Escravos do ouro

440 visualizações

Publicada em

escravos do ouro...

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
440
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Escravos do ouro

  1. 1. ESCRAVOS DO OURO <ul><li>No final dos anos 70, milhares de homens das mais diversas regiões do Brasil, movidos pela ganância e esperança de uma vida melhor, invadiram o sul do Estado do Pará e construíram “ SERRA PELADA” o maior garimpo de ouro à céu aberto do mundo. Em um curto período, pouco mais de 10 anos, este local foi templo de riqueza para muitos, no entanto o trabalho manual e arcaico não era suficiente para alimentar à ambição de 80 mil garimpeiros que se sujeitava ao trabalho escravo, que por muitos não ganhava nem mesmo o dinheiro para voltar para sua casa . </li></ul>
  2. 2. A origem do nome <ul><li>O garimpo de serra pelada, recebeu tal nome pela linda serra que meio a mata fechada e as castanheiras gigantes da Amazônia legal, o brilho de suas rochas ignoravam toda a vegetação local. </li></ul>
  3. 3. O DONO DO OURO <ul><li>Existia um departamento que media os terrenos e sorteava ou nomeava os proprietários de barrancos,que por sua vez investiam o capital sem nenhuma garantia de retorno, já os garimpeiros recebiam seus ordenados através de porcentagem da produção que nem sempre era satisfatório. </li></ul><ul><li>todo o ouro extraído era vendido imediatamente para a Caixa Econômica Federal que controlava toda a entrada e saída do minério, com o apoio total da Policia Federal. </li></ul>
  4. 4. TORRE DE BABEL <ul><li>Conforme demonstra a foto ao lado, em meados dos anos 80, a busca desenfreada pelo metal tão precioso chega ao caos, uma cratera com quase 200 metros de profundidade não parava de crescer, se transformando em uma bomba relógio, acidentes frequentes com vitimais fatais era fato normal e a cada ano que se passava à produção de ouro ficava mais escassa o que motivou o Governo Federal à intervenção do garimpo por tempo indeterminado. </li></ul>
  5. 5. DESILUSÃO E REVOLTA <ul><li>Após à medida radical do Governo Federal, houve manifestações por muito dias com confronto direto entre garimpeiros e policia. Donos de terrenos que gastaram fortunas, rebaixando seus barrancos com o propósito de chegar no tão sonhado filão de ouro, se deparou com o fracasso do dia pra noite outros não tinham dinheiro nem mesmo para o regresso de sua família, porém isto não foi o fim, más o inicio de uma luta covarde, cheia de demagogias políticas com promessas de amparar os mais de 60 mil homens desempregados e ainda iludidos com a reabertura do garimpo. </li></ul>
  6. 6. A raposa e o galinheiro <ul><li>Meio a tantas decepções os garimpeiros apostam todas as suas fichas em uma cooperativa que irá mante-los unidos e buscarão seus direitos. Com uma taxa mensal, simbólica os garimpeiros de serra pelada que são em média 30 mil cooperados fomentam a cooperativa com uma arrecadação anual que supera milhão e que ainda sim está afundada em dividas milhonárias e sem nenhuma transparência com tais gastos. Porém é necessário que os garimpeiros que almejam uma idenização, renovem suas carteiras junto a coomigasp sempre que convocados para não perderem os seus direitos. São mais de 20 anos de contribuição, sem nenhum beneficio e mesmo assim são sempre lembrados que a inádiplencia perde se os direitos. </li></ul>
  7. 7. PALÁDIO <ul><li>À CEF. Descontava dos garimpeiros uma porcentagem no ouro denominada de impureza que mais tarde foi reconhecida como ouro branco (paládio), através de uma briga judicial a CEF terá que pagar uma idenização aos garimpeiros entre 300 á 400 milhões do qual o ex-presidente Lula se comprometeu de abraçar a causa, porém ficou só no discurso, 400 milhões dividido para 30 mil cooperados não vira quase nada no entanto o garimpo será novamente explorado, agora por uma mineradora (colossos) que deverá repassar uma porcentagem da produção para a coomigasp realizar o rateio entre os garimpeiros que também não será quase nada, no entanto o problema é que tem muito dinheiro na jogada más nunca, chega no garimpeiro. </li></ul>
  8. 8. O SONHO NÃO ACABOU <ul><li>O garimpo de serra pelada foi reaberto com a liberação de exploração da mineradora Colossus em parceria com a coomigasp. </li></ul><ul><li>Estudos revelam que o ouro que foi extraído representa apenas 30% do que ainda se encontra no sub-solo, a Colossus estima extrair em média de 60 toneladas de ouro e ainda outros metais como o paládio . A Comigasp representante dos garimpeiros de serra pelada tem o alvará de exploração desta mina, más de forma nebulosa fechou uma parceria com a Colossus que obtem 75% do que for extraído sobrando os minímos 25 % para os verdadeiros donos que hoje não podem nem mesmo chegar perto desta jazida, enquanto isso a coomigasp evita falar sobre rateio e pagamentos aos garimpeiros. </li></ul>
  9. 9. A ultima cartada <ul><li>No dia 27 de março de 2011 a coomigasp promoveu uma caravana com mais de 500 ônibus convocando todos os cooperados para uma reunião em Curianópolis-Pa, para que os garimpeiros votassem numa ementa que concordavam com os plenos poderes da comigasp à representa-los na exploração do garimpo de serra pelada. Por falta de esclarecimento por parte da cooperativa os garimpeiros não sabiam nem mesmo porque estavam votando, no entanto esperançosos e sonhadores, votaram em massa, transferindo todos os poderes à coomigasp, que em nenhum momento recitou o que de fato sobraria para os cooperados. Garimpeiros de todas as regiões do Brasil depois de uma viagem longa e cansativa voltaram para suas casas desanimados e desiludidos com tanta epocresia. </li></ul>
  10. 10. BRASIL COLÔNIA <ul><li>A natureza agradece, depois do fechamento do garimpo, a arena do ouro se transformou neste lindo lago, porém aqueles brasileiros que lutaram por mais de 20 anos, estão hoje, velhos e cansados, carregando um sofrimento no rosto e um desamparo social, e com a certeza que a riqueza do nosso país não é compartilhada com o seu povo más, sim doada para as multinacionais que acumulam riquezas bilhonárias, sustentando a economia de outros países . </li></ul>

×