As you like it - gluttony

224 visualizações

Publicada em

Isabelle Faria solo show at Carlos Carvalho arte contemporânea

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
224
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As you like it - gluttony

  1. 1. ISABELLE FARIAAs you like it - gluttony15 Set a 4 de Nov 2012CARLOS CARVALHO ARTE CONTEMPORÂNEARua Joly Braga Santos, Lte F R/C | 1600 - 123 LISBOATLF(+351) 217 261 831 | FAX(+351) 217 210 874www.carloscarvalho-ac.com | carloscarvalho-ac@carloscarvalho-ac.com
  2. 2. Loving cakes – Gluttony, 2012 Técnica mista sobre papel 156 x 263 cm
  3. 3. Loving champagne – Gluttony, 2012 Técnica mista sobre papel 156 x 263 cm
  4. 4. Série Cupcakes - Gluttony, 2012 Pastel de óleo sobre papel 28,5 x 38 cm
  5. 5. Série Cupcakes - Gluttony, 2012 Pastel de óleo sobre papel 28,5 x 38 cm
  6. 6. Lovers – Gluttony, 2012Técnica mista sobre papel 156 x 263 cm
  7. 7. Oscars – 9 Dolls, 2012 Latex e lantejoulas 165 x 50 x 20 cm
  8. 8. Loving cupcakes – Gluttony, 2012Técnica mista sobre papel 156 x 263 cm
  9. 9. Loving chocolate – Gluttony, 2012 Técnica mista sobre papel 156 x 263 cm
  10. 10. Série Dolls on Fabric – antidote, 2012 Lápis sobre papel 70 x 50 cm
  11. 11. Série Dolls on Fabric – antidote, 2012 Lápis sobre papel 70 x 50 cm
  12. 12. ISABELLE FARIAAs you like it - gluttonyDesenho e instalaçãoPreview: 15 Setembro 2012 17h00De 15 Setembro a 4 de Novembro 2012Carlos Carvalho Arte ContemporâneaR. Joly Braga Santos, Lote F – R/c • 1600-123 LisboaTel: 217261831Fax: 217261310E-mail: carloscarvalho-ac@ carloscarvalho-ac.comWebsite: www. carloscarvalho-ac.comPara esta primeira exposição na galeria Carlos Carvalho Arte Contemporânea, Para a artista, a representação da sexualidade está articulada com a evidência doIsabelle Faria retoma a tarefa de execução de um transvasamento dos pecados estímulo sensorial e não com a profundidade e complexidade da emoção. Por isso,capitais - que faz parte do seu percurso artístico - para formar uma condição de em relação à instalação Oscars, a artista coloca a mulher no papel único de objectoconfluência entre estes e estudar as suas demarcações e fronteiras. Mostrando de exploração, despersonalizando-a, ao multiplicá-la e envolvê-la num mecanismointeresse nos limites entre as várias figuras do pecado, a artista entende que a gula de instrumentalização. Logo, o feminino reúne apenas as características físicasé o ponto dramático de relação com a luxúria ou a cobiça, cuja transferência de que lhe atribuem a condição de objecto sexual. À semelhança de um produtosignificados se pode observar na hibridez das personagens e dos cenários. de consumo imediato e rápido, a figura feminina é construída para responder aConferindo um efeito similar a um totem, o isolamento e movimento da um desejo e corresponder a uma vontade do outro. Converte-se por isso numlinguagem simbólica destes desenhos, possibilitados pela relação individualizada modelo de produção instrumentalizada do prazer, reduzindo o domínio do sexualde cada elemento e pelo desdobramento em pequenas narrativas ou ao estímulo abstracto. É nesta lógica que, para a artista, a mulher não é mais querepresentações, estimulam e reforçam a significação. Este efeito de colagem uma máquina de produção de sensações que são atribuídos por elementos queou interrupção da narrativa é entendido por vários autores como uma forma a reduzem à tarefa de produção de prazer e de produto de consumo imediatoprópria de temporalidade que reforça a condição de significação do conjunto, e banalizado. Por outro lado, ao revestir as figuras de lantejoulas, a artista mostraconfigurando deste modo um discurso sobre a subversão dos valores morais o feminino como um objecto de fetichização anulando a condição de utilidadeestimulada pelo vício. Envolvidos em cenários da corte europeia do século XVIII, os que serviu inicialmente o seu discurso porque impede a sensação produzidadesenhos representam significados que, embora não completamente definidos, pelo efeito táctil do objecto. Ao expor esta dupla conotação, a artista expõe ase transmutam noutros, convertendo as personagens em figuras sombrias e glorificação do sexual e a permissividade amplificada e convertida num objectoquase demoníacas. Para a artista, esta transmutação não se processa apenas na em série.apresentação das figuras mas estende-se à própria noção do pecado da gula queestá indicado, como já referido, não de modo fixo e consistente, mas envolvidocom outros. Por isso verificamos o excesso do barroco dos cenários e trajes que seestendem à decoração dos bolos ou ao mobiliário e à utilização de cores e formasexpressivas e sem horizonte real. A artista convoca o exacerbado - que é visível noscenários de aparato, na profusão de linhas e cores – exponenciando o visual e porisso assumindo um afastamento da realidade.
  13. 13. CARLOS CARVALHO ARTE CONTEMPORÂNEA Rua Joly Braga Santos, Lte. F - r/c + (351) 217 261 831 + (351) 217 210 874 carloscarvalho-ac@carloscarvalho-ac.com http://www.carloscarvalho-ac.com Seg a Sex das 10h às 19h30 / Sáb das 12h às 19h30From Mon to Fri: 10am to 7:30pm / Sat: 12:00 to 7:30pm

×