Jornal do centro 2013 edição nº 3

210 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
210
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal do centro 2013 edição nº 3

  1. 1. 1 O Jornal do Centro Social da Atouguia apresenta a sua 3ª edição. A exposição das notícias partilhadas pretende ser uma forma de comunicação e de interação entre a comunidade local e a Instituição, desejando que desta forma, seja apreciada por todos os leitores. Ano 2013 Número: 3 “Envelhecimento Ativo, dar mais anos à vida” A comunicação é uma distração que permite ao idoso permanecer integrado na sociedade sendo esta, inerente ao homem, essencial para manter uma vida ativa. “ …Trata-se de um processo que faz do homem aquilo que ele é e permite que se estabeleça a relação interpessoal. Comunicar é uma competência que deve ser treinada e melhorada, para que se possa contribuir para a construção e manutenção das relações saudáveis.‖ Lia Araújo e Sara Melo “Manual do Envelhecimento Ativo‖. Estruturas físicas e sociais que permitam o inter-relacionamento, tais como Centros de Dia, lares e Centros de Convívio, são facilitadoras desta competência pessoal humana, combatendo o isolamento e a solidão nesta faixa etária. Pontos de interesse especiais: 28 de Abril ―Caminhada da Primavera‖ 4 de Maio ―passeio do Centro de Convívio a Coimbra‖ 5 de Maio ―Dia da mãe‖ José Reis Pereira: 1 de Abril António Vieira Lopes: 11 de Abril Conceição de Jesus Mendes: 13 de Abril José Gameiro: 28 de Abril Conceição Mendes: 2 de Maio Faustino Manso: 8 de Maio José Chaínho: 5 de Junho Brígida Ferreira: 21 de Junho Rosa Pereira 22 de Junho Fernando Mendes: 23 de Junho
  2. 2. 2 fdfgsdcgsdgsdb 28 de Abril “Caminhada da primavera” O Centro Social organizou no passado dia 28 de Abril um evento para toda a comunidade, uma caminhada de 8,5 Km pelos campos e floresta da região da Atouguia. Esta iniciativa juntou pessoas de várias idades, proporcionando um convívio e um ambiente familiar, aprazível entre todos. O percurso teve início junto à antiga Junta da Atouguia e culminou nas fontes com um porco no espeto. Depois do almoço os participantes foram beber café à associação das Fontainhas, transportados pelas carrinhas da Instituição, reforçando naturalmente o momento de convívio e interação entre a comunidade. Pelo feedback chegado pelos participantes, a satisfação era enorme pela forma como a atividade tinha decorrido e pela forma como estava organizada, manifestando motivação para participar em futuras iniciativas do género ou com o mesmo objetivo. Ficamos a aguardar outras atividades ou passatempos interessantes. Qual é a cidade portuguesa que está no focinho de um cão? Qual é a coisa que faz mais falta numa casa? Altos palácios, lindas janelas; abrem-se e fecham, ninguém mora nelas. O que é? Muitas damas num castelo, todas vestem de amarelo. O que é? Tenho um tio que é meu tio; o meu tio tem um irmão, o meu tio é meu tio e o irmão do meu tio não. Adivinhe! Sou ave, penas não tenho, capa de ovelhas me cobre; sou criada numa árvore, Coitadinha, sou tão pobre. Adivinhe. O que é, que é nome de homem, nome de mulher e nome de flor? Que é, que é, que quando sobe é porque há festa? Por detrás de um muro branco, há uma flor amarela que se pode apresentar ao próprio rei de Castela. Adivinhe!
  3. 3. 3 21 de maio “Ação de informação rastreios sobre diabetes” No dia 21 de Maio a Unidade de Cuidados na comunidade de Ourém propiciou aos utentes da Instituição, uma manhã de rastreios e de informação sobre a diabetes, terminando a mesma com uma aula de ginástica onde todos os participantes puderam usufruir do exercício físico oferecido. Depois de terminada a manhã, fomos todos almoçar ao parque Linear, onde aí pudemos apreciar os espaços verdejantes, completámos o nosso almoço com uma ida aos castelos, deixando a todos satisfeitos e bem- dispostos com o dia vivido em cheio. - Ginástica (1 vez por dia) - Manutenção do Quintal dos Avós (diariamente) -Atividades interegeracionais (sempre que se proporcionarem) Um alentejano foi visitar a China. Uma vez lá chegado, o homem visitou o Poço dos Nomes. Dizia a lenda que quem estivesse prestes a ser pai deveria atirar uma pedra para o poço, e o barulho que a pedra fizesse seria então o nome do filho. O alentejano aproxima-se do poço e vê um Chinês a atirar uma pedra, que faz: Chin- Chan-Yen. O alentejano acha piada aquilo e vê outro Chinês a fazer o mesmo: Tin-To-Yan. O alentejano não resiste e, como também ele estava prestes a ser pai, atira também uma pedra. Conforme cai no poço, a pedra faz: Chim- Pan-Zé. Dois alentejanos encontram-se na rua. — Atão compadre, que cara é essa? — Ah Zé, tou aqui que na sei! Hoje faço cinquenta anos de casado!... — Eh Maneli, parabéns, e atão o que vais dar a tua Maria? — Olha quando fizemos vinte e cinco anos levei-a a Lisboa... — Grande ideia... — Agora na sei se a vá buscari. Dois bêbados fazem confidências entre dois copos de vinho tinto: — Que diz a tua mulher quando chegas muito tarde a casa? — Eu não tenho mulher! — Então porque vais tarde para casa?
  4. 4. 4 A Direção do Centro Social de Atouguia agradece aos utentes do Centro Social, familiares e outros coloboradores: Um enorme obrigada à Socopaze, à Golden Frutos, à Alda, à Padaria Mota e à Oureana pelo seu contributo no passeio da primavera, patrocinando alguns dos géneros alimenticios usados na refeição proporcionada aos participantes deste evento. Ao Sr. Joaquim “sardinha” que organizou uma sardinhada, bem como à comunidade do Zambujal que nos proporcionou um almoço e uma tarde no salão do lugar, onde estiveram também a animar várias pessoas com concertinas, permitindo aos utentes séniores do centro social desfrutar de momentos agradáveis e divertidos. Um especial obrigada aos nossos utentes residentes e de centro de dia pela coolaboração nas tarefas diárias da instituição, o trabalho realizado com prazer nas simples tarefas é muito benéfico, refuta o preconceito, almejando um envelhecimento ativo, no qual os idosos são protagonistas, permitindo também fomentar a autonomia, a mobilidade fisica e a participação ativa. Utentes falecidos Maria Vieira Pereira Nascida a 18.05.1935 Falecida a 02.05.2013 António Augusto Pereira Nascido a 06.02.1927 Falecido a 26.05.2013 As mais sinceras condolências a toda a família e amigos próximos destes queridos utentes.
  5. 5. 5 - Hidroginástica (2 vezes por semana) - 1 saída por mês - Convívio nas várias localidades (1 vez por mês) Abril o Visita ao Museu etnográfico do Freixial o Convívio na Mourã Maio o Passeio a Coimbra o Convívio no Pinheiro do Murtal Junho o Ida ao moinho de papel, Leiria o Convívio nas fontainhas o Encerramento das atividades 26 de Abril “Convívio da Mourã” Os voluntários da Mourã, no passado dia 26 de Abril propiciaram aos utentes do Centro de Dia e Residência uma tarde de animação e confraternização envolvendo também a comunidade local. A animação teve um jovem que abrilhantou a tarde com música tocada à concertina. Momentos de convívio, diálogo e boa disposição suscitadores de encontros e de comunicação e geradores de relações saudáveis, são fulcrais para os nossos idosos se manterem integrados na sociedade, colmatando sentimentos de solidão e isolamento. Um enorme obrigado à comunidade da Mourã, que ofereceu um lanche aprazível e saboroso aos nossos utentes, bem como ao jovem músico que proporcionou uma tarde muito divertida.
  6. 6. 6 24 de maio “Convívio no Pinheiro do Murtal” No passado dia 24 de maio realizou-se mais um convívio no lugar do Murtal, onde mais uma vez a adesão por parte dos utentes foi em grande número, como é habitual. A comunidade ofereceu uma tarde aprazível e um lanche farto e saboroso, permitindo aos nossos utentes socializar com caras conhecidas e passar momentos de boa disposição. Um enorme obrigado a todos os voluntários e membros da comunidade do Pinheiro do Murtal que tornaram as condições necessárias e favoráveis de modo a permitir aos utentes desfrutar deste convívio. Sandra Seca 22 de maio “Convívio nas Fontainhas” Realizou-se nas fontes, no dia 22 de maio, o habitual convívio com a comunidade das Fontainhas, um lanche com a comunidade e com o Centro de Dia. Uma tarde que contou também com a animação de um acordeonista, permitindo aos participantes dar um pezinho de dança. Momentos de confraternização e de partilha, que têm por base encontros de diálogo, colmatando o isolamento e a solidão possíveis de existir. Um enorme obrigado às voluntárias do lugar e a todos aqueles que contribuíram com o seu trabalho e com os géneros alimentares, bem como a animação que foi proporcionada, para que esta convivência animada fosse possível. Sandra Seca
  7. 7. 7 12 de Abril “Ida ao Museu etnográfico do Freixial” O centro de Convívio visitou o Museu etnográfico do freixal, Freguesia do Arrabal, no passado dia 12 de Abril, uma visita que teve como guias do mesmo, entidades representantes do Rancho folclórico do Freixal. Esta saída englobou também o centro de Dia e a valência de Lar, fomentando uma tarde de memórias, oferecendo um contato com o mundo rural, ligado às atividades tradicionais, muito familiar deste público. Terminámos a nossa visita com uma tarde de animação, em que dirigentes do rancho tocaram ao vivo para todos nós, exortando e encantando todos os participantes. Um enorme obrigado por esta animação e esta receção. Sandra Seca 4 de maio “ passeio a Coimbra” O nosso passeio anual realizou-se no passado dia 4 de maio, com destino a Coimbra. Uma viagem de carater essencialmente cultural que teve como objetivo principal o conhecimento dos primeiros povos que habitaram a nossa civilização Ibérica a partir do ano I D.C. Começamos por visitar o Museu Machado Castro no período da manhã e à tarde a Quinta das Lágrimas e Conímbriga. Um dia intenso e bem passado, permitindo trazer na bagagem aprendizagens e conhecimento.
  8. 8. 8 7 de Junho “Visita ao Moinho de Papel” Dia 7 de Junho um grupo de utentes de Centro de Convívio visitou o espaço museológico ligado à aprendizagem de artes e ofícios tradicionais, o Moinho de papel, em leiria. Esta visita permitiu relembrar os antigos moinhos a água e a moagem do cereal, um património sociocultural, recuperado pela câmara Municipal de Leiria, ligado também ao fabrico do azeite e á produção do papel. Durante a visita decorria a montagem de um programa televisivo, do qual o grupo fez parte, contribuindo com testemunhos vivos e o parecer do espaço visitado. Sandra Seca
  9. 9. 9 ENVELHECER Nesta edição irei falar do “Envelhecimento”, tema importante para refletirmos no atual contexto social. A nossa sociedade tende a depreciar a velhice, isto porque, ainda, existe um estigma negativo que circunda a velhice, vejamos no dia-a-dia a velhice é vista como uma vida desgastante e cansativa; fase de deterioração e regressiva; falta de capacidades físicas, cognitivas e emocionais; já não servem para ajudar ou trabalhar; apenas dão trabalho e despesa aos mais novos (filhos, netos, etc.). Contudo, esquecemo-nos que os velhos já foram crianças, adolescentes e adultos, que contribuíram, para sermos quem somos hoje. Sem a geração anterior, nós não existíamos, pois a vida humana é um ciclo, em constante movimento, basta falhar um eixo para não haver geração seguinte. Envelhecer = Viver, a sociedade não pode aceitar estas ideias do senso comum face á velhice, é certo que esta última etapa da vida, traz transformações e alterações, para a vida do ser humana, mas afinal de contas, desde que nascemos que a nossa vida é feita de desenvolvimentos e modificações, esta é, apenas a última. Quem não se lembra do trauma do primeiro dente a cair, da primeira borbulha, a excitação do primeiro dia de trabalho, a alegria do nascimento de um filho, então porque ao olhar ao espelho nos sentimos tão confusos e admirados com a primeira ruga ou cabelo branco, sem saber como reagir! A verdade é que passamos a vida a envelhecer, e se o aceitamos, é uma fase normal no nosso ciclo, porque é que, quando se chega à última etapa, não aceitamos a velhice. O envelhecimento é algo comum, está geneticamente escrito e é influenciado por fatores ambientais e hereditários, contudo as modificações e o desenvolvimento físico e cognitivo não ocorrem de forma igual em todas as pessoas, uma vez que depende do estilo de vida que a pessoa leve. As Principais alterações são: a aparência física; órgãos dos sentidos e internos; músculos, ossos e mobilidade; Cognitivas: Perda de memória e aparecimento de doenças de foro psíquico, pensamentos e receio perante a morte; Psicossociais: Perda do sentido e vontade de viver, falecimento de amigos e familiares (viuvez), sentimento de solidão e desorientação, reforma e isolamento social. Envelhecimento é o destino final do idoso, é uma etapa importante no seu crescimento pessoal, possibilita o encontro com diferentes aspetos de si próprio, a solução de antigos conflitos, a redefinição de prioridades e o surgimento de um novo sentido para a sua vida. É por isso que a sociedade não pode aceitar a velhice como algo negativo ou indesejável, mas como uma nova etapa de descoberta de si e do mundo, em que é possível ser-se ativo. A sociedade deve através de instituições próprias, como a nossa, promover e desenvolver junto dos idosos a atribuição novos papéis e relacionamentos sociais, de forma a facilitar a sua gradual adaptação a esta nova etapa da sua vida. É possível ser-se feliz e ativo na velhice, o que urge é a mudança e abertura das mentalidades. V e l h i c e“ Aquele que vai envelhecendo, apesar de as forças falharem e as potencialidades deixarem de ser as que eram, continua a viver, até bastante tarde, aumentando a sua rede de ralações e interdependência recordando sempre as sua memórias, delas próprias darem vida. Mónica Matias
  10. 10. 10 Alimentação dos 0 aos 100, segundo a Medicina Tradicional Chinesa (MTC) Adotar estilos de vida saudáveis, promovendo mais e melhor qualidade à vida, é responsabilidade e dever de todos nós. Trata-se de um trabalho individual, que começa pelo passo conhecer-se a si mesmo. É um processo de mudança que deve vir de dentro para fora. Para seguir uma alimentação saudável, a Medicina Tradicional Chinesa segue regras muito simples, baratas e que se encontram ao alcance de todos. Regra nº1 - os 3 “fazer”: 1. P&S conceito – Porridge (aveia) de manhã e sopa à noite a. A aveia é o alimento de eleição para a primeira refeição da manhã pois dá- nos força e energia para as atividades do dia. Os cereais são um excelente suporte na nossa estrutura, no entanto, apenas se forem moídos em flocos e cozidos rapidamente em água. b. A sopa à noite é fundamental para os processos de regeneração (reconstrução dos fluídos corporais e das substâncias essenciais, como por exemplo proteínas) do corpo que ocorrem durante a noite. Sopas que incluem carne e legumes são mais ricas. 2. Dieta do arco- íris a. Tente incluir nas suas refeições diárias as 5 cores. Isto irá apoiar todas as cinco fases dos alimentos e incluirá todos os fitoquímicos essenciais que estimulam as funções vitais do corpo e contêm um total de substâncias protetoras contra importantes doenças do aparelho circulatório, cancro entre outras doenças. 3. Opte por alimentos Biológicos em vez de ―lixo alimentar‖ a. Os alimentos não biológicos não têm aquilo que em medicina chinesa é designado de Qi – ou seja, a essência que nos faz manter vivos e saudáveis; ao optar por comer alimentos biológicos, obtém mais qualidade alimentar e necessita de menos alimentos para preencher as suas necessidades nutritivas diárias. b. Comer de preferência alimentos frescos, não processados. O alimento orgânico tem menos poluição e mais Qi. Por exemplo, a qualidade e o sabor dos alimentos só por si marcam a diferença, como é o caso dos ovos ou das carnes. Evite frutas e verduras transportadas de outros países, muitas vezes estes alimentos são “separados” muito cedo da sua raiz e já não lhe permite absorver muitas das substâncias fundamentais inerentes ao processo de amadurecimento.
  11. 11. 11 Regra nº2 - os 3 “não fazer”: 1. Evitar bombas de gordura a. Evite "lixo"- gordura no metabolismo do corpo. Evite pizzas, batatas fritas, fritos, fast foods, conservantes, espessantes, queijo, glutamato, etc, são de difícil digestão e formam "desperdício residual" no corpo, também conhecido como escória. Eles bloqueiam os tecidos e levam à degradação do desempenho físico e contribuem para a sensação de fadiga e cansaço. 2. Evite alimentos crus, porque são difíceis de digerir e "arrefecem" o "estômago a. Não ingerir alimentos crus: regra da avó, uma refeição quente por dia é necessário, pois é uma regra obrigatória da Medicina Chinesa. Assim, o estômago é aquecido e a função de equilíbrio melhorada. 3. Se possível, não consumir alimentos congelados (contêm pouco Qi e uma significativa redução dos nutrientes essenciais). a. Não consumir alimentos congelados: quando comparados aos alimentos frescos, as suas propriedades são inferiores. De acordo com o ponto de vista da MTC os alimentos congelados têm menos Qi e perderam a maior parte do seu calor. Aveia (receita básica): Ferver a água com frutas picadas, adicione o grão na forma de farinha, sêmola ou flocos e deixe cozer cerca de 2 minutos. Pode adicionar de acordo com a sua necessidade e gosto nozes, sementes, frutos e canela. Conselhos dietéticos facultados pela Dra. Susana Seca Soluções das adivinhas: Faro Botão Olhos Laranjas Pai Avelã Rosa Foguetes Ovo Jornal: Diretora Técnica: Dr.ª Mónica Matias Redação e fotografia: Mónica Matias e Sandra Seca Design e paginação: Sandra Seca

×