Estamos livres das
radiações?
O Carbono-14 é um isótopo (Figura 1)
radioativo natural, que pode ser formado por raios
cósm...
Com essa diminuição é possível desenvolver
uma técnica denominada “datação por carbono-14”
que consiste em determinar idad...
Link video explicaçao:
http://www.youtube.com/watch?v=AIJlfGbJlDc
Fontes:
Figura 1: http://ciencia.hsw.uol.com.br/carbono-...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Estamos livres de radiação?

526 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
526
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
418
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estamos livres de radiação?

  1. 1. Estamos livres das radiações? O Carbono-14 é um isótopo (Figura 1) radioativo natural, que pode ser formado por raios cósmicos (Figura 2) ou quando seu isótopo carbono-12 reage com o oxigênio. Esse rádio isótopo é incorporado pela planta através da fotossíntese e os animais, ao ingerirem esses vegetais, adquirem o c-14. Dessa forma,quando um ser vivo morre, a quantidade desse elemento decai a um ritmo constante e lento. Desse modo sua radiação só diminui pela metade após 5700 anos (tempo aproximado, conhecido pela meia vida do carbono). Figura 1 : Carbono 14 > um isótopo natural do elemento carbono, no qual tem a mesma quantidade de prótons . Figura 2 : Processo de obtenção do Carbono 14 .
  2. 2. Com essa diminuição é possível desenvolver uma técnica denominada “datação por carbono-14” que consiste em determinar idade de certos artefatos ,como madeiras, sedimentos orgânicos e ossos, comparando a quantidade existente no objeto a ser pesquisado com a medida de c-14 constatada em organismos vivos. Esse método foi descoberto logo após a segunda guerra mundial , pelo cientista Willard Frank Libby (Figura 3) .Em reconhecimento pelo seu esforço desenvolvido em sua pesquisa, Libly recebeu o Premio Nobel de Química em 1960. A partir da técnica de datação foi possível determinar a idade dos Manuscritos do Mar Morto e a idade do fóssil humano mais antigo, conhecido como Luzia com cerca de 11.500 anos, que foi encontrado nas Américas ( Figura 4 ). Figura 3 : Willard Frank Libbly trabalhando em seus experimentos. Figura 4 : Reconstituição do rosto de Luzia.
  3. 3. Link video explicaçao: http://www.youtube.com/watch?v=AIJlfGbJlDc Fontes: Figura 1: http://ciencia.hsw.uol.com.br/carbono- 141.htm Figura 2: http://quimicalivre.blogspot.com.br/2011/09/isotopos- isotonos-e-isobaros.html Figura 3 : http://sunsite.berkeley.edu/uchistory/archives_exhibit s/in_memoriam/catalog/libby_willard.html Figura 4 : http://pt.wikipedia.org/wiki/Luzia_(f%C3%B3ssil)

×