Janeiro/Fevereiro/Março 2013      Número: 2      Jornal trimestral                                                        ...
“Mês de janeiro: Canto das Janeiras”Durante o mês de Janeiro os utentes de Centro de Dia e Residência, andarama cantar as ...
- Ginástica (1 vez por dia)              - Manutenção do Quintal dos Avós              (diariamente)              -Ativida...
11 de Fevereiro “Dia do Doente”O dia do doente foi vivido de uma forma peculiar pelos nossos utentes, que apesar dadoença ...
19 de Março “Via-sacra nos Valinhos entre Instituições”     Dia 19 de Março, as valências de Lar, Centro de dia e Centro d...
22 de Março “Dia do homem”                                  Tendo por princípio a não descriminação, instituímos          ...
Janeiro   o Reunião de Voluntários   o Convívio no ZambujalFevereiro                                                - Hidr...
15 de Fevereiro “Convívio na Atouguia”Na tarde do dia 15 de janeiro realizou-se o convívio da comunidade da Atouguia, nasi...
27 de Março “Convívio no Escandarão”No passado dia 27 de Março, realizou-se o convívio do Escandarão, onde a participaçãod...
A família na vida do idosoNesta edição, vamos abordar um tema muito pertinente nos nossos dias, a importânciada família na...
A DOENÇA DE PARKINSONA DOENÇAA Doença de Parkinson é uma perturbação cerebral progressiva e prolongada queafeta, pessoas c...
12
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jornal do centro 2013 janeiro a março

234 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
234
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal do centro 2013 janeiro a março

  1. 1. Janeiro/Fevereiro/Março 2013 Número: 2 Jornal trimestral “Envelhecimento Ativo, dar mais anos àCaros Leitores, vida”a 2ª edição do Jornal do Centro Social da Atouguia,pretende ser uma oportunidade para inteirar a A inatividade está na origem de muitascomunidade local e os parceiros sociais de todas as patologias, sobretudo aquelas que estãoatividades realizadas no primeiro trimestre do ano ligadas ao processo de envelhecimento,corrente. Desejamos que apreciem a exposição dos potenciando um círculo vicioso, levando aomomentos vividos por todos os utentes da Instituição e afastamento e ao isolamento, restringindoseus cooperantes. gradualmente as capacidades, físicas, cognitivas bem como a perda das capacidades vitais. O maior benefício da atividade é o evitar os efeitos resultantes da inatividade, conservando a saúde e a independência,Pontos de interesse especiais: levando a um envelhecimento pró-ativo gerindo e conduzindo este, da forma mais  11 de Fevereiro, “Dia saudável e benéfica possível, tendo Mundial do Doente” implícito uma série de objetivos,  12 de Fevereiro, “Dia nomeadamente físicos, psíquicos e sociais. de Carnaval”  8 de Março, “Dia da Lia Araújo Mulher”  19 de Março “dia do Pai”  19 de março “Via-sacra entre Instituições do Concelho”  22 de Março “Dia do Homem” Ilda da Conceição Gomes: 13 de Jan.  31 de março “Páscoa” Josefina de Jesus Sousa: 20 de Fev. Mª Joaquina Pereira: 20 de Fev. Júlia Santos: 02 de Março. Mª Jesus Mendes: 20 de março. Alfredo Lains: 22 de Março Ana Alho: 25 de Março 1
  2. 2. “Mês de janeiro: Canto das Janeiras”Durante o mês de Janeiro os utentes de Centro de Dia e Residência, andarama cantar as janeiras aos parceiros sociais da Freguesia. Momentos de boadisposição não faltaram!Percorreram os vários locais da comunidade, nomeadamente, a escola Por que a Chita ficouprimária, o jardim da Instituição, os Atl(s) Fontainhas e Atouguia e o Lar do zangada com o Tarzan?Pinheiro “Bela Vista”, fazendo-se acompanhar de tambor, pandeiretas, pau de Porque ele é amigo dachuva e ferrinhos. Cantaram e encantaram, deixaram e trouxeram boa onça!disposição de volta a casa, não temendo a chuva que quase sempre foi acompanhia nestas saídas. Porque o louco toma banho com o chuveiro desligado?Também estes parceiros sociais presentearam os nossos avós com cantares Por que ele comprou umdas janeiras, deslocando-se os mesmos às nossas instalações, cantando para os fdfgsdcgsdgsdb champô para cabelosnossos utentes. Uma animação que deixa sempre um rasto de boa disposição e secos!alegria. O que um escorregador Sandra Seca falou pro outro? Aqui os anos passam depressa. -Onde é que dorme o relógio? No quarto de hora. Qual a diferença entre o padre e o bule? O padre é de muita fé e o bule de pôr café. 15 de Janeiro “Ida ao Stº Amaro” A tradição não podia faltar! No dia 15 de Janeiro os nossos utentes, foram até à feira dos pinhões, ao Stº Amaro. Recordaram tempos de outrora, onde a presença nesta feira era um costume e uma tradição. Momentos de encontros e desencontros com conhecidos e amigos fizeram desta saída uma agradável tarde. Que para o ano, todos nós possamos voltar ao Stº Amaro com a mesma alegria e saúde! Sandra Seca 2
  3. 3. - Ginástica (1 vez por dia) - Manutenção do Quintal dos Avós (diariamente) -Atividades interegeracionais (sempre que se proporcionarem) * Uma loira diz a outra: - Pus soalho flutuante em casa! Agora, quando vierem as próximas cheias, o chão flutua e não fico com a casa inundada! - Ora... És mesmo parva... Então mas assim, se as cheias subirem muito, dás cabo da cabeça no teto! - Não dou nada... Também pus teto falso! * A garota chega pra mãe, reclamando do ceticismo do namorado. - Mãe, o Mário diz que não acredita em 8 de Fevereiro “Desfile de carnaval” inferno. - Case-se com ele, minha filha, e deixe o restoNo dia 8 de Fevereiro, os parceiros sociais da Atouguia comigo!juntaram-se junto à Igreja para o habitual desfile decarnaval. * - Querido, onde está aquele livro: Como viver 100 anos? O desfile decorreu pela rua principal da Atouguia com o - Joguei fora!término no Centro de Dia, dando oportunidade aos utentes - Jogou fora? Por quê?mais debilitados que não puderam desfilar conjuntamente - É que a sua mãe vem nos visitar amanhã e eucom os participantes. não quero que ela leia essas coisas!A alegria e euforia carnavalesca eram notáveis, envolvendoa todos num ambiente de boa disposição. Sandra Seca 8 de Fevereiro “Ida á Kayene” Na tarde do dia 8 de Fevereiro, na discoteca Kayene, juntaram-se várias Instituições de Idosos do concelho de Ourém, para aí poderem desfrutar de uma tarde de dança e diversão. As portas abriram-se para esta faixa etária, onde o entretenimento e a boa disposição contagiavam e entusiasmavam todos aqueles que participaram nesta iniciativa. Uma tarde bem passada que a todos proporcionou muito movimento, encontro com conhecidos e uma euforia salutar. Sandra Seca 3
  4. 4. 11 de Fevereiro “Dia do Doente”O dia do doente foi vivido de uma forma peculiar pelos nossos utentes, que apesar dadoença e da debilitação fazer parte do quotidiano das suas vidas, cingidos de umagrande satisfação, disponibilizaram-se para visitar os doentes da comunidade, rostos conhecidos que partilharam momentos comuns da sua história. Nesta causa procurou-se levar algum ânimo, companhia e conforto a estas pessoas doentes. O resultado desta atividade foi muito positivo, pois apesar de o tema não ser de alegria, foi uma experiência que deixou os nossos utentes muito satisfeitos pela prestação de solidariedade, bem como as pessoas que nos receberam, agradecidas e de alguma forma apreciadas pelo gesto. Uma experiência relembrada pelos utentes e alargada a outras pessoas, passando afazer parte das atividades mensais.Um enorme abraço a todos estes doentes, muita força e coragem! Sandra Seca08 de Março “Dia da Mulher”No dia da mulher, um grupo de senhores, no período da manhã presentearam asmulheres da Instituição, levando às diversas valências uma tulipa a cada uma dasfuncionárias presente, um gesto comum a outros anos anteriores. A boa disposição e aalegria com que o faziam eram notórias nos seus rostos.Também às utentes lhe foi concedido um dia especial, para além de receberem ummiminho, depois do almoço fez-se uma saída só para senhoras, onde o contentamentoera patente. Sandra Seca 4
  5. 5. 19 de Março “Via-sacra nos Valinhos entre Instituições” Dia 19 de Março, as valências de Lar, Centro de dia e Centro de Convívio juntaram-se a várias Instituições Sociais do Concelho, nos Valinhos, para em comunidade meditarem na paixão de Cristo através do exercício da Via-Sacra, sendo esta presidida pelo Padre de Stª Catarina da Serra. Apesar do dia estar frio e chuvoso, fazendo com que a participação tivesse um espírito de sacrifício acrescido, foi uma atividade positiva que teve um número de participantes razoável, culminando esta, num almoço no albergue do Santuário com todos os presentes. Um enorme obrigado àqueles que proporcionaram este momento! Sandra Seca 19 de Março “Dia do Pai”Ter um Pai! É ter na vidaUma luz por entre escolhos;É ter dois olhos no mundoQue vêm pelos nossos olhos!Ter um pai nunca se perdeAquela santa afeição,Sempre a mesma quer o filho,Seja um santo ou um ladrão.Ter um Pai! Doce poemaDum sonho bendito e santoNestas letras pequeninas,Astros dum céu todo encanto!Ter um Pai! Os órfãozinhosNão conhecem este amor!Por mo fazer conhecer,Bendito seja o Senhor! Florbela Espanca 5
  6. 6. 22 de Março “Dia do homem” Tendo por princípio a não descriminação, instituímos no nosso centro, o dia do homem, que foi comemorado no dia 22 de março. Para marcar o dia de uma forma diferente e tal qual como aconteceu no dia da mulher, os senhores após o almoço escolheram um local a ir tomar um cafezinho, uma viagem só de homens, o lugar escolhido foram os castelos de Ourém, onde o cafezinho foi substituído por uma ginjinha, um momento bem passado que a todos deixou de cara alegre. Que para o ano cá estejamos todos para repetir a “dose”, de boa disposição, claro! Sandra SecaUtentes falecidos José Pedro Tavares Maria de Jesus Ferreira Amaro Nascido a 08.03.1921 Nascida a 21.03.1921 Falecido a 27.01.2013 Falecida a 02.03.2013 As mais sinceras condolências a toda a família e amigos próximos destes queridos utentes. 6
  7. 7. Janeiro o Reunião de Voluntários o Convívio no ZambujalFevereiro - Hidroginástica (2 vezes o Ida aos Jardins Bíblicos por semana) - 1 saída por mês o Convívio na Atouguia - Convívio nas váriasMarço localidades o Via Sacra nos Valinhos (1 vez por mês) o Convívio no Escandarão 25 de Janeiro “Convívio no Zambujal”No passado dia 25 de janeiro realizou-se o primeiro convívio da comunidade, nolugar do Zambujal. Como é habitual os utentes de Centro de Dia e Residênciamarcaram a sua presença em grande número, apesar da chuva e do frio que sefazia sentir.Mais uma vez as voluntárias mimaram os nossos idosos com uma mesa farta dealimentos aprazíveis, onde todos se deliciaram e satisfizeram. Um enorme obrigado pela generosidade e pelo trabalho das voluntárias e dacomunidade do lugar do zambujal.Bem hajam! Sandra Seca 7
  8. 8. 15 de Fevereiro “Convívio na Atouguia”Na tarde do dia 15 de janeiro realizou-se o convívio da comunidade da Atouguia, nasinstalações do Centro de Dia. Um convívio que promoveu encontros agradáveis entrepessoas da comunidade e utentes institucionalizados e de Centro de Dia.Toda a comunidade se envolveu, colaborando generosamente com alimentos quemimaram os nossos utentes, proporcionando um lanche farto e saboroso, tendo comointermediárias as nossas voluntárias da Atouguia, mediadoras desta colaboração. Umenorme obrigado pela sua dedicação e colaboração. Sandra Seca 1de Março, “Ida aos jardins Bíblicos 19 de Março, “Via sacra nos com o centro de Convívio” Valinhos” O centro de Convívio visitou os Jardins Uma atividade feita em conjunto com Bíblicos no passado dia 1 de março, uma a valência de Lar e Centro de dia, visita que teve o acompanhamento do Frei simultaneamente com outras Manuel Rito, frade Capuchinho, onde foi Instituições do Concelho. explicado todo o simbolismo presente neste espaço. Um ambiente de tranquilidade que envolveu todos os participantes. Sandra Seca 8
  9. 9. 27 de Março “Convívio no Escandarão”No passado dia 27 de Março, realizou-se o convívio do Escandarão, onde a participaçãodos utentes de lar e Centro de Dia foi em número elevado.Um convívio onde estavam presentes muitas pessoas do lugar, permitindo o encontro eo diálogo entre rostos bem conhecidos. Uma tarde que deixou os utentes muito bem-dispostos e animados.Um enorme obrigado à generosidade da comunidade do lugar do Escandarão queregalou os nossos utentes com um lanche farto e delicioso. Sandra SecaA Direção do Centro Social de Atouguia agradece aos utentes do Centro Social deAtouguia, familiares e outros coloboradores:à Maria Antónia Alho pela oferta de terra para as nossas floreiras do exterior e o seutrabalho de voluntariado, à funcionária Ângela pelos morangueiros oferecidos para anossa horta, à voluntária Maria Isabel Pereira pelas filhoses oferecidas para o lanchedos nossos utentes, à voluntária Isaura pelo bolo oferecido aos nossos utentes para olanche, ao Joaquim (sardinha) do Zambujal pelo carro de mão e brita para as nossasfloreiras, ao Senhor Faustino pelo casal de cocas oferecido para a nossa capoeira, aoutente Joaquim Mendes pelas flores oferecidas para o jardim e à Ana Batista pelo melrooferecido para a nossa gaiola.Um especial obrigada aos nossos utentes residentes e de centro de dia pela coolaboraçãonas tarefas diárias da instituição. 9
  10. 10. A família na vida do idosoNesta edição, vamos abordar um tema muito pertinente nos nossos dias, a importânciada família na vida do idoso.A questão do envelhecimento tornou-se um assunto importante a discutir, isto devidoao aumento da esperança média de vida. Desta forma parece oportuno refletir sobre oenvelhecimento e o modo como são tratados os nossos idosos no seio da família, aspessoas que lhes são mais importantes.Segundo o conceito clássico de família, ela é um grupo social caracterizado porresidência em comum, cooperação económica e reprodução.De hoje em dia o termo família sofreu mudanças importantes decorrentes da maiorparticipação da mulher no mercado de trabalho, da redução do tamanho da família, dosurgimento de novos papéis de gênero e da maior longevidade. O estilo de vida atualdificulta a presença da família no cuidado ao idoso, no entanto, existem muitaspossibilidades de conciliar estes papéis através das diferentes estratégias disponíveisnos serviços de saúde (cuidados primários) e respostas sociais, (Apoio domiciliário,Centro de Convívio e Centro de dia) e quando os elementos da família são capazes dedistribuir responsabilidades e de se ir rendendo entre si.Entende-se a idade da velhice como a ultima etapa de vida, parece ser a mais difícil detodas, porque ela vem quando ocorre um distanciamento social, um sentimento deinutilidade, marca da nossa sociedade. A transição do estado adulto para a velhice é umprocesso que provoca grandes alterações na autoestima e autoimagem destas pessoas,que vão deixando de ser valorizadas pela sociedade. Desta forma, a família deve ser oponto de apoio do idoso em todos os momentos e circunstâncias, é importante para oseu bem-estar e estabilidade a aceitação destas mudanças. A família representa ummeio protegido, onde o idoso pode manter um papel ativo e importante, se os restantesmembros da família estiverem conscientes destas situações.Em conclusão, a velhice deve ser considerada como a idade da vivência e daexperiência, que não deve ser desperdiçada mas sim valorizada.É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do próprio estado assegurar aoidoso, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, aolazer, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar ecomunitária. Mónica Matias 10
  11. 11. A DOENÇA DE PARKINSONA DOENÇAA Doença de Parkinson é uma perturbação cerebral progressiva e prolongada queafeta, pessoas com idade em média acima dos 60 anos. Estas pessoas têmdificuldade em controlar os seus movimentos corporais e os sintomas pioram com oavanço da doença, dificultando as tarefas da vida diária.Os sintomas da Doença de Parkinson resultam da perda de células nervosas nocérebro que afetam o controle do movimento, bem como outras áreas, tais como ohumor, o sono e o pensamento. A causa exata da perda de células nervosas não éconhecida, mas acredita-se que envolva uma combinação de fatores genéticos,ambientais e de envelhecimento.Os sintomas desta doença incluem tremores, lentidão de movimentos, rigidezmuscular e problemas de equilíbrio. Além disso, os sintomas que não envolvam aparte motora também são comuns, por exemplo, depressão, demência, dor,perturbações do sono e disfunção em sistemas autónomos do corpo tais como adigestão, pressão sanguínea, a comunicação, entre outras.A Doença de Parkinson é uma doença progressiva e, ao longo do tempo, vãoaparecendo novos sintomas enquanto os sintomas existentes se agravam lentamente.No entanto, não é uma doença terminal as pessoas podem viver cerca de 15 a 25anos ou mais, a partir do momento de diagnóstico, o que a torna numa doença crónicaprolongada. Mónica MatiasJornal:Diretora Técnica: Dr.ª Mónica MatiasRedação e fotografia: Mónica Matias e Sandra SecaDesign ação: Sandra Seca 11
  12. 12. 12

×