconservaçãodeinstalaçõese equipamentosnecessáriosaoensino; III–usoemanutençãodebenseserviçosvinculadosaoensino; Série Legislação38 IV–levantamentosestatísticos,estudosepesquisasvisandoprecipuamen- teaoaprimoramentodaqualidadeeàexpansãodoensino; V–realizaçãodeatividades-meionecessáriasaofuncionamentodossiste- masdeensino; VI–concessãodebolsasdeestudoaalunosdeescolaspúblicaseprivadas; VII–amortizaçãoecusteiodeoperaçõesdecréditodestinadasaatender aodispostonosincisosdesteartigo; VIII–aquisiçãodematerialdidático-escolaremanutençãodeprogramas detransporteescolar. Art.71.Nãoconstituirãodespesasdemanutençãoedesenvolvimentodo ensinoaquelasrealizadascom: I–pesquisa,quandonãovinculadaàsinstituiçõesdeensino,ou,quando efetivadaforadossistemasdeensino,quenãovise,precipuamente,aoapri- moramentodesuaqualidadeouàsuaexpansão; II–subvençãoainstituiçõespúblicasouprivadasdecaráterassistencial, desportivooucultural; III–formaçãodequadrosespeciaisparaaadministraçãopública,sejam militaresoucivis,inclusivediplomáticos; IV–programassuplementaresdealimentação,assistênciamédico-odon- tológica,farmacêuticaepsicológica,eoutrasformasdeassistênciasocial; V–obrasdeinfraestrutura,aindaquerealizadasparabeneficiardiretaou indiretamentearedeescolar; VI–pessoaldocenteedemaistrabalhadoresdaeducação,quandoemdesvio defunçãoouematividadealheiaàmanutençãoedesenvolvimentodoensino. Art.72.Asreceitasedespesascommanutençãoedesenvolvimentodoensi- noserãoapuradasepublicadasnosbalançosdopoderpúblico,assimcomo nosrelatóriosaqueserefereo§3ºdoart.165daConstituiçãoFederal. Art.73.Osórgãosfiscalizadoresexaminarão,prioritariamente,napresta- çãodecontasderecursospúblicos,ocumprimentododispostonoart.212 daConstituiçãoFederal,noart.60doAtodasDisposiçõesConstitucionais Transitóriasenalegislaçãoconcernente. Art.74.AUnião,emcolaboraçãocomosestados,oDistritoFederaleos municípios,estabelecerápadrãomínimodeoportunidadeseducacionais paraoensinofundamental,baseadonocálculodocustomínimoporaluno, capazdeassegurarensinodequalidade.
  20. 20. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição39 Parágrafoúnico.Ocustomínimodequetrataesteartigoserácalculado pelaUniãoaofinaldecadaano,comvalidadeparaoanosubsequente,con- siderandovariaçõesregionaisnocustodosinsumoseasdiversasmodali- dadesdeensino. Art.75.AaçãosupletivaeredistributivadaUniãoedosestadosseráexer- cidademodoacorrigir,progressivamente,asdisparidadesdeacessoega- rantiropadrãomínimodequalidadedeensino. §1ºAaçãoaqueserefereesteartigoobedeceráafórmuladedomíniopú- blicoqueincluaacapacidadedeatendimentoeamedidadoesforçofiscal dorespectivoestado,doDistritoFederaloudomunicípioemfavordama- nutençãoedodesenvolvimentodoensino. §2ºAcapacidadedeatendimentodecadagovernoserádefinidapelarazão entreosrecursosdeusoconstitucionalmenteobrigatórionamanutenção edesenvolvimentodoensinoeocustoanualdoaluno,relativoaopadrão mínimodequalidade. §3ºCombasenoscritériosestabelecidosnos§§1ºe2º,aUniãopoderá fazeratransferênciadiretaderecursosacadaestabelecimentodeensino, consideradoonúmerodealunosqueefetivamentefrequentamaescola. §4ºAaçãosupletivaeredistributivanãopoderáserexercidaemfavordoDis- tritoFederal,dosestadosedosmunicípiosseestesofereceremvagas,naárea deensinodesuaresponsabilidade,conformeoincisoVIdoart.10eoinciso Vdoart.11destalei,emnúmeroinferioràsuacapacidadedeatendimento. Art.76.Aaçãosupletivaeredistributivaprevistanoartigoanteriorficará condicionadaaoefetivocumprimentopelosestados,DistritoFederalemu- nicípiosdodispostonestalei,semprejuízodeoutrasprescriçõeslegais. Art.77.Osrecursospúblicosserãodestinadosàsescolaspúblicas,podendo serdirigidosaescolascomunitárias,confessionaisoufilantrópicasque: I–comprovemfinalidadenãolucrativaenãodistribuamresultados,divi- dendos,bonificações,participaçõesouparceladeseupatrimôniosobne- nhumaformaoupretexto; II–apliquemseusexcedentesfinanceirosemeducação; III–asseguremadestinaçãodeseupatrimônioaoutraescolacomunitária, filantrópicaouconfessional,ouaopoderpúblico,nocasodeencerramento desuasatividades; IV–prestemcontasaopoderpúblicodosrecursosrecebidos. Série Legislação40 §1ºOsrecursosdequetrataesteartigopoderãoserdestinadosabolsasde estudoparaaeducaçãobásica,naformadalei,paraosquedemonstrarem insuficiênciaderecursos,quandohouverfaltadevagasecursosregulares daredepúblicadedomicíliodoeducando,ficandoopoderpúblicoobriga- doainvestirprioritariamentenaexpansãodasuaredelocal. §2ºAsatividadesuniversitáriasdepesquisaeextensãopoderãoreceber apoiofinanceirodopoderpúblico,inclusivemediantebolsasdeestudo. TÍTULOVIII DASDISPOSIÇÕESGERAIS Art.78.OSistemadeEnsinodaUnião,comacolaboraçãodasagências federaisdefomentoàculturaedeassistênciaaosíndios,desenvolverá programasintegradosdeensinoepesquisa,paraofertadeeducaçãoescolar bilíngueeinterculturalaospovosindígenas,comosseguintesobjetivos: I–proporcionaraosíndios,suascomunidadesepovos,arecuperaçãode suasmemóriashistóricas;areafirmaçãodesuasidentidadesétnicas;ava- lorizaçãodesuaslínguaseciências; II–garantiraosíndios,suascomunidadesepovos,oacessoàsinforma- ções,conhecimentostécnicosecientíficosdasociedadenacionaledemais sociedadesindígenasenãoíndias. Art.79.AUniãoapoiarátécnicaefinanceiramenteossistemasdeensino noprovimentodaeducaçãointerculturalàscomunidadesindígenas,de- senvolvendoprogramasintegradosdeensinoepesquisa. §1ºOsprogramasserãoplanejadoscomaudiênciadascomunidades indígenas. §2ºOsprogramasaqueserefereesteartigo,incluídosnosplanosnacionais deeducação,terãoosseguintesobjetivos: I–fortaleceraspráticassocioculturaisealínguamaternadecadacomu- nidadeindígena; II–manterprogramasdeformaçãodepessoalespecializado,destinadoà educaçãoescolarnascomunidadesindígenas; III–desenvolvercurrículoseprogramasespecíficos,nelesincluindoos conteúdosculturaiscorrespondentesàsrespectivascomunidades; IV–elaborarepublicarsistematicamentematerialdidáticoespecíficoe diferenciado.
  21. 21. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição41 51 §3ºNoqueserefereàeducaçãosuperior,semprejuízodeoutrasações,o atendimentoaospovosindígenasefetivar-se-á,nasuniversidadespúblicas eprivadas,medianteaofertadeensinoedeassistênciaestudantil,assim comodeestímuloàpesquisaedesenvolvimentodeprogramasespeciais. Art.79-A.(Vetado.) 52 Art.79-B.Ocalendárioescolarincluiráodia20denovembrocomoDia NacionaldaConsciênciaNegra. 53 Art.80.Opoderpúblicoincentivaráodesenvolvimentoeaveiculação deprogramasdeensinoadistância,emtodososníveisemodalidadesde ensino,edeeducaçãocontinuada. §1ºAeducaçãoadistância,organizadacomaberturaeregimeespeciais, seráoferecidaporinstituiçõesespecificamentecredenciadaspelaUnião. §2ºAUniãoregulamentaráosrequisitosparaarealizaçãodeexamese registrodediplomarelativosacursosdeeducaçãoadistância. §3ºAsnormasparaprodução,controleeavaliaçãodeprogramasdeedu- caçãoadistânciaeaautorizaçãoparasuaimplementação,caberãoaosres- pectivossistemasdeensino,podendohavercooperaçãoeintegraçãoentre osdiferentessistemas. §4ºAeducaçãoadistânciagozarádetratamentodiferenciado,queincluirá: 54 I–custosdetransmissãoreduzidosemcanaiscomerciaisderadiodifusão sonoraedesonseimagenseemoutrosmeiosdecomunicaçãoquesejam exploradosmedianteautorização,concessãooupermissãodopoderpúblico; II–concessãodecanaiscomfinalidadesexclusivamenteeducativas; III–reservadetempomínimo,semônusparaopoderpúblico,peloscon- cessionáriosdecanaiscomerciais. Art.81.Épermitidaaorganizaçãodecursosouinstituiçõesdeensinoex- perimentais,desdequeobedecidasasdisposiçõesdestalei. 55 Art.82.Ossistemasdeensinoestabelecerãoasnormasderealizaçãode estágioemsuajurisdição,observadaaleifederalsobreamatéria. 51ParágrafoacrescidopelaLeinº12.416,de9-6-2011. 52ArtigoacrescidopelaLeinº10.639,de9-1-2003. 53ArtigoregulamentadopeloDecretonº5.622,de19-12-2005. 54IncisocomredaçãodadapelaLeinº12.603,de3-4-2012. 55ArtigocomredaçãodadapelaLeinº11.788,de25-9-2008. Série Legislação42 Art.83.Oensinomilitaréreguladoemleiespecífica,admitidaaequivalên- ciadeestudos,deacordocomasnormasfixadaspelossistemasdeensino. Art.84.Osdiscentesdaeducaçãosuperiorpoderãoseraproveitadosem tarefasdeensinoepesquisapelasrespectivasinstituições,exercendofun- çõesdemonitoria,deacordocomseurendimentoeseuplanodeestudos. Art.85.Qualquercidadãohabilitadocomatitulaçãoprópriapoderáexigir aaberturadeconcursopúblicodeprovasetítulosparacargodedocente deinstituiçãopúblicadeensinoqueestiversendoocupadoporprofessor nãoconcursado,pormaisdeseisanos,ressalvadososdireitosassegurados pelosarts.41daConstituiçãoFederale19doAtodasDisposiçõesConsti- tucionaisTransitórias. Art.86.Asinstituiçõesdeeducaçãosuperiorconstituídascomouniversida- desintegrar-se-ão,também,nasuacondiçãodeinstituiçõesdepesquisa,ao SistemaNacionaldeCiênciaeTecnologia,nostermosdalegislaçãoespecífica. TÍTULOIX DASDISPOSIÇÕESTRANSITÓRIAS Art.87.ÉinstituídaaDécadadaEducação,ainiciar-seumanoapartirda publicaçãodestalei. §1ºAUnião,noprazodeumanoapartirdapublicaçãodestalei,encami- nhará,aoCongressoNacional,oPlanoNacionaldeEducação,comdire- trizesemetasparaosdezanosseguintes,emsintoniacomaDeclaração MundialsobreEducaçãoparaTodos. 56 §2ºOpoderpúblicodeverárecensearoseducandosnoensinofundamen- tal,comespecialatençãoparaogrupodeseisaquatorzeanosdeidadeede quinzeadezesseisanosdeidade. 57 §3ºODistritoFederal,cadaestadoemunicípioe,supletivamente,a União,devem: 58 I–matriculartodososeducandosapartirdosseisanosdeidadenoensi- nofundamental; 59 a)(revogada); 56ParágrafocomredaçãodadapelaLeinº11.274,de7-2-2006. 57ParágrafocomredaçãodadapelaLeinº11.330,de25-7-2006. 58IncisocomredaçãodadapelaLeinº11.274,de7-2-2006. 59AlínearevogadapelaLeinº11.274,de7-2-2006.
  22. 22. LDB–LeideDiretrizeseBasesdaEducaçãoNacional 7ªedição43 60 b)(revogada);e 61 c)(revogada); II–provercursospresenciaisouadistânciaaosjovenseadultosinsufi- cientementeescolarizados; III–realizarprogramasdecapacitaçãoparatodososprofessoresemexer- cício,utilizandotambém,paraisto,osrecursosdaeducaçãoadistância; IV–integrartodososestabelecimentosdeensinofundamentaldoseuter- ritórioaosistemanacionaldeavaliaçãodorendimentoescolar. §4ºAtéofimdaDécadadaEducaçãosomenteserãoadmitidosprofessores habilitadosemnívelsuperiorouformadosportreinamentoemserviço. §5ºSerãoconjugadostodososesforçosobjetivandoaprogressãodasredes escolarespúblicasurbanasdeensinofundamentalparaoregimedeescolas detempointegral. §6ºAassistênciafinanceiradaUniãoaosestados,aoDistritoFederaleaos municípios,bemcomoadosestadosaosseusmunicípios,ficamcondicio- nadasaocumprimentodoart.212daConstituiçãoFederaledispositivos legaispertinentespelosgovernosbeneficiados. Art.88.AUnião,osestados,oDistritoFederaleosmunicípiosadaptarão sualegislaçãoeducacionaledeensinoàsdisposiçõesdestaleinoprazomá- ximodeumano,apartirdadatadesuapublicação. §1ºAsinstituiçõeseducacionaisadaptarãoseusestatutoseregimentosaos dispositivosdestaleieàsnormasdosrespectivossistemasdeensino,nos prazosporestesestabelecidos. §2ºOprazoparaqueasuniversidadescumpramodispostonosincisosII eIIIdoart.52édeoitoanos. Art.89.Ascrechesepré-escolasexistentesouquevenhamasercriadas deverão,noprazodetrêsanos,acontardapublicaçãodestalei,integrar-se aorespectivosistemadeensino. Art.90.Asquestõessuscitadasnatransiçãoentreoregimeanterioreo queseinstituinestaleiserãoresolvidaspeloConselhoNacionaldeEduca- çãoou,mediantedelegaçãodeste,pelosórgãosnormativosdossistemasde ensino,preservadaaautonomiauniversitária. Art.91.Estaleientraemvigornadatadesuapublicação. 60AlínearevogadapelaLeinº11.274,de7-2-2006. 61Idem. Série Legislação44 Art.92.Revogam-seasdisposiçõesdasLeisnos 4.024,de20dedezembrode 1961,e5.540,de28denovembrode1968,nãoalteradaspelasLeisnos 9.131, de24denovembrode1995,e9.192,de21dedezembrode1995,e,ainda,as Leisnos 5.692,de11deagostode1971,e7.044,de18deoutubrode1982,eas demaisleisedecretos-leiqueasmodificaramequaisqueroutrasdisposições emcontrário. Brasília,20dedezembrode1996;175ºdaIndependênciae108ºdaRepública. FERNANDOHENRIQUECARDOSO PauloRenatoSouza
  23. 23. AsérieLegislaçãoreúnetextoslegaissobretemas específicos,comoobjetivodefacilitaroacessoda sociedadeàsnormasemvigornoBrasil. Pormeiodepublicaçõescomoesta,aCâmarados Deputadoscumpreamissãodefavorecerapráticada cidadaniaeaconsolidaçãodademocracianopaís. ConheçaoutrostítulosdaEdiçõesCâmara noportaldaCâmaradosDeputados: www2.camara.leg.br/documentos-e-pesquisa/publicacoes/edicoes

×